ministeriohorafinal

Dayan-ÚL (Dani-l)

DAYANUL 1

 

A preparação de DAYANUL na Babilónia

 

1-2Três anos depois do rei YAHU-ahim ter começado a reinar em YAHUDAH, o rei da Babilónia, Nebuchadnezar, atacou YAHUSHUA-oléym com os seus exércitos, e YAHU ULHÍM deu-lhe a vitória sobre YAHU-ahim. Antes de regressar a Babilónia, tirou algumas das taças sagradas do Templo de YAHU ULHÍM, e pô-las depois no tesouro do seu idolo.

3-4Então mandou a Aspenaz, que era o chefe do pessoal de serviço no palácio real, que selecionasse alguns dos jovens YAHÚ-dim trazidos como cativos – mancebos de linhagem real, pertencentes à nobreza de YAHUDAH – para lhes ensinar a língua dos caldeus e a sua cultura. Eshkólham-me uns moços fortes, saudáveis, de bela aparência, disse ele, que sejam instruídos em todos os domínios do saber, com uma boa cultura geral; e que dessa forma possam estar preparados para viver no palácio.

5O rei ordenou que lhes dessem do melhor alimento a comer e do melhor vinho a beber, de tudo aquilo que lhe era servido a ele próprio; e isso durante três anos, para que no no final desse período de preparação viessem a ser seus conselheiros.

6-7DAYANUL, Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU foram quatro dos jovens escolhidos de todas as tribos de YAHUDAH. O responsável pela sua formação pôs-lhes outros nomes, nomes babilônicos: A DAYANUL chamou Beltessazar; a Khanam-YAHU, Sadraque; a Mishua-Úl, Mesaque e a Ozor-YAHU, Abednego.

8Mas DAYANUL assentou no seu coração não se contaminar com o alimento e o vinho que o monarca lhes dava. Pediu então a esse responsável que lhes permitisse alimentarem-se antes de outras coisas.

9Aconteceu até que YAHU ULHÍM fez que esse homem tivesse uma
certa simpatia especial para com DAYANUL e usasse de uma certa tolerância.

10No entanto ficou alarmado com a sugestão de DAYANUL: Tenho receio que vocês fiquem com um aspecto mais débil quando comparados com os outros da vossa idade, e que o rei me mande decapitar por ter negligenciado as minhas responsabilidades.


11-13DAYANUL foi ter com o mordomo, a quem o responsável tinha encarregado de
cuidar de DAYANUL, de Khanam-YAHU, de Mishua-Úl e de Ozor-YAHU, sugerindo-lhe  que durante dez dias os deixasse submeterem-se a um regime de apenas vegetais e água; no final desse período o mordomo poderia comparar a aparência deles com a dos outros que comiam da comida do rei e logo veria se sim ou não continuariam com esse regime alimentar.

14-16O mordomo acabou por concordar. No fim dos dez dias, DAYANUL e os seus três amigos pareciam mais saudáveis e mais bem alimentados do que os jovens que tinham comido a comida real. O mordomo passou assim a dar-lhes unicamente vegetais e água, retirando-lhes da alimentação os outros ricos pratos e os vinhos.

17 YAHU ULHÍM concedeu a estes quatro moços uma grande capacidade de aprendizagem, de tal forma que em breve dominavam já os conhecimentos e a cultura daquele tempo. YAHU ULHÍM deu mesmo a DAYANUL uma especial competência para compreender o significado de sonhos e de visões.


18-19Quando aquele período de três anos de preparação e estudo se completou, o
responsável nomeado pelo soberano trouxe todos os mancebos à presença deste,
para serem examinados. O rei Nebuchadnezar conversou longamente com cada um
deles; mas aqueles que mais o impressionaram foram sem dúvida DAYANUL, Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU. E passaram a ocupar o seu lugar na equipa de conselheiros reais.

20E em todos os assuntos em que se requeria uma informação exata
e a emissão de pareceres inteligentes, o monarca achava os juízos destes jovens
sempre dez vezes melhores do que todos os outros sábios e cientistas do seu
reino.

21DAYANUL manteve-se nesse lugar de conselheiro do rei até ao primeiro
ano do reinado de Kerósh.

 

DAYANUL 2

 

O sonho de Nebuchadnezar

 

1-2Uma certa noite, no segundo ano do seu reinado, Nebuchadnezar teve um terrível pesadelo e acordou tremendo de terror. Mas o pior ainda foi que não conseguia depois lembrar-se daquilo com que sonhou. Chamou imediatamente todos os seus magos, astrólogos, encantadores, feiticeiros e mandou-lhes que lhe lembrassem que sonho é que tinha tido:

3Tive um certo sonho, disse-lhes, quando se apresentaram na sua presença, e sinto-me muito incomodado porque quero lembrar-me o que foi e não consigo.

4Os outros, expressando-se em aramaico, disseram-lhe: Que o rei nos diga primeiro que sonho teve, e depois poderemos explicar-lhe o seu significado.

5-6Mas o rei replicou:Já vos disse que não consigo recordar-me que sonho é que foi. E se não me disserem com que foi que eu sonhei e não me explicarem o seu sentido, despedaçar-vos-ei e as vossas casas serão feitas num montão de ruínas! Mas se, ao contrário, me contarem o sonho e o seu significado, encher-vos-ei de presentes, de benefícios e honrarias. Portanto, fico à espera!

7E aqueles homens tornaram a responder-lhe: Mas como é que nós poderemos dizer a significação do sonho se não no-lo contares previamente?

8-9Vocês estão antes a ver se ganham tempo, pois sabem que estou decidido a cumprir o que disse. Estão a preparar-se para me enganar com uma explicação qualquer, a ver se eu me esqueço do assunto e mudo de ideias. Mas não: digam-me com que sonhei, e só assim acreditarei na interpretação que me derem.

10-11Mas é que não há homem algum sobre a face da terra que seja capaz de dizer que sonho é que tiveste! Como também não há monarca algum do mundo que exija semelhante coisa dos seus súbditos! O que o rei exige é uma coisa impossível. Não há ninguém, excepto unicamente os falsos criadores o estatuas, que possam dizer-te o sonho que tiveste, e eles não estão aqui para intervir.

12Ao ouvir isto o rei ficou fulo, e deu ordens para que todos fossem executados, todos os sábios de Babilônia.


13Foram então buscar DAYANUL mais os seus companheiros para serem mortos.

14Mas quando Arioque, o chefe da polícia real, veio para os levar, DAYANUL, com muita sabedoria e bom senso, dominou a situação perguntando:

15Porque é que o rei está assim tão zangado? O que é que se passou? Arioque contou-lhe tudo o que acontecera.

16DAYANUL pediu uma audiência com o soberano e disse-lhe: Dá-me só
um pouco de tempo e contar-te-ei o sonho que tiveste mais o seu significado.


17Depois foi para casa e expôs a Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU, seus
companheiros, toda a situação.

18Pediram a YAHU ULHÍM do céu que lhes mostrasse misericórdia, dando-lhes a conhecer esse sonho misterioso, para que não tivessem de perder a vida juntamente com todos os outros.

19Nessa mesma noite YAHU ULHÍM contou a DAYANUL, numa visão, o que o rei tinha sonhado. DAYANUL louvou YAHU ULHÍM do céu:

20Louvado seja o Shúam (Nome) de YAHU ULHÍM por toda a eternidade, porque só ele tem toda a sabedoria, e todo o poder.


21 Tudo o que se passa neste mundo está sob o seu controle. Remove governantes dos seus lugares e põe outros no poder. É ele quem dá a sabedoria aos sábios e a inteligência aos homens cultos.


22Só ele pode revelar as enígmas que ultrapassam a compreensão humana.
Conhece tudo o que não está revelado, porque ele é a luz; as trevas não são um
obstáculo para ele.


23Eu te agradeço e te louvo, ó YAHU ULHÍM dos meus antepassados, porque
me deste inteligência e capacidade, e além disso, ainda revelaste nesta visão
qual foi o sonho do rei e o seu sentido.

 

DAYANUL interpreta o sonho

 

24DAYANUL foi ter com Arioque, que se mantinha obrigado a cumprir a ordem do monarca de executar todos os sábios e disse-lhe: Suspende essa execução. Leva-me junto do rei e eu lhe revelarei aquilo que ele pretende saber.

25Arioque apressou-se a levar DAYANUL até ao rei dizendo: Aquele tal, que é dos cativos de Yashorúl, é capaz de te contar o sonho!

26O soberano perguntou a DAYANUL: É verdade? Podes dizer-me que sonho
tive e qual é o seu significado?

27-28Não há sábio, nem astrólogo, nem mago, nem adivinho algum que pudesse revelar-te semelhante coisa. Mas há um YAHU ULHÍM no céu que revela os segredos, e ele contou-te no sonho que tiveste o que acontecerá no futuro. Foi assim o teu sonho:

29Sonhaste com coisas que hão-de vir a acontecer. Aquele que revela segredos esteve a falar contigo.

30Mas lembra-te de que não é por eu ser mais sábio do que qualquer outra pessoa que conheço o segredo do teu sonho; se YAHU ULHÍM mo revelou foi para teu benefício.


31-33Ó rei, tu viste uma estátua descomunal, que tinha um esplendor fantástico
e tremendo. A cabeça da estátua era feita do mais puro ouro, o peito e os
braços eram de prata, o ventre e as coxas de cobre, as pernas de ferro e os
pés, parte de ferro e parte de barro.

34-35Mas enquanto estavas a olhar, uma rocha foi retirada da montanha por um poder sobrenatural, e foi arremessada contra a estátua e lhe esmagou os pés de ferro e barro, fazendo-os em pedaços. Então deu-se a derrocada de toda a estátua; e o ferro, o barro, o cobre, a prata e o ouro fizeram-se em pedaços, mas de tal maneira esmiuçados que o vento os levou como se fosse palha e nunca mais se viram. Contudo a rocha que feriu a
estátua tornou-se ela própria uma grande montanha que ocupou a terra inteira.


36Foi este o sonho que tiveste. E agora a sua significação:

37-38Tu és rei sobre reis, porque foi YAHU ULHÍM quem te deu o teu reino, e poder, força e glória. O teu domínio estende-se até às regiões mais afastadas; mesmo os
animais e aves estão sob o teu controlo, por vontade de YAHU ULHÍM. Tu és essa
cabeça de ouro da estátua.

39Mas, quando o teu reino tiver chegado ao fim, um outro poder mundial se levantará e tomará o teu lugar. Esse império será inferior ao teu; mas depois de cair, por sua vez se levantará um terceiro – representado pelo ventre de bronze da estátua – que regerá o mundo

40Um quarto poder virá, tão forte como o ferro – esmagará, destruirá, conquistará.

41-42Os pés que viste – parte de ferro e parte de barro – mostram que mais tarde este reino se dividirá. Uma parte tornar-se-á tão forte como o ferro e outra tão
frágil como o barro.

43Esta mistura de ferro e de barro revela igualmente que estes reinos hão-de tentar aumentar o seu poder através de alianças de casamentos entre os seus chefes, mas isso não resultará, porque o ferro e o barro não podem unir-se.

44-45Durante os reinados destes reis, YAHU ULHÍM do céu estabelecerá um reino que nunca mais será destruído; nunca ninguém o conquistará. Consumirá todos estes reinos e reduzi-los-á a nada; mas ele permanecerá para sempre, indestrutível. Este é o sentido da rocha arrancada da montanha sem ser por mãos humanas – a rocha que desfaz em poeira o ferro, o bronze, o barro, a prata e o ouro. Assim o grande YAHU ULHÍM revela o que acontecerá no futuro, e esta interpretação do teu sonho é tão segura e certa como o foi a descrição que dele fiz.

46Nebuchadnezar inclinou-se até ao chão perante DAYANUL, mandando ao povo que lhe oferecesse sacrifícios e perfumes suaves.

47Verdadeiramente, ó DAYANUL, disse o rei, o teu YAHU ULHÍM é YAHU
ULHÍM sobre falsos criadores o estátuas, YAHU ULHÍM dos reis, revelador de
enígmas, pois que te disse este segredo.

48Então o rei engrandeceu muito DAYANUL; deu-lhe uma grande quantidade de presentes de alto valor e nomeou-o governador de toda a província de Babilónia, assim como chefe de todos os sábios do país.


49Depois, a pedido de DAYANUL, o monarca designou Khanam-YAHU, Mishua-Úl e
Ozor-YAHU como seus adjuntos na administração da província de Babilónia. DAYANUL tinha função de magistrado principal na corte do rei.

 

DAYANUL 3

 

A estátua de ouro

 

1-2O rei Nebuchadnezar fez uma estátua de ouro, de 30 metros de altura e de 3 metros de largura; mandou erguê-la na planície de Dura, na província de Babilónia; seguidamente mandou mensagens a todos os governantes, altas individualidades, chefes militares, juízes, administradores das finanças públicas, conselheiros, autarcas e governadores de províncias do seu império, convidando-os a estarem presentes na consagração da sua estátua.

3-4Depois dessas pessoas terem chegado, e quando estavam diante do
monumento, um arauto gritou: Ó povos de todas as nações e línguas, esta é a
ordem do rei:

5quando ouvirem a música – o conjunto instrumental formado pelos
clarins, flautas, harpas, sambucas, saltérios, gaitas de fole e toda a espécie
de outros instrumentos – deverão prostrar-se por terra para adorar a estátua de
ouro do rei Nebuchadnezar;

6 seja quem for que recusar obedecer a esta ordem será imediatamente lançado numa fornalha ardente.

7Assim, logo que a tal banda começou a tocar, toda a gente – de toda a nação, língua ou religião – se inclinou até à terra e adorou a estátua.

8Aconteceu no entanto que alguns funcionários foram ter com o rei, acusando certos YAHÚ-dim de terem recusado adorar.

9-11Majestade!, disseram eles, fizeste uma lei ordenando que toda a gente deveria inclinar-se em adoração perante a tua estátua de ouro, no momento em que a banda começasse a tocar, e que qualquer pessoa que recusasse fazê-lo seria lançada num forno de chamas ardentes.

12Há contudo uns YAHÚ-dim, chamados Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU, a quem deste responsabilidades no governo de Babilónia, que te ofenderam, recusando servir os teus idolos e estátuas ou adorar a estátua de ouro que ergueste.

13Então Nebuchadnezar, furioso e enraivecido, deu ordens para que esses três homens fossem trazidos à sua presença:

14É verdade, Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU, perguntou-lhes
ele, que vocês recusaram servir os meus deuses e estátuas e adorar a
estátua de ouro que mandei erguer?

15Se assim é, vou dar-vos mais uma oportunidade: quando a música começar a tocar, se se inclinarem para adorar a estátua, fica tudo bem. Mas se recusarem, serão lançados no forno chamejante, nessa mesma hora. Veremos se há algum outro idolo que vos possa livrar das minhas mãos!

16-17Os três homens responderam assim: Ó Nebuchadnezar, não precisamos de te responder sobre isso. Se formos lançados para dentro da fornalha, o nosso YAHU ULHÍM será capaz de nos libertar. Ele nos livrará das tuas mãos!

18Mas mesmo que não nos livre, fica sabendo, ó rei, que nunca serviremos os teus falsos criadores e estátuas nem adoraremos a estátua de ouro que mandaste edificar.

 

Os três homens lançados na fornalha

 

19-21Nebuchadnezar encheu-se de furor, o rosto ficou todo vermelho de ira. Mandou acender o forno e aquecê-lo setes vezes mais do que habitualmente; fez vir uns homens, dos mais fortes do seu exército, para atarem os três YAHÚ-dim, e deu ordem para que os lançassem na fornalha. E assim aconteceu mesmo depois de serem ligados com cordas fortes, foram deitados às chamas, completamente vestidos, com a própria roupa que traziam.

22Como o soberano, na sua fúria, tinha ordenado um aquecimento excepcional do forno, as chamas saíam para o exterior e chegaram a matar os soldados, quando estes atiravam os três homens lá para dentro!

23Dessa forma Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU caíram atados dentro do forno de fogo ardente.

24Mas, de repente, Nebuchadnezar, que estava a olhar para a cena, deu
um salto de espanto e exclamou para os seus conselheiros: Não foram três os
indivíduos que deitámos para dentro da fornalha?Sim, é claro que foram,
majestade!, retorquiram os outros.

25Então olhem bem! Eu estou a ver quatro homens, desatados, passeando lá no meio do fogo; e as chamas nada lhes fazem! Reparem que o quarto tem o aspecto de um anjo!

26Nebuchadnezar aproximou-se da porta aberta do forno e gritou: Khanam-YAHU, Mishua-Úl e Ozor-YAHU,servos de YAHU ULHÍM altíssimo! Saiam daí! Venham cá! E eles saíram do meio dofogo.

27Os príncipes, os governadores, os capitães e os conselheiros juntaram-se todos à volta dos três homens e todos constataram que o fogo em nada os tinha afetado – nem mesmo um cabelo da sua cabeça se tinha queimado; as suas roupas não estavam sequer chamuscadas e nem cheiravam a queimado.


28Disse o rei Nebuchadnezar: Bendito seja YAHU ULHÍM de Khanam-YAHU, de
Mishua-Úl e de Ozor-YAHU, porque mandou o seu anjo para livrar os seus servos
que confiavam nele e que recusaram obedecer à ordem do rei, preferindo antes
morrer do que servir e adorar qualquer outro Criador além do seu YAHU ULHÍM


29Por isso, faço agora outro decreto pelo qual qualquer pessoa, seja de que
nação, língua ou religião for, que disser qualquer frase ofensiva contra YAHU
ULHÍM de Khanam-YAHU, de Mishua-Úl e de Ozor-YAHU será despedaçado e a sua casa feita num montão de ruínas. Pois que não há outro idolo o estatua que possa
livrar como este.

30Então o rei fez prosperar estes três homens e promoveu-os a cargos superiores no governo da província de Babilônia.

 

DAYANUL 4

 

Nebuchadnezar sonha com uma árvore

 

1Esta foi a proclamação que Nebuchadnezar o rei enviou aos povos de todas as línguas, em todas as nações do mundo: Paz vos seja multiplicada:o

2-3Pareceu-me bem tornar conhecidos sinais e maravilhas que YAHU ULHÍM altíssimo fez para comigo. Foi qualquer coisa de incrível – foi um poderoso milagre! E agora sei, de certeza, que o seu reino é eterno; o seu domínio estende-se pelos séculos dos séculos.

4-8Eu, Nebuchadnezar, vivia tranquilo, no meu palácio, rodeado de prosperidade, quando uma noite tive um sonho que verdadeiramente me aterrorizou. Chamei então todos os sábios de Babilónia para que me esclarecessem sobre a interpretação do meu sonho; no entanto, quando se apresentaram – os mágicos, astrólogos, adivinhos e feiticeiros – depois de lhes ter contado o sonho, não houve nenhum que fosse capaz de interpretá-lo. Por fim apresentou-se DAYANUL – esse homem a quem dei o nome de Beltessazar, de acordo com o nome do meu idolo, e sobre quem está o espírito de YAHU ULHÍM santo – e descrevi-lhe o sonho.

9Ó Beltessazar, chefe dos magos, disse eu, sei que o espírito dos falsos criadores o estatuas santos está sobre ti e que nenhum segredo te é demasiado difícil desvendar. Diz-me o significado do meu sonho:

10-11Vi uma árvore muito alta no meio dum campo; e ia-se tornando sempre cada vez mais alta, em direção aos shua-ólmaYa, até que podia ser vista por toda a gente no mundo.

12As suas folhas eram frescas e verdes, os seus ramos vergavam sob o peso de frutos abundantes, frutos que podiam servir de alimento para toda a gente. Os animais selvagens descansavam à sua sombra e os pássaros faziam os ninhos nos seus ramos. Todo o mundo dependia dela.

13-15Durante o meu sono, vi um anjo de YAHU ULHÍM que desceu do céu e
gritou: ‘Derrubem a árvore; cortem-lhe os ramos, sacudam-lhe as folhas e
espalhem os frutos. Espantem os animais que viviam à sua sombra e afugentem os
pássaros das ramagens; deixem no entanto o cepo e as raízes no chão, ligado com
cadeias de ferro e de bronze; deixem que a erva cresça à volta. Será molhado
pelo orvalho, e essa erva alimentará tanto os animais selvagens como ele
próprio!

16-17Durante sete anos a sua natureza alterar-se-á: não será mais um
homem; passará a ser como um animal. Isto é decretado pelos vigilantes, por
mandado dos santos. O objectivo deste decreto é que toda a gente possa
compreender que o Altíssimo tem o domínio dos estados do mundo e que os dá a
quem quer; até ao menos notável dos homens pode constituir sobre eles para os
governar!’

18Foi este o sonho que eu, o rei Nebuchadnezar, tive. Tu, pois, Beltessazar, podes certamente fazer aquilo de que mais ninguém foi capaz, que é dar-me a explicação do sentido deste meu sonho; visto que há em ti o espírito de YAHU ULHÍM santo.

 

DAYANUL interpreta o sonho

 

19-22Então DAYANUL ficou perplexo durante algum tempo e perturbado nos seus pensamentos. Por fim o rei dirigiu-lhe de novo a palavra: Beltessazar, não fiques assim agastado com a interpretação deste sonho!E DAYANUL respondeu-lhe. Meu chefe, eu bem desejaria que os acontecimentos que este sonho prevê pudessem antes acontecer aos teus inimigos e não a ti! A árvore que viste assim crescer tão alto, atingindo até os shua-ólmaYa de forma que toda a gente podia vê-la, com as suas folhas verdes, carregada de frutos para alimento de todas as pessoas, com animais selvagens vivendo à sua sombra, e as aves aninhando-se nos seus ramos – essa árvore, majestade, és tu. Tornaste-te grande e poderoso; a tua magnificência atingiu os shua-ólmaYa, e o teu domínio, os confins da terra.

23Então viste um anjo de YAHU ULHÍM que veio dos shua-ólmaYa dizer-te: ‘Cortem a árvore, derrubem-na, mas deixem o cepo e as raízes na terra, com a erva crescendo em torno, e presa com cadeias de ferro e bronze. Que se cubra o orvalho dos shua-ólmaYa. Durante sete anos que se alimente, como os animais do campo, de erva.’

24-26 Majestade, o Altíssimo decretou – e certamente isso irá acontecer – que o teu povo te expulse do teu palácio, e viverás no campo como um animal, comendo erva como um boi; os teus lombos se cobrirão de orvalho. Durante sete anos viverás dessa forma, até aprenderes que o altíssimo YAHU ULHÍM tem o domínio das nações deste mundo, e que dá o governo delas a quem ele entende. No entanto o cepo e as raízes foram deixadas na terra! Isto significa que retomarás de novo o teu reino, depois de teres reconhecido o poder do céu.

27Ó rei Nebuchadnezar, escuta-me – pára de pecar; pratica antes aquilo que sabes ser a justiça. Sê misericordioso para com os pobres. Talvez YAHU ULHÍM te possa ainda poupar.

 

DAYANUL 5

 

1O rei Belsazar convidou mil dos seus nobres para um grande banquete; o vinho ali correu a jorros! 2Numa altura em que Belsazar estava a beber, lembrou-se das taças de ouro e de prata que tinham sido trazidas, havia já muito tempo, do Templo de YAHUSHUA-oléym para Babilónia, durante o reinado de Nebuchadnezar.

3Deu então ordens que essas taças sagradas fossem trazidas ali, para o banquete; depois, beberam por elas os governantes, as suas mulheres e as concubinas,

4erguendo-as em sinal de louvor aos seus ídolos feitos de ouro, de prata, de cobre, de ferro, de madeira e de pedra.

5-6De repente, enquanto bebiam por aquelas taças, viram uns dedos
de mão de homem escrevendo no estuque da parede que estava em frente do
castiçal. O próprio monarca viu os dedos a escreverem. Ficou lívido de terror,
e de tal maneira que até os joelhos lhe começaram a tremer e não se aguentou
mais nas pernas!

7Tragam cá os magos e os astrólogos!, gritou ele. Tragam também os adivinhos! Quem for capaz de explicar o significado das palavras que ali estão na parede e de me interpretar o sentido daquilo será vestido com roupa de púrpura de dignidade real, ser-lhe-á posto um colar de ouro ao pescoço e tornar-se-á o terceiro na hierarquia dos chefes do reino!

8Mas quando os homens requeridos se apresentaram, nenhum foi capaz de compreender a frase escrita, e de esclarecer o seu sentido.

9O rei ia-se tornando cada vez mais excitado; o seu rosto reflectia todo o terror que sentia; a sua corte estava igualmente extremamente perturbada.

10Quando a rainha-mãe ouviu o que se estava a passar, correu até ao local do banquete e disse a Belsazar: Acalma-te, ó rei, não fiques assim tão perturbado, com o rosto todo alterado.

11Porque há um homem no teu reino que tem O ESPÍRITO De YHWH O ETERNO; não tem nele o espírito dos falsos criadores estátuas, santos. Quando teu pai vivia, esse homem foi reconhecido como sendo cheio de sabedoria e de inteligência, como se fosse ele próprio um ídolo. No reinado de Nebuchadnezar, teu antecessor, foi nomeado chefe dos magos, dos astrólogos, dos caldeus e dos adivinhos de Babilónia.

12Convoca agora esse homem, DAYANUL – ou Beltessazar, como o rei lhe chamava – porque o seu espírito está cheio de conhecimento e de inteligência superiores. É capaz de interpretar sonhos, de explicar enigmas e de achar a solução para os problemas mais complexos. Ele dir-te-á qual o significado dessa frase.

13-14DAYANUL foi pois trazido à presença do soberano, que lhe perguntou: És tu DAYANUL, que o rei Nebuchadnezar trouxe de Yashorúl como cativo YAHÚ-di? Ouvi dizer que tens o espírito de falsos criadores o estatuas em ti e que estás cheio de entendimento e de uma inteligência iluminada.

15-16Os meus sábios e os astrólogos tentaram perceber aquele escrito que ali está na parede, para me esclarecer sobre o seu sentido, e não foram capazes. Também me disseram que sabes explicar toda a espécie de enígmas. Se souberes interpretar-me aquelas palavras, vestir-te-ei com roupa de púrpura, por-te-ei um colar de ouro ao pescoço e serás o terceiro na hierarquia do poder, em Babilónia.

17Respondeu DAYANUL: Não pretendo os teus dons, ou
então dá-os a outra pessoa. Contudo dir-te-ei o sentido daquela frase

18Ó rei, YAHU ULHÍM altíssimo deu a Nebuchadnezar, teu pai, um reino cheio de majestade, de honra e de glória

19Deu-lhe tal majestade que todas as nações do mundo tremiam
de medo perante ele. Matava quem lhe desagradava e favorecia aqueles de quem
gostava. Conforme ele queria, engrandecia ou abatia.

20-21Mas quando o seucoração se exaltou e o seu espírito se endureceu de orgulho, YAHU ULHÍM removeu-o do trono real e tirou-lhe todo o fausto de que se rodeava; foi
expulso do seu palácio e mandado para os campos. Os seus pensamentos e sentidos
tornaram-se nos de um animal e passou a viver por entre jumentos monteses;
comia erva como os bois, o seu corpo ficou húmido com o orvalho, até que por
fim reconheceu que é o Altíssimo quem dirige os governos das nações; é ele quem
designa quem quer para governar sobre elas.

22E tu, seu sucessor, ó Belsazar, sabes bem isto tudo; mas não te tornaste humilde.

23 YAHU ULHÍM dos shua-ólmaYa foi ofendido quando trouxeste para aqui essas taças do seu Templo; tu, os teus serventes espirituais mais as suas mulheres e concubinas beberam vinho por elas, enquanto davam haolúlim (louvores) a falsos criadores o estatuas de ouro, prata, cobre, ferro, madeira e de pedra – falsos criadores o estatuas que nem veem, nem ouvem, nem sabem coisa nenhuma. Não deste pois haolúlim (louvores) a YAHU ULHÍM que te dá a própria vida e que controla o teu destino!

24-25Por isso YAHU ULHÍM te mandou uns dedos que escreveram esta mensagem:Mene, Mene, Tequel, Parsin

26E é este o significado: Mene quer dizer contado – YAHU ULHÍM já determinou o número limite dos dias do teu reinado, que chegaram ao fim.


27Tequel: quer dizer pesado – foste pesado na balança de YAHU ULHÍM e
foste achado em falta.


28Parsin significa dividido – o teu reino será repartido e dado aos medos e aos persas.

29Então Belsazar mandou que DAYANUL fosse vestido de púrpura, que lhe pusessem um colar de ouro no pescoço e que o proclamassem terceiro na hierarquia real.

30Nessa mesma noite Belsazar, rei dos caldeus, foi morto; Dario, o medo, entrou na cidade e começou a reinar com a idade de 62 anos.

 

DAYANUL 6

 

DAYANUL na cova dos leões

 

1-2Dario achou que era necessário dividir o reino em 120 províncias, cada uma sob um governador. Estes governadores eram responsáveis perante três presidentes (DAYANUL era um deles), de forma que o rei podia administrar a nação com mais eficiência.

3DAYANUL deu provas de ser mais competente do que os outros presidentes e governadores, pois tinha grandes capacidades. O monarca começou assim a fazer planos para lhe alargar a sua área de ação, pondo-o como seu colaborador na administração de todo o império.


4-5Isto fez com que os outros presidentes e os governadores ficassem muito despeitados e começassem à procura da mais pequena falta na forma como DAYANUL conduzia os negócios do reino, a fim de apresentarem logo queixa ao rei contra ele. Mas o certo é que não conseguiam encontrar nele motivo nenhum para ser criticado! DAYANUL era uma pessoa fiel, honesta e não cometia erros. Por isso
concluíram assim: A nossa única hipótese está na sua própria religião!


6-8Decidiram então ir falar ao rei nestes termos: Rei Dario, vive para sempre!
Nós, presidentes, governadores, conselheiros e deputados concordámos
unanimemente que devíamos pedir-te para fazeres uma lei, irrevogável sob
circunstância nenhuma, pela qual, nos próximos trinta dias, alguém que pedir um
favor a um idolo ou a um homem, que não seja a ti, ó majestade, devera ser
lançado na cova dos leões. Pedimos-te pois que assines essa lei, para que não
possa ser revogada nem alterada. Será uma lei dos medos e dos persas, que não
pode ser modificada.

9Então Dario assinou a lei.

10DAYANUL tomou conhecimento disso tudo; foi para casa e ajoelhou-se para orar, como sempre fazia, no seu quarto, com as janelas abertas, na direção de YAHUSHUA-oléym. DAYANUL costumava orar três vezes ao dia, e dava graças ao seu YAHU ULHÍM.

11-12Aqueles homens foram todos à casa de DAYANUL e acharam-no orando, pedindo favores ao seu YAHU ULHÍM. Correram de novo para junto do soberano e lembraram-lhe a lei que cabara de fazer. Não assinaste tu um decreto segundo o qual era proibido fazer qualquer petição a um idolo ou a um homem, que não fosse a ti, e isto durante trinta dias? E que se alguém desobedecesse a esta lei seria lançado na cova dos leões?Sim, é verdade, é uma lei dos medos e dos persas que se não pode revogar.


13Pois fica sabendo que esse indivíduo, DAYANUL, dos cativos YAHÚ-dim, não faz
caso de ti nem das tuas leis; pede favores ao seu YAHU ULHÍM três vezes ao dia.


14Ao ouvir isto, o rei ficou deveras aborrecido por ter sido levado a assinar
tal lei, e decidiu para consigo fazer tudo para salvar DAYANUL. Passou o resto
do dia a pensar como havia de livrá-lo.

15Ao anoitecer os homens voltaram de novo à presença do rei: Majestade, não há nada que possas fazer. Assinaste a lei, não podes revogá-la.

16-17O rei deu então ordem para prenderem DAYANUL, e este foi trazido para a cova dos leões. Mas o rei ainda lhe disse: DAYANUL! O teu YAHU ULHÍM, a quem tu continuamente adoras, ele te livrará. Depois, lançaram-no na cova. Trouxeram uma pedra que puseram sobre a entrada da cova e o monarca selou-a com o seu próprio anel e com o da administração pública, para que ninguém pudesse vir tirar DAYANUL dali.

18O rei voltou para o palácio e foi deitar-se sem nada ter comido. Recusou o habitual serão de música não conseguiu dormir a noite toda.

19-20Logo de manhã cedo foi a correr à cova dos leões, e chamou em tom angustiado: DAYANUL, servo de YAHU ULHÍM vivo, dar-se-á o caso que o teu Criador Eterno, a quem tu continuamente serves, te tenha podido salvar dos leões?

21-22Então ouviu-se a voz de DAYANUL dizendo: Ó rei, vive para sempre! O meu YAHU ULHÍM enviou o seu anjo que fechou a boca dos leões; e estes não puderam tocar-me. Porque eu estou inocente perante YAHU ULHÍM e nunca cometi delito algum contra ti, ó rei.

23O soberano não conteve a sua alegria; mandou logo que DAYANUL fosse dali tirado. Verificou-se então que não sofrera a mais pequena beliscadura, porque creu no seu YAHU ULHÍM.

24O rei mandou que fossem trazidos os acusadores de DAYANUL e lançou-os na cova dos leões, juntamente com as mulheres e os filhos. Os leões, mal as pessoas chegaram ao fundo da cova, já lhes estavam a esmigalhar os ossos.

25-27Posteriormente o rei Dario dirigiu a seguinte mensagem a toda a gente do seu império: Que haja muita paz entre toda a gente. Nesta mesma data vou decretar uma lei pela qual toda a gente no meu reino devera respeitar profundamente e tremer perante YAHU ULHÍM de DAYANUL. O seu YAHU ULHÍM é vivo, é um YAHU ULHÍM que não muda e cujo reino nuncaserá destruído; o seu poder não tem fim. Ele livra o seu povo, preserva-o do mal. Faz grandes milagres tanto na terra como no céu. Foi ele quem livrou DAYANUL do poder dos leões.

28Desta forma DAYANUL prosperou, durante o reinado de Dario
e também durante o de Kerósh, o persa.

 

DAYANUL 7

 

O sonho dos quatro animais

 

1Uma noite, durante o primeiro ano do reinado de Belsazar, DAYANUL teve um sonho, e relatou-o por escrito. Foi assim:


2No meu sonho estava a assistir a uma tremenda tempestade num grande oceano,
com fortes ventos soprando em todas as direções.

3Então quatro enormes animais saíram do mar, todos eles diferentes.

4O primeiro era semelhante a um leão, mas tinha asas de águia, que no entanto encontravam-se arrancadas, por isso não podia mais voar; estava de pé, sobre duas patas, como um ser humano; foi-lhe mesmo dada uma mente humana

5O segundo parecia-se com um urso, levantado sobre as suas traseiras. Vi-lhe três costelas entre os dentes, e ouvi uma voz que lhe dizia: Levanta-te! Devora muita gente!

6O terceiro destes estranhos animais parecia-se com um leopardo, mas no seu dorso tinha asas como os pássaros, e quatro cabeças! Foi-lhe dado grande poder sobre o género humano.

7Depois, enquanto continuava a olhar, no meu sonho, um quarto animal se levantou das águas, terrível e espantoso. Devorava as vítimas, fazendo-as primeiro em pedaços, com grandes dentes de ferro, e pisando-as sob as patas. Era de longe
muito mais brutal e feroz que os anteriores. Tinha dez chifres.

8Atentando nesses chifres, reparei que nascia de entre eles um outro mais pequeno, e que na sequência disso três outros foram arrancados, com a raiz e tudo para lhe deixar espaço; essa ponta mais pequena tinha olhos humanos, e tinha também uma boca, com a qual falava com grande arrogância.

9-10A certa altura, foram colocados uns tronos e um ancião de idade avançada sentou-se para julgar. A roupa que trazia vestida era da maior alvura; o seu cabelo era branquíssimo. Estava sentado num trono feito de chamas, o qual se deslocava sobre rodas de fogo; um rio de fogo jorrava dele. Tinha milhões de anjos ao seu serviço; centenas de milhões de pessoas esperavam diante dele para serem julgados. Então o tribunal começou a sua sessão e foram abertos os livros.

11Continuando eu a olhar, o quarto animal brutal foi morto e o seu corpo ligado para ser queimado, por causa da sua altivez para com YAHU ULHÍM poderoso e por causa da soberba do seu chifre mais pequeno.

12Quanto aos outros três animais, foi-lhes tirado o seu domínio; todavia prolongou-se-lhes a vida ainda durante um certo espaço de tempo.

13Seguidamente assisti ao aparecimento de um filho de homem – ao que me
pareceu – trazido até ali sobre nuvens desde o céu; aproximou-se do ancião e
foi-lhe apresentado

14Deram-lhe poder para governar e para que fosse honrado em
todas as nações do mundo, de forma que todos os povos da terra lhe devem
obedecer. O seu poder é eterno – nunca mais terá fim; o seu governo nunca será
destruído.

15-16Eu estava confuso e perturbado com tudo o que tinha visto, por
isso me aproximei de um dos que estavam junto do trono para lhe perguntar o
sentido de todas estas coisas; e explicou-me:

 

A interpretação do sonho

 

17-18Estes quatro animais representam quatro reis que um dia hão-de governar a terra. Mas por fim o povo do altíssim YAHU ULHÍM terá autoridade sobre os governos do mundo, para sempre.

19-20Depois perguntei acerca do quarto animal, terrível e espantoso, com os seus dentes de ferro e cascos de cobre, que despedaçava as vítimas e as devorava com os
dentes. Pretendi igualmente saber quanto aos dez chifres, e ao que era mais
pequeno, que apareceu depois e provocou o desaparecimento de três outros, o
qual tinha olhos, mais uma boca com que dizia coisas cheias de arrogância e que
era mais forte do que os outros

21-22Pois que eu tinha visto este chifre fazendo guerra contra o povo de YAHU ULHÍM e vencendo-o, até à altura em que o ancião de idade avançada veio, abriu o tribunal e reabilitou o seu povo, dando-lhe poderes de governo sobre o mundo.

23-25Este quarto animal, disse-me, representa o quarto poder mundial que governará a terra. Será mais brutal que qualquer dos outros; devorará todo o mundo, destruindo tudo diante de si. Os seus dez chifres são dez reis que aparecerão, saídos do seu império; depois, outro rei aparecerá, ainda mais violento do que os dez outros, destruindo três deles. Desafiará YAHU ULHÍM altíssimo, e consumirá os santos com perseguições, tentando alterar todas as leis, a moral e os costumes. O povo de YAHU ULHÍM estará nas suas mãos por três anos e meio.

26-27Mas abrir-se-á o tribunal de justiça e retirará todo o poder a este rei corrompido, destruindo-o totalmente. Nessa altura todas as nações debaixo dos shua-ólmaYa e todo o poder será entregue ao povo de YAHU ULHÍM, que governará tudo para sempre. Todos os governantes estarão sujeitos aos santos.

28Assim acabou a visão. Fiquei grandemente perturbado, com o rosto pálido de espanto, mas não disse a ninguém o que via.

 

DAYANUL 8

 

A visão de DAYANUL do carneiro e do bode

 

1No terceiro ano do reinado de Belsazar, tive outra visão.

2Desta vez eu estava em Susa, a capital da província de Olao, e encontrava-me junto ao rio Ulai.

3Olhando eu em volta, vi um carneiro, ali perto do rio, que tinha dois chifres muito altos; um destes chifres começou a crescer mais do que o outro.

4O carneiro marrava em tudo o que encontrava no caminho, e ninguém era capaz de o impedir ou de lhe subtrair as vítimas. Fazia o que entendia e engrandeceu-se muito.

5-7Estando eu considerando estas coisas, apareceu de repente um bode vindo do nascente; aproximava-se de uma forma tal que nem tocava no chão. Este bode, que tinha um chifre no meio dos olhos, correu furiosamente para o carneiro que tinha as duas pontas. Caindo sobre o carneiro partiu-lhe ambas as hastes. Este último ficou sem força nenhuma e o bode abateu-o e pisou-o. Não havia mais salvação para ele.

😯 animal vencedor tornou-se orgulhoso e ficou muito engrandecido; mas, quando estava no cume do seu poder, foi-lhe quebrado o chifre único que tinha, e no seu lugar apareceram-lhe outros quatro chifres, também de tamanho considerável, apontando em todas as direções

9-11Um destes, crescendo devagar ao princípio, depressa se tornou muito forte e começou a atacar para o sul e para o oriente, fazendo guerra contra a terra de Yashorúl. Tornou-se tão poderoso que chegou a atacar os exércitos celestiais. Chegou mesmo a desafiar o seu comandante, lançando por terra algumas das suas ‘cocavím’ (est-elas), e pisando-as, fazendo cancelar os sacrifícios diários, contínuos, que se faziam em sua adoração, e profanando o seu Templo.

12Mas o exército dos santos e o sacrifício diário foi destruído por
causa das transgressões. O resultado é que a verdade foi lançada por terra. Fez
o que lhe agradou e prosperou.

13Em seguida ouvi dois dos santos anjos que dialogavam entre si: Quando será novamente restabelecido o sacrifício contínuo? Quando será castigada a destruição do Templo e o povo de YAHU ULHÍM tornado de novo triunfante?

14Dois mil e trezentos dias deverão decorrer primeiro
respondeu- lhe o outro.

 

Gaborúl interpreta a visão

 

15-16Estava eu a tentar compreender o sentido desta visão, quando apareceu uma figura humana diante de mim e ouvi a voz de um homem chamando do outro lado do rio: Gaborúl, diz a DAYANUL o significado deste sonho.

17Então Gaborúl veio para onde eu me encontrava. Mas
quando se aproximou de mim eu fiquei muito perturbado e caí com o rosto em
terra. Homem mortal, disse-me ele, tens de perceber que estes acontecimentos
que viste figurados nessa visão não terão lugar antes que venha o fim dos
tempos.

18Depois perdi os sentidos, assim com o rosto em terra. Mas ele tocou-me, ergueu-me, e ajudou-me a manter-me em pé.

19Estou aqui para te dizer o que irá acontecer quando da vinda dos tempos de ira – porque o que viste pertence ao fim dos tempos.

20-22 Os dois chifres do carneiro que observaste são os reis da Média e da Pérsia. O bode peludo é a nação grega e o seu longo chifre representa o primeiro monarca dessa nação. Quando viste que foi quebrado e substituído por quatro outros mais pequenos, isso significa que o império Grego se repartirá em quatro partes, cada uma com seu rei, nenhum deles tão grande como o primeiro.

23-24Já no final desses reinados, quando a sua maldade atingir o máximo, um outro rei feroz se levantará, e terá grande sagacidade e inteligência. O seu poder será grande, não virá de si próprio. Prosperará para onde quer que se voltar; destruirá todos os que se lhe opuserem, ainda que o façam com poderoso exército; desvastará o povo de YAHU ULHÍM.

25Será profesor na arte do engano; muitos serão derrotados ao serem apanhados desprevenidos, confiados numa falsa segurança. Sem pré-aviso destrui-los-á. Considerar-se-á tanto a si próprio que até será capaz de pretender travar batalha contra o Príncipe dos príncipes. Mas ao tentar fazê-lo, selará a sua própria condenação, pois será aniquilado pela mão de YAHU ULHÍM, embora nenhum ser humano pudesse vencê-lo.

26Depois, na tua visão ouviste falar nos dois mil e trezentos dias que passarão antes que os direitos do culto sejam restabelecidos. Este número é literal e significa isso mesmo. Mas nenhuma destas coisas virá a acontecer antes de muito tempo passar ainda; por isso não fales ainda a ninguém sobre isto.

27Então tornei a desfalecer, e fiquei doente por vários dias; mas
restabeleci-me e continuei a dar execução aos meus deveres para com o rei. No
entanto fiquei muito impressionado com esse sonho e não o entendia bem.

 

DAYANUL 9

 

A oração de DAYANUL

 

1Era agora o primeiro ano do reinado de Dario, filho de Akashverósh. (Dario era medo e foi constituído rei dos caldeus.)

2No primeiro ano do seu reinado, eu, DAYANUL, entendi, pelo livro do
profeta YARMIYAHU, que YAHUSHUA-oléym deveria ficar desolada por setenta anos.


3Assim pedi fervorosamente a YAHU ULHÍM o Criador Eterno que pusesse fim ao
nosso cativeiro e nos mandasse regressar à nossa terra urante o tempo em que
fiz orações nesse sentido, jejuei e vesti-me com sacos, pondo cinza sobre mim;


4também confessei os meus pecados assim como os do meu povo.Ó YAHU ULHÍM orava eu, tu és um grande e temível YAHU ULHÍM; sempre cumpres as tuas promessas de misericórdia para com aqueles que amas e guardam as tuas leis.

5Mas nós pecámos muitíssimo; rebelámo-nos contra ti e tivemos em pouca conta os teus mandamentos


6Recusámos prestar atenção aos teus servos, os profetas, que mandaste repetidas
vezes através dos anos, com as tuas mensagens para os nossos reis e
governantes, assim como para todo o povo.

7Ó YAHU ULHÍM, tu és justo; mas quanto a nós, estamos sempre envergonhados com os nossos pecados, como se vê hoje em dia; sim, todos nós – a gente de YAHUDAH, o povo de YAHUSHUA-oléym, assim como todo o Yashorúl, que espalhaste para perto e para longe, para toda a parte, por causa da nossa infidelidade para contigo.

8Ó YAHU ULHÍM, nós, os nossos reis, governantes e pais estamos profundamente abatidos por causa de todos os nossos pecados.

9Mas YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno é misericordioso
e perdoa até mesmo aqueles que se rebelaram contra ele.

10-11 YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno, nós desobedecemos-te, escarnecemos de todas as leis que nos deste através dos teus servos, os profetas. Todo o Yashorúl desobedeceu. Afastámo-nos de ti e recusámos ouvir-te mais. Foi assim que a tremenda maldição de YAHU ULHÍM se descarregou sobre nós – a maldição escrita na lei de Mehushúa, teu servo

12-13Fizeste exatamente como nos avisaste que farias, pois nunca houve tal desastre como aquele que nos aconteceu em YAHUSHUA-oléym, a nós e aos nosso chefes. Cada uma das maldições contra nós, escritas na lei de Mehushúa,
se realizou; todos os males preditos, todos eles aconteceram. Mas mesmo assim
continuamos a recusar satisfazer YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno,
desviando-nos dos nossos pecados e praticando a justiça.

14E foi assim que YAHU ULHÍM deliberadamente nos esmagou com calamidades que tinha preparado. Ele é justo em tudo o que executa; nós é que não queremos obedecer.

15-16Ó YAHU ULHÍM, nosso Criador Eterno, foi com grande poder e honra para ti que tiraste o teu povo do Egito. YAHU ULHÍM, faz agora algo de semelhante! Ainda que tenhamos pecado profundamente e que seja tão grande a nossa maldade; mas por causa de todas as tuas misericórdias, YAHU ULHÍM, retira, te pedimos, a tua ira de YAHUSHUA-oléym, a tua cidade, o teu santo monte. Porque os pagãos troçam de ti por deixares a tua cidade em ruínas, devido aos nossos pecados.

17Ó nosso YAHU ULHÍM, escuta a oração dos teus servos! Ouve enquanto te rogo! Que o teu rosto se ilumine de novo com a paz e a alegria sobre o teu desolado Templo, que é a tua própria glória, YAHU ULHÍM.

18Meu YAHU ULHÍM, inclina os teus ouvidos e ouve os meus
rogos. Abre os teus olhos e vê a nossa miséria, como a tua cidade está em
ruínas – sim, porque toda a gente sabe que se trata da tua cidade. Não te
pedimos isso porque pensamos que o merecemos, mas porque confiamos na tua
bondade a despeito da gravidade dos nossos pecados.

19Ó YAHU ULHÍM, ouve-nos! Perdoa-nos! YAHU ULHÍM, escuta as minhas palavras e atua! Não te demores em defesa da tua própria causa, ó meu YAHU ULHÍM, pois que o teu povo e a tua cidade trazem o teu próprio nome.

 

As setenta semanas

 

20-22Estive assim aorar e a confessar o meu pecado e o do meu povo, implorando fervorosamente a YAHU ULHÍM meu Criador Eterno a favor de YAHUSHUA-oléym, a sua santa montanha, quando Gaborúl, que eu vira na minha primeira visão, se deslocou rapidamente, nos ares, até junto de mim; era a altura do sacrifício da tarde. E disse-me: DAYANUL, encontro-me aqui para te ajudar a compreenderes os planos de YAHU ULHÍM.

23No momento em que começaste a orar, foi dada uma ordem; e eu aqui estou para te dizer o que foi, visto que YAHU ULHÍM te ama muito. Escuta e procura compreender o sentido da visão que tiveste!

24 YAHU ULHÍM decretou um período de 490 anos, no fim dos
quais YAHUSHUA-oléym, a sua santa cidade, e o seu povo será perdoado do pecado
e a sua culpa será expiada; então começará o reino de uma justiça sem fim; o
santíssimo será de novo consagrado, cumprindo o que declaram os profetas.


25Agora ouve bem! Haverá 49 anos mais 434 anos desde a altura em que for dada
ordem para a reconstrução de YAHUSHUA-oléym até à vinda do hol-MEHUSHKHÁY (o Messías), o príncipe! As ruas e os muros de YAHUSHUA-oléym serão reconstruídos a despeito dos tempos perigosos que hão-de acontecer.

26Depois deste período de 434 anos, hol-MEHUSHKHÁY (o Messías) será morto sem ter realizado o seu reinado. Levantar-se-á um rei cujos exércitos destruirão a cidade e o Templo. Mas serão vencidos por uma tempestade; até ao fim haverá guerras, com as suas desgraças.

27Este rei fará um acordo com o povo, de sete anos; mas depois de
decorrer metade desse tempo, denunciará o tratado e proibirá os YAHÚ-dim de
fazerem qualquer sacrifício ou oferta; posteriormente, como cúmulo das suas
terríveis ações, o inimigo profanará completamente o Templo de YAHU ULHÍM. Mas
quando chegar o tempo determinado nos planos de YAHU ULHÍM, o julgamento de YAHUUL será derramado sobre esse assolador visão de DAYANUL de um homem

 

DAYANUL 10

 

1No terceiro ano do reinado de Kerósh, rei da Pérsia, DAYANUL (também chamado Beltessazar) teve outra visão. Dizia igualmente respeito a acontecimentos a realizarem-se no futuro, tempos de guerra e angústias, e desta vez ele compreendeu o significado da visão.


2-3Quando tive esta visão, eu, DAYANUL, tinha estado de luto havia três semanas
inteiras. Durante todo esse tempo não bebi vinho nem comi carne, nem sobremesa
alguma. Também não lavei a cabeça, não cortei o cabelo, nem o arranjei.


4-6Então no dia 23 de Abril estando junto ao grande rio Tigre, reparei, de
repente, junto de mim, numa pessoa vestida de roupa de linho, com um cinto de
ouro puro à volta da cintura. Tinha a pele brilhante, lustrosa! Saíam-lhe do
rosto cintilações e os seus olhos eram como tochas de fogo; os braços e os pés
brilhavam também, como cobre. Quando falava, a voz soava como se se tratasse de
uma vasta multidão.

7-8Só eu, DAYANUL, vi isto; as pessoas que estavam comigo
nada viram, no entanto sentiram repentinamente um terror inexplicável e foram a
correr esconder-se; apenas eu ali permaneci. Quando vi aquela figura
impressionante fiquei sem forças, empalideci, perdi os sentidos.

9-11Ele dirigiu-me a palavra, o que fez com que eu caísse com o rosto por terra,
desfalecido. Nessa altura uma mão tocou-me e levantou-me, e ainda a tremer
fiquei de joelhos. E ouvi: DAYANUL, homem muito amado de YAHU ULHÍM, ergue-te e ouve atentamente o que tenho a dizer-te, porque foi YAHU ULHÍM quem me mandou junto de ti. Levantei-me ainda a tremer, e continuou:

12Não tenhas medo, DAYANUL, porque as tuas orações são atendidas em shua-ólmaYa e a resposta foi dada logo no primeiro dia em que começaste a jejuar perante YAHU ULHÍM e a pedir-lhe esclarecimento; nesse mesmo dia fui mandado ter contigo.

13-14Mas durante vinte e um dias o rei da Pérsia, opôs-se-me. Então Miguel, um dos chefes do exército celestial, veio apoiar-me, e consegui romper os espíritos dominadores da Pérsia. Agora, aqui estou para te dizer o que há-de acontecer ao teu povo nos tempos do fim – porque o cumprimento desta profecia será daqui a muito tempo.

15-17Todo esse tempo, eu mantive-me de olhos baixos, incapaz de proferir uma palavra. Depois, alguém – que me pareceu um homem – me tocou nos lábios e pude falar assim ao mensageiro do céu:  YAHU ULHÍM, estou extremamente perturbado com esta aparição e estou sem forças. Como é que uma pessoa como eu pode falar contigo? Estou desfalecido e até respiro com dificuldade.

18Então aquele que me pareceu ser um homem tocou-me outra vez e senti as forças voltarem-me novamente


19 YAHU ULHÍM ama-te muito, disse ele; não tenhas receio! Acalma-te e anima-te;
sim, anima-te!Enquanto me dizia isto, senti-me mais forte e respondi-lhe: Podes
falar, YAHU ULHÍM, porque me fortaleceste.

20-21Sabes a razão porque eu vim? Estou aqui para te dizer o que está registado na escritura da verdade. Então, quando regressar, enfrentarei de novo o príncipe da Pérsia, e depois dele o príncipe da Grécia. Só Miguel, o anjo que guarda o teu povo Yashorúl, ali estará para me ajudar.Os reis do Sul e do Norte

 

DAYANUL 11

 

1Eu fui mandado fortalecer e ajudar Dario, o medo, no primeiro ano do seu reinado.

2Mas agora vou mostrar-te o que o futuro tem guardado. Três outros reis persas governarão, e um quarto suceder-lhes-á, muito mais próspero que os primeiros. Usando dos meios materiais de que dispõe, empregá-los-á para obter vitórias políticas e desencadeará uma guerra total contra a Grécia.

3-5Depois, levantar-se-á um poderoso rei na Grécia, que
governará um vasto reino e conseguirá tudo o que tiver planeado conquistar.
Mas, no auge do seu poder, o seu reino será repartido em quatro nações mais
fracas, que nem sequer serão dirigidas pelos seus filhos. O seu império será
pois dividido e dado a outros. Um deles, o rei do Egito, há-de conseguir
aumentar bastante em força, mas um dos seus comandantes revoltar-se-á, tomará
conta do poder, tornando-o ainda mais forte.

6Anos mais tarde formar-se-á uma aliança entre o rei da Syria e o do Egito. A filha deste será dada em casamento ao rei da Syria, num gesto de paz, mas ela perderá a sua influência sobre ele e as suas esperanças, assim como as do seu pai, o rei do Egito, serão frustradas.

7-8Contudo, quando o seu irmão subir ao trono, como rei do Egito,
há-de congregar um exército contra o rei da Syria e derrotá-lo-á. Quando
regressar ao Egito trará consigo os ídolos da Syria, e também louça preciosa,
de ouro e de prata. Durante muitos anos deixará o rei da Syria em paz.


9-12Entretanto o rei da Syria invadirá o Egito, por pouco tempo, mas depressa
regressará à sua terra. Contudo os filhos deste rei sírio juntarão um poderoso
exército que invadirá Yashorúl, passará ao Egito e se fortificará ali. Depois,
o rei do Egito, com grande ira, concentrar-se-á contra as vastas forças da
Syria e as derrotará. Cheio de orgulho, após esta vitória retumbante, há-de
chegar a liquidar milhares dos seus inimigos. Mas o seu sucesso será de pouca
duração.

13-15Alguns anos mais tarde o rei da Syria voltará, com um exército
completamente equipado, muito maior do que aquele que perdera antes, e outras
nações se unirão a ele nessa cruzada contra o Egito. Gente rebelde, de entre os
YAHÚ-dim, se juntará com eles, cumprindo assim a profecia; mas não serão bem
sucedidos. Então o rei da Syria mais os seus aliados sitiarão uma cidade
fortificada do Egito, conquistá-la-ão, e os altivos exércitos do Egito serão
derrotados.

16-17O rei sírio continuará sem ninguém que se lhe oponha; ninguém
será capaz de o deter. Entrará também na terra gloriosa de Yashorúl e pilhá-
la-á. Formará um plano para o domínio completo do Egito: acordará também no
casamento de uma filha com o rei do Egito, para que possa assim melhor avançar
com os seus intentos, mas não conseguirá o que quer.

18-19Posteriormente volta a sua atenção para as cidades costeiras, e toma muitas delas. Contudo haverá um comandante que o deterá e o fará retirar-se envergonhado. Regressará à sua terra, mas pelo caminho terá problemas e desaparecerá.

20O seu sucessor será lembrado como aquele que levantou os impostos sobre Yashorúl, mas depois de um breve reinado, morrerá misteriosamente, nem em combate, nem em disputa nenhuma.


21-26O rei a seguir será um homem mau, e não subirá ao trono por sucessão real.
Tomará o poder através do engano e da intriga. Depois, toda a oposição
desaparecerá diante dele, incluindo o chefe dos intermediários. As suas
promessas serão sempre falsas. Desde o princípio que a sua forma de actuar será
sempre a do engano; apenas com um punhado de seguidores, tornar-se-á poderoso.
Entrará nas áreas mais prósperas da terra, sem avisos prévios, e fará aquilo
que nunca tinha sido feito antes: tomará as propriedades dos ricos e dos
abastados e distribuí-las-á pelo povo. Com grande sucesso ataca e captura
grandes fortalezas através das terras que controla; mas isto durará apenas um
certo tempo. Consegue conjugar forças e levantar um exército contra o Egito;
este também tentará fazer o mesmo, mas sem o conseguir, porque enormes conjuras se formarão contra ele. Serão os da sua própria casa quem o deporá; o seu
exército desertará e muitos serão mortos.

27Ambos este reis conspirarão um contra o outro, mesmo à mesa das negociações, tentando enganar-se mutuamente. Mas isso pouco há-de fazer, pois que nem um nem outro serão bem sucedidos até que chegue o tempo indicado por YAHU ULHÍM.

28-32O rei sírio regressa então a casa com grandes riquezas, mas não sem antes marchar sobre Yashorúl e destruí-la; fará o que planeou e regressará à sua terra. No tempo previsto, volta de novo as suas forças para o sul, mas é que agora será tudo diferente de antes. Porque navios de guerra Romanos o porão em debandada, obrigando-o a voltar para o seu país. Enfurecido por ter sido obrigado a fugir, o rei sírio torna a lutar contra a santa religião e a profanar o Templo, fazendo parar o
sacrifício contínuo e estabelecendo a abominação que causa a desolação. Antes
de partir, deixa no poder em YAHUSHUA-oléym YAHÚ-dim incrédulos, gente que
abandonou a fé dos seus antepassados. Procurará favorecer aqueles que odeiam as
coisas de YAHU ULHÍM, e ganhá-los para o seu lado. Mas as pessoas que conhecem
o seu YAHU ULHÍM serão fortes e farão grandes coisas.

33-34Os que têm discernimento espiritual terão um largo serviço espiritual, ensinando, durante aquele tempo. Mas correrão constantemente perigo; muitos deles morrerão pelo fogo ou com armas, ou serão postos em cárceres e despojados do que possuem. Acontecerá que no meio destas pressões, alguns homens descrentes apresentar-se-ão como que pretendendo oferecer socorro, mas só para tirar proveito dos que são perseguidos.

35Até alguns dos que são mais dotados para as coisas de YAHU ULHÍM tropeçarão naquele dia e cairão; mas isto acabará por ser uma forma de os refinar e purificar, fazendo-os mais limpos até ao fim de todas estas provações, até ao momento que YAHU ULHÍM indicar.

36-39O rei fará só aquilo que lhe agrada, proclamando-se acima dos falsos criadores o estatuas, blasfemando até de YAHU ULHÍM dos falsos criadores o estatuas e prosperando – mas só até quando YAHU ULHÍM entender. Porque os planos de YAHU ULHÍM são inabaláveis. O rei não terá consideração alguma pelos próprios falsos criadores ou estátuas dos seus antepassados, nem pelo idolo amado pelas mulheres, nem por nenhum outro, porque se gloriará como sendo ele o maior de todos. Em lugar desses falsos criadores o estatuas todos, ele adorará o idolo das fortalezas – um idolo que seus pais desconheciam – e será pródigo em donativos muito caros para ele. Dizendo que é com a ajuda dele que há-de atacar grandes fortalezas, e conquistá-las-á. Dará honras aos que se lhe submetem, nomeando-os para posições de autoridade e repartindo entre eles a terra, como recompensa.

40-43Chegando o tempo do fim, o rei do sul tornará a atacá-lo e o do norte reagirá com a violência e a fúria de um furacão; o seu vasto exército e a sua grande armada
de navios de guerra sairão para invadi-lo com o seu poder. Dessa forma
conseguirá invadir vários países, incluindo Yashorúl, a terra gloriosa, e
derrubará o governo de muitas outras nações. Moabe, Edom e quase todo Amom
escaparão; mas o Egito e muitas outra nações serão ocupadas. Tomará posse de
todos os tesouros do Egito, e os líbios e os etíopes tornar-se-ão seus servos.


44-45Nessa altura, notícias vindas tanto do norte como do oriente alarmá-lo-ão;
e voltará em grande ira para destruir e aniquilar muitos. Deter-se-á entre YAHUSHUA-oléym e o mar, plantando aí as tendas reais; enquanto permanece nesse lugar, o seu tempo chegará e não haverá ninguém que o apoie.

 

DAYANUL 12

 

Os tempos do fim

 

1Nesse tempo se levantará Miguel, o poderoso príncipe dos anjos, que protege a tua nação. Haverá um tempo de angústia para os YAHÚ-dim, maior do que qualquer outro período de angústia na história de Yashorúl. Mas todos aqueles cujos nomes estão escritos no livro serão libertados.

2Muitos daqueles cujos corpos jazem mortos, enterrados, ressuscitarão, uns para a vida eterna, outros para a vergonha e desprezo eternos.

3Os entendidos brilharão como o resplendor do sol, no firmamento. Os que ensinam a muitos a justiça refulgirão como ‘cocavím’ (est-elas) para sempre.

4Mas tu, DAYANUL, não dês esta profecia a conhecer a ninguém; sela-a para que não seja revelada antes do fim dos tempos, quando a deslocação de pessoas de uma para outra parte do mundo, assim como o conhecimento entre os homens, tiverem aumentado grandemente!

5-6Então eu, DAYANUL, olhei e vi dois anjos em cada margem do rio.
Um deles perguntou àquele que estava vestido de linho, e que se encontrava
agora em pé acima das águas do rio: Quanto tempo haverá até que aconteçam todas
essas coisas espantosas?

7O outro respondeu, levantando as mãos para os shua-ólmaYa
e jurando por aquele que vive por toda a eternidade, que estas coisas não serão
cumpridas até que três anos e meio se completem, depois do poder do povo de YAHU ULHÍM ter sido destruído.

8Ouvi aquilo que ele disse, mas não percebi; por isso
perguntei:  YAHU ULHÍM, como será que isto tudo vai acontecer?

9-10Podes retirar-te, DAYANUL, porque aquilo que expus não é para ser compreendido antes do tempo do fim. Muitos serão purificados através de grandes tribulações e perseguições. Contudo os perversos continuarão na sua perversidade, e nenhum perceberá coisa nenhuma. Só os que desejam mesmo aprender virão a saber o significado disso.

11-12Desde o momento em que o sacrifício contínuo for proibido e instalada a abominação que causa a desolação a fim de ser adorada, haverá 1290 dias. Bem-aventurados aqueles que esperam e chegam até aos 1335 dias!

13Mas tu persevera até ao fim da tua vida; e depois repousarás. Porque ressuscitarás e terás a tua recompensa nos últimos dias.

 

 

 

CLASSE FORMA EM PORTUGUÊS EQUIVALENTE (Hb)
Primária O Ser Supremo Criador UL, ULHIM
Governante ODMORUL
(não traduzível) YAHU
Composto de UL Supremo Todo-Suficiente UL SHUADDAI
Supremo Altíssimo UL ULYON
Supremo Eterno UL OLMAYAO
Supremo Valente UL GABBOR
Composto de YAHU YAHU Supremo YAHU UL ou YAHU ULHIM
YAHU Governante YAHU Odmorul
YAHU dos Exércitos YAHU Tzevaul ou Tzavulyao

 

NOME HEBRAICO COMPOSIÇÃO SIGNIFICADO

ULYAHU (ELIAS)

UL + YAHU

YAHU é Supremo
YARMIYAHU (JEREMIAS) YARMI + YAHU YAHU é Exaltado
NAORREMYAHU (NEEMIAS) NAORREM + YAHU YAHU Conforta
‘KHIZKIYAHU
(EZEQUIAS)
KHIZKI + YAHU YAHU Minha Força
YASHUAYAHU (ISAIAS) YASHUA + YAHU Salvação de YAHU
RANAMYAHU (HANANIAS) RANAM + YAHU Gracioso é YAHU
AWODYAHU (OBADIAS) AWOD + YAHU Servo de YAHU
ZOCHARYAHU (ZACARIAS) ZOCHAR + YAHU Lembrado de
YAHU

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: