ministeriohorafinal

Ozór (Esdras)

OZOR 1

(Esdras) (Ezra)

 Kerósh ajuda os exilados a voltarem

 1No primeiro ano do rei Kerósh, da Pérsia, YAHU ULHÍM despertou o espírito deste rei, levando-o a fazer a seguinte proclamação,através de todo o reino, a qual mandou também pôr por escrito:

2-4Todos os reinos da terra me foram dados pelo YAHU ULHÍM o Criador Eterno dos shua-ólmaYa, que me deu instruções para que lhe construísse um Templo em YAHUSHUA-oléym, na terra de YAHUDAH. Todos os que são seu povo devem regressar a Yashorúl, para dar cumprimento a essa tarefa, e YAHU ULHÍM será com eles. Aqueles, de entre os YAHÚ-dim, que não partirem, deverão contribuir para as despesas dos que forem a YAHUSHUA-oléym, fornecendo-lhes também vestuário, meios de transporte e mantimento para a viagem, além de uma oferta voluntária para o Templo.

5 YAHU ULHÍM suscitou entre os chefes das tribos de YAHUDAH e de Benyamín, e entre os intermediários e Levítas, um grande movimento de consagração no sentido de regressarem a YAHUSHUA-oléym e de começarem logo a reconstrução do Templo.

6Os outros que optaram por ficar deram-lhes tudo o que puderam, em prata, ouro, roupa, gado, e outras coisas de valor.

7-8 O próprio rei Kerósh devolveu as taças de ouro e outros objectos valiosos que Nebuchadnezar levara do Templo em YAHUSHUA-oléym e depositara no Templo dos seus falsos criadores o estatuas. Nesse sentido deu ordens a Mitredate, o tesoureiro do império, para que tais objetos fossem entregues a Sesbazar, o líder de todo o movimento de retorno a YAHUDAH.

9-10É esta a lista daquilo que Kerósh devolveu: 1.000 salvas de ouro,1.000 salvas de prata,29 incensários,30 bacias de ouro maciço,2.410 bacias de prata, para várias funções,1.000 outros objectos diversos. 11Foram ao todo cinco mil quatrocentos e sessenta e nove objectos de ouro e de prata entregues a Sesbazar para que os levasse a YAHUSHUA-oléym.

 

OZOR 2

 

A lista dos retornados

 

1Eis a lista dos YAHÚ-dim expatriados que agora regressaram a YAHUSHUA-oléym e a outras cidades de YAHUDAH, donde seus pais tinham sido deportados pelo rei Nebuchadnezar para Babilónia.

2Eram estes os líderes: Zorobabúl, YAHUSHUA, NAOKHEMYAHU, Shear-YAHU, Reelaías, Ulkháy, Bilsã, Mizpar, Bigvai, Reum e Baaná.

3-35A seguir temos o recenseamento de todos os retornados, segundo os seus sub-clãs:sub-clã de Parós: 2.172; sub-clã de Shuafat-YAHU: 372; sub-clã de Ará: 775; sub-clã de Paate-Moabe, os descendentes de YAHUSHUA e de Ya-ab: 2.812; sub-clã de Olao: 1.254; sub-clã de Zatú: 945; sub-clã de Zacai: 760; sub-clã de Bani: 642; sub-clã de Bebai: 623; sub-clã de Azgade: 1.222; sub-clã de Adonicão: 666; sub-clã de Bigvai: 2.056; sub-clã de Adim: 454; sub-clã de Ater, descendentes de Kozoq-YAHU: 98; sub-clã de Bezai: 323; sub-clã de Yora: 112; sub-clã de Hasum: 223; sub-clã de Gibar: 95; sub-clã de Beth-Lékhem: 123; sub-clã de Netofá: 56; sub-clã de Anatote: 128; sub-clã de Azmavete: 42; sub-clãs de Kiryat-Arim, Cefira e Beerote: 743; sub-clãs de Roéma e Geba: 621; sub-clã de Micmás: 122; sub-clãs de Bohay-Úl e de Ai: 223; sub-clã de Nebo: 52; sub-clã de Magbís: 156; sub-clã de Olao: 1.254; sub-clã de Harim: 320; sub-clãs
de Lode, Hadide e Ono: 725; sub-clã de Yáricho: 345; sub-clã de Senaa: 3.630.


36-39
O recenseamento dos intermediários retornados foi o seguinte: das famílias de Yada-YAHU, sub-clã de YAHUSHUA: 973; sub-clã de Imer: 1.052; sub-clã de Pasur: 1.247; sub-clã de Harim: 1.017.

40-42Quanto aos Levítas:das famílias de YAHUSHUA e de Kadmiúl, do sub-clã de Hodav-YAHU: 74 dos cantores, do clã de Osaf: 128; dos descendentes dos porteiros – das famílias de Salum, de Ater, de Talmon, de Acube, de Hatita e de Sobai: 139.

43-54Também havia representantes das seguintes famílias de auxiliares do Templo:Zia, Hasufa, Tabaote, Querós, Siá, Padom, Lebana, Hagaba, Acube, Hagabe, Salmai, Hanã, Gidel, Gaar, Reaías, Rezim, Necoda, Gazão, Uzá, Paséia, Besai, Asná, Meunim, Nefusim, Baquebuque, Hacufa, Harur, Bazlute, Meida, Harsa, Barcos, Sísera, Tema, Nezias, Hatifa.

55-57Entre os retornados encontravam-se igualmente descendentes de homens que tinham estado ao serviço do rei Shua-ólmoh; eram pois descendentes de: Sotai; Soferete; Peruda; Yaala; Darcom; Gidel; Shuafat-YAHU; Hatil; Poquerete-Hazebaim; Ammí.

58O total dos auxiliares do Templo mais dos descendentes dos servidores de Shua-ólmoh foi de 392.


59-60Houve igualmente um grupo de pessoas que regressou a YAHUSHUA-oléym, na mesma altura, vindo das cidades persas de Tel-Mela, Tel-Harsa, Querube, Adã e Imer. Contudo, estas perderam as suas genealogias e não puderam demonstrar que
eram Yashorulítas. Estas pessoas incluíam descendentes do sub-clã de Dela-YAHU, de Tobias e de Necoda, num total de 652.

61-63Houve três sub-clãs de intermediários – Habaías, Coz e Barzilai; (este último casou com uma das filhas de Barzilai, o gileadita, e ficou como o nome de família dela) – os quais regressaram igualmente a YAHUSHUA-oléym, mas que também perderam as suas genealogias. Por isso os responsáveis recusaram permitir que continuassem como
intermediários; nem sequer os deixaram comer do alimento dos sacríficios até que fossem consultados o urim e tumim para se saber da parte de YAHU ULHÍM se eram realmente descendentes de intermediários ou não.

64-67O total de todos os que regressaram a YAHUDAH foi assim de 42.360. Deve juntar-se a este número 7.337 escravos e 200 cantores e cantoras. Touxeram consigo 736 cavalos, 245 mulas, 435 camelos e 6.720 burros.

68-69Alguns dos líderes deram generosamente ofertas para a reconstrução do Templo, cada um tanto quanto pôde. O valor da totalidade dos dons ascendeu a quinhentos quilos de ouro, a dois mil e oitocentos quilos de prata e a cem vestes sacerdotais.

70Assim os intermediários e os Levítas mais alguns do povo comum estabeleceram-se em YAHUSHUA-oléym e nas povoações ao redor. Os cantores, os porteiros e os funcionários auxiliares do Templo, mais o resto do povo, voltaram para as outras localidades de YAHUDAH donde eram originários.

 

OZOR 3

 

A reconstrução do altar

1Durante o  sétimo mês de (Setembro) todos os que tinham regressado a YAHUDAH vieram até YAHUSHUA-oléym desde as terras onde estavam a morar.

2YAHUSHUA (filho de YAHU-tzaodóq) com os seus companheiros
intermediários, mais Zorobabúl (filho de Shealtiúl), com o seu clã,

3reconstruíram o altar de YAHU ULHÍM de Yashorúl. Ofereceram holocaustos sobre ele, tal como está escrito nas instruções de Mehushúa, o homem de YAHU ULHÍM. O altar foi reconstruído sobre os seus próprios alicerces, e foi usado para os sacrifícios da manhã e da tarde, oferecendo-se nele holocaustos a YAHU ULHÍM; apesar do receio com que estavam dos povos ao redor deles.

4-5Celebraram também a celebração dos tabernáculos, de acordo com as instruções de Mehushúa, oferecendo ofertas queimadas especificamente para cada dia da celebração. Também apresentaram os sacríficios especiais requeridos para os Shábbos, para as celebrações da lua nova, e para outras celebrações regulares anuais dedicadas a YAHU ULHÍM. Ofereciam-se ainda ofertas voluntárias do povo.

6Foi a 15 do sétimo mês que os intermediários começaram sacrificando holocaustos a YAHU ULHÍM. (Isto foi antes que se começasse a reconstrução do Templo.)

 

Reparação dos alicerces do Templo

 

7Contrataram depois pedreiros e carpinteiros, compraram madeira de cedro ao povo de Tiro e de Sidom, pagando-lhes com comida, vinho e azeite. A madeira era trazida das montanhas do Lebanon e transportada pelo mar ao longo da costa do Mediterrâneo até Yaffó; isto de acordo com a concessão que lhes fez Kerósh, rei da Pérsia.

8As obras efetivas de reconstrução do Templo iniciaram-se em Junho do segundo ano da chegada dos retornados a YAHUSHUA-oléym. Os trabalhos foram realizados por todos os que tinham regressado, sob a direção de Zorobabúl (filho de Shealtiúl) de YAHUSHUA (filho de YAHU-tzaodóq) e dos outros intermediários, seus companheiros, e dos Levítas. Os Levítas, a partir da idade de vinte anos, eram designados para supervisar as obras.

9A direção superior de todo o projeto foi entregue a YAHUSHUA, a Kadmiúl e a Henadade, mais aos seus filhos e parentes, todos eles Levítas.

10Quando os trabalhos de reparação dos alicerces do Templo acabaram, os intermediários vestiram os seus trajes sacerdotais e tocaram as trombetas; os descendentes de Osaf vieram igualmente com os seus címbalos para louvarem YAHU ULHÍM, conforme as indicações do rei Dáoud.

11Repetiam com louvor e gratidão este cântico:YAHU ULHÍM é bom;a sua misericórdia para com Yashorúl dura para sempre.Todo o povo manifestou exuberantemente a sua grande alegria, louvando também YAHU ULHÍM por os alicerces do Templo estarem reconstruídos.

12Muitos dos intermediários, Levítas e outros chefes, homens
idosos que se lembravam ainda do belo Templo de Shua-ólmoh, choravam de comoção, isto enquanto outros continuavam expressando jubilosamente os seus sentimentos!

13Dessa forma se misturavam as duas manifestações da emoção do
povo, de tal forma que se podiam ouvir a uma grande distância.

 

OZOR 4

 

Oposição à reconstrução

 

1-2Quando os inimigos de YAHUDAH e de Benyamín tomaram conhecimento que os exilados tinham regressado e estavam a reconstruir o Templo, vieram ter com Zorobabúl e com os outros chefes, sugerindo-lhes o seguinte: Deixem-nos trabalhar convosco, porque estamos tão interessados no vosso YAHU ULHÍM como vocês; temos-lhe sacrificado já mesmo desde que Esar-Hadom nos trouxe para aqui.

3Mas Zorobabúl, YAHUSHUA e os outros líderes YAHÚ-dim replicaram-lhes: Não. Vocês não podem participar connosco nesta obra. O Templo de YAHU ULHÍM de Yashorúl terá de ser construído pelos próprios Yashorulítas, tal como mandou o rei Kerósh.

4-5Contudo o próprio povo que já residia antes na terra tentava desencorajá-los e aterrorizá-los, enviando ao mesmo tempo agentes seus ao rei Kerósh, para lhe contar mentiras a respeito deles; esta situação manteve-se assim durante todo o resto do reinado de Kerósh, até que o rei Dario subiu ao trono.

6-7Posteriormente, quando o rei Akashverósh começou a reinar, escreveram-lhe uma carta de acusação contra o povo de YAHUDAH e de YAHUSHUA-oléym. Fizeram o mesmo durante os reinados de Akashverósh. Bislão, Mitredate e Tabeel, mais os seus companheiros, escreveram a este último monarca, em aramaico, tendo sido traduzida para que o rei a compreendesse.

8-10Outros que participaram nesta ação acusatória junto do rei
Akashverósh foram: o governador Rheum, Simsai (um secretário de administração), vários juízes, chefes locais, homens persas, indivíduos de Babilónia, de Ereque e de Susã, e gente mesmo de outras nações. (Tinham sido trazidos das suas terras pelo grande e afamado Osnapar e instalados em YAHUSHUA-oléym, em Shuamor-YAHU e outras terras a ocidente do Eufrates.)

11-16É pois este o texto da referida carta:Majestade: Saudações te enviam os teus leais súbditos a ocidente do rio Eufrates. Permitimo-nos informar-te que os YAHÚ-dim, enviados a YAHUSHUA-oléym desde Babilónia, estão a reconstruir esta cidade rebelde e malvada; já reconstruíram as muralhas e refizeram os alicerces do Templo. Por isso
pretendemos que fiques a saber que se esta cidade for reconstruída, não será para teu benefício, pois os YAHÚ-dim não pagarão impostos nem as taxas devidas. Somos súbditos reconhecidos da administração real, por isso não vemos com bons olhos a desonra do rei; em consequência resolvemos avisar-te. Sugerimos que mandes investigar as antigas crónicas para verificar o quanto esta cidade foi contenciosa no passado. Foi mesmo destruída por causa da sua longa história de sedição contra os reis e nações que procuravam controlá-la. Queremos informar-te que se esta cidade for reconstruída e as suas muralhas fechadas, o melhor será esqueceres-te desta parte do teu império para cá do Eufrates, pois perdê-lo-ás.

17-22O rei mandou então esta resposta ao governador Rheum e ao
secretário Simsai, assim como aos seus companheiros que viviam na Shuamor-YAHU e em toda a área a ocidente do Eufrates.
Paz. A carta que me enviaram foi traduzida e lida perante mim. Ordenei uma pesquisa às crónicas antigas e encontrei na verdade que YAHUSHUA-oléym fora nos tempos passados um foco de insurreição contra muitos reis; com efeito a sedição e a rebelião eram coisa habitual ali! Houve no entanto reis notáveis em YAHUSHUA-oléym que chegaram a ter domínio sobre toda a terra para além do Eufrates, recebendo vastos tributos, cobrando direitos e rendas. Em consequência, ordeno que essa gente pare o trabalho a fim de que essa cidade não venha a ser reconstruída. Que a minha ordem seja cumprida estritamente, pois não posso permitir que haja prejuízo contra os interesses do rei.

23Quando esta carta chegou às mãos de Rheum e de Simsai, foram a correr a YAHUSHUA-oléym e forçaram os YAHÚ-dim a parar as obras.

24Dessa maneira os trabalhos foram suspensos até
ao segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia.

 

OZOR 5

 

A carta de Tatenai a Dario

 

1-2Mas houve profetas em YAHUSHUA-oléym e em YAHUDAH nesse tempo – KHAGGAI e ZOCHARYAHU (filho de Ido) – que trouxeram mensagens da parte de YAHU ULHÍM de Yashorúl, dirigidas a Zorobabúl (filho de Shealtiúl) e a YAHUSHUA (filho de YAHU-tzaodóq), encorajando-os a retomar a obra de reconstrução. Foi o que fizeram, e os profetas davam-lhes apoio.


3Contudo Tatenai, o governador das terras a ocidente do Eufrates, mais Setar-Bozenai, com os seus associados, vieram em breve até YAHUSHUA-oléym e perguntaram: Quem vos deu licença para reconstruir este Templo e para acabar estas muralhas?

4Pediram ainda uma lista de todos os homens que trabalhavam nas
obras do Templo.

5Mas como YAHU ULHÍM estava a velar sobre toda aquela situação, os nossos inimigos não tiveram força suficiente para nos impedir de continuar, enquanto esta questão não chegasse ao conhecimento de Dario, e este tomasse uma decisão.

6Eis a carta que o governador Tatenai, e Setar-Bozenai, mais os outros funcionários, enviaram ao rei Dario:

7-17Para o rei Dario: Muita paz para ti! Queremos informar-te que fomos até às obras de reconstrução do Templo do grande YAHU ULHÍM de YAHUDAH. Está sendo feita com grandes pedras e muita madeira; também as muralhas se vão levantando. Toda a obra avança com decisão e eficácia. Perguntámos aos seus responsáveis quem lhes tinha dado licença para aquilo; tomamos igualmente nota dos seus
nomes, para os dar a conhecer a Dario. Responderam-nos: ‘Somos servos de YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa e da terra; estamos a reconstruir o Templo que aqui existia há séculos atrás e que foi levantado por um grande rei de Yashorúl. Mais tarde os nossos antepassados irritaram YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa, que os abandonou e deixou que o rei Nebuchadnezar destruísse este Templo e exilasse a população para Babilónia.’Insistiram também em que o rei Kerósh, de Babilónia,
no primeiro ano do seu reinado, publicara um decreto em como o Templo deveria ser reconstruído; garantem ainda que o rei Kerósh devolveu os recipientes em ouro e em prata que Nebuchadnezar levara do Templo de YAHUSHUA-oléym para os pôr no Templo de Babilónia. Esses vasos foram entregues à guarda de um homem chamado Sesbazar, a quem o rei Kerósh nomeou governador de YAHUDAH. Ele tinha o encargo de trazer de volta esses objectos preciosos até YAHUSHUA-oléym, e de promover a reconstrução do Templo de YAHU ULHÍM que antes lá existia. Foi assim que Sesbazar deu início aos trabalhos dos alicerces do Templo em YAHUSHUA-oléym; o povo tem-se dedicado a essa obra desde então, ainda que não esteja acabada. Rogamos-te pois que mandes inquirir nos arquivos de Babilónia se é verdade que o rei Kerósh emitiu tal decreto. E que depois possamos saber qual a tua decisão
quanto a este assunto.

 

OZOR 6

 

O decreto de Dario

 

1O rei Dario com efeito mandou pesquisar nos diversos arquivos onde os documentos eram guardados.

2Na verdade foi encontrado no palácio de Acmeta, na província de Média, um relato que dizia assim:


3-5No primeiro ano do reinado de Kerósh, foi publicado um decreto respeitante ao Templo de YAHU ULHÍM em YAHUSHUA-oléym, onde os YAHÚ-dim fazem os seus sacrifícios de culto. Esse Templo devera ser reconstruído, e os seus alicerces refeitos. Terá trinta metros de altura e igual medida para a sua largura. Os alicerces serão compostos de três carreiras de grandes pedras, terminando com uma carreira de madeira nova. Todas as despesas serão pagas pelo rei. Os vasos de ouro e de prata que tinham sido levados do Templo de YAHU ULHÍM pelo rei Nebuchadnezar deverão voltar para YAHUSHUA-oléym e ser postos no Templo, como antes.

6-12Então o rei Dario enviou a seguinte mensagem ao governador
Tatenai, ao Setar-Bozenai e aos outros altos funcionários, a ocidente do
Eufrates:
Não ponham qualquer entrave à construção do Templo. Deixem que seja reconstruído, no local primitivo, e não molestem o governador de YAHUDAH nem os outros líderes, nessa obra. Mando mais ainda, que todas as despesas com essa construção sejam pagas sem demora com o dinheiro proveniente dos impostos cobrados nesse território. Deem aos intermediários de YAHUSHUA-oléym novilhos, carneiros e cordeiros para os holocaustos a oferecer a YAHU ULHÍM do ceú; deem-lhes também trigo, vinho, sal e azeite diariamente sem falhar. Para que
possam oferecer sacrifícios aceitáveis a YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa, e para que orem por mim e pelos meus filhos. Para quem quer que seja que tente alterar estas minhas ordens será construída uma forca com madeira da sua própria casa, e será pendurado nela; a sua casa tornar-se-á num monturo. O YAHU ULHÍM que escolheu a cidade de YAHUSHUA-oléym destruirá qualquer rei e qualquer nação que
alterar esta ordem e que destruir este Templo. Eu, Dario, mandei fazer este decreto. Que seja posto em execução com toda a diligência.

 

A consagração do Templo

 

13O governador Tatenai, Setar-Bozenai e osoutros deram imediatamente cumprimento às ordens do rei Dario.

14Os chefes YAHÚ-dim continuaram a obra e eram grandemente encorajados pelas pregações dos profetas Khaggai e ZocharYAHU (filho de Ido). Por fim o Templo ficou terminado, conforme YAHU ULHÍM mandara e conforme as ordens de Kerósh, de Dario e de Akashverósh, reis da Pérsia.

15Era o dia terceiro do mês de Adar do sexto ano do reinado de Dario, acabou-se esta casa (Templo).

16O Templo foi então consagrado, no meio de grandes manifestações de júbilo pelos intermediários, Levítas e todo o povo.

17Durante essas celebrações foram sacrificados cem novilhos, duzentos carneiros e quatrocentos cordeiros. Foram também apresentados doze cabritos como sacrifício pelo pecado, em nome das doze tribos de Yashorúl.

18Então os intermediários e Levítas dividiram-se nos seus vários grupos de funções, em vistas de executarem o serviço de YAHU ULHÍM conforme as instruções dadas por Mehushúa.

 

Celebração da PósqaYa

 

 

19-22A PósqaYa foi celebrada no primeiro dia de Abril. Por essa altura muitos dos intermediários e dos Levítas se tinham consagrado já. Alguns dos povos que já estavam na terra antes dos retornados voltarem, e que tinham sido colocados em YAHUDAH para a terra não ficar bandonada, deixaram os seus costumes pagãos e juntaram-se aos Yashorulítas para adorarem YAHU ULHÍM o Criador Eterno. Eles também, conjuntamente com toda a nação, comeram a PósqaYa e celebraram a celebração dos pães sem fermento durante sete dias. Havia grande alegria em toda a terra por YAHU ULHÍM ter feito o rei da Assíria generoso para com Yashorúl, ajudando até na reconstrução do Templo.

 OZOR 7

 OZOR vem a YAHUSHUA-oléym

1-2É esta a genealogia de OZOR, que viajou desde Babilónia até YAHUSHUA-oléym, durante o reinado de Akashverósh da Pérsia: OZOR era filho de Shear-YAHU; Shear-YAHU, era filho de Ozor-YAHU; Ozor-YAHU era filho de Hilki-YAHU; Hilki-YAHU era filho de Salum; Salum era filho de Tzaodóq; Tzaodóq era filho de Aitube;

3Aitube era filho de Amor-YAHU; Amor-YAHU era filho de Ozor-YAHU; Ozor-YAHU era filho de Meraiote;

4Meraiote era filho de Zoro-YAHU; Zoro-YAHU era filho de Uzi; Uzi era filho de Buqui;

5Buqui era filho de Abishúa; Abishúa era filho de Pinkhós; Pinkhós era filho de Úlozor; Úlozor era filho de Aharón, o intermediário supremo.

6-7Como chefe religioso, OZOR era muito versado nas leis que Mehushúa dera ao povo de Yashorúl. Pedira ao rei para regressar a YAHUSHUA-oléym e foi autorizado; porque YAHU ULHÍM, seu Criador Eterno o abençoava. Houve aliás muita gente do povo, assim como intermediários, Levítas, cantores, porteiros e funcionários do Templo que
viajaram com ele para YAHUSHUA-oléym.

8-9Deixaram Babilónia em meados do mês de Março do sétimo ano do reinado de Akashverósh e chegaram a YAHUSHUA-oléym no mês de Agosto depois de YAHU ULHÍM lhes ter dado uma boa viagem.

10Porque OZOR tinha posto no seu coração estudar a lei de YAHU UL, obedecer-lhe e ensinar em Yashorúl os seus mandamentos.

 

Carta de Akashverósh a OZOR

 

11Foi esta a carta que o rei Akashverósh deu
ao intermediário OZOR, maoro-éh nas leis de YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa:

12-26Akashverósh, rei de reis, a OZOR, intermediário e maoro-éh das leis de YAHU
ULHÍM dos shua-ólmaYa: Decreto que qualquer YAHÚ-di no meu reino, incluindo
intermediários e Levítas, pode regressar a YAHUSHUA-oléym contigo. Da minha
parte e dos meus sete conselheiros, te mandamos que leves a lei do teu YAHU
ULHÍM para YAHUDAH e YAHUSHUA-oléym e que faças um relatório dos progressos
religiosos verificados. Também te ordenamos que leves para YAHUSHUA-oléym a
prata e o ouro que nós apresentamos como uma oferta a YAHU ULHÍM de Yashorúl.
Além disso, deveras recolher as ofertas voluntárias para o Templo, em prata e
ouro que os YAHÚ-dim e os seus intermediários em todas as províncias da
Babilónia queriam dar. Estes fundos serão usados prioritariamente para a compra
de bois, carneiros, cordeiros e ofertas de cereais e de bebidas para serem
oferecidos sobre o altar do teu Templo quando chegares a YAHUSHUA-oléym. O
dinheiro que sobejar poderá ser usado por ti e teus irmãos da forma que
entenderem ser a vontade do vosso YAHU ULHÍM. Leva contigo os vasos de ouro e
outros objectos que damos para o Templo do vosso YAHU ULHÍM em YAHUSHUA-oléym. Se vos faltar dinheiro para a reconstrução do Templo ou para qualquer outra
coisa relacionada com isso, podem requerê-lo dos fundos do tesouro real. Eu,
Akashverósh, rei, envio este mesmo decreto a todos os tesoureiros reais nas
províncias a ocidente do rio Eufrates: ‘Deverão entregar a OZOR o que ele vos
requisitar porque se trata de um intermediário e maoro-éh das leis de YAHU
ULHÍM dos shua-ólmaYa. Poderão fornecer-lhe até três mil quilos de prata, vinte
e dois mil litros de trigo, dois mil e duzentos litros de vinho, e qualquer
quantidade de sal, e tudo o mais que YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa pedir para o
seu Templo, pois porque razão arriscaria eu a ira de YAHU ULHÍM contra o rei e
os seus filhos? Também decreto que a nenhum intermediário, nem levita, nem
cantor do coro, nem porteiro, nem funcionário do Templo, nem a qualquer outro
trabalhador no Templo seja requerido pagamento de qualquer tipo de imposto.’
Quanto a ti, OZOR, deveras usar da sabedoria que YAHU ULHÍM te deu para
escolheres e designares administradores que governem todos os povos a ocidente
do rio Eufrates. Se forem pessoas que não estejam familiarizadas com as leis do
teu YAHU ULHÍM, deveras ensinar-lhas. Seja quem for que recuse obedecer à lei
do teu YAHU ULHÍM e à lei do rei terá de ser imediatamente condenada à morte,
ou ao degredo, ou ao confiscamento dos seus bens, ou à prisão.

27-28Louvado seja YAHU ULHÍM o Criador Eterno dos nossos antepassados que inspirou o coração do rei para enriquecer o Templo de YAHU UL em YAHUSHUA-oléym! Bendito seja YAHU ULHÍM, também, pela demonstração de misericórdia para comigo, honrando-me perante o rei e os seus conselheiros, assim como perante todos os seus
poderosos serventes espirituais! Foi-me dada uma grande responsabilidade porque
YAHU ULHÍM meu Criador Eterno está comigo. Consegui também persuadir alguns dos
chefes de Yashorúl a regressarem comigo a YAHUSHUA-oléym.

 

OZOR 8

 

Os chefes de família que voltaram com OZOR

 

1São estes os nomes e as genealogias dos chefes que me acompanharam desde Babilónia durante o reinado do rei Akashverósh:

2-14do clã de Pinkhós – Gerson;do clã de Itamar – DAYANUL o sub-clã de Dáoud,
pertencente ao clã de Shaokan-YAHU – Hatús o clã de Parós – ZOCHARYAHU, e cento
e cinquenta outros homens o clã de Paate-Moabe – Ulioenai (filho de Zoro-YAHU)
e mais duzentos homens o clã de Shaokan-YAHU – (o filho de Yaziúl) e com ele
trezentos homens o clã de Adim – Ebede (filho de Yanaokhán) e cinquenta homens
o clã de Olao – YASHUAYAHU (filho de Atalias) e mais setenta homens o clã de
Shuafat-YAHU – ZAWODYAHU (filho de Mikhaúl) com oitenta homens o clã de Ya-ab –
AWODYAHU (filho de Yai-Úl) e duzentos e dezoito homens o clã de Bani – Selomite
(filho de Yosifias) e mais cento e sessenta homens; do clã de Bebai – ZOCHARYAHU
(filho de Bebai) e vinte e oito homens o clã de Azgade – Yoanã (filho de
Hacatã) e mais cento e dez homens o clã de Adonicão – Ulipalot, Yeuel e Shuam-YAHU,
mais sessenta homens, que chegaram mais tarde o clã de Bigvai – Utai, Zacur e
setenta outros homens.

 

O retorno a YAHUSHUA-oléym

 

15 Juntámo-nos na margem do rio Aava, e ficámos ali acampados três dias enquanto verificava as listas do povo e dos intermediários que iam chegando. Verifiquei assim que não havia nem um só levita que se tivesse apresentado voluntariamente.

16Então mandei chamar Úlozor, Ariul, Shuam-YAHU, Ulnaokhán, Yaribe, Ulnaokhán, Naokhán, ZOCHARYAHU eMesulão, líderes Levítas; também mandei buscar Yoiaribe e Ulnaokhán, que eram sábios.

17Enviei-os depois a Ido, líder dos YAHÚ-dim em Casifia, para lhe
pedir, a ele, aos seus irmãos e aos funcionários do Templo, que nos mandassem
intermediários para o Templo de YAHU ULHÍM em YAHUSHUA-oléym.

18E YAHU ULHÍM foi bom para connosco! Mandou-nos um homem notável chamado Shereb-YAHU mais os seus dezoito filhos e irmãos; trata-se de uma pessoa muito inteligente, descendente de Mali, filho de Leví e neto de Yashorúl.

19-20 YAHU ULHÍM também fez que se apresentasse Hoshav-YAHU, e YASHUAYAHU (filho de Merari) com vinte dos seus familiares, filhos e irmãos; vieram também duzentos e vinte funcionários do Templo. (Estes funcionários do Templo eram assistentes dos Levítas – tratava-se de uma categoria instituída pela primeira vez pelo rei Dáoud.) Todos estes duzentos e vinte homens foram devidamente registados pelos
seus nomes.

21-23Então proclamei um jejum enquanto ali estávamos, à beira do
rio Aava, para nos humilharmos perante YAHU ULHÍM; e orámos para que nos desse
uma boa viagem e nos protegesse, assim como aos nossos filhos e bagagens,
durante a deslocação, porque me envergonhei de pedir ao rei soldados a pé e a
cavalo para nos acompanharem e nos protegerem dos inimigos durante o caminho.
Ao fim e ao cabo tínhamos dito que o nosso YAHU ULHÍM protege todos quantos o
adoram e a desgraça só vem aos que o abandonam! Por isso jejuámos e implorámos YAHU ULHÍM que cuidasse de nós. E ele assim fez.

24-25Designei doze chefes de entre os intermediários – Shereb-YAHU, Hoshav-YAHU e dez outros intermediários – para se responsabilizarem pelo transporte da prata, do ouro, dos recipientes em ouro e dos outros objectos que o rei e o seu conselho mais os líderes do povo de Yashorúl tinham oferecido para o Templo de YAHU ULHÍM.

26-27Pesei o dinheiro quando lho entreguei e contei no total vinte toneladas de prata; avaliei também em três toneladas os vasos de prata e em outro tanto os de ouro. Havia também vinte taças de ouro que pesavam oito quilos. Entreguei-lhes igualmente duas belas taças de bronze, que eram tão preciosas com as de ouro.

28Consagrei estes homens a YAHU ULHÍM e depois consagrei os tesouros – o equipamento, o dinheiro e as taças que tinham sido oferecidas voluntariamente a YAHU ULHÍM o Criador Eterno dos nossos pais.

29Vigiem bem sobre estes tesouros!, disse-lhes; terão de os apresentar sem a mínima perda aos intermediários e aos chefes dos Levítas, assim como aos anciãos de Yashorúl em YAHUSHUA-oléym, onde deverão ser colocados nos cofres do Templo.

30Os intermediários e os Levítas aceitaram a responsabilidade daquele transporte até ao Templo de YAHU ULHÍM em YAHUSHUA-oléym.


31-32Levantámos o acampamento de junto ao rio Aava no fim de Março e partimos
para YAHUSHUA-oléym. YAHU ULHÍM protegeu-nos e livrou-nos dos inimigos e dos
bandidos durante todo o caminho, tendo chegado sãos e salvos a YAHUSHUA-oléym.


33-34No quarto dia após a chegada, todo o ouro e a prata e os outros valores
foram pesados no Templo por Meremote (filho de Uri-YAHU o intermediário), por
Úlozor (filho de Pinkhós), por Yazawod (filho de YAHUSHUA) e por Noadias (filho
de Binuí) – todos eles Levítas. Foi passado um recibo por cada coisa entregue,
e anotado o peso do ouro e da prata.

35Após isso toda a gente da nossa companhia ofereceu holocaustos a YAHU ULHÍM de Yashorúl – doze bois por toda a nação de Yashorúl, noventa e seis carneiros, setenta e sete cordeiros, doze bodes em sacrifício pelo pecado.

36Os decretos reais foram entregues aos seus representantes na terra e aos governadores de todas as províncias a ocidente do rio Eufrates, os quais colaboraram, eles próprios, nos trabalhos de reconstrução do Templo de YAHU ULHÍM.

 

OZOR 9

 

A oração de OZOR devido aos casamentos
mistos

 

1A dado momento os chefes YAHÚ-dim vieramm ndizer-me que muitos de entre o povo e até alguns intermediários e Levítas tinham seguido costumes extremamente reprováveis dos povos pagãos que viviam antes na terra – os cananeus, os heteus, os perizeus, os jebuseus, os amonitas, os moabitas, os egípcios e os amorreus.

2Homens de Yashorúl tinham casado com mulheres desses povos pagãos, e tinham levado os seus filhos a celebrar casamentos semelhantes. Dessa maneira o povo santo de YAHU ULHÍM se estava a misturar com essas pessoas; os chefes políticos eram dos piores nesse tipo de transgressão.

3Quando ouvi isto, rasguei a roupa, pus as mãos na cabeça, puxando pelos cabelos, arrepelei-me a barba e caí numa cadeira em profundo desalento.

4Muitos dos que temiam YAHU ULHÍM de Yashorúl, na sequência deste
pecado do povo, vieram sentar-se ao meu lado, até ao tempo do sacrifício da
tarde.

5Por fim levantei-me, profundamente perturbado, perante YAHU ULHÍM;
pus-me de joelhos, levantei as mãos a YAHU ULHÍM e clamei:

6Ó meu YAHU ULHÍM, estou extremamente confuso e envergonhado ao levantar o rosto para ti; porque os nossos pecados se acumulam, bem acima das nossas cabeças e a nossa culpa salta até aos shua-ólmaYa.

7Toda a nossa história traz a marca do pecado; e por essa razão os nossos reis e os nossos intermediários foram mortos por reis pagãos. Fomos feitos cativos, fomos roubados, desgraçaram-nos, tal como ainda hoje acontece.

8-9Mas tinha-nos sido dado ultimamente um momento de descanso;
porque permitiste que alguns de nós regressassem a YAHUSHUA-oléym do cativeiro.
Deste-nos um momento de alegria e uma vida nova, no meio da escravatura. Pois
éramos escravos; mas no teu amor e misericórdia não nos abandonaste nessa
situação; antes fizeste que os reis persas nos fossem favoráveis, ao ponto de
até nos darem ajuda na reconstrução do Templo de YAHU ULHÍM e na reedificação
das muralhas de YAHUSHUA-oléym, para poder tornar-se uma parede defensiva em
toda a YAHUDAH.

10Agora, ó YAHU ULHÍM, o que poderemos nós dizer depois do que
está a acontecer. Mais uma vez transgredimos as tuas leis e te abandonámos!


11Os profetas avisaram-nos de que a terra que iríamos possuir estava totalmente
corrompida pelas práticas imundas dos povos que aqui viviam – de uma ponta a
outra, a terra estava manchada de corrupção.

12Em consequência, disseste-nos para não deixarmos as nossas filhas casarem com os filhos deles, nem os nossos filhos casarem com as deles; e que nem sequer os ajudássemos fosse de que maneira fosse. Disseste-nos que só seguindo este princípio nos tornaríamos numa próspera nação e legaríamos aos nossos filhos uma prosperidade perene.

13-14E agora, mesmo depois do castigo no exílio, por causa da nossa maldade – e fomos
punidos muito menos do que aquilo que merecíamos – mesmo tendo deixado que
alguns de nós retornassem, desobedecemos aos teus mandamentos novamente e
permitimos casamentos com gente que pratica coisas abomináveis. Certamente que
a tua ira nos destruirá até ao ponto de nem este remanescente escapar.

15Ó YAHU ULHÍM o Criador Eterno de Yashorúl, tu és um YAHU ULHÍM justo; que esperança poderemos nós ter, se quiseres exercer a tua justiça sobre nós que estamos aqui diante de ti?

 

OZOR 10

 

A confissão do pecado

 

1Enquanto eu estava assim, prostrado no solo, diante do Templo, chorando, orando e fazendo estas confissões, foi-se juntando à minha volta uma grande multidão de homens, mulheres e crianças que choravam comigo.

2Então Shaokan-YAHU (o filho de Yai-Úl da família de Olao) disse-me: Reconhecemos o nosso pecado contra o nosso YAHU ULHÍM porque casámos com mulheres pagãs. Mas ainda há esperança para Yashorúl, apesar disto tudo.


3Aceitamos diante de YAHU UL separar-nos das mulheres pagãs, e despedi-las com
os nossos filhos; seguiremos o mandado do nosso YAHU ULHÍM. Faça-se conforme as
leis de YAHU UL.

4Levanta-te, encoraja-te, e diz-nos como fazer para que este
assunto fique resolvido rectamente; podes contar com toda a nossa obediência.


5Levantei-me pois e pedi aos líderes dos intermediários e dos Levítas, assim
como a todo o povo de Yashorúl, que prometesse fazer como Shaokan-YAHU tinha
dito. Assim fizeram.

6Seguidamente dirigi-me às dependências de Yeoanã (filho de Uliáb) no Templo; fiquei contudo sem beber nem comer porque estava muito acabrunhado por causa do pecado dos retornados do exílio.

7-8Foi então feita uma proclamação em toda YAHUSHUA-oléym e YAHUDAH, convocando a população a vir a YAHUSHUA-oléym dentro de três dias, e anunciando que os anciãos e os chefes tinham decidido que alguém que recusasse apresentar-se teria as suas posses confiscadas e seria excluído da comunidade de Yashorúl.

9Nos três dias indicados, a cinco de Dezembro, todos os homens de YAHUDAH e de Benyamín se apresentaram e se sentaram no espaço livre que havia defronte do Templo. Estavam todos temerosos por causa da seriedade do assunto e além disso preocupava-os as grandes chuvas.

10 Ozor, o intermediário, levantou-se e falou-lhes assim: Vocês pecaram porque casaram com mulheres pagãs. Estamos agora ainda mais sob a condenação de YAHU ULHÍM do que dantes.

11Confessem os vossos pecados a YAHU ULHÍM o Criador Eterno dos vossos pais e façam o que vos pede: separem-se das gentes pagãs à nossa volta e dessas mulheres.

12-13Toda a congregação disse em voz alta: Faremos como dizes. Contudo isso não é coisa que se faça num dia ou dois; somos muitos envolvidos nessa transgressão. Além disso está a chover de tal maneira que não poderemos ficar aqui muito mais tempo.

14Que os nossos chefes nomeiem juízes. Quem está nessa situação de se ter ligado a uma mulher pagã, que venha apresentar-se, numa determinada data, acompanhado dos anciãos e dos juízes da sua cidade; cada caso será decidido da melhor maneira, e a ira de YAHU UL se afastará de nós.

15Apenas Yanaokhán (filho de Osaul), Yaséias (filho
de Ticvá), Mesulão e Sabetai o levita não concordaram com essa forma de actuar.

 

Lista dos prevaricadores

 

16-17Foi pois este o plano seguido: Alguns dos chefes dos clãs, mais eu próprio, fomos designados como juízes; começamos a trabalhar a 15 de Dezembro e acabamos a 15 de Março.

(Datas a serem adequadas)

18-19Segue-se a lista dos intermediários que se tinham casado com mulheres gentias – separaram-se delas e reconheceram a sua culpa, oferecendo carneiros em sacrifício pelo pecado:Descendentes de YAHUSHUA e os seus irmãos, filhos de YAHU-tzaodóq:
Maose-YAHU, Úlozor, Yaribe, Gaoldul-YAHU.


20Dos filhos de Imer: Hanani e ZAWODYAHU.


21Dos filhos de Harim: Maose-YAHU, Uli-YAHU, Shuam-YAHU, Yai-Úl e Uzi-YAHU.


22Dos filhos de Pasur: Ulioenai, Maose-YAHU, Ishmaúl, Naokhan-Úl, Yazawod
e Elasa.


23Dos Levítas, foram culpados os seguintes: Yazawod, Simei, Quelaías
(também chamado Quelita), Petaías, YAHUDAH e Úlozor.


24Dos cantores: Uliáb. Dos porteiros: Salum, Telem e Uri.

25É esta a lista dos cidadãos comuns que se declararam culpados:Doclã de Parós: Ramias, Izias, Molkhi-YAHU, Miamim, Úlozor, Molkhi-YAHU e Bina-YAHU.


26Do clã de Olao: Manaim-YAHU, ZOCHARYAHU, Yai-Úl, Abdí, Yeremote e Uli-YAHU.


27Do clã de Zatú: Ulioenai, Uliáb, Manaim-YAHU, Yeremote, Zawod e Aziza.


28Do clã de Bebai: Yeoanã, Khanam-YAHU, Zabai e Atlai.


29Do clã de Bani: Mesulão, Maluque, Adaías, Yashav, Seal e Yeremote.


30Do clã de Paate-Moabe: Adna, Quelai, Bina-YAHU, Maose-YAHU, Manaim-YAHU,
Bezaliúl, Binui e Menashé.

31-32Do clã de Harim: Úlozor, Issias, Molkhi-YAHU, Shuam-YAHU, Shamiúl, Benyamín, Maluque e Shuamor-YAHU.


33Do clã de Hasum: MANYAHU, Manaim-YAHU, Zawod, Ulipalot, Yeremai,
Menashé e Simei.

34-42Do clã de Bani: Maadai, Anrão, Uel, Bina-YAHU, Bedéias, Queluí, Vanias, Meremote, Uliáb, Manaim-YAHU, MANYAHU, Yaasai, Baní, Binuí, Simei, Shulam-YAHU, Naokhán, Adaías, Macnabai, Sasai, Sorai, Ozorúl, Shulam-YAHU, Shuamor-YAHU, Salum, Amor-YAHU e YAHU-saf.


43Do clã de Nebo: Yiel, Manaim-YAHU, Zawod, Zebina, Yadai, YAUL e Bina-YAHU.
44Cada um destes tinha-se ligado a mulheres gentias, e alguns tinham filhos
dessas mulheres.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: