ministeriohorafinal

Yarmi-YAHU (Jeremias)

YARMIYAHU 1

 

1Estas são as mensagens de YAHU ULHÍM a YARMIYAHU o intermediário (filho de Hilki-YAHU) que viveu na cidade de Anatote, na terra de Benyamín.

2A primeira destas mensagens foi-lhe transmitida no décimo terceiro ano do reinado de Yasa-YAHU, filho a Amom, rei de YAHUDAH.

3As outras foram no reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH, e em várias outras vezes até Agosto do ano décimo primeiro do reinado de Tzaodoq-YAHU (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH, em que YAHUSHUA-oléym foi tomada e o seu povo levado cativo como escravos.

 

A chamada de YARMIYAHU

 

4 YAHU ULHÍM disse-me:-

5Conheci-te antes que fosses formado dentro do ventre de tua mãe; antes de teres nascido te santifiquei e te nomeei como meu porta-voz para o mundo.

6Oh, YAHU ULHÍM o Criador Eterno, disse eu, não posso fazer isso! Sou ainda tão novo! Sou apenas um moço!

7Não digas isso, replicou-me ele, porque irás onde eu te mandar e dirás tudo o que te indicar.

8E não tenhas medo do povo, porque eu, YAHU ULHÍM, serei contigo para te livrar.

9-10Então tocou-me na boca e disse: Vê, pus as minhas palavras na tua boca! Hoje começa o teu serviço de advertir as nações e os governos do mundo. De acordo com as minhas palavras, ditas através da tua boca, derribarei alguns deles para os liquidar, e estabelecerei outros e os alimentarei, tornando-os fortes e grandes.

11Então YAHU ULHÍM disse-me: Repara YARMIYAHU! O que vês tu?E respondi: Vejo uma vara feita de um ramo de amendoeira.

12É verdade, e significa isso que eu estou certamente atento a que a minha palavra se cumpra.

13Depois YAHU ULHÍM tornou a perguntar-me: E agora, que vês tu?Eu
respondi: Vejo um recipiente com água a ferver, virado para o sul e derramando-se sobre YAHUDAH.

14Sim, é isso mesmo. Porque terror vindo do norte ferverá sobre todo o povo desta terra.

15-16Estou a convocar os exércitos nas nações do norte para que venham a YAHUSHUA-oléym e ponham os seus tronos nas entradas da cidade
e ao longo das suas muralhas, assim como em todas as outras cidades de YAHUDAH. Esta é a forma como hei-de castigar o meu povo por me ter abandonado, e por ter ido queimar incenso a outros falsos criadores o estátuas – ídolos feitos por eles próprios!

17Levanta-te então, veste-te, e vai dizer-lhes tudo o que eu te disser. Não tenhas receio deles, pois doutra forma não terás a força necessária para te confrontares com eles

18-19Porque farei que te tornes inabalável perante os seus ataques. Eles não poderão ferir-te. Serás tão forte como uma cidade fortificada, que seja impossível capturar, como uma coluna de ferro, como pesados portões de bronze. Nenhum rei de YAHUDAH, nem os seus nobres ou intermediários, nem o povo, poderão prevalecer contra ti. Eles tentarão, sim, mas não conseguirão, pois que estou contigo, diz YAHU ULHÍM; eu te livrarei!

 

YARMIYAHU 2

 

Yashorúl abandona YAHU ULHÍM

 

1E de novo YAHU ULHÍM me falou:

2Vai e grita isto nas ruas de YAHUSHUA-oléym: YAHU ULHÍM diz, Lembro-me do tempo em que procuravas pressurosamente agradar-me, tal como um jovem esposo, em que me amavas e me seguias, mesmo nas terras secas do deserto

3Nesses dias Yashorúl era um povo santo, o primeiro dos meus filhos. Quem lhe fizesse mal seria considerado profundamente culpado, e grande prejuízo caía sobre quem lhe tocasse.

4-5Ó Yashorúl, diz YAHU ULHÍM, porque é que os vossos pais me abandonaram? Que mal encontraram eles em mim a ponto de se desviarem e de se porem a adorar ídolos sem valor, tornando-se eles próprios sem valor?

6-8Eles ignoraram o fato de que fui eu, YAHU ULHÍM, quem os trouxe seguramente para fora do Egito e os conduziu através do deserto estéril, duma terra de sequidão e de pedregulhos, de sombras tenebrosas e de morte, onde ninguém vive nem viaja sequer. E que os trouxe para uma terra fértil, onde puderam comer dos seus frutos e de todas as boas coisas que ela generosamente produz, e que, ao fim e ao cabo, eles transformaram numa terra de pecado e de corrupção, tendo feito desse meu território uma abominação. Até os intermediários descuraram as coisas de YAHU UL; os seus juízes ignoraram-me; os legisladores revoltaram-se contra mim e os profetas puseram-se a adorar Baal, gastando o tempo em coisas insensatas.

9Mas continuarei a pleitear convosco para que voltem para mim, e até com os filhos dos vossos filhos!

10-12Olhem e vejam se podem encontrar outra nação assim, que tenha trocado os falsos criadores o estátuas que tinha antes por outros novos – ainda que não se trate de falsos criadores ou estátuas nenhuns. Vão ver a ocidente, para os lados da ilha de Cyprus; mandem gente e informar-se na direção do oriente, dos desertos de Quedar. Verifiquem se ali alguém jamais ouviu coisas tão estranhas como estas. Os shua-ólmaYa ficam desolados com uma coisa destas.

13Porque o meu povo fez duas coisas más: Deixaram-me a mim, a fonte da Água da Vida, e além disso cavaram cisternas rotas que não podem conter água!

14Por que razão se tornou Yashorúl numa nação de escravos? Porque foram eles capturados e levados para longe?

15-16Vejo grandes exércitos marchando sobre YAHUSHUA-oléym, com rugidos poderosos, prontos para destruir, e para deixar todas as outras cidades em ruínas, queimadas e desoladas. Vejo os exércitos do Egito levantando-se contra Yashorúl, avançando desde as suas cidades de Menfis e de Tafnes, para aniquilar inteiramente a glória de Yashorúl

17E isto é consequência direta do fato de se terem rebelado
contra YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno, que queria guiar-vos no vosso caminho!


18-19O que é que ganharam com essas alianças com o Egito e com a Assíria? A
vossa própria maldade vos castiga. Hão-de ver que coisa má e amarga é rebelarem-se contra YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno, sem temor algum de o esquecerem, diz YAHU ULHÍM Tzavulyáo celestiais.

20Há já muito tempo, tu quebraste o meu jugo e desprendeste as cadeias que te prendiam. Mas não quiseste obedecer-me. No cimo de cada outeiro, debaixo de cada árvore frondosa te entregaste a um culto de prostituição.

21Pois que, quando vos plantei, escolhi cuidadosamente a minha semente – a melhor de todas. Como foi que vocês se tornaram uma planta degenerada, uma vinha estragada?

22Não há sabão ou detergente que chegue para vos lavar. Vocês estão sujos com uma culpa que não sai assim. Vejo-a continuamente perante os meus olhos, diz YAHU ULHÍM o Criador Eterno.

23Vocês dizem que não, que não é assim, que não têm adorado ídolos. Mas
como é que podem afirmar uma coisa dessas? Vão ver, em cada vale da terra!
Encarem bem os terríveis pecados que têm praticado. Vocês são como camelas,
ligeiras, desviando-se do seu caminho!

24São como uma jumenta selvagem, sorvendo o ar no tempo do acasalamento. Quem poderá reter a tua lascívia? Qualquer macho que te queria nem precisa de te procurar, tu logo apareces correndo para ele!

25Porque não deixas de andar assim a correr atrás de outros falsos criadores e estátuas? Mas vocês dizem, Não percas tempo! Estou apaixonada por esses estrangeiros e já não posso deixar de os amar!

26-27Tal como um ladrão inveterado, a única coisa de que pode ter vergonha é ser apanhado. Reis, altas entidades, intermediários e profetas, são todos assim! Chamam a uma coisa talhada em madeira, o seu pai; e como mãe têm um ídolo esculpido em pedra! Mas o certo é que em tempos de aflição sabem clamar a mim que os salve.-


28Porque não vão vocês ter com essas espécies de falsos criadores o estátuas,
que vocês mesmo fizeram? Quando o perigo ameaça, deem-lhe ocasião a que se
mostrem e que vos salvem – se puderem! Até porque vocês têm tantos falsos
criadores e estátuas quantas as cidades de YAHUDAH.

29-30Não venham ter comigo – vocês são todos rebeldes, diz YAHU ULHÍM. Castiguei os teus filhos, mas isso de pouco lhes serviu. Continuam sem querer obedecer. E vocês mesmo têm morto os meus profetas, como os leões ao despedaçarem a presa.

31Ó, meu povo, ouve as palavras do meu YAHU ULHÍM: Terei eu sido injusto para com Yashorúl? Ter-lhe-ei eu proporcionado uma vida como numa terra de trevas e de maldade? Então porque diz o meu povo: Até que enfim que estamos livres de YAHU ULHÍM; já não temos mais nada a ver com ele! Como podem vocês desligar-se de YAHU ULHÍM assim dessa maneira?

32Poderá uma jovem esquecer os seus enfeites? Qual é a noiva que os
põe de lado e não se lembra mais do seu vestido de noiva? Pois é o que tem
acontecido há anos com o meu povo, que se tem esquecido de mim!

33-35O que tu não inventas para cativares os teus amantes! A meretriz mais experimentada teria muito a aprender de ti! As tuas roupas estão manchadas com o sangue dos inocentes e dos pobres. Assassinas descaradamente, sem causa alguma. E ainda por cima dizes: Não fiz nada que justifique a cólera de YAHU ULHÍM. Estou certo de que ele não está zangado! Hei-de castigar-te severamente, porque dizes: Não pequei!.

36-37Andas de um lado para o outro; de um aliado saltas para outro,
procurando apoio; mas isso não servirá de nada – os teus novos amigos no Egito
hão-de esquecer-te, tal como já aconteceu com a Assíria. Serás deixado no
desespero, cobrindo a cara com as mãos, porque YAHU ULHÍM rejeita esses em quem tu confias. Não terás sucesso, a despeito da sua ajuda.

 

YARMIYAHU 3

1Há uma lei em como um homem que se divorcie duma mulher, se esta vier a casar com outro, não poderá casar novamente com ela, porque dessa forma a terra tornar-se-ia corrompida. Ora tu deixaste-me para te juntares a muitos amantes; mas mesmo assim, torna para mim, diz YAHU ULHÍM.


2Haverá algum lugar em toda a terra onde tu não te tenhas manchado com os teus
adultérios – esses cultos que prestas a outros falsos criadores o estatuas?
Sentas-te como uma prostituta à beira da estrada à espera de clientes! Pões-te
sozinha ali, como um beduíno no deserto. Poluiste a terra com as tuas
prostituições.

3É por isso que até as chuvas da Primavera te falham. Porque és
uma prostituta que perdeu completamente a vergonha.

4-5E ainda tens cara para me dizer, Ó pai, foste sempre para nós um amigo. Não vais ficar zangado com essas coisas tão pequenas! Vais com certeza esquecê-las! É essa a vossa conversa, e entretanto continuam fazendo o mal que vos apetece.

 

Yashorúl é infiel

 

6Esta é a mensagem que YAHU ULHÍM me transmitiu durante o reinado do rei Yasa-YAHU: Tens reparado no que Yashorúl está a fazer? Como uma mulher luxuriosa, que se prostitui a cada momento, assim Yashorúl adorou outros falsos criadores o estátuas em cada colina, debaixo de cada árvore frondosa.

7-9Eu sempre pensava que algum dia ela voltaria para mim e que tornaria a ser minha; mas não voltou. E a sua infiel irmão YAHUDAH esteve a ver isto tudo. Apesar disso não prestou atenção, não ligou, mesmo quando me divorciei da sua desleal irmão Yashorúl. Mas agora também me abandonou e se entregou à prostituição, indo atrás doutros falsos criadores o estatuas para lhes prestar culto. E fê-lo com toda a ligeireza – para ela era como se fosse coisa sem importância nenhuma o adorar ídolos de madeira e de pedra. E dessa forma a terra se poluiu e se sujou grandemente.

10-11Passados tempos, esta infiel voltou para mim, mas a sua tristeza era inteiramente fingida, diz YAHU ULHÍM o Criador Eterno. De fato, até enganosa Yashorúl é menos culpada do que a falsa YAHUDAH!

12-13Portanto vai e diz a Yashorúl: Ó Yashorúl, meu povo pecador, vem outra vez para casa, porque eu sou misericordioso; não ficarei irado eternamente contra ti. Apenas te peço que reconheças a tua culpa, que admitas que te rebelaste contra YAHU ULHÍM, teu Criador Eterno e que cometeste adultério contra mim ao adorares ídolos sob toda a árvore; confessa que recusaste seguir-me

14-15Ó filhos pecadores, voltem para mim, porque eu sou o vosso Criador Eterno, e tornarei a trazer-vos para a terra de Yashorúl – um daqui, outro dacolá, de toda a parte para onde foram espalhados. E dar-vos-ei condutores de acordo com o meu próprio coração, que vos conduzirão com sabedoria e compreensão.

16-17Então, quando a vossa terra estiver de novo cheia de gente, diz YAHU ULHÍM, nunca mais desejarão os bons velhos tempos de antigamente em que tinha no vosso meio a arca da aliança de YAHU ULHÍM; não terão saudades desses dias, nem sequer pensarão neles; não precisarão de tornar a reconstruir a arca, pois que YAHU ULHÍM, ele próprio, estará no vosso meio e a cidade inteira de YAHUSHUA-oléym será conhecida como sendo ela mesma o trono de YAHU UL; todas as nações virão ter com ele ali e nunca mais andarão segundo os propósitos do seu coração maligno.

18Nesse tempo o povo de YAHUDAH, assim como o de Yashorúl, voltarão juntos do exílio no norte para a terra que dei aos seus antepassados por posse, para sempre.

19E pensei em como seria maravilhoso que vocês aqui estivessem entre os meus filhos. Fiz planos de vos dar parte desta bela terra, a melhor do mundo. Previ como vocês me chamariam pai, e imaginei que nunca mais me deixariam

20Mas vocês atraiçoaram-me; foram-se embora e deram-se a uma multidão de falsos criadores o estatuas estranhos; foram como uma mulher infiel que deixa o seu marido.

21Ouço vozes chorando alto do cimo das montanhas, vozes de lamento, de súplica. São os filhos de Yashorúl que viraram as costas a YAHU ULHÍM e se esqueceram de YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno.

22-25Ó meus filhos rebeldes, voltem de novo para mim e curar-vos-ei dos
vossos pecados les respondem, Sim, voltaremos porque tu és YAHU ULHÍM, nosso
Criador Eterno. Foi um erro adorar ídolos sobre os altos e de ter orgias nas
montanhas. Só em YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno pode Yashorúl encontrar ajuda e salvação para sempre. Desde a nossa mocidade falsos criadores o estatuas
vergonhosos consumiram tudo o que os nossos pais tinham – rebanhos, gado,
filhos e filhas. Aqui estamos agora no meio de vergonha e da desonra, porque
tanto nós como os nossos pais pecaram já desde a sua juventude, contra YAHU
ULHÍM, nosso Criador Eterno. Não lhe obedecemos.

 

YARMIYAHU 4

1-2Ó Yashorúl, se voltam para mim renegando os vossos ídolos, se passarem a jurar por mim só, YAHU ULHÍM vivo, e começarem a viver rectamente, com honestidade, com vidas limpas, então tornar-se-ão um testemunho para as outras nações do mundo, as quais se voltarão para mim e glorificarão o meu Shúam (Nome).

3-4Assim diz YAHU ULHÍM aos homens de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym: Lavrem o duro campo do vosso coração; porque doutra forma a semente perder-se-á entre os espinhos. Circuncidem os vossos corações para YAHU ULHÍM, pois que doutra forma a minha cólera se acenderá por causa dos vossos pecados. E ninguém poderá apagar esse fogo.

 

Ameaça vinda do Norte

 

5Gritem a toda a YAHUSHUA-oléym e a toda a YAHUDAH, que a trombeta toque por toda a terra. Salve-se quem puder! Fujam para as cidades fortificadas!

6Mandem um sinal desde YAHUSHUA-oléym: Fujam já, não se
demorem! Porque eu, YAHU ULHÍM, trago-vos uma grande destruição desde o norte


7Um leão – um destruidor de nações – já está a correr do seu covil e dirige-se
para a vossa terra. As cidades serão arrasadas e ficarão sem um habitante.


8Vistam-se de luto e chorem, com corações quebrantados. Porque a ira de YAHU UL
ainda não esmoreceu.

9Nesse dia, diz YAHU ULHÍM, o rei e os demais governantes tremerão de pavor; os intermediários e os profetas estremecerão de horror.


10Então eu disse: Mas, YAHU ULHÍM, o povo foi enganado pelo que disseste, pois
que prometeste grandes bênçãos para YAHUSHUA-oléym. E acontece agora que a
espada lhe penetra até à alma!

11-13Nesse tempo, ele lhes enviará um vento ardente do deserto – não em pequenas rajadas, mas rugindo como um furacão – e pronunciará a condenação deles. O inimigo cairá sobre nós como um vento de tempestade; os seus carros de guerra serão como remoinhos de ventos; os seus cavalos serão mais rápidos do que águias. Ai, Ai de nós, porque estamos liquidados.

14-16Ó YAHUSHUA-oléym, limpa o teu coração enquanto é tempo. Ainda
podes ser salva, expurgando de ti os maus pensamentos. A tua sentença já foi
proclamada desde Dayán e desde o monte Efroím. Avisa as outras nações que o
inimigo está vindo de uma terra distante e grita contra YAHUSHUA-oléym e as
cidades de YAHUDAH.

17-18Cercam já YAHUSHUA-oléym, como homens que guardam um campo. Porque o meu povo se rebelou contra mim, diz YAHU ULHÍM. Foram os vossos caminhos, a vossa conduta, que vos trouxe isto; é a vossa própria iniquidade que vos penetra, como uma bebida bem amarga, até ao coração.

19-21Ah, meu coração, meu coração! Torço-me de aflição e dores; o meu coração bate com violência dentro de mim. Não posso estar sossegado, porque ouvi – ó minha alma! – o toque do clarim de guerra do inimigo, os gritos de combate dos adversários. Ondas de destruição rolam sobre esta terra, e não a deixam antes que ela esteja em ruínas; de repente, num abrir e fechar de olhos, uma casa está feita num montão de ruínas. Até quando terei de ver o estandarte de guerra e ouvir o toque das trombetas convocando para o combate?

22Até que o meu povo deixe a sua loucura, visto que recusam ouvir-me; são como atrasados mentais que não compreendem nada. Mas para a prática do mal, isso sim, são perspicazes e argutos. Para fazer a justiça em todo o caso não têm talento nenhum!

23Olhei para baixo, para a terra deles, tão longe quanto podia, em todas as direções, e vi que tudo era destruição; até o firmamento não tinha luminosidade alguma


24-25Olhei para as montanhas e vi que tremiam e se abalavam. Olhei, e a
humanidade inteira tinha desaparecido, até os pássaros nos ares tinham fugido.


26-27Os férteis vales tinham-se tornado em terras secas e desertas, e todas as
cidades estavam derribadas, diante de YAHU UL, e esmagadas pela sua fúria. O
decreto de YAHU UL manda destruir a terra inteira.Mas mesmo assim, diz ele,
ainda haverá um pequeno resto de povo que ficará.

28A terra lamentar-se-á, os shua-ólmaYa vestir-se-ão de luto, por causa desse meu decreto contra o povo; mas o certo é que aquilo que propus na minha mente, não o alterarei.

29Todas as cidades fogem de terror ao ruído Tzavulyáo marchando e aproximando-se. As populações escondem-se onde podem – por entre os bosques, nas montanhas. Todas as povoações estão abandonadas – toda a gente procurou escapar, cheia de medo


30Porque te estás a vestir com a tua melhor roupa? Para que é que pões as jóias
e maquilhas o rosto e dás cor nos olhos? Isso é tudo inútil! Os teus antigos
amantes desprezam-te e hão-de matar-te.

31 Tenho ouvido gritos como os de uma mulher dando à luz o seu primeiro filho; e o grito do meu povo, respirando dificilmente, rogando por ajuda, prostrado perante os seus assassinos.

 

YARMIYAHU 5

 

Nenhum justo é encontrado

 

1Percorram todas as ruas de YAHUSHUA-oléym, em todas as direções; procurem em todos os cantos e vejam se podem encontrar um só homem reto e honesto! Busquem em cada largo, em cada cruzamento, e se conseguirem encontrar um só que seja, eu não destruirei a cidade!

2Mesmo sob juramento, eles são capazes de mentir. 

3Ó YAHU ULHÍM, tu só atentas para a verdade das coisas. Tentaste levá-los a serem honestos, castigando-os, mas eles recusaram mudar! Destruíste-os, mas não quiseram simplesmente abandonar os seus pecados. Estão perfeitamente determinados, com os seus rostos duros como pedras, a não se arrependerem.

4Então eu disse: Mas que podemos nós esperar de uns pobres e ignorantes? Eles não sabem qual é o caminho de YAHU ULHÍM. Como podem obedecer-lhe?

5Irei então ter com os seus líderes, os governantes, e falar-lhes-ei, porque esses, sim, sabem quais são os caminhos de YAHU UL e qual o julgamento que o pecado acarreta. Mas é que também os tais rejeitaram profundamente o seu YAHU ULHÍM.

6Por isso enviarei contra eles a fúria selvagem do leão da floresta; os lobos
do deserto saltarão sobre eles, e um leopardo rondará as suas povoações, de tal
forma que uma pessoa que tente sair será logo despedaçada. Pois que os seus
pecados são imensos; é grande a sua revolta contra mim.

7Como posso eu perdoar-vos? Porque até os vossos filhos se desgarraram, e adoram coisas a quem chamam falsos criadores o estatuas e que não são falsos criadores o estatuas nenhuns. Alimentei o meu povo até que estivesse plenamente satisfeito, e por fim o seu agradecimento foi entontecer-se de adultérios e ir a correr meter-se nas casas de prostituição da cidade.

8Estão todos bem tratados, como cavalos nédios, cada manhã relincham para a companheira do seu próximo.

9E não os haveria de castigar, quando estas coisas se passam? Não mandarei eu a minha severa recompensa a uma nação desta natureza?

10Percorram as vinhas e mdestruam-nas! Mas deixem mesmo assim algumas com vida. Quebrem-lhes os ramos, porque não são de YAHU UL.

11Porque o povo de Yashorúl e o de YAHUDAH estão cheios de engano e de traição contra mim, diz YAHU ULHÍM.

12-13Têm mentido e dito: Que ele não nos aborreça! Não nos há-de acontecer nenhum mal! Não há-de haver nem guerra nem fome! Os profetas de YAHU ULHÍM, dizem eles, são como sacos vazios, só com ar; estão cheios de palavras, mas sem autoridade celestial. As suas ameaças de condenações cairão sobre eles próprios, não sobre nós!

14E contudo, é isto o que YAHU UL Tzavulyáo, o Criador Eterno celestiais
diz dos seus profetas: É justamente por causa disso que eles dizem que eu
tomarei as vossas palavras e as vossas profecias e farei delas um fogo
devastador que arderá sobre este povo como o incêndio duma floresta.

15-17Vejam bem, hei-de trazer uma nação distante contra vocês, ó Yashorúl, diz YAHU ULHÍM, uma nação poderosa, uma nação antiga, cuja língua vocês desconhecem. As armas deles são mortais; todos os seus soldados, gente de grande força. Virão comer as vossas searas, o pão dos vossos filhos, os rebanhos, as manadas de gado, sim, e até as uvas e os figos; e abaterão as cidades, mesmo com altas muralhas, dentro das quais pensavam estar com segurança.

18Mas não vos destruirei completamente, diz YAHU ULHÍM.

19E quando vocês perguntarem: Porque foi que YAHU ULHÍM nos fez isto?, será esta a resposta: Foi porque vocês o rejeitaram e se deram a si próprios a outros falsos criadores o estátuas, enquanto estavam na vossa terra; e agora têm de ser escravos de estrangeiros, na terra deles.

20Proclamem isto a YAHUDAH e a Yashorúl:

21-22Ouçam, ó povo louco e insensato – vocês que têm olhos, e não veem nada, que têm ouvidos, e não ouvem nada – será que também não me têm respeito nenhum?, pergunta YAHU ULHÍM o Criador Eterno. Como pode ser que vocês nem sequer tremem na minha presença? Fui eu quem estabeleceu os limites do mar, com leis perpétuas, de forma que os oceanos, por muito que rujam e que se agitem, nunca ultrapassam essa barreira. Um tal YAHU ULHÍM não será ele digno de ser temido e adorado?

23-25Mas o meu povo tem corações rebeldes; voltaram-se contra mim e caíram na idolatria. Ainda que seja eu quem lhes dá chuva em cada ano, na Primavera e no Outono, e lhes conserva o tempo da sega, mesmo assim não têm respeito nem temor de mim. Por isso retirei deles estas Bênçãos Maravilhosas. Foi o pecado deles que lhes subtraiu todas essas boas coisas.

26Entre o meu povo há gente perversa que faz esperas às suas vítimas, como se fossem caçadores armando ciladas aos animais. Eles armam laços, também, mas para caçarem gente.

27-28Como uma gaiola cheia de pássaros, assim os seus lares estão repletos de engano, de traições. E o resultado? São agora grandes chefes, ricos, bem nutridos, bem tratados, e parece nem haver limites para os seus atos malvados. Recusam fazer justiça aos órfãos, respeitar os direitos dos pobres.

29Deveria então eu sentar-me recostado e fazer como se nada disto se desse?, pergunta YAHU ULHÍM o Criador Eterno. Não hei-de eu castigar uma nação assim?

30-31Uma coisa tremenda aconteceu nesta terra – os intermediários são manejados por falsos profetas, e o meu povo está satisfeito que seja assim! Mas a vossa condenação não falhará.

 

YARMIYAHU 6

 

O cerco de YAHUSHUA-oléym

 

1-2Foge, povo de Benyamín, foge para poupares a vida! Foge de YAHUSHUA-oléym! Toquem o alarme em Tekóa; enviem um sinal de fumo em Beth-Haquerem; avisem toda a gente de que um exército poderoso vem a caminho do norte para destruir esta nação!

3 Desprotegida como uma jovem, és formosa e delicada – e, contudo, condenada. Maus anciãos te rodearão. Acampar-se-ão à volta da cidade; repartirão as tuas pastagens pelos seus rebanhos.-

4Vejam-nos a prepararem-se para a batalha. Começou ao meio-dia.
Durante toda a tarde se embraveceram, até caírem as sombras da noite.

5Vamos, dizem eles, ataquemos de noite e destruamos os seus palácios!

6-7Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais lhes disse: Cortem as suas árvores, para construir tranqueiras e abater com elas os muros de YAHUSHUA-oléym. Esta é uma cidade a ser punida, porque tudo que há nela é só perversidade, jorra  dela maldade como água duma fonte! As suas ruas ecoam com os ruídos de violência; as suas enfermidades e as suas chagas estão sempre patentes aos meus olhos.

8-10Muda ó YAHUSHUA-oléym: Se não quiseres ouvir, apartar-me-ei de ti e a terra ficará assolada e vazia. Desastres sobre desastres cairão sobre ti. E até os poucos que ficaram em Yashorúl serão colhidos em posteriores revoadas de ataques, diz YAHU UL Tzavulyáo celestiais; porque tal como o vindimador dá uma segunda volta pela vinha para apanhar cachos que tenham ficado esquecidos ou escondidos, assim também o meu povo será destruído novamente. Mas quem é que me ouve quando os advirto? Têm os ouvidos fechados; recusam ouvir. A palavra de YAHU ULHÍM irrita-os; não têm nela nenhum interesse.

11É por causa disto tudo que estou cheio do furor de YAHU UL contra eles. Estou cansado de o conter. Derramá-lo-ei sobre YAHUSHUA-oléym, até sobre os meninos que brincam nas ruas; sobre os ajuntamentos de jovens, sobre os maridos e as esposas e sobre os velhos.

12-14Os seus inimigos viverão nos lares deles e ocuparão os seus campos e as suas mulheres. Porque hei-de castigar a gente desta terra, diz YAHU ULHÍM. São cobiçosos e mentirosos, desde o mais humilde até ao mais importante! Desde o profeta ao intermediário todos se conduzem perfidamente. Não se pode tratar uma ferida fazendo contas que não é uma ferida e que está tudo são! Pois é o que fazem os intermediários e os profetas, que se põem a dar segurança de paz, dizendo: Paz! Paz!, quando não há paz; há mas é guerra!

15Acaso terá ficado o meu povo envergonhado quando cometeram a abominação de adorar ídolos? Não, de maneira nenhuma! Antes pelo contrário! Eles sabem lá o que é corar de vergonha! Por isso hão-de cair entre os que forem assassinados. Hão-de cair sob a minha ira.

16-17Mesmo assim YAHU ULHÍM insiste convosco: Perguntem qual é a melhor estrada, o caminho de justiça, essas veredas antigas por onde costumavam andar. Vão por elas, e acharão repouso para as vossas almas. Mas vocês respondem: Não, não é nessa direção que quero ir; não me interessa esse caminho! Pus sentinelas vigiando sobre vocês, as quais vos alertaram: Estejam atentos ao toque da trombeta! Ela vai avisar-vos quando a aflição chegar. Mas a vossa resposta foi: Não! Não estamos interessados em dar atenção a isso!

18-19Esta é pois a minha sentença contra o meu povo e ouçam bem, terras distantes, assim como YAHUSHUA-oléym. Que toda a terra ouça isto: Trarei o mal sobre este povo; será isso o fruto do seu pecado, visto que não querem ouvir-me. Rejeitam a minha lei

20-23De nada interessa agora pôr-se a queimar incenso aromático de Sheba, na minha presença! Fariam melhor em poupar esses perfumes caros! Não posso aceitar essas ofertas que para mim não cheiram a nada; nada significam. Farei pois do caminho do meu povo uma espécie de pista de obstáculos, ou uma estrada minada por guerrilheiros: nela serão apanhados e ficarão, tanto os pais como os filhos; vizinhos e amigos todos ali perecerão. YAHU ULHÍM o Criador Eterno diz: Vejam esses exércitos que avançam desde o norte – uma grande nação se prepara para vir sobre vocês. São gente cruel, sem piedade; armados até aos dentes, convenientemente preparados para a guerra. O barulho que faz o seu exército é como o rugir do mar.

24-25Temos ouvido da fama desses exércitos, e ficámos sem pinga de sangue, com o terror. Terror e sofrimento nos apanharam e nos tiram as forças, como se fôssemos
mulheres na angústia e no aperto do parto. Não saíam para os campos! Não fujam
pelas estradas! Porque o inimigo está por toda a parte, pronto a matar. O terror vos apanhará a cada esquina, a cada curva da estrada.

26Ó YAHUSHUA-oléym, o orgulho do meu povo, põe roupa de luto, senta-te sobre cinzas e chora amargamente como se fosse pelo teu único filho. Porque inesperadamente batalhões de soldados cairão sobre ti para destruir.

27YARMIYAHU, pus-te como se fosses um aferidor de metais, para que pudesses testar o meu povo e determinar o seu verdadeiro valor. Ouve as falas dele e observa o que fazem

28Não é mesmo verdade que são os piores dos rebeldes, cheios duma linguagem perversa contra YAHU ULHÍM? São insolentes, são duros como o ferro e o bronze.

29O fole sopra furiosamente; o fogo refinador está cada vez mais ateado e quente; mas o fato é que não consegue depurá-los, pela simples razão de que não há pureza nenhuma neles.

30Uma só etiqueta lhes convém: Impuro. Metal rejeitado. E pô-los-ei de
parte.

 

YARMIYAHU 7

 

 Religião falsa é inútil

 

1Então YAHU ULHÍM disse a YARMIYAHU:t

2Vai até à entrada do Templo de YAHU UL e dá esta mensagem ao povo: Ó YAHUDAH, ouve a mensagem de YAHU ULHÍM. Ouçam-na, todos vocês que aqui vêm para adorar.

3-4O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Apesar de tudo, se deixarem os vossos maus caminhos, deixar-vos-ei ficar na vossa terra. Mas não
se deixem enganar por aqueles que vos dizem que se o Templo de YAHU UL está
aqui, então YAHU ULHÍM nunca deixará que YAHUSHUA-oléym seja destruída.

5-6Só sob estas condições é que poderão ficar: Acabarem com os vossos pensamentos e os vossos actos maus, serem honestos para com os outros, e pararem de explorar os órfãos, as viúvas e os imigrantes. Parar com os assassínios, o derramamento de sangue, e deixar de adorar ídolos, tal como fazem agora, para o vosso próprio mal.

7Então, e só então, vos deixarei ficar nesta terra que dei aos
vossos antepassados para que a possuíssem para sempre.

8-10Pensam vocês que, devido ao fato do Templo estar aqui, nunca hão-de sofrer? Não sejam loucos, enganando-se a si mesmos! Como é que podem pensar que continuando a roubar, a matar, a cometer adultérios, a mentir, a adorar Baal mais todos esses falsos criadores o estatuas estranhos e novos que arranjaram, e continuar a vir aqui, a pôr-se diante de mim no meu Templo cantando – Estamos salvos, somos livres! – Só para poderem voltar, de consciência descansada, a fazer as mesmas abominações?

11Acaso será que considerem esta minha casa, este Templo que se chama pelo meu Shúam (Nome), como uma caverna de salteadores? O que eu tenho visto é entrar aqui toda a espécie de maldades!

12Vão até Sheló, a povoação que logo no princípio honrei com o meu Shúam (Nome), e vejam o que lhe fiz por causa de toda a maldade do meu povo Yashorúl.

13E agora, diz YAHU ULHÍM, farei a mesma coisa aqui, por causa de toda a maldade que têm praticado. Vezes e vezes sem conta vos falei sobre isto, levantando-me cedo e chamando-vos a atenção, mas vocês recusaram ouvir-me, e sequer, responder-me.

14-15Sim, com certeza destruirei este Templo tal como fiz em Sheló – este Templo que se chama pelo meu Shúam (Nome) e no qual confiam para obter socorro, este lugar que vos dei a vocês e aos vossos antepassados. Mandar-vos-ei para o exílio, tal como aconteceu com os vossos irmãos, o povo de Efroím.

16-17Não ores mais por este povo, YARMIYAHU. Não chores por eles, não faças oração a favor deles, rogando-me que os ajude, pois que não te ouvirei. Não vês tu o que estão a fazer pelas ruas de YAHUSHUA-oléym e pelas cidades de YAHUDAH?

18Não admira que seja tão grande a minha ira! Vê só como os miúdos vão buscar lenha para os pais acenderem o fogo, a fim de as mulheres poderem amassar a farinha e fazerem bolos para oferecerem à rainha dos céus, e a todos os outros seus ídolos-falsos criadores e estátuas!

19Será só a mim que eles ferem?, pergunta YAHU ULHÍM. Não será também a eles próprios, aviltando-se dessa maneira, com coisas tão vergonhosas?

20Por isso assim diz YAHU ULHÍM: Derramarei a minha cólera, sim, a
minha fúria sobre este lugar – gente, animais, árvores e demais vegetação serão
consumidos pelo fogo inextinguível da minha severidade.

21-22O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl diz: Para longe com todos os vossos sacrifícios e ofertas! Não foram nem ofertas nem sacrifícios aquilo que
pedi aos vossos pais quando os conduzi para fora do Egito. Não era esse o
aspecto essencial do que lhes ordenava.

23O que eu lhes dizia era: Obedçam-me e serei o vosso Criador Eterno, e vocês serão o meu povo. Façam simplesmente o que eu vos disse e tudo vos correrá bem!

24Mas não quiseram ouvir. Continuaram fazendo tudo o que lhes apetecia, seguindo o curso dos seus próprios pensamentos rebeldes e perversos. Assim foi que recuaram, em vez de progredirem.

25-26Desde o dia em que vossos pais deixaram o Egito, até agora,
continuei a enviar-lhes os meus profetas, dia após dia. Mas não estiveram na
disposição de os ouvir, nem sequer fizeram esforço por isso. São duros e
obstinados e rebeldes – piores ainda do que os seus pais.

27-28Diz-lhes tudo o que lhes farei, mas não esperes que te ouçam. Grita bem alto os teus avisos, mas não contes que te respondam. Diz-lhes: Esta é uma nação que recusa obedecer a YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno, que recusa ser ensinada. E assim continua a viver uma mentira.

29Ó YAHUSHUA-oléym, rapa a tua cabeça de vergonha e chora
sozinha sobre as montanhas; porque YAHU ULHÍM rejeitou e esqueceu o seu povo
por causa da sua ira.

 

O vale da Matança

 

30-31O povo de YAHUDAH pecou perante os meus olhos, diz YAHU ULHÍM. Puseram os seus ídolos ali mesmo, no meu próprio Templo, poluindo-o. Construíram um altar chamado Tofete, no vale de Ben-Hinom, e ali queimaram no fogo os seus próprios filhos e filhas, em sacrifícios aos seus falsos criadores o estátuas – uma coisa tão terrível que nem sequer me passava pela mente, e que nunca eu teria permitido.

32-34Vem o tempo, diz YAHU ULHÍM, em que o nome do vale não será mais Tofete, ou vale de Ben-Hinom, mas antes vale da Matança; porque haverá ali tantos mortos a enterrar que nem se encontrarão sepulcros que cheguem para pôr todos os corpos; terão de amontoar os cadáveres no vale. Os corpos do meu povo servirão de pasto às aves de rapina e aos animais selvagens, e não haverá ninguém ali para os enxotar. Acabarei com as alegres canções e os risos que se ouvem nas ruas de YAHUSHUA-oléym e nas cidades de YAHUDAH, assim como com as vozes dos noivos e das noivas. Porque a terra ficará numa desolação.

 

YARMIYAHU 8

 

1Então, diz YAHU ULHÍM, o inimigo quebrará os selos dos túmulos dos reis de YAHUDAH, dos governantes, dos profetas e do povo;

2pegará nos seus ossos e os espalhará pelo chão, à luz do sol, à claridade da lua e das ‘cocavím’ (est-elas) – essas coisas que eram os falsos criadores e estátuas do meu povo! – a quem eles amaram e prestaram culto. Esses ossos não tornarão a ser apanhados e sepultados, mas antes espalhados como estrume pelo chão.

3E a gente desta má nação que for deixada ainda com vida desejará muito mais morrer do que ir viver para onde os espalharei, diz YAHU UL Tzavulyá celestiais.

 

Pecado e castigo

4Mais uma vez dá-lhes esta mensagem de YAHUUL: Quando uma pessoa cai, procura levantar-se; se encetou caminho por uma estrada errada, e verifica que se enganou, voltará para trás, até ao cruzamento onde se enganou de direção.

5Mas esta gente continua no seu trilho errado, mesmo tendo-os eu avisado

6Ouço a conversa deles, e que é que ouço? Ouvirei eu alguém triste por ter pecado? Haverá alguém a dizer, Que coisa terrível que eufiz! Não. Todos eles descem à balda pelo caminho do pecado, tão velozes como cavalos correndo à batalha!

7Até a cegonha conhece o tempo em que deve emigrar; e o mesmo acontece com outras aves – com a rola, o grou, a andorinha. E todas sabem regressar na altura que YAHU ULHÍM lhes indica, em cada ano. Mas isso não é para o meu povo! Não aceitam as leis de YAHU ULHÍM.

8Como podem dizer, Nós compreendemos as suas leis, quando os vossos legisladores as trocaram de forma a poderem significar aquilo que eu nunca disse?

9Essas pessoas tão sábias que vos ensinam as leis ficarão cobertas de vergonha com o exílio que o vosso pecado vos acarretar, porque rejeitaram a palavra de YAHU UL. Veremos se nessa altura serão assim tão sabedores!

10Darei as suas mulheres e as quintas a outros; porque todos eles, grandes e pequenos, profetas e intermediários, têm,atualmente, uma só coisa em mente – apossar-se do que não é deles.

11Tratam as feridas do meu povo com remédios perfeitamente ineficazes, pois que lhe asseguram que tudo vai bem, quando não é nada assim

12Serão eles capazes de ter vergonha de adorar outros falsos criadores o estatuas? Absolutamente que não; nem um bocadinho sequer. Eles nem são capazes de corar! É por isso que hei-de fazer que morram entre os vencidos.

13Castigá-los-ei com a morte. Os seus figos e as suas uvas desaparecerão, as suas árvores de fruto secarão, desaparecerão em breve todas as boas coisas que preparei para eles.

14-15Então o povo dirá: Porque é que havemos então de esperar aqui para morrer? Venham, vamos para as cidades fortificadas e morreremos lá. Porque YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno decretou a nossa condenação e nos dá a beber uma taça de veneno, por causa dos nossos pecados. Esperávamos a paz, e não foi paz que tivemos; contávamos com bem-estar, e chega-nos o terror.

16-17O ruído da guerra já soa na fronteira do norte. Toda a terra treme à aproximação daquele tremendo exército; porque o inimigo aproxima-se e vai devorando a terra e tudo o que nela encontra – tanto as povoações como as gentes. Porque eu enviarei essas tropas adversárias para o vosso meio como serpentes envenenadas, que ninguém poderá encantar. Façam o que fizerem, elas vos morderão, e vocês hão-de morrer.

18-19A minha mágoa não tem consolação; o meu coração será destruído. Ouçam o choro do meu povo por toda a terra.Onde está YAHU ULHÍM?, perguntam eles. Será que YAHU ULHÍM nos abandonou?E YAHU ULHÍM responde-lhes: Oh! Porque é que eles me provocaram com os seus ídolos esculpidos, com esses ritos perversos e extravagantes?

20 Acabou a sega; passou o Verão, e nós não estamos salvos.

21-22Choro pela ferida do meu povo; estou espantado, sem fala, mudo de angústia. Já não há remédio em Gaúliod? Não haverá ali um médico? Porque é que não houve cura para o meu povo?

 

YARMIYAHU 9

 

1-2Oh! Se os meus olhos fossem uma fonte de lágrimas, haveria de chorar sem cessar; haveria de soluçar noite e dia pela matança que cai sobre o meu povo! Se ao menos eu pudesse fugir, esquecê-los e viver numa cabana qualquer no deserto! Porque são todos gente adúltera e falsa.


3Encurvam as línguas como se fossem arcos, e atiram flechas de mentira. São
indiferentes a tudo o que seja rectidão; vão de mal a pior na malícia. Não
querem saber de mim para nada, diz YAHU ULHÍM.

4-5Tenham cautela com os vizinhos! Desconfiem do vosso irmão! Andam todos à procura de se enganarem uns aos outros, caluniando-se mutuamente. Com línguas argutas enganam e defraudam os seus próximos; cansam-se, até, a actuar perversamente.

6Amontoam pecados sobre pecados, mentiras sobre mentiras, e recusam obstinadamente virem até mim, diz YAHU ULHÍM.

7-8Contude YAHU UL Tzavulyáo diz também: Vejam bem, vou derretê-los numa aflição cruciante. Vou refiná-los e testá-los como se faz ao metal. Aliás que outra coisa mereciam eles que lhes fizesse? Porque as suas línguas atiram mentiras como flechas envenenadas. Falam muito sensatamente aos vizinhos enquanto por trás estão a planear matá-los.-

9Não deveria eu castigá-los por coisas destas?, pergunta YAHU ULHÍM. Não deveria a minha alma vingar-se de gente assim?

10Soluçando e chorando, olho para as montanhas, para as pastagens; vejo-as desoladas, sem viva alma. Foi-se o mugido do gado, foi-se o canto das aves, foram-se até os animais selvagens. Todos fugiram.

11Farei de YAHUSHUA-oléym montões de ruínas onde só os chacais terão os seus covis. As cidades de YAHUDAH não serão mais do que povoações assoladas, onde já ninguém habita.

12Quem tem compreensão bastante para entender estas coisas? Onde está o mensageiro de YAHU UL para explicá-lo? Qual a razão porque esta terra se fez num deserto de tal maneira que até ninguém ousa viajar através dela?

13-14Porque, responde YAHU ULHÍM, o meu povo esqueceu-se dos meus mandamentos e não obedeceu às minhas leis. Têm feito só o que lhes agrada e até têm adorado os ídolos de Baal, aliás
conforme os pais deles lhes ensinaram.1

15-16Por isso, eis o que YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Hei-de alimentá-los com fel, e dar-lhes-ei água envenenada. Espalhá-los-ei pelo mundo, e hão-de ser estrangeiros em terras bem distantes; apesar disso mesmo lá a espada de destruição os perseguirá até serem completamente aniquilados.

17-18O YAHU ULHÍM Tzavulyáo celestiais diz: Mandem chamar as carpideiras! Depressa! Ponham-se a chorar! Que as lágrimas corram abundantes nos vossos rostos

19-21Ouçam YAHUSHUA-oléym chorando de desespero: ‘Estamos arruinados. Caiu-nos a calamidade em cima! Temos de deixar as terras e as casas!’ Ouçam as palavras de YAHU ULHÍM, ó mulheres que aí estão a gemer. Ensinem às vossas filhas, às vossas vizinhas, a gemer igualmente. Porque a morte trepou pelas janelas e está a entrar nos vossos lares; já matou a flor da vossa juventude. Não haverá mais crianças brincando nas ruas, nem moços
juntando-se nas praças.

22Diz-lhes isto assim, ordena YAHU ULHÍM: Haverá corpos lançados através dos campos, como se fossem esterco, como gavela que fica atrás do segador, sem que haja alguém que a apanhe.

23-24Diz YAHU ULHÍM: Que o sábio não se orgulhe na sua sabedoria, nem o poderoso na sua força, nem o rico nas suas riquezas. Que tenham orgulho, mas unicamente nisto: Que me conheçam! E que se deem conta de que Eu sou YAHU ULHÍM da justiça e da retidão, cujo amor é sem limite. É disso que eu me agrado.

25-26Veio o tempo, diz YAHU ULHÍM, em que castigarei todos aqueles que são circuncidados de corpo mas não de espírito – os egípcios, os edomitas, os amonitas, os moabitas, os árabes, e, sim, até vocês, povo de YAHUDAH. Porque todas essas gentes pagãs se circuncidam também. Mas vocês, a menos que circuncidem o vosso coração, amando-me, doutra forma a vossa circuncisão não passará dum mero rito pagão, semelhante ao de outros povos, e nada mais.

 

YARMIYAHU 10

 

YAHU ULHÍM e ídolos

 

1Ouve a palavra de YAHU UL, ó Yashorúl:

2-5Não façam o mesmo que os outros povos que elaboram horoscópios, e tentam ler o seu destino e o seu futuro através dos astros! Não fiquem atemorizados com as suas predições, porque tudo isso é só um monte de mentiras. São processos estúpidos e sem sentido. Cortam uma árvore, e talham nessa madeira um ídolo, revestem-no de ouro e de prata; depois seguram-no bem num determinado lugar, por meio de pregos e dum martelo; isto para que não caia, e ali fica o seu ídolo, como um espantalho mudo num campo cultivado! Não pode falar, e tem de ser transportado, porque não se desloca por si próprio. Não tenham medo dum idolo assim porque é uma coisa que não pode fazer mal nem tão pouco ajudar; não vos serve para coisa nenhuma.

6-7Ó YAHU ULHÍM, não há outro Criador Eterno além de Ti. Porque tu és
grande e o teu Shúam (Nome) é cheio de poder. Como é possível que haja quem não
te tema, ó rei das nações? (E este é um título que só a ti pertence!) Entre
todos os sábios da terra, em todos os países do mundo, não há ninguém que se
assemelhe sequer a ti.

8-9Os mais inteligentes dos homens que adoram ídolos acabam por se revelar, por isso mesmo, como estúpidos e loucos. Trazem folhas de prata batida de Tarsis, e ouro de Ufaz; entregam isso a habilidosos ourives que lhes fazem os seus ídolos; depois vestem esses falsos criadores e estátuas com fatos reais, feitos de púrpura, que alfaiates de categoria fizeram.

10Mas YAHU ULHÍM permanece o único verdadeiro YAHU ULHÍM, YAHU ULHÍM vivo, o Rei Eterno. Toda a terra tremerá sob a sua ira; o mundo inteiro se esconderá da sua indignação.

11Diz isto a esses que adoram outros falsos criadores o estatuas:
Essas coisas a que vocês chamam os vossos falsos criadores o estatuas, que não
fizeram nem os shua-ólmaYa nem o mundo, serão banidos da terra.

12O nosso YAHU ULHÍM sim, que foi ele quem fez a terra pelo seu poder e sabedoria; foi com a sua inteligência que formou o universo.


13É a sua voz que ecoa no meio do trovão, por entre as nuvens duma
tempestade. Faz o vapor de água erguer-se sobre a terra; manda os relâmpagos e
traz a chuva; faz soprar o vento dos seus recantos.


14Mas homens embrutecidos, sem conhecimento de YAHU ULHÍM, inclinam-se
perante os seus ídolos. É uma coisa vergonhosa, esta em que essa gente caiu;
porque tudo aquilo não passa duma enorme fraude; são falsos criadores o
estatuas nos quais não há uma mínima centelha de vida, que não têm o mais
pequeno poder neles.


15São todos coisas sem valor algum, inutilidades; serão desfeitos,
quando os seus fabricantes perecerem.

16Mas YAHU ULHÍM de YAHUCAF não é como estes ídolos de doidos. Ele é o Criador de todas as coisas, e Yashorúl, a sua nação escolhida. O YAHU ULHÍM das legiões é o seu (Nome) Shúam.

 

 

A destruição aproxima-se

 

17-18Faz as tuas malas – diz YAHU ULHÍM. Apronta-te a partir; o cerco em breve vai começar. Porque dum momento para o outro, lançar-te-ei desta terra e lançarei grandes provações sobre ela; sentirás enfim a minha ira.

19A minha chaga é desesperante. A minha tristeza é enorme. A minha doença, incurável; mas terei de tudo suportar.’

20A minha tenda está destruída e todas as cordas se desprenderam. Os meus filhos foram-se embora uns, desapareceram outros. Não me ficou ninguém para tornar a montar-me a tenda e me estender os panos.

21-22Os anciãos do meu povo perderam o entendimento; já não seguem mais YAHU ULHÍM nem procuram a sua vontade. Por isso as suas ovelhas morrem ou são dispersas. Ouçam bem! Escutem o terrível barulho de grandes exércitos aproximando-se do norte. As cidades de YAHUDAH hão-de tornar-se covis de chacais.

 

A oração de YARMIYAHU

 

23-25Ó YAHU ULHÍM, eu sei bem que não compete ao homem dispor da sua vida, traçar os seus caminhos – por isso me corriges, YAHU ULHÍM. Mas peço-te que o faças com medida. Não o faças com fúria, porque eu não resistiria. Derrama a tua ira sobre os povos que não obedecem a YAHU ULHÍM, porque eles destruíram Yashorúl, e fizeram de toda a sua terra um enorme deserto.

 

YARMIYAHU 11

 

A aliança é quebrada

 

1Então YAHU ULHÍM falou mais uma vez a YARMIYAHU e disse-lhe: ó,

2-5Lembra ao povo de YAHUDAH e a todos os habitantes de YAHUSHUA-oléym
que fiz uma aliança com os seus pais – e maldito é aquele que não a respeita!
Porque lhes disse, quando os tirei para fora da escravidão do Egito, que se me
obedecessem e fizessem tudo quanto lhes mando, então eles e os seus
descendentes seriam meus e eu seria o seu YAHU ULHÍM. E agora, Yashorúl:
obedece-me, diz YAHU ULHÍM, para que possa fazer em vosso favor todas as coisas
maravilhosas que jurei realizar, se me obedecessem. Quero dar-vos uma terra que
mana leite e mel, como se vê hoje. Então eu respondi: Assim seja, YAHU ULHÍM!


6Então YAHU ULHÍM disse: Transmite esta mensagem nas ruas de YAHUSHUA-oléym, e vai também de cidade em cidade através da terra e diz: Lembrem-se deste acordo que os vossos pais fizeram com YAHU ULHÍM, e façam tudo o que eles prometeram fazer.

7Porque eu disse solenemente aos vossos pais, quando os trouxe para fora
do Egito – e tenho continuado a dizer o mesmo sempre e sempre: Obedçam aos meus
mandamentos!

8Mas os vossos pais não quiseram fazer isso. Nem sequer quiseram ouvir. Cada um preferiu seguir a sua vontade rebelde e o seu coração orgulhoso. Visto que recusaram obedecer, cumpri contra eles todas as coisas más que o contrato estatuía.

9De novo YAHU ULHÍM me falou e me disse: Descobri uma conspiração contra mim entre os homens de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym.


10Regressaram aos pecados dos seus pais, recusando ouvir-me, e além disso
puseram-se a adorar ídolos. A aliança que fiz com vossos pais foi quebrada

11Em consequência diss YAHU ULHÍM diz: Vou trazer calamidades sobre eles das quais não escaparão; ainda que clamem por misericórdia, não atenderei aos seus rogos.


12Eles certamente, perante isso, irão fazer rezas aos seus ídolos e queimar-lhes incenso; contudo, não os poderão salvar, como é evidente, desse tempo de angústia e desespero.

13Ó meu povo, tens tido tantos falsos criadores e estátuas como as tuas cidades, e os teus altares vergonhosos – onde queimam incenso a Baal – levantam-se ao longo de cada rua de YAHUSHUA-oléym.


14Portanto, YARMIYAHU, não faças oração por este povo; não chores nem rogues
por eles, porque não os ouvirei quando estiverem enfim bastante aflitos para me
pedir socorro

15Que direito tem o meu povo amado de vir mais alguma vez ao meu Templo? Porque vocês têm sido desleais e adoraram outros falsos criadores e estátuas. Será que promessas e sacrifícios poderiam agora, nesta altura, fazer alguma coisa para impedir a vossa condenação e vos tornar a dar vida e a alegria?

16 YAHU ULHÍM costumava chamar-vos a sua oliveira verde, bela à vista
e cheia de bons frutos; mas agora decidiu enviar-vos a fúria dos inimigos para
vos queimar ao fogo e vos deixar quebrantados, reduzidos a cinza.

17Foi por causa da maldade de Yashorúl e de YAHUDAH, oferecendo incenso a Baal, que YAHU UL Tzavulyáo celestiais, que plantou ele próprio essa árvore, ordenará agora a sua destruição.

 

Conspiração contra YARMIYAHU

 

18-19 YAHU ULHÍM fez-me saber os planos deles, deu-me a conhecer as suas conjuras contra mim. Eu estava longe de suspeitar fosse do que fosse; era como um cordeiro ou um boi que se leva ao matadouro, sem desconfiar de nada. Não sabia realmente que estavam a intentar matar-me! Vamos destruir este indivíduo e acabamos com todas as suas pregações, dizem. Matemo-lo e nunca mais ninguém se lembrará dele.

20Ó YAHU UL Tzavulyáo celestiais, tu és justo. Atenta para os corações e as intenções destes homens. Dá-lhes tu a paga de tudo o que têm planeado! Conto contigo para que se faça justiça.

21-23E YAHU ULHÍM respondeu: Os homens da cidade de Anatote serão
castigados por terem pensado matar-te. Eles te dirão para não profetizares em
Shúam (Nome) de YAHU ULHÍM, sob pena de teres de morrer. Por isso os seus
mancebos morrerão na batalha; a sua juventude, rapazes e raparigas, morrerão de
fome. E quanto a esses conspiradores de Anatote, nem um sequer sobreviverá,
pois que trarei grandes desgraças sobre eles. O seu tempo chegou agora.

 

YARMIYAHU 12

 

A queixa de YARMIYAHU

 

1Ó YAHU ULHÍM, sempre me tens feito justiça quando te trago algum caso para que sejas tu a decidir. Permite-me agora que te traga esta queixa: Por que razão são os maus tão prósperos? Porque é que os malvados são tão felizes?

2Tu plantaste-os. Criaram raízes, e os seus negócios prosperam. Mulitplicam-se os seus ganhos, e são ricos. Depois dizem: Graças a YAHU ULHÍM! Mas nos seus corações não querem saber de ti para nada.

.

3E quanto a mim, YAHU ULHÍM, tu conheces o meu coração; vês tudo a meu respeito. YAHU ULHÍM, empurra-os para o matadouro como ovelhas. Julga-os, ó YAHU ULHÍM!

4Durante quanto tempo ainda suportará esta terra todos os seus desmandos? Até a erva do campo chora e se lamenta por causa dos atos malvados deles! Já os animais
selvagens e as aves se foram, deixando deserta a terra. E mesmo assim o povo ainda
diz:  YAHU ULHÍM não nos condenará. Estamos perfeitamente seguros!

 

A resposta de YAHU ULHÍM

 

5 YAHU ULHÍM respondeu-me: Se te cansas já de correr com meros homens, como poderás competir com cavalos? Se já tropeças numa terra plana, que farás tu quando correres nos pântanos na altura da enchente do Yardayán?

6Até os teus irmãos, a tua própria família se voltaram contra ti. Formaram uma intriga, convocando a multidão para te linchar. Não confies neles, por muito belamente que falem. Não creias neles.

7-9Então disse YAHU ULHÍM: Abandonei o meu povo, a minha possessão; entreguei aqueles que eu amava aos seus inimigos. O meu povo rugiu contra mim como um leão das florestas, por isso os tratei como se os odiasse. O meu povo caiu; trarei sobre eles bandos de aves de rapina e de animais selvagens para comerem a carne dos seus cadáveres.


10-13Muitos chefes estrangeiros assolaram a minha vinha, pisaram os cachos e
fizeram de toda aquela beleza uma desolação. Transformaram-na num deserto;
estou a ouvir os seus gritos lamentosos. Toda a terra está desvastada e ninguém
se ocupa dela. Exércitos destruidores rasgam a terra; a espada de YAHU UL
devora tudo duma ponta à outra do país; nada lhe escapa. O meu povo semeou
trigo e colhe espinhos; trabalharam bem duro na terra, e recolheram coisa
nenhuma. Segarão unicamente uma colheita de vergonha, porque a dura cólera de YAHU UL caiu sobre eles.

14-17E agora YAHU ULHÍM dirige esta mensagem às nações perversas, aos povos que rodeiam Yashorúl: Vejam bem, explusar-vos-ei das vossas terras, tal como acontecerá com YAHUDAH; mas depois voltarei e terei compaixão de vocês todos, e tornarei a trazer-vos para casa, para as vossas terras, de novo, cada homem para a sua terra. E se estas nações pagãs rapidamente aprenderem os caminhos do meu povo e me proclamarem como o seu YAHU ULHÍM, em vez de Baal (a quem eles mesmos ensinaram o meu povo a adorar), então se tornarão fortes juntamente com o meu povo. Mas toda aquela nação que recusar obedecer-me será de novo expulsa e liquidada, diz YAHU ULHÍM.

 

YARMIYAHU 13

 

Um cinto de linho

 

1-2Disse-me YAHU ULHÍM: Vai comprar um cinto de linho e usa-o, mas não o laves – não o ponhas de maneira nenhuma na água. E assim fiz; pus um cinto de linho.

3Então veio outra vez a mim a mensagem de YAHU UL, e disse-me desta vez:

4Leva o teu cinto de linho ao rio Eufrates e esconde-o numa cavidade das rochas.

5Fiz como me foi dito, e escondi-o segundo a indicação de YAHU UL.

6Passado muito tempo, disse-me: Vai novamente ao rio e pega no cinto que te mandei guardar ali.

7Fui, dirigi-me à cavidade onde o tinha deixado, e verifiquei que tinha apodrecido, e que já não prestava para nada!

8-11Então disse-me YAHU ULHÍM: Isso ilustra a forma como eu farei
apodrecer o orgulho de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym. Esta má nação recusa
ouvir-me e segue o seus maus desejos, concupiscentes, e adora ídolos; por isso
se tornará como esse cinto – sem valor nenhum. Porque assim como um cinto é
coisa que está bem ajustada à cintura duma pessoa, normalmente, assim YAHUDAH e
Yashorúl me estavam ligados, diz YAHU ULHÍM. Eram o meu povo, uma honra para o meu Shúam (Nome). Mas depois, desviaram-se de mim.

 

O orgulho será abatido

 

12-14Diz-lhes então isto: YAHU ULHÍM o Criador Eterno de Yashorúl vos comunica o seguinte: Todas as vossas bilhas se encherão de vinho. E eles replicar-te-ão: Com certeza, nem precisas de nos dizer que somos gente próspera! Mas tu, responde-lhes: Mas não se trata disso que vocês estão a entender. É que eu hei-de encher toda a gente que vive nesta terra de espanto e confusão – desde o rei que se senta no trono de Dáoud, passando pelos intermediários, pelos profetas, até ao mais pequeno de entre o povo. Lançarei pais e filhos uns contra os outros, diz YAHU ULHÍM. Não permitirei que nem a piedade nem a misericórdia os poupe duma destruição completa.

15-17Oh, se vocês não fossem tão orgulhosos e tão duros! Então ouviriam YAHU ULHÍM, porque ele falou-vos. Deem glória a YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno antes que seja demasiado tarde, antes que deixe cair sobre vocês uma profunda e impenetrável escuridão que vos fará tropeçar nas escuras montanhas; nessa altura, quando andarem procurando ansiosamente a luz, só encontrarão terríveis trevas. Recusam ainda ouvir? Então, solitariamente, o meu coração contristado lamentar-se-á por causa do vosso orgulho. Os meus olhos serão inundados de lágrimas, porque o rebanho de YAHU UL será levado para fora,
como escravos.

 

Ameaça do cativeiro

 

18Diz isto ao rei e à rainha-mãe: Desçam do vosso trono e sentem-se no pó da terra, porque as vossas coroas gloriosas vos serão tiradas da cabeça. Já não vos pertencem.

19-21Já as cidades do Négev, ao sul de YAHUSHUA-oléym, fecharam os seus portais, protegendo-se do adversário. Têm de se defender sozinhos, porque YAHUSHUA-oléym não pode levar-lhes auxílio nenhum; e YAHUDAH inteira será levada cativa para a escravatura. Vejam também os exércitos que se aproximam no norte! Onde estão os teus rebanhos, YAHUSHUA-oléym, os teus belos rebanhos que te dei para tomares conta deles? Como te vais tu sentir quando puser os teus aliados sobre ti a governarem-te? Torcer-te-ás de aperto como quando uma mulher está dando à luz.

22E se te perguntares a ti mesma – Porque é que tudo isto me acontece? – É por causa da intensidade dos teus pecado; foi por isso que te rasgaram a roupa e que foste violada.


23-27Pode um etíope mudar a cor da sua pele? Ou um leopardo perder as manchas
do corpo? Assim também vocês não podem começar a fazer o bem, estando tão
viciados na prática do mal. Assim vos espalharei como restolho, como palha, à fúria
dos ventos do deserto. Esta pois é a parte que vos compete, aquilo que vos é
devido, que procurarei rigorosamente aplicar-vos. Eu próprio vos exporei à mais
completa vergonha. Estou perfeitamente ao corrente das vossas apostasias, da
vossa deslealdade, da vossa abominável adoração de ídolos nos campos e sobre as
colinas. Ai de ti, ó YAHUSHUA-oléym! Quando será que te tornarás pura?

 

YARMIYAHU 14

 

A seca, a fome, a espada

 

1Esta mensagem a seguir veio a YARMIYAHU da parte de YAHU UL, explicando as razões porque havia uma seca:

2-6YAHUDAH deplora-se; os negócios estão completamente parados; todo o povo anda de luto e roja-se pelo chão de desespero; o clamor do povo de YAHUSHUA-oléym ouve-se bem ao longe. Os grandes chefes tentam ainda mandar os criados à procura de água em todos os poços, mas estes estão secos. Os criados regressam envergonhados, desesperados, cobrindo os rostos com as mãos de pesar. O chão abre-se em fendas e está todo ressequido por causa da falta de chuva; os lavradores estão cheios de receio. As corças abandonam até as suas crias, porque não encontram erva. Os jumentos selvagens põe-se sobre as elevações, arfando o ar como chacais sedentos. Revolvem os olhos, procuram erva para comer, e não encontram uma folha, sequer.

7-9Ó YAHU ULHÍM, pecámos gravemente contra ti; ajuda-nos, por amor do teu Shúam (Nome), da tua reputação! Ó esperança de Yashorúl, nosso MíhushuaYa (Salvador) em tempos de angústia, porque és tu para nós como um estranho, como alguém que passa simplesmente pela terra, ficando só para passar a noite? Estarás tu iludido? Não terá mais possibilidade de nos salvar? Mas tu, YAHU ULHÍM, vives aqui mesmo, no nosso meio, e nós chamamo-nos pelo teu Shúam (Nome); somos conhecidos como o teu povo. Ó YAHU ULHÍM, não nos abandones agora!


10Mas YAHU ULHÍM responde: Vocês sentiram-se bem felizes andando longe de mim, e nem sequer se preocuparam em seguir nos meus caminhos. Por isso agora não vos aceitarei mais como meu povo; eu lembro-me, neste momento, de todo o mal que fizeram, e tenho de castigar os vossos pecados.

11-12 YAHU ULHÍM disse-me novamente: Não me peças outra vez para abençoar este povo. Não ores mais por eles. Quando eles jejuam, não presto a menor atenção; quando me apresentam ofertas e sacrifícios, recuso-os. O que lhes darei em recompensa é guerra, fome e doença.

13Então eu disse: Ó YAHU ULHÍM o Criador Eterno, os seus profetas dizem-lhes que tudo vai bem – que não haverá nem fome nem guerra. Dizem ao povo que tu vais com toda a certeza mandar-lhes a paz, que os abençoarás.

14E YAHU ULHÍM respondeu: Esses profetas estão a dizer mentiras em meu Shúam (Nome). Nunca os enviei, nem lhes disse para falarem ou darem alguma mensagem da minha parte. Profetizam visões e revelações que nunca tiveram; falam apenas loucuras, que são a expressão dos seus corações mentirosos

15Por isso diz YAHU ULHÍM: Castigarei esses profetas mentirosos, que falaram em meu Shúam (Nome), sem que eu os tenha enviado, que andam a dizer que não haverá nem guerra nem fome. Será justamente pela fome e pela guerra que eles próprios morrerão!

16E as gentes a quem eles profetizaram – os seus corpos serão lançados para o meio das ruas de YAHUSHUA-oléym, vítimas da fome e da guerra; e não haverá ninguém para os enterrar. Esposos, mulheres, filhos e filhas – todos se irão. Porque derramarei sobre eles terrível castigo, por causa dos seus pecados.

17-18Portanto, diz-lhes isto assim: Noite e dia os meus olhos chorarão abundantemente; não posso parar as minhas lágrimas, porque o meu povo foi atravessado por uma espada e jaz mortalmente ferido, prostrado por terra. Se sair fora para o campo, lá verei, jazendo por terra, os corpos dos que a espada matou; se passar pelas ruas da cidade, tropeçarei nos que morreram de fome e de doença. Pois mesmo assim tanto os profetas como os intermediários continuam muito ocupados, percorrendo a terra toda, assegurando toda a gente de que tudo vai bem, falando de coisas de que não sabem nada.

19Ó YAHU ULHÍM, gritará o povo, terás tu rejeitado definitivamente YAHUDAH? Aborrecerás tu YAHUSHUA-oléym? Então mesmo depois do castigo não haverá paz? Nós pensávamos assim – Bom, agora ao menos ele nos curará e ligará as nossas feridas. Mas o certo é que não veio paz nenhuma, e só há aflição e terror por toda a parte.

20-21Ó YAHU ULHÍM, confessamos a nossa maldade, e também a dos nossos pais. Não nos odeies, YAHU ULHÍM, por amor do teu próprio nome. Não te deslustres, nem a ti nem ao trono da tua glória, esquecendo-te das tuas promessas de nos abençoares!

22Qual é o idolo pagão que nos poderia dar chuva? Nem os shua-ólmaYa só por si podem fazer chover. Quem, senão tu só, ó YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno, pode fazer uma tal coisa? Por isso esperaremos pela tua ajuda.

 

YARMIYAHU 15

 

1Então YAHU ULHÍM disse-me: Mesmo que Mehushúa e que SHAMUUL se pusessem perante mim, rogando a favor deste povo, mesmo assim eu não ajudaria essa gente. Que se vão embora! Que se tirem da minha vista!

2-4E se te perguntarem – Mas para onde iríamos nós? Diz-lhes que YAHU ULHÍM lhes responde assim: Os que estão destinados a morrer, para a morte; os que tiverem de morrer à espada, para a espada; os que estão condenados a morrer à fome, para a fome; os que deverão ficar cativos, para o cativeiro. Lançarei contra eles quatro espécies de destruidores, diz YAHU ULHÍM – a espada para os matar, cães para os dilacerarem, aves de rapina e animais selvagens para devorarem e acabarem com o que restar dos outros. Por causa de toda a maldade que Menashé (filho de Kozoq-YAHU), rei de YAHUDAH, praticou em YAHUSHUA-oléym, castigar-te-ei tão severamente que o teu destino fará arrepiar todos os povos da terra.

5-9Quem virá a sentir tristeza por ti, YAHUSHUA-oléym? Quem chorará
por ti? Quem se incomodará sequer para saber quem és tu? Tu me desprezaste e me
viraste as costas. Por isso estenderei o meu punho fechado contra ti, para te
destruir. Já estou cansado de estar sempre a dar-vos novas oportunidades.
Peneirar-te-ei à porta das tuas cidades e tirar-te-ei tudo o que te é querido;
destruirei o meu próprio povo, porque recusa voltar para mim e deixar os seus
maus caminhos. Ver-se-ão viúvas sem conta; em pleno dia de sol, trarei a morte
sobre a juventude, e o pesar às suas mães. Farei que caiam angústia e terror
sobre eles, repentinamente. Uma mãe de sete filhos desfalecerá de aflição,
porque todos os seus filhos terão sido mortos; pôs-se-lhe o seu sol enquanto
era dia ainda; e ali fica ela agora desfilhada, porque a guerra lhe roubou
todos os que sairam do seu seio!

10Então YARMIYAHU disse: Ai de mim, minha mãe! Mais valia que eu tivesse morrido ao nascer. Porque sou odiado para onde quer que vá. Não sou nenhum credor que lhes tivesse emprestado com usura e lhes estivesse a reclamar os juros ou o dinheiro; não lhes devo nada, tão pouco – pois mesmo assim me amaldiçoam.

11Respondeu YAHU ULHÍM: Libertar-te-ei seguramente para um bom fim. Farei que os teus inimigos venham interceder junto de ti, quando sofrerem calamidades e quando estiverem em angústias!

12Poderá um homem quebrar barras de ferro, ferro do norte, ou de bronze? Pois da mesma forma também não pode ser quebrada a vontade rebelde deste povo

13-14Assim entregarei todos os vossos bens, as vossas posses, como despojo ao inimigo; este vos levará como escravos, a vocês, para uma terra onde nunca estiveram anteriormente, porque a minha ira arde em fogo e te consumirei.

15Então YARMIYAHU replicou:  YAHU ULHÍM, sabes que tem sido
por tua causa que tenho sofrido. Tenho-lhes pregado a tua palavra e por isso
sou perseguido. Não deixes que me matem! Livra-me das suas garras, e dá-lhes
antes o que merecem!a

16São as tuas palavras que me sustêm, que são o alimento da minha alma faminta. Trazem alegria ao meu coração amargurado, e comunicam-me satisfação. Como me sinto orgulhoso em me chamar pelo teu Shúam (Nome), ó YAHU ULHÍM.

17-18Não me juntei às gentes nas suas reuniões e festins de galhofa e de
brejeirices. Preferi ficar só, sob a mão de YAHU ULHÍM. Rebento de indignação
perante os seus pecados. Mas mesmo assim senti que me faltavas quando precisei
de ti, YAHU ULHÍM! Permitiste que continuassem a perseguir-me. Será que eles
não pensam deixar de me ferir? A tua ajuda parece-me tão incerta como um
ribeiro correndo da montanha – por vezes cheio de águas torrenciais, noutras
alturas sem gota de água.

19-21E YAHU ULHÍM retorquiu: Pára com essa fala insensata; só se voltares a confiar em mim poderás ser meu porta-voz. És tu quem tem que os influenciar a eles, e não eles a ti. Combaterão contra ti como se fossem um exército sitiante contra uma cidade de muros de bronze, mas não prevalecerão contra ti, porque eu estou contigo para te proteger e te livrar, diz YAHU ULHÍM. Sim, podes ter a certeza de que te libertarei dessa gente malvada; salvar-te-ei das suas mãos violentas.

 

YARMIYAHU 16

 

O dia do desastre

 

1Ainda noutra ocasião YAHU ULHÍM falou-me e me disse:

2-7Não deveras casar nem ter filhos aqui nesta terra. Porque as crianças que nascerem neste lugar, tal como os seus pais, terão de morrer de terríveis doenças. E ninguém chorará por eles nem enterrará os seus corpos; estes jazerão pelo chão; serão como esterco sobre os campos. Morrerão de guerra e de fome; os seus cadáveres serão levados pelos abutres e pelos animais selvagens. Não os lamentes, nem chores por eles, porque retirei a minha proteção e a minha paz deles – subtraí-lhes a minha compaixão e as minhas misericórdias. Tanto grandes como pequenos morrerão nesta terra, sem serem enterrados, sem serem chorados; ninguém de entre os amigos deles porá sinais de luto, fazendo-se incisões, rapando a cabeça. Ninguém consolará os que choram, dando-lhes comida, ou enviando-lhes um copo de vinho, como expressão do seu pesar pela morte dos parentes deles.

8-9E também, como sinal desses tristes dias que hão-de vir, não participes nas suas festanças e recepções – nem sequer tomes qualquer refeição com eles. Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz – ainda durante o tempo da tua vida, sob os teus próprios olhos, farei cessar risos e alegria nesta terra – canções alegres, bodas, a felicidade dos que se casam.

10 E quando lhes disseres tudo isto, se eles te perguntarem: Mas afinal por que razã YAHU ULHÍM decretou todas estas tão terríveis coisas contra a gente? Que fizemos nós para merecer um tratamento desta natureza? No fim de contas qual é o nosso pecado contra YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno?e

11-12Diz-lhes então que a resposta de YAHU UL é esta: Porque os vossos pais me esqueceram e adoraram outros falsos criadores e estátuas, prestando-lhes culto e servindo-os; não guardaram as minhas leis, e, quanto a vocês mesmo, foram piores até do que os vossos próprios pais, tendo seguido o que era mal segundo as tendências dos vossos corações, recusando ouvir-me.


13Eis a razão porque vos lançarei para fora desta terra, para uma terra
estrangeira, que nem vocês nem os vossos antepassados conheceram antes, e lá,
se quiserem, continuarão a adorar os vossos ídolos, pois que quanto a mim não
vos concederei os meus favores!

14-15Mas virá um dia, diz YAHU ULHÍM, em que o único tema de conversação será o fato de YAHU ULHÍM trazer de novo o seu povo para casa, vindo das terras do norte, para onde os tinha mandado. Não se dirá mais, Vive YAHU ULHÍM que tirou os filhos de Yashorúl do Egito!, mas sim, Vive YAHU ULHÍM que trouxe o seu povo das terras para onde os tinha lançado, e os fez voltar ao solo dos seus antepassados!

16-18Mandarei muitos pescadores para vos apanharem. Depois mandarei muitos caçadores, diz YAHU ULHÍM, para vos caçarem em toda a montanha, em toda a serra, até nos penhascos inacessíveis, para onde quer que tenham fugido para escapar aos meus olhos. Pois que vigio estreitamente sobre vocês. Não tenham ilusões quanto a esconderem de mim a vossa iniquidade. Castigar-vos-ei duplamente por todos os vossos pecados, pois que não só conspurcaram a terra com esses abomináveis ídolos como também a encheram com toda a espécie de iniquidades.

19-20Ó YAHU ULHÍM, a minha força e a minha fortaleza, meu refúgio em dias de perturbação, nações em todo o mundo virão dizer-te: Os nossos pais foram loucos, porque puseram-se indignamente a adorar ídolos e falsidades! Alguma vez os homens podem fazer YAHU ULHÍM? É evidente que os falsos criadores e estátuas que eles fazem não são criadores e estátuas nenhuns.

21E quando eles se chegarem a mim nesse espírito, dar-lhes-ei a conhecer o meu poder e a minha força; fá-los-ei pois compreender enfim que só Eu sou YAHU ULHÍM.

 

YARMIYAHU 17

 

1O meu povo peca como se fosse uma lei a que estivesse sujeito, como se tivessem a maldade gravada com estiletes de diamante ou com ponteiros de ferro sobre os seus corações de pedra, ou nos cantos dos altares.

2-3Os seus jovens, em todo o caso não se esquecem de pecar, de adorar os ídolos debaixo de cada árvore ramalhuda, nos cimos das colinas, ou mesmo em pleno campo aberto. É assim que darei todas as vossas riquezas aos inimigos, como preço que terão de pagar pelos pecados que praticam

4E a bela herança que vos estava reservada fugir-vos-á das mãos; mandar-vos-ei como escravos dos vossos inimigos, em terras bem longínquas. Vocês acenderam o fogo da minha ira, o qual não deixará de arder.

5-6Diz YAHU ULHÍM: Maldito é o homem que põe a sua confiança noutro homem, cujo coração se afasta de YAHU ULHÍM, que confia na natureza humana para se fortalecer. Será semelhante a um débil cacto no deserto, sem esperança de melhores dias, vivendo em extensões de terreno ensalitrado, numa zona de estéreis desertos; tempos de prosperidade foram-se de vez, para ele.

7Abençoado é aquele que confia em YAHU ULHÍM; que fez de YAHU UL
a sua esperança, a sua confiança.

8É como uma árvore plantada junto à margem dum rio, cujas raízes encontram facilmente água, que não se incomoda com os fortes calores, nem se aflige com os meses de seca. As suas folhas mantêm-se verdes, e produz sempre os melhores frutos.

9-10O coração é algo de muito enganador, e desesperadamente mau. Ninguém sabe na realidade como ele é ruim! Só YAHU ULHÍM o sabe! Porque ele é quem pesquisa todos os corações e examina as intenções mais profundas, de forma a poder dar a cada um a recompensa que merece, de acordo com as suas acções, com o modo como vive.

11 Semelhante a uma ave que põe no seu ninho crias que não foi ela quem chocou, e que em breve aprenderão a voar e a deixarão só, assim é a pessoa que junta riquezas por processos desonestos. Cedo ou tarde perdê-las-á, e acabará a sua vida como um insensato.

12-14Mas o nosso Templo é o teu trono, sublime, glorioso. Ó YAHU ULHÍM, a esperança de Yashorúl, todos os que te deixam serão envergonhados. Os
que põem de parte YAHU ULHÍM, a fonte de águas vivas, serão como gente feita
meramente de pó da terra, e não como seres destinados à glória eterna. YAHU
ULHÍM, só tu podes sarar-me, só tu me podes salvar. Louvar-te-ei só a ti.

15Os outros riem-se de mim e dizem: Que palavra de YAHU UL é essa, de que estás aí a falar? Se essas tuas ameaças vêm realmente de YAHU ULHÍM, então porque é que não acontecem?

16-18 YAHU ULHÍM, eu não queria que esta gente fosse esmagada por tamanhas calamidades. Mas, é claro, esses planos são teus, não meus. O que eu lhes comuniquei foi uma mensagem tua, não minha. No entanto, e quanto a mim,
eu não queria vê-los assim sentenciados! YAHU ULHÍM, não me sobressaltes agora!
Só tu és o meu refúgio no meio da calamidade. Lança a confusão e a perturbação
sobre todos os que me perseguem; mas a mim, dá-me paz. Sim, dá-lhes dobrada
destruição!

 

Mantendo o Shábbos santo

 

19-20Então disse-me YAHU ULHÍM: Vai pôr-te nas entradas de YAHUSHUA-oléym; primeiro, na porta por onde saem os reis; depois em cada um dos outros portais; e diz assim ao povo: Ouçam a palavra de YAHU UL, reis de YAHUDAH e todo o povo desta nação, assim como vocês, cidadãos de YAHUSHUA-oléym. YAHU ULHÍM diz:

21-23Tenham muito cuidado e dêem atenção, para que possam
viver; não façam trabalho desnecessário no dia de Shábbos, mas antes
respeitam-no como um dia santo. Já tinha dado antes este mandamento aos vossos
pais, mas eles não quiseram ouvir-me e não obedeceram. Recusaram obstinadamente dar-me atenção e serem ensinados.

24-26Mas se me obedecerem, diz YAHU ULHÍM, e se aceitarem respeitar o dia de Shábbos como um dia especial, então esta nação permanecerá para sempre. Haverá sempre descendentes de Dáoud que se sentem no seu trono, aqui em YAHUSHUA-oléym; haverá sempre reis e príncipes deslocando-se em carros e montando cavalos em pompa e esplendor por entre o povo, e esta cidade subsistirá para sempre. De todas as terras ao redor de YAHUSHUA-oléym, assim como das cidades de YAHUDAH e de Benyamín, e também do Négev e das planícies a oeste de YAHUDAH, virá povo trazendo holocaustos, ofertas de cereais e incenso, chegando-se para apresentar os seus sacrifícios de louvor a YAHU ULHÍM no seu Templo.

27Mas se não me ouvirem, se recusarem respeitar o Shábbos santo, se nesse dia trouxerem pesadas cargas de mercadorias para as passarem pelos portões das entradas de YAHUSHUA-oléym, fazendo tal e qual como num outro dia, então farei incendiarem-se estas portas. E esse fogo se espalhará aos palácios, que ficarão completamente destruídos, ninguém será capaz de extinguir as chamas.

 

YARMIYAHU 18

 

YARMIYAHU na casa do oleiro

 

1Eis outra mensagem de YAHU UL a YARMIYAHU:


2Desce até à casa do oleiro, o que faz os objectos e os recipientes de barro, e
ali falarei contigo

3Fiz como me foi dito, e encontrei o oleiro trabalhando
como habitualmente com a roda.

4Mas aconteceu que o jarro que estava formando não saiu como ele queria e tornou a amassar aquele barro, recomeçando o trabalho.

5Então disse YAHU ULHÍM:

6Ó Yashorúl, não poderei eu fazer contigo o que este oleiro fez com o pote de barro? Na verdade, tal como o barro nas mãos do oleiro, assim és tu nas minhas mãos!

7-10Sempre que eu anunciar que uma certa nação, um reino qualquer, irá ser tomado e destruído, se essa nação renunciar aos seus maus caminhos, não a destruirei, conforme planeara. Se, por outro lado, eu proclamar que tornarei uma certa nação grande e forte, se esta alterar a sua atitude, se voltar para o mal, e recusar obedecer-me, então também mudarei de atitude e não abençoarei essa nação tal como dissera antes.


11Portanto vai advertir toda YAHUDAH e YAHUSHUA-oléym dizendo: Ouçam a palavra de YAHU UL. Estou a planear coisas más e não coisas boas contra vocês;
convertam-se dos vossos maus caminhos e façam o que é reto.

12Mas eles responderam: Não percas o teu tempo. Não estamos minimamente interessados em fazer o que YAHU ULHÍM diz. Havemos de continuar a viver como nos apetece, livres de restrições, cheios de rebeldia e de maldade!

13-17Por isso YAHU ULHÍM responde-lhes: Mesmo entre os pagãos, nunca se ouviu coisa semelhante! O meu povo fez algo de demasiado horrível para ser compreendido. A neve, nos cimos das altas montanhas do Lebanon, nunca se derrete. As frias e caudalosas torrentes que descem por entre os penhascos do monte Hermon nunca secam. Com estes pode-se contar, mas como meu povo não! Porque me deixaram para se voltarem para a loucura dos ídolos. Abandonaram a antiga estrada do bem, e ingressaram nos lamacentos caminhos do pecado. Por isso a sua terra se tornará assolada, para que todos os que por lá passarem abram a boca de espanto e abanem as cabeças perante tão completa destruição. Dispersarei o povo por entre os inimigos, tal como o vento oriental levanta e espalha poeira; e durante toda essa angústia, voltar-lhe-ei as costas, recusando saber da tristeza, da
perdição deles.

18Então o povo disse: Eh, gente. Vamo-nos livrar deste YARMIYAHU. Temos os nossos próprios intermediários, sábios e profetas – não precisamos das suas opiniões. Vamos silenciá-lo de forma a não falar mais contra a gente, nem
a nos incomodar mais.

19-20Ó YAHU ULHÍM, ajuda-me! Vê o que eles estão a planear contra mim! Será que vão mesmo pagar-me o bem com o mal? Puseram ciladas contra mim, apesar de te ter falado bem deles, e tentado defendê-los da tua severa ira.

21Por isso, YAHU ULHÍM, que os filhos lhes morram de fome, e que a espada lhes derrame o sangue até à última gota! Que as suas mulheres se tornem viúvas e percam os filhos! Que os seus homens morram de epidemias e os jovens, na batalha!

22Que se ouçam os gritos de aflição saindo de casas quando o inimigo cair de repente sobre eles. Pois que pretendem cavar uma armadilha, para que eu caia nela; puseram-me ciladas ao longo do caminho

23 YAHU ULHÍM, bem conheces os planos assassinos que conspiram contra mim. Não lhes perdoes; não apagues o seu pecado, mas antes, que todos pereçam perante ti; trata-os segundo a tua cólera.

 

YARMIYAHU 19

 

1E disse YAHU ULHÍM:i 2Vai comprar um pote de barro, e leva-o ao vale de Ben-Hinom; sai da cidade pela porta Oriental. Leva contigo alguns dos anciãos do povo e dos intermediários mais velhos, e fala-lhes as palavras que te comunicar.

3-5Depois YAHU ULHÍM disse-lhes assim: Ouçam a palavra de YAHU UL, reis de YAHUDAH e cidadãos de YAHUSHUA-oléym! O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz:Trarei coisas tremendas sobre este lugar, tão terríveis que até os ouvidos de quem a escutar ficará retinindo! Porque Yashorúl me desprezou e fez deste vale um lugar de degradação e de maldade. O povo queima incenso a ídolos – ídolos que nem esta geração, nem os seus antepassados, nem os reis de YAHUDAH adoraram antes – e encheram este lugar como sangue inocente. Construíram aparatos os altares de Baal e ali ofereceram os seus filhos em sacrifícios – uma coisa que nunca lhes mandei fazer e que nunca poderia ter-me passado pela mente!

6-9Está vindo o dia, diz YAHU ULHÍM, em que este vale não se chamará mais Tofete, nem vale de Ben-Hinom, mas vale de Matança. Hei-de contrariar os planos de batalha de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym, e deixarei antes que os batalhões invasores vos matem aqui mesmo, e deixem os vossos cadáveres para alimento dos abutres e dos animais selvagens. Riscarei YAHUSHUA-oléym de sobre a face da terra de tal forma que quem quer que passar por ali abrirá a boca de espanto perante tudo o que eu fiz que lhe acontecesse. Velarei por que o inimigo mantenha o seu cerco à cidade até que todo o alimento se esgote, e que aqueles que lá estão dentro sejam obrigados a comer os seus próprios filhos e vizinhos.

10-13Agora, YARMIYAHU, na presença dessas pessoas, quebra o pote que trouxeste contigo, e diz-lhes – Esta é a mensagem que vos trago da parte de YAHU UL Tzavulyáo do céu: Tal como este pote, aqui feito em pedaços, assim também farei em pedaços o povo de YAHUSHUA-oléym; e assim como este jarro não pode ser recuperado, também eles o não poderão ser. A matança será tão extensa que não haverá lugar para enterros cerimoniosos, em lugar nenhum. Os corpos amontoar-se-ão neste mesmo vale. E o que acontecer neste vale também se dará em YAHUSHUA-oléym; porque também a cidade encherei de corpos mortos. As casas de YAHUSHUA-oléym, incluindo os palácios dos reis de YAHUDAH, se tornarão imundos – porque são todos lugars onde foi queimado incenso, sobre os telhados, a esses falsos criadores e estátuas das ‘cocavím’ (est-elas), e onde lhes foram oferecidas libações.

14-15Quando YARMIYAHU regressava de Tofete, do lugar em que tinha
dado a sua mensagem, parou, frente ao Templo de YAHU UL, e disse a todo o povo
ali: O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Trarei sobre
esta cidade e sobre as povoações dos subúrbios todo o mal que tenho prometido,
porque vocês têm obstinadamente recusado ouvir YAHU ULHÍM.

 

YARMIYAHU 20

 

YARMIYAHU e Pasur

 

1-2Quando Pasur (filho de Imer), o intermediário encarregado da gestão do Templo de YAHU UL, ouviu o que YARMIYAHU estava a dizer, mandou-o prender, espancar e pô-lo no cepo junto à porta de Benyamín, perto do Templo. E ali o deixou toda a noite.

3-5No dia seguinte, quando finalmente o mandou soltar, YARMIYAHU disse-lhe: Pasur, YAHU ULHÍM alterou o teu Shúam (Nome), e diz que, a partir de agora, te chamarás Mergulhado em Terror, porque YAHU ULHÍM te enviará pânico, a ti e a todos os teus amigos; vê-los-ás morrerem pelas espadas dos seus inimigos. Entregarei YAHUDAH ao rei de Babilónia, diz YAHU ULHÍM, e esse rei levará o povo para Babilónia como escravos, matando muita gente. Deixarei os vossos inimigos saquearem YAHUSHUA-oléym. Todos os famosos tesouros da cidade, as jóias preciosas, o ouro e a prata dos reis, tudo será transportado para Babilónia.

6E quanto a ti, Pasur, tu, a tua família e os que vivem contigo se tornarão escravos em Babilónia e lá morrerão – alias, não somente tu, mas também todos a quem mentiste, profetizando que tudo estava certo e correndo bem.

 

YARMIYAHU queixa-se

 

7Então eu disse: Ó YAHU ULHÍM, enganaste-me quando me garantiste ajuda. Eu tenho que lhes dar as tuas mensagens, mas tu és poderoso e eu não; por isso agora, eis que me tornei objeto de riso da cidade, assunto de troça de toda a gente.

8Quando tenho de lhes falar, é sempre para clamar e gritar, Violência! Destruição! Assim a palavra de YAHU UL tornou-se para mim uma ocasião de troça, de risota. E a verdade é que não posso deixar de continuar a pregar a tua palavra!

9Porque se eu dissesse: Nunca mais farei menção de YAHU UL, não falarei mais no seu (Nome) Shúam, então a tua palavra no meu coração seria como um fogo, consumindo-me os ossos, e não poderia continuar calado.

10Apesar disso ouço por todos os lados os sussurros das suas ameaças, e
tenho medo. Vamos denunciar-te, dizem eles. Até os que eram meus amigos me
espreitam e aguardam a minha queda final. Acabará por se deixar apanhar, dizem,
e então ficaremos vingados.

11Mas YAHU ULHÍM mantém-se ao meu lado, como um valente guerreiro, e os que me perseguem cambalearão. Não poderão derrotar-me, antes serão envergonhados e profundamente humilhados; serão marcados, nas suas vidas, para sempre

12Ó YAHU UL Tzavulyáo celestiais, que conheces os que são retos e examinas o mais profundo dos pensamentos dos corações e das mentes, que eu veja a tua vingança sobre eles! Porque te entreguei a minha causa.

.

13Por isso cantarei a YAHU ULHÍM! Haolul-YAHU! Porque me libertou dos meus
opressores, a mim, pobre e necessitado.

14-18No entanto, maldito seja o dia em que nasci! Maldita seja a pessoa que trouxe ao meu pai a notícia de que eu nascera. Que esse mensageiro seja destruído à semelhança daquelas cidades de antigamente que YAHU ULHÍM aniquilou sem misericórdia. Que ele seja aterrorizado todo o dia com gritos de batalha, pois que não me tiraram a vida quando nasci! Oh, se eu tivesse morrido no ventre de minha mãe, se tivesse sido esse o meu túmulo! Porque nasci eu, afinal? Porque a minha vida tem sido, toda ela, apenas tristeza e vergonha.

 

YARMIYAHU 21

 

YAHU ULHÍM rejeita o pedido de Tzaodoq-YAHU

 

1-2Então o rei Tzaodoq-YAHU enviou Pasur (filho de Molkhi-YAHU), acompanhado de ZAFNAYAHU o intermediário (filho de Maose-YAHU), junto de YARMIYAHU a rogar-lhe: Pede a YAHU ULHÍM que nos ajude, pois que Nebuchadnezar, rei de Babilónia, declarou-nos guerra! Talvez YAHU ULHÍM tenha compaixão de nós e faça um poderoso milagre, como nos tempos passados, e force Nebuchadnezar a retirar as suas forças militares.

3-7YARMIYAHU respondeu: Digam ao rei Tzaodoq-YAHU que YAHU ULHÍM lhe comunica o seguinte: Tornarei todo o teu armamento sem utilidade nenhuma contra o rei da Babilónia e contra os caldeus que te sitiam. Com efeito, trarei os teus inimigos até mesmo ao coração da cidade, e serei eu próprio quem combaterá contra vocês, porque a minha cólera é grande. Mandarei uma terrível praga a esta cidade, e morrerão todos, tanto homens como animais. E no fim, entregarei Tzaodoq-YAHU, ele próprio, mais todos os que tiverem ficado na cidade após aquela calamidade, para serem mortos sem piedade nem misericórdia, às mãos do rei Nebuchadnezar de Babilónia.

8-10Diz a este povo que YAHU ULHÍM lhes comunica isto: Ponho na vossa frente dois
caminhos, o da vida e o da morte. Ficarem aqui em YAHUSHUA-oléym e morrerem –
abatidos pelos vossos inimigos, mortos pela fome e pela doença – ou saírem,
entregarem-se ao exército caldeu e viverem. Porque me virei contra esta cidade;
serei seu inimigo e não seu defensor, diz YAHU ULHÍM. Será cativa do rei de
Babilónia, o qual a reduzirá a cinzas.

11-14E ao rei de YAHUDAH, diz YAHU ULHÍM: Ouçam a palavra de YAHU UL – Ó descendência de Dáoud! Depressa! Faz justiça a quem estás a julgar! Liberta o oprimido da mão do que o subjuga antes que a minha ira se acenda contra ti, semelhante a um fogo que ninguém será capaz de extinguir, por causa da maldade das vossas acções. Lutarei contra esta cidade de YAHUSHUA-oléym, que domina os vales como um altivo rochedo, diz YAHU ULHÍM, e que se gaba, dizendo: Estamos seguros; ninguém ousará tocar-nos aqui! Serei eu próprio quem vos destruirá, por causa dos vossos pecados, diz YAHU ULHÍM. Acenderei um fogo nos bosques que queimará tudo em redor.

 

YARMIYAHU 22

 

Juízo contra reis malvados

 

1-2Então YAHU ULHÍM disse-me: Vai falar diretamente ao rei de YAHUDAH e diz-lhe: Ouve esta mensagem de YAHU ULHÍM, ó rei de YAHUDAH, que te sentas no trono de Dáoud; deixa os teus servos e o povo ouvir também.

3-4Diz YAHU ULHÍM: Sê limpo de intenções. Faz o que for justo! Apoia os que precisam de justiça! Deixa de vez as tuas más acções! Protege os direitos dos imigrantes, dos órfãos e das viúvas; pára de matar inocentes! Se puseres
um fim a todos estes terríveis actos que estás a praticar, então livrarei esta
nação, mais uma vez darei reis para se sentarem no trono de Dáoud, e haverá
prosperidade para todos.

5-9Mas se recusarem dar atenção a este aviso, garanto-vos, pelo meu próprio nome, diz YAHU ULHÍM, que este palácio se tornará num verdadeiro açougue. Esta é a mensagem de YAHU UL quanto a este palácio: És-me tão querido como o frutífero Gaúliod e as verdes florestas do Lebanon; contudo destruir-te-ei e deixar-te-ei deserto, inabitado. Mandarei vir destruidores para que te desmantelem, com as suas armas. Deitarão abaixo todas as grossas vigas de madeira de cedro, para as lançar no fogo. Homens de muitas nações passarão pelas ruínas desta cidade e dirão uns para os outros: Porque foi que YAHU ULHÍM fez isto? Porque destruiu ele esta grande cidade? E a resposta que se lhes dará será esta: Porque o povo que aqui vivia desprezou YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno, e violou o acordo feito com ele, tendo-se voltado para ídolos, para os adorarem.

10Povo de YAHUDAH, não chorem pelo rei Yasa-YAHU; não lamentem a sua morte. Mas chorem amargamente pelo seu filho que será levado e que nunca mais voltará para ver de novo a terra natal

11-12Pois YAHU ULHÍM diz a respeito de Salum que sucedeu ao seu pai, o rei Yasa-YAHU, rei de YAHUDAH, o qual também foi levado cativo: Morrerá numa terra distante e nunca mais verá a sua própria terra.

13E Ai de ti, rei YAHU-ahim, que estás a construir o teu grande palácio com trabalhadores forçados, com injustiça. É à força de não pagares os salários deles que constróis isso; é na base da opressão e do desprezo dos direitos de quem trabalha que fazes todos os seus belos acabamentos.

14-17Dizes: Construirei um palácio magnífico, com salas imensas e inúmeras janelas, todo forrado de madeira bem odorosa, de cedro, e pintada com belos tons de vermelho. Mas não é um belo palácio que faz um grande rei! Porque foi que teu pai Yasa-YAHU reinou tanto tempo? Porque era justo e honesto em todos os seus atos. Foi por isso que YAHU ULHÍM o abençoou. Procurou que fosse feita justiça aos pobres, que se prestasse assistência a quem dela precisava verdadeiramente. É isso que é conhecer YAHU ULHÍM, viver com YAHU ULHÍM. Mas tu estás cheio de ambição pessoal e és profundamente desonesto! Assassinas os inocentes, oprimes os pobres e governas com violência.

18-23Por isso, este é o castigo que YAHU ULHÍM decreta contra o rei YAHU-ahim, que sucedeu ao seu pai Yasa-YAHU no trono: A sua família não chorará por ele quando morrer. Os seus súbditos nem sequer se preocuparão em saber se está ou não morto. Será enterrado como o cadáver dum jumento – posto numa cova fora de YAHUSHUA-oléym e lançado como entulho, para qualquer parte fora das muralhas! Chora, porque os nossos aliados já se foram. Procura-os no Lebanon; grita por eles em Basã; vê se os encontra nos váus do Yardayán. Hás-de reparar que estão todos aniquilados. Ninguém ficou para te ajudar! Quando ainda eras próspero, bem te avisei, mas tu respondias: Não me incomodem. Desde a tua meninice que és assim – recusas escutar! E agora todos os teus aliados desapareceram como uma rajada de vento; foram todos levados, os teus amigos, como escravos. Certamente que reconhecerás, por fim, a tua maldade e terás profunda vergonha. Sem dúvida que é muito bonito viver num belíssimo palácio, no meio de madeira de cedros do Lebanon. Mas a verdade é que em breve chorarás e gemerás de angústia – como se fosse uma mulher com dores de parto.

24-28E quanto a ti, Cohan-YAHU, filho de YAHU-ahim, rei de YAHUDAH –
ainda que tivesses sido como o sinete que uso, em forma de anel, no dedo da mão
direita, lançar-te-ei para longe e entregar-te-ei simplesmente àqueles que
procuram matar-te, de quem tens um medo tremendo – a Nebuchadnezar, rei da
Babilónia, e aos seus poderosos batalhões. Yogar-te-ei, a ti e a tua mãe, fora
desta terra; morrerão ambos vocês numa terra estrangeira. Nunca mais voltarão a
esta terra, da qual se encherão de saudade. Esse homem, Cohan-YAHU, é como um
prato vulgar, já rachado. Tanto ele como os seus filhos serão atirados para
longe, serão exilados para terras distantes.

29Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra de YAHU UL!=

30Diz YAHU ULHÍM: Registem esse indivíduo, Cohan-YAHU, como não tendo filhos, porque nenhum dos seus filhos se sentará jamais sobre o trono de Dáoud, nem governará em YAHUDAH. A sua vida pouco vale.

 

YARMIYAHU 23

 

O ramo justo

 

1-2 YAHU ULHÍM declara: Enviarei calamidades sobre os chefes do meu povo – os anciãos das minhas ovelhas – porque destruíram e dispersaram aquelas mesmas de quem deveriam ter cuidado atentamente. Em lugar de levarem o rebanho para lugars de segurança, deixaram-no só e conduziram-no à destruição. Agora derramarei juízos sobre vocês pelo mal que lhes fizeram.

3E tornarei a juntar o resto do meu rebanho de toda a parte para onde os mandei, e
trá-lo-ei para o seu próprio curral; serão frutíferos e crescerão.

4Nomearei anciãos responsáveis que cuidem deles, e não precisarão mais de viver em temores; nenhuma delas faltará jamais, quando se tomar a conta.

5-8Porque vem o dia, diz YAHU ULHÍM, em que porei um ramo justo sobre o trono de Dáoud. Será um rei que governará com sabedoria e justiça, e que fará prevalecer a rectidão sobre toda a terra. E este será o seu (Nome) Shúam: YAHU ULHÍM é a nossa Justiça. Nesse tempo YAHUDAH será salva e Yashorúl viverá em paz. O povo não dirá mais, ao querer garantir qualquer coisa: Vive YAHU ULHÍM, que libertou o
povo de Yashorúl da terra do Egito, mas dirão: Vive YAHU ULHÍM que trouxe os Yashorulítas para a sua terra, trazendo-os dos países para onde os tinha exilado.

 

Profetas mentirosos

 

9-10O meu coração está amachucado por causa dos falsos profetas. O meu coração está despedaçado, e tremo todo; ando cambaleando como se estivesse embriagado, por causa de YAHU UL e das suas santas palavras. Porque a terra está cheia de adultérios, e a maldição de YAHU ULHÍM plana sobre ela. A própria terra se lamenta – as pastagens estão secas – porque os profetas praticam o mal e usam do seu prestígio para coisas injustas


11Aliás, tanto os intermediários como os profetas andam longe de YAHU ULHÍM;
são gente ruim. Eu próprio vi os seus actos vis praticados aqui mesmo no meu
próprio Templo, diz YAHU ULHÍM.¸

12Por isso, o caminho que trilham se tornará para eles escorregadio, e cheio de trevas; serão empurrados e cairão. Trarei sobre eles o mal, e terei cuidado em que, quando chegar o tempo, paguem completamente o castigo de todos os seus pecados.

13-14Tive conhecimento, certamente, da incrível maldade dos profetas de Shuamor-YAHU, pois que chegaram a profetizar em nome de Baal e levaram o meu povo Yashorúl a pecar; no entanto os profetas de YAHUSHUA-oléym foram ainda piores! As coisas que fazem são horríveis; cometem adultérios, usam do amor com toda a desonestidade. Encorajam até, e elogiam os que actuam iniquamente, em vez de se converterem antes dos seus pecados. Esta gente é tão absolutamente depravada como as de Sodoma e de Gomorra.

15-17Por isso YAHU UL Tzavulyáo celestiais lhes diz: Alimentá-los-ei
com fel, e dar-lhes-ei veneno a beber. Pois que é por causa deles que a terra
se está a encher de maldade. Este é pois o meu aviso ao povo, diz YAHU UL
Tzavulyáo celestiais. Não ouçam esses falsos profetas quando vos profetizarem,
enchendo-vos com falsas esperanças. Eles dizem o que pensam, mas nunca de
maneira nenhuma o que eu quero! Continuam dizendo a estes rebeldes que me
desprezam: Não se preocupem! Vai tudo bem. E aos que vivem como muito bem lhes agrada:  YAHU ULHÍM já disse que vocês terão paz!

18-20Mas podem ao menos nomear um só desses profetas que viva
bastante perto de YAHU ULHÍM para ouvir a sua palavra? Reparem bem, YAHU ULHÍM há-de enviar uma tremenda tempestade que levará para longe esta gente perversa. A grande ira de YAHU UL não esmorecerá antes de ter executado o castigo que decretou contra eles. Quando chegarem por fim esses tempos, quando YAHUSHUA-oléym tiver caído, hão-de ver como é que as minhas palavras se realizarão.

21-24Não chamei nenhum desses profetas; contudo, garantem que falam em meu Shúam (Nome); não lhes dei nenhuma mensagem a transmitir; pois apesar disso, dizem que as palavras que proferem são as minhas. Se assim fosse, tentariam converter o meu povo dos seus caminhos maus. Serei eu um YAHU ULHÍM que só pode estar num único lugar, e que não tem possibilidade de ver tudo o que eles fazem? Poderia alguém esconder-se de mim? Não estou eu em toda a parte, em shua-ólmaYa e na terra?


25-27Dizem eles: Ouçam, ouçam o sonho que tive da parte de YAHU UL a noite
passada! E então começam a dizer mentiras em meu Shúam (Nome). Até quando é que isto continuará assim? Se são profetas, são mas é de fraude, inventando tudo o
que dizem. Ao contarem todos esses falsos sonhos, tentam levar o meu povo a
esquecer-me, tal como o fizeram os seus pais que me trocaram pelos ídolos de
Baal

28Que esses falsos profetas contem então os seus sonhos, mas que os meus
mensageiros proclamem fielmente a minha palavra. Há uma grande diferença entre a palha e o trigo!

29Não é a minha palavra como o fogo, diz YAHU ULHÍM, e como
um martelo que esmiuça uma rocha em pedaços?

30-32Dessa forma estarei eu contra esses profetas que imitam as pregações uns dos outros – esses profetas que dizem, com uma voz adocicada: Esta mensagem vem de YAHU UL. Os seus sonhos fabricados são petulantes mentiras que só servem para levar o meu povo a pecar. Não fui eu quem os nomeou, e eles não têm mensagem nenhuma a transmitir, da minha parte, ao povo, diz YAHU ULHÍM.

 

Profecias falsas e profetas falsos

 

33Quando alguém do povo, ou um dos profetas ou um intermediário te perguntar: Então, YARMIYAHU, qual é a profecia que tens da parte de YAHU UL?, deveras responder-lhes: A profecia? É que YAHU ULHÍM vos expulsa!

34-40E quanto a esses falsos profetas e intermediários, e povo também,
que se mete contigo, perguntando-te sobre as más notícias de hoje, da parte de YAHU UL, castigá-los-ei sem falhar, por falarem dessa maneira. Podem perguntar uns aos outros: Qual é a mensagem de YAHU ULHÍM? Que tem ele a dizer-nos? Mas
deixem de falar nesses termos nas más notícias de YAHU ULHÍM. Porque as más
notícias são vocês mesmos e as vossas mentiras. Vocês alteram as minhas
palavras, e inventam mensagens de YAHU ULHÍM que eu nunca disse. Vocês podem,
com seriedade, perguntar a YARMIYAHU: Qual é a mensagem de YAHU UL? Que te
disse ele? Mas se lhe perguntarem acerca de más notícias que vocês representam
para mim, lançar-vos-ei para longe da minha presença, vocês e esta cidade que
vos dei e aos vossos pais. Trarei um opróbrio infindo sobre vocês, o vosso nome
será símbolo de coisa infame.

 

YARMIYAHU 24

 

Os dois cestos de figos

 

1Depois de Nebuchadnezar, rei de Babilónia, ter capturado e levado como escravo Yacan-YAHU (filho de YAHU-ahim), rei de YAHUDAH, exilando-o em Babilónia, juntamente com os nobres de YAHUDAH e todos os artífices de carpintaria e de metal, YAHU ULHÍM deu-me esta visão.

2-3Vi dois cestos de figos, colocados em frente do Templo em YAHUSHUA-oléym. Nun deles havia figos frescos, apanhados recentemente; mas no outro, os figos que lá tinha não se podiam comer, de estragados que estavam. Então YAHU ULHÍM
disse-me: Que vês tu YARMIYAHU?Eu respondi: Figos – uns bons e outros maus.


4-7E YAHU ULHÍM: Pois os bons representam os exilados, que mandei para
Babilónia; fiz isso para o bem deles. Velarei por que sejam bem tratados, e
torná-los-ei a trazer para aqui. Ajudá-los-ei; não os ferirei. Plantá-los-ei;
não os arrancarei. Dar-lhes-ei corações capazes de me responderem. Serão o meu
povo e serei o seu YAHU ULHÍM; porque voltarão para mim com grande alegria.


8-10Mas os figos maus representam Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH, os seus
serventes espirituais e toda a outra gente de YAHUSHUA-oléym que aqui ficou
nesta terra; e também os que vivem no Egito. Tratá-los-ei como se faz a figos
estragados, que não prestam para nada. Tornarei essa gente repulsiva para todas
as nações da terra; tornar-se-ão num objecto de troça, serão escarnecidos e
amaldiçoados para onde forem mandados. Mandarei massacres, fomes, epidemias
entre eles, até que tenham todos desaparecido da terra de Yashorúl, que eu lhes
dera, a eles e aos seus antepassados.

 

YARMIYAHU 25

 

Setenta anos de exílio

 

1Esta mensagem, para o povo de YAHUDAH, veio da parte de YAHU UL a YARMIYAHU, durante o quarto ano do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH. Este foi o ano em que Nebuchadnezar, rei da Babilónia, começou a reinar.

2-5Há vinte e três anos, disse YARMIYAHU, desde o ano treze do reinado de Yasa-YAHU (filho de Amom), rei de YAHUDAH, até agora, que YAHU ULHÍM me tem mandado as suas mensagens. E sempre vo-las comuniquei fielmente, sem contudo me quererem ouvir. Persistentemente vos tem enviade YAHU ULHÍM os seus profetas; no entanto, têm recusado dar-lhes ouvidos. De cada vez a sua mensagem era: Deixem esse caminho de maldade por onde vão, e essas ações más que andam a fazer. Porque só assim poderão continuar a viver aqui nesta terra que YAHU ULHÍM deu a vocês e aos vossos pais para sempre.

6-7Não me provoquem à ira, adorando ídolos; mas se forem sinceros para comigo, então não vos castigarei. No entanto, recusaram ouvir-me; continuaram no mesmo e levantaram a minha cólera com os vossos ídolos. Foi dessa forma que trouxeram
sobre vocês mesmos todo o mal que tem acontecido.

8-11E agora YAHU UL Tzavulyáo, o Criador Eterno celestiais diz: Porque não quiseram ouvir-me, farei juntarem-se todos os exércitos do norte, sob o comando de Nebuchadnezar, rei de Babilónia – do qual fiz meu instrumento – e os trarei todos contra esta terra e este povo, e também contra as nações tuas vizinhas. Destruir-te-ei
inteiramente, e farei de ti um espanto, um provérbio de desprezo para sempre.
Retirar-te-ei a alegria, os motivos de prazer, as celebrações, a euforia das
bodas; os teus negócios falirão e sobre todas as tuas habitações cairá uma
escuridão silenciosa. A terra inteira se tornará numa vastidão desolada e vazia;
todo o mundo ficará abismado perante a calamidade que te sobreveio. E assim, Yashorúl e os seus vizinhos, servirão o rei de Babilónia durante setenta anos.


12-14Depois desse tempo de escravidão terminar, castigarei então o rei da
Babilónia e o seu povo por causa dos pecados deles; farei da terra da Caldeia,
para sempre, um ermo de ruínas. Trarei sobre eles também todos os terrores que
estão prometidos neste livro – todos os castigos anunciados por YARMIYAHU
contra as nações. Porque muitas outras nações e grandes reis escravizarão por
sua vez os caldeus, tal como fizeram estes ao meu povo; castigá-los-ei na mesma
proporção do tratamento que infligiram ao meu povo.

 

A taça da ira de YAHU ULHÍM

 

15-16Disse-me YAHU ULHÍM o Criador Eterno: Pega nesta taça que aqui tenho na mão, cheia a transbordar da minha ira, e dá a beber dela a todas as nações que eu te mandar. Beberão dessa taça, cambalearão, e enlouquecerão até morrerem com a violência de guerra que farei cair sobre eles.

17-18E tomei a taça da mão de YAHU UL, dei a beber a todas as nações às
quais YAHU ULHÍM me tinha mandado; fui a YAHUSHUA-oléym e às cidade de YAHUDAH, e os reis e nobres beberam da taça, de tal forma que desde esse dia até agora têm sido assolados, odiados, malditos, tal como se vê.

19-26Fui ao Egito, e Faraóh, seus servidores, nobres e o povo também beberam dessa taça terrível, ao mesmo tempo que todos os estrangeiros imigrados que ali viviam. O mesmo fizeram todos os reis da terra de Uz e todos os reis dos Palestinos (aqueles de Áshkelon, de Gaza e de Ekron, e o povo que ainda ficaram em Ashdod). Castiguei da mesma forma as nações de Edom, de Moabe e de Amom, assim como os reis de Tiro e de Sidom, e os das regiões do outro lado do mar; Dedan, Tema, Buz e os povos pagãos que ali vivem; e mais ainda os reis da Arábia, e as tribos nómadas
do deserto; e todos os reis de Zimri, de Elam e de Media; tal como os das regiões do norte, de perto e de longe; uns após outros; todos os reis do mundo. E finalmente o rei de Babilônia, ele próprio, bebeu desta taça da ira de YAHU ULHÍM.

27-29Diz-lhes: O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl,
diz: Bebam desta taça da minha cólera, até se embebedarem e vomitarem e cairem
por terra para não mais se levantarem, porque vou enviar-vos tremendos julgamentos. E se recusarem aceitar a taça e beber, diz-lhes: O YAHU UL Tzavulyáo do céu diz que terão de beber, queiram ou não! Não podem escapar a isso! Já comecei a castigar o meu próprio povo, e vocês haviam de escapar? Não, vocês não poderão livrar-se do castigo. Mandarei vir a guerra sobre todos os povos da terra.


30-33Por isso profetiza contra eles. Diz-lhes que YAHU ULHÍM clama contra a sua
habitação, desde o seu santo Templo em shua-ólmaYa, e contra todos os que vivem
na terra. Fá-lo-á com a exaltação de quem pisa as uvas nolagar. Essa voz de
julgamento ecoará por toda a terra, até aos seus confins, pois que YAHU ULHÍM
tem um contencioso contra todos os povos – contra toda a humanidade. Será a
matança de todos os ímpios. Vejam, declara YAHU UL Tzavulyáo celestiais, a
punição irá de nação em nação – será como uma colossal tempestade de cólera que
se levantará contra os mais longínquos cantos da terra. Nesse tempo a terra
ficará cheia de todos os que foram mortos, dum extremo ao outro. E ninguém
chorará por eles, nem juntarão os seus corpos para os enterrar; serão como
esterco sobre os campos.

34-35Chorem e lamentem-se, ó maus anciãos; que os chefes do rebanho se revolvam na cinza, porque o seu tempo chegou, a altura de serem mortos e aniquilados; cairão como se fossem frágeis mulheres. Não encontrarão lugar possível para se esconderem, para escaparem.

.

36-38Ouçam os gritos frenéticos de desespero dos anciãos e dos líderes, porque YAHU ULHÍM destruiu-lhes as pastagens. Gente que vive neste momento em sossego serão desarraigados pela violência da cólera de YAHU UL. Deixou desabridamente o
lugar em que vive, semelhante a um leão atrás da presa; a terra deles foi
devastada por batalhões bem armados e aguerridos – tudo por causa da tremenda
cólera de YAHU UL.

 

YARMIYAHU 26

 

YARMIYAHU ameaçado de morte

 

1Esta mensagem foi dada a YARMIYAHU, da parte de YAHU UL, no princípio do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH:

2-6Põe-te em frente do Templo de YAHU UL e fala a todo o povo que ali veio para adorar, vindo de muitos lugars de YAHUDAH. Comunica-lhes a mensagem toda, sem deixares sequer uma palavra esquecida, de tudo o que pretendo que ouçam. Pode ser que ouçam e se convertam dos seus maus caminhos, e assim poderei suspender todos esses castigos que planeio e que estou pronto a derramar sobre eles, em consequência das suas más acções. Diz-lhes que YAHU ULHÍM lhes transmite isto: Se recusarem ouvir-me e obedecer às leis que vos dei, e se não quiserem ouvir os meus servos, os profetas – porque os tenho enviado vez após vez para vos advertirem, mas não quiseram ouvi-los – então destruirei este Templo, tal como destruí o tabernáculo em Sheló, e farei de YAHUSHUA-oléym uma palavra maldita, para toda a gente da terra.

7-9Quando YARMIYAHU acabou a sua pregação, dizendo tudo o que YAHU ULHÍM lhe tinha mandado, os intermediários, os falsos profetas e todo o povo que ali estava no Templo juntaram-se e levantaram um tumulto contra ele gritando: Morra! Morra! Com que direito dizes tu que YAHU ULHÍM irá destruir este Templo como o de Sheló?, vociferavam. Que dizes tu: YAHUSHUA-oléym destruída, e sem sobreviventes?


10-11Quando os altos magistrados de YAHUDAH ouviram o que estava a acontecer,
saíram a correr do palácio e vieram sentar-se à entrada do Templo para julgar
aquele caso. Os intermediários e os falsos profetas apresentaram então as suas
acusações aos magistrados perante o povo, dizendo: Este homem devia morrer.
Ouviram com os vossos próprios ouvidos como ele é traidor, pois que tem
profetizado contra esta cidade.

12-15Então YARMIYAHU falou em sua defesa.  YAHU ULHÍM enviou-me, disse ele, para profetizar contra o seu Templo e contra esta cidade. Foi ele quem me deu todas estas palavras que disse. Se pararem de pecar e se obedecerem a YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno, cancelará todos os castigos que anunciou contra vocês. Quanto a mim, não tenho quem me defenda, e estou nas vossas mãos – façam de mim o que melhor entenderem. Mas em todo o caso, uma coisa é certa; se me matarem, matarão um inocente, e a responsabilidade desse ato cairá inteiramente sobre os vossos ombros, sobre esta cidade e sobre os seus habitantes; pois que é
absolutamente verdade que foi YAHU ULHÍM quem me enviou para vos falar todas as palavras que ouviram de mim.

16Então os magistrados e o povo dirigiram-se aos intermediários e aos falsos profetas: Este homem não merece a morte, visto que nos falou em Shúam (Nome) de YAHU UL nosso Criador.

17Alguns dos homens mais velhos e sabedores levantaram-se e falaram a todo o povo que ali estava em pé à volta deles:

18-19Esta decisão é correta; porque no passado, MICHA o morastita profetizou nos dias do rei Kozoq-YAHU de YAHUDAH, e falou ao povo que YAHU ULHÍM dissera assim: Esta colina será abatida e lavrada como se fosse um campo aberto, e esta cidade de YAHUSHUA-oléym arrasada e feita num montão de pedregulhos; uma floresta crescerá no lugar mesmo em que agora se levanta o Templo! E o rei Kozoq-YAHU ou o povo porventura o mataram por ele ter dito isso? Não. Mas antes arrependeram-se da sua maldade e adoraram YAHU ULHÍM, pedindo-lhe para ter misericórdia deles. YAHU ULHÍM suspendeu o terrível castigo que tinha pronunciado contra eles. Se matarmos YARMIYAHU por nos ter dado uma mensagem de YAHU ULHÍM, sabe-se lá o que YAHU ULHÍM nos poderia fazer!


20-23Houve um outro homem que profetizava em Shúam (Nome) de YAHU UL, Uri-YAHU (filho de Shuam-YAHU), de Kiryat-Yearim, que também denunciou a cidade e a nação na mesma altura em que YARMIYAHU o estava a fazer. Mas quando o rei YAHU-ahim, os oficiais do exército e os altos funcionários da administração ouviram o que ele dizia, o rei mandou prendê-lo para o matar. Uri-YAHU, ouvindo isso, fugiu para o Egito. O rei YAHU-ahim enviou Ulnaokhán (filho de Acbor) ao Egito, com mais alguns outros homens, para capturarem Uri-YAHU. E trouxeram-no prisioneiro ao rei, o qual o matou à espada e o pôs numa sepultura comum do povo.

24Mas Aicã (filho de Safã), secretário do reino, protegeu YARMIYAHU e persuadiu o
tribunal a não o entregar áquela gente, em tumulto, pronta a matá-lo.

 

YARMIYAHU 27

 

Submissão a Nebuchadnezar

 

1Foi no princípio do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH, que esta mensagem veio a YARMIYAHU da parte de YAHU UL.

2-4Faz um jugo, ata-o ao pescoço com faixas de couro, tal como quando se põe num boi que vai lavrar. Depois manda mensagens aos reis de Edom, de Moabe, de Amom, de Tiro e de Sidom através dos seus embaixadores em YAHUSHUA-oléym, dizendo – Transmitam aos chefes das vossas nações que YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos manda esta mensagem:

5-8Eu criei a terra, toda a humanidade e toda a vida animal pelo meu grande poder; e dou essas minhas coisas a quem eu entendo. Por isso também agora dei todos os
vossos países ao rei Nebuchadnezar de Babilónia, que é neste caso o meu
delegado. Entreguei-lhe todo o vosso gado para seu uso. Todas as nações terão
de o servir, a ele, ao seu filho e ao seu neto, até que se cumpra o tempo marcado, e que seja a vez de outras grandes nações e outros grandes reis conquistarem Babilónia e a submeteram à escravidão. Submetam-se-lhe e ponham o vosso pescoço sob o jugo de Babilónia! Terei de castigar toda a nação que recusar ser sua escrava; enviarei guerra, fome, e pestes sobre esse povo, até que ele o tenha conquistado.

9-11Não deem ouvidos aos vossos falsos profetas, aos vossos ledores de sinas e horoscópios, aos vossos videntes, mediuns e bruxos, que vos dizem que o rei de Babilónia não vos escravizará. São todos mentirosos; e se seguirem o que vos dizem, recusando submeterem-se ao rei de Babilónia, expulsar-vos-ei eu próprio da vossa terra, e mandar-vos-ei para longe, para lá morrerem. Mas às gentes que aceitarem submeter-se ao rei de Babilónia, deixarei que fiquem na sua terra, cultivando as terras como costumam.

12-15YARMIYAHU repetiu estas profecias ao rei Tzaodoq-YAHU de YAHUDAH. Se pretendes viver, submete-te ao rei da Babilónia, disse-lhe. Porque insistes tu em querer morrer – tu e o teu povo? Porque haverias tu de optar pela guerra, pela fome, pelas pestilências, que YAHU ULHÍM promete a todas as nações que não se submetem ao rei de Babilónia? Não prestes atenção aos falsos profetas que continuam a dizer-te que o rei de Babilónia não te vencerá, porque são todos mentirosos. Não fui eu quem os enviou, diz YAHU ULHÍM; eles estão apenas a dizer mentiras em meu Shúam (Nome). Se insistires em tomá-los em consideração, serei eu a lançar-te fora desta terra, para que morras – tu e todos esses teus profetas
igualmente.

16-18Continuei a dirigir-me aos intermediários e a todo o povo, e disse-lhes: Esta é a palavra de YAHU UL: Não ouçam os vossos profetas, que vos dizem que em breve os recipientes de ouro que foram levados do Templo voltarão de Babilônia para o seu lugar original. Isso é uma mentira. Não lhes deem atenção. Submetam-se ao rei de Babilónia para que possam viver, pois doutra forma esta cidade inteira será destruída. Se eles são realmente profetas de YAHU ULHÍM então que orem a YAHU UL Tzavulyáo celestiais para que os recipientes e objetos de ouro deixados ainda aqui no Templo, que não foram levados antes, assim como os do palácio do rei de YAHUDAH e dos outros palácios de YAHUSHUA-oléym, que não sejam transportados convosco para Babilônia!

19-22Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais vos diz: Os pilares de bronze que estão em frente do Templo, e a grande bacia de bronze no pátio do Templo, assim como as bases de metal e os outros objetos de culto deixados aqui por Nebuchadnezar, rei de Babilónia, quando fez transportar uma parte importante do povo de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym para Babilónia, com Yacan-YAHU (filho de YAHU-ahim), rei de YAHUDAH – tudo será levado para Babilónia e lá ficará até que eu tome a iniciativa de fazer voltar isso para cá. Só nessa altura os trarei de novo para YAHUSHUA-oléym.

 

 YARMIYAHU 28

 

O falso profeta Khanam-YAHU

 

1Nun dia ao fim do Verão desse mesmo ano – o quarto do reinado de Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH – Khanam-YAHU (filho de Azur), um falso profeta de Gibeão, dirigiu-se-me publicamente, na frente dos intermediários e do povo, e disse:

2-4O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, declara: Já tirei o jugo do rei de Babilônia dos vossos pescoços. Dentro de dois anos trarei de novo para o Templo os seus tesouros que Nebuchadnezar transportou para Babilónia, e farei voltar o rei Yacan-YAHU (filho de YAHU-ahim), rei de YAHUDAH, assim como todos os outros cativos exilados em Babilónia, diz YAHU ULHÍM. É com toda a certeza que levantarei esse jugo posto sobre os vossos pescoços pelo rei de Babilónia.

5-9Então YARMIYAHU disse a Khanam-YAHU, ali mesmo, diante das mesmas pessoas: Amem! Assim as tuas profecias possam tornar-se realidade! O meu desejo seria na verdade que YAHU ULHÍM trouxesse de Babilónia os tesouros deste Templo, assim como todos os que amamos. Mas agora ouve bem as solenes palavras que tenho a dizer-te também na presença de todas estas pessoas. Os antigos profetas que nos precederam, a ti e a mim, falaram contra muitas nações, avisando sempre que haveria guerra, fome e pestes. Por isso, um profeta que prediz paz tem a grande responsabilidade sobre si, que é a de provar que YAHU ULHÍM realmente o enviou. Só quando essa mensagem acontecer se saberá se realmente ela vem de YAHU ULHÍM.

10Então Khanam-YAHU, o falso profeta, pegou no jugo do pescoço de YARMIYAHU e
quebrou-o.

11Ao mesmo tempo que fazia isto dirigiu-se outra vez à multidão que
assistia:  YAHU ULHÍM prometeu que dentro de dois anos libertará todos os povos agora escravizados por Nebuchadnezar, rei
de Babilónia. YARMIYAHU retirou-se.

12No entanto, pouco tempo depois, YAHU ULHÍM comunicou a YARMIYAHU esta mensagem:Ò

13-14Vai dizer isto a Khanam-YAHU: Assim diz YAHU ULHÍM, o que tu quebraste outro dia foi apenas um jugo de madeira. Mas em seu lugar esta gente terá sobre si um jugo de ferro. O YAHU UL Tzavulyáo do céu, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz – porei um jugo de ferro sobre o pescoço de todas estas nações, o que as obrigará à escravidão a Nebuchadnezar, rei de Babilônia. E nada alterará este decreto; até porque lhe dei igualmente todos os vossos rebanhos e o vosso gado.

15-16Então YARMIYAHU disse a Khanam-YAHU, o falso profeta: Ouve Khanam-YAHU, tu não foste enviado pelo YAHU ULHÍM, e contudo o povo está a acreditar nas tuas mentiras. Por isso YAHU ULHÍM diz que deves morrer. Neste mesmo ano, ainda, a tua vida apagar-se-á, pois que te rebelaste contra YAHU ULHÍM.

17E efe tivamente, dois meses mais tarde, Khanam-YAHU morreu.

 

YARMIYAHU 29

 

Uma carta aos exilados

 

1-2Depois de Yacan-YAHU, da rainha mãe, dos chefes da administração pública, dos líderes tribais e dos artífices terem sido deportados para Babilônia, por Nebuchadnezar, YARMIYAHU escreveu-lhes uma carta de YAHUSHUA-oléym endereçada aos intermediários, aos profetas e a todo o povo.


3Mandou a carta por intermédio de Elasa (filho de Safã) e de Gemaryah (filho de
Hilki-YAHU) quando estes foram a Babilónia como embaixadores do rei Tzaodoq-YAHU junto de Nebuchadnezar. Era este o conteúdo da carta:

4OYAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, envia esta mensagem a
todos os cativos de YAHUSHUA-oléym que foram exilados para Babilónia.


5-7Construam as vossas casas, não tenham receio de fazer projectos a longo
prazo; plantem pomares, pois que hão-de ficar aí por muitos anos. Podem casar,
e ter filhos; procurem maridos e mulheres para estes últimos, e que se rodeiem
de netos. Multipliquem-se, não decaiam! Trabalhem para a paz e a prosperidade
de Babilónia. Orem por ela, porque se Babilónia tiver paz, vocês também.


8-9O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Não
deixem os falsos profetas e os bruxos que estão no vosso meio enganarem-vos.
Não prestem atenção aos sonhos e visões que eles inventam, pois que profetizam
mentiras em meu Shúam (Nome). Eu não os enviei, diz YAHU ULHÍM

10-13A verdade é esta: Vocês estarão em Babilónia durante o tempo normal duma vida, ou seja, setenta anos. Mas depois virei, e vos farei todo o bem que vos prometi, e vos trarei para casa. Porque não me esqueci dos planos que fiz a vosso respeito,
planos de bem e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança. Nesses
dias, quando orarem a mim, eu vos ouvirei. Encontrar-me-ão quando me buscarem
de todo o vosso coração, com toda a diligência.

14Sim, diz YAHU ULHÍM, serei achado por vocês, e porei fim à vossa escravidão; restaurarei a vossa situação; juntar-vos-ei das nações para onde vos enviei, e hei-de trazer-vos de novo para a vossa terra natal.

15-19Mas agora, porque aceitam os falsos profetas no vosso meio, e que dizem que YAHU ULHÍM os enviou, vou mandar-vos guerra, fome e pestilências, sobre o povo que aqui ficou em YAHUSHUA-oléym – sobre os vossos parentes que não foram exilados para Babilônia, e sobre o rei que se senta no trono de Dáoud – farei deles o
que se faz a figos podres, que já não se podem comer. Lançá-los-ei pelo mundo
fora. E em todas as nações onde os pus, hão-de ser amaldiçoados, desprezados,
humilhados, porque recusaram ouvir-me, ainda que lhes tenha falado múltiplas
vezes pela voz dos meus profetas.


20Por isso, ouçam a palavra de YAHU ULHÍM, vocês todos, YAHÚ-dim cativos
aí em Babilónia.

21-22O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz isto acerca dos vossos falsos profetas – de Acabe (filho de Colaias) e Tzaodoq-YAHU (filho de Maose-YAHU), que vos declaram mentiras em meu próprio nome: Vejam, entregá-los-ei a Nebuchadnezar, para que sejam executados publicamente. O seu destino tornar-se-á num provérbio, significativo de todo o mal, de tal maneira que quem quiser amaldiçoar outra pessoa dirá:  YAHU ULHÍM te faça como fez a Tzaodoq-YAHU e a Acabe, a quem o rei de Babilónia queimou vivos!o

23Porque estes homens fizeram uma coisa terrível entre o meu povo. Cometeram adultérios com as mulheres dos seus próximos, e mentiram em meu Shúam (Nome). Sei tudo isso, porque vejo tudo o que acontece, diz YAHU ULHÍM.

 

YARMIYAHU 30

 

A restauração de Yashorúl

 

1Eis outra mensagem de YAHU UL a YARMIYAHU:


2-3 YAHU ULHÍM o Criador Eterno de Yashorúl diz: Escreve, para que fique
registado, tudo o que tenho dito. Porque virá o tempo em que restaurarei a
prosperidade do meu povo, tanto de Yashorúl, como de YAHUDAH, e tornarei a
trazê-los a esta terra que é a sua, que dei aos seus antepassados; possui-la-ão
e tornarão outra vez a viver aqui.

4Escreve também isto, com respeito a Yashorúl e a YAHUDAH:

5-6Onde encontraremos a paz?, clamam eles. Só vemos pavores e tremores. Os homens até comportam-se como se estivessem com medo de ter que dar à luz! Andam por aí, pálidos, mãos na barriga, como mulheres na hora do parto!


7-9Em toda a vossa história, quando foi que houve um tempo semelhante a esse
que está a chegar? É um tempo de angústia para o meu povo – para YAHUCAF – tal
como nunca antes conheceram. Mas YAHU ULHÍM os salvará! Porque nesse dia, diz YAHU UL Tzavulyáo celestiais, quebrarei o jugo que pesa sobre os seus pescoços, e
quebrarei as suas correntes; não terão mais estrangeiros por chefees! Servirão
unicamente YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno, e Dáoud, o seu rei, a quem farei
levantar-se para eles, diz YAHU ULHÍM.

10-11Por isso não estejas receoso, YAHUCAF, meu servo; não desmaies, ó Yashorúl; porque te tornarei a trazer para tua terra, de distantes terras, e aos teus filhos, do exílio. Vocês hão-de ter repouso e tranquilidade na vossa terra natal; ninguém mais os aterrorizará. Pois que serei convosco, e vos salvarei, diz YAHU ULHÍM. Mesmo tendo que exterminar completamente as nações para onde vos espalhei, vocês serão poupados. Castigar-vos-ei, é verdade – não ficarão impunes.

12-14Porque o vosso pecado é uma chaga incurável, uma doença terrível. Não há ninguém para vos socorrer, para vos ligar e tratar, nem remédios que possam fazer-vos bem algum. Todos os vossos amantes vos abandonaram e não têm mais nenhum interesse em vocês; porque vos feri severamente, como se fosse um vosso inimigo implacável; pois que são muitos os vossos pecados e é grande a vossa culpa.

15Porque protestam vocês contra o castigo que têm? O vosso pecado é tão escandaloso que a vossa tristeza e arrependimento não deveriam ter fim! É por ser muito grande a culpa que tive que vos punir dessa forma.

16-17Mas nesse dia que há-de vir, todos os que vos destroem agora serão destruídos, e todos os vossos inimigos se tornarão escravos. Os que vos roubam serão roubados; e os que vos atacam serão atacados. Tornarei a dar-vos a prosperidade e sararei as vossas feridas. Atualmente chamam-vos os proscritos e YAHUSHUA-oléym, o lugar que ninguém procura.

18-22Mas, diz YAHU ULHÍM, quando vos trouxer de novo para a vossa
terra e vos der outra vez prosperidade, YAHUSHUA-oléym será reconstruída sobre
as suas próprias ruínas; o palácio será reconstruído como era dantes. As
cidades estarão cheias de alegria e de manifestações de reconhecimento;
multiplicarei o meu povo e farei deles uma grande e honrosa nação. Os seus
filhos viverão bem, tal como no tempo do reinado de Dáoud; as suas famílias
estarão bem estabelecidas na minha presença e castigarei quem ousar ferir-vos
de qualquer forma. Terão novamente o seu chefe; e não será um estrangeiro.
Convidá-lo-ei para que seja um intermediário, junto dos meus altares, e poderá
aproximar-se de mim; pois quem ousaria vir junto de mim que não tenha sido
convidado? Vocês serão o meu povo e eu serei o vosso Criador Eterno.


23-24Repentinamente, uma tormenta devastadora da parte de YAHU UL rugirá com
fúria, desabando sobre as cabeças dos ímpios. YAHU ULHÍM não fará parar a
violência da sua ira antes que tenha acabado toda a destruição que planeara.
Mais tarde hão-de compreender o que vos estou a dizer.

 

YARMIYAHU 31

 

1-2Nesse tempo, diz YAHU ULHÍM, todas as famílias de Yashorúl me reconhecerão como YAHU ULHÍM, e a atuarão verdadeiramente como meu povo. Cuidarei deles, tal como fiz aos que escaparam do Egito, a quem demonstrei as minhas misericórdias, no deserto, quando Yashorúl buscava descanso.

3Porque há muito já que YAHU ULHÍM disse a Yashorúl: Amei-te,
ó meu povo, com um amor eterno; foi com terna benignidade que te atraí a mim.


4Por isso hei-de reconstruir a tua nação, ó virgem de Yashorúl. Tornarás assim
a ser feliz, a dançar alegremente com as pandeiretas.

5Plantarás novamente as tuas vinhas sobre as colinas de Shuamor-YAHU; e lá comerás os frutos dos teus próprios pomares.

6-9Porque haverá um dia em que os vigias sobre os outeiros de Efroím gritarão assim: Levantem-se, vamos a Tzayán, a YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno. Porque YAHU ULHÍM diz: Cantem de gozo por tudo aquilo que farei a Yashorúl, a maior das nações! Cantem de prazer e de alegria:  YAHU ULHÍM salvou o seu povo, os que restaram de Yashorúl. Porque os hei-de trazer do norte, e dos cantos mais remotos da terra, sem esquecer os cegos, os aleijados, as mães à espera de bebês, ou com
eles nos braços. Será uma grande multidão que se apresentará. Lágrimas de
felicidade correr-lhes-ão pelos rostos, e eu os conduzirei de regresso com tanto cuidado. Andarão junto aos ribeiros de águas; não tropeçarão. Porque eu sou um pai para Yashorúl, e Efroím é o meu filho mais velho.

10-14Ouçam esta mensagem, todas as nações da terra, e levem-na bem longe: YAHU ULHÍM, que foi quem dispersou o seu povo, é ele mesmo agora quem os torna a reunir de volta, velando sobre eles como um apacentador sobre o seu rebanho. Salvará Yashorúl daqueles que o querem esmagar! O povo regressará à sua terra natal e cantará cânticos de alegria sobre as colinas de Tzayán; andará radiante por causa da bondade de YAHU UL – as boas colheitas, o trigo, o vinho e o azeite; os belos rebanhos, o belo gado, tudo o que lhes deu! A sua vida será como um jardim
plantado junto a correntes de água; todas as suas tristezas desaparecerão. As
moças dançarão de alegria, e os homens – velhos e moços – participarão dessas
manifestações de satisfação; mudarei tudo o que for lamentação em expressões de
contentamento; confortá-los-ei, farei que se sintam bem, visto que todo o seu
cativeiro, com tudo o que representou de acabrunhamentos, ficou para trás. Os
intermediários andarão contentíssimos com a abundância das ofertas trazidas
para o Templo. O meu povo se fartará de boas coisas, diz YAHU ULHÍM.

15-17 YAHU ULHÍM falou-me novamente: Ouvem-se em Roéma amargas lamentações; é Roqaúl chorando pelos seus filhos; e está absolutamente inconsolável, porque foram-se, definitivamente. Mas YAHU ULHÍM diz: Não chores mais, pois ouvi as tuas orações e portanto poderás vê-los novamente; eles regressarão vindo das terras distantes do inimigo. Há esperança para o teu futuro, diz YAHU ULHÍM; os teus filhos regressarão à sua terra natal, à sua própria terra.

18-19Ouvi os gemidos de Efroím: Fui pesadamente punido; mas mereci-o bem; fui como um novilho que teve de se habituar ao jugo. Agora faz-me voltar de novo para ti e restaura-me, pois só tu és YAHU ULHÍM, meu YAHU ULHÍM. Afastei-me de YAHU ULHÍM, mas minha tristeza foi grande; depois bati com a mão na cabeça, espantado com a minha própria estupidez. Fiquei profundamente envergonhado com tudo aquilo que fiz antes.

20E YAHU ULHÍM responde: Efroím é ainda meu filho, meu filho querido. É
verdade que tive de o castigar, mas amo-o ainda. Lembro-me muito dele, quero a
sua presença e terei misericórdia dele.

21-22Quando forem para o exílio, vão pondo marcas no caminho; mas marcas bem visíveis, que é para poderem bem reconhecer a via quando regressarem; porque tu hás-de regressar, ó virgem de Yashorúl, às tuas cidades aqui. Até quando andarás vagabunda, ó filha rebelde? Porque YAHU ULHÍM fará acontecer algo de diferente, como uma mulher a cortejar um homem!


23-25O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Quando os
trouxer de volta, dirão em YAHUDAH e nas suas cidades:  YAHU ULHÍM te abençoe, ó centro de justiça, ó santa colina! E, tanto os habitantes da cidade, como os que vivem no campo, e os anciãos viverão juntos em paz e felizes. Porque eu dei descanso a todos os cansados e alegria aos contristados. 26(YARMIYAHU, como que despertou, e disse: Que belo sonho que eu tive!)

27-30Diz YAHU ULHÍM: Virá o tempo em que aumentarei grandemente a população e multiplicarei o número de gado aqui em Yashorúl. No passado, destruí meticulosamente toda a nação; mas agora, com igual cuidado a reconstruirei. O povo não espalhará mais esse provérbio que diz: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram. Porque cada um morrerá pelos pecados que comete – a pessoa que comer as uvas verdes, essa é que ficará com os dentes embotados.

31-34Virá o dia, diz YAHU ULHÍM, em que farei uma nova aliança com o povo de Yashorúl e de YAHUDAH. Mas não será como a que estabeleci com seus pais, quando os tirei do Egito – um contrato que eles mesmo anularam, forçando-me a rejeitá-los, diz YAHU ULHÍM. Será assim a Novo Testamento que farei com eles: porei as minhas leis nos seus corações mesmo, de forma que hão-de querer honrar-me; e nessa altura então se tornarão efetivamente meu povo, e eu serei o seu YAHU ULHÍM. Então não será mais necessário insistir com alguém para conhecer YAHU ULHÍM. Porque toda a gente, tanto os grandes como os pequenos, me conhecerão realmente, diz YAHU ULHÍM; perdoarei e esquecer-me-ei dos seus pecados.

35-37 YAHU ULHÍM, que nos dá a luz do sol durante o dia, e da lua e das ‘cocavím’ (est-elas) para alumiar a noite, que provoca ele próprio a agitação do mar de maneira a formarem-se as vagas alterosas – o seu (Nome) Shúam é YAHU UL Tzavulyáo celestiais – diz assim: Se estas leis da natureza puderem alterar-se, então poderei eu também rejeitar o meu povo Yashorúl! Enquanto não se puderem medir nem a altura do firmamento, nem a profundidade da terra, eu não o rejeitarei para sempre, pelos seus pecados!

38-40Porque chegou o tempo, diz YAHU ULHÍM, em que toda a YAHUSHUA-oléym
será reconstruída para YAHU ULHÍM, desde a torre de Hananel na extremidade
nordeste, até à porta do Canto a noroeste; e desde o outeiro de Garebe no
sudoeste, até Goa no sudeste. E toda a cidade, incluindo o campo dos mortos e o
terreno das cinzas, no vale, será santo para YAHU ULHÍM; e assim o serão também
todos os campos até ao ribeiro de Kidron, até à porta dos Cavalos a oriente da cidade. Nunca mais ela será capturada nem destruída.

 

YARMIYAHU 32

 

YARMIYAHU compra um terreno

 

1A seguinte mensagem foi dada a YARMIYAHU da parte de YAHU UL no décimo ano do reinado de Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH, que era também o décimo oitavo ano do reinado de Nebuchadnezar.

2-4Nessa ocasião YARMIYAHU estava encarcerado no calabouço da cave do palácio; e durante esse tempo o exército de Babilónia cercava YAHUSHUA-oléym. O rei Tzaodoq-YAHU tinha-o posto lá por ter continuado a profetizar que a cidade haveria de ser conquistada pelo rei de Babilônia, e que o rei Tzaodoq-YAHU seria preso e levado, como prisioneiro, até à presença do rei de Babilînia, para ser julgado e sentenciado.

5Ele te levará para Babilônia, e te meterá lá na prisão, por muitos anos, até que morras. Porquê combater fatos? Não poderás vencer! É melhor renderes-te já! Estas foram as palavras que YARMIYAHU lhe disse repetidamente.

6Então veio esta mensagem de YAHU UL a YARMIYAHU:

7Teu primo Khanamiul, filho de Salum, virá em breve ter contigo para te pedir que lhe compres a propriedade que tem em Anatote, porque, pela lei, tens direito a
adquiri-la antes que outros se proponham transacioná-la.

8E com efeito Khanamiul apareceu, como YAHU ULHÍM tinha predito, e veio ver-me à prisão. Queres comprar a minha propriedade de Anatote, na terra de Benyamín,
perguntou-me; porque a lei dá-te a ti o direito de a adquirires. Foi assim que
me dei conta de que efectivamente a mensagem que tinha recebido vinha de YAHU


UL. 9-10E comprei-lhe o terreno, pagando-lhe duzentos gramas de prata. Assinei
e selei o contrato de compra perante testemunhas, tendo pesado a prata, que lhe
entreguei logo.

11-13 Seguidamente, tomei o contrato de compra, já selado, e contendo os termos e as condições da transação, mais a sua cópia, sem selo, e publicamente, na presença de todos, do meu primo Khanamiul e das testemunhas que tinham também assinado o contrato, e igualmente perante os guardas da prisão, entreguei esses documentos a Baruque (filho de NeriYa e neto de Maose-YAHU). Após isso, sendo que todos me escutavam, disse estas palavras:

14-15O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Pega nesse contrato selado mais a sua cópia, e põe-os num jarro, para que se conservem intactos durante muito tempo. Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: No futuro, estes documentos serão de muita validade. Virão dias em que o povo tornará a adquirir propriedades nesta terra, em que comprará e venderá casas, vinhas e campos.

16Então depois de ter dado os documentos a Baruque, orei
assim:

17-20Ó YAHU ULHÍM o Criador Eterno! Tu, que fizeste os shua-ólmaYa e a
terra pelo teu grande poder; nada é demasiado difícil para ti! Tu és bom e
misericordioso para milhares de gentes, ainda que os filhos sofram pelos pecados
dos pais; és o grande e poderos YAHU ULHÍM, YAHU UL Tzavulyáo celestiais. Em ti
está toda a sabedoria, e fazes milagres espantosos, de grande alcance; pois os
teus olhos estão abertos sobre todos os caminhos, todas as condutas dos filhos
dos homens, e dás a cada um de acordo com a vida que tem e os actos que
pratica. Fizeste coisas incríveis no Egito – coisas que continuam sempre a ser
lembradas e celebradas. Aliás continuas fazendo grandes milagres em Yashorúl e
em todo o mundo. Fizeste o teu Shúam (Nome) cheio de fama e de prestígio, como
hoje se vê.

21-23Trouxeste Yashorúl para fora do Egito por meio de atos extraordinários, sobrenaturais, com demonstrações de grande poder e espanto. Deste depois a Yashorúl esta terra que tinhas prometido aos seus antepassados havia muito tempo antes – uma terra maravilhosa, que mana leite e mel. Nossos avós vieram, conquistaram-na e viveram aqui; contudo, recusaram obedecer-te e seguir as tuas leis; nada fizeram daquilo que lhes tinha ordenado. Foi por isso que lhes enviaste todo este terrível mal.

24Vejam só estes baluartes com que o inimigo sitia a cidade, e que se aproxima ofensivamente das muralhas; os babilônios acabarão por conquistar a cidade pela espada, pela fome e pela peste. Desta forma tudo aconteceu como tinhas dito, e como estava determinado
que fosse!

25Pois mesmo assim, apesar disso tudo, tu disseste-me que comprasse
o campo – que pagasse o dinheiro pedido por ele, perante testemunhas, num acto
legal – embora a cidade esteja já praticamente dada nas mãos dos nossos
inimigos.

26Então veio esta mensagem a YARMIYAHU:

27-31Eu sou YAHU ULHÍM, o Criador Eterno de toda a humanidade. Haverá por acaso alguma coisa demasiado difícil de realizar, para mim? Sim, com certeza que darei esta cidade aos babilônios, a Nebuchadnezar, o rei deles; ele há-de conquistá-la. Os soldados que lá estão de fora entrarão, porão fogo à cidade e queimarão todas esta habitações, cujos telhados serviram para oferecer incenso a Baal, e para
derramar libações a outros falsos criadores o estatuas, provocando assim a
minha ira! Porque Yashorúl e YAHUDAH só souberam praticar o mal, desde os
primeiros tempos; enfureceram-me com todos os seus actos pecaminosos. Desde o
tempo em que esta cidade foi construída até agora, não têm feito senão suscitar-me
a cólera; por isso estou decidido a lançá-los fora da minha presença.

32-35Os pecados de Yashorúl e de YAHUDAH – os pecados do povo, dos reis, dos
responsáveis pela administração pública, dos intermediários e dos profetas –
exasperam-me. Voltaram-me as costas, e recusam converter-se; dia após dia, ano
após ano, lhes ensinei a distinguir o bem do mal, mas não querem ouvir-me e
obedecer. Conspurcaram o meu próprio Templo, fazendo adorações, aqui mesmo, aos seus abomináveis ídolos. Construíram enormes altares a Baal no vale de Hinom.
Lá queimaram os filhos em sacrifício ao idolo Moloque – coisa que lhes
recomendei que nunca fizessem, e nada nas minhas leis poderia ter-lhes sugerido
tal coisa. Que tremenda e incrível maldade, ter feito YAHUDAH pecar dessa
maneira!

36-39Por isso agora YAHU ULHÍM o Criador Eterno de Yashorúl diz respeitante a esta cidade, que cairá nas mãos do rei de Babilônia através da guerra, da fome e da pestilência, mas que tornará a trazer o povo de volta, de todos os países para onde a sua cólera os dispersou. Tornarei a trazê-los para esta mesma cidade, e farei com que vivam em paz e em segurança. Serão o meu povo e serei o seu YAHU ULHÍM. Dar-lhes-ei um só coração e uma só mente para que me adorem para sempre, para seu próprio bem e para a felicidade dos seus descendentes.

40-42Farei com eles uma aliança eterna, em como nunca mais os abandonarei, e só lhes farei bem. Porei um só desejo no seu coração: o de me adorar; e nunca mais me deixarão. Terei alegria em lhes fazer bem; tornarei a plantá-los nesta terra, com grande alegria. Assim como lhes enviei todos estes terrores e males, assim também depois lhes farei todo o bem que prometi.


43-44As terras tornarão a ser compradas e vendidas, terras essas agora
desvastadas pelos babilónios, e donde os homens e animais desapareceram. Sim,
os campos serão novamente transaccionados – e os contrATOS respectivos selados
perante testemunhas – tanto na terra de Benyamín como aqui na zona de YAHUSHUA-oléym, nas cidades de YAHUDAH, como na reigão das colinas; na planície da Filisteia, como no Négev. Há-de vir o tempo em que restaurarei a sua prosperidade.

 

YARMIYAHU 33

 

A promessa de restauração

 

1Durante a estadia de YARMIYAHU na prisão, YAHU ULHÍM enviou-lhe uma segunda mensagem:

.

2 YAHU ULHÍM, o criador dos shua-ólmaYa e da terra – cujo nome é YAHU ULHÍM – diz assim:

3-5Pede-me e dir-te-ei alguns segredos notáveis que ignoras. Pois que, mesmo tendo derrubado casas, e até o palácio do rei, para obter material a fim de fortalecer as muralhas contra os instrumentos de ataque com que o inimigo sitia a cidade, mesmo assim os babilônios entrarão; e os homens desta cidade poderão considerar-se como mortos, pois já determinei que sejam destruídos, na minha tremenda cólera. Abandonei-os por causa da sua terrível maldade, e não terei compaixão deles quando implorarem o meu socorro.

6-9Contudo, virá um tempo em que curarei YAHUSHUA-oléym dos males que lhe provoquei, e em que lhe tornarei a dar prosperidade e paz. Reconstruirei tanto as cidades de YAHUDAH como de Yashorúl, e lhes darei novamente uma vida venturosa. Limpá-los-ei de todos os pecados que praticaram contra mim; perdoar-lhe-ei. E então esta cidade será uma honra para mim; dar-me-á alegria e ser-me-á uma fonte de alegria e de louvor, aos olhos de todas as nações da terra! Todo o mundo verá o bem que faço ao meu povo e tremerá de
espanto!

10-14 YAHU ULHÍM garante que as vozes felizes dos noivos e dos recém-casados, e os alegres cânticos dos que trazem as suas ofertas a YAHU ULHÍM tornarão a ouvir-se nesta terra agora condenada. O povo cantará:Louvem a YAHU ULHÍM todo-poderoso, porque ele é bom. A sua misericórdia dura para sempre!Pois farei esta terra mais feliz e mais próspera do que foi no passado. Esta terra – ainda que atualmente os homens, os animais e a própria cidade estejam condenados – verá outra vez os anciãos conduzindo ovelhas e cordeiros. Outra vez os seus rebanhos aumentarão, se tornarão mais ricos, nas localidades das montanhas, nas cidades a oriente da planície da Filisteia, nas cidades do Négev, na terra de Benyamín, nos
arredores de YAHUSHUA-oléym e em todas as cidades de YAHUDAH. É verdade! Virá o tempo em que farei a Yashorúl e a YAHUDAH todo o bem que lhes prometi.


15-18Nessa altura porei sobre o trono o verdadeiro filho de Dáoud, o qual
governará com justiça. Nesse dia o povo de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym viverá
em segurança e o seu lema habitual será  YAHU ULHÍM é a nossa justiça! YAHU ULHÍM declara que a partir de então, Dáoud terá sempre um herdeiro sentado no trono de Yashorúl. E haverá sempre Levítas para oferecer holocaustos e ofertas de manjares e sacrifícios a YAHU ULHÍM.

19E veio mais outra mensagem de YAHU UL a YARMIYAHU: 20-22Se puderem alterar as leis de alternância do dia e da noite, fazendo que o dia e a noite não aconteçam como normalmente, então também a minha aliança com Dáoud, o meu servo, poderá vir a ser quebrada, de tal forma que não tenha um filho para se sentar no seu trono; e também a aliança que fiz com os meus intermediários, os meus serventes espirituais, não será cancelada. Assim como as ‘cocavím’ (est-elas) do
firmamento não podem ser contadas, nem os grãos da areia do mar, assim também
serão multiplicados os descendentes do meu servo Dáoud, e igualmente a linhagem
dos Levítas, que administram o meu culto.

23 YAHU ULHÍM falou a YARMIYAHU novamente, dizendo-lhe:s

24-26Ouviste o que o meu povo está a dizer – que YAHU ULHÍM escolheu YAHUDAH e Yashorúl para agora os abandonar! Andam escarnecendo com essas coisas, e afirmam que Yashorúl não merecia ser considerada como uma nação. Mas eis a resposta de YAHU UL: Não mais hei-de rejeitar o meu povo, assim como também as leis de alternância do dia e da noite não poderão ser mudadas, nem as leis que regulam o firmamento e a terra. Nunca mais abandonarei
os YAHÚ-dim, nem Dáoud, o meu servo, nem modificarei o plano do seu filho vir
um dia a governar estes descendentes de Abruhám, de YAHUtz-kaq e de YAHUCAF.
Hei-de certamente refazer a prosperidade deles e terei misericórdia desse povo.

 

YARMIYAHU 34

 

Aviso a Tzaodoq-YAHU

 

1A mensagem a seguir foi comunicada a YARMIYAHU, da parte de YAHU UL, quando Nebuchadnezar, rei de Babilónia, com todos os seus exércitos, formados por gente de todos os povos que ele dominava, vieram combater YAHUSHUA-oléym e as cidades de YAHUDAH.

2-5Vai dizer a Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH, que YAHU ULHÍM lhe comunica o seguinte: Darei esta cidade ao rei de Babilónia e este a queimará. E tu não escaparás; serás capturado, trazido à presença dele, que pronunciará a sua sentença contra ti – a tua deportação para Babilónia. Mas ouve bem isto, ó Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH: YAHU ULHÍM te diz que não serás morto na batalha, durante a refrega; morrerás antes sossegadamente, no meio do teu povo, que queimará incenso em memória de ti, tal como fizeram para os teus antepassados. Chorar-te-ão e dirão: Aí de nós, que nos morreu o rei! Foi isto mesmo que eu decretei, diz YAHU ULHÍM.

6-7YARMIYAHU entregou pois esta mensagem ao rei Tzaodoq-YAHU. E nessa altura estava justamente o exército babilônico a sitiar YAHUSHUA-oléym, Laquis e Azeca, as únicas povoações muradas de YAHUDAH que ainda resistiam.

 

Liberdade para escravos

 

8-9Depois de Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH, ter libertado todos os escravos em YAHUSHUA-oléym, veio esta mensagem da parte de YAHU UL. (Com efeito, Tzaodoq-YAHU tinha dado ordens para que todos os que tivessem escravos HEBREUS, tanto homens como mulheres, os libertassem; e fez isso alegando que nenhum YAHÚ-di deveria ser chefe doutro YAHÚ-di, porque todos eram irmãos.

10-11Os grandes chefees, assim como todos os povos, obedeceram à ordem do rei e deram liberdade aos escravos que tinham; mas tratou-se de uma iniciativa temporária. Porque ao fim de algum tempo tomaram coragem e recuperaram novamente os seus escravos

12Foi por essa razão que YAHU ULHÍM enviou esta mensagem a YAHUSHUA-oléym.

13 YAHU ULHÍM, o Criador Eterno de Yashorúl, diz: Fiz uma aliança com os vossos antepassados há muito tempo, quando os resgatei da escravidão do Egito

14Disse-lhes então que todo o escravo hebreu deveria ser libertado ao fim de seis anos. Mas isso não foi feito.


15Recentemente, vocês decidiram actuar com justiça, segundo o meu mandamento, e deram liberdade aos vossos escravos. Fizeram mesmo, solenemente, no meu Templo, a promessa de pôr isso em execução.

16Mas acontece que agora voltaram com a palavra atrás e sujaram o meu Shúam (Nome), tornando-se perjuros, e recuperando os escravos que tinham.

17Por isso YAHU ULHÍM vos diz: Sendo que não querem ouvir-me e libertá-los, entregar-vos-ei ao poder da morte, pela guerra, pela fome e pela peste. Espalhar-vos-ei por todo o mundo como exilados.

18-19Visto que recusaram os termos do nosso contrato, separar-vos-ei de mim, tal como vocês separam as duas partes em que dividem o bezerro, ao passar por elas, para formalizar solenemente os vossos votos. Sim, degolar-vos-ei, sejam vocês quem forem, grandes chefes, altos magistrados, intermediários ou simples povo –
pois que quebraram o vosso juramento.-

20Entregar-vos-ei aos vossos inimigos, que vos liquidarão. Darei os vossos cadáveres às aves de rapina e aos animais selvagens.

21Farei com que Tzaodoq-YAHU, o rei de YAHUDAH, assim como os seus
chefes militares se rendam ao exército do rei de Babilónia, ainda que este se
tenha desviado da cidade por um certo tempo.

22Chamarei novamente as tropas de babilônia, que tornarão a sitiá-la, a combatê-la, e a tomarão, queimando-a. Velarei para que todas as outras povoações de YAHUDAH sejam completamente destruídas, deixadas na mais completa desolação, sem viva alma!

 

YARMIYAHU 35

 

Os recabitas

 

1Esta é a mensagem que YAHU ULHÍM comunicou a YARMIYAHU quando YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU) era rei de YAHUDAH:

2Vai à zona em que se fixaram as famílias dos recabitas e convida-os a virem ao
Templo. Põe-os numa das divisões interiores e oferece-lhes vinho a beber.


3-4Então fui ter com Yazányah (filho de YARMIYAHU e neto de Habazinyah) e
trouxe-o mais todos os seus irmãos e filhos – representando todas as famílias
dos recabitas – até ao Templo, à sala usada pelos filhos de Hanã, o profeta,
filho de Yigdalias. Esta sala era ao lado da que utilizava o representante
oficial do palácio, logo acima da de Maose-YAHU (filho de Salum), que era o
porteiro do Templo.

5Pus então taças e copos com vinho diante deles, e convidei-os a beberem;

6mas eles recusaram.Não, disseram. Nós não bebemos, porque YAHU-naodáb nosso pai (filho de Recabe) ordenou-nos que nunca bebêssemos vinho, nem nós, nem os nossos filhos

7Também nos disse para não construirmos casas, nem semearmos campos ou plantarmos vinhas, e que não possuíssemos terras, mas que vivêssemos sempre em tendas; e disse mais, que se obedecêssemos, viveríamos muito tempo, seríamos felizes na nossa terra.-

8Temos pois obedecido em todas estas coisas. Nunca jamais bebemos vinho, a partir de então, nem nós nem as nossas mulheres, filhos e filhas.

9Também nunca construímos casas, nem possuímos propriedades, nem semeámos campos.

10Temos sempre vivido em tendas, obedecendo literalmente a tudo o que YAHU-naodáb, o nosso pai, nos ordenou.

11Mas quando Nebuchadnezar, rei de Babilónia, invadiu a
terra, tivemos medo e decidimos vir para YAHUSHUA-oléym. É por isso que aqui
estamos.

12Então YAHU ULHÍM deu a YARMIYAHU esta mensagem:

13-14O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Vai dizer a YAHUSHUA-oléym e a YAHUDAH: Porque não aprendem a lição das famílias de Recabe? Eles não bebem porque foi essa a ordem de seu pai. Mas vocês, quantas e quantas vezes vos tenho lembrado os meus mandamentos e vocês não querem ouvi-los nem obedecer.


15Mandei-vos profetas após profetas, para vos dizerem que se desviem dos vossos
caminhos perversos, que parem de adorar ídolos, e que, se me obedecerem, vos
deixarei viver em paz aqui nesta terra que dei aos vossos antepassados. Mas
continuam sempre sem querer ouvir-me e obedecer.

16As famílias dos recabitas obedeceram integralmente o seu antecessor; mas vocês recusaram ouvir-me

17Por isso YAHU UL Tzavulyáo, o Criador Eterno celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos diz: Visto que recusam ouvir-me e responder quando chamo a vossa atenção, enviarei sobre YAHUSHUA-oléym todo o mal com que a tenho ameaçado desde sempre.


18-19Então YARMIYAHU foi ter com os recabitas e disse-lhes: O YAHU UL Tzavulyáo
do céu, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos diz que, pelo fato de terem obedecido ao
vosso pai em todos os aspectos, nunca faltará um descendente a YAHU-naodáb,
filho de Recabe, que me sirva.

 

YARMIYAHU 36

 

YAHU-ahim queima o rolo de YARMIYAHU

 

1No quarto ano do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH, YAHU ULHÍM transmitiu esta mensagem a YARMIYAHU:


2-3Arranja um rolo para escrever, e regista lá todas as mensagens que tenho
dado contra Yashorúl, YAHUDAH e as outras nações. Começa com a primeira
mensagem, ainda nos tempos de Yasa-YAHU; escreve todas elas. Talvez que quando
o povo de YAHUDAH ver escritas todas as coisas terríveis que lhes farei, se
arrependam. E nessa altura, perdoar-lhes-ei.

4Por isso YARMIYAHU mandou buscar Baruque (filho de NeriYa), e fê-lo escrever todas as profecias.

5-7Depois de acabar, YARMIYAHU disse a Baruque: Visto que estou aqui como prisioneiro, lê tu este rolo no Templo, no próximo dia de jejum, porque nesse dia haverá uma grande assembleia com o povo que há-de vir de toda a parte de YAHUDAH. Talvez eles renunciem aos seus maus caminhos e peçam a YAHU ULHÍM que lhes perdoe, antes que seja demasiado tarde, e que estas maldições proferidas pelo próprio YAHU ULHÍM caiam sobre eles.

8-10Baruque fez como YARMIYAHU lhe tinha dito e leu todas aquelas mensagens ao povo, no Templo. Isso ocorreu no dia de jejum, que teve lugar no mês de Dezembro do quinto ano do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU,) dia em que veio povo de toda a parte de YAHUDAH assistir no Templo às celebrações especiais desse dia. Baruque foi igualmente à sala de trabalho de Gemaryah o secretário (filho de Safã) para lhe ler o rolo. (Essa sala era mesmo ao lado da entrada que dava para o salão superior de assembleias do Templo, junto à porta nova.)

11-15Quando MICHA-YAHU (filho de Gemaryah e neto de Safã) ouviu aquelas mensagens de YAHU ULHÍM, desceu até ao palácio, à câmara de conferências, onde estavam reunidos os chefes da administração pública – entre outros, Ulishama o secretário, Dela-YAHU (filho de Shuam-YAHU), Ulnaokhán (filho de Acbor), Gemaryah (filho de Safã), Tzaodoq-YAHU (filho de Khanam-YAHU), assim como todos os outros que tinham responsabilidades similares. Quando MICHA-YAHUos pôs ao corrente das mensagens que Baruque tinha lido ao público, aqueles administradores enviaram Yeudi (filho de Naokhányah, filho de Shulam-YAHU e
filho de Cusi), que pedisse a Baruque para vir ler-lhes essas mensagens,
também; e Baruque aceitou.

16-17Quando terminou a leitura, os outros estavam extremamente aterrorizados. Temos de dizer ao rei, disseram eles. Mas primeiro diz-nos como foi que obtiveste estas mensagens. Foi mesmo YARMIYAHU quem tas ditou a ti próprio?

18E então Baruque explicou-lhes que foi YARMIYAHU quem lhe
ditou tudo, palavra por palavra, e ele, Baruque, escreveu com tinta no rolo.


19-20Vocês, tu e YARMIYAHU, têm de se esconder os dois, disseram os
administradores a Baruque. E não digam a ninguém onde estão! Aqueles
magistrados esconderam o rolo nos aposentos de Ulishama, o secretário, e foram
contar tudo ao rei.

21-25Este mandou Yeudi ir buscar o rolo. Yeudi trouxe-o das dependências de Ulishama e leu-o ao rei, na presença de todos os altos magistrados. Encontravam-se na parte do palácio que o rei usava durante o Inverno. Havia um grande braseiro, diante do qual o rei estava sentado, porque era em Dezembro e fazia frio. Então, depois de Yeudi ter lido umas três ou quatro faixas de escrita, o rei pegou numa faca e começou a rasgar o rolo; depois lançou-o ao fogo, até que acabou por ficar todo queimado. E ninguém abriu a boca em protesto, com excepção de Ulnaokhán, de Dela-YAHU e de Gemaryah. Estes ainda pediram ao rei para não o queimar, mas ele não quis ouvi-los. Ninguém mais da corte do rei mostrou sinais de temor ou revolta pelo que tinha sido feito.

26Depois o rei mandou Yaromiul (membro da família real), Shear-YAHU (filho de Ozriul), e Shulam-YAHU (filho de Awodiul) prenderem Baruque e YARMIYAHU. Mas YAHU ULHÍM escondeu-os.

27Depois do rei ter queimado o rolo, YAHU ULHÍM disse a YARMIYAHU:

28-31Arranja outro rolo; escreve nele tudo de novo, como no primeiro, e diz assim ao rei: Diz YAHU ULHÍM – Fizeste arder o rolo, porque dizia lá que o rei de Babilónia havia de destruir esta nação, com tudo o que nele há. Pois agora, YAHU ULHÍM acrescenta ainda isto, a respeito de ti, YAHU-ahim, rei de YAHUDAH: Não terás quem te suceda no trono de Dáoud. O teu cadáver será exposto à torreira do sol, às geadas das noites; castigar-te-ei, assim como à tua família e os teus administradores, por causa dos teus pecados. Derramarei sobre vocês todo o mal que prometi – sobre vocês e sobre todo o povo de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym, pois que não querem prestar atenção aos meus avisos.

32Então YARMIYAHU arranjou outro rolo, e tornou a ditar a Baruque tudo
o que tinha sido escrito antes. Só que desta vez YAHU ULHÍM fê-lo acrescentar
uma quantidade de coisas!

 

YARMIYAHU 37

 

YARMIYAHU é preso

 

1-2Nebuchadnezar rei de Babilónia não designou Cohan-YAHU, o filho do rei YAHU-ahim, para ser o novo rei de YAHUDAH. Em vez dele, escolheu Tzaodoq-YAHU (filho de Yasa-YAHU). Mas nem o rei Tzaodoq-YAHU, nem os da sua corte, nem o povo quiseram prestar ouvidos ao que YAHU ULHÍM tinha dito por intermédio de YARMIYAHU.

3Contudo, o rei Tzaodoq-YAHU mandou Yeucal (filho de Shulam-YAHU), mais ZAFNAYAHU (filho de Maose-YAHU), o intermediário, ter com YARMIYAHU a pedir-lhe que fizesse oração a favor deles.


4YARMIYAHU ainda não tinha sido preso; portanto podia deslocar-se em liberdade.


5Quando o exército de Faraóh Hofra do Egito apareceu na fronteira do sul de YAHUDAH, para prestar auxílio à cidade de YAHUSHUA-oléym que estava a ser sitiada, o exército babilônico desviou-se de YAHUSHUA-oléym, para ir combater os egípcios.

6E foi nessa altura que YAHU ULHÍM deu esta mensagem a YARMIYAHU:

7-10 YAHU ULHÍM, o Criador Eterno de Yashorúl, diz: Comunica ao rei de YAHUDAH, que te mandou perguntar o que iria acontecer, que o exército de Faraóh, ainda que tenha vindo para te ajudar, em breve regressará apressadamente para o Egito! Os babilônios os derrotarão e os mandarão a correr para casa. Hão-de capturar a cidade e deixá-la toda queimada, até aos seus fundamentos. Não se iludam pensando que eles se estão a retirar definitivamente. Nada disso! Ainda mesmo que acontecesse vocês derrotarem o exército de Babilônia completamente, deixando apenas alguns sobreviventes feridos, nas suas tendas, estes viriam, mesmo cambaleando e vos venceriam, pondo a cidade toda a arder!

11-13Quando o exército babilônico se afastou, então, de YAHUSHUA-oléym, para travar batalha contra o de Faraóh, YARMIYAHU preparou-se para deixar a cidade e ir para a terra de Benyamín, ver a propriedade que tinha adquirido. Mas, quando ia a passar a porta de Benyamín, uma sentinela deteve-o como traidor, alegando que
ia juntar-se aos inimigos, as tropas de Babilónia. O guarda que o prendeu
chamava-se Yerias (filho de Shulam-YAHU e neto de Khanam-YAHU).

14-17Isso não é verdade, afirmou YARMIYAHU. Não tenho a mínima intenção de fazer coisa semelhante!Mas Yerias não quis saber do que ele dizia, e levou YARMIYAHU à presença das autoridades da cidade. Estas estavam furiosas contra o profeta, mandaram-no açoitar e puseram-no no calabouço, nas caves da casa de Yanaokhán o secretário, que tinham sido transformadas em prisão. YARMIYAHU esteve ali vários dias. Mas aconteceu que o rei Tzaodoq-YAHU o mandou chamar ao palácio, secretamente; e perguntou-lhe se tinha havido recentemente alguma mensagem de YAHU UL. Sim, respondeu YARMIYAHU; há, sim. Serás derrotado pelo rei de Babilônia!


18-20Então YARMIYAHU abordou a questão da sua detenção. Que foi que eu fiz, que
justifique uma medida destas?, perguntou ele ao rei. Que crime foi que eu
cometi? Diz só o que fiz eu contra ti, ou contra os governantes ou contra o
povo? Onde estão esses profetas que diziam por aí que o rei de Babilónia nunca
haveria de vir cá? Ouve, ó rei, meu chefe: Peço-te que não permitas que eu torne
para o calabouço, porque morreria ali.

21Então o rei Tzaodoq-YAHU deu ordens para que YARMIYAHU não voltasse para o calabouço, e pô-lo antes numa cela da prisão do palácio, e que lhe fosse dado, cada dia, um pequeno pão fresco, na medida em que continuasse a haver pão na cidade. Assim YARMIYAHU ficou preso ali no palácio.

 

YARMIYAHU 38

 

YARMIYAHU é posto numa cisterna 

1-3Mas quando Shuafat-YAHU (filho de MANYAHU) e Gaoldul-YAHU (filho de Pasur) mais Yeucal (filho de SemalYa) e Pasur (filho de Molkhi-YAHU) ouviram o que YARMIYAHU estava a dizer ao povo – que todos os que ficassem em YAHUSHUA-oléym haveriam de morrer pela espada, pela fome e pela doença, que todos os que se rendessem aos babilónios viveriam, e que a cidade de YAHUSHUA-oléym seria infalivelmente capturada pelo rei de Babilônia –

4foram ter com o rei e disseram-lhe:  YAHU ULHÍM, esse indivíduo tem de morrer. Essa espécie de discursos religiosos minam o moral dos poucos soldados que nos restam e também de todo o povo. Esse homem é um traidor.

5O rei Tzaodoq-YAHU concordou com eles: Está certo. Façam como entenderem. Não posso impedir a vossa ação.

6Foram então buscar YARMIYAHU à sua cela e desceram-no, por meio de cordas, para uma cisterna vazia no pátio da prisão, poço esse que pertencia a Molkhi-YAHU, membro da família real. Não havia lá água; mas o fundo estava com uma espessa camada de lama, e YARMIYAHU ali ficou, atolado nela.

7-8Quando Ebede-Meleque o etíope, uma personalidade importante do palácio, soube que YARMIYAHU estava no fundo da cisterna, foi a
correr até à porta de Benyamín, onde o rei estava reunido com a sua corte:

9Ó rei, meu chefe, essa gente fez uma coisa tremenda ao pôr YARMIYAHU no fundo do poço; vai acabar por morrer de fome, quando já não houver pão na cidade!


10Então o rei ordenou-lhe que levasse consigo trinta homens e tirassem dali YARMIYAHU, antes que viesse a morrer.

11-13Ebede-Meleque assim fez; arranjou trinta homens, foi ao depósito de material em desuso do palácio, por debaixo da tesouraria, e levou de lá uma quantidade de roupa velha e de trapos inúteis, dirigiram-se ao poço e desceram aquilo a YARMIYAHU, por meio duma corda. Ebede-Meleque chamou por YARMIYAHU, lá para o fundo da cisterna e disse-lhe: Põe esses trapos debaixo dos braços, para te protegerem das cordas. Depois, quando YARMIYAHU ficou preparado, puxaram-no para cima, tiraram-no dali e mandaram-no novamente para a prisão do palácio, onde continuou a permanecer.

 

Tzaodoq-YAHU interroga YARMIYAHU de novo

 

14Um dia o rei Tzaodoq-YAHU mandou buscar YARMIYAHU para se encontrar com ele, numa entrada lateral do Templo.Queria pedir-te uma coisa, disse o rei. Não tentes esconder-me a verdade.

.

15YARMIYAHU respondeu-lhe: Se te disser a verdade, não me matarás? Dar-me-ás atenção, seja o que for que eu te disser?

16O rei Tzaodoq-YAHU jurou então perante o poderos YAHU ULHÍM, seu criador, que não mataria YARMIYAHU nem o entregaria aos homens que andavam procurando tirar-lhe a vida.

17-18E YARMIYAHU disse a Tzaodoq-YAHU:  YAHU ULHÍM Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Se te renderes a Babilónia, tanto tu como a tua família serão conservados com vida e a cidade não será queimada. Mas se pelo contrário recusares render-te, esta cidade será incendiada pelo exército babilónico e tu não escaparás.

19Mas eu tenho receio de me render. disse o rei, e que os babilônios me entreguem aos YAHÚ-dim que fugiram para eles, e quem sabe lá o que me poderão fazer?

20-23YARMIYAHU replicou-lhe: Não cairás nas mãos deles; a questão está em que obedeças a YAHU ULHÍM; neste caso, a tua vida será poupada e tudo te correrá bem. No entanto, se recusares render-te, YAHU ULHÍM já te disse que até as mulheres no teu palácio serão todas entregues aos oficiais do exército babilônico; essas mulheres escarnecerão de ti amargamente dizendo: Tomas por amigos esses egípcios, que te traíram e te entregaram ao teu destino! Todas as tuas mulheres e filhos serão levados aos babilônios e não escaparás. Serás cativo do rei de Babilônia e a cidade posta a fogo.

24-26Então Tzaodoq-YAHU disse a YARMIYAHU: Estás proibido, sob pena de morte, de repetires essas palavras a mais alguém! E se os da minha corte ouvirem dizer que falei contigo, e se chegarem a ameaçar-te de morte por não lhes dizeres sobre que falamos, conta-lhes então que apenas me pediste que não te mandasse para o calabouço da casa de Yanaokhán, pois que acabarias por morrer ali.

27-28E com efeito, não se passou muito tempo sem que os da corte e administradores da cidade viessem ter com YARMIYAHU, perguntando-lhe porque é que o rei o tinha mandado chamar. Então ele contou-lhes o que o rei lhe mandara dizer, e foram-se embora, pois que a conversação mantida entre ele e o rei não tinha sido ouvida por mais ninguém. E YARMIYAHU permaneceu detido no pátio da guarda na prisão do palácio até ao dia em que YAHUSHUA-oléym foi novamente tomada pelos babilônios.

 

YARMIYAHU 39

 

A queda de YAHUSHUA-oléym

 

1Foi em Yaneiro do nono ano do reinado de Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH, que o rei Nebuchadnezar e todo o seu exército veio de novo contra YAHUSHUA-oléym e a sitiou.

2Dois anos mais tarde, no dia 18 de Julho, conseguiram fazer uma brecha na muralha e a cidade caiu em poder deles;

(revisar data)

3todos os chefes militares babilónicos penetraram nela e concentraram-se
triunfalmente na porta do Meio. Nergal-Sarezer estava lá no meio deles, assim
como também Sangar-Nebo, Sarsequim, mais o chefe da casa militar do rei, assim
como muitos outros.

4Quando o rei Tzaodoq-YAHU e os seus militares se deram conta de que a cidade estava perdida, fugiram durante a noite, pela porta que está entre as duas muralhas, nas traseiras dos jardins do palácio, e foram-se através dos campos em direção ao vale do Yardayán.

5Mas os babilônios perseguiram o rei e apanharam-no nas planícies de Yáricho, trazendo-o à presença de Nebuchadnezar, rei de Babilônia, que se encontrava em Ribla, na terra de Hamate, onde pronunciou a sentença sobre ele

6-7O rei de Babilónia obrigou Tzaodoq-YAHU a presenciar a matança dos seus próprios filhos, assim como de todos os nobres de YAHUDAH. Depois arrancou-lhe os olhos e mandou-o, amarrado com cadeias, para Babilónia.

8Entretanto a tropa incendiava YAHUSHUA-oléym, incluindo o palácio, e deitava abaixo as muralhas da cidade.

9Depois Nebuzaradão, o comandante da guarda imperial, mandou para Babilónia o resto da população que ficara, mais aqueles que se tinham passado para eles.

.

10Mas na terra de YAHUDAH deixou ainda alguma gente do povo, dos mais pobres, dando-lhes campos e vinhas.

11Ao mesmo tempo o rei Nebuchadnezar tinha dado ordens a
Nebuzaradão para ir buscar YARMIYAHU. 12Vê que não lhe aconteça nenhum mal,
disse. Trata bem dele e fornece-lhe tudo o que pretender.

13-14E assim Nebuzaradão, o comandante da guarda, Nebuchazbã, chefe dos eunucos, Nergal-Sarezer, conselheiro do rei, e todos os outros oficiais começaram a dar passos para cumprir a ordem do rei. Enviaram pois soldados que tirassem YARMIYAHU da prisão, e puseram-no sob os cuidados de Gaoldul-YAHU (filho de Aicão e neto de Safã). YARMIYAHU ficou ali a viver entre o povo deixado na terra.

15 YAHU ULHÍM tinha dado esta mensagem a YARMIYAHU, antes dos babilónios terem chegado, e quando ainda estava na prisão:

.

16-18Manda este aviso a Ebede-Meleque, o etíope: O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Hei-de fazer com esta cidade tudo quanto tenho dito sobre ela; destruí-la-ei perante os vossos olhos, mas a ti, livrar-te-ei. Não serás morto por aqueles que vocês tanto temem. Como recompensa por teres confiado em mim, pouparei a tua vida e estarás em segurança.

 

YARMIYAHU 40

 

YARMIYAHU é libertado pelos babilônios

 

1Nebuzaradão comandante da guarda levou depois YARMIYAHU para Roéma, com todo o povo exilado, de YAHUSHUA-oléym e de YAHUDAH, que tinha sido enviado para Babilónia; mas acabou por libertar o profeta.

2-5O comandante chamou-o e disse-lhe: Foi YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno quem trouxe estes desastres sobre a vossa terra, tal como tinha dito que havia de
fazer. Porque esta gente não obedeceu à sua voz; e foi por isso que estas
coisas se deram. Agora vou soltar-te, e deixar-te ir em liberdade. Se quiseres
vir comigo para Babilónia, muito bem; farei com que seja tratado de forma a
nada te faltar; no entanto, se não quiseres vir, não venhas. Tens toda a terra
diante de ti; vai para onde bem entenderes. Se decidires ficar, volta para
Gaoldul-YAHU, que foi nomeado governador de YAHUDAH pelo rei de Babilónia, e
fica com o resto do povo que ele governa. Portanto, quanto a ti o assunto está
arrumado; vai para onde quiseres ntão Nebuzaradão deu-lhe algum alimento e
dinheiro, deixando-o partir em liberdade.-

6Assim YARMIYAHU voltou para Gaoldul-YAHU, e passou a viver em YAHUDAH com o povo que tinha sido deixado na terra.

 

Gaoldul-YAHU é assassinado

 

7-8E aconteceu que os chefes dos guerrilheiros YAHÚ-dim, que actuavam nos campos, ouvindo que o rei de Babilônia tinha nomeado Gaoldul-YAHU como governador sobre a gente pobre da terra que tinha sido autorizada a ficar, que não foi exilada para Babilônia, vieram ter com ele em Mizpá, que era o lugar onde se tinha fixado. São estes os nomes desses chefes de guerrilha que vieram ter com ele: Ishmaúl (filho de Naokhányah), Yoanã e Yanaokhán (filhos de Careá), Shear-YAHU (filho de Tanumete), os filhos de Efai (o netofatita) e Yezanias (filho dum indivíduo
maacatita); vieram acompanhados dos seus homens

9-10Gaoldul-YAHU assegurou-lhes que seria mais seguro submeterem-se aos babilônios.Fiquem aqui, sirvam o rei de Babilónia e tudo o resto vos correrá bem. Quanto a mim, ficarei em Mizpá e intercederei a vosso favor junto dos babilónios que cá vierem controlar a minha administração. Estabeleçam-se na cidade que quiserem e vivam da terra. Recolham e armazenem o vinho e os frutos do Verão, assim como o azeite, como desejarem.


11-12Quando os YAHÚ-dim que estavam em Moabe, entre os amonitas, em Edom e
noutras regiões vizinhas ouviram que alguns dentre o povo tinham sido deixados
em YAHUDAH, e que o rei de Babilônia não os tinha levado a todos, e sabendo que
Gaoldul-YAHU era o governador da terra, começaram a voltar para YAHUDAH vindos dessas muitas terras para onde tinham fugido. Concentraram-se em Mizpá, para discutirem com Gaoldul-YAHU os planos de recuperação das terras, e depois
chegaram a juntar uma grande colheita de vinho e de muita fruta.

13-15Mas pouco depois, Yoanã (filho de Careá) e outros chefes guerrilheiros vieram a Mizpá avisar Gaoldul-YAHU de que Baalis, rei dos amonitas, tinha mandado Ishmaúl (filho de Naokhányah) para o assassinar. Contudo, Gaoldul-YAHU não quis
acreditar neles. Então Yoanã conferenciou, em particular, com Gaoldul-YAHU e
propôs-lhe ser ele quem matasse Ishmaúl, secretamente.Porque é que havíamos de
o deixar vir e tirar-te a vida?, perguntava Yoanã. Que aconteceria então aos YAHÚ-dim retornados? Porque é que este povo que foi deixado cá haveria de ser espalhado e perdido?

16Mas Gaoldul-YAHU respondeu-lhe: Proíbo-te de fazeres uma coisa
semelhante; o que estás a dizer de Ishmaúl é simplesmente mentira.

 

YARMIYAHU 41

 

1Mas em Outubro, Ishmaúl (filho de Naokhányah e neto de Ulishama), membro da família real que tinha sido um dos membros mais evidentes do conselho do rei, chegou a Mizpá, acompanhado de dez homens. Gaoldul-YAHU convidou-o para uma refeição juntos.

2Enquanto comiam, Ishmaúl e os dez homens, seus companheiros, saltaram-lhe repentinamente em cima, e puxando das espadas mataram Gaoldul-YAHU.

3Seguidamente, sairam e assassinaram todos os YAHÚ-dim chefes da administração pública e os soldados babilônicos que viviam ali em Mizpá com Gaoldul-YAHU.

4-6No dia seguinte, antes que toda a gente tomasse conhecimento do que tinha acontecido, oitenta homens aproximaram-se de Mizpá, vindos de Siquem, de Sheló e de Shuamor-YAHU, dirigindo-se ao Templo de YAHU UL para o adorarem. Todos eles tinham rapado as barbas, rasgado os vestidos e tinham-se também ferido a si mesmos; vinham com ofertas e com incenso para oferecerem. Ishmaúl saiu da cidade ao encontro deles, chorando, à medida que eles se aproximavam. Quando se chegaram junto dele, disse-lhes: Oh! Venham ver o que aconteceu a Gaoldul-YAHU!

7-9Então, quando estavam todos dentro da povoação, Ishmaúl e os seus homens mataram-nos, deixando apenas dez com vida; os corpos dos outros setenta atiraram-nos para dentro dum poço. Os dez que não foram mortos foi porque prometeram trazer-lhes grandes quantidades de trigo, cevada, azeite e mel que tinham escondido no campo. A cisterna em que Ishmaúl lançou os corpos dos que foram assassinados era a maior, construída pelo rei Osa, quando este fortificou Mizpa, para se proteger contra os ataques de Basha, rei de Yashorúl.

10Ishmaúl prendeu as filhas do rei, assim como todo o resto do povo que Nebuzaradão, comandante da guarda, tinha deixada em Mizpa, ao cuidado de Gaoldul-YAHU. Pouco tempo depois, levou aquela gente consigo, quando decidiu ir para a terra dos amonitas.


11-14No entanto, Yoanã (filho de Careá) e os outros chefes de guerrilha, ao
saberem o que Ishmaúl tinha feito, pegaram nos seus homens todos e foram
detê-lo. Apanharam-no no tanque que está junto de Gibeão. As gentes que iam,
presas, com Ishmaúl, começaram a gritar de alegria quando viram Yoanã e os
companheiros, e correram ao seu encontro.

15Entretanto Ishmaúl conseguiu escapar-se com oito dos seus, para os amonitas.

 

Fuga para o Egito

 

16-18Então Yoanã mais os seus homens foram para a povoação de Gerute-Quimá, perto de Beth-Lékhem, levando consigo os que tinham livrado das mãos de Ishmaúl – soldados, mulheres, crianças e eunucos – preparando-se para se passarem para o Egito. Eles tinham receio do que poderiam fazer os babilônios quando soubessem da notícia de que Ishmaúl tinha morto Gaoldul-YAHU, o governador, pois que este tinha sido escolhido e nomeado pelo próprio imperador de Babilônia.

 

YARMIYAHU 42

 

1-2Então Yoanã mais os capitães da tropa e o povo, tanto grandes como pequenos, vieram ter com YARMIYAHU e pediram-lhe: Por favor, faz oração a YAHU ULHÍM, teu Criador Eterno, em nosso favor, pois que, como muito bem sabes, somos apenas um pequeno resto do povo que antes constituíamos.

3Pede a YAHU ULHÍM, teu Criador Eterno que nos mostre o que devemos fazer e para onde devemos ir.

4Pois sim, respondeu YARMIYAHU. Perguntar-lhe-ei e dir-vos-ei o que me for comunicado. Nada vos esconderei.


5-6Depois, disseram ainda a YARMIYAHU: Que YAHU ULHÍM nos amaldiçoe se
recusarmos obedecer a seja o que for que nos disseres! Que nos agrade ou não,
obedeceremos ao nosso YAHU ULHÍM a quem te enviamos com o nosso rogo. Sabemos que se lhe obedecermos, tudo o resto nos correrá bem.

7-9Dez dias depois YAHU ULHÍM comunicou a YARMIYAHU a sua resposta. Por isso mandou chamar Yoanã, os chefes militares e todo o povo, grandes e pequenos, dizendo-lhes: Vocês mandaram-me apresentar o vosso pedido a YAHU ULHÍM, o Criador Eterno de Yashorúl. É esta a sua resposta:

10-12 Fiquem aqui nesta terra. Se o fizerem, abençoar-vos-ei e ninguém vos fará mal. Estou triste por todo o castigo que tive de vos dar. Mas agora não tenham mais receio do rei da Babilônia, porque eu estou convosco, para vos salvar e vos livrar das suas mãos. Serei misericordioso para convosco, fazendo com que ele se compadeça de vocês, e não vos mate nem faça de vocês escravos, mas antes vos deixe ficar aqui na vossa


terra. 13-17No entanto, se recusarem obedecer a YAHU ULHÍM e disserem – Não
queremos ficar aqui! – e se insistirem em ir para o Egito onde julgam estar livres de guerra, de fome e de alarmes, então esta é a resposta que YAHU ULHÍM vos dá, ó resto do povo de YAHUDAH: O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos diz que se insistirem em ir para o Egito, então a guerra e a fome, que tanto temem, vos perseguirão, e hão-de morrer ali. Esse é o destino de cada um de vocês se insistirem em querer ir viver para o Egito. Sim, morrerão pela espada, pela fome e pelas pestes. Nenhum de vocês escapará desses males que trarei sobre vocês ali.

18Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos diz: Tal como a minha ira se derramou sobre o povo de YAHUSHUA-oléym, assim também derramarei o mesmo sobre vocês, se entrarem no Egito. Serão ali recebidos com repugnância e com ódio – amaldiçoar-vos-ão e serão ultrajados. Nunca mais verão a vossa terra natal

19Portant YAHU ULHÍM vos diz: Ó povo restante de YAHUDAH, não vão para o Egito!E YARMIYAHU concluiu: Nunca mais se esqueçam do aviso que vos dei hoje.

20Se foram para lá, isso custar-vos-á as vossas vidas. Vocês não foram honestos quando vieram ter comigo a pedir para orar por vocês e dizendo: Comunica-nos tudo, seja o que for que YAHU ULHÍM queira transmitir-nos, e nós o faremos!

.

21E agora, que vos disse tudo, exatamente,o que ele quer de vocês, não aceitam obedecer, aliás, à semelhança das outras vezes.

.

22Portanto podem ter a certeza de que morrerão pela guerra, pela fome e
pela doença no Egito, para onde insistem em ir.

 

YARMIYAHU 43

 

1-2Quando YARMIYAHU acabou de transmitir esta mensagem de YAHU ULHÍM a todo o povo, Ozor-YAHU (filho de HOSHUAya), Yoanã (filho de Careá) e outros homens dos mais orgulhosos disseram a YARMIYAHU: Estás a mentir! Não é verdade que YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno te tenha mandado dizer-nos para não irmos para o Egito!

3Baruque (filho de NeriYa) é que te incita contra nós, e te disse para nos mandares cá ficar e sermos mortos pelos babilônios ou levados como escravos.

4-7Então Yoanã, e todos os chefes guerrilheiros, assim como o povo, recusaram obedecer a YAHU ULHÍM e ficar em YAHUDAH. Todos eles, incluindo os que tinham voltado das regiões limítrofes, para onde tinham fugido, partiram para o Egito, com Yoanã e os outros capitães a comandá-los. No meio daquela gente havia tanto homens como mulheres, crianças, e as filhas do rei, mais todos aqueles que Nebuzaradão, o comandante da guarda, tinha deixado sob o governo de Gaoldul-YAHU. E obrigaram mesmo YARMIYAHU e Baruque a ir com eles. Chegaram assim ao Egito, à cidade de Tafnes, persistindo na desobediência a YAHU ULHÍM.

8Ali em Tafnes YAHU ULHÍM tornou a falar a YARMIYAHU, dizendo-lhe: Ura. Derrubará os obeliscos que se levantam na cidade de Heliopolis. Queimará e fará em ruínas os Templos dos falsos criadores o estátuas do Egito.

 

YARMIYAHU 44

 

Desastre por causa de idolatria

 

1Esta é a mensagem que YAHU ULHÍM deu a YARMIYAHU respeitante a todos os YAHÚ-dim que estavam a viver no norte do Egito, nas cidades de Migdol, Tafnes e Menfis, assim como também por todo o sul do Egito:


2-6O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Viram o
que fiz a YAHUSHUA-oléym e a todas as cidades de YAHUDAH. Por causa da sua
maldade é que estão agora em ruínas, desfeitas em cinzas, sem viva alma. A minha cólera foi enorme por causa deles terem adorado outros falsos criadores e estátuas – falsos criadores e estatuas esses que nem eles nem os seus antepassados jamais tinham sabido quem eram. Mandei os meus servos, os profetas, para que protestassem continuamente contra isso e que insistissem com eles para não fazerem tal coisa tão má; mas eles não quiseram ouvir-me e converterem-se dos seus caminhos perversos; continuaram sempre na mesma, oferecendo os seus sacrifícios a esses falsos criadores e estátuas. Assim a minha ira ferveu e caiu como fogo sobre as povoações de YAHUDAH, sobre as ruas de YAHUSHUA-oléym, que agora estão numa perfeita desolação, até ao dia de hoje.

7-10Por isso agora YAHU ULHÍM Tzavulyáo do céu, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos pergunta: Porque se estão a destruir a si mesmos? Pois que nem um sequer de entre vocês viverá, seja homem, mulher ou criança, dos que vieram de YAHUDAH; nem sequer os bebês de mama. Pois até têm levantado a minha cólera com os ídolos que têm feito aqui no Egito para adorarem, queimando-lhes incenso, fazendo com que eu vos destruía inteiramente, fazendo de vocês uma maldição, e como um cheiro repelente para todas as nações da terra. Já se esqueceram dos pecados dos vossos pais, dos reis e rainhas de YAHUDAH, dos vossos próprios pecados e dos das vossas
mulheres, em YAHUDAH e em YAHUSHUA-oléym? E até este preciso momento ainda não houve arrependimento da vossa parte; ninguém quis voltar para mim, seguir as
leis que dei aos vossos pais antes de vocês.

11-13Por isso YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, vos diz: O meu rosto arde em cólera, e destruirei cada um de vocês! Tomarei esse remanescente que veio de YAHUDAH, que insistiu em vir aqui para o Egito, e consumi-los-ei. Cairão aqui nesta terra, mortos pela fome e por causa de guerras; todos morrerão, do mais pequeno ao maior. Serão desprezados, detestados, amaldiçoados e odiados. Castigá-los-ei no Egito, tal como os castiguei em YAHUSHUA-oléym, pela guerra, pela fome e pelas pragas.

14Dos sobreviventes de YAHUDAH, que vieram viver para o Egito, nenhum
escapará para poder voltar à terra de YAHUDAH, à qual tinham grande desejo de
regressar; nenhum voltará senão um pequeno número de fugitivos.

.

15Então, todas as mulheres presentes, e todos os homens que sabiam que as suas mulheres tinham queimado incenso aos ídolos (era grande a multidão dos YAHÚ-dim ali no sul do Egito) responderam a YARMIYAHU:

16-18Não estamos interessados em dar ouvidos a essas tuas mensagens de YAHU ULHÍM! Faremos o que bem nos apetece. Queimaremos incenso à ‘rainha dos céus’. Apresentar-lhe-emos sacrifícios, tanto quanto quisermos, tal como já nós próprios fizemos e os nossos pais antes de nós, assim como os nossos reis e os nobre sempre fizeram nas cidades de YAHUDAH e nas ruas de YAHUSHUA-oléym; e nesses dias até tínhamos abundância de comida, tudo nos corria bem e éramos felizes! Mas desde o momento em que paramos de queimar incenso à Rainha dos Céus, e que deixámos de a adorar, temos estado em grande perturbação e fomos mesmo destruídos pela guerra e pela fome.

19E acrescentaram as mulheres, Julgas que nós adorávamos a Rainha dos Céus,
derramávamos-lhe as nossas libações, fazíamos bolos com a sua imagem, tudo
isso, sem os nossos maridos saberem e nos ajudarem nisso? Com certeza que não!


20Então YARMIYAHU disse a todos, homens e mulheres, que lhe tinham dado aquela resposta:

21-23Pensam que YAHU ULHÍM não sabia que vocês e os vossos pais, os
vossos reis e nobres e todo o povo estavam a queimar incenso aos ídolos, nas
cidades de YAHUDAH e nas ruas de YAHUSHUA-oléym? Foi porque ele não podia
suportar por mais tempo todas as maldades que vocês faziam que transformou a
vossa terra numa desolação, numas ruínas incríveis, amaldiçoada, sem
habitantes, como é o que hoje se vê. A verdadeira causa de todas essas coisas
que vos aconteceram é que queimaram incenso e pecaram contra YAHU ULHÍM,
recusando obedecer-lhe.

24-27YARMIYAHU disse-lhes mais a todos, incluindo as mulheres: Ouçam a palavra de YAHU UL vocês todos, cidadãos de YAHUDAH, que aqui estão no Egito! O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz: Tanto vocês como as vossas mulheres dizem que nunca hão-de desistir das suas devoções e sacrifícios à rainha dos céus, e têm-no provado através dos vossos atos; pois então continuem e mantenham as promessas e votos que lhe têm feito! Mas ouçam bem a palavra de YAHU UL, vocês todos, YAHÚ-dim, vivendo nesta terra do Egito: jurei pelo meu grande nome, diz YAHU ULHÍM, que não adiantará nada procurarem a minha ajuda e a minha bênção mais vezes, dizendo: Ó YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno, ajuda-nos! Porque na verdade estarei atento sobre vocês, sim, mas não é para o vosso bem! Terei cuidado em que vos aconteça o mal, e que sejam destruídos pela guerra e pela fome, até que estejam liquidados.


28-30Somente aqueles que voltarem para YAHUDAH – e serão apenas um pequeno
resto de gente – escaparão à minha ira; os outros, que recusaram voltar para
lá, que insistem em viver no Egito, acabarão por verificar quem fala verdade,
eu ou eles! E esta é a prova em como todo o mal que vos tenho prometido vos
acontecerá, e que vos castigarei aqui mesmo; entregarei o faraó Hofra, rei de Egito,
nas mãos dos que procuram tirar-lhe a vida, tal como entreguei Tzaodoq-YAHU,
rei de YAHUDAH, nas mãos de Nebuchadnezar, rei da Babilónia.

 

YARMIYAHU 45

 

Mensagem de apoio a Baruque

 

1Esta é a mensagem que YARMIYAHU transmitiu a Baruque, no quarto ano do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), depois dele ter escrito todas as mensagens que YARMIYAHU lhe tinha ditado:

2Ó Baruque, YAHU ULHÍM o Criador Eterno de Yashorúl diz-te:

3-4Disseste – Ai de mim! Não tenho eu já bastantes tristezas? E agora YAHU ULHÍM ainda me acrescenta mais! Estou já cansado do meu próprio gemido e não acho descanso. Portanto diz assim a Baruque: YAHU ULHÍM tem isto a dizer-te – Destruirei esta nação que eu próprio construí. Derrubarei o que eu próprio estabeleci.

5Estarás tu a procurar grandes coisas para ti mesmo? Não faças isso! Porque ainda que venha a trazer grandes males sobre todo este povo, proteger-te-ei onde quer que vás. Será esta a tua recompensa.

 

YARMIYAHU 46

 

1Seguem-se as mensagens que foram dadas a YARMIYAHU, referentes a várias nações estrangeiras. Uma mensagem sobre o Egito

 

2Esta mensagem foi dada contra o Egito, por ocasião da batalha de Carquemis, quando o faraó Neco, rei do Egito, com o seu exército, foi derrotado junto ao rio Eufrates por Nebuchadnezar,rei de Babilónia, no quarto ano do reinado de YAHU-ahim (filho de Yasa-YAHU), rei de YAHUDAH:


3-6Cinjam a vossa armadura, vocês egípcios; preparem-se para a peleja! Selem os
cavalos e preparem-se para os montar; ponham os elmos, vistam as couraças,
limpem as armas. Mas reparem! O exército egípcio está a fugir de terror; os
melhores dos seus soldados correm sem sequer olhar para trás. Sim, o terror
circunda-os de todos os lados, diz YAHU ULHÍM. O mais ligeiro não escapará, nem
sequer o mais valente dos lutadores. Lá no norte, junto ao rio Eufrates,
tropeçaram e caíram.

7-12Que poderoso exército é este que se levanta como o Nilo no tempo da cheia, alagando, ocupando a terra toda? É o exército egípcio gabando-se de que cobrirá toda a terra como um dilúvio, destruindo todos os seus adversários. Venham então, ó cavalos, carros de combate e valentes soldados do Egito! Venham, todos vocês, de Cuche, de Pute e de Lude, hábeis em segurar no escudo e atirar com o arco! Porque este é o dia de YAHU UL Tzavulyáo celestiais, um dia de vingança sobre os seus inimigos. A espada devorará até ficar saciada, sim, até ficar embriagada de sangue, porque YAHU UL Tzavulyáo, o Criador Eterno do céu irá receber um sacrifício, lá nas regiões do norte, junto ao rio Eufrates! Vai a Gaúliod à procura de medicamentos, ó virgem, filha do Egito! Ainda que não haja cura para as tuas feridas. Apesar de já teres experimentado muitos remédios e tratamentos, não há cura para ti. Já as nações todas ouviram falar da tua vergonha. Toda a terra está cheia dos teus gritos de desespero e de derrota; os teus mais poderosos guerreiros tropeçarão uns nos outros e acabarão por cair juntos.

13Então YAHU ULHÍM deu a YARMIYAHU mais esta mensagem
referente à vinda de Nebuchadnezar rei de Babilónia para atacar o Egito:


14-16Grita bem alto ao Egito; publica-o nas cidades de Migdol, de Menfis e de
Tafnes! Mobilizem-se para a guerra porque a espada da destrui ção irá devorar
tudo o que encontrar à sua volta. Porque razão caíram os vossos guerreiros?
Eles não conseguem ficar de pé porque YAHU ULHÍM os abaterá. Vastas multidões
cairão uns sobre os outros, continuamente. Nessa altura, o povo restante dos YAHÚ-dim, dirá – Tornemos novamente para YAHUDAH, a terra onde nascemos e fujamos daqui, desta carnificina!

,

17Deem outro nome ao faraó Hofra; chamem-lhe: O homem sem
poder mas muito barulhento.

18-21Tão certo como eu viver, diz o rei, YAHU UL Tzavulyáo do céu, que há-de vir alguém como o monte Tabor ou o monte Carmiúl junto ao mar, para vos atacar! Preparem-se; aprontem-se para irem para o exílio, vocês cidadãos do Egito, pois que a cidade de Menfis será completamente destruída e deixada sem viva alma. O Egito é elegante como uma bezerra, mas acontece que um moscardo a faz fugir a correr – um moscardo do norte! Até os seus famosos mercenários se tornaram semelhantes a bezerros cevados. Viram as costas e fogem, porque é um dia de grande calamidade para o Egito, um tempo de grande castigo.

22-24O Egito assobiará como uma serpente que foge porque o exército invasor aproxima-se. Toda uma multidão inumerável de soldados vai desbastando e abatendo a população, semelhantes a um lenhador que progride no interior duma densa floresta abatendo as árvores e cortando a vegetação. O povo do Egito está coberto de opróbrio: será entregue nas mãos desses homens do
norte.

25-26O YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz:
Castigarei Amom, o idolo de Tebes, e todos os outros falsos criadores o
estatuas do Egito. Castigarei igualmente Faraóh e todos os que confiam nele.
Entregá-los-ei nas mãos daqueles que procuram matá-los – nas mãos de
Nebuchadnezar, rei de Babilónia, e do seu exército. Mas depois disso a terra
há-de recompor-se das devastações da guerra.

27-28Mas não estejam atemorizados, ó meu povo, vocês que estão a retornar à sua própria terra; não se espantem. Porque vos salvarei, mesmo estando muito longe, e trarei os vossos filhos, vindos de uma terra bem distante. Sim, Yashorúl há-de voltar, encontrará descanso e nada o tornará receoso. Não temas, pois, ó YAHUCAF meu servo, diz YAHU ULHÍM, porque eu estou contigo. Destruirei todas as nações para onde vos exilei; mas a vocês não vos destruirei de maneira nenhuma. Castigar-vos-ei, mas só o necessário para vos corrigir.

 

YARMIYAHU 47

 

Uma mensagem sobre os Filisteus

 

1Esta é a mensagem que YAHU ULHÍM deu a YARMIYAHU respeitante aos Filisteus de Gaza, antes da cidade ter sido capturada pelo exército egípcio.

2-5Diz YAHU ULHÍM: Aproxima-se, vindo do norte, uma imensa cheia, que cobrirá toda a terra dos Filisteus; destruirá as suas povoações com tudo o que nelas existe. O povo gritará de terror, e toda a terra chorará. Ouçam o ruído estrepitoso das patas dos cavalos, e o barulho das rodas dos carros de combate correndo velozmente. Até aqueles que são pais fugirão esbaforidos, sem deitar sequer um relance de olhos para trás, sobre os filhos, que ficam desprotegidos e sem ajuda. Porque chegou o tempo em que os Filisteus e os seus aliados de Sidom e de Tiro serão arrasados. Pois YAHU ULHÍM vai destruir os Filisteus, esses colonos que vieram da ilha de Caftor. As cidades de Gaza e de Áshkelon serão arrasadas, sem que nada fique de pé, assim como o resto do seu vale. Como se vão lamentar!

6-7Ó espada de YAHU UL, quando ficarás tu novamente em repouso? Volta de novo para a bainha; descansa e mantém-te tranquila! Mas, de fato, como poderá ela manter-se tranquila quando foi o próprio YAHU ULHÍM quem lhe mandou fazer este recado? A cidade de Áshkelon e os que vivem à beira mar serão destruídos.

 

YARMIYAHU 48

 

Uma mensagem sobre Moabe

 

1-2Esta é a mensagem de YAHU UL Tzavulyáo celestiais, de YAHU ULHÍM de Yashorúl, contra Moabe: Ai da cidade de Nebo, porque há-de ficar em ruínas. A cidade de Quiriataim e as suas fortalezas foram vencidas e capturadas. Ninguém mais se gabará de Moabe porque existe uma conspiração contra a sua existência. Em Hesbom, foram estudados planos para a destruir. Venham, dizem eles, vamos fazer com que deixe de ser uma nação. Em Madmem tudo está silencioso.

3E então ouvir-se-á ruído da batalha contra Horonaim; 4pois que toda a Moabe será destruída. O seu clamor será ouvido mesmo em Zoar.

5Os seus refugiados irão subindo as colinas de Luite, chorando de
amargura, enquanto se ouvem em baixo, na cidade, os gritos de terror. 6Fujam
para livrar as vidas; escondam-se no deserto!

7Confiaram no vosso bem estar e nas vossas capacidades; por isso mesmo agora hão-de perecer. O vosso ídolo quemós, com os seus intermediários e nobres, serão levados para terras distantes!

8-10Todas as cidades e as aldeias que estejam em planícies ou em vales serão destruídas. Foi YAHU ULHÍM quem o disse. Oh, deem asas a Moabe, para que possa fugir a voar, pois que as suas povoações serão deixadas sem uma só alma vivente. Maldito aquele que se recusar a banhar a sua espada no vosso sangue, recusando executar o trabalho que YAHU ULHÍM lhes ordenou!

11-13Desde os primeiros tempos da sua história, Moabe tem vivido sem ser incomodado com invasões. Era semelhante ao vinho que não foi caldeado de vasilha para vasilha, e que mantém a sua fragância e suavidade. Mas agora sim, terá de ser derramado para o exílio! Breve virá o tempo em que YAHU ULHÍM, conforme já prometeu, lhe enviará agitadores que o farão passar de jarro para jarro, e por fim, ainda partirão esses jarros! Moabe terá vergonha do seu ídolo Quemós, tal como Yashorúl se envergonhou também do seu ídolo-bezerro, em Bohay-Úl.

14-16Lembrem-se daquela vossa gabarolice, ao dizerem: Nós somos heróis, poderosos homens de guerra? Mas agora Moabe terá de ser destruída. E o seu destruidor vem já a caminho; a sua melhor juventude está fatalmente ameaçada de ser degolada, diz o rei, YAHU UL Tzavulyáo celestiais. A calamidade está a vir rapidamente e em força a Moabe.

17-19Ó amigos de Moabe, chorem por ele; lamentem-no! Vejam como
esse belo colosso foi esmigalhado! Desce da tua glória e senta-te no pó da
terra, ó povo de Dibom, pois que aqueles que vão destruir Moabe esmigalharão
Dibom, igualmente, deitando abaixo as suas torres todas. A gente de Aroer
põe-se anciosamente à beira da estrada à espera, e gritam alto para os que vão
fugindo de Moabe: O que foi que aconteceu lá?

.

20E a resposta é: Moabe está em ruínas. Chorem e lastimem-se! Digam nas margens do Arnom, que Moabe está arrasada.

21-24Todas as povoações do planalto estão igualmente desvastadas,
porque o julgamento de YAHU ULHÍM caíu também sobre elas – sobre Holom, Yaza,
Mefaate, Dibom, Nebo, Beth-Diblataim, Quiriataim, Beth-Gamul, Beth- Meom,
Queriote, Bozra, e todas as outras localidades da terra de Moabe, de perto e de
longe.

25-27Acabou-se a força de Moabe – o seu poder foi-lhe cortado; a
eficácia dos seus braços foi-lhe quebrada. Cambaleia e cai como se estivesse
embriagado, pois que se rebelou contra YAHU ULHÍM. Acabará por se espojar sobre
o seu próprio vomitado, é objecto de escárnio de toda a gente; pois que
escarneceram também de Yashorúl, e o pilharam, ficando todos satisfeitos com a
sua queda.

28-31Ó povo de Moabe, foge das povoações onde habitas e vai viver
para as cavidades das rochas, para as grutas, com as aves que fazem os ninhos
nas fendas das ravinas. Todos aliás ouvimos já falar do orgulho de Moabe, que é
muito grande. Conhecemos bem a sua altivez, a sua arrogância, o seu coração
enfatuado. Conheço perfeitamente a sua insolência, diz YAHU ULHÍM, mas todas as
suas gabarolices são falsas, não correspondem a nada – o seu desamparo é
enorme. Sim, lamentarei Moabe, o meu coração confrange-se pela gente de
Quir-Heres.

32-33Ó habitantes de Sibma, rica como é em vinhedos, choro por
vocês, mais ainda do que por Yazer. Porque o destruidor cortou-vos os primeiros
rebentos, ceifou todos os cachos, todos os frutos do Verão. Depenou-vos
inteiramente, deixou-vos vazios. Já não há nem alegria, nem contentamento algum
pelos frutos da terra de Moabe. Os lagares já não escorrem vinho nenhum;
ninguém mais pisa uvas no meio da jovialidade.

34Em vez disso, só se ouvem berros horríveis de terror e de sofrimento por toda a terra – desde Hesbom até Eleale e até Yaaz; desde Zoar até Horonaim e até Eglate-Selishia. As pastagens de Nimrim estão desertas já.

35-37Porque YAHU ULHÍM diz assim: Pus finalmente um travão à adoração de falsos falsos criadores o estatuas que se fazia em Moabe, e ao queimar incenso a ídolos. O meu coração está triste por causa de Moabe e de Quir-Heres, porque toda a abundância que tinham chegado a juntar desapareceu. Eles já andam rapando as cabeças e as barbas, por causa da
angústia que os aperta; golpeiam-se as mãos e vestem-se de pano de
serapilheira.

38-39Em cada casa, em cada rua moabita, se ouve apenas choro e
vozes de pesar, porque eu quebrei e esmigalhei Moabe como se fosse um pote de
barro velho e inútil. Como está todo partido! Escutem os lamentos! Vejam a
vergonha de Moabe! Tornou-se um símbolo de horror, e ao mesmo tempo de troça
para os vizinhos.

40-45Uma ave de rapina desce em círculos de mau agouro sobre
Moabe, diz YAHU ULHÍM. Foram tomadas as suas cidades; as fortalezas ocupadas. O
coração dos mais valentes guerreiros desfalece de medo, como se fossem mulheres
em ânsias para dar à luz. Moabe não será mais uma nação, porque se fez ousado contra YAHU ULHÍM. Temores, ciladas e enganos é o que te caberá em sorte, ó Moabe, diz YAHU ULHÍM. Aquele que quiser escapar cairá numa armadilha; e o que conseguir safar-se duma armadilha acabará por ser apanhado numa rede. Hei-de estar atento a que não escapes, pois que chegou a tua vez de seres julgado. Fogem para Hesbom, incapazes de irem mais longe. Mas um fogo sai de Hesbom – o lar
ancestral de Siom – que devora a terra, duma extremidade à outra, com todo o
seu povo rebelde.

46-47Ai de ti, Moabe! Porque o povo de Quemós está destruído e os seus filhos e filhas são levados como escravos. Mas nos últimos dias, diz YAHU ULHÍM, tornarei a restabelecer Moabe.(Aqui termina a profecia respeitante a
Moabe.)

 

YARMIYAHU 49

 

Uma mensagem sobre Amom

 

1-2O que é isso que estão a fazer? Porque vivem vocês nas cidades dos YAHÚ-dim? Não chegarão os YAHÚ-dim para as habitar plenamente? Não receberam eles essa posse de mim mesmo? Porque é, então, que vocês, que adoram o idolo Milcom, tomaram Gaóld e todas as suas cidades? Por isso que vos castigo, declara YAHU ULHÍM, destruindo a vossa cidade de Rabá, a qual se tornará num montão de ruínas desoladas; ao mesmo tempo que as localidades circunvizinhas serão queimadas. Então virá Yashorúl e recuperará de novo a terra que lhe pertence. Será a sua vez de desapossar quem o desapossou a ele, diz YAHU ULHÍM.

3-6Grita bem alto, ó Hesbom, porque Ai está destruída! Chorem, filhas de Rabá! Vistam-se de luto, lamentem-se e gemam, vão-se esconder pelos valados, pois que o vosso ídolo Milcom irá também em cativeiro, com os seus nobres e os intermediários. Vocês tinham orgulho nos vossos vales verdes, mas em breve se tornarão em depressões secas, sem vida. Ó filha rebelde, confiaste na tua prosperidade e em que ninguém te faria mal. Mas olha que hei-de trazer terror sobre ti, diz YAHU UL Tzavulyáo, o Criador Eterno celestiais. Todos os teus vizinhos te escorraçarão da tua terra e ninguém dará auxílio aos refugiados que pretendam escapar de lá. Contudo, depois disso tudo, hei-de restaurar o bem estar dos amonitas, diz YAHU ULHÍM.

 

Uma mensagem sobre Edom

 

7-11O YAHU UL Tzavulyáo celestiais diz assim: Onde estão os teus sábios de antigamente? Nenhum deles ficou em Temã? Foge, para as partes mais longínquas do deserto, ó povo de Dedan; porque quando eu castigar Edom, também te castigarei a ti! Aqueles que vindimam, costumam deixar uns cachos para os pobres, e até os que vão lá roubar não levam tudo, mas eu hei-de deixar a terra de Esaú completamente vazia, inteiramente pilhada; será uma região de tal forma desertificada que nem haverá lugar para alguém se esconder. Morrerão os seus filhos, os seus irmãos, os seus vizinhos – todos eles serão destruídos – e por fim morrerá ela. No entanto farei com que os seus órfãos sejam poupados; e as suas viúvas, serei eu quem as sustentará.

12-13 YAHU ULHÍM diz a Edom: Se os inocentes também têm de sofrer, quanto mais vocês! Não hão-de ficar impunes! Terão de beber esta taça de julgamento! Pois que jurei pelo meu próprio nome, diz YAHU ULHÍM, que Bozra se tornará num amontoado de destroços; tornar-se-á amaldiçoada e arruinada. As suas povoações ficarão sendo para sempre uma desolação.

14-16Eu ouvi esta mensagem da parte de YAHU UL: Foi enviado um mensageiro às nações para que formem uma coligação contra Edom, a fim de a destruir. Farei dela a mais pequena de entre as nações, diz YAHU ULHÍM. Foste engodado pelo teu próprio prestígio e pelo teu orgulho, tu que habitas nas montanhas de Petra, nos cimos dos rochedos. Mas ainda que vivas lá nos cimos, onde as águias fazem os ninhos, hei-de fazer-te descer, diz YAHU ULHÍM.


17-18O destino de Edom será horrível; todos os que passarem por ali ficarão
espantados, boquiabertos, à vista daquilo. As vossas localidades se tornarão
tão silenciosas como Sodoma e Gomorra e as povoações vizinhas, diz YAHU ULHÍM.
Ninguém mais ali viverá.

19-20Mandarei contra eles alguém que se chegará como se fosse um leão vindo das lezírias do Yardayán, lançando-se sobre as ovelhas no estábulo. E, num abrir e fechar de olhos, Edom estará liquidado. Nomearei então a pessoa da minha confiança que ficará à frente dos edomitas. Porque, quem é semelhante a mim e quem é capaz de me pedir por contas? Qual é o apacentador que ousaria desafiar-me? Tomem nota: YAHU ULHÍM certamente fará isto que disse a Edom e também ao povo de Temã – até as criancinhas serão levadas para escravos! Será a coisa mais chocante jamais vista!

21-22Toda a terra tremerá com a queda de Edom; ouvir-se-á o clamor do povo até mesmo no Mar Vermelho. Aquele que há-de vir contra eles chegar-se-á voando com a rapidez duma águia, e usará as suas asas para se lançar contra Bozra. E então se verá a coragem dos valentes guerreiros, a qual lhes há-de desaparecer como se fossem mulheres na véspera do parto.

 

Uma mensagem sobre Damasco

 

23-25As cidades de Hamate e de Arpade estão desmaiadas de terror, porque lhes chegou aos ouvidos a notícia da sua condenação. Os seus corações agitam-se como o mar em fúria sob um vento tempestuoso. Damasco perdeu as forças e todo o seu povo começou a fugir. Medo, angústia e tristeza apossaram-se dela, como uma mulher que vai dar à luz. Ó famosa cidade, cidade de alegria, como tens sido esquecida agora!

26-27Os teus jovens jazem mortos nas ruas; todo o teu exército será destruído num só dia, diz YAHU UL Tzavulyáo celestiais. Farei acender um fogo à beira de Damasco, que se pegará aos palácios de Ben-Hadad.

 

Uma mensagem sobre Quedar e Hazor

 

28-30Esta profecia refere-se a Quedar, e aos reinos de Hazor, que Nebuchadnezar rei de Babilónia irá destruir. Os seus rebanhos e as suas tendas serão tomadas; tudo o que está dentro destas será levado – as lindas cortinas, os belos recipientes e vasos. Os camelos serão levados igualmente. À volta só se ouvirão gritos de pânico: Estamos cercados de pavor! Já não nos podemos livrar! Fujam, se querem ficar com vida, diz YAHU ULHÍM. Vão para bem longe, lá para o fim dos desertos, ó povo de Hazor, porque Nebuchadnezar rei de Babilônia já fez os seus planos para vos destruir.


31-32Vai, diz YAHU ULHÍM ao rei Nebuchadnezar. Ataca essas ricas tribos
beduínas que vivem sozinhas no deserto, sem se preocuparem com o resto do
mundo, gabando-se que são auto-suficientes, de que não precisam nem de
muralhas, nem de portões a protegerem-nos. Todos os camelos e os rebanhos deles
serão teus, e espalharei esses selvagens pelos quatro cantos da terra. Trarei
sobre eles, de todo o lado, toda a espécie de calamidades.

33Hazor tornar-se-á um refúgio de animais selvagens do deserto. Ninguém mais viverá ali para sempre; será uma terra desolada, de solidão.

 

Uma mensagem sobre Olao

 

34Esta mensagem de YAHU ULHÍM contra Olao veio a YARMIYAHU no começo do reinado de Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH:

35-39O YAHU UL Tzavulyáo celestiais diz: Destruirei o exército de Olao, e dispersarei o povo de Olao aos quatro ventos; serão mandados exilados para todos os países do mundo. A minha severa ira trará grandes males a Olao, diz YAHU ULHÍM, e farei com que os seus inimigos o risquem de sobre a face da terra. Porei o meu trono em Olao, diz YAHU ULHÍM. Destruirei o seu rei e os nobres. Mas nos últimos tempos hei-de trazer de volta o seu povo, diz YAHU ULHÍM.

 

YARMIYAHU 50

 

Uma mensagem sobre Babilônia

 

1Esta é a mensagem de YAHU UL contra Babilônia e contra os caldeus, proferida por YARMIYAHU, o profeta:

2-3Diz a todo o mundo que Babilónia será destruída; não façam segredo disso. O seu ídolo Bel foi humilhado; o seu idolo Marduk caiu totalmente em desgraça! Porque uma outra nação virá sobre ela do norte, e com tal destruição que ninguém poderá
continuar a viver lá; toda a gente partirá – homens, animais, todos fugirão.


4-5Então os povos de Yashorúl e de YAHUDAH se juntarão e chorarão, procurande YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno. Perguntarão pelo caminho para Tzayán e começarão a regressar. Vamos, dirão eles, unamo-nos a YAHU ULHÍM por meio dum concerto eterno, que nunca mais será quebrado.

6-7O meu povo foi como uma ovelha perdida. Os seus anciãos fizeram-no errar no caminho, desviando-os para os montes. Perdeu-se e não sabe voltar atrás. Todos os que o encontram devoram-no e dizem: Podemos atacá-los à vontade, visto que pecou contra YAHU ULHÍM, Criador Eterno da justiça, a esperança dos seus antepassados.

8-10Mas agora, fujam de Babilônia, a terra dos caldeus. Que o meu povo volte para casa, pois que estou a suscitar um exército duma grande nação do norte, e o trarei contra Babilônia, a qual será atacada e destruída. As setas deles, dos inimigos, não
falharão o alvo, terão pontaria certeira! Babilónia será saqueada até que cada
combatente esteja saciado com o despojo que obteve, diz YAHU ULHÍM.

11-13Ainda que tenham ficado bem contentes, ó caldeus, saqueadores do meu povo, e se tenham engordado como vacas pastando em verdes pradarias, relinchando como cavalos vigorosos e fartos, mesmo assim a vossa mãe morrerá de vergonha, porque se tornarão na última das nações – um deserto, uma terra seca e abandonada. Por causa da cólera de YAHU UL, Babilônia tornar-se-á num descampado estéril, e todos os que por ali passarem ficarão atônitos e até se hão-de rir das pragas que lhe sobrevieram.

14-16Sim, preparem-se para combater Babilónia, ó nações todas, suas vizinhas; que os atiradores façam pontaria sobre ela. Vejam! Ela já se rendeu! As suas muralhas cederam e estão a cair. YAHU ULHÍM está-se a vingar. Façam-lhe como ela fez aos outros! Que os fazendeiros se vão todos embora. Que fujam rapidamente para os seus locais de origem antes que o inimigo os apanhe.

17-20Os Yashorulítas foram como cordeiros perseguidos por leões. Primeiro foi o rei da Assíria a comê-los; depois, Nebuchadnezar rei da Babilônia, que se lançou sobre os seus ossos. Por isso YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Agora chegou a altura de castigar o rei de Babilónia e a sua terra, da mesma forma que puni o rei da Assíria. E trarei Yashorúl de novo para a sua terra natal, para se fartar com a abundância do Carmiúl e de Basã, e para ser feliz, uma vez mais, no monte de Efroím e no monte de Gaúliod. Naqueles dias, diz YAHU ULHÍM, não se encontrará pecado nem em Yashorúl nem em YAHUDAH, porque perdoarei tudo ao restante povo que eu proteger.

21-24Subam, ó meus valentes guerreiros, conta a terra de Merataim e o povo de Pecode. Sim, avancem contra Babilônia, terra de rebeldes, terra que eu hei-de julgar! Aniquilem-na tal como vos mandei. Que se ouçam os brados de guerra nessa terra, gritos de grande destruição. Babilônia, que foi um poderoso martelo sobre toda a terra, jaz, ela própria, esmigalhada e feita em bocadinhos. Babilónia está arruinada no meio de todas as outras nações! Ó Babilônia, armei-te um laço, e foste apanhada, visto que lutaste contra YAHU ULHÍM.

25-27 YAHU ULHÍM abriu o seu arsenal e trouxe para fora as munições,
para fazer explodir a sua ira sobre os inimigos. O terror que se há-de abater
sobre Babilónia é o trabalho de YAHU UL, YAHU ULHÍM Tzavulyáo celestiais. Sim,
venham contra ela de terras distantes; abram os seus celeiros; derrubem as suas
muralhas, os seus edifícios, fazendo deles montões de ruínas, numa destruição
absoluta. Que nada seja poupado. Nem sequer o gado, é verdade! Matem tudo o que
vive! Veio realmente o tempo em que Babilónia terá de ser devastada.

28Mas o meu povo escapará; correrão para o seu próprio país, para contarem como YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno desencadeou a sua cólera sobre aqueles que antes
tinham destruído o seu Templo.

29-32 Convoquem todos os atiradores para que venham a Babilónia. Cerquem a cidade para que ninguém fuja. Atuem para com ela como ela fez com os outros, pois que desafiou arrogantemente YAHU ULHÍM, o santo de Yashorúl. Os seus jovens cairão no meio das ruas e morrerão; todos os seus guerreiros serão mortos. Compreendam, ó povo altivo, que estou contra vocês; e agora chegou a vossa vez de prestar contas. terra orgulhosa, tropeçarás e cairás, sem que ninguém se incomode a procurar levantar-te; YAHU ULHÍM mesmo acenderá o lume dos incêndios enormes das cidades do reino de Babilônia, os quais chegarão mesmo a queimar tudo o que há em volta.

33-34Diz YAHU UL Tzavulyáo celestiais: O povo de Yashorúl e de YAHUDAH foi injuriado. Os seus captores retiveram-nos; não os deixaram ir. Mas o seu redentor é forte. O seu (Nome) Shúam é YAHU UL Tzavulyáo celestiais. Intervirá a favor deles e tomará as medidas necessárias para que eles sejam soltos, e possam ir viver de novo para o sossego do seu país, de Yashorúl uanto ao povo de Babilônia – não haverá descanso para eles!l

35A espada da destruição ferirá os caldeus, diz YAHU ULHÍM; e ferirá o povo de Babilônia – os seus nobres, tanto como os sábios.


36Todos os conselheiros sabedores se tornarão como loucos! Os valentes militares
serão presos de pânico!

37-38 A guerra devorará os cavalos e carros de combate, e os seus aliados, de outras terras, tornar-se-ão tão fracos como mulheres. Os seus tesouros serão pilhados; até as fontes de águas secarão. Tudo isso porquê? Porque toda a terra está cheia de imagens de ídolos, e o povo está como que apaixonado pelos seus ídolos.

39-40Por isso esta grande cidade de Babilônia há-de ser habitada somente por avestruzes e por chacais; será o abrigo de todos os animais bravios dos desertos. Nunca mais tornará a ser habitada por seres humanos; ficará assim desolada para sempre. YAHU ULHÍM declara que destruirá Babilônia tal como destruiu Sodoma e Gomorra e as localidades próximas. E ninguém mais ali foi viver, a partir de então, tal como nunca mais viverá em Babilônia.

41-42Vejam-nos aproximarem-se! Esse grande exército que vem do norte! Vêm nele integrados muitos reis, que YAHU ULHÍM mandou vir de muitas terras. Estão armados e preparados para a matança; são cruéis e não se deve esperar deles uma centelha sequer de misericórdia; seus gritos guerreiros rugem como o barulho das vagas rebentando contra a costa. Ó Babilônia, eles cavalgam contra ti, prestes a travar batalha.

43Quando o rei de Babilónia recebeu esta notícia, deixou cair os braços de desfalecimento; a angústia apoderou-se dele como de uma mulher em trabalho de parto.

44-46Enviarei contra eles um invasor que os assolará repentinamente, como um leão que surge dos bosques do Yardayán e que salta repentinamente sobre os cordeiros a pastar. Porei os seus defensores a fugir dali, e nomearei outros, da minha escolha, do meu agrado. Porque, quem é semelhante a mim? Qual é o governante que se poderia opor aos meus mandamentos? Quem ousaria pedir-me contas? Deem atenção aos planos de YAHU UL contra Babilónia, a terra dos caldeus. Pois que até as criancinhas serão arrastadas e levadas como escravos; oh, terror, terror! Toda a terra tremerá quando da queda de Babilônia, e o seu grito de desespero ouvir-se-á à volta do mundo todo.

 

YARMIYAHU 51

 

1-2Diz YAHU ULHÍM: Suscitarei um destruidor contra Babilônia, contra toda a terra dos caldeus, que será arruinada. Virão padejadores que a padejarão e a mandarão para bem longe; levantar-se-ão de toda a parte contra ela, nesse tempo de calamidade para ela.

3-5Os atiradores alvejarão certeiramente os frecheiros de Babilônia, e perfurarão até as suas couraças. Ninguém será poupado; tanto novos como velhos serão liquidados. Cairão degolados na terra dos caldeus, fulminados no meio das suas ruas. Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais não abandonou Yashorúl e YAHUDAH. Continua sendo sempre o seu YAHU ULHÍM; e a terra da Caldeia está cheia de pecado contra o santo de Yashorúl.

6-10Fujam de Babilónia! Salvem-se! Não se deixem apanhar! Se se deixarem ficar, serão destruídos quande YAHU ULHÍM tomar vingança dos pecados de Babilônia. Babilónia foi como uma taça de ouro nas mãos de YAHU UL, uma taça pela qual fez beber toda a terra, tornando-a louca. Mas agora, repentinamente, Babilónia também caiu. Chorem por ela; deem-lhe consolação, deem-lhe remédios; talvez se cure; ajudá-la-íamos se pudéssemos, mas agora já ninguém a pode salvar. Deixem-na ir-se embora. Abandonem-na e voltem para a vossa terra, porque YAHU ULHÍM está a julgar desde o céu. YAHU ULHÍM vingou-nos. Venham, declaremos em YAHUSHUA-oléym tudo o que YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno tem feito.

11-12Limpem as armas! Preparem a vossa defesa! Porque YAHU ULHÍM despertou o espírito dos reis dos medos para marcharem sobre a Babilônia e a destruírem. Este é o castigo daqueles que ultrajaram o seu povo e profanaram o seu Templo. Prepara-te para a defesa, Babilônia! Põe muitas sentinelas vigiando sobre as muralhas; preparem emboscadas. YAHU ULHÍM fará tudo o que prometeu contra Babilônia.

13-14Ó tu, que és um grande porto de comércio intenso, centro desenvolvido de tráfego entre as nações, chegou o teu fim; foi cortado o fio da tua vida. O YAHU UL Tzavulyáo celestiais deu a sua palavra, jurou pelo seu próprio nome: As tuas cidades se encherão de inimigos, como campos cobertos por uma praga de gafanhotos, e subirão até aos shua-ólmaYa os seus gritos de vitória.

15 YAHU ULHÍM fez a terra pelo seu poder e sabedoria. Estendeu o firmamento
segundo o seu conhecimento.


16Quando ele fala, é como um trovão rolando na atmosfera e faz com que
os vapores subam da superfície da terra, à volta dela; traz os raios,
acompanhados das chuvas e dos ventos, saindo dos seus tesouros.


17Postos perante ele, os homens são estúpidos e brutos, sem sabedoria –
todos eles, sem exceção! O ourives, ele próprio, é ludibriado pelas imagens
que fabrica, e fica envergonhado porque tem consciência de que são mentiras, e
sendo assim, ele mesmo mente; dá-lhes o nome de falsos criadores o estátuas,
sabendo muito bem que não há neles o mais pequeno sopro de vida.


18Os ídolos são falsidade, nada representam de real! São mentira. Chegou
o tempo em que YAHU ULHÍM há-de vir destruindo-os a todos.


19Mas YAHU ULHÍM de Yashorúl, esse não é nenhum ídolo! Porque foi ele
quem fez tudo o que existe, sendo Yashorúl a sua nação; YAHU UL Tzavulyáo do
céu, é esse o seu (Nome) Shúam.

20-24Kerósh é o machado de guerra de YAHU ULHÍM; é a sua espada. Vou usar-te, diz YAHU ULHÍM, para fazer as nações em pedaços e para destruir muitos reinos. Contigo esmagarei muitos batalhões de soldados, destruindo tanto o cavalo como o seu cavaleiro, tanto o carro de combate como o seu condutor – sim, velhos e novos, rapazes e a virgem, anciãos e rebanhos, fazendeiros e bois, oficiais do exército e magistrados. Recompensarei Babilônia, sob os vossos olhos, de todo o mal que fizeram ao meu povo, diz YAHU ULHÍM.

25-26Vejam bem, eu sou contra vocês, ó montanha poderosa, Babilônia, a destruidora da terra! Levantarei a minha mão contra ti, atirar-te-ei abaixo das alturas a que subiste, e abandonar-te-ei como um monte incendiado. Tornar-te-ás desolado para sempre; até as tuas pedras não serão usadas por mais ninguém para a construção de edifícios. Serás completamente riscado do mapa!

27-28Mandem avisos de mobilizações a muitas nações para virem
fazer guerra a Babilônia. Toquem o sinal de convocação para a batalha; formem
os exércitos de Ararat, de Mini e de Asquenaz. Nomeiem um general; tragam uma
multidão de cavalos! Tragam contra ela os exércitos dos reis dos medos mais
todos os seus generais, e ainda os exércitos de todos os países que eles
governam.

29Babilónia treme e torce-se com dores, porque tudo o que YAHU ULHÍM
planeou contra ela, se está a cumprir rigorosamente. Babilônia será deixada
desolada, sem viva alma

30-32Os seus poderosos guerreiros já não combaterão mais; deixam-se ficar nas suas barracas no acampamento. Foi-se-lhes toda a coragem; tornaram-se como mulheres. Os invasores queimaram as casas e deitaram abaixo até os portões das entradas da cidade. Mensageiros de toda a parte têm vindo a correr dizer ao rei que tudo se perdeu! Todas as estradas de fuga estão bloqueadas; as fortificações foram incendiadas e o exército em peso lançou-se no pânico!

33Porque YAHU UL Tzavulyáo celestiais, YAHU ULHÍM de Yashorúl, diz assim: Babilônia é como o trigo numa eira; dentro de muito pouco tempo, será a altura de começar a ser malhada.

34-35Os YAHÚ-dim de Babilônia dizem: Nebuchadnezar, o rei de Babilônia, explorou-nos; reduziu-nos a nada; tirou-nos toda a força e energia; engoliu-nos como se fosse um monstro; encheu o ventre com os nossos bens; expulsou-nos da nossa própria terra. Que Babilônia possa ser paga por tudo o que nos fez! Que seja remunerada por todo o sangue que fez derramar-se!

36-40E YAHU ULHÍM respondeu-lhes: Serei o vosso advogado; defenderei a vossa causa; vingar-vos-ei. Farei secar-se o seu rio, esgotarem-se as suas fontes, e Babilônia se tornará um montão de ruínas, atravessada somente por chacais, uma horrível terra de se ver, incrível mesmo, sem que lá viva uma só pessoa. Nas suas orgias, os homens de Babilônia berravam como animais selvagens. Pois agora, ainda enquanto eles jazem cozendo as suas bebedeiras, prepararei uma espécie diferente de celebração para eles, e farei com que se embriaguem e fiquem eufóricos, acabando por adormecer, mas para nunca mais acordarem, diz YAHU ULHÍM. Trá-los-ei como cordeiros para o matadouro, como carneiros e como bodes.

41-44Como é que a cidade de Babilônia pôde ser tomada – aquela grande Babilônia, admirada por toda a terra! O mundo nem quer acreditar no que vê; custa-lhe crer que Babilônia tenha caído! O mar levantou-se até Babilônia, e foi coberta pelas vagas. As suas cidades jazem em ruínas – é um deserto seco e árido, onde ninguém vive nem passa. Darei a paga a Bel, o ídolo de Babilônia, e tirar-lhe-ei da boca o que tragou. Não virão mais povos adorá-lo; as paredes da cidade terão sido derrubadas.

45-47 Ó meu povo, foge de Babilônia, salva a vida da cólera tremenda de YAHU UL. Mas não entres em pânico quando ouvires os primeiros rumores das forças que se aproximam. Esses ruídos tornar-se-ão mais distintos de ano a ano, porque se vão chegando cada vez mais. Depois haverá uma guerra civil em que os governadores do reino se levantarão uns contra os outros. O tempo terá chegado em pleno quando castigar em pleno esta grande cidade e todos os seus ídolos; os seus mortos jazerão estendidos pelas ruas.

48-50Os shua-ólmaYa e a terra se alegrarão, porque virão do norte exércitos destruidores, lançados contra Babilônia, diz YAHU ULHÍM. Tal como Babilónia matou o povo de Yashorúl, assim também deve ser morta. Vão-se embora, vocês que escaparam à espada! Não fiquem aí a olhar – fujam enquanto podem fazê-lo! Lembrem-se de YAHU UL e voltem para YAHUSHUA-oléym, lá longe!

.

51Estamos envergonhados por causa do Templo de YAHU UL ter sido profanado pelos estrangeiros vindos de Babilônia.

52-53Sim, diz YAHU ULHÍM. Mas chegou o tempo da destruição dos ídolos de Babilônia. Por toda a terra se ouvirão os gemidos dos feridos. Ainda que Babilônia pretendia atingir o céu, ainda que a sua força aumente desmesuradamente, ela morrerá, diz YAHU ULHÍM.

54-55Escutem! Prestem atenção ao grande clamor resultante da destruição de Babilônia, a terra governada pelos caldeus! Porque YAHU ULHÍM está a destruir Babilônia, cuja voz altiva se vai calando à medida que as ondas de violência se quebram contra ela.


56-58Exércitos exterminadores virão para assassinar os seus homens mais fortes;
as suas próprias armas se lhes quebrarão nas mãos, pois que YAHU ULHÍM o
Criador Eterno dá-lhes o castigo; Babilônia está a receber aquilo que muito bem
merece. Os seus nobres ficarão como que embriagados, assim como os sábios, os
legisladores, os generais e os seus militares mais valentes. Adormecerão, mas
sem acordarem mais! Assim diz o rei, YAHU UL Tzavulyáo celestiais. Porque as
largas e fortes muralhas de Babilônia serão abatidas até ao chão, e as suas
enormes portas queimadas; foi em vão que ali trabalharam construtores vindos de
muitas terras – o seu trabalho será destruído pelo fogo!

59-64Foi durante o quarto ano do reinado de Tzaodoq-YAHU, que esta mensagem veio a YARMIYAHU, para que a desse a Shear-YAHU (filho de NeriYa, neto de Maose-YAHU), respeitante à captura de Shear-YAHU e ao seu exílio para Babilônia com Tzaodoq-YAHU, rei de YAHUDAH. (Shear-YAHU era comandante de batalhão no exército de Tzaodoq-YAHU.) YARMIYAHU escreveu todas estas terríveis coisas que YAHU ULHÍM planeou contra Babilónia – todas estas palavras que aqui estão acima – e deu o rolo a Shear-YAHU dizendo-lhe: Quando fores para Babilônia, lê tudo isso que escrevi e diz assim, YAHU ULHÍM, disseste que ias destruir Babilônia de tal forma que não ficará uma criatura humana viva aqui, e que será abandonada para sempre’. Depois, quando tiveres acabado de ler todo o rolo, ata-o a uma pedra e lança-o no rio Eufrates, dizendo: Assim será afundada Babilônia, de tal forma que nunca mais emergirá viva, por causa de todo o mal que YAHU ULHÍM trará sobre ela’.(Aqui terminam as mensagens de YARMIYAHU.)

 

YARMIYAHU 52

 

A queda de YAHUSHUA-oléym

 

1-2Tzaodoq-YAHU tinha vinte e um anos quando se tornou rei, e reinou onze anos em YAHUSHUA-oléym. O nome de sua mãe era Hamutal (filha de YARMIYAHU de Libna). Mas foi um mau rei, tal como tinha sido também YAHU-ahim.

3As coisas tornaram-se muito más em YAHUSHUA-oléym e em YAHUDAH,
por causa da ira de YAHU UL, e ele os baniu da sua presença edequias
revoltou-se contra o rei de Babilônia.

4-5No dia quinze de Yaneiro do nono ano do reinado de Tzaodoq-YAHU, Nebuchadnezar apareceu com todo o seu exército contra YAHUSHUA-oléym, e construiu fortificações para ataque, em toda a volta, estabelecendo um cerco à cidade, durante dois anos

6-7Finalmente, em meados de Julho, quando a fome na cidade era já gravíssima, com as reservas de alimento inteiramente esgotadas, os soldados da cidade abriram um buraco na muralha e fugiram, de noite; essa passagem foi feita entre as duas muralhas, perto dos jardins do rei. Eles fizeram isso porque a cidade estava toda cercada pelos caldeus. E assim procuraram fugir através dos campos, em direção a Arabá.

8Mas os caldeus perseguiram-nos e apanharam o rei Tzaodoq-YAHU nuns campos perto de Yáricho; aliás, todos os seus soldados se tinham dispersado, abandonando-o


9Trouxeram-no então à presença do rei de Babilônia, que se tinha instalado na
cidade de Ribla, no reino de Hamate, e foi submetido a um julgamento


10-11Obrigou-o depois a ver os seus próptios filhos e os nobres de YAHUDAH serem
mortos, ali à sua vista; seguidamente arrancou-lhe os olhos, levando-o depois,
em cadeias, para Babilônia, pondo-o numa prisão para o resto da vida.

12-14No dia dezassete de Agosto do décimo nono ano do reinado de Nebuchadnezar, rei de Babilônia, Nabuzaradão, comandante da guarda, chegou a YAHUSHUA-oléym. Pôs fogo ao Templo e ao palácio real, assim como às casas maiores, e mandou os soldados deitar abaixo as muralhas da cidade.

15Depois levou para Babilônia como cativos alguns dos mais pobres de entre o povo, com aqueles que tinham sobrevivido à destruição da cidade e os que tinham fugido a Tzaodoq-YAHU e se tinham juntado ao exército de Babilônia e ainda os comerciantes

.

16Mas deixou alguns outros, dos mais miseráveis do povo, para colherem os frutos dos campos, e como vinhateiros e lavradores.

17-19Os babilônios derrubaram os dois grandes pilares de bronze que estavam à entrada do Templo assim como as bases sobre as quais se apoiavam, mais o mar de bronze, e carregou tudo para Babilônia. Levaram igualmente todos os recipientes, talheres e utensílios usados no serviço do altar, assim como as bacias, perfumadoras e tudo o que era do serviço do Templo. Foram também retirados de lá os incensários, os castiçais de ouro maciço e de prata, mais bacias e taças, tudo de ouro puro e de prata maciça.


20-21O peso dos dois enormes pilares e do mar, assim como dos doze touros de
base, era qualquer coisa de incalculável. Tinham sido feitos nos tempos do rei
Shua-ólmoh. Esses pilares eram, cada um, de nove metros de altura e seis de
envergadura, ocos por dentro, sendo a espessura do metal oito centímetros.


22-23No alto de cada uma das colunas havia capitéis de dois metros e meio de
altura, com figuras gravadas – uma composição de romãs, também em bronze. Havia como que uma rede formada por 96 romãs, aos lados; e à volta havia mais cem.


24-27O comandante da guarda levou também consigo, como prisioneiros, Shear-YAHU, o líder dos intermediários, ZAFNAYAHU, seu assistente, os três chefes da guarda do Templo, um dos oficiais do exército, sete conselheiros especiais do rei
descobertos ainda na cidade, o secretário do comandante do exército YAHÚ-di
(que tinha a seu cargo o recrutamento militar) e ainda sessenta outras
individualidades de relevo na vida YAHÚ-di, que tinham sido encontrados
escondidos. Levou-os ao rei de Babilônia, em Ribla, que os matou a todos. Foi
assim que o exílio de YAHUDAH se completou

.

28-30O número dos cativos levados para Babilónia no sétimo ano do reinado de Nebuchadnezar foi de 3.023. Depois, onze anos mais tarde, levou mais 832; passados ainda mais cinco anos, enviou Nebuzaradão, seu comandante da guarda, e levou mais 745 – no total foram 4.600 os cativos.

 

Yacan-YAHU é libertado

 

31-33Em trinta e um de Março, 37 anos após a prisão em Babilónia de Yacan-YAHU, rei de YAHUDAH, Evil-Marduk, que se tornou rei de Babilônia nesse ano, mostrou-se generoso para com o rei Yacan-YAHU, tirou-o da prisão, falou-lhe gentilmente, e deu-lhe até a preferência sobre todos os outros reis que estavam em Babilônia, dando-lhes roupa nova, e alimentando-o da própria comida que era feita na cozinha do rei; e isso, todo o resto do tempo da sua vida.

34Deu-lhe mais ainda um subsídio regular, para que pudesse atender às necessidades quotidianas, até ao dia da sua morte.

 

..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: