ministeriohorafinal

Viyaokro (Levítico)

VIYAKROS 1 ( Levítico)

 

1-2- YAHU ULHÍM falou a Mehushúa do tabernáculo, e mandou-lhe que desse as seguintes instruções ao povo de Yashorúl: Quando sacrificarem a YAHU ULHÍM tragam animais do vosso gado, dos vossos rebanhos.

3-Se o vosso sacrifício for de gado que oferecem como oferta queimada,
que seja sempre um macho, sem defeito. Tragam o animal até à porta do
tabernáculo onde os intermediários aceitarão a sua oferta a YAHU ULHÍM.

4-9-A pessoa que oferece porá a mão sobre a cabeça do animal. A morte do animal será
aceite por YAHU ULHÍM em lugar da morte do homem que o trouxe; essa morte é o
castigo dos seus pecados. O homem matará então o animal ali perante YAHU ULHÍM;
e os filhos de Aharón, os intermediários, apresentarão o sangue a YAHU ULHÍM,
espargindo-o à volta do altar que está à entrada do tabernáculo. Depois os
intermediários tirarão a pele do animal e o partirão em pedaços. Porão lenha
sobre o altar, acenderão o fogo e colocarão os pedaços, a cabeça e a gordura
sobre a lenha. Os órgãos intestinos e as patas deverão ser lavados com água, e
depois os intermediários queimarão tudo sobre o altar, e será um holocausto com
que YAHU ULHÍM se agradará.

10-13-Se o vosso sacrifício for uma ovelha ou uma
cabra como oferta queimada, devera ser igualmente um macho, sem defeito. O
homem que o trouxer matá-lo-á perante YAHU ULHÍM, no lado norte do altar, e os
filhos de Aharón, os intermediários, espargirão o seu sangue à volta do altar.
Então o homem esquartejá-lo-á, e os intermediários porão os pedaços, mais a
cabeça e a gordura, sobre a lenha no altar. Porém as partes intestinas e as
patas serão primeiro lavadas com água. Depois os intermediários queimarão tudo
sobre o altar como uma oferta a YAHU ULHÍM. É uma oferta queimada com que YAHU
ULHÍM se agrada.

14-15-Se o vosso sacrifício for um pássaro como oferta queimada, devera escolher entre uma rola ou um pombinho. Um intermediário trará a ave sobre o altar, torcer-lhe-á o pescoço e o sangue será escoado junta do altar.

16-Então o intermediário tirará o papo e as penas, lançando-os para o
lado oriental do altar, para o lugar onde estão as cinzas.

17-Depois fende-a por entre as asas mas sem as separar, e queimará tudo sobre o altar. É uma oferta queimada com que YAHU ULHÍM se agrada.

 

VIYAKROS 2

 

A oferta de cereais

 

1-2-Se o vosso sacrifício for uma oferta de cereais, será de farinha fina misturada com azeite e incenso. Tomará um punhado de farinha, deitando-lhe azeite e juntando todo o incenso, trazendo-o a um dos intermediários para que o queime, em representação de toda a oferta, e YAHU ULHÍM se agradará disso.

3-O resto da farinha devera ser dado a Aharón e aos seus filhos como alimento; mas toda ela devera ser considerada uma santa oferta queimada a YAHU ULHÍM.

4-7-Se for antes pão cozido no forno, aquilo que vier a ser trazido como oferta a YAHU ULHÍM, devera ser feito de farinha finamente moída, amassada com azeite, mas sem fermento. Bolachas, sem fermento, mas untadas com azeite podem também servir para oferta. Se o vosso sacrifício for uma oferta de cereais feita na frigideira, será de farinha moída muito fino, sem fermento e amassada com azeite. Parte-se isso em pedaços, deita-se-lhe azeite em cima – será assim igualmente uma oferta de cereais. Se a oferta for cozida numa panela, devera também ser de fina farinha com azeite.

8-Contudo, seja como ela for – ou cozida no forno, ou frita na frigideira, ou cozida na
panela – essa oferta de cereais devera ser trazida ao intermediário que a
levará ao altar para a apresentar a YAHU ULHÍM.

9-10-Os intermediários deverão queimar apenas uma porção representativa mas toda ela será plenamente apreciada pelo YAHU ULHÍM. O resto pertence aos intermediários para seu alimento, mas o todo é considerado como uma santa oferta queimada a YAHU ULHÍM.

11-12-Não empreguem fermento nas vossas ofertas de farinha; porque nem fermento, nem tão pouco mel, é permitido nas ofertas queimadas a YAHU ULHÍM. Poderão oferecer pão e mel como oferta de gratidão por ocasião das colheitas, mas não como ofertas queimadas.

13-Toda a oferta será temperada com sal, porque o sal é uma lembrança do pacto com YAHU ULHÍM.

14-15-Se a vossa oferta for dos primeiros frutos das vossas colheitas, debulha o grão das espigas verdes, tosta-os e oferece isso então a YAHU ULHÍM. Põe azeite e incenso na oferta porque é uma oferta de cereais. Então o intermediário queimará uma parte desse grão debulhado, misturado com azeite e todo o incenso, como memorial perante YAHU ULHÍM.

 

VIYAKROS 3

 

Sacrifício de gratidão

 

1- Se o vosso sacrifício for de gratidão a YAHU ULHÍM, pode oferecer tanto um boi como uma vaca, mas devera ser sem defeito algum, para poder ser oferecido a YAHU ULHÍM.

2-5-O homem que o trouxer porá a mão sobre a cabeça do animal, e matá-lo-á à porta do tabernáculo. Os filhos de Aharón, os intermediários, derramarão o sangue sobre os lados do altar, e queimarão perante YAHU ULHÍM a gordura que cobre as partes intestinas, os dois rins com a sua gordura e a vesícula biliar. É uma oferta queimada com que YAHU ULHÍM se agrada.

6-Se o vosso sacrifício de gratidão a YAHU ULHÍM for antes gado
miúdo, não devera ter defeito algum, e pode ser tanto um macho como uma fêmea.


7-11-Se for um cordeiro, o homem que o trouxer por-lhe-á a mão na cabeça e o
matará a entrada do tabernáculo. Os intermediários derramarão do sangue dele à
volta do altar, e oferecerão sobre o altar a gordura, a cauda, cortada rente ao
espinhaço, a gordura que cobre as partes internas, os dois rins com a sua
gordura, e a vesícula biliar, como oferta queimada a YAHU ULHÍM.

12-17-Se for um cabrito para oferecer a YAHU ULHÍM, por-lhe-á a mão na cabeça e matá-lo-á à entrada do tabernáculo. Os intermediários aspergirão o seu sangue sobre os lados do altar, e neste oferecerão, como oferta queimada para YAHU ULHÍM, a
gordura que cobre os órgãos internos, os dois rins e a gordura que está sobre
eles e a vesícula. É uma oferta queimada com que YAHU ULHÍM se agrada. Toda a
gordura é de YAHU UL. Aliás, isto é uma lei em toda a vossa terra para sempre:
não comerão nem gordura nem sangue..

 

VIYAKROS 4

 

A oferta pelos pecados

 

1- YAHU ULHÍM deu mais estas instruções a Mehushúa:

2-Diz ao povo que estas são as minhas leis respeitantes a alguém que,
sem intenção, violar algum dos meus mandamentos.

3-12-Se um intermediário pecar sem ser propositadamente, trazendo, contudo culpa sobre o povo, deve oferecer a YAHU ULHÍM um novinho sem defeito para expiação do seu pecado. Devera trazê-lo à porta do tabernáculo, pôr-lhe a mão na cabeça e matá-lo na presença de YAHU ULHÍM. Depois esse intermediário tomará do sangue do animal e o trará até dentro do tabernáculo; porá o seu dedo no sangue e devera espargi-lo sete
vezes, perante YAHU ULHÍM, diante do véu que separa o lugar santíssimo. Seguidamente porá igualmente um pouco de sangue nos chifres do altar de incenso que está perante YAHU ULHÍM, no tabernáculo. O resto do sangue será derramado na base do altar das ofertas queimadas à entrada do tabernáculo. Então tomará toda a gordura das entranhas, os dois rins e a respectiva gordura e a vesícula
biliar, e queimará tudo no altar das ofertas queimadas, tal como no caso do boi
ou vaca sacrificados como oferta de gratidão. Contudo o que ficar do novilho –
a pele, a carne, a cabeça, as patas, os órgãos internos e os intestinos – será
transportado para um lugar fora do acampamento, para um lugar ritualmente
limpo, o mesmo lugar para onde se levam as cinzas do altar, e queimará tudo num
fogo de lenha.

13-21-Se for toda a nação de Yashorúl que pecar sem se dar conta
disso, e fizer alguma coisa que YAHU ULHÍM tenha dito para não se fazer, o povo
ficará, por consequência, culpado. Quando se derem conta do que aconteceu
deverão oferecer um novilho como sacrifício de expiação do pecado e trazê-lo
até diante do tabernáculo, onde os anciãos da nação porão as mãos sobre a
cabeça do animal e o matarão na presença de YAHU UL. Então o intermediário
trará o seu sangue para dentro do tabernáculo, molhará o dedo nele e o
salpicará sete vezes diante de YAHU UL, na frente do véu. Depois porá do sangue
nos chifres do altar que está no tabernáculo, diante de YAHU UL, e o resto irá
vazá-lo na base do altar das ofertas queimadas, no pátio, à entrada do
tabernáculo. Tirará toda a gordura e a queimará sobre o altar. E seguirá o
mesmo processo da oferta de pecado; desta maneira o intermediário fará a
expiação por toda a nação, e todos serão perdoados. O intermediário
transportará depois o novilho para fora do campo e o queimará ali, tal como se
fosse uma oferta de expiação do pecado de um indivíduo; somente que desta vez é
por expiação do pecado de toda a nação.

22-26-No caso de ser antes um ancião que
pecar, sem ser com intenção, e se tornar culpado de desobediência a uma das leis
de YAHU ULHÍM, logo que tal fato lhe seja notificado devera trazer como
sacrifício um bode, sem defeito. Por-lhe-á a mão na cabeça e o matará no lugar
onde são mortas as ofertas queimadas e apresentá-lo-á a YAHU ULHÍM. Este é o
sacrifício que apresenta para a expiação do seu pecado. Seguidamente o
intermediário tomará algum do sangue do animal e com o dedo porá dele nos
chifres do altar dos holocaustos; o resto do sangue será derramado na base do
altar. Toda a gordura será queimada sobre o altar, tal como se fosse o
sacrifício de uma oferta de gratidão; dessa maneira o intermediário fará a
expiação do pecado cometido pelo chefe do povo, e este será perdoado.

27-28-Se se tratar de alguém do povo que tiver pecado, mas sem ter consciência disso,
será considerado culpado. Mas assim que a sua consciência for despertada para
tal fato, devera trazer como sacrifício uma cabra sem defeito para expiar o seu
pecado.

29-31-Tem de trazê-la para o lugar onde os animais oferecidos em
holocausto são mortos, e aí por-se-á a mão na cabeça e a matará. O
intermediário molhará o dedo no sangue do animal e o porá nos chifres do altar
das ofertas queimadas. O resto do sangue, o intermediário o derramará na base
do altar. Toda a sua gordura lhe será tirada, tal como se faz para o sacrifício
de oferta de gratidão, e o intermediário a queimará no altar, sendo de agrado a
YAHU ULHÍM. Assim o intermediário fará expiação por esse homem, o qual será
perdoado.

32-35-No entanto se ele preferir trazer um cordeiro como sacrifício
pelo seu pecado, devera ser fêmea, sem nenhum defeito físico. Devera trazê-la
para o lugar onde são mortos os holocaustos, por-lhe-á a mão na cabeça e
matá-la-á, como uma oferta em sacrifício pelo pecado. O intermediário tomará um
pouco do sangue, com o dedo, e o porá nos chifres do altar dos holocaustos,
derramando o resto na base do mesmo. Quanto à gordura, tirá-la-á tal como faz
com o cordeiro da oferta de gratidão e o intermediário a queimará no altar, da
mesma forma que com qualquer outro sacrifício apresentado a YAHU ULHÍM pelo
fogo. O intermediário faz assim expiação por essa pessoa, e o seu pecado será
perdoado.

 

VIYAKROS 5

 

1-Se alguém recusar dar testemunho respeitante a um acto mau de que tenha ouvido falar ou que tenha visto, será culpado.

2-Se alguém tocar nalguma coisa considerada ritualmente impura – tal
como o corpo morto de um animal proibido para alimento, seja selvagem seja
doméstico, ou o corpo dalguns insectos proibidos – será imundo e culpado, ainda
que o tenha feito sem saber.

3-Ou se tocar alguma impureza humana de qualquer
espécie, torna-se culpado assim que se der conta do que fez.

4-Se alguém fizer um juramento, seja para o bem ou para o mal, e quando chegar a ter consciência de quanto foi irreflectido ao pronunciar tal coisa, será culpado.

5-6-Em qualquer destes casos a pessoa culpada devera confessar o seu pecado, e trazer a sua oferta em sacrifício de culpa a YAHU ULHÍM: um cordeiro fêmea ou uma cabra; o
intermediário fará expiação por ela com respeito a este pecado.

7-10-Se for demasiado pobre para trazer a YAHU ULHÍM um cordeiro, devera trazer então duas rolas ou dois pombinhos como oferta de culpa. O intermediário oferecerá como sacrifício pelo pecado qualquer deles que lhe foi traduzido primeiro,
torcendo-lhe o pescoço, mas sem separar a cabeça do corpo. Depois aspergirá um
pouco do sangue sobre o lado do altar, derramando o resto na base; esta é a
oferta pelo pecado. O segundo pássaro será oferecido como holocausto, conforme
o preceito habitual que já foi indicado. É desta maneira que o intermediário
fará expiação pelo seu pecado e ele será perdoado.

11-13-Se for tão pobre que não possa trazer nem rola nem pombinho, trará três litros de farinha fina. Mas não devera amassá-la com azeite, nem pôr-lhe incenso, porque se trata de uma oferta pelo pecado. Devera trazê-la ao intermediário, e este tomará um punhado como porção representativa, queimando-a no altar tal como qualquer outra oferta feita a YAHU ULHÍM pelo fogo. Esta será a oferta pelo seu pecado. É desta
maneira que o intermediário fará expiação por ele, por qualquer pecado desta
espécie, e será perdoado. O resto da farinha pertence ao intermediário, tal
como aconteceu com a oferta de cereais.

 

A oferta de culpa

 

14-E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

15-16-Se alguém pecar, sem ser intencionalmente, transgredindo por ignorância das coisas sagradas de YAHU UL, então devera trazer um carneiro, sem defeito físico, no
valor daquilo que estimares ter sido o montante da transgressão em causa ; essa
será a oferta que pela sua culpa fará a YAHU ULHÍM. E restituirá aquilo que
defraudou das coisas sagradas, pagando o que deve, acrescido dum quinto. Devera
trazê-lo ao intermediário que fará expiação por ele com o carneiro de oferta de
culpa, e será perdoado.

17-19-Alguém que desobedece a qualquer lei de YAHU
ULHÍM, mesmo sem ter tido consciência disso, será culpado, e devera trazer o
seu sacrifício dum valor que estimares ter sido o da transgressão em causa.
Este sacrifício será um carneiro sem defeito, que será trazido ao intermediário
como uma oferta de culpa; com ele o intermediário fará o resgate por essa
pessoa, para que seja perdoado por aquilo que tiver feito sem o saber. Devera
ser oferecido como uma oferta de culpa, porque sem dúvida que se tornou culpado
perante YAHU ULHÍM.

 

VIYAKROS 6

 

1-E falou mais YAHU ULHÍM a Mehushúa o seguinte:

2-7-Se alguém pecar contra YAHU ULHÍM, recusando devolver o depósito
referente a qualquer coisa que emprestou ou que alugou, ou recusando devolver
aquilo que lhe foi emprestado ou alugado, ou então roubado o seu próximo, ou
que tenha encontrado qualquer coisa e depois minta, jurando que nunca viu coisa
nenhuma, na altura em que for declarado culpado destes pecados devera restituir
o que subtraiu, acrescido de vinte por cento sobre o valor em questão,
entregando-o a quem defraudou; e na mesma ocasião trará a sua oferta de culpa
ao tabernáculo. Esta oferta devera ser um carneiro, sem defeito físico, e há-de
ter o valor daquilo que tu estimares. Tem de trazê-lo ao intermediário; este
fará expiação por ele perante YAHU ULHÍM e será perdoado.

 

Os holocaustos

 

8- YAHU ULHÍM disse assim a Mehushúa:

9-13-Dá a Aharón e aos seus filhos o seguinte regulamento respeitante aos holocaustos:
A oferta queimada será deixada sobre o altar toda a noite, mantendo o fogo do
altar aceso. Na manhã seguinte o intermediário devera vestir a roupa interior
própria, de linho, assim como o vestuário litúrgico, tirar as cinzas depois do
fogo ter consumido o holocausto, pondo-as junto do altar. Depois mudará de
roupa e levará as cinzas para fora do acampamento para um lugar considerado
ritualmente limpo. Entretanto, o fogo no altar deve ser mantido aceso; não
deverão deixar apagar-se. O intermediário porá nova lenha em cada manhã, e
deixará ali a oferta queimada diária, queimando a gordura da oferta diária de
paz. O fogo deve ser mantido aceso no altar continuamente. Nunca deixarão
apagar-se.

 

A oferta de cereais

 

14-Este é o regulamento respeitante à oferta
de cereais. Os filhos de Aharón ficarão de pé diante do altar, para a oferecer
perante YAHU ULHÍM.

15-18- O intermediário tomará então uma mão-cheia dessa
farinha moída muito fino, amassada com o seu azeite e todo o incenso, e
queimará sobre o altar uma porção simbólica, para YAHU ULHÍM, o qual terá nisso
grande prazer. Depois de ter retirado essa mão-cheia, o resto da farinha
pertence a Aharón e aos filhos como alimento, e devera ser comida, sem
fermento, no pátio do tabernáculo. Insiste nesta indicação: de que se for
cozido, devera sê-lo sem fermento. Portanto destinei aos intermediários esta
parte das ofertas queimadas que me são feitas. Contudo toda ela é coisa
santíssima, tal como acontece com a totalidade da oferta pelo pecado e a oferta
de culpa. Poderá ser comida por qualquer intermediário, descendente masculino
de Aharón. Mas unicamente os intermediários poderão comer destas ofertas feitas
pelo fogo a YAHU ULHÍM.

19-23- E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: No dia em que
Aharón e os seus filhos forem investidos como intermediários, hão-de trazer a YAHU
ULHÍM uma oferta de cereais – três litros de fina farinha, metade dela a ser
ofertada na manhã e a outra metade na tarde. Devera ser frita numa frigideira,
usando azeite; devera ficar muito bem frita e depois trazida a YAHU ULHÍM como
oferta que muito lhe agradará. Sempre que os filhos dos intermediários vierem a
substituir seus pais, ao serem investidos nas suas funções sacerdotais, deverão
oferecer este mesmo sacrifício no dia da sua unção. Isto é uma lei válida para
sempre. Estas ofertas deverão ser queimadas inteiramente perante YAHU ULHÍM;
não se comerá nada delas.

 

A oferta pelo pecado

 

24-Disse mais YAHU ULHÍM a Mehushúa:

25-28-Dá a Aharón e aos seus filhos as seguintes instruções respeitantes à oferta de
pecado: Este sacrifício é coisa santíssima, e o animal devera ser morto perante
YAHU ULHÍM no lugar onde as ofertas queimadas são mortas. O intermediário que
realiza a cerimónia deve comê-lo no pátio do tabernáculo. Apenas os que são
santificados – os intermediários – podem tocar nesse alimento; e se alguma
parte desse sangue cair sobre a roupa de alguém, essa devera ser lavada no
lugar santo. O recipiente de barro em que a carne for cozida tem de ser
quebrada; e se se tratar de um recipiente de bronze, deve ser esfregado e
lavado com água.

29-30-Todo o homem dentre os intermediários, e somente estes, podem comer esta oferta, porque é coisa santíssima. Nenhuma oferta de expiação de pecado, contudo, poderá ser comida pelos intermediários, se algum do seu sangue for trazido para o tabernáculo para se fazer resgate no lugar santo. Essa carcaça do animal deve ser inteiramente queimada com fogo diante de YAHU UL.

 

VIYAKROS 7

 

A oferta pela culpa

 

1-Aqui estão as instruções dizendo respeito à
santíssima oferta de expiação de culpa:

2-6-O animal do sacrifício devera ser morto no lugar onde são degolados os holocaustos, e o seu sangue aspergido sobre todo o altar. O intermediário oferecerá sobre o altar toda a sua gordura, e também a cauda, além da gordura que cobre as partes internas, e ainda os dois rins com a gordura que os cobre, e a vesícula; tudo será posto de parte para o sacrifício. O intermediário queimá-los-á sobre o altar como oferta de expiação de culpa a YAHU ULHÍM. Só os homens, de entre os intermediários, poderão comer a carcaça do animal, e sempre no lugar santo, porque se trata de um sacrifício
santíssimo.

7-10-As mesmas instruções se aplicam tanto à oferta de pecado como à
de culpa – a carcaça devera ser dada ao intermediário encarregado da cerimónia
de resgate, porque é alimento seu. Quando a oferta é um sacrifício queimado, o
intermediário oficiante terá para si a pele do animal. Os intermediários que
apresentarem a YAHU ULHÍM as ofertas de cereais trazidas pelo povo ficarão com
o que restar do sacrifício após a conclusão da cerimónia. Esta regra aplica-se
quer o sacrifício seja cozido, frito ou grelhado. Todas as outras ofertas de
cereais, amassadas com azeite ou secas, serão propriedade comum de todos os
filhos de Aharón.

 

A oferta de paz

 

11-São as seguintes as indicações
respeitantes aos sacrifícios dados a YAHU ULHÍM como sacrifícios de paz:


12-15-Se se tratar de uma oferta de ação de graças, deverão ser incluídos no
sacrifício pãezinhos sem fermento, acompanhados de bolachas sem fermento
amassadas com azeite e bolos feitos de massa de farinha fina amassada com
azeite. Esta oferta de louvores e de paz será acompanhada de bolos de farinha
levedada. Parte deste sacrifício será apresentado a YAHU ULHÍM com um gesto
especial de movimento perante o altar; depois será dada ao intermediário
oficiante, o qual espargirá o sangue do animal apresentado como sacrifício.
Após o animal ter sido sacrificado a YAHU ULHÍM como oferta de paz que lhe
testemunhe louvor e gratidão, a sua carne é para ser comida nesse mesmo dia,
sem nada se deixar ficar para o dia seguinte.

16-18-Contudo se alguém trouxer um
sacrifício que não seja de ação de graças, mas antes por causa de um voto, ou
simplesmente como uma oferta voluntária a YAHU ULHÍM, aquilo que do sacrifício
não tiver sido comido no dia em que foi apresentado pode ser comido no dia
seguinte. No entanto o que ficar até ao terceiro dia deve ser queimado. Porque
se alguma porção for comida no terceiro dia YAHU ULHÍM não aceitará; não terá
valor como sacrifício e não será dado crédito a favor daquele que a trouxe como
oferta. O intermediário que o comer será culpado, porque fez algo detestável a YAHU
ULHÍM; a pessoa que comeu devera responder pelo seu pecado.

19-21-Qualquer carne que aconteça tocar em algo de ritualmente imundo não poderá ser comida, mas antes ardida; e quanto à comida que pode ser comida, deve sê-lo somente por alguém ritualmente limpo. Algum intermediário que esteja ritualmente impuro e que venha a comer de alguma forma da carne da oferta de ação de graças será
banido do seu povo, porque manchou algo que é sagrado, que pertence a YAHU
ULHÍM. Alguém que tocar seja no que for cerimonialmente impuro, seja imundice
de ser humano, seja de animal, e que depois comer da oferta de paz, devera ser
banido do seu povo, porque manchou algo de santo.

 

Proibido comer sangue e gordura

 

22-E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

23-25-Diz ao povo de Yashorúl que nunca coma gordura, seja de boi, de carneiro ou de cabra. A gordura de um animal que morre de doença, ou que tenha sido morto por um
outro animal, pode ser usada para qualquer fim, mas que não seja comida. Alguém
que coma de uma oferta sacrificada pelo fogo a YAHU ULHÍM devera ser banido do
seu povo.

26-27-Nunca se coma o sangue, seja de pássaros, seja de quadrúpedes.
Alguém que o fizer será excomungado do seu povo.

 

A porção de Aharón e seus filhos

 

28-E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

29-36-Diz ao povo de Yashorúl que, alguém que trouxer uma oferta de louvor a YAHU ULHÍM deve trazê-la pessoalmente, com as suas próprias mãos. Trará a oferta da gordura e do peito que deve ser apresentado a YAHU ULHÍM, movendo-o perante o altar. Então o intermediário queimará a gordura sobre o altar, mas o peito pertencerá
a Aharón e aos seus filhos, enquanto que a coxa direita será dada ao
intermediário oficiante. Porque destinei tanto o peito como a coxa para serem o
donativo do povo de Yashorúl aos filhos de Aharón. Portanto a Aharón e aos seus
filhos será sempre dada esta porção de sacrifício. É a porção que lhes é
devida. Devera ser retirada das ofertas queimadas e dada a todos aqueles que
foram designados para administrar para YAHU ULHÍM como intermediários, ou seja,
a Aharón e aos seus filhos. Porque no dia em que YAHU ULHÍM os ungiu mandou
também que o povo de Yashorúl lhes desse estas porções; é pois um direito seu
para sempre, no decurso de todas as gerações vindouras.

37-38-Foram pois estas as instruções respeitantes às ofertas queimadas, ofertas de cereais, ofertas de pecado, ofertas de culpa, e respeitantes ainda às ofertas de consagrações e às ofertas de paz; foram dadas a Mehushúa pelo YAHU ULHÍM no Monte Sinai, a fim de serem transmitidas ao povo de Yashorúl para que soubessem como oferecer os seus sacrifícios a YAHU ULHÍM no deserto de Sinai.

 

VIYAKROS 8

 A ordenação de Aharón e dos seus filhos

1- YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

2-3-Agora traz Aharón e os seus filhos para a entrada do tabernáculo, e que venham com os paramentos, mais o óleo de unção, e ainda um novilho para oferecer de pecado,
dois carneiros e o cesto de pães sem fermento. Convoca todo o povo de Yashorúl
para uma assembleia ali.

4-5-Assim o povo se juntou, e Mehushúa disse-lhes: O
que agora vou fazer foi mandado por YAHU ULHÍM.

6-9-Então tomou Aharón e os seus filhos, lavou-os com água, vestiu Aharón com a túnica especial, pôs-lhe a faixa, o manto, o colete do éfode e o cinto belamente tecido. De seguida pôs-lhe o peitoral e depositou o urim e o tumim na sua bolsa. Colocou-lhe na cabeça o turbante, tendo na parte frontal a placa sagrada em ouro – a coroa
santa – tal como YAHU ULHÍM tinha ordenado.

10-13-Então Mehushúa pegou no azeite da unção, aspergiu-o sobre o próprio Templo (o tabernáculo) e sobre tudo o que ele continha, para tudo santificar. Espargiu também o altar sete vezes, assim como os seus utensílios e também a bacia mais o pedestal, para os santificar. Depois derramou o azeite da unção sobre a cabeça de Aharón, santificando-o assim de forma a poder executar o serviço a que se destinava. Em seguida vestiu as túnicas aos filhos de Aharón, e ainda os cintos e os gorros, tal como YAHU ULHÍM lhe tinha mandado.

14-17-Seguidamente pegou no novilho da oferta de
pecado, e Aharón mais os seus filhos puseram-lhe as mãos em cima da cabeça,
enquanto Mehushúa o matava. Salpicou com o seu dedo um pouco do sangue do
animal sobre os quatro chifres do altar e sobre o próprio altar para o
santificar, e derramou o resto do sangue na base do altar. Foi pois assim que
santificou o altar fazendo resgate por ele. Tomou toda a gordura que cobria as
entranhas, toda a massa gordurosa que cobre o fígado, os dois rins com a sua
gordura, e queimou tudo no altar. A carcaça do novilho, com a pele e o esterco,
foi queimada fora do acampamento, tal como YAHU ULHÍM mandara a Mehushúa.


18-21-Depois apresentou a YAHU ULHÍM um dos carneiros como oferta queimada.
Aharón e os filhos puseram-lhe as mãos na cabeça, e Mehushúa matou-o,
espargindo o sangue sobre todo altar. Depois esquartejou-o e queimou os
pedaços, assim como a cabeça e a gordura. Em seguida lavou com água as partes
internas, mais as patas, e queimou isso no altar, de forma que todo o carneiro
foi assim consumido perante YAHU ULHÍM; foi uma oferta queimada que agradou
muito a YAHU ULHÍM, porque todas as indicações de YAHU ULHÍM a Mehushúa foram
cumpridas.

22-24-Mehushúa apresentou o outro carneiro, o carneiro da
consagração. Aharón e os seus filhos puseram as mãos na cabeça do animal,
Mehushúa matou-o e pôs um pouco do sangue na ponta da orelha direita de Aharón
assim como no seu polegar direito e ainda no dedo grande do seu pé direito.
Após isso, fez o mesmo em relação aos filhos, pondo do sangue sobre a ponta das
orelhas e sobre os polegares das mãos e dos pés direitos. O resto do sangue
espargiu-o sobre todo o altar.

25-29-De seguida tomou a gordura, a cauda, a gordura das partes intestinais, a vesícula, os dois rins mais a respectiva gordura e a espádua direita, pôs sobre isto um bolo sem fermento, um bolo untado com azeite, uma bolacha, tirados do cesto que fora colocado perante YAHU ULHÍM. Tudo foi posto nas mãos de Aharón e dos seus filhos para ser apresentado a YAHU ULHÍM, com um gesto de movimento, na frente do altar. Mehushúa tomou depois isso das suas mãos e queimou-o sobre o altar, ao mesmo tempo em que o holocausto, para YAHU ULHÍM. E YAHU ULHÍM agradou-se dessa oferta. Então Mehushúa pegou no peito e apresentou a YAHU ULHÍM, movendo-o diante do altar. Esta foi a porção pertencente a Mehushúa, do carneiro da consagração, conforme YAHU ULHÍM o tinha instruído.

30-Em seguida tomou algum do azeite, e parte do sangue
que fora espargido sobre o altar e salpicou-o em Aharón e nas suas roupas,
fazendo o mesmo com os filhos, consagrando dessa forma ao serviço de YAHU UL
Aharón, seus filhos e as respectivas roupas.

31-32-Disse Mehushúa para Aharón e seus filhos: Comam a carne na entrada do Templo, e comam-na com o pão que está no cesto da consagração, tal como vos instrui para que fizessem. Tudo o que restar da carne e do pão devera ser ardido.

33-E disse-lhes que não deixassem a entrada do tabernáculo durante sete dias, após o que a sua consagração ficaria completa. Esta devera durar pois sete dias.

34-38-Mehushúa afirmou novamente que o que fizera nesse dia tinha sido mandado pelo YAHU ULHÍM a fim de fazer resgate por eles. E mais uma vez avisou Aharón e seus filhos de que deveriam ficar à porta do tabernáculo dia e noite pelo espaço de sete dias. Se saírem daí, disse-lhes, morrerão – foi o que YAHU ULHÍM disse. E Aharón com os seus filhos fizeram tudo o que YAHU ULHÍM mandara a Mehushúa.

 

VIYAKROS 9

 

Os intermediários começam o seu serviço
espiritual

 

1-2- No oitavo dia Mehushúa chamou Aharón, os seus filhos, mais os anciãos de Yashorúl, e disse a Aharón que trouxesse um bezerro para a oferta de expiação do pecado e um carneiro sem defeito físico como oferta de holocausto, e que os oferecesse perante YAHU ULHÍM.

3-4-E diz ao povo de Yashorúl, mandou-lhe Mehushúa, que tragam um bode para expiação do pecado; além deste, um bezerro e um cordeiro, ambos de um ano, sem defeito, para a sua oferta queimada. Devem ainda trazer a YAHU ULHÍM uma oferta de
sacrifício de paz: um boi e um carneiro, e mais uma oferta de cereais: farinha
amassada com azeite. Porque hoje, disse-lhe Mehushúa,  YAHU ULHÍM vos aparecerá.

5-6- Assim trouxeram tudo isso até à entrada do tabernáculo, conforme Mehushúa mandara, e o povo veio e ficou de pé na presença de YAHU UL. Mehushúa disse-lhes: Quando tiverem cumprido com as instruções de YAHU UL, a sua glória vos aparecerá.

7-11- Mehushúa mandou Aharón chegar-se ao altar e oferecer a oferta de expiação do pecado e o holocausto (ou oferta queimada), fazendo assim expiação por si mesmo
primeiramente, e depois pelo povo, tal como YAHU ULHÍM ordenara. Assim Aharón
foi até ao altar e matou o bezerro como sacrifício pelo próprio pecado; os seus
filhos trouxeram-lhe o sangue e, molhando o dedo nele, salpicou sobre os
chifres do altar e o resto derramou na base do altar. Em seguida queimou sobre
o altar a gordura, os rins, e a vesícula desse sacrifício de pecado, tal como YAHU
ULHÍM indicara a Mehushúa, porém a carne e a pele queimou num lugar fora do
acampamento.

12-14-Seguidamente matou o animal de oferta de holocausto, os
filhos trouxeram-lhe o sangue e ele espargiu-o sobre todo o altar; trouxeram-lhe
igualmente as partes em que o animal foi partido, incluindo a cabeça, e queimou
tudo sobre o altar. Lavou as partes intestinais e as patas, oferecendo isto
também sobre o altar como oferta queimada.

15-16- Após isso sacrificou a oferta do povo. Degolou o bode e ofereceu-o da mesma maneira que tinha feito para a oferta por si próprio. Assim sacrificou as suas ofertas queimadas a YAHU ULHÍM, de acordo com as instruções dadas por YAHU ULHÍM.

17- Depois apresentou a oferta de cereais, tomando dela uma mão-cheia e queimando-a sobre o altar, além da oferta regular da manhã.

18-21- Então degolou o boi e o carneiro – o sacrifício de paz da parte do povo; os filhos de Aharón trouxeram-lhe o sangue e ele espargiu-o sobre todo o altar. Entregaram-lhe também a gordura dos dois animais, assim como a cauda e a gordura que cobre as entranhas, mais os rins e a vesícula. A gordura foi colocada sobre o peito dos animais, e Aharón queimou-a sobre o altar; mas o peito e a espádua direita ofereceu-os com um
lento movimento baloiçante perante YAHU ULHÍM, tal como Mehushúa instruira.


22-24- Por fim, com as mãos levantadas na direção do povo, Aharón abençoou-o e
desceu do altar. Mehushúa e Aharón entraram no tabernáculo; quando tornaram a
sair abençoaram de novo o povo. E a glória de YAHU UL apareceu a toda a
assembleia, tendo vindo fogo do céu que consumiu o holocausto e a gordura sobre
o altar. Quando o povo viu isto todos clamaram de alegria e se inclinaram até à
terra perante YAHU ULHÍM.

 

VIYAKROS 10

 

A morte de Naodáb e Abiú

 

1-2- Mas Naodáb e Abiú, filhos de Aharón,
tomaram cada um o seu incensário, puseram-lhe fogo e incenso sobre ele,
trazendo assim fogo estranho perante YAHU ULHÍM – contrariamente àquilo que YAHU
ULHÍM expressamente ordenara! Então saiu fogo da presença de YAHU UL que os
consumiu.

3- Mehushúa disse a Aharón: Foi isto mesmo que YAHU ULHÍM disse:‘Darei prova da minha santidade através daqueles que se aproximam de mim, e serei glorificado assim perante todo o povo’.Porém Aharón guardou silêncio.

4-5- Mehushúa chamou então Mishua-Úl e Elzafã, primos de Aharón, filhos de Uzul e disse-lhes: Vão buscar os corpos de diante do tabernáculo e levem-nos para fora do
acampamento. E assim fizeram e levaram-nos, mesmo nas túnicas com que estavam,
tal como Mehushúa lhes dissera.

6-7- Então Mehushúa disse a Aharón e aos seus
filhos Úlozor e Itamar: Não descubram as vossas cabeças (em sinal de
contrição), nem rasguem as vossas roupas, para que não venham a morrer também,
e a ira de YAHU ULHÍM não venha a este povo de Yashorúl. No entanto o resto do
povo pode lamentar todo este terrível fogo que YAHU ULHÍM mandou. Vocês contudo
não devem afastar-se do tabernáculo, sob pena de morrer, pois que o azeite da
unção de YAHU ULHÍM está sobre vocês. Eles assim fizeram como Mehushúa lhes
disse.

8-11 – YAHU ULHÍM disse mais o seguinte a Aharón: Não bebam nunca vinho
nem bebida forte quando entrarem no tabernáculo, se não morrerão. Esta regra
aplicar-se-á a vocês e a todos os vossos descendentes, em todas as gerações
vindouras. O vosso dever é ensinar o povo, mostrar-lhe qual a diferença entre o
santo e o profano, o puro e o impuro, e ensinar-lhe todas as leis que YAHU
ULHÍM tem dado por intermédio de Mehushúa.

12-14- Mehushúa disse a Aharón e aos seus filhos que lhe ficaram, Úlozor e Itamar: Tomem a oferta de cereais – o que ficou depois de ter oferecido a YAHU ULHÍM aquela mão-cheia que foi queimada sobre o altar – certifiquem-se de que não há nela fermento e comam-na junto do altar, num lugar sagrado; trata-se de uma oferta santíssima. Por isso devem comê-la num lugar santo, que é o Templo. É uma porção que vos pertence a ti e a teus filhos, essa parte das ofertas a YAHU ULHÍM feitas com fogo. Assim me foi ordenado. Mas o peito e a coxa, que foram oferecidas a YAHU ULHÍM com um movimento balanceado, na sua presença, podem comer isso num lugar limpo cerimonialmente. É um alimento que vos é destinado, a ti, aos teus filhos e
filhas. É a porção que vos pertence dos sacrifícios de paz que faz o povo de Yashorúl.


15- O povo devera trazer a coxa, que foi posta de parte, mais o peito que foi
oferecido quando a gordura se queimava, e deverão apresentá-los à presença de YAHU
UL com um movimento ritual. E depois então vos pertencerão, a ti e à tua
família, tal como YAHU ULHÍM tem ordenado.

16- Mehushúa procurou por toda a parte a cabra da oferta de pecado, e descobriu que tinha sido queimada. Por causa disso ficou muito zangado com Eleazar e com Itamar, os filhos que restaram a Aharón.    

17-18- Porque não comeram vocês a oferta pelo pecado no Templo, visto que
é coisa santíssima? YAHU ULHÍM vo-la deu para que levassem a iniquidade e a
culpa do povo, para fazer expiação por eles perante YAHU ULHÍM!, disse-lhes
ele. Visto que o sangue não foi levado para dentro do Templo, deveriam
certamente tê-la comido lá tal como vos mandei.

19-Mas Aharón intercedeu junto a Mehushúa: Eles ofereceram a sua oferta de expiação do pecado e o seu holocausto perante YAHU ULHÍM, disse. Mas poderia eu comer a expiação pelo pecado num dia como este? Teria isso agradado a YAHU ULHÍM?

20-Mehushúa, ouvindo isto, ficou de acordo.

 

VIYAKROS 11

 

Animais que se pode e que não se pode comer

 

1- Então YAHU ULHÍM disse a Mehushúa e a Aharón:

2-7- Digam o seguinte ao povo de Yashorúl: ‘Os animais que podem servir
para a alimentação são os que têm o casco fendido e que ruminam. Quer isto
dizer que os seguintes animais não devem ser comidos: o camelo que rumina mas
não tem o casco fendido; o coelho (ou o texugo) que rumina mas não tem casco
fendido; a lebre que também rumina mas não tem casco fendido; o porco que ainda
que tenha o casco fendido não rumina.

8-Não deverão comer a sua carne nem sequer
tocar nos seus cadáveres. É alimento que vos é proibido.

9-12-E quanto aos peixes poderão comer os que têm barbatanas e escamas, sejam pescados no mar ou em rios; mas todos os outros vos são proibidos. Não deverão comer a sua carne e não tocarão nos seus corpos mortos. Repito: qualquer animal aquático que não tenha barbatanas ou escamas vos é proibida.

13-19-No que concerne as aves, são as seguintes as que não devem comer: A águia, o abutre, a águia marinha, o falcão de toda a espécie, o milhano, o corvo de toda a espécie, a avestruz, o corvo, a gaivota, o falcão de toda a espécie, o mocho, o corvo marinho, a ibis, a gralha, o pelicano, o abutre, a cegonha, a garça, de toda a espécie, a popa e o morcego.

20-25-Nenhum inseto que voa, que tenha quatro patas, deverão comer;
com exceção de todos os que saltam. Por isso podem comer toda a variedade de
locusta, de gafanhoto devorador, de gafanhoto comum, de grilo. Mas tudo o mais
que voe e que tenha quatro patas é proibido. Quem quer que tocar os seus corpos
mortos será impuro até à tarde, e deverão lavar a sua roupa imediatamente e
pôr-se em quarentena até ao cair da noite, visto que está cerimonialmente
impuro.

26-Também se considerarão impuros se tocarem qualquer animal com casco
não fendido em duas partes, ou qualquer animal que não rumine.

27-28-Igualmente todo o animal que é plantígrado – que anda, poisando no chão toda a planta dos pés – vos é proibido. Quem tocar nos seus corpos mortos será impuro até ao cair da noite. Qualquer pessoa que tiver que carregar com as suas carcaças devera
lavar a roupa e será impuro até à noite. Porque são para vocês animais
proibidos.

29-34-Também vos serão proibidos os seguintes pequenos animais, que
se esgueiram por entre os pés ou então que rastejam: a doninha, o rato, o
lagarto, o ouriço, a lagartixa, a lesma e a toupeira. Seja quem for que tocar
nos seus corpos mortos será impuro até anoitecer; assim como também tudo aquilo
sobre que caírem os seus cadáveres será impuro – quer se trate de objecto de
madeira, de tecido de pele ou tecido de saco, ou instrumento de trabalho; devera
ser metido em água, e será impuro até ao fim da tarde. Só depois disso poderá
servir e ser usado novamente. Se for dentro de um vaso de barro que cairem os
seus corpos mortos, tudo o que lá estiver dentro será impuro, e o recipiente
será quebrado. E se a água usada para a limpeza do objecto impuro tocar algum
alimento, todo este será impuro. Toda a bebida que estiver nesse recipiente de
barro, ficará contaminada.

35-38-Se o corpo morto de um desses animais tocar num
forno de barro, será impuro: devera quebrar-se. Se cair dentro de uma fonte de
água ou de uma cisterna, a água não será impura, mas quem tirar de lá o corpo
morto será impuro. Se tocar ou cair sobre semente a semear no campo, esta não
ficará contaminada. No entanto se o grão estiver molhado quando cair nele o
corpo morto dum desses animais, essa semente será impura.

39-40- Se um dos animais que vos é permitido comer morrer de doença, quem tocar no seu cadáver devera lavar a sua roupa com água e será impuro até à noite. 41-43Animais que rastejam não deverão ser comidos. Isto inclui tanto os que rastejam sobre o ventre como os que têm patas. Tão pouco os que se arrastam, com muitas patas, poderão
comer, porque são impuros. Não se contaminem tocando-lhes.

44-45- Eu sou YAHU ULHÍM, vosso Criador Eterno. Mantenham-se puros no respeitante a estas coisas, e sejam santos, porque eu sou santo. Não se contaminem tocando algum desses animais que rastejam sobre o chão. Porque Eu sou YAHU ULHÍM que vos tirou da terra do Egito para que eu seja o vosso Criador Eterno. Devem pois ser santos porque eu sou santo’.

46-47- São pois estas as leis referentes aos animais que vivem sobre a
terra, às aves, aos que vivem na água e aos que rastejam sobre a terra, para se
fazer a diferença entre os animais que são cerimonialmente limpos e que podem
ser comidos, e os que são impuros e não devem ser ingeridos.

 

VIYAKROS 12

 

Purificação após o parto

 

1 – YAHU ULHÍM disse a Mehushúa para dar as seguintes instruções ao povo de Yashorúl:

2-4- Quando nascer uma criança, se for rapaz a mãe será cerimonialmente impura por sete dias, sob as mesmas restrições que durante os seus períodos menstruais. No oitavo dia o menino será circuncidado. E durante os trinta e três dias seguintes, enquanto a mãe recupera da sua impureza ritual, não devera tocar em nada que seja sagrado, nem
entrar no tabernáculo.

5- Se for uma menina que tiver nascido, a impureza da mãe
prolongar-se-á por duas semanas, durante as quais ficará sob as mesmas
restrições que durante os seus períodos regulares. Depois, durante mais
sessenta e seis dias continuará a recuperar da sua impureza.

6-7- Quando acabarem estes dias de purificação, por um menino ou por uma menina, devera trazer um cordeiro dum ano como holocausto, mais um pombo de pouca idade, ou uma rola, para expiação do pecado. Devera trazê-los até ao intermediário, à porta do
tabernáculo, e este oferecê-lo-á a YAHU ULHÍM para fazer expiação por ela. E assim será limpa novamente depois da sua perda de sangue. Isto é pois o que devera fazer depois do nascimento do seu filho.

8-Mas se for demasiado pobre para poder obter um cordeiro, poderá trazer duas rolas ou dois pombinhos. Um deles será para o holocausto e o outro para a oferta de expiação do pecado. O intermediário fará a expiação por ela com estes animais, e será limpa
novamente.

 

VIYAKROS 13

 

Leis referentes à lepra

 

1 – YAHU ULHÍM disse a Mehushúa e a Aharón:


2-3- Se alguém notar na sua pele um inchaço ou uma crosta ou um empolamento, devera ser suspeita de estar com lepra. Será levado a Aharón o intermediário ou a um
dos seus filhos para ser observado. Se o pêlo desse lugar afetado se tiver tornado branco, e se tiver a aparência de algo mais profundo que a pele, é porque se trata de lepra, e o intermediário terá de o declarar impuro.

4-6- Mas se a mancha branca não der a impressão de ser mais funda do que a pele, e se o pelo não se tiver tornado branco, o intermediário pô-lo-á em quarentena durante
sete dias. Ao fim desse tempo, ao sétimo dia, o intermediário o examinará de
novo e se a mancha não se tiver alterado nem alastrado na pele, então o intermediário mantê-lo-á retirado ainda por mais sete dias, examinando-o de novo ao fim desse tempo. Se a mancha se tiver tornado menos carregada, e não se tiver espalhado, então o intermediário o declarará sarado. Tratava-se apenas duma lesão superficial. A pessoa não terá mais do que lavar a roupa e tudo continuará normalmente para si.

7-8-Mas se a mancha se alastrar, após ter sido observado pelo intermediário, devera voltar junto dele; o intermediário o examinará e se assim for, devera declará-lo impuro; leproso é.

9-11-Quando alguém suspeito de lepra for trazido ao intermediário, este verá se há um
inchaço branco na pele, se o pêlo naquele lugar se tornou branco e se aparece
carne viva. Se estes sintomas se confirmarem, é sem dúvida um caso declarado de
lepra. O intermediário devera declará-lo impuro. Essa pessoa não ficará em 
quarentena para observação posterior, porque está diagnosticado definitivamente o mal.

12-13-Mas se o intermediário vir que a lepra irrompeu e se espalhou por
todo o corpo, da cabeça aos pés, tanto quanto se pode ver, então o intermediário o declarará sarado da lepra, visto que se tornou todo branco. Está portanto limpo.

14-17-Mas se aparecer carne viva nalgum lugar, a pessoa será declarada impura. A lepra está provada pela carne viva que apareceu. No entanto se a carne viva se fizer mais tarde branca, o leproso devera voltar ao intermediário para que este o examine novamente. Se aquela parte se tiver tornado, com efeito, completamente branca, então o intermediário o declarará limpo.

18-20-No caso de uma pessoa ter uma ferida na pele, e vir depois a sarar
disso, mas tendo ficado no entanto um inchaço branco ou uma mancha avermelhada,
a pessoa deve ir ter com o intermediário para ser examinada. Se o intermediário
vir que aquela afecção é mais funda que a pele, e se o pêlo se tornou branco,
então devera declará-lo impuro, porque foi lepra que brotou da ferida anterior.


21-23-No entanto se o intermediário vir que não há pêlo branco no lugar, e que
não dá a impressão de ser mais fundo do que a pele, e ainda se se tiver tornado
escura, a pessoa ficará em quarentena durante sete dias. Durante esse espaço de
tempo, se a mancha se espalhar, o intermediário considerá-lo-á impuro; leproso
é. No entanto se não se tiver alastrado, nem se tiver tornado maior, é porque
se trata simplesmente de uma inflamação superficial, e o intermediário
declará-lo-á limpo.

24-25-Se uma pessoa se queimar de alguma maneira, e o lugar da queimadura se tornar avermelhado ou branco, então o intermediário devera examinar isso, e se o cabelo se tiver tornado branco, e a aparência for de algo mais profundo do que a pele, é porque se trata de lepra que brotou da queimadura. O intermediário devera declará-lo impuro; leproso é.

26-28-Mas se o intermediário vir que não há naquele lugar pêlo branco, e que aquela branquidão não tem aspecto de ser mais funda do que a pele, e que se vai esbatendo, o
intermediário pô-lo-á de quarentena durante sete dias, tornando a examiná-lo ao
fim desse tempo. Se a mancha se tiver espalhado na pele, o intermediário
considerá-lo-á impuro; leproso é. Mas se ao contrário não se tiver alastrado e
for esmorecendo, é um mera lesão da pele e o intermediário devera declará-lo
limpo; não há lepra.

29-34-Se um homem ou uma mulher tiverem uma chaga na cabeça
ou na barba, o intermediário terá de o examinar. Se a infecção parecer mais
profunda que a pele, e o cabelo se tornar amarelo, o intermediário devera
considerá-lo imundo; leproso é. Mas se o exame do intermediário revelar que
essa afecção é apenas superficial e que o pêlo naquele lugar é preto, então
ficará de quarentena por sete dias. Após esse tempo será examinado de novo: se
a afecção não se tiver alastrado, não tiver aparecido pêlo amarelo e não
parecer mais funda que a pele, devera rapar todo o cabelo à volta da afecção,
mas não no próprio lugar, e o intermediário voltará a pô-lo de quarentena por
mais sete dias. Depois será outra vez examinado ao sétimo dia, e se a mancha se
não tiver alastrado nem tiver aspecto de ser mais profunda que a pele, então o
intermediário declará-lo-á limpo, e depois de lavar a sua roupa essa pessoa
pode ir em paz.

35-36-No entanto se, mais tarde, a mancha começar a espalhar-se,
o intermediário terá de o examinar de novo e mesmo que não veja pêlo
amarelecer, devera declará-lo impuro.

37-Mas se se notar que isso parou na sua evolução, e que há cabelo preto naquele lugar, é porque está curado e não há lepra. O intermediário devera considerá-lo limpo.

38-39- Se um homem ou uma mulher tiverem empolamentos brancos (transparentes) na sua pele, mas que vão escurecendo progressivamente, é porque não se trata de lepra mas de uma infecção vulgar que brotou nessa área da pele; limpo está.

40-41-Se o cabelo duma pessoa começar a cair, não é por isso que é impuro, ainda que venha a ficar calvo de todo. Se lhe cair o cabelo na parte da frente da cabeça será
naturalmente uma calvicie, mas não se poderá considerar um leproso; é puro.


42-44- Contudo se na parte calva da cabeça houver uma mancha avermelhada, poderá
então sim tratar-se de lepra a despontar. Nesse caso o intermediário
examiná-lo-á e se houver um inchaço branco começando a avermelhar, parecendo
lepra, é porque é certamente leproso, e o intermediário devera declará-lo
impuro.

45-46- Alguém que se constate que é leproso devera rasgar a sua roupa,
destapar a cabeça e não se pentear, e cobrir o lábio superior, clamando:
‘Impuro! Impuro!’ Todo o tempo que durar a doença ele é impuro e devera viver
fora do acampamento.

47-52- Quando se declarar lepra nalguma peça de vestuário de
lã ou de linho, seja tecido ou tricotado, ou então em qualquer espécie de couro
ou em algo fabricado com peles, e que apareça uma mancha cinzenta ou avermelhada
nisso, é provavelmente lepra. Devera ser levado ao intermediário para que examine. Este porá o objecto ou peça de vestuário em questão fechado durante sete dias. Ao sétimo dia tornará a observá-lo: se a mancha se tiver espraiado é porque se trata de lepra contagiosa; impuro é. Terá de queimar essa roupa ou objeto, seja de que tecido for – linho, lã, malha, ou pele – pois que se trata de algo contagioso; terá assim de ser destruído pelo fogo.

53-55- Mas se, quando o examinar de novo ao sétimo dia, a mancha não tiver alastrado, o intermediário mandará que essa coisa seja lavada e de novo isolada por mais sete dias, depois do que, se a mancha não tiver mudado de cor, mesmo que não se tenha alastrado, será lepra e devera ser queimada porque está infectada tanto de fora como da
parte de dentro do tecido.

56-58- Se o intermediário vir que a mancha se esvaneceu depois da lavagem, então cortará essa parte do tecido ou da pele ou da malha. Contudo se tornar a aparecer, é porque se trata de lepra; devera ser queimado. Portanto: se depois de ter sido lavado aqueles sintomas tiverem desaparecidos, poderá ser usado novamente, depois de ser lavado; limpo é.


59- Estas são as leis respeitantes à lepra em vestuário ou em qualquer coisa
feita de pele, ou de couro, para se saber se deve ser declarado limpo ou
impuro.

 

VIYAKROS 14

 

A purificação da lepra

 

1-2 – YAHU ULHÍM deu a Mehushúa as seguintes regulamentações respeitantes a uma pessoa cuja lepra desaparece:

3-7- O intermediário sairá fora do acampamento para o examinar. Se chegar à conclusão de que a lepra se foi, devera requerer dois pássaros vivos de uma espécie que
seja permitida comer, e ainda um pedaço de madeira de cedro, um fio carmesim e
alguns ramos de hissope, para serem usados nessa cerimónia de purificação de
alguém que foi curado. O intermediário mandará que uma das aves seja morta
dentro de um recipiente de barro, mas sob água a correr. O outro pássaro que
ficou vivo será molhado no sangue que está no vaso, juntamente com a madeira de
cedro, o fio de escarlate e os ramos de hissope. Depois o intermediário
espargirá o sangue sete vezes sobre a pessoa curada de lepra e declará-la-á
limpa, soltando a ave viva para que voe livremente sobre os campos.


8-9- Seguidamente a pessoa curada devera lavar a sua roupa, rapar todo o pêlo do
corpo, lavar-se para ser limpo, e só depois voltar a viver no interior do
acampamento. Contudo, mesmo assim ainda devera permanecer durante sete dias
fora da sua tenda. Ao sétimo dia rapará todo o cabelo da cabeça, da barba, das
sobrancelhas, lavar a sua roupa, lavar-se a si próprio, e só então será
declarado inteiramente limpo da sua lepra.

10-14- No dia seguinte, no oitavo dia, pegará em dois cordeiros machos, uma cordeirinha no primeiro ano de vida, todos sem defeito físico algum, em dez litros de farinha moída muito fino, amassada com azeite, trará ainda mais meio litro de azeite, e o intermediário que examina colocará a pessoa com as suas ofertas perante YAHU ULHÍM à entrada do tabernáculo. O intermediário tomará dois cordeiros mais meio litro de azeite e oferecê-lo-á a YAHU ULHÍM como oferta de culpa, e isso com um movimentocerimonial, perante o altar. Seguidamente matará o cordeiro no lugar em que se degolam as ofertas pelo pecado e os holocaustos, no tabernáculo. Esta oferta de
culpa será dada ao intermediário para o seu alimento, tal como acontece com a
oferta de pecado. Trata-se de algo muito santo. O intermediário tomará do
sangue desta expiação de culpa e porá um pouco sobre a ponta da orelha direita
da pessoa que tem de purificar-se, assim como sobre os dedos polegares da mão
direita e do pé direito.

15-18- Depois o intermediário tomará do azeite e o derramará sobre a palma da sua própria mão esquerda; molhará nele o dedo da mão direita e com este o salpicará sete vezes na presença de YAHU UL. Deste azeite, o que lhe ficar, porá ainda na ponta da orelha direita da pessoa que está a purificar-se, assim como no dedo polegar da mão direita e no do pé direito – tal como fez com o sangue da expiação de culpa. O resto do azeite, da sua mão, será empregado para ungir a pessoa, pondo-o sobre a sua cabeça. Assim o intermediário fará expiação por ele perante YAHU ULHÍM.

19-20- Seguidamente o intermediário devera apresentar a oferta pelo pecado e de novo executar o ritual de resgate pela pessoa que está sendo purificada da lepra. A seguir o
intermediário matará o holocausto, e o oferecerá com a oferta de cereais, sobre
o altar, fazendo expiação pela pessoa, que desta forma será considerada
finalmente purificada.

21-29- Se for tão pobre que não possa oferecer dois cordeiros, então trará somente um que seja macho, para a expiação de culpa, a fim de ser apresentado a YAHU ULHÍM na cerimónia de expiação, fazendo o movimento baloiçante perante YAHU ULHÍM; trará ainda somente três litros de fina farinha branca, amassada com azeite, para a oferta de cereais, e meio litro de azeite. Trará ainda duas rolas ou dois pombos novinhos – conforme o que conseguir alcançar – e empregará um deles para a expiação do pecado e o outro para o holocausto. Devera trazê-los ao intermediário à entrada do
tabernáculo, ao oitavo dia, para a cerimónia da purificação na presença de YAHU
UL. O intermediário tomará o cordeiro para a expiação de culpa, assim como o
meio litro do azeite e os balançará perante o altar como oferta a YAHU ULHÍM.
Depois matará o cordeiro da expiação de culpa e porá do seu sangue sobre a
ponta da orelha direita da pessoa a favor de quem se está realizando a
cerimónia, assim como sobre o polegar da mão direita e do pé direito. O
intermediário depois derramará algum do azeite sobre a palma da sua própria mão
esquerda e com o dedo da outra mão aspergi-lo-á sete vezes perante YAHU ULHÍM.
Mais ainda: porá desse azeite sobre a ponta da orelha direita da pessoa e sobre
o polegar da mão direita e do pé direito, tal como fizera com o sangue da
expiação de culpa. O resto do azeite que lhe ficou na mão servirá para ungir a
pessoa, derramando-o sobre a sua cabeça. Será assim que o intermediário fará
expiação por ele perante YAHU ULHÍM.

30-31- Depois deve oferecer as duas rolas ou os dois pombinhos, conforme o que tiver podido arranjar. Um dos dois animais é para a expiação do pecado e o outro para o holocausto, para serem sacrificados com a oferta de cereais. E o intermediário fará a expiação pela pessoa na presença de YAHU UL.

32- São pois estas as leis referentes àqueles que são purificados da lepra mas que não podem trazer os sacrifícios normalmente requeridos para essa cerimónia.

33-35Então YAHU ULHÍM disse a Mehushúa e a
Aharón: Quando chegarem à terra de Canaã, a qual eu vos dei, e eu puser a lepra
nalguma casa ali, então o seu proprietário devera vir comunicá-lo ao
intermediário: ‘Parece-me que haverá lepra na minha casa.’

36- O intermediário mandará que a casa seja despejada e fique vazia antes de ir examiná-la, de forma a que não haja necessidade de considerar tudo o que lá estava dentro como impuro.

37-42- Se ele vir então que as paredes apresentam umas concavidades
esverdeadas ou avermelhadas, e que têm aparência de serem mais fundas que as
paredes, mandará fechar a casa por sete dias, e ao sétimo tornará a observar.
Se as pequenas manchas se tiverem espalhado, então o intermediário mandará
deitar abaixo aquela parte da parede que está afectada e lançar as pedras num
lugar impuro fora da cidade. Depois fará raspar as paredes da casa, no
interior, e o que tiver caído dessa raspagem lançado no mesmo lugar impuro no
exterior da cidade. Pôr-se-ão outras pedras no lugar das que foram tiradas, e
se refarão novamente as paredes.

43-47Mas se as manchas tornarem a aparecer, o intermediário virá e observará; se constatar que as manchas se espalharam, é porque é lepra, e a casa está impura. Devera então dar ordens para que a casa seja destruída, e que as pedras, madeira, barro, que constituiam o material com que a casa era feita, sejam lançados fora da cidade num lugar impuro. Alguém que tiver entretanto penetrado lá dentro enquanto ela estava fechada será impuro até ao cair da noite. Alguém que tenha dormido ou comido lá dentro devera lavar a sua roupa.

48-53- Mas se, quando o intermediário tiver vindo observá-la a
segunda vez, as manchas não tiverem reaparecido, após a nova feitura das
paredes, então declarará a casa limpa e considerará que a lepra desapareceu.
Fará também uma cerimónia de purificação, usando duas aves, madeiras de cedro,
fio escarlate e ramos de hissope. Matará uma das aves sobre água corrente,
dentro de um recipiente de barro; molhará a madeira de cedro, assim como o fio
escarlate, o ramo de hissope, e igualmente a outra ave que ficou viva, com o
sangue da ave morta sobre água a correr, e salpicará a casa sete vezes. Desta
forma a casa ficará limpa. Depois deixará a outra ave livre, voando sobre os
campos em redor da cidade. É desta maneira que se fará o resgate da casa e a
sua purificação.

54-57- São pois estes os regulamentos respeitantes aos vários lugars
em que a lepra pode aparecer: na roupa, numa casa, no inchaço na pele de uma
pessoa, numa ferida, num empolamento. E desta forma saberão se efectivamente
quando está impuro e quando está limpo. Esta é a lei da lepra.

 

VIYAKROS 15

 

Impurezas do homem

 

1-2 – YAHU ULHÍM disse a Mehushúa e a Aharón que dessem ao povo mais estas ordenações: Alguém que tenha um corrimento dos seus órgãos fica cerimonialmente impuro;

3- seja ela de carácter contínuo,
regular, ou então que se interrompa por alguma razão.

4- A cama onde ele dormir ou o lugar onde se sentar ficará impuro.

5- Da mesma forma quem tocar a cama desse homem fica cerimonialmente impuro até ao cair da noite, e devera lavar-se a si e a sua roupa.

6- Alguém que se sente no lugar onde esse homem também se
sentou enquanto estava impuro, fica também cerimonialmente impuro até à noite e
devera lavar-se a si e a roupa.

7- As mesmas instruções se aplicam a alguém que
tocar nele próprio.

8- Alguém sobre quem a sua saliva cair fica cerimonialmente
impuro até à noite e deve lavar-se a si e a roupa.

9- Também toda a sela em que cavalgar será imunda.

10-12- Alguém que tocar em – ou que carregar com – uma
coisa qualquer que tenha estado sob ele será impura até à noite e devera
lavar-se a si e a sua roupa. Se aquele que está impuro tocar em alguém, antes
de lavar primeiramente as mãos, essa outra pessoa deve lavar-se e lavar a sua
roupa, e será impura até à noite. Qualquer recipiente de barro em que tocar o
homem impuro devera ser quebrado, e se se tratar de um utensílio de madeira, devera
ser lavado com água.

13-15Quando o corrimento parar devera fazer a sua
purificação durante sete dias, começando por lavar a roupa e banhar-se em água
corrente. No oitavo dia tomará duas rolas ou dois pombos novinhos e vir à
presença de YAHU UL à entrada do tabernáculo, entregando-os ao intermediário. O
intermediário sacrificá-los-á ali, um para a expiação do pecado e o outro para
o holocausto. Assim fará o intermediário expiação perante YAHU ULHÍM pelo
homem, por causa da sua descarga.

16-18Também quando a semente dum homem sair
dele, devera tomar um banho completo e será impuro até ao fim da tarde.
Qualquer roupa de vestuário ou da cama em que haja dessa semente devera ser
lavada e ficará cerimonialmente impura até ao anoitecer. Depois duma relação
sexual, tanto a mulher como o homem devem banhar-se, e serão impuros até ao
anoitecer seguinte.

 

Impurezas da mulher

 

19-23- Quando uma mulher tiver o seu fluxo menstrual, ficará em estado de impureza cerimonial pelo espaço de sete dias, e durante esse tempo alguém que lhe tocar ficará impuro até entardecer. Tudo aquilo sobre que se deitar ou sentar durante esse tempo será impuro. Alguém que tocar na sua cama ou em algo sobre o que se tiver sentado devera lavar-se a si e as suas roupas, e permanecerá impuro até ao cair da noite.

24Um homem que tenha com ela relação sexual durante este tempo será impuro durante sete dias, e qualquer cama onde se deite será igualmente impura.

25-27- Se o fluxo menstrual continuar além do tempo normal, ou que aconteça fora da altura prevista e normal, aplicar-se-ão as mesmas regras indicadas acima, de tal forma que qualquer coisa onde se deitar será impura, tal como aconteceria se a
menstruação tivesse vindo em tempo normal; e aquilo onde se sentar fica em
igual estado de impureza cerimonial. Alguém que tocar na sua cama ou naquilo em
que se sentar será impuro e devera lavar as suas roupas e banhar-se, sendo
impuro até ao cair da noite.

28-30- Sete dias após ter passado a menstruação, ela
deixa de ser ritualmente impura. Ao oitavo dia trará duas rolas ou dois
pombinhos ao intermediário à entrada do tabernáculo, e o intermediário
oferecerá um para a expiação do pecado e o outro para o holocausto, fazendo
expiação por ela perante YAHU ULHÍM por causa da situação de impureza quando do
período menstrual. 31Desta maneira purificareis o povo de Yashorúl das suas
impurezas, para que não morram ao contaminar o tabernáculo que está no meio
deles.

32-33- Esta é pois a lei aplicada ao homem por causa duma descarga genital
ou duma emissão seminal; e à mulher quando do período menstrual, e ainda a
alguém que tenha relação sexual com ela, no espaço de tempo seguinte, em que
está impura.

 

VIYAKROS 16

 

O dia de expiação

 

1-2-Depois da morte dos dois filhos de Aharón, por terem entrado na presença de YAHU UL com fogo estranho, YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: Avisa o teu irmão Aharón que não entre sempre que queira, numa altura qualquer, no lugar santo, para além do véu, onde estão a arca e o lugar de misericórdia: Porque se assim o fizesse, morreria. Porque eu próprio estou presente na nuvem que está sobre o lugar de misericórdia (propiciatório).


3- São pois estas as condições em que pode entrar ali:

4-10Devera lavar-se e pôr a sua túnica de linho, os calções, o cinto e o turbante. O povo de Yashorúl devera trazer-lhe dois bodes para a expiação dos pecados e um carneiro para o holocausto. Primeiramente apresentará a YAHU ULHÍM o novilho de expiação por si próprio, fazendo assim expiação por si e pela sua família. Depois trará os dois
bodes perante YAHU ULHÍM à entrada do tabernáculo, e lançará sortes para
determinar qual dos dois é para YAHU ULHÍM e qual é o que devera ser mandado
para longe. O bode que calhou para YAHU ULHÍM será então sacrificado por Aharón
para a expiação do pecado. O outro será deixado com vida e colocado perante YAHU
ULHÍM. O rito da expiação será realizado sobre ele e depois mandado para o
deserto como bode emisário.

11-12- Depois de Aharón ter sacrificado o novilho de expiação do pecado, por si e pela sua família, tomará também o incensário cheio de brasas do fogo do altar de YAHU UL, e encherá as mãos com o incenso aromático moído em pó fino e o trará para dentro do véu.

13-14- Lá, perante YAHU ULHÍM, porá o incenso sobre o fogo, de forma que uma nuvem cubra o lugar de misericórdia sobre a arca, a qual contém as tábuas de pedra dos dez
mandamentos; assim não morrerão. E trará algum sangue do novilho, salpicando-o
com o seu dedo para lado do oriente do lugar de misericórdia, e depois sete
vezes na sua frente.

15-19- Então devera sair e sacrificar o bode de expiação do
pecado do povo, trazendo o seu sangue para o interior do véu e salpicar com ele
o lugar de misericórdia e também a sua parte da frente, tal como fez com o
sangue do novilho. Fará assim expiação pelo Templo, porque este ficou
contaminado pelos pecados do povo de Yashorúl, e pelo tabernáculo que está
erguido no seio deles e ficou assim rodeado pela sua impureza. Ninguém mais devera
estar no tabernáculo quando Aharón entrar para fazer expiação no Templo, e até
ao momento em que ele sair depois de ter feito expiação por si e pela sua
família, assim como por todo o povo de Yashorúl. Depois devera sair e vir até
junto do altar perante YAHU ULHÍM e fazer expiação pelo próprio altar. Terá de
untar, com sangue do novilho e do bode, os chifres do altar, e salpicar com
aquele sangue sete vezes o altar, com o seu dedo, purificando-o assim do pecado
de Yashorúl, e santificando-o.

20-22- Quando tiver completado este ritual do resgate do Templo e de todo o tabernáculo, assim como do altar, trará o bode que ficou vivo e, pondo as duas mãos sobre a sua cabeça, confessará, sobre esse animal, todos os pecados do povo de Yashorúl. Porá dessa forma sobre a cabeça do bode todos os pecados e o mandará para o deserto conduzido por um homem designado para esse encargo. O bode carregará assim com todos os pecados do povo para uma terra onde ninguém vive; o homem deixá-lo-á livre lá no deserto.


23-25- Depois Aharón entrará de novo no tabernáculo, despirá a roupa de linho que
trazia vestida quando foi para lá do véu, e os deixará ali no tabernáculo. Seguidamente lavar-se-á num lugar santo, tornará a pôr o vestuário habitual, e sairá para sacrificar o seu próprio holocausto e do povo, fazendo resgate por si e por eles. A gordura da oferta do pecado queimará sobre o altar.

26-28- O homem que levou o bode para o deserto devera após isso lavar os seus vestidos e banhar-se, e só depois tornar a entrar no acampamento. O novilho e o bode
usados na oferta pelo pecado, cujo sangue foi levado para o Templo por Aharón
para fazer a expiação, serão levados para fora do campo e queimados, incluindo
a pele e as partes intestinais. Após isso, a pessoa que os queimar devera lavar
a sua roupa e banhar-se antes de regressar ao campo.

29-34- A seguinte lei terá validade perpétua: Não deverão trabalhar no dia 25 do mês de Setembro, passá-lo-ão antes em reflexão íntima e humildade. Isto aplica-se tanto ao que tiver nascido na terra, como ao estrangeiro que esteja no meio do povo de Yashorúl.
Porque este é o dia em que se faz a expiação que vos purifica dos vossos pecados aos olhos de YAHU UL, dos vossos pecados. Será um Shábbos solene de descanso para vocês, e deverão passar o dia em humilde recolhimento. Isto é uma lei perpétua. Esta cerimónia, nas gerações futuras, será executada pelo intermediário supremo, que tiver sido ungido para tal e consagrado no lugar do seu antepassado Aharón. Só ele porá as roupas sagradas de linho, e fará a expiação pelo Templo, o tabernáculo, o altar, os intermediários e o povo. Isto será uma lei para sempre que vos diz respeito, para que se faça expiação pelo povo de Yashorúl uma vez por ano, por causa dos seus pecados.

35- Aharón seguiu todas estas instruções que YAHU ULHÍM deu a Mehushúa.

VIYAKROS 17

 

Proibição de comer sangue

 

1-2-  YAHU ULHÍM deu a Mehushúa mais as seguintes instruções para que as transmitisse a Aharón, aos intermediários e a todo o povo de Yashorúl:

3-9- Qualquer Yashorulíta que sacrificar um boi, um carneiro ou uma cabra noutro lugar que não seja no acampamento, à entrada do tabernáculo, para o oferecer a YAHU ULHÍM, tal homem será culpado, porque fez derramar sangue; terá de ser expulso da sua nação. O fim desta lei é impedir que os Yashorulítas façam sacrifícios nos campos: e levá-los a trazerem-nos antes ao intermediário, à entrada do tabernáculo, e a oferecerem-nos como sacrifícios de paz a YAHU ULHÍM. Porque desta maneira o intermediário poderá espargir o sangue sobre o altar de YAHU UL, à entrada do tabernáculo, e queimar a gordura como um cheiro que YAHU ULHÍM muito apreciará. E dessa forma não sacrificarão mais aos espíritos maus, prestando-lhes um culto de deboche. Isto será uma lei perpétua para vocês, por todas as gerações. Repito: Alguém, seja Yashorulíta ou estrangeiro que viva no vosso seio, que ofereça um holocausto ou um sacrifício noutro lugar que não seja à entrada do tabernáculo, onde será
sacrificado a YAHU ULHÍM, será excomungado.

10-14- Também me levantarei contra alguém, seja Yashorulíta, seja um estrangeiro que viva entre vocês, que coma sangue, seja de que forma for. Expulsá-lo-ei do meu povo. Porque a vida da carne está no sangue. Dei-vos o sangue para que seja espargido sobre o altar como expiação pelas vossas almas. É pelo sangue que se faz a expiação, porque o
sangue é a vida. Portanto este é o meu decreto para o povo de Yashorúl: que nem
eles nem nenhum estrangeiro que viva entre eles coma sangue. Seja quem for, Yashorulíta ou estrangeiro entre eles, que vá à caça e mate um animal ou uma ave dos que é permitido comerem, devera derramar o seu sangue e cobri-lo com terra; porque o
sangue é a vida. É por isso que digo ao povo de Yashorúl para nunca o comer,
porque a vida de toda a ave, de todo o animal, está no seu sangue. Portanto,
alguém que come sangue devera ser expulso da comunidade de Yashorúl.

15-16- E também alguém – nascido na terra ou estrangeiro – que coma o corpo morto dum animal que tenha morrido por si mesmo, ou que tenha sido despedaçado por outro
animal, devera lavar a sua roupa e banhar-se, permanecendo impuro até ao cair
da noite. Depois disso será declarado limpo. Mas se tal não fizer, terá de
sofrer as consequências.

 

VIYAKROS 18

 

Regras sobre relações sexuais

 

1-2 – YAHU ULHÍM disse então a Mehushúa para
comunicar isto ao povo de Yashorúl: Eu sou YAHU ULHÍM, o vosso Criador Eterno,


3- portanto não façam as mesmas coisas que os povos do Egito, onde viveram tanto
tempo, ou os de Canaã, para onde vos levarei.

4- Devem obedecer às minhas leis e cumpri-las em todos os detalhes, porque Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno.


5- Obedeçam-lhes, porque é por elas que uma pessoa obtém a vida. Eu sou YAHU
ULHÍM.

6-9-Nenhum de vocês casará com um parente próximo. Eu sou YAHU ULHÍM. Uma
jovem não pode casar com o seu pai, nem um filho com a sua mãe ou com a
mulher casada com seu pai, nem tão pouco com a sua irmã, ou meia-irmã seja esta
filha do seu pai ou da sua mãe, nascida na sua própria casa ou não.

10-14- Não casarás com a tua neta, filha do teu filho ou da tua filha, porque é como se
fosse a tua própria carne. Não poderás, pois, casar com a tua meia-irmã – filha
da mulher do teu pai; nem com a tua tia, irmã do teu pai, porque é alguém
ligado intimamente ao teu pai; nem com a irmã da tua mãe, pela mesma razão, de
estar estreitamente ligada à tua mãe; nem mesmo com a mulher do irmão do teu
pai.

15-18- Não poderás casar com a tua nora, a mulher do teu filho; nem com a
mulher do teu irmão; porque é como se fosse o teu próprio irmão. Não casarás ao
mesmo tempo com uma mulher e com a sua filha ou neta, porque são parentes muito
próximas; tal a to é condenável. Não casarás com duas irmãs, pois poderiam
criar-se rivalidades.

19-20- Não deveras ter relações sexuais com a mulher durante a sua menstruação. Nem tão pouco com a mulher do teu semelhante, para que não se contaminem ambos.

21Não darás nenhum dos teus filhos a Moloque, queimando-os para prestar culto a este, profanando o Shúam (Nome) do teu YAHU ULHÍM. Eu sou YAHU ULHÍM.

22- Um homem não deve ter relações sexuais com outro homem, pois trata-se de uma coisa abominável.

23- Um homem não poderá ter relações sexuais com um animal fêmea, contaminando-se dessa forma; da mesma forma uma mulher não se dará a si mesmo a um animal macho, para se juntar com ele. Trata-se de uma perversão.

24-26- Não se contaminem de nenhuma destas maneiras; porque isto são as coisas que fazem os habitantes da terra para onde vão, que expulso perante vocês. Toda aquela terra está contaminada com essa espécie de actos. Por isso castigarei os povos que lá vivem, e os lançarei para fora dali como um vômito! Deverão obedecer estritamente às minhas leis, e nunca farão estas coisas abomináveis. Isto aplica-se tanto a vocês que nasceram no seio da nação de Yashorúl como aos estrangeiros que vivem convosco.

27- Com efeito todas essas abominações têm sido continuamente feitas pelos povos da
terra para onde vos levo, e a terra está contaminada.

28- Não façam pois estas coisas, porque se não, terei de vos lançar fora dali, tal como irei lançar fora as gentes que lá vivem actualmente.

29- Quem quer que praticar estas coisas execrandas será excomungado da nação. 30- Portanto nunca hesitem nos cumprimentos destas leis, e de forma alguma pratiquem esses costumes vis. Não se contaminem com os actos maus desses que vivem na terra para onde vão. Porque Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

 

VIYAKROS 19

 

Repetição de diversas leis

 

1 = YAHU ULHÍM disse também a Mehushúa que
comunicasse mais o seguinte ao povo de Yashorúl:

2= Devem ser santos porque eu, YAHU
ULHÍM vosso Criador Eterno, sou santo.

3= Devem respeitar as vossas mães e os
vossos pais. Deverão também guardar a lei do meu Shábbos. Porque Eu sou YAHU
ULHÍM vosso Criador Eterno.

4= Não façam nem adorem ídolos, falsos criadores o
estatuas de metal fundido. Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

5-8= Quando vierem oferecer um sacrifício de paz a YAHU ULHÍM, façam-no voluntaria e corretamente, para que seja aceite. Comam-no no mesmo dia em que o oferecerem,
ou o mais tardar no dia seguinte. O que ficar para o terceiro dia deve ser queimado, porque aquilo que viesse a ser comido no terceiro dia seria repulsivo para mim, e eu não o aceitaria. Portanto, se comerem disso no terceiro dia serão culpados, porque assim será profanada a santidade de YAHU ULHÍM, e serão excomungados do povo de YAHU UL.

9-10= Quando fizerem as colheitas nas vossas terras, não ceifem os cantos dos campos completamente, nem apanhem as espigas que forem caindo no chão. E o mesmo também durante as vindimas – não apanhem tudo até ao último bago, nas vinhas, nem tão pouco apanhem os que cairem no chão. Deixem-nos para os pobres, e para os que viagem através da terra. Porque Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

11-12= Não roubem, não mintam, não usem de falsidade para com o vosso semelhante, não pronunciem juramentos falsos a coberto do meu Shúam (Nome), trazendo assim desonra sobre ele, pois Eu sou YAHU ULHÍM.

13= Não devem explorar nem oprimir ninguém; deverão pagar prontamente aos
que trabalham por vossa conta. Se lhes devem alguma coisa, não a guardem sequer
para o dia seguinte.

14= Não amaldiçoem um surdo; não ponham tropeços no caminho
dos cegos. Respeitem o vosso Criador Eterno. Eu sou YAHU ULHÍM!

15= Os juízes devem ser sempre justos nas suas sentenças, sem estar a considerar se se trata de um pobre se de um rico. Devem ser absolutamente rectos.

16= Não sejam mexeriqueiros. Nunca acusem falsamente o vosso próximo. Porque Eu sou YAHU ULHÍM.

17= Não tenham pensamentos de ódio para com o vosso irmão. Não deixem de
repreender todo aquele que pecar. Não permitam que ele continue nesse caminho,
pois serão tão culpados como ele.

18= Não procurem a vingança, não alimentem a má
vontade contra ninguém. Amem o vosso próximo como a vós mesmos, porque Eu sou YAHU ULHÍM.

19= Guardem as minhas leis ão juntem animais de diferentes espécies. Não
semeiem espécies diferentes de semente ao mesmo tempo. Não usem roupa feita
metade de lã metade de linho.

20-22= Se um homem seduzir uma rapariga escrava que estiver comprometida para casar com outro, deverão ser trazidos a tribunal mas não mortos, porque ela não é livre. O homem culpado devera trazer a sua oferta de culpa a YAHU ULHÍM à entrada do tabernáculo – terá de ser um carneiro. O intermediário fará expiação com o carneiro, pelo pecado que o homem cometeu, e será perdoado.

23-25=Quando se instalarem na terra e tiverem plantado toda a
espécie de árvores de fruto, não deverão comer as três primeiras colheitas,
porque são consideradas impuras. E ao quarto ano todo o fruto colhido será
dedicado a YAHU ULHÍM, em louvor a ele. Finalmente no quinto ano tudo o que
colherem será vosso. Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno!

26= Não devem comer nada com o seu sangue. Nunca recorram a leitura de sinas, nem a bruxarias ou coisas semelhantes.

27-28= Não cortem o cabelo, arredondando-o nos cantos da
cabeça, nem cortem também os cantos da barba, tal como fazem os pagãos. Tão
pouco devem dar-se golpes na vossa carne ou fazer marcas na pele a título de
ritos funerários, por causa de alguém que tenha morrido. Eu sou YAHU ULHÍM.


29= Não violem a santidade da vossa filha, levando-a a prostituir-se, porque a
terra se encheria de maldade.

30= Guardem os meus Shábbos e reverenciem o meu
tabernáculo. Porque Eu sou YAHU ULHÍM.

31= Não se sujem, voltando-se para os
bruxos e consultando os espíritos.

32= Devem honrar e respeitar os mais velhos, os que têm os seus cabelos já brancos, porque assim respeitarão também YAHU ULHÍM. Eu sou YAHU ULHÍM.

33-34= Não explorem o estrangeiro que vier instalar-se na vossa terra; não o oprimam. Ele deve ser tratado como qualquer outro cidadão. Amem-no como a vocês mesmos; não se esqueçam que foram também estrangeiros no Egito. Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

35-36= Devem ser imparciais quando julgarem. Usem medidas correctas – para medir o comprimento, para pesar, para calcular o volume. Que as balanças não sejam fraudulentas e que as vossas medidas sejam sempre exatas, porque Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno que vos tirou da terra do Egito.

37= Guardem todos os meus
mandamentos e leis, obedecendo-lhes cuidadosamente. Porque Eu sou YAHU ULHÍM.

 

VIYAKROS 20

 

Penas para diversos crimes

 

1=  YAHU ULHÍM deu a Mehushúa mais as
seguintes instruções para o povo de Yashorúl:

2= Alguém – seja Yashorulíta seja estrangeiro vivendo no vosso meio – que sacrifique o seu filho em holocausto a Moloque devera certamente morrer apedrejado pelo povo.

3-5= Eu próprio me voltarei contra esse homem e o expulsarei do seu povo, porque deu o seu filho a Moloque, fazendo que o meu Templo se torne assim impróprio para que habite nele, e insultando o meu santo nome. E se o povo da terra pretender que não
sabe o que essa pessoa fez, e recusar matá-lo, então eu próprio me voltarei
contra ele e contra os seus, e os excluirei, a ele e a todos os que se
prostituem, voltando-se para outros falsos criadores o estatuas que não eu.


6= Serei contra os que consultam os espíritos e os astrólogos em vez de me
consultarem a mim; a essa pessoa a excomungarei do seu povo.

7-8= Por isso santifiquem-se; sejam santos porque Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno. Devem obedecer a todas as minhas instruções, porque Eu sou YAHU ULHÍM que vos santifica.

9= Quem quer que amaldiçoar o seu pai ou a sua mãe devera certamente
morrer, porque amaldiçoou a sua própria carne e sangue.

10-12= Se o homem cometer adultério com a mulher de outro homem, ambos, tanto o homem como a mulher, deverão morrer. Se o homem cometer adultério com a mulher do seu pai, sujou o que é do seu pai; ambos, tanto o homem como a mulher, deverão morrer, porque a culpa é deles próprios. Se um homem tiver relações sexuais com a sua nora, ambos serão executados. O que fizeram foi uma depravação; cometeram uma
perversão, os dois são culpados.

13= O castigo por atos homossexuais é a morte para ambas as partes; trata-se duma abominação – a culpa recai sobre eles próprios.

14= Um homem que tem relações sexuais com uma mulher e com a mãe dela,
trata-se de um grande mal. Serão os três queimados, a fim de arrancar a
iniquidade do vosso meio.

15= Se um homem tiver relações sexuais com um animal,
será executado, e o animal morto.

16= Da mesma forma uma mulher que tenha
relações sexuais com um animal serão mortos ambos, ela e o animal. Merecem o
seu castigo.

17= Se um homem tiver relações sexuais com a sua irmã, seja ela
filha do seu pai ou da sua mãe, trata-se de uma torpeza, serão ambos
publicamente expulsos do povo de Yashorúl. Levará sobre si a culpa desse ato.
18- Se um homem tiver relações sexuais com uma mulher durante o seu período
menstrual, serão ambos excomungados, porque pôs a claro a fonte da sua perda de
sangue.

19- Também um homem não devera ter relações sexuais com a sua tia, seja
ela irmã da sua mãe ou do seu pai, porque se trata de parentes próximos.
Tornar-se-ão ambos culpados.

20- Um homem que tenha relações sexuais com a esposa
do seu tio, sujou o que é do seu tio. O seu castigo será que ambos levarão a
culpa do seu pecado e serão privados de filhos.

21- Se um homem casar com a esposa do seu irmão, praticou um ato impuro; sujou o que é do seu irmão. Serão ambos privados de filhos.

22- Devem obedecer às minhas leis e às minhas instruções, para que não vos expulse da terra para onde vos levo a habitar.


23- Não sigam os costumes das gentes que lanço fora dessa terra, na vossa frente;
porque praticam todas estas coisas contra as quais acabo de vos avisar. E é por
isso que as aborreço.

24- Prometi-vos essa terra; eu vo-la darei para que a possuam. É uma terra que brota leite e mel. Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno que vos separei das outras nações.

25- Terão pois de fazer diferença no que diz respeito a animais e pássaros, entre os que vos dou permissão para comerem e os que não podem comer. Não devem contaminar-se a si mesmos, tornando-se repulsivos perante mim, comendo algum animal ou ave que eu vos tenha proibido.

26- Vocês serão santos para mim, porque eu YAHU ULHÍM sou santo,
e vos separei dos outros povos para serem meus.

27- Os médiuns e os bruxos, sejam eles homem ou mulher, deverão ser certamente apedrejados até à morte. São eles os responsáveis pela sua própria condenação.

 

VIYAKROS 21

 

Leis para os intermediários

 

1-2-  YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: Diz aos intermediários que nunca se contaminem, tocando numa pessoa morta, a menos que
se trate de um parente próximo – mãe, pai, filho, filha, irmão,

3- ou irmã solteira por quem ele tenha uma responsabilidade especial pelo fato de ela não ter marido.

4- Porque o intermediário é um responsável entre o povo e não deve
ficar cerimonialmente impuro, da mesma forma que acontece com a generalidade
das pessoas.

5- O intermediário não devera cortar o cabelo de forma a deixar
pedaços de calva na cabeça; tão pouco fará isso na barba. Não fará incisões,
dando-se golpes na sua carne.

6- Serão santos para o seu YAHU ULHÍM, e não deverão desonrar o meu Shúam (Nome); doutra forma tornar-se-ão indignos de fazerem ofertas queimadas a YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno.

7-8- Um intermediário não se casará com uma prostituta, nem com uma mulher de outra tribo, nem com uma divorciada, porque ele é um homem santo de YAHU ULHÍM. O intermediário é consagrado para oferecer sacrifícios a vosso Criador Eterno; ele é santo, porque eu YAHU ULHÍM que vos santifica sou santo.

9-A filha de um intermediário que se tornar prostituta, violando assim a santidade do seu pai, tal como a si própria, será queimada.

10-12-O sumo intermediário, ungido com o azeite especial
de unção e trazendo o seu vestuário especial, não devera deixar os cabelos
despenteados, em sinal de luto, nem raspar as suas vestes, nem tão pouco
permanecer na presença duma pessoa morta, mesmo que seja o seu pai ou a sua
mãe. Não deixará o Templo (quando estiver a oficiar), nem tomará o meu
tabernáculo como se fosse uma habitação vulgar; porque ele tem sobre si a unção
do azeite santo que o consagrou para YAHU ULHÍM. Eu sou YAHU ULHÍM.

13-15- Devera casar com uma virgem. Não pode casar com uma viúva, nem com uma mulher divorciada, nem com uma prostituta. A sua mulher deve pois ser da mesma tribo que ele, pois não poderá vir a ser pai de filhos com sangue misturado, meio
sacerdotal, meio comum.

16-23-E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: Diz a Aharón que qualquer dos seus descendentes – e isto por todas as gerações – que tenha algum defeito corporal não pode oferecer sacrifícios a YAHU ULHÍM. Por exemplo se um homem for cego, ou coxo, ou se tiver o nariz partido ou os membros deformados; ou ainda se tiver uma mão ou um pé partido, ou for corcunda, ou anão, ou se tiver defeito na vista, ou impingens e sarna na pele, ou testículos imperfeitos, ainda que sendo filho de Aharón, não tem autorização para oferecer sacrifícios a YAHU ULHÍM, por causa do seu defeito físico. No entanto será alimentado com a comida dos intermediários, das ofertas apresentadas a YAHU ULHÍM, tanto dos sacrifícios santos como dos santíssimos. Mas não poderá passar além do véu, nem se aproximar do altar, porque tem um defeito físico; isso
profanaria o meu Templo, porque eu, YAHU ULHÍM, os santifico.

24- Mehushúa deu estas instruções a Aharón e aos seus filhos, assim como a todo o povo de Yashorúl.

 

VIYAKROS 22

1-  YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

2- Diz a Aharón e aos seus filhos que tenham muito cuidado em não profanar o meu santo nome, difamando as ofertas sagradas do povo. Porque Eu sou YAHU ULHÍM.

3- Daqui em diante e para sempre, se um intermediário que está cerimonialmente impuro sacrificar animais trazidos pelo povo, ou se manusear ofertas consagradas a YAHU ULHÍM, será desqualificado do seu sacerdócio. Eu sou YAHU ULHÍM!

4-8- Nenhum intermediário que for leproso ou que tiver um corrimento poderá comer das coisas sagradas enquanto não estiver curado. Qualquer intermediário que tocar
em alguma coisa tornada impura pelo contacto com um morto ou um homem que teve
uma emissão seminal, ou então que tocar num réptil ou em qualquer outra coisa
proibida, ou que tocar mesmo noutro indivíduo cerimonialmente impuro por uma
razão qualquer, esse intermediário será impuro até ao cair da noite, e não devera
comer dos sacrifícios santos antes de se ter lavado, nessa noite. Depois do sol
se pôr, então estará novamente puro e poderá comer do santo alimento, pois que
se trata daquilo que o faz viver. Não poderá comer nenhum animal encontrado
morto ou que tenha sido despedaçado por outro, porque isto torná-lo-ia impuro.
Eu sou YAHU ULHÍM.

9-Avisa os intermediários que sigam cuidadosamente estas
instruções pois correm risco de serem considerados culpados e de virem a morrer
por terem violado estas regras. Eu sou YAHU ULHÍM que vos santifica.

10- Ninguém poderá comer dos santos sacrifícios a não ser um intermediário; ninguém que esteja, por exemplo, de visita a um intermediário poderá comer desse alimento;
tão pouco alguém que esteja a trabalhar por sua conta.

11-13- Há contudo uma exceção – se o intermediário comprar um escravo com o seu próprio dinheiro, esse escravo poderá comer disso, assim como os filhos dos escravos que nascerem na sua casa. Se a filha de um intermediário se casar fora da sua tribo, não
poderá comer mais desses sacrifícios. Mas se enviuvar ou se se tiver divorciado, e não tiver nenhum filho que a mantenha, e se tiver regressado à casa do seu pai, pode então tornar a comer do alimento do pai. Mas fora disto, ninguém que não pertença às famílias sacerdotais poderá comer deste alimento.


14-16- Se alguém vier a comer dos sacrifícios sagrados mas sem se dar conta do
que está a fazer, devera devolver ao intermediário o equivalente daquilo que
tomou, acrescido da quinta parte; porque os sacrifícios sagrados trazidos pelo
povo de Yashorúl não devem sujar-se sendo comidos por pessoas não indicadas
para tal, porque se trata de coisas oferecidas a YAHU ULHÍM. Quem quer que seja
que violar esta lei será culpado de algo que exige uma reparação, pois comeu
das ofertas sagradas. Porque Eu sou YAHU ULHÍM que santifica essas ofertas.

 

Os animais para o sacrifício

 

17-  YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

18-20- Diz a Aharón e aos seus filhos e a todo o povo de Yashorúl que se um Yashorulíta ou outra pessoa vivendo entre vocês fizer um sacrifício de oferta queimada a YAHU
ULHÍM – que seja para cumprir uma promessa ou como oferta espontânea – só será
aceitável perante YAHU ULHÍM se se tratar de um animal macho sem defeito; devera
ser um novilho, um cordeiro ou uma cabra. Nada que tenha defeito devera ser
ofertado, porque não seria aceite.

21-24- Alguém que faça um sacrifício de paz a YAHU ULHÍM tirado do rebanho das vacas ou das ovelhas, seja para cumprir um voto ou como uma oferta voluntária, devera escolher um animal sem defeito, ou então não será aceite. Um animal cego, com um membro partido ou aleijado, que tenha verrugas, sarna ou uma doença de pele qualquer, não devera ser oferecido a YAHU ULHÍM. Se o novilho ou o cordeiro apresentado a YAHU ULHÍM tiver alguma parte do corpo ou membro maior ou mais pequeno que os outros pode ser oferecido como oferta voluntária, mas não para cumprimento de um voto. Algum animal que seja ferido, esmagado, partido ou cortado não devera ser oferecido a YAHU ULHÍM em nenhuma altura.

25-Estas restrições aplicam-se aos sacrifícios feitos tanto
pelos estrangeiros que estão no vosso meio como pelos que vocês mesmos fazem,
pois que nenhum animal defeituoso será aceite para este sacrifício.

26-30- E YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: Quando nascer um boi, um cordeiro ou uma cabra, ficará sete dias com a sua mãe, mas a partir do oitavo dia poderá ser apresentado como oferta queimada a YAHU ULHÍM. Não degolarás a mãe com a sua cria, no mesmo dia, quer se trate de um boi ou de gado miúdo. Quando oferecerem a YAHU ULHÍM um
sacrifício de gratidão, deverão fazer isso correctamente, comendo o animal do
sacrifício no mesmo dia em que for morto. Não deixem nada para o dia seguinte.
Eu sou YAHU ULHÍM.

31- Guardem todos os meus mandamentos. Eu sou YAHU ULHÍM.


32-33- Não devem tratar as coisas que me dizem respeito como se fossem comuns e
vulgares. Reverenciem-me e santifiquem-me, porque eu, YAHU ULHÍM, vos fiz
santos para mim mesmo, e vos resgatei do Egito para que sejam o meu povo. Eu
sou YAHU ULHÍM!

 

VIYAKROS 23

 

Festas solenes

 

1-  YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

2-3Anuncia ao povo de Yashorúl as várias festividades anuais que têm de celebrar para YAHU ULHÍM. Serão ocasiões em que todo o Yashorúl se reunirá para me adorar.
Trata-se de celebrações a realizar além dos vossos Shábbos – o sétimo dia de
cada semana – os quais serão sempre dias de solene repouso em todas as casas,
ocasiões de reunião para adorar e descansar das actividades da semana.

4São pois estas as santas festividades que deverão ser observadas em cada ano.

 

A PósqaYa e a celebração dos pães sem
fermento

 

5- A PósqaYa de YAHU UL será celebrada no fim de Março.

6-8- A celebração dos pães sem fermento começará no dia seguinte ao da
PósqaYa. Durante sete dias devem comer pão sem fermento. No primeiro dia desta celebração convocarão o povo para adorar, e devera cessar todo o trabalho comum. Farão o mesmo no sétimo dia da celebração. Nos outros dias farão uma oferta queimada a YAHU ULHÍM.

 

A celebração dos primeiros frutos

 

9-14- Quando chegarem à terra que eu vos der, e fizerem as primeiras colheitas, trarão o molho da primeira ceifa ao intermediário no dia seguinte ao Shábbos. Ele o moverá perante YAHU ULHÍM, num gesto de oferta, e será aceite pelo YAHU ULHÍM como oferta vossa. Nesse mesmo dia oferecerão um cordeiro macho de um ano sem defeito como oferta queimada. E também uma oferta de cereais acompanhará essa, a qual consistirá de seis litros de farinha fina amassada com azeite, a ser oferecida a YAHU ULHÍM pelo fogo. Ser-lhe-á de grande agrado. Ofereçam também uma oferta de licor consistindo em litro e meio de vinho. Enquanto isto não for feito não devem comer nada das vossas colheitas; nem o pão, nem trigo tostado, nem espigas verdes. Isto é uma lei imutável para a nação.

 

A celebração de pentecostes

 

15-19- Cinquenta dias depois trarão a YAHU ULHÍM como oferta uma amostra da vossa nova colheita. Consistirá em dois pães da vossa casa a serem movimentados perante YAHU ULHÍM com o gesto próprio de oferta. Cozam este pão com seis litros de farinha fina contendo fermento. É uma oferta a YAHU ULHÍM dos primeiros frutos colhidos. Acompanhando o pão e o vinho, deverão sacrificar a YAHU ULHÍM, como ofertas queimadas, sete cordeiros de um ano sem defeito, um novilho e dois carneiros. Serão todos ofertas que passam pelo fogo, de grande aceitação por parte de YAHU ULHÍM. Deverão oferecer também um bode para a expiação do pecado, e dois cordeiros machos de um ano, como oferta de paz.

20-21- Os intermediários movimentarão estas ofertas perante YAHU ULHÍM ao mesmo tempo em que os pães, representando os primeiros frutos da colheita. São coisas santas, para YAHU ULHÍM, e serão dadas aos intermediários para seu alimento. Esse dia será anunciado como tempo de santa convocação para todo o povo. Nenhum trabalho farão nesse dia. Isto é uma lei que deve ser respeitada por todas as gerações.

22- Lembrem-se de que quando ceifarem os vossos campos não deverão segar até ao extremo dos cantos do terreno, nem apanhar os grãos que tiverem caído; deixem isso para os pobres e para os estrangeiros que vivam convosco, os quais não têm uma terra a que pertençam. Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

 

A celebração das trombetas

 

23-25- A meio do mês de Setembro, é uma ocasião solene para todo o povo se encontrar e juntamente adorarem. É um tempo de recordação, e deve ser anunciado com forte som de trombetas. Não façam espécie alguma de trabalho nesse dia de celebração; e ofereçam um sacrifício queimado no fogo a YAHU ULHÍM.

 

O dia da expiação

 

26-32- O dia da expiação será nove dias mais tarde. Todo o povo devera juntar-se perante YAHU ULHÍM, e contristar-se pelo pecado. Deverão oferecer sacrifícios queimados a YAHU ULHÍM. Não farão trabalho algum nesse dia, porque é um dia especial para fazer expiação perante YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno. Alguém que não passe esse dia em arrependimento e contrição pelo seu pecado devera ser excomungado do seu povo. E cortarei do seu povo aquele que fizer alguma espécie de trabalho nesse dia. Isto é uma lei em Yashorúl para todas as gerações. Porque este é um Shábbos de solene repouso, e nele humilharão as vossas almas, que estarão arrependidas. Este tempo de expiação começa já na tarde anterior e vai até ao anoitecer seguinte.

 

A celebração dos tabernáculos

 

33-36- Quinze dias depois, no último dia de Setembro, é a celebração dos abrigos (dos tabernáculos) que será celebrada perante YAHU ULHÍM durante sete dias. No primeiro dia haverá uma santa assembleia de todo o povo. Não farão nenhum trabalho pesado nesse dia. E em cada um dos sete dias de celebração devem sacrificar uma oferta queimada a YAHU ULHÍM. No oitavo dia será convocada nova assembleia de todo o povo, e em que novamente haverá um sacrifício queimado a YAHU ULHÍM. É uma festividade a realizar com alegria; e não é permitido realizar nenhuma espécie de trabalho.


37-38- Estas são pois as festividades regulares anuais – santas convocações de
todo o povo – em que se farão ofertas a YAHU ULHÍM através do fogo. Estas
celebrações anuais são a adicionar aos vossos dias de repouso regular semanal.
E os sacrifícios feitos durante estas solenidades são a acrescentar às vossas
dádivas regulares e ao comprimento normal dos vossos votos.

39-43- Este último dia de Setembro, no fim das vossas colheitas, é pois a ocasião para celebrarem esta festividade de sete dias perante YAHU ULHÍM. Não se esqueçam de que o primeiro e o último desses dias é de repouso solene. No primeiro dia trarão
ramos carregados de frutos, ramos de palmeiras, e outros ramos cheios de folhas
– tais como salgueiros que crescem junto aos ribeiros – e com eles construirão
cabanas, alegrando-se perante YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno durante sete
dias. Esta celebração anual de sete dias é um mandamento a observar por todas
as gerações. Durante esses dias, portanto, todos vocês que são Yashorulítas de
origem devem viver nesses abrigos. O fim disto é lembrar ao povo de Yashorúl,
geração após geração, que vos resgatei do Egito e vos fiz habitar em tendas. Eu
sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

44E foi assim que Mehushúa anunciou
todas estas celebrações anuais dedicadas a YAHU ULHÍM pelo povo de Yashorúl.

 

VIYAKROS 24

As lâmpadas de azeite e o pão consagrado

 

1 -YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

2-4- Diz ao povo de Yashorúl que te traga azeite puro para acender uma chama permanente no castiçal de ouro que está do lado de fora do véu que separa o lugar santo do lugar santíssimo. Cada manhã e cada tarde Aharón suprirá as lâmpadas com azeite
fresco, cortando a parte queimada das torcidas. Será uma chama que arderá
eternamente perante YAHU ULHÍM, por todas as gerações.

5-9- Em cada dia de Shábbos o sumo intermediário colocará doze pães em duas fileiras sobre a mesa pura que está na presença de YAHU UL. Estes pães serão cozidos com seis litros de farinha fina cada um. Depois será derramado incenso puro sobre cada fileira
de pão. Isto será uma oferta memorial feita pelo fogo a YAHU ULHÍM da eterna
aliança que fez com o povo de Yashorúl. O pão será comido por Aharón e pelos
seus filhos num lugar especialmente designado para isso. Porque se trata de
ofertas feitas pelo fogo a YAHU ULHÍM, constituindo um estatuto permanente de YAHU
ULHÍM, e é algo de santíssimo.

 

O castigo por blasfémia

 

10-12- Certo dia no acampamento, um rapaz filho de mãe Yashorulíta e de pai egipcio meteu-se numa briga com um homem de Yashorúl. E enquanto se batiam, o filho da Yashorulíta blasfemou sobre o Shúam (Nome) de YAHU ULHÍM, e foi trazido em julgamento perante Mehushúa. (O nome da sua mãe era Shelomite, filha de Dibri, da tribo de Dayán). E ficou detido até que YAHU ULHÍM indicasse o que deveria ser feito.

13-14- Então YAHU ULHÍM disse a Mehushúa: Leva-o para fora do acampamento e os que o ouviram que lhe ponham as mãos na cabeça; depois será apedrejado por todo o povo.

15-16- Diz ainda ao povo de Yashorúl que se alguém dirigir ofensas contra o seu YAHU ULHÍM, terá de levar o castigo da sua culpa. Toda a congregação do povo o apedrejará. É uma lei a ser aplicada tanto ao estrangeiro como ao Yashorulíta que blasfemar do
Shúam (Nome) de YAHU ULHÍM; devera morrer.

17-20-Da mesma forma todos os
assassinos serão executados. Alguém que matar um animal (que não seja seu) terá
de restituir com outro vivo. Quando alguém ferir o seu próximo, terá de ser
ferido da mesma forma que o fez: fractura por fractura, olho por olho, dente
por dente. O que alguém fizer a outro assim lhe será feito.

21-22- Repetindo: quem matar um animal devera restituí-lo por outro, e quem matar um ser humano, morrerá. A mesma lei aplica-se tanto ao estrangeiro como ao que nasceu na terra. Porque Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

23- E foi assim que levaram o rapaz para fora do acampamento e o apedrejaram, tal como YAHU ULHÍM mandara a Mehushúa.

 

VIYAKROS 25

 

O ano sabático

 

1- Enquanto Mehushúa estava no Monte Sinai, YAHU
ULHÍM deu-lhe estas instruções para o povo de Yashorúl.

2-7- Quando chegarem à terra que vos vou dar, devem deixar a terra repousar perante YAHU ULHÍM em cada sete anos. Durante seis anos podem semear, vindimar, ceifar, mas durante o sétimo ano a terra deve permanecer em pousio diante de YAHU UL, sem ser cultivada. Nesse ano então não semeiam, nem vindimem, nem ceifem. Nem tão pouco ceifem o que de si mesmo ainda nascer nas searas da última sementeira; nem
apanhem os bagos de uva que ainda aparecem; porque é um ano de repouso para a
terra. Mas aquilo que nascer nesse mesmo ano será livre para toda a gente –
para vocês, para os escravos, e para qualquer estrangeiro que viva convosco. E
da mesma forma também o gado e qualquer animal devera ser deixado pastar e
comer do que nascer nesse ano.

 

O ano de jubileu

 

8-10- Após sete períodos de sete anos, somando quarenta e nove anos, no dia dez do sétimo mês – no dia da expiação – as trombetas deverão tocar por toda a terra com um som longo e forte. Porque esse ano será santo; é um tempo de se proclamar a liberdade através da terra para todos os que se tornaram escravos por causa de dívidas, e em que serão canceladas todas as dívidas, públicas ou privadas. É um ano em que todas as
propriedades familiares vendidas a outros tornarão aos seus proprietários originais ou aos seus herdeiros.

11-16- Será um ano de contentamento! Nele não semearão, nem colherão as searas, nem as vindimarão; será um ano santo de jubileu para vocês. Nesse ano o vosso alimento será o que naturalmente vos nascer nos campos. Durante o ano de jubileu cada um voltará à posse da propriedade original da sua família. Por causa disso, ao comprar-se ou vender-se uma terra durante os quarenta e nove anos precedentes,
estabelecer-se-á um preço justo de acordo com o número de anos que faltarem até
ao jubileu. Se este for ainda daí a muitos anos o preço será mais elevado; se
pelo contrário já só faltar pouco tempo até lá, então o seu custo descerá.
Porque o que efectivamente estão negociando são os anos possíveis de colheita
que o novo proprietário poderá obter da terra antes que volte à vossa posse.


17- Devem respeitar o vosso Criador Eterno e nunca praticar a opressão. Porque Eu
sou YAHU ULHÍM.

18-19- Obedçam às minhas leis se querem viver seguros na terra.
Se obedecerem, a terra vos dará abundantes colheitas e poderão comer os seus
frutos com segurança.

20- Vocês hão-de perguntar: O que é que comeremos no sétimo
ano, visto que não nos é permitido plantar nem colher nesse ano?

21-22A reposta é esta: Abençoar-vos-ei com abundantes searas no sexto ano, de tal forma que terão que comer até que as colheitas do oitavo ano se façam.

23- E lembrem-se que a terra é minha, por isso não poderão vendê-la com caracter permanente. Vocês estão explorando uma terra que é minha.

24-28- Todo o contrato de venda devera permitir que a terra possa ser em qualquer altura resgatada por aquele que vende. Se alguém vier a empobrecer e tiver de vender parte da sua terra, o seu parente próximo pode resgatá-la. E se não tiver ninguém mais que possa resgatá-la e ele próprio conseguir dinheiro suficiente, então poderá sempre
tornar a comprá-la por um preço descontando o número de anos que esteve na
posse do comprador; e aquele que a detinha é obrigado a aceitar o dinheiro e a
devolver-lhe a propriedade. Mas se o primeiro proprietário não for capaz de a
resgatar, então a terra pertencerá ao seu novo possuidor até ao ano do jubileu;
sendo nesse ano devolvida ao primeiro.

29-31-Se alguém vender uma casa numa cidade, tem um ano para poder resgatá-la; tem pleno direito de o fazer, durante esse tempo. Contudo, se nesse espaço de tempo não o fizer, então a casa ficará definitivamente na posse do novo proprietário, e nem sequer no ano do jubileu voltará à posse da primeira pessoa. Se a venda se der numa vila – isto é: um conjunto de casas que não são protegidas por muralha – então o negócio decorre como se se tratasse de um terreno; a casa é resgatável em qualquer ocasião, e
sempre voltará ao proprietário original no jubileu.

32-34-Há contudo uma excepção: São as casas dos Levitas; ainda que estejam em cidades muradas, essas poderão ser resgatadas em qualquer momento, e deverão ser devolvidas ao proprietário de origem no ano do jubileu; visto que a estes não é distribuída terra, à semelhança das outras tribos; receberão apenas casas nas cidades (mais os campos circunvizinhos). Aliás aos Levitas não é permitido vender campos nas
terras dos arrabaldes das suas cidades, porque são possessão sua permanentemente, e de ninguém mais devem ser.

35-38- Se o vosso irmão empobrecer, serão responsáveis por ajudá-lo. Deverão convidá-lo a viver convosco como hóspede na vossa casa. Respeitem YAHU ULHÍM e deixem o vosso irmão viverconvosco; nem tão pouco lhe peçam juros sobre o dinheiro que lhe emprestarem. Não se esqueçam: não levem juros; e dêem-lhe aquilo de que ele precisar ao preço do custo; não tentem fazer negócio. Porque eu YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno, vos tirei da terra do Egito para vos dar a terra de Canaã, e para ser o
vosso Criador Eterno.

39-41- Se um vosso irmão Yashorulíta vier a empobrecer e se
vender a um de vocês, não deverão tratá-lo como escravo mas antes como um
assalariado ou como um hóspede; e ele apenas vos servirá até ao ano de jubileu.
Nesse ano poderá deixar-vos, com os seus filhos, e retornar à sua família e
àquilo que é dele.

42-43-Porque eu vos trouxe da terra do Egito, e vocês são
meus servos. Por isso não poderão ser vendidos como escravos comuns, nem
tratados duramente. Respeitem o vosso Criador Eterno.

44-Contudo poderão comprar escravos das nações estrangeiras que vivam à vossa volta.

45-46- Podem também comprar os filhos dos estrangeiros que vivam convosco, ainda que tendo nascido na vossa terra. Serão vossos escravos permanentemente, podendo passar para os vossos filhos. Mas quanto aos que são vossos irmãos, o povo de Yashorúl, esses não serão tratados da mesma maneira.

47-49- Se um estrangeiro que viva no vosso meio se tornar rico, e se um Yashorulíta empobrecer e se vender ao estrangeiro, ou à família desse estrangeiro, poderá ser resgatado por um dos seus irmãos, ou pelo seu tio, sobrinho, ou qualquer parente seu que lhe seja próximo. Pode mesmo resgatar-se a si mesmo, se obtiver dinheiro suficiente.

50-54- O preço da sua libertação será propocional ao número de anos que faltarem até ao ano de jubileu, e será calculado segundo o salário de um trabalhador assalariado,
durante esse determinado número de anos. Se faltarem ainda muitos anos até ao
jubileu, devera pagar uma quantia aproximada à que recebeu quando se vendeu-se
a si próprio; se já tiver passado tempo, e faltarem poucos anos até ao jubileu,
então terá naturalmente de repor apenas uma parte do que recebeu ao vender-se.
Será tratado como um trabalhador assalariado e não tratado com dureza na vossa
casa. Se não tiver sido resgatado entretanto, ao chegar o ano do jubileu, ele e
os seus filhos sairão livres.

55- Porque o povo de Yashorúl é meu servo. Trouxe-o
da terra do Egito. Eu sou YAHU ULHÍM o vosso Criador Eterno.

 

VIYAKROS 26

 

A bênção pela obediência

 

1- Não fabriquem para si ídolos. Não deverão
prestar culto a imagens esculpidas, a estátuas. Porque Eu sou YAHU ULHÍM vosso
Criador Eterno.

2- Devem guardar as minhas leis respeitantes ao repouso do
Shábbos, e reverenciar o meu tabernáculo. Porque Eu sou YAHU ULHÍM.

3Se andarem conforme as minhas leis e guardarem os meus mandamentos, pondo-os em prática,


4então vos darei as chuvas a seu tempo, e a terra produzirá abundantes
colheitas, as árvores carregar-se-ão de frutos.

5- A ceifa durará até ao tempo da vindima e a vindima até ao tempo das novas sementeiras. Comerão até se fartarem e viverão seguros da terra,

6-  porque vos darei paz; poderão dormir sem temores. Afastarei os animais perigosos e as guerras.

7- Perseguirão inimigos, os quais morrerão sob as vossas armas.

8- Cinco porão em fuga uma centena, e cem liquidarão dez mil! Derrotarão todos os adversários.

9- Cuidarei de vocês, e vos multiplicarei; cumprirei a minha aliança convosco.

10- Hão-de ter uma tal abundância de fruto da terra que nem saberão o que fazer disso quando chegar nova ceifa!

11- Viverei no vosso meio; não vos repudiarei.

12Andarei convosco, serei o vosso Criador Eterno e vocês serão o meu povo.

13- Porque Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno que vos tirou da terra do Egito para nunca mais serem escravos. Quebrei as vossas cadeias e farei que vivam com dignidade.

 

O castigo por desobediência

 

14-17- Mas se não me ouvirem e não me obedecerem, antes desprezarem e rejeitarem as minhas leis e assim anularem a minha aliança não obedecendo às minhas leis, eis o que vos farei: castigar-vos-ei com terrores repentinos e com pânico, e ainda com a tuberculose e com febres ardentes que consomem os olhos e vão destruindo a vida. Hão-de semear em vão, porque serão os vossos inimigos que colhe os frutos. Serei
contra vocês e hão-de fugir na frente dos que vos atacam; serão governados por
quem vos odeia. Até fugirão sem mesmo haver alguém que vos esteja a perseguir!


18-20- E se continuarem a desobedecer-me, castigar-vos-ei sete vezes mais
severamente ainda, por causa dos vossos pecados. Quebrarei a vossa força
orgulhosa. Os shua-ólmaYa ser-vos-ão como ferro e a terra como bronze. A vossa
força se consumirá em vão; porque a vossa terra não vos dará searas, nem as
árvores frutos.

21-22- E se mesmo assim ainda não me obedecerem e não quiserem
ouvir-me, mandar-vos-ei sete vezes mais pragas por causa dos vossos pecados.
Enviarei animais ferozes que matarão os vossos filhos, destruirão o vosso gado
e vos diminuirão de tal forma que os caminhos ficarão desertos.

23-26- E se ainda mesmo assim, isto não vos fizer mudar, mas antes continuarem a andar segundo os vossos desejos e contrários aos meus, então também eu me oporei ao vosso querer, e eu, eu próprio, vos ferirei sete vezes mais por causa do que pecaram.
Castigarei o terem quebrado a minha aliança, trazendo a guerra contra vocês.
Hão-de fugir para a cidade, mas mandarei pragas que vos apanharão lá e acabarão
por ser conquistados pelos inimigos. Destruirei os vossos fornecimentos de
comida de tal forma que um só forno será largamente suficiente para cozer pão
para dez famílias; e continuarão com fome ainda depois de ter recebido o vosso
pequeno quinhão.

27-28- E se continuarem sem me obedecer, então darei largas ao
meu furor e mandar-vos-ei um castigo pelos vossos pecados que seja sete vezes
mais intenso.

29-35- Comerão os vossos próprios filhos e filhas; destruirei os
altares sobre as colinas nos quais adoraram ídolos, deitarei abaixo os altares
de incenso, deixarei que se amontoem os vossos cadáveres por entre os ídolos
destruídos. Aborrecer-vos-ei. As cidades ficarão desoladas, destruirei os
lugares de culto e não aceitarei as vossas ofertas de incenso. Sim, tornarei
deserta a terra; os vossos inimigos viverão nela, eles próprios se espantarão
com o que vos fiz. Espalhar-vos-ei entre as nações, fazendo desencadear guerras
contra vocês por onde forem. A vossa terra ficará desolada e as cidades
destruídas. Então por fim a terra descansará e se recomporá dos muitos anos em
que não a deixaram repousar; pois manter-se-á desolada todos os anos em que
estarão cativos nas terras dos inimigos. Sim, então a terra descansará e desfrutará
dos seus Shábbos. E poderá recompor-se do repouso que não lhe deram todos os
sete anos, quando lá viviam.

36-39- Os que ficarem vivos serão levados para terras distantes como prisioneiros de guerra e como escravos. E lá viverão em constantes terrores. O som de uma folha levada pelo vento os fará fugirem como se estivessem a ser ameaçados por um homem armado. Cairão sem que alguém os persiga. Sim, mesmo sem ninguém a persegui-los, cairão uns sobre os outros na precipitação, como se fugissem de uma batalha em que não conseguissem suster a força do inimigo. Hão-de perecer entre as nações e ser destruídos pelos vossos adversários. E os que ainda ficarem desfalecerão nas terras dos inmigos por causa dos seus pecados, os mesmos dos seus pais.

40-45- Mas por fim se confessarem o seu pecado e as iniquidades que os seus pais praticaram contra mim, que fizeram que se voltassem contra mim e eu contra eles, e os levasse para as terras dos seus inimigos; se por fim os seus maus corações se
humilharem e aceitarem o castigo que lhes mandei por causa dos seus pecados,
então me lembrarei outra vez das minhas promessas a Abruhám, a YAHUtz-kaq e a YAHUCAF e da terra que ficou desolada. A terra disfrutará dos Shábbos enquanto está
desolada, mas eles por fim aceitarão o castigo por terem rejeitado as minhas
leis e desprezado os meus regulamentos. E apesar de tudo o que fizeram, não os
destruirei totalmente nem invalidarei a minha aliança com eles, porque sou YAHU
ULHÍM o seu YAHU ULHÍM. Pois que trouxe os seus antepassados do Egito perante a
admiração das nações que observavam isso. Eu sou YAHU ULHÍM.

46Estas foram às leis, os mandamentos, as instruções que YAHU ULHÍM deu ao povo de Yashorúl, por meio de Mehushúa, no Monte Sinai.

 

VIYAKROS 27

 

Normas para coisas consagradas

 

1 – YAHU ULHÍM disse a Mehushúa:

2- Diz ao povo de Yashorúl que quando uma pessoa fizer um voto especial de se dedicar ela própria a YAHU ULHÍM, devera fazer o seguinte pagamento no lugar da pessoa:

3- Um homem entre os vinte e os sessenta anos de idade pagará 600 gramas de prata,
segundo os pesos do Templo.

4Uma mulher entre os vinte e os sessenta anos
pagará 300 gramas de prata.

5- Um rapaz dos cinco aos vinte anos pagará 200
gramas; e uma jovem, 110.

6- Um menino de um mês até aos cinco anos será avaliado em 55 gramas, e uma menina, em 35 gramas.

7- Um homem para cima dos sessenta anos devera pagar 170 gramas, e uma mulher, 110.

8- Mas se a pessoa for tão pobre que não possa pagar esse montante, devera ser levado perante o intermediário, e este o avaliará em função dos meios de que dispõe.

9-13- Se se tratar de um animal de uma espécie que é permitida oferecer como sacrifício que se faz voto de oferecer a YAHU ULHÍM, será coisa santa. O voto não pode ser alterado. Aquele que o fez não poderá nem alterar a sua intenção de o dar a YAHU
ULHÍM, nem substituí-lo – seja o bom pelo mau, seja o mau pelo bom. Se vier a
fazê-lo, tanto um como o outro pertencerão a YAHU ULHÍM. Mas se o animal for de
uma espécie que não é permitido oferecer como sacrifício, o seu dono deve
trazê-lo ao intermediário para que o avalie. Se o homem pretender resgatá-lo
então devera pagar um quinto mais do que o valor estabelecido pelo
intermediário.

14-15- Se alguém dá a sua casa a YAHU ULHÍM e depois deseja
resgatá-la, o intermediário decidirá do seu valor e a pessoa pagará essa
quantia mais um quinto; e a casa voltará a ser dele novamente.

16-21- Se uma pessoa dedicar uma parte do seu campo a YAHU ULHÍM, avaliá-la-á em função do que pode ser semeado ali. Uma área que requeira 220 litros de semente de cevada, será avaliada em 600 gramas de prata. Se o campo for consagrado no ano de
jubileu o seu valor é aquele que foi indicado. Mas se for depois desse ano, a
avaliação será em proporcão com o número de anos que restam até ao próximo
jubileu. Se a pessoa decidir resgatar o campo, pagará um quinto mais além da
avaliação do intermediário, e poderá reaver o campo. Mas se decidir não
resgatá-lo, ou se o tiver vendido a outra pessoa, não devera voltar à sua
posse. Quando chegar o jubileu ficará pertença de YAHU UL, como um campo que
lhe é consagrado, e será dado aos intermediários.

22-25- Se um homem dedicar a YAHU ULHÍM um campo que comprou, mas que não faz parte da sua propriedade familiar, o intermediário fará a estimativa do seu valor até ao ano do jubileu, e dará logo esse montante a YAHU ULHÍM; e no ano do jubileu o campo voltará à posse do primeiro proprietário a quem tinha sido comprado. Todas as avaliações serão efectuadas em moeda corrente – a moeda do Templo é igual a 12 gramas de prata.


26-28- Não poderão consagrar a YAHU ULHÍM o primeiro nascido de um boi ou de um
carneiro, porque esse já lhe pertence. Mas se for o primeiro a nascer de um
animal que não pode ser usado nos sacrifícios, porque não está na lista dos que
YAHU ULHÍM aceita, então o seu dono pagará aquilo que foi a estimativa do
intermediário, acrescido de um quinto; se o dono não o resgatar, o
intermediário poderá vendê-lo. Contudo nada que tenha sido consagrado a YAHU
ULHÍM – pessoas, animais ou campos herdados – devera ser vendido ou resgatado,
porque são santíssimos para YAHU ULHÍM.

29Ninguém que tenha sido sentenciado à
morte pelos tribunais poderá pagar multa no lugar da condenação. Terá
certamente de morrer.

30-33- Os dízimos, produtos da terra, sejam cereais, sejam
fruta, pertencem a YAHU ULHÍM; é coisa sagrada. Se alguém desejar reaver esses
produtos, terá de juntar mais um quinto ao seu valor. Também a YAHU ULHÍM
pertence a décima parte dos animais do vosso gado, dos vossos rebanhos; quer
dizer, o décimo dos animais que passam sob a vara (ao serem contados). O que é
dado como dízimo a YAHU ULHÍM não pode ser escolhido na base de ser bom ou de
ser mau; além disso não haverá substituições; porque se alguma substituição
tiver sido feita, ambos, o original e o substituto, pertencerão a YAHU ULHÍM, e
não poderão ser resgatados.

34- Estes são os mandamentos que YAHU ULHÍM deu a
Mehushúa no Monte Sinai, para serem comunicados ao povo de Yashorúl.

Comentários:

Os filhos Do ALTÍSSIMO São Totalmente Libertos em O Nosso Salvador YAHUSHUA, mas muitos, infelizmente,a exemplo de alguns YAshorulitas, querem voltar a uma vida de escravidão. O Livro de Gálatas deve Merecer nossa Especial Atenção, capítulo por capítulo!

13- Porque Eu sou YAHU ULHÍM vosso Criador Eterno que vos tirou da terra do Egito para nunca mais serem escravos. Quebrei as vossas cadeias e farei que vivam com dignidade.

 

As Sagrádas Escritúras em Versão YAHUSHUA….

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: