ministeriohorafinal

ATOS

ATOS 1

 

YAHUSHUA ascende ao céu

 

1-2-Ohavyáo: No meu primeiro escrito falei-te na vida e nos ensinamentos de YAHUSHUA e contei como ele voltou para o céu depois de ter dado aos emissários que escolheu instruções pelo RÚKHA hol-HODSHUA (Espírito O Santo).

3-Durante os quarenta dias que se seguiram ao Seu Sacrifício, apareceu diversas vezes, vivo, sem sombra de dúvida, aos emissários, a quem provou de muitas maneiras ser realmente ele aquele que viam. E nessas ocasiões falou-lhes no reino de YAHU UL.

4-5-Nun desses encontros, enquanto tomava uma refeição com eles, YAHUSHUA disse-lhes que não saíssem de YAHUSHUA-oléym enquanto o RÚKHA hol-HODSHUA não descesse sobre eles em cumprimento da promessa de YAHU ABí, assunto de que já tinha falado. YAHUKhanam  batizou-vos com água, lembrou-lhes, mas vocês serão batizados com o RÚKHA hol-HODSHUA dentro de poucos dias.

6-Noutra ocasião em que lhes apareceu, perguntaram-lhe: Molkhiúl, é agora que vais restaurar o reino de YAshorúl?

7-8-É YAHU ABí quem determina os tempos, respondeu, e não vos compete conhecê-los. Mas quando o RÚKHA hol-HODSHUA tiver descido sobre vocês, receberão poder para falar de mim ao povo de YAHUSHUA-oléym, e em toda a YAHUDAH e Shuamor-YAHU, até aos extremos da terra.

9-11-Pouco depois YAHUSHUA subiu ao céu e desapareceu numa nuvem, enquanto o seguiam com os olhos. De súbito apareceram no meio deles dois homens vestidos de branco, que disseram: Homens da Galileia, porque estão aí de olhos postos no firmamento? YAHUSHUA foi para o céu e um dia voltará tal como o viram partir!.

.

 

MANYAHU é escolhido para substituir Yudas.

 

 

12-13-Isto aconteceu quando se encontravam no Monte das Oliveiras. Regressando a YAHUSHUA-oléym, que ficava quase a um quilômetro de distância, foram para uma sala no andar superior da casa onde estavam a ficar. Estavam ali: Kafos, YAHUKHANAM, YAHUCAF, Andorúl, Felipe,Tomé, Bartolomeu, MANYAHU, YAHUCAF (filho de Alfeu), Shamiúl (a quem também chamavam o Zelota), YAHUDAH (filho de YAHUCAF).

14-Todos se reuniam constantemente em oração, juntamente com Maoro-ém, a mãe de YAHUSHUA, várias outras mulheres, e os irmãos de YAHUSHUA.

15-Por esta altura, numa ocasião em que estavam presentes cerca de cento e vinte pessoas, Kafos levantou-se e disse-lhes o seguinte:

16-Irmãos, era necessário que se cumprissem as Qaotáv acerca de Yudas, que servia de guia para aqueles que prenderam YAHUSHUA, pois isso já tinha sido anunciado há muito pelo RÚKHA hol-HODSHUA falando através do rei Dáoud.

17-Yudas tinha sido um dos nossos, e, como nós, escolhido para ser emissário

18-19-(Com o dinheiro que recebeu em paga da traição, ele comprou um campo, onde se suicidou, rompendo-se-lhe as entranhas. A notícia da sua morte depressa se espalhou em YAHUSHUA-oléym, tanto que o povo até deu ao local o nome de Campo de Sangue – Akeldáma.)

20-A predição do rei Dáoud acerca deste acontecimento vem no livro dos TEHILLIM, onde diz: Que a sua casa fique abandonada, sem ninguém que nela habite, e ainda: Que o seu trabalho seja confiado a outra pessoa.

21-22-Agora temos de escolher alguém, em lugar de Yudas, que se junte a nós para ser testemunha da ressurreição de YAHUSHUA. Escolhamos um homem que tenha estado conosco todo o tempo em que YAHU UL andou entre nós, desde o seu Batismo por YAHUKhanam Batista até ao dia em que foi levado para o céu.

23-25-A assembleia apontou dois homens: YAHU-saf Tzaodóq (também chamado Bor-Shábbos) e MANYAHU. Feito isto, oraram :  Molkhiúl, tu conheces os corações; indica-nos qual destes homens escolheste como emissário para substituir Yudas, que foi para o lugar que merecia.

26-Tiraram então sortes, sendo escolhido MANYAHU, que passou a ser emissário com os outros onze.

.

 

ATOS 2

.

 O RÚKHA hol-HODSHUA desce no Khag Shavúos
(Pentecostes)

.

 

1-Chegou o dia de Khag Shavúos.

2-Estando os crentes reunidos naquele dia, ouviu-se, subitamente em shua-ólmaYA, um som semelhante ao rugido de um furacão, enchendo a casa onde se encontravam.

.
3-4-Apareceram então como que línguas de fogo que pousaram sobre as suas cabeças e todos os presentes ficaram cheios do RÚKHA hol-HODSHUA, começando a falar línguas que desconheciam, pois o RÚKHA hol-HODSHUA deu-lhes esse poder.

5-6-Ora, encontravam-se naquele dia em YAHUSHUA-oléym, para assistir às celebrações religiosas, muitos YAHÚ-dim piedosos vindos de diversas nações. Ao ouvir-se aquele rugido no céu por cima da casa, o povo acorreu para ver o que se passava, e ficaram todos pasmados ouvindo os discípulos falar nas próprias línguas deles.

7-12Como é que isto pode ser?, exclamaram. Estes homens são da Galileia e, afinal, ouvimos-los falar em todas as línguas dos países onde nascemos! Estamos aqui partos, medos, elamitas, gente da Mesopotâmia, YAHUDAH, Capadócia, Ponto, Ásia, Frígia, Panfília, Egito, terras da Líbia perto de Cirene, forasteiros vindos de Roma (tanto YAHÚ-dim como convertidos ao Judaísmo), cretenses e árabes. Todos ouvimos estes homens contar nas nossas diversas línguas os poderosos milagres de YAHU UL! E ficaram ali pasmados, sem saber o que pensar, perguntando uns aos outros: Que quer isto dizer?

13-Mas também havia quem troçasse: Beberam demais!

 

Kafos fala à multidão

 

14-16-Então Kafos, avançando com os onze emissários, falou à multidão: Escutem, forasteiros e moradores de YAHUSHUA-oléym! Há quem esteja aí a dizer que estes homens se embriagaram! Não é verdade! Seria demasiado cedo para isso! São apenas nove horas da manhã! Não! Aquilo a que acabam de assistir foi predito há séculos pelo profeta YAUL:

17-21- Nos últimos dias, disse YAHU UL,derramarei o meu RÚKHA hol HODSHUA sobre toda a humanidade. Os vossos filhos e filhas profetizarão,os vossos jovens terão visões e os velhos terão sonhos. Sim, o RÚKHA hol-HODSHUA descerá sobre todos os que me servem,tanto homens como mulheres,e profetizarão. Farei aparecerem estranhos sinais em shua-ólmaYA e na terra,sangue e fogo e nuvens de fumo. O sol ficará negro e a lua há-de pôr-se vermelha como o sangue,antes de vir esse grande e glorioso dia de YAHU UL. E acontecerá que todo aquele que invocar o Shúam (Nome) de YAHU UL será salvo!

22-24-Gente de YAshorúl, ouçam! YAHU UL deu público testemunho de YAHUSHUA Nudtzorothíy com os espantosos milagres que através dele realizou, como bem sabem. Mas, de acordo com o seu plano, deixou que vocês se servissem de mãos de injustos para o pregarem na poste e o assassinarem. Porém, YAHU UL libertou-o dos horrores da morte,trazendo-o de novo à vida, pois a morte não poderia ter prendido este homem.

25-28-Já o rei Dáoud tinha dito estas palavras referindo-se a YAHUSHUA:Tenho posto YAHU UL continuamente diante de mim.E visto que ele está ao meu lado, não cairei. Essa é a razão porque o meu coração está alegre,e a minha alma está satisfeita! O meu corpo repousará em esperança. Porque sei que não deixarás a minha alma no inferno,nem permitirás que se corrompa na sepultura o teu HODSHUA (Santo). Mostraste-me o caminho da vida;conceder-me-ás abundância de júbilo na tua presença.

29-30-Irmãos, permitam que vos diga isto com toda a clareza – o nosso antepassado Dáoud não se referia a si próprio, pois morreu e foi sepultado, e o seu túmulo ainda o temos entre nós! Mas era profeta e sabia que YAHU UL tinha prometido com juramento que um dos seus descendentes seria hol-MEHUSHKHAY (o Messias) e se sentaria no seu trono. 

31-Dáoud previa e anunciava assim a ressurreição de hol-MEHUSHKHAY, dizendo dele que a sua alma não ficaria no mundo dos mortos e que o seu corpo não conheceria a podridão.

32-33-Referia-se, pois, a YAHUSHUA, e todos nós somos testemunhas de que YAHU UL o ressuscitou dos mortos, encontrando-se agora no lugar de honra no céu, à direita de YAHU UL. E, cumprindo a promessa que fizera, YAHU ABí deu lhe autoridade para enviar o RÚKHA hol-HODSHUA, com os resultados que hoje estão a ver e a ouvir.

34-35-Não, Dáoud nunca subiu aos shua-ólmaYA. Ele próprio afirmou:YAHU UL falou ao meu Ódmorul: Senta-te no lugar de honra, à minha direita,até que te sujeite os teus inimigos por completo.

36-Portanto, declaro a todos em YAshorúl que YAHU UL fez deste YAHUSHUA, que vocês sacrificaram, Molkhiúl e hol-MEHUSHKHAY (o Messias)!

37-Estas palavras de Kafos causaram tanta convicção que o povo lhe disse a ele e aos outros emissários: Irmãos, que devemos fazer?

38-E Kafos respondeu: Cada um deve arrepender-se do seu pecado, converter-se a YAHU UL e ser batizado em Shúam (Nome) de YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY, para perdão dos pecados. E então receberão também este dom do RÚKHA hol-HODSHUA,

39-pois ha-MEHUSHKHAY prometeu-o a todos quantos ouvirem a chamada de YAHU UL nosso Criador Eterno, tanto vocês como os vossos filhos, e até os que estão em terras distantes!

40-Kafos continuou com persuasão a falar-lhes de YAHUSHUA, e insistia para que se salvassem, se livrassem dos males do seu tempo.

 

A fraternidade dos crentes

 

41-42-Aqueles que creram nas palavras de KAFOS foram batizados, cerca de três mil ao todo, e juntaram-se aos outros crentes, participando regularmente no ensino administrado pelos emissários, na união fraterna, no partir do pão e nas orações.

43-Todos sentiam profundo temor e respeito, e os emissários faziam muitos milagres.

44-Os crentes encontravam-se constantemente, repartindo tudo uns com os outros,

45-vendendo os seus bens e ajudando os necessitados.

46-Cada dia adoravam juntos no Templo; reuniam-se em pequenos grupos familiares para celebrar a comunhão, e tomavam as refeições em comum,

47-com grande alegria e gratidão, louvando YAHU UL. A cidade inteira
via-os com bons olhos e todos os dias YAHU UL ia acrescentando ao seu número aqueles que se salvavam.

 

ATOS 3

 

Kafos e a  cura do mendigo coxo

 

1-Certa tarde, Kafos e YAHUKHANAM foram ao Templo para a oração, às três horas da tarde

2-E viram um homem coxo de nascença transportado por outros para ser deixado junto de uma porta do Templo, chamada porta YAféh (Formosa), como acontecia todos os dias, para pedir esmola.

3-Quando Kafos e YAHUKHANAM iam a passar, o homem pediu-lhes esmola.

4-Eles olharam-no com atenção e Kafos, por fim, disse: Olha para nós!-

5-O coxo fitou-os na esperança da esmola,

6-mas Kafos continuou: Não tenho dinheiro para te dar! Mas
aquilo que tenho te dou: em Shúam (Nome) de YAHUSHUA hol MEHUSHKHAY Nudtzorothíy, levanta-te e anda!

7-8-E, pegando no coxo pela mão direita, ajudou-o a levantar-se. Ao fazê-lo, os ossos dos pés e artelhos fortaleceram-se. Erguendo-se de um salto, ficando de pé, o homem começou a caminhar! Andando, saltando e dando haolúlim (louvores) a YAHU UL, entrou no Templo com eles.

9-10-Quando o povo o viu andar, o ouviu louvar YAHU UL, e se apercebeu de que era o mesmo pedinte coxo que tantas vezes encontravam na porta YAféh, a surpresa foi enorme

11-Todos correram ao Alpendre de Shua-ólmoh, onde se conservava junto de Kafos e YAHUKHANAM, e não houve quem não ficasse pasmado com aquela coisa maravilhosa que acontecera.

 

Kafos discursa no Templo

 

12-Aproveitando a oportunidade, Kafos dirigiu-se à multidão: Homens de YAshorúl, que tem isto assim de tão espantoso? E porque nos olham como se tivéssemos sido nós que, pelo nosso poder e santidade, tivéssemos feito com que este homem andasse?

13-Foi YAHU UL de Abruham, de YAHUtz-kaq, de YAHUCAF e de todos os nossos antepassados quem trouxe glória ao seu servo YAHUSHUA através deste ato Estou a falar daquele a quem rejeitaram perante Pilatos, apesar de este ter decidido pô-lo em liberdade

14-Mas vocês não o queriam liberto, esse homem santo e justo; em vez disso, pediram que fosse solto um assassino.

15-Mataram o autor da vida, mas YAHU UL o ressuscitou. Somos
testemunhas disso!

16-Foi o Shúam (Nome) de YAHUSHUA que curou este homem, e
sabem como ele dantes era coxo. A fé no Shúam (Nome) de YAHUSHUA, fé que nos vem de YAHU UL, é que produziu esta cura perfeita.

17-18-Irmãos, compreendo que o que fizeram a YAHUSHUA foi por ignorância, e o mesmo se pode dizer dos vossos dirigentes. Mas YAHU UL estava a dar cumprimento às profecias segundo as quais hol-MEHUSHKHAY (o Messias) teria de padecer todas estas coisas.

19-20-Agora, porém, arrependam-se e voltem-se para Ele, para que vos purifique dos vossos pecados e vos mande tempos de renovação pela presença de YAHU UL, e para que vos envie outra vez YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY.

21-Porque ele deverá continuar no céu até que chegue o tempo de YAHU UL restaurar todas as coisas, de acordo com as profecias dos tempos antigos

22-23-Mehushua, por exemplo, disse há muito: YAHU UL levantará de entre os vossos irmãos um profeta semelhante a mim! Ouçam tudo o que ele vos disser. Quem não o escutar perecerá, excluído do povo.

.
24-SHAMUUL e todos os profetas que lhe sucederam falaram do que está a acontecer hoje

25-Vocês são filhos destes mesmos profetas e estão abrangidos pela promessa que YAHU UL fez aos vossos antepassados, de que todo o mundo será abençoado através do povo YAshorulíta; foi esta a promessa que YAHU UL fez a Abruham.

.
26Quando YAHU UL elegeu o seu servo, enviou-o em primeiro lugar a vocês, homens de YAshorúl, para vos abençoar, desviando-vos dos vossos pecados.

 

ATOS 4

 

KAFOS e
YAHUKHANAM perante o conselho YAHÚ-di

 

1-2-Enquanto assim falavam ao povo, chegaram os intermediários, o comandante da guarda do Templo e alguns dos Tzadiqím, muito preocupados por KAFOS e YAHUKHANAM afirmarem, pela autoridade de YAHUSHUA, que há ressurreição dos mortos.

.
3-Prenderam-nos e, uma vez que já era noite, meteram-nos na cadeia, aguardando o dia seguinte.

4-Mas muitas das pessoas que tinham ouvido a sua mensagem
acreditaram nela; em consequência, o número de crentes passou para cerca de cinco mil, contando só os homens!

5-Sucedeu que, no dia seguinte, reunia-se em YAHUSHUA-oléym o conselho de todos os dirigentes, anciãos do povo e professores da lei.

6Anás o supremo intermediário estava presente, e Caifás, YAHUKHANAM, Alexandre e outros parentes do supremo intermediário,

7pelo que os dois discípulos foram levados à sua presença. Com que poder ou com que autoridade fizeram uma coisa destas?, perguntou o conselho.

8-11-Então KAFOS, cheio do RÚKHA hol-HODSHUA, disse-lhes: Chefes do povo e anciãos da nossa nação: se se referem ao bem praticado naquele coxo que foi curado, deixem que vos diga claramente, a vós e a todos quantos estão em YAHUSHUA-oléym, que tal ato foi feito em nome e pelo poder de YAHUSHUA Nudtzorothíy, hol-MEHUSHKHAY, o homem que Sacrificaram, mas que YAHU UL ressuscitou. É pela sua autoridade que este se encontra aqui curado! Pois YAHUSHUA é: A pedra que foi recusada pelos construtores e que veio a ser a mais importante do edifício.

12-Em mais ninguém há salvação! Debaixo do céu não há outro nome que as pessoas possam invocar para serem salvas.

13-15-Quando os membros do conselho viram a coragem
de Kafos e YAHUKHANAM e perceberam que eram pessoas sem instrução, ficaram pasmados, constatando que tinham realmente estado com YAHUSHUA! E como poderiam pôr em dúvida aquela cura quando o antigo coxo se encontrava ali de pé? Mandaram-nos então sair da sala do conselho e puseram-se a discutir o caso entre si.

16-17-Que vamos fazer com estes homens?, perguntaram-se uns aos
outros. Não podemos negar que realizaram um milagre assinalável, e toda a gente em YAHUSHUA-oléym tem conhecimento dele. Mesmo assim talvez possamos impedi-los de espalhar a sua propaganda. Vamos ameaçá-los, para que não tornem a falar de YAHUSHUA em público.

18-Assim, voltaram a chamá-los e disseram-lhes que nunca mais falassem de YAHUSHUA.

19-Mas Kafos e YAHUKHANAM responderam: Acham justo que obedeçamos antes às vossas ordens do que às de YAHU UL?

20-Não podemos deixar de falar no que YAHUSHUA fez e disse na nossa presença.

21-22-O conselho ameaçou-os ainda mais, mas por fim deixou-os ir embora porque não sabia como castigá-los sem provocar uma revolta, pois toda a gente dava haolúlim (louvores) a YAHU UL por este milagre maravilhoso da cura de um homem que era coxo há mais de quarenta anos.

A oração
dos crentes

 

23-Logo que se viram em liberdade, KAFOS e YAHUKHANAM foram ter com os outros discípulos e contaram-lhes o que lhes dissera o conselho.=

24-Então todos os crentes unidos fizeram esta oração: YAHU UL, o Criador do céu, da terra, do mar e de tudo quanto neles há,

25-26-falaste há muito tempo pelo RÚKHA hol-HODSHUA por meio do nosso antepassado o rei Dáoud, teu servo, dizendo: Porque se revoltam os povos? Porque tentam inutilmente enganar? Os chefes das nações reúnem-se mais os seus servientes,para conspirarem contra YAHU UL, e contra hol-MEHUSHKHAY (o Messias)!

27-Foi o que aconteceu, pois o rei Herod e Pôncio Pilatos e todos os ROMANOS, além do povo de YAshorúl, encontraram-se unidos contra YAHUSHUA, o teu santo ha-BOR, que tu ungiste.

28-30-Mas não fizeram mais do que aquilo que, no teu sábio poder, determinaste que fizessem. Agora, YAHU UL, escuta as suas ameaças, concede aos teus servos ousadia na pregação. Estende a tua mão para curar e se realizam milagres e maravilhas pelo Shúam (Nome) de Teu Santo Servo YAHUSHUA!
31Depois desta oração o edifício em que se encontravam reunidos estremeceu, e todos foram cheios do RÚKHA hol-HODSHUA, pregando corajosamente a mensagem de YAHU UL.

 

Os crentes
repartem os seus haveres

 

32-Todos os crentes tinham um só coração e vontade, e ninguém considerava seu o que lhe pertencia, repartindo os haveres uns com os outros.

33-Os emissários davam testemunhos poderosos acerca da ressurreição do Molkhiúl YAHUSHUA; havia, sob a Bênção de YAHU UL, uma atitude de grande estima da parte de todos para com eles.

.
34-35-Não se sabia o que era a pobreza, pois quem tinha terras ou casas
vendia-as e levava o dinheiro aos emissários para que o dessem a outros que padeciam necessidades.

36-Por exemplo, o caso de YAHU-saf, um levita de Cyprus, a quem os emissários puderam o nome de Bornaví (que quer dizer filho de encorajamento),

37-este vendeu um campo e levou o dinheiro aos emissários para
que distribuíssem pelos necessitados.

 

ATOS 5

 

Ananias e
Safira

1-2-Houve, também, um homem chamado Ananias que, com sua mulher Safira, vendeu uns bens que tinha e só entregou parte do dinheiro, dizendo no entanto que era o seu preço total; isto, com a cumplicidade da mulher.

3Mas Kafos disse-lhe: Ananias, porque ha-Satan entrou no teu coração? Quando disseste que este era o preço inteiro, estavas a mentir ao RÚKHA hol-HODSHUA

4-A propriedade que tinhas podias vendê-la ou não, conforme quisesses. E, depois de a vender, o dinheiro era teu. Como pudeste fazer uma coisa destas? Não foi a nós que mentiste, mas ao ESPÍRITO de YAHU ULHÍM.

5-6Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu morto no chão! Toda a gente que soube disto ficou atemorizada. Então alguns jovens cobriram-no com um lençol e levaram-no para o enterrar.

7-8-Passadas cerca de três horas, chegou a mulher, que não sabia do sucedido. Kafos perguntou-lhe: Foi por este preço assim e assim que venderam o vosso terreno?Sim, foi, respondeu-lhe ela.

9-E Kafos disse:Como pudestes então, tu e o teu marido, fazer uma coisa destas para enganar o RÚKHA hol-HODSHUA? Olha, ali mesmo à porta estão os jovens que foram enterrar o teu marido e que te vão levar a ti também.

10-11-Imediatamente tombou morta por terra; os mesmos jovens entraram e, vendo que tinha morrido, levaram-na e enterraram-na ao lado do marido. Um grande temor se apossou da Oholyáo inteira e de todos os que souberam do caso.

 

Os
emissários curam muitos doentes

 

12-13-Entretanto,os emissários faziam muitos e notáveis milagres e maravilhas entre o povo. E os crentes reuniam-se regularmente no Templo, no local conhecido pelo Alpendre de Shua-ólmoh. Ninguém mais se atrevia a juntar-se a eles, mas o povo tinha-os na maior consideração. –

14-E cada vez mais pessoas criam em YAHU UL – uma multidão
de homens e mulheres.

15-Como resultado do trabalho dos emissários, chegavam a
levar os doentes para a rua deitados em camas ou esteiras, para que ao menos a sombra de Kafos lhes tocasse quando o emissário passava por ali!

16-E também dos arredores de YAHUSHUA-oléym vinham gentes que traziam os enfermos e os possessos pelos demônios, e todos eram curados.

 

Os
emissários são perseguidos

 

17-18-O supremo intermediário, mais os seus amigos, que eram Tzadiqím, sentiram tanta inveja que acabaram por prender os emissários, metendo-os na prisão

19-20-De noite, porém, veio um anjo de YAHU UL que, abrindo os portões da cadeia e trazendo os presos para a rua, lhes disse: Vão para o Templo e preguem ao povo tudo acerca desta vida nova.

21-Rompia já a manhã quando chegaram ao Templo, e logo começaram a ensinar entretanto o supremo intermediário e a sua comitiva chegaram também ao Templo e, reunindo o conselho YAHÚ-di juntamente com os anciãos do povo, mandaram que os emissários fossem trazidos da prisão a fim de serem julgados

22-Mas, quando os guardas chegaram ao cárcere, os presos já lá não
estavam, pelo que, regressando ao conselho, disseram:

23-As portas da prisão estavam fechadas e os guardas vigiavam no exterior, mas, quando abrimos os portões, não havia ninguém lá dentro!

24-Ao ouvirem isto, o chefe da guarda e os principais dos intermediários ficaram perplexos sem saberem o que acontecera, nem no que tudo aquilo iria dar.

25-Depois chegou alguém com a notícia que os
homens que haviam metido na prisão se encontravam ali mesmo, no Templo, ensinando o povo!

26-O comandante da guarda foi então com os seus oficiais e prendeu-os, mas sem violência, pois receavam que o povo os matasse se maltratassem os discípulos;

27-e assim os levaram à presença do conselho.

28-Não vos dissemos que nunca mais falassem nesse tal YAHUSHUA?, perguntou o supremo intermediário. Em vez disso, encheram toda a YAHUSHUA-oléym com o vosso ensino, e pretendem lançar sobre nós a culpa da morte desse homem!

29-Mas Kafos e os emissários responderam: Devemos obedecer mais a YAHU UL do que aos homens.
30-YAHU UL dos nossos antepassados trouxe YAHUSHUA de novo à vida após o terem morto, pendurando-o num madeiro.

31-Depois, com enorme poder, YAHU UL glorificou-o, dando-lhe o lugar de honra, à sua mão direita, como Molkhiúl (Rei) e MíhushuaYA (Salvador), para que o povo de YAshorúl tivesse uma oportunidade de arrependimento e de perdão para os seus pecados

32-Somos testemunhas destas coisas, como o é também o RÚKHA hol-HODSHUA dado por YAHU UL a todos quantos lhe obedecem.

33-36-Ao ouvir estas palavras, o conselho ficou encolerizado e resolveu matá-los. Mas um dos membros, um Farsyí chamado Gamaliúl, muito entendido em leis religiosas e muito popular entre o povo, levantou-se e pediu que mandassem os emissários sair da sala por um pouco. Disse então: Homens de YAshorúl, cuidado, vejam bem o que vão fazer com estas pessoas! Há algum tempo apareceu esse tal Teudas, que se julgava indivíduo importante. Juntaram-se-lhe cerca de quatrocentos partidários, mas acabou por ser morto, e os que o seguiram foram facilmente dispersos

37Depois dele, na altura do recenseamento, apareceu YAHUDAH da Galileia, que arrastou atrás de si uns discípulos, mas também morreu e os seus seguidores foram igualmente dispersos.

38-Por isso o que vos aconselho é que deixem estes homens em paz. Se
o que ensinam e fazem é só deles, em breve desaparecerão.

39-Mas, se for obra de YAHU UL, não poderão impedi-los, não vá acontecer vocês acabarem por lutar contra o próprio YAHU UL.

40-O conselho aceitou esta opinião e, chamados os emissários, mandou-os açoitar e disse-lhes que nunca mais falassem no Shúam (Nome) de YAHUSHUA, deixando-os finalmente ir-se embora.

41Os emissários saíram da sala do conselho, contentes por YAHU UL os ter considerado dignos de sofrer desonra pelo seu (Nome) Shúam.

42-E todos os dias, no Templo e de casa em casa,
continuaram a ensinar e a pregar que YAHUSHUA era hol-MEHUSHKHAY.

 

ATOS 6

 

A escolha
dos sete ozorulyán (diáconos o ajudantes)

1-Mas, com os crentes a aumentarem tão rapidamente em número, havia no seu seio murmúrios de descontentamento. Os que só falavam Grego queixavam-se de que as suas viúvas eram postas à margem e de que não lhes davam tanta comida na distribuição diária como às viúvas que falavam Hebraico.

2-4-Então os doze combinaram uma reunião com os crentes: Nós emissários devíamos gastar o nosso tempo a pregar e não a distribuir a comida, disseram. Agora, pois, irmãos, escolham de entre vocês mesmos sete homens sensatos, cheios do RÚKHA hol-HODSHUA, que gozem de consideração geral, e encarregá-los-emos deste importante trabalho. Só assim poderemos dedicar tempo à oração, pregação e ensino.

5-6-Isto pareceu razoável a toda a assembleia, que escolheu as seguintes pessoas: Estêvão, homem de fé extraordinária e cheio do RÚKHA hol-HODSHUA, Felipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Parmenas e Nicolau de Antioquia, um gentio que se convertera à fé YAHÚ-di e, mais tarde, ao cristianismo. Estes sete foram apresentados aos emissários, que oraram por eles e os abençoaram, pondo sobre eles as mãos.

7-A mensagem de YAHUUL era pregada a um auditório cada vez maior, e o número dos discípulos aumentava enormemente em YAHUSHUA-oléym, tendo-se convertido também muitos dos intermediários.

8-10-Estêvão, cheio de graça e do poder de YAHU UL, realizava
milagres espantosos entre o povo. Mas, um dia, alguns homens da chamada Sinagoga dos Homens Livres começaram a discutir com eles. Eram YAHÚ-dim de Cirene, de Alexandria no Egito, das províncias da Cilícia, e da província da Ásia Mas nenhum deles pôde resistir à sabedoria e ao RÚKHA pelo qual Estêvão falou.

11-Então arranjaram falsas testemunhas para afirmarem que o tinham ouvido amaldiçoar Mehushua e o próprio YAHU UL

12-14-Esta acusação provocou a fúria da multidão, dos anciãos do povo e dos professores da lei contra Estêvão. Eles prenderam-no e levaram-no perante o conselho. As testemunhas falsas tornaram a afirmar que Estêvão falava constantemente contra o Templo e contra as leis de Mehushua: Ouvimos da sua boca que esse tal YAHUSHUA Nudtzorothíy há-de destruir o Templo e abolir toda a lei de Mehushua.

15-Neste ponto, todos os que estavam na sala do conselho viram o rosto de Estêvão ficar como o de um anjo.

 

ATOS 7

 

O discurso
de Estêvão perante o conselho

 

1Então o supremo intermediário perguntou-lhe: São verdadeiras estas acusações?

2-3-E Estêvão respondeu: O YAHU UL glorioso apareceu ao nosso antepassado Abruham, na Mesopotâmia, antes de vir viver para Harán, e disse-lhe que abandonasse a sua terra natal, se despedisse dos parentes e se pusesse a caminho dum país que YAHU UL lhe mostraria.

4-5-Saiu, pois, da terra dos caldeus e viveu em Harán até
seu pai morrer. Daí, YAHU UL trouxe-o para a terra onde vocês habitam hoje, mas não lhe deu bens, nem um só palmo de terra que fosse. Todavia, YAHU UL tinha prometido que todo o país lhe viria a pertencer, a si e aos seus descendentes, embora naquela altura não tivesse ainda filhos.

6-7-Disse-lhe YAHU UL também que os seus descendentes sairiam daquela terra e viveriam em país estrangeiro, onde seriam escravos durante quatrocentos anos. Mas eu castigarei o país que os vai escravizar, disse YAHU UL, e depois o meu povo voltará para esta terra e adorar-me-á aqui mesmo!

8- YAHU UL estabeleceu também com Abruham, naquela altura, o pacto da circuncisão. E, assim, YAHUtz-kaq, filho de Abruham, foi circuncidado com oito dias de idade. YAHUtz-kaq viria a ser pai de YAHUCAF, e YAHUCAF, por seu turno, pai dos doze patriarcas fundadores da nação YAHÚ-di.

.
9-10-Estes homens tinham muita inveja do seu irmão YAHU-saf e venderam-no para que fosse escravo no Egito. Mas YAHU UL estava com ele e libertou-o de toda a sua aflição, fazendo com que o rei do Egito, o Faraóh, ganhasse simpatia por ele. YAHU UL dotou também YAHU-saf de sabedoria invulgar, pelo que o Faraóh o nomeou governador de todo o Egito, além de o encarregar de todos os assuntos do
palácio.

11-14-Ora aconteceu que houve uma fome no Egito e em Canaã, com grandes sofrimentos para as populações respectivas. Quando não tinham mais alimentos,YAHUCAF, ouvindo dizer que ainda havia cereais no Egito, mandou seus filhos irem lá comprá-los. Da segunda vez que assim fizeram, YAHU-saf revelou aos irmãos quem realmente era e apresentou-os ao Faraóh. Chamou então para o Egito seu pai, YAHUCAF, e as famílias dos irmãos, setenta e cinco pessoas ao todo.

.
15-16-Assim, YAHUCAF foi para o Egito, onde ele e todos os seus filhos morreram, sendo levados para Siquém e sepultados no túmulo que Abruham adquirira aos filhos de Hamor, pai de Siquém

17-19-Ao aproximar-se o tempo em que YAHU UL iria cumprir a promessa feita a Abruham de libertar os seus descendentes da escravatura,o povo YAHÚ-di tinha-se já multiplicado grandemente no Egito; até que apareceu um rei que não respeitava a memória de YAHU-saf. Este rei oprimiu o nosso povo, obrigando os nossos antepassados a abandonar os seus recém-nascidos para que morressem.

20-22-Por essa altura nasceu Mehushua, que era uma criança muito
bonita aos olhos de YAHU UL. Seus pais esconderam-no em casa durante três meses, e quando por fim já não podiam tê-lo escondido mais tempo e se viram forçados a abandoná-lo, a filha do Faraóh encontrou-o e adotou-o como seu próprio filho. Mehushua foi ensinado em toda a sabedoria dos egípcios e tornou-se poderoso nas palavras e nas obras.

23-25-Certo dia, estando quase a fazer quarenta anos, pretendeu visitar os seus irmãos, o povo de YAshorúl. Durante esta visita, vendo que um egípcio maltratava um YAshorulíta, matou o egípcio. Supunha ele que os seus irmãos de raça compreenderiam que YAHU UL o enviara para os ajudar. Mas não, não compreenderam.

26-No dia seguinte tornou a visitá-los e viu dois YAshorulítas que lutavam um com o outro. Procurou reconciliá-los, dizendo-lhes: Acabem com isso! Vocês são irmãos e não devem lutar assim!

27-28-Mas o homem que não tinha razão disse a Mehushua que se
metesse na sua própria vida. Quem te nomeou príncipe e juiz sobre nós?,
perguntou. Queres matar-me como mataste ontem aquele egípcio?

29-Ao ouvir isto, Mehushua fugiu do país, passando a viver na terra de Midiã, onde nasceram os seus dois filhos.

30-32-Quarenta anos mais tarde, no deserto perto do Monte Sinai, apareceu-lhe um anjo num fogo que ardia numa moita. Mehushua,vendo aquilo, perguntou a si próprio que se passaria, e, ao aproximar-se, ouviu a voz de YAHU UL: Eu sou YAHU UL dos teus antepassados, de Abruham, YAHUtz-kaq e YAHUCAF. Mehushua tremia e não se atrevia a olhar.

33-34- YAHU UL disse-lhe: veemTira os sapatos porque estás em terreno sagrado. Vi a aflição do meu povo no Egito, ouvi os seus gritos e vim para o livrar. Vou mandar-te ao Egito.

35-36-Foi assim que YAHU UL tornou a enviar o mesmo homem que o seu povo anteriormente rejeitara ao perguntar-lhe: Quem te nomeou príncipe e juiz sobre nós? Mehushua foi mandado por YAHU UL, através do anjo que lhe apareceu no arbusto ardente, para ser seu príncipe e salvador. E com muitos milagres conduziu-os para fora do Egito, atravessando o Mar Vermelho e percorrendo o deserto durante quarenta anos.

37-38-O próprio Mehushua disse ao povo de YAshorúl: veemYAHU UL levantará de entre os vossos irmãos um profeta semelhante a mim. E com efeito, no deserto, Mehushua foi o intermediário entre o povo de YAshorúl e o anjo que lhe falou no Monte Sinai; foi ele que recebeu palavras de vida para nós.

39-41-Mas os nossos pais recusaram Mehushua e queriam voltar para o Egito. Disseram, pois, a Aarão: Faz-nos ídolos, para que tenhamos falsos criadores o estatuas que nos guiem no regresso; pois não sabemos o que foi feito deste Mehushua que nos tirou do Egito. Fizeram então um bezerro, ao qual ofereceram sacrifícios, muito satisfeitos com a sua ação.

42-43-Então YAHU UL desviou-se deles, abandonando-os e deixando-os adorar o sol, a lua e as cocavím (est-elas)! No livro das profecias de AMOZ, YAHU UL o Criador Eterno pergunta:Foi a mim que sacrificastedurante aqueles quarenta anos no deserto, ó YAshorúl? Não. O que verdadeiramente te interessava eram os teus falsos criadores o estátuas pagãos,Moloque e a cocáv (est-ela) do ídolo Refã, e todas as imagens que fizeste. Por isso, vou mandar-te para o cativeiro,para muito longe daqui, para além da Babilônia

44-Os nossos antepassados traziam consigo um tabernáculo, que os
acompanhou no deserto. Este Templo foi feito exatamente de acordo com o plano mostrado a Mehushua.

45-Anos mais tarde, quando YAHUSHUA chefiava as batalhas contra as nações gentias, levaram o Templo para o seu novo território, utilizando-o até ao tempo do rei Dáoud.

46-47- YAHU UL abençoou este rei grandemente; e Dáoud pediu-lhe o privilégio de construir um Templo permanente para YAHU UL de YAHUCAF. Mas foi Shua-ólmoh quem o construiu.

48-50Todavia, YAHU UL não vive em Templos feitos por mãos humanas. Como diz o profeta: O céu é o meu trono,e a terra é o estrado dos meus pés. Que casa me poderiam vocês construir? diz YAHU UL. Ficaria eu nela? Não fui eu quem fez tanto os shua-ólmaYA como a terra?

.
51-53-Oh, gente obstinada! Vocês são pagãos de coração e surdos à verdade. Irão resistir para sempre ao RÚKHA hol-HODSHUA? Mas já os vossos pais o fizeram, e vocês também! Indiquem um só profeta que os vossos antepassados não tenham perseguido! Mataram até aqueles que anunciavam a vinda do Justo, hol-MEHUSHKHAY (o Messias), a quem traíram e assassinaram. Sim, e deliberadamente desobedeceram às leis de YAHU UL, embora as tenham recebido das mãos dos anjos.

 

Estêvão é
morto por apedrejamento

54-56-Os chefes dos YAHÚ-dim, espicaçados até à fúria pela acusação de Estêvão, rangiam os dentes. Mas Estêvão, cheio do RÚKHA hol HODSHUA, pôs os olhos no céu e viu a glória de YAHU UL, e YAHUSHUA de pé à sua direita: Olhem, vejo os shua-ólmaYA abertos e ha-BOR do Homem de pé junto a YAHU UL, à sua direita!, disse-lhes ele.

57-58-Então, tapando os ouvidos com as mãos e abafando-lhe a voz com
gritos, atacaram-no e arrastaram-no para fora da cidade para o apedrejar. As pessoas que serviram como testemunhas tiraram as vestes e deixaram-nas ao cuidado de um jovem chamado Shaúl.

59-60-E quando as pedras caíam já para o matar, Estêvão orava: Molkhiúl YAHUSHUA, recebe o meu espírito. E tombou de joelhos, clamando:  Molkhiúl, não os culpes deste pecado! E dizendo isto morreu.

ATOS 8

 

1-2-Shaúl concordara com a morte de Estêvão. A Oholyáo (Congregação) é perseguida e espalhada.Naquele dia, começou uma grande onda de perseguição contra os crentes, onda essa que varreu a Oholyáo em YAHUSHUA-oléym; e todos, exceto os emissários, fugiram para a YAHUDAH e Shuamor-YAHU. (Alguns YAHÚ-dim piedosos, com grande desgosto, foram enterrar Estêvão.)

3-Shaúl excedia-se andando por toda a parte para destruir a
Oholyáo, chegando a entrar em casas particulares, arrastando para fora homens e mulheres e metendo-os na prisão.

4-8Mas os que tinham fugido de YAHUSHUA-oléym pregavam em todo o lado a palavra de YAHUSHUA! Felipe, por exemplo, foi para a cidade de Shuamor-YAHU onde falou de hol-MEHUSHKHAY ao povo. As multidões escutavam atentas aquilo que ele dizia por causa dos milagres que fazia, espíritos malígnos foram expulsos, largando as vítimas com gritos, e paralíticos e coxos foram curados, pelo que era grande a alegria naquela cidade!

 

Shamiúl, o
feiticeiro

9-13Havia ali um homem chamado Shamiúl que desde há anos era feiticeiro. Gozava de grande influência e orgulhava-se das coisas espantosas que fazia. O povo Shomroní dizia até que era uma grande homem de YAHU UL. Mas agora esse mesmo povo acreditava antes na mensagem de Felipe, que lhes anunciava YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY e o reino de YAHU UL. Como resultado, muitos homens e mulheres foram batizados. O próprio Shamiúl creu e foi baptizado, começando a acompanhar Felipe por onde quer que andasse, assistindo com pasmo aos milagres que realizava.

14-17-Quando os emissários em YAHUSHUA-oléym souberam que o povo de Shuamor-YAHU aceitara a mensagem de YAHU UL, mandaram KAFOS e YAHUKHANAM até lá. Logo que chegaram, começaram a orar pelos novos crentes para que recebessem o RÚKHA hol-HODSHUA, pois o RÚKHA não descera ainda sobre nenhum deles. Tinham sido batizados apenas em Shúam (Nome) de Molkhiúl YAHUSHUA. Então Kafos e YAHUKHANAM puseram as mãos sobre esses crentes e receberam o RÚKHA hol-HODSHUA.

.
18-19-Quando Shamiúl viu isto, que o RÚKHA hol-HODSHUA era dado quando os emissários colocavam as mãos sobre a cabeça das pessoas, ele ofereceu dinheiro para adquirir esse poder: Quero tê-lo também para que, quando eu puser as minhas mãos sobre as pessoas, elas recebam o RÚKHA hol-HODSHUA!

20-23-Mas Kafos respondeu: Que o teu dinheiro morra contigo por pensares que o Dom de YAHU UL se pode comprar! Não podes ter parte nisto porque o teu coração não é reto diante de YAHU UL. Arrepende-te dessa perversidade e ora. Talvez YAHU UL ainda perdoe os teus maus pensamentos, pois vejo que há ciúme e pecado no teu coração.

24-Orem por mim, exclamou Shamiúl, para que essas coisas terríveis não me aconteçam.

25-Depois de darem testemunho e de pregarem a palavra de YAHU UL
na Shuamor-YAHU, Kafos e YAHUKHANAM voltaram para YAHUSHUA-oléym, parando em várias aldeias Shomroním ao longo do caminho para aí pregarem também a Mensagem Gloriosa.

 

Felipe e o
Etíope

 

26-28-E quanto a Felipe, um anjo de YAHU UL disse-lhe: Vai até à estrada que sai de YAHUSHUA-oléym e que atravessa o deserto de Gaza na direção do sul. Felipe assim fez, e veio encontrar viajando naquela estrada um administrador do reino da Etiópia, um eunuco que era alto funcionário da rainha Candace! Fora a YAHUSHUA-oléym adorar no Templo e voltava agora no seu carro, lendo em voz alta no livro do profeta YASHUAYAHU.

29-O RÚKHA hol-HODSHUA disse a Felipe: Vai e caminha ao lado do carro!

30-Felipe aproximou-se a correr e ouvindo o que ele lia perguntou-lhe: Compreendes o que lês?

31-Claro que não!, exclamou o homem. Como posso eu compreender se não há quem me ensine? E pediu a Felipe que entrasse no carro e se sentasse ao seu lado.

32-33-A passagem das Qaotáv que o eunuco lia era: Levaram-no como uma ovelha para o matadouro,e assim como um cordeiro se mantém calado diante dos que o tosquiam,assim também ele não abriu a sua boca. Foi humilhado, negaram-lhe justiça;Quem pode descrever a sua geração? Pois a sua vida foi tirada da terra.

34-35-O eunuco perguntou a Felipe: YASHUAYAHU falava acerca de si
próprio ou de outra pessoa? Então Felipe, começando com este mesmo texto da Qaotáv e, usando muitas outras passagens, falou-lhe de YAHUSHUA.

36-Entretanto chegaram a um local onde havia água e o eunuco disse: Água já aqui temos! Porque é que eu não hei-de ser batizado?

37-38-Com certeza que sim, respondeu Felipe, se creres de todo o teu coração.E o eunuco: Creio que YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY é ha-BOR de YAHU UL. Parou o carro e, descendo ambos para dentro da água, Felipe batizou-o.

39-Quando saíram da água, o RÚKHA-YAHU arrebatou Felipe, e o eunuco, que nunca mais o viu, continuou alegremente a sua viagem.

.
40-Felipe deu por si em Azoto. Aí pregou a Mensagem Gloriosa; não só aí como
também em todas as cidades no caminho até Cesareia.

 

ATOS 9

 

A conversão
de Shaúl

 

1-2-Entretanto, Shaúl, ameaçador e desejoso de destruir todos os discípulos de YAHU UL, dirigiu-se ao supremo intermediário, em YAHUSHUA-oléym, pedindo-lhe que lhe fosse passada uma carta credencial dirigida às sinagogas de Damasco, exigindo a cooperação destas na perseguição de quaisquer seguidores do Caminho que Shaúl aí encontrasse, tanto homens como mulheres, para que pudesse levá-los acorrentados para YAHUSHUA-oléym.

3-4-Ao aproximar-se de Damasco no cumprimento desta missão, uma luz brilhante vinda do céu fixou-se, de súbito, sobre ele. Caindo no chão, ouviu uma voz que lhe dizia: Shaúl, Shaúl, por que me persegues?

5-6-Quem és tu, Molkhiúl?, perguntou.Sou YAHUSHUA, aquele a quem tu persegues! Levanta-te, vai para a cidade e espera por instruções minhas.

7-Os homens que acompanhavam Shaúl ficaram mudos de surpresa, pois ouviam uma voz mas não viam ninguém

8-9-Quando Shaúl se levantou, verificou que deixara de ver.
Tiveram de o levar pela mão até Damasco, onde ficou três dias sem comer nem beber.

10-Ora, havia em Damasco um discípulo chamado Anan-YAHU, a quem Molkhiúl YAHUSHUA falou numa visão, chamando-o: Anan-YAHU!Aqui estou, Molkhiúl!, respondeu.

11-12- O Molkhiúl disse: Vai à rua Direita, procura em casa de YAHUDAH
um homem chamado Shaúl de Tarso. Neste momento está ele a orar, pois
mostrei-lhe em visão alguém chamado Anan-YAHU que devera procurá-lo e que porá as mãos sobre ele para que torne a ver!

13-14-Mas, Molkhiúl, exclamou Anan-YAHU, contaram-me coisas terríveis que este homem fez aos crentes de YAHUSHUA-oléym! E consta que tem mandatos de prisão, passados pelos principais dos intermediários, autorizando-o a prender, em Damasco, todos os que invocam o teu Shúam (Nome)!

15-16- O Molkhiúl YAHUSHUA insistiu: Vai, pois Shaúl é o meu instrumento escolhido para levar a minha mensagem às nações e até à presença dos reis, bem como ao povo de YAshorúl. E mostrar-lhe-ei quanto ele devera sofrer por mim.

17Anan-YAHU obedeceu. Na presença de Shaúl, pôs as mãos sobre
ele e disse-lhe: Irmão Shaúl, o Molkhiúl YAHUSHUA, que te apareceu no caminho, enviou-me para que sejas cheio do RÚKHA hol-HODSHUA e tornes a ver.

.
18 Imediatamente, caindo-lhe como que umas escamas dos olhos, Shaúl recuperou a vista, e, levantando-se, foi batizado. 

 

Shaúl em
Damasco e em YAHUSHUA-oléym

19-E, depois de comer, renovou as forças.Shaúl ficou com os crentes de Damasco durante alguns dias,

20-indo logo à sinagoga anunciar a Mensagem Gloriosa a respeito de YAHUSHUA, afirmando que ele era na verdade ha-BOR de YAHU UL!

21-E todos quantos o escutavam ficavam pasmados: Não é este o homem que perseguia os seguidores de YAHUSHUA em YAHUSHUA-oléym? E consta que veio cá para os prender e levá-los acorrentados aos principais dos intermediários!

22-As pregações de Shaúl eram cada vez mais fervorosas, e os YAHÚ-dim de Damasco não conseguiam refutar às provas que ele apresentava de como YAHUSHUA era hol-MEHUSHKHAY

23-Uns tempos depois, os YAHÚ-dim resolveram matá-lo.

24-Mas Shaúl foi informado dos seus planos e de que vigiavam as portas
da cidade dia e noite prontos a tirar-lhe a vida.

25Assim, durante a noite, alguns dos que se haviam convertido por seu intermédio passaram-no para fora, baixando-o numa cesta pela muralha da cidade.

26-27Chegando a YAHUSHUA-oléym, tentou pôr-se em contacto com os crentes, mas todos tinham medo dele, pensando que fosse um impostor. Bornaví conduziu-o junto dos emissários e contou-lhes como Shaúl vira o Molkhiúl YAHUSHUA na estrada de Damasco e o que o Molkhiúl lhe dissera, mencionando também as suas poderosas pregações em Shúam (Nome) de YAHUSHUA, em Damasco.

28-30-Aceitaram-no então, e a partir daí Shaúl andava sempre com os crentes, pregando com coragem em Shúam (Nome) de Molkhiúl YAHUSHUA. Mas alguns YAHÚ-dim de língua Grega, com os quais ele discutira, combinaram assassiná-lo. Quando os outros crentes souberam do perigo que corria, levaram-no para Cesareia, enviando-o depois para a sua terra em Tarso.

.
31-Entretanto, a Oholyáo vivia em paz em toda a YAHUDAH, Galileia e
Shuamor-YAHU, crescendo com força e em número. Os crentes aprendiam a caminhar no temor de YAHU UL e na força do RÚKHA hol-HODSHUA.

 

Eneias e
Dorcas

32-Kafos viajava de terra em terra, e foi ver os crentes da cidade de Lida.

33-35-Aí encontrou um homem chamado Eneias, paralisado e incapaz de sair do leito havia oito anos. Kafos disse-lhe: Eneias, YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY dá-te saúde. Levanta-te e faz a tua cama! O homem ficou logo bom, e toda a população de Lida e Sharon voltou-se para YAHU UL ao ver Eneias a andar normalmente.

36-38-Havia na cidade de YAffó uma mulher discípula chamada Tabita, uma crente que estava sempre a fazer bem aos outros, especialmente aos pobres. Por esta altura, Tabita adoeceu e morreu. As pessoas suas amigas prepararam-na para o funeral e puseram-na num quarto superior. Ao saberem que Kafos se encontrava ali perto em Lida, mandaram dois homens pedir-lhe que fosse com eles a YAffó.

39Kafos assim fez, e logo que chegou levaram-no ao quarto onde Tabita se encontrava. O compartimento estava cheio de viúvas que choravam e mostravam as túnicas e outra roupa que Tabita lhes fizera.-

40-Mas Kafos, pedindo a todos que saíssem do quarto, ajoelhou-se, orou e voltando-se para o corpo disse: Levanta-te, Tabita!, e ela abriu os olhos. Quando viu Kafos, sentou-se.

41-Kafos estendeu-lhe a mão, ajudou-a a pôr-se de pé e, chamando os crentes e as viúvas, apresentou-lhes a ressuscitada.

42-A notícia espalhou-se rapidamente pela cidade, e foram muitos os que creram em YAHU UL.

43-Kafos ficou ainda durante
muito tempo em YAffó, vivendo com Shamiúl o curtidor.

 

ATOS 10

 

Cornélio
procura Kafos

 

1-2-Vivia em Cesareia um homem chamado Cornélio, capitão de um regimento italiano. Era um homem piedoso, respeitador das coisas de YAHU UL, como o era também toda a sua casa. Dava generosamente aos pobres e era um homem que orava com regularidade a YAHU UL.-

3-Certa tarde – seriam umas três horas – teve claramente uma visão em
que um anjo de YAHU UL se aproximava dele. Cornélio!, disse-lhe o anjo.

.
4-Cornélio olhou-o cheio de medo: Que queres, maór (varon)? O anjo respondeu: As
tuas preces e a tua generosidade não têm passado despercebidas a YAHU UL!

.
5-6-Envia, pois, alguns homens a YAffó para procurarem Shamiúl Kafos, que está
com Shamiúl o curtidor, junto à praia, e pede-lhe que venha visitar-te.

7-8-Logo que o anjo se foi embora, Cornélio chamou dois dos seus criados e um soldado também crente em YAHU UL, que pertencia à sua guarda pessoal, e, contando-lhes o que acontecera, mandou-os a YAffó.

 

A visão de KAFOS

 

9-13-No dia seguinte, quando eles se aproximavam da cidade, KAFOS subiu ao terraço para orar. Era meio-dia e tinha fome, mas, enquanto se preparava o almoço, teve uma visão. Viu o céu aberto e um grande pano, pendurado pelos quatro cantos, pousar no chão. Dentro havia toda a espécie de animais, serpentes e aves. Uma voz
disse: Mata e come qualquer destes animais.

14-Nunca, YAHU UL, declarou Kafos. Jamais comi o que quer que seja considerado impuro pelas nossas leis YAHÚ-dim.

.
15-E a voz tornou a dizer-lhe: Não consideres impuro o que YAHU UL tornou limpo!

.
16-A mesma visão se repetiu três vezes, até que o pano foi de novo puxado para o
céu.

17-18-Kafos ficou a pensar naquilo. Que queria dizer semelhante visão? Que
deveria ele fazer? Nesse momento os homens mandados por Cornélio, tendo
encontrado a casa, chegavam-se à porta perguntando se era ali que estava
Shamiúl KAFOS.

19-20-Entretanto, enquanto Kafos cismava na visão, o RÚKHA
hol-HODSHUA disse-lhe: Vieram três homens para falar contigo. Desce, vai ao
encontro deles e acompanha-os. Não receies, fui eu que os mandei.

21-Kafos desceu e apresentou-se: Sou o homem que procuram. Que querem de mim?

22-Eles falaram-lhe em Cornélio, o oficial romano, homem bom e piedoso, com prestígio entre os YAHÚ-dim, que recebera instruções de um anjo para pedir a Kafos que lhe fosse dizer o que queria YAHU UL que ele fizesse. 

 

KAFOS em
casa de Cornélio

23-Kafos então convidou-os a entrar, e passaram a noite em sua casa. No dia seguinte foi com eles, acompanhado por alguns outros crentes de YAffó.

.
24-Chegaram a Cesareia no outro dia; Cornélio esperava-o já na companhia de
parentes e amigos íntimos.

25-26-Cornélio, logo que Kafos entrou na sua casa, lançou-se-lhe aos pés para o adorar mas Kafos impediu-o: Levanta-te, que sou um homem como tu!

27-Cornélio levantou-se e conversaram juntos e entraram para
dentro onde os outros estavam reunidos.

28-Kafos disse-lhes: Sabem que é contra as leis YAHÚ-dim eu entrar assim num lar de estrangeiros. Mas YAHU UL mostrou-me numa visão que nunca deveria considerar alguém meu inferior.

.
29-Apressei-me pois a vir, e agora digam-me porque me mandaram vir.

30-Cornélio respondeu: Há quatro dias, estava eu a orar como de costume às três horas da tarde, quando me apareceu um homem com roupas brilhantes

31-que me disse:Cornélio, as tuas orações são ouvidas e YAHU UL reparou nos teus atos de caridade.

32-Envia alguns homens a YAffó e manda vir Shamiúl Kafos, que está a
ficar em casa de Shamiúl o curtidor, que mora perto do marveem.

33-Assim, mandei-te vir imediatamente, e fizeste bem em vir depressa. Estamos todos presentes diante de YAHU UL, ansiosos por ouvir o que ele te mandou dizer-nos!

.
34-E Kafos respondeu: Vejo bem que os YAHÚ-dim não são os únicos favoritos de
YAHU UL!

35-Ele aceita pessoas de todas as nações que o temem e fazem o que é
justo.

36-37-Estou certo de que ouviram a Mensagem Gloriosa dirigidas ao povo de
YAshorúl: que há paz com YAHU UL por YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY, o Molkhiúl (Rei) de toda a criação. Esta mensagem espalhou-se por toda a YAHUDAH, começando na Galileia depois do Batismo que YAHUKHANAM pregou.

38-E sabem, sem dúvida, como YAHU UL ungiu YAHUSHUA Nudtzorothíy com o RÚKHA hol-HODSHUA e poder, andando por toda a parte a praticar o bem e a curar os que estavam sob o poder de ha-Satan, pois YAHU UL estava com ele.

39-43-Nós, emissários, somos testemunhas de tudo o que ele fez em YAshorúl e YAHUSHUA-oléym, onde o mataram numa poste. Mas YAHU UL tornou a dar-lhe a vida três dias mais tarde e mostrou-o a certas testemunhas que tinha já escolhido; não ao povo em geral, mas a nós, que comemos e bebemos com ele depois de ter ressuscitado dos mortos. Mandou-nos pregar a Mensagem Gloriosa, e dar testemunho de que YAHUSHUA foi mandado por YAHU UL para ser Juiz dos vivos e dos mortos. E todos os profetas escreveram a seu respeito, dizendo que quem nele crê terá perdoados os pecados, pelo seu (Nome) Shúam.

44-46-Enquanto Kafos dizia estas coisas, o RÚKHA hol-HODSHUA desceu sobre
quantos o escutavam. Os YAHÚ-dim que tinham ido com KAFOS ficaram pasmados ao verem que o dom do RÚKHA hol-HODSHUA tenha sido derramado também sobre os Gentíles; e ouviam-nos falar em línguas diferentes, louvando YAHU UL.

47-Kafos perguntou então: Poderá alguém opor-se a que sejam baptizados, agora que receberam o RÚKHA hol-HODSHUA tal como nós?

48E assim deu ordem que fossem batizados em Shúam (Nome) de YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY. Depois Cornélio pediu-lhe que ficasse em sua casa durante vários dias.

 

ATOS 11

 

KAFOS
explica a sua experiência

1-Em breve os emissários e outros irmãos na YAHUDAH souberam que também os Gentíles se estavam a converter.

2-Mas, quando Kafos voltou para YAHUSHUA-oléym, os crentes
YAHÚ-dim discutiram com ele, acusando-o:

3- Estiveste com os Gentíles e chegaste a comer na sua companhia.

4-7-Kafos, então, contou-lhes tudo: Um dia, estando eu a orar em YAffó, tive uma visão: um pano enorme que descia do céu, seguro pelas quatro pontas. Dentro estavam animais, répteis e aves de todas as espécies. E ouvi uma voz dizer: Levanta-te, Kafos, mata e come-os.

8-Nunca YAHU UL, respondi,jamais comi na minha vida qualquer coisa que fosse
proibida ou impura.

9-Mas a voz veio do céu pela segunda vez: Não
consideres impuro o que YAHU UL tornou limpo!

10-14-Isto aconteceu três vezes antes que o pano e tudo que continha fosse recolhido no céu. Nesse mesmo momento, chegaram à casa onde me encontrava os três homens que iriam acompanhar-me a Cesareia. O RÚKHA hol-HODSHUA disse-me para ir com eles, sem me preocupar pelo fato de serem Gentíles. Estes seis irmãos acompanharam-me, e chegámos a casa do homem que mandara os mensageiros. Contou-nos ele que lhe tinha aparecido um anjo, o qual lhe disse para enviar mensageiros a YAffó a fim de descobrir onde estava Shamiúl Kafos. Ele vos ensinará como tu e toda a tua casa se poderão salvar, tinha-lhe dito o anjo.

15-17-Anunciei-lhes então a Mensagem Gloriosa da salvação; mas, justamente ao começar a falar, o RÚKHA hol-HODSHUA desceu sobre eles, tal como aconteceu connosco no princípio. Lembrei-me então das palavras de YAHU UL: Sim, YAHUKHANAM baptizou com água mas vocês serão baptizados com o RÚKHA hol-HODSHUA. Portanto, se YAHU UL lhes deu o mesmo dom que nos deu a nós que cremos no Molkhiúl YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY, quem sou eu para discutir?

18-Quando os outros ouviram isto, todos os que tinham tido uma opinião contrária ficaram esclarecidos, e começaram a louvar YAHU UL: Sim, YAHU UL deu também aos Gentíles o privilégio de se voltarem para ele e receberem a vida eterna.

 

A Oholyáo
(Congregação) em Antioquia

 

19-21-Entretanto, os crentes que tinham fugido de YAHUSHUA-oléym durante a perseguição que se seguiu à morte de Estêvão viajaram para longe até à Fenícia, Cyprus e Antioquia, espalhando a Mensagem Gloriosa, mas só entre os YAHÚ-dim. Mesmo assim, alguns dos crentes que, idos de Cyprus e Cirene, foram para Antioquia, deram também a sua mensagem acerca do Molkhiúl YAHUSHUA a alguns Gregos. E YAHU UL recompensou esse esforço de tal modo que muitos Gentíles se converteram.

22-24-Quando a Oholyáo de YAHUSHUA-oléym soube do que acontecera, mandou Bornaví a Antioquia para conhecer a situação. Ao chegar, viu as coisas maravilhosas que YAHU UL realizava, ficou cheio de alegria e animou os crentes a manterem-se fiéis a YAHU UL, custasse o que custasse. Bornaví era um homem bondoso, cheio do RÚKHA hol-HODSHUA e de fé bem forte. Em resultado disso, grande número de pessoas se uniu a YAHU UL.

25-26-Depois Bornaví seguiu para Tarso em busca de Shaúl. Quando o encontrou, levou-o consigo outra vez para Antioquia, onde ambos ficaram um ano inteiro ensinando os novos convertidos, que eram numerosos. E ali em Antioquia é que pela primeira vez os discípulos foram chamados YAHUSHUAhim.

.
27-29Durante esta época, vieram de YAHUSHUA-oléym a Antioquia alguns profetas,
e um deles, chamado Ágabo, levantou-se numa das reuniões, anunciando pelo RÚKHA que haveria grande fome sobre todo o mundo romano. (Essa profecia cumpriu-se no reinado de Cláudio.) Assim os crentes resolveram mandar ajuda aos YAHUSHUAhim da YAHUDAH, dando cada qual o mais que podia.

30-Fizeram pois isto, entregando as suas ofertas a Bornaví e Shaúl para que as levassem aos zaokanyáo (anciãos) da Oholyáo em YAHUSHUA-oléym.

 

ATOS 12

 

KAFOS é
preso e libertado por um anjo

 

1-2-Por aquele tempo, o rei Herod tomou medidas contra alguns da Oholyáo e matou YAHUCAF, irmão de YAHUKHANAM, pela espada.

3-5-Vendo como isto tinha agradado aos dirigentes YAHÚ-dim, Herod prendeu Kafos durante a celebração da PósqaYA e meteu-o na cadeia guardado por dezasseis soldados. A intenção de Herod era entregar Kafos aos YAHÚ-dim para que fosse julgado depois da PósqaYA. Mas durante todo o tempo que passou na prisão, a Oholyáo orava fervorosamente a YAHU UL, rogando pela sua vida.

6-8-Na noite anterior ao seu julgamento, Kafos dormia preso com correntes duplas, entre dois soldados, e ainda com outros guardas à porta da prisão. De súbito, fez-se uma luz na cela e junto dele apareceu um anjo de YAHU UL que, batendo-lhe no lado para o acordar, disse-lhe: Levanta-te depressa! Logo as correntes lhe caíram dos pulsos. E continuou: Veste-te e calça-te. Kafos obedeceu. Agora embrulha-te na capa e segue-me!

9-10-Saiu da cela atrás do anjo, mas sempre pensando que aquilo era um sonho ou uma visão, não acreditando que fosse qualquer coisa realmente a acontecer. Passaram pelo primeiro e segundo postos da guarda e chegaram ao portão de ferro que dava para a rua, o qual se abriu por si! Cruzaram-no e caminharam juntos pelo espaço de um quarteirão, e então repentinamente o anjo desapareceu.

11-Só então Kafos  compreendeu o que tinha acontecido. É realmente verdade!, disse consigo próprio.  YAHU UL mandou o seu anjo salvar-me das mãos de Herod e do que os YAHÚ-dim queriam fazer-me!

12-15-Depois de pensar um pouco, dirigiu-se a casa de Maoro-ém, mãe de YAHUKHANAM MARCOS, onde muitos se encontravam reunidos para orar. Bateu ao portão da entrada, e quem o abriu foi uma rapariga chamada Rode, que, ao reconhecer a voz de Kafos, ficou tão contente que voltou a correr para dentro de casa dizendo quem estava à porta da rua; mas não acreditavam nas suas palavras. Não estás boa da cabeça, diziam. Mas como insistisse, julgaram: Deve ser o seu anjo.

16-17-Entretanto Kafos continuava a bater à porta. Quando, por fim, lha abriram, a surpresa não podia ser maior. Kafos fez-lhes sinal para que se acalmassem e contou-lhes o que sucedera e como YAHU UL o tirara da cadeia. Contem também a YAHUCAF e aos outros o que aconteceu, disse, saindo em seguida para local mais seguro.

.
18-Chegada a manhã, houve um grande alarido na prisão. Que era feito de Kafos?
19-Quando Herod o mandou buscar e soube que não estava lá, prendeu os dezasseis
guardas, que foram condenados à morte depois disto, Herod foi para Cesaréia
durante algum tempo

20-Ali, procurou-o uma delegação chegada de Tiro e Sidom.
Herod estava em conflito com o povo daquelas duas cidades, mas os enviados,
travando amizade com Blasto, o secretário do rei, pediram a paz, pois as suas
cidades dependiam alimentarmente do rei

21-22-Combinada uma entrevista com o rei, no dia marcado, Herod, nas suas vestes reais, sentou-se no trono e fez um discurso, no fim do qual o povo, com grandes aplausos, gritou: Isto não é um homem a falar! É a voz de um ídolo!

23-Imediatamente um anjo de YAHU UL feriu
Herod com uma doença, de tal modo que se encheu de bichos e morreu, por ter
aceitado a adoração do povo, em vez de dar glória a YAHU UL.

24-Mas a Mensagem Gloriosa de YAHU UL espalhavam-se rapidamente e havia muitos novos crentes.
25Bornaví e Shaúl acabaram a sua missão em YAHUSHUA-oléym, e regressaram a
Antioquia, levando YAHUKHANAM MARCOS com eles.

 

ATOS 13

 

Bornaví e
Shaúl enviados em missão

 

1-Entre os profetas e professores da Oholyáo em Antioquia contavam-se Bornaví e Shamiúl (a quem também chamavam o Negro), Lúcio de Cirene, Manaem (irmão de leite do rei Herod) e Shaúl.

2-3-Um dia, estando eles a adorar e a jejuar, disse-lhes o RÚKHA hol-HODSHUA: Separem Bornaví e Shaúl para uma missão especial que tenho para eles. Assim, depois de jejuarem e orarem de novo, colocaram as mãos sobre eles e enviaram-nos para a sua missão

Em Cyprus

 

4-5-Dirigidos pelo RÚKHA hol-HODSHUA, foram até Seleucia, onde embarcaram para Cyprus. Aí, na cidade de Salamina, foram à sinagoga pregar a palavra de YAHU UL, acompanhados de YAHUKHANAM MARCOS como colaborador.

6-7-Depois disto, pregaram de cidade em cidade, por toda a ilha, até finalmente chegarem a Pafos, onde encontraram um feiticeiro YAHÚ-di, um falso profeta chamado Bar-Yeshua, que andava sempre com o governador Sérgio Paulo, homem de muito bom senso. O governador convidou Bornaví e Shaúl a fazer-lhe uma visita, pois queria ouvir a mensagem de YAHU UL.

.
8Mas o feiticeiro, Elymas, que era o seu nome em Grego, meteu-se de permeio e
teimou com o governador para que não desse atenção às palavras de Shaúl e
Bornaví, procurando impedi-lo de confiar em YAHU UL.

9-Então Shaúl, cheio do RÚKHA hol-HODSHUA (Espírito Santo), olhou para o feiticeiro e disse-lhe:

 
10-Filho de ha-Satan, cheio de toda a espécie de fingimentos e maldade, inimigo
de tudo o que é bom, quando deixarás de te opor a YAHU UL?

11-Agora a mão de YAHU UL veio sobre ti para te castigar, e ficarás cego durante algum tempo. Imediatamente, desceu sobre aquele homem uma névoa de escuridão, começou a caminhar às apalpadelas, pedindo que alguém lhe pegasse na mão e o conduzisse.

.
12-Ao ver o que tinha acontecido, o governador creu, pasmado com a mensagem de
YAHU UL.

 

Em
Antioquia da Pisídia

 

13-Shaúl e os que o acompanhavam embarcaram de Pafos para Panfília, desembarcando na cidade marítima de Perge. Aí, YAHUKHANAM deixou-os e regressou a YAHUSHUA-oléym,

14-mas Bornaví e Shaúl seguiram para Antioquia, uma cidade na
província da Pisídia o Shábbos, foram à sinagoga assistir ao culto.

15-Depois das leituras dos livros de Mehushua e dos profetas, os que dirigiam o culto mandaram-lhes este recado: Irmãos, se têm algumas palavras de encorajamento a dirigir-nos, venham e digam-na!

16-Shaúl, levantando-se e fazendo-lhes um gesto a pedir silêncio, começou a falar. Homens de YAshorúl e todos os mais que aqui estão e que prestam culto a YAHU UL:

17-18-O YAHU UL do povo de YAshorúl escolheu os nossos antepassados e honrou-os no Egito, arrancando-os gloriosamente à escravidão e amparando-os durante os quarenta anos em que erraram pelo deserto.

19-Depois, destruiu sete nações em Canaã e deu a YAshorúl a sua terra como herança.

20Tudo isso levou 450 anos. Depois disso, o país foi governado por juízes, até ao profeta SHAMUUL

21-O povo começou então a pedir um rei, e YAHU UL deu-lhe Shaúl, filho de Kis, da tribo de BenYAmín, que reinou quarenta anos.

22-Mas YAHU UL retirou-o e substituiu-o pelo rei Dáoud, acerca do
qual disse: Dáoud, filho de YAshái, é um homem como o meu coração deseja,
pois obedecer-me-á.

23-Ora o MíhushuaYA (Salvador) que YAHU UL concedeu a
YAshorúl é justamente um dos descendentes do rei Dáoud conforme tinha
prometido. Esse MíhushuaYA é YAHUSHUA!

24-25-Mas, antes de ele vir, YAHUKHANAM Batista pregou acerca da necessidade que todos em YAshorúl tinham de abandonarem o pecado e de se voltarem para YAHU UL. Quando YAHUKHANAM estava já a terminar a sua missão, perguntou: Pensam que sou hol-MEHUSHKHAY (o Messias)? Não! Mas esse virá em breve, e nem sou digno de lhe desatar o calçado.

26-Irmãos, vocês que são filhos de Abruham, e também os Gentíles
aqui presentes que temem YAHU UL: Esta salvação é para todos nós!-

27-Os YAHÚ-dim de YAHUSHUA-oléym e os seus dirigentes cumpriram afinal as profecias, matando YAHUSHUA, pois não o reconheceram nem perceberam que foi acerca dele que os profetas escreveram, embora todos os Shábbos escutassem a leitura das palavras desses mesmos profetas.

28-Apesar de não encontrarem justa causa para o matar, pediram a Pilatos que o fizesse.

29Depois de se terem cumprido assim todas as profecias acerca da sua morte, YAHUSHUA foi tirado da poste e posto num túmulo.

30-31-Mas YAHU UL ressuscitou-o da morte! E foi visto muitas vezes, nos dias que se seguiram, pelos homens que o tinham acompanhado a YAHUSHUA-oléym desde a Galileia; homens que disso têm dado constante e público testemunho.

32-33-Nós portanto aqui estamos para vos anunciar que a promessa de
YAHU UL aos antepassados se cumpriu agora no nosso tempo, quando YAHU UL
ressuscitou YAHUSHUA. Era a isso mesmo a que o segundo Teholyáo se referia ao
dizer acerca de YAHUSHUA:Tu és o meu ha-BOR; hoje tornei-me teu
YAHU ABí.

34-Porque YAHU UL prometeu ressuscitá-lo para nunca mais morrer.
Isto é afirmado nas Qaotáv que dizem:Realizarei a vosso favor todas as
promessas sagradas e maravilhosas que garanti a Dáoud.veem

35-E noutro Teholyáo explica mais pormenorizadamente, dizendo: veemNão permitirás que se corrompa na sepultura o corpo do teu HODSHUA (Santo).

36-37-Ora, isto não era uma referência a Dáoud, porque este, depois de ter servido a sua geração de acordo com a vontade de YAHU UL, morreu, foi sepultado e o seu corpo acabou efetivamente por se decompor. Tratava-se sim de alguém que YAHU UL ressuscitou e cujo corpo não foi atingido pela decomposição da morte.

38-39-Escutem, irmãos! É graças a este Homem, YAHUSHUA, que vos anunciamos o perdão para os vossos pecados! Todo aquele que nele confiar fica liberto de toda a culpa e será tido como justo; coisa que a lei de Mehushua nunca poderia fazer.

40-41-Tenham cuidado, não deixem que vos sejam aplicadas as palavras dos profetas, que disseram: Vocês que desprezam estas coisas, pasmem
e desapareçam. Porque estou a realizar nos vossos dias uma obra,em que nem
sequer acreditaria se vos fosse contado.

.
42-43Ao saírem da sinagoga naquele dia, as pessoas pediram a eles que
voltassem para lhes tornar a falar na semana seguinte. Muitos YAHÚ-dim e
Gentíles piedosos que adoravam na sinagoga acompanharam Shaúl e Bornaví pela
cidade, enquanto estes os incitavam a perseverar na graça de YAHU UL.

44-Na semana seguinte, quase toda a cidade foi ouvi-los pregar a palavra de YAHU UL,

.
45-mas, quando os YAHÚ-dim viram assim tanta gente, encheram-se de inveja e
puseram-se a dizer injúrias e a contradizer tudo o que Shaúl afirmava.

46-Então, Shaúl e Bornaví disseram corajosamente: Era preciso que esta Mensagem Gloriosa fossem primeiro anunciadas a vocês, YAHÚ-dim. Mas, uma vez que as não querem e se mostram indignos da vida eterna, vamos anunciá-las aos Gentíles.4

47-Foi isso que YAHU UL nos ordenou, ao dizer: Fiz de ti uma luz para as nações do
mundo, para levares a minha salvação até aos recantos mais longínquos da
terra.

48-49-Quando os Gentíles ouviram isto, ficaram felizes e alegraram-se
com a mensagem de YAHU UL; e creram todos os que YAHU UL destinou para a vida
eterna. Assim, a mensagem de YAHU UL se espalhou por toda aquela região.

.
50-51Então os YAHÚ-dim agitaram certas mulheres religiosas muito consideradas e
autoridades da cidade, incitando o povo contra Shaúl e Bornaví, acabando por
expulsá-los da cidade. Eles, porém, sacudiram a poeira dos seus pés, em sinal
de protesto, e prosseguiram para Icônio

52-Os que se converteram por intermédio deles estavam cheios de alegria e do RÚKHA hol-HODSHUA.

 

ATOS 14

 

Em Icônio

 

1-Em Icônio,Shaúl e Bornaví foram juntos à sinagoga e pregaram com tal poder que foi grande o número de pessoas que creram, tanto YAHÚ-dim como Gentíles.-

2-4-Mas aqueles dos YAHÚ-dim que recusaram a mensagem de YAHU UL semearam a desconfiança e a oposição entre os Gentíles contra Shaúl e Bornaví. Contudo, ambos ficaram ali muito tempo, pregando com coragem, e YAHU UL provava a origem celestial dessa mensagem, dando -lhes poder para fazerem grandes milagres. Mas o povo da cidade não sabia que pensar acerca deles. Alguns concordavam com os YAHÚ-dim, outros apoiavam os emissários

5-7-Quando Shaúl e Bornaví souberam da conspiração que
tramavam os dirigentes YAHÚ-dim para, juntamente com os Gentíles, os atacarem e
apedrejarem, refugiaram-se na região de Licaónia – Listra e Derbe – e em toda
aquela zona à volta, pregando ali a Mensagem Gloriosa.

 

Em Listra e
Derbe

 

8-9-Em Listra encontraram um homem que, de nascença, era aleijado dos pés, nunca tendo andado na sua vida. O homem escutava com atenção a pregação de Shaúl, que, reparando nele, se deu conta que o aleijado tinha fé para ser curado.

10- Então ordenou-lhe: Levanta-te!, e o homem, pondo-se de pé dum salto, começou a andar.

.
11-13Quando a multidão que escutava Shaúl viu o que fizera, gritou na sua
língua local: Estes homens são falsos criadores o estatuas em forma humana,
pensando que Bornaví fosse o ídolo Grego Yúpiter, e que Shaúl, por ser o orador
principal, fosse Mercúrio. O sacerdote local do Templo de Yúpiter, à entrada da
localidade, trouxe-lhes carroças carregadas de flores e matou bois em sua
honra, junto às portas da cidade, na presença da multidão.

14-17-Mas quando Bornaví e Shaúl viram aquilo, rasgaram desgostosos a roupa que traziam e, correram por entre o povo, dizendo: Escutem! Que estão a fazer? Nós somos seres humanos como vocês! Viemos dizer-vos que deixem de adorar essas coisas insensatas; e que, em vez disso, devem adorar YAHU UL vivo e converter-se a
ele, que fez o céu, a terra, o mar e tudo quanto neles há. Nos tempos antigos permitiu que os povos agissem como melhor lhes parecia, mas nunca deixou de lhes dar provas da sua existência e do que ele é realmente, por meio de atos de bondade, tais como mandar-vos chuva, boas colheitas, alimento e alegria.

.
18-Mesmo assim, Shaúl e Bornaví só a custo impediram que o povo lhes oferecesse
sacrifícios.

19-Entretanto, chegavam YAHÚ-dim de Antioquia e Icônio que, agitando a multidão, conseguiram que apedrejassem Shaúl e que o arrastassem para fora da cidade, aparentemente morto.

 

O regresso
a Antioquia da Syria

20- Mas quando os crentes se reuniram à sua volta, Shaúl levantou-se e voltou para a cidade. No dia seguinte, Shaúl partiu com Bornaví para Derbe.

21-Após pregarem ali a Mensagem Gloriosa e fazerem muitos discípulos, voltaram para Listra, Icônio e Antioquia da Pisídia,

22-onde fortaleceram os crentes, encorajando-os a perseverar na fé,
e lembrando-lhes que para entrar no reino de YAHU UL teriam de passar por
muitas tribulações.

23-Shaúl e Bornaví nomearam também anciãos em todas as
Oholyáos (Congregações), orando por eles com jejum e entregando-os ao cuidado
de YAHU UL, em quem tinham posto a sua confiança.

24-25Regressando através da Pisídia para a Panfília, tornaram a pregar em Perge e continuaram para Atália.

.
26-Finalmente, voltaram por mar para Antioquia da Syria, onde haviam começado a
viagem e onde tinham sido entregues a YAHU UL para realizarem a obra agora
completada

27-28-Quando chegaram, reuniram os crentes, a quem contaram a sua
viagem e como YAHU UL abrira também a porta da fé aos Gentíles. E ali ficaram
com os crentes em Antioquia durante muito tempo.

 

ATOS 15

 

O concílio
em YAHUSHUA-oléym

 

1-2-Enquanto Shaúl e Bornaví estavam em Antioquia da Syria, chegaram alguns homens da YAHUDAH que começaram a ensinar aos crentes que não se poderiam salvar se não obedecessem ao costume YAHÚ-di da circuncisão ensinado por Mehushua. Shaúl e Bornaví discutiram este problema com eles a fundo, e finalmente os crentes mandaram-nos a YAHUSHUA-oléym acompanhados por representantes locais para conversar com os emissários e anciãos ali acerca do assunto.

3-A Oholyáo enviou os delegados a YAHUSHUA-oléym. Pelo caminho, pararam em várias cidades da Fenícia e Shuamor-YAHU para visitar os crentes, dizendo-lhes, com grande alegria de todos, que também os Gentíles se estavam a converter.

4-5-Chegados a YAHUSHUA-oléym, foram recebidos por toda a Oholyáo, estando presentes todos os emissários e anciãos. Shaúl e Bornaví contaram o que YAHU UL tinha feito através do seu trabalho. Mas alguns dos que tinham sido Farsyím antes de se converterem puseram-se de pé e afirmaram que todos os convertidos Gentíles
deveriam ser circuncidados e obrigados a obedecer aos costumes e celebração dos
YAHÚ-dim.

6-9-Então, os emissários e os anciãos da Oholyáo marcaram nova reunião
para resolver o assunto. Nesta reunião, após longas discussões, Kafos
levantou-se e falou aos presentes do seguinte modo: Irmãos, todos sabem que
YAHU UL me escolheu há muito no vosso meio para pregar a Mensagem Gloriosa aos Gentíles, a fim de que também eles possam crer. YAHU UL, que conhece os
corações dos homens, mostrou que aceitava os Gentíles ao conceder-lhes o dom do
RÚKHA hol-HODSHUA, tal como fez connosco, sem distinguir entre eles e nós, pois
purificou a sua vida pela fé, como pela fé havia purificado a nossa.

10-11-E agora porque é que pretendem corrigir YAHU UL, pondo sobre os Gentíles uma carga que nem nós nem os nossos pais conseguimos suportar? Nós acreditamos que todos são salvos da mesma maneira, pela graça do Molkhiúl YAHUSHUA!

12-A discussão acabou, passando todos a ouvir Bornaví e Shaúl que contavam os milagres que YAHU UL fizera por seu intermédio entre os Gentíles.

13-Quando terminaram, começou YAHUCAF: Irmãos, escutem-me.

14-Kafos falou-vos do tempo em que YAHU UL primeiro visitou os Gentíles para de entre eles levantar um povo que honrasse o seu (Nome) Shúam.

15-E este fato da conversão dos Gentíles está de acordo com as
predições dos profetas, como está escrita:

16-18- Nesse tempo reconstruirei o tabernáculo de Dáoud,que agora está em ruínas;restaurá-lo-ei à sua glória primitiva,para que o resto dos homens busque YAHU UL,os Gentíles sobre os quais é invocado o meu Shúam (Nome). É isto que diz YAHU UL, e ele realiza os seus planos,feitos desde a eternidade. 

19-21-E assim, na minha opinião, não devemos causar dificuldades aos Gentíles que se voltam para YAHU UL. Devemos escrever-lhes, sim, que não comam carne sacrificada aos ídolos, que se abstenham de comer carne não sangrada de animais estrangulados, nem sangue, e que não pratiquem a imoralidade sexual. Porque a lei de Mehushua tem sido pregada em todas as cidades, e Shábbos após Shábbos, durante muitas gerações.

 

A carta do
concílio aos crentes Gentíles

 

22-Então os emissários, os zaokanyáo (anciãos) e toda a Oholyáo (Congregação) em
YAHUSHUA-oléym decidiram que se mandassem delegados a Antioquia com Shaúl e
Bornaví para anunciarem esta decisão. Os escolhidos eram dois zaokanyáo da
Oholyáo: YAHUDAH (a quem chamavam também Bor-Shábbos) e Siloáhn.

23-A carta que levaram consigo dizia assim:Dos emissários, zaokanyáo e irmãos em
YAHUSHUA-oléym, para os irmãos Gentíles em Antioquia, Syria e Cilícia:
Saudações!

24-Consta-nos que alguns crentes daqui vos perturbaram, lançando
dúvidas sobre a vossa salvação; mas eles não tinham instruções nossas para o
fazer

25-27-Assim, pareceu-nos sensato, depois de termos chegado todos a uma
mesma decisão, enviar-vos esses dois representantes nossos, YAHUDAH e Siloáhn,
os quais, juntamente com Bornaví e Shaúl, a quem muito queremos e que
arriscaram a vida por amor do nosso Molkhiúl YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY,
confirmarão de viva voz o que resolvemos acerca do vosso caso.

28-29-Porquanto pareceu bem ao RÚKHA hol-HODSHUA, e a nós, não vos mandar outra recomendação que não seja a de se absterem de coisas oferecidas aos ídolos e da carne não sangrada de animais estrangulados, ou sangue, e da prática de imoralidade sexual. Se isto fizerem, bastará. Com as nossas saudações.

30-Os mensageiros partiram imediatamente para Antioquia, onde combinaram uma reunião geral dos YAHUSHUAhim, a quem entregaram a carta.

31-A leitura desta mensagem de encorajamento causou grande alegria em toda a Oholyáo.

32-Então YAHUDAH e Siloáhn, que eram ambos profetas, exortaram muito os crentes, fortalecendo a sua fé

33-Ficaram ali algum tempo, e depois YAHUDAH e Siloáhn regressaram a YAHUSHUA-oléym, levando consigo saudações àqueles que os tinham enviado.

34-35-Shaúl e Bornaví continuaram em Antioquia para ajudar vários outros que ali pregavam e ensinavam a palavra de YAHU UL.

 

Desacordo
entre Shaúl e Bornaví

 

36-Alguns dias depois, Shaúl sugeriu a Bornaví que voltassem de novo para a província da Ásia e visitassem cada uma das cidades onde haviam pregado anteriormente, a fim de verem como iam os novos crentes.

37-Bornaví concordou e queria levar YAHUKhanam Marcos, com eles.

38-Mas Shaúl não achou razoável que levassem consigo alguém que
os tinha deixado na Panfília e que não os tinha acompanhado no trabalho.

39-E  não conseguiram entender-se. Resolveram então separar-se. Bornaví seguiu com
Marcos e embarcou para Cyprus,e

40-41-enquanto que Shaúl escolheu Siloáhn e, com a bênção dos crentes, partiu para a Syria e para Cilícia para animar as Oholyáos ali existentes.

 

ATOS 16

 

YAHUTAM
junta-se a Shaúl e Siloáhn

 

1-Shaúl e Siloáhn foram primeiro a Derbe e depois a Listra, onde encontraram YAHUTam, um crente que era filho de mãe YAHÚ-diYA crente e de pai Grego.

2 -YAHUTAM era muito considerado pelos irmãos em Listra e Icônio,

3-pelo que Shaúl lhe pediu que se lhes juntasse na viagem. Atendendo aos YAHÚ-dim daquela região, circuncidou YAHUTam antes da partida, pois toda a gente sabia que o pai dele era Grego.

4-Depois, indo de cidade em cidade, tornaram conhecida a decisão
relativa aos Gentíles dada pelos emissários e anciãos em YAHUSHUA-oléym. 5E
assim as Oholyáos cresciam diariamente em fé e em número.

 

A visão de
Shaúl do homem da Macedónia

 

6-Seguidamente Shaúl e Siloáhn percorreram a Frígia e a Galácia, pois o RÚKHA hol-HODSHUA dissera-lhes que não fossem à província da Ásia naquela altura.

7-Chegando à fronteira da Mísia, encaminharam-se para a província da Bitínia, mas uma vez mais o RÚKHA de YAHUSHUA lhes disse que não o fizessem

8-Por isso, prosseguiram viagem através da província da Mísia até à cidade de Troas.

9- Naquela noite Shaúl teve uma visão. Viu um homem da Macedónia, na Grécia, que lhe pedia: Vem ajudar-nos!

10-Por isso logo procuramos seguir para a Macedónia, concluindo que
era YAHU UL quem nos enviava a pregar ali a Mensagem Gloriosa.

11-Embarcámos em Troas, atravessamos para a Samotrácia e, no dia seguinte, para Neápolis,

.
12-chegando finalmente a Filipos, uma colônia romana e a cidade principal do
distrito da Macedónia. Ficamos ali vários dias.

 

A conversão
de Lídia em Filipos

 

13-15-No Shábbos, saímos da cidade para a beira do rio, onde julgávamos que algumas pessoas se reuniram para oração. Encontramos então algumas mulheres que ali foram e falamos-lhes. Uma delas era Lídia, vendedora de púrpura, natural de Tiatira. Ela já adorava YAHU UL, e, enquanto ouvia, YAHU UL abriu-lhe o coração, e aceitou tudo o que Shaúl dizia. Foi batizada com todos os seus familiares e pediu-nos que fôssemos seus hóspedes: Se acham que sou fiel a YAHU UL, venham e fiquem na minha casa. E tanto teimou que acabamos por aceitar.

 

Shaúl e
Siloáhn na prisão

 

16-17-Certo dia, indo nós a caminho do local de oração junto ao rio, encontramos uma jovem escrava, possuída por demônios e que ganhava muito dinheiro para os
seus chefes prevendo o futuro. Pôs-se a seguir-nos e a gritar: Estes homens são
servos de YAHU UL altíssimo e vieram ensinar-nos o caminho da salvação.

18-Isto repetiu-se dia após dia, até que Shaúl, bastante perturbado com o caso, se
voltou e falou ao demônio que estava dentro dela: Ordeno-te, em Shúam (Nome) de
YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY, que saias do seu corpo. E imediatamente assim foi.

.
19-21Destruídas as suas esperanças de fazer fortuna, os chefes desta escrava
agarraram em Shaúl e Siloáhn e levaram-nos perante os juízes, na grande praça
central. Estes YAHÚ-dim andam a corromper a cidade, gritavam. Andam a ensinar
ao povo que faça coisas contrárias às leis romanas.

22-24-Depressa se formou uma multidão ameaçadora contra Shaúl e Siloáhn, e os juízes mandaram que os despissem e açoitassem. Repetidamente as varas caíram sobre as suas costas nuas, e depois meteram-nos na cadeia. O carcereiro recebeu ordem para os guardar com toda a segurança; por isso, meteu-os numa cela interior e prendeu-lhes os pés ao tronco de madeira.

25-26-Cerca da meia-noite, quando Shaúl e Siloáhn oravam e cantavam hinos a YAHU UL, escutados pelos outros presos,houve de súbito um grande terramoto; a prisão foi abalada até aos alicerces, as portas abriram-se, e tombaram por terra as cadeias de todos os presos!

27-O carcereiro acordou, viu as portas da prisão abertas e, julgando que os presos
tinham escapado, puxou da espada para pôr fim à vida.

28-Mas Shaúl gritou-lhe: Não faças isso! Estamos todos aqui!

29-Tremendo de terror, o carcereiro mandou vir luzes e, correndo à cela, lançou-se por terra diante de Shaúl e Siloáhn.

.
30-Trazendo-os para fora, perguntou-lhes: Meus chefes, que devo fazer para ser
salvo?

31-Eles responderam: Crê no Molkhiúl YAHUSHUA e serás salvo, tu e a tua
casa.

32-Anunciaram-lhe então, a ele e a todos os seus familiares, a Mensagem
Gloriosa de YAHU UL

33-Naquela mesma momento, o carcereiro lavou-lhes os
ferimentos e, com toda a sua família, foi batizado

34-Depois, levando-os à casa onde morava, serviu-lhes uma refeição. Tanto ele como os seus estavam cheios de alegria por agora serem todos crentes em Molkhiúl YAHUSHUA!

35-Na manhã seguinte, os juízes mandaram polícias dizer ao carcereiro: Ponham esses homens em liberdade!

36-O carcereiro disse a Shaúl: Podem sair quando quiserem. Vão em
paz.

37-Mas Shaúl respondeu: Não! Castigaram-nos publicamente, sem julgamento,
encarceraram-nos, a nós que somos cidadãos Romanos, e agora querem que saiamos em segredo? Que venham eles mesmos soltar-nos.

38-39-Os polícias levaram a resposta aos juízes, que ficaram receosos ao saberem que Shaúl e Siloáhn eram cidadãos Romanos. Dirigiram-se, então à prisão, e pediram desculpas. Saindo com eles, rogaram-lhes que abandonassem a cidade

40-Shaúl e Siloáhn voltaram a casa de Lídia, onde se encontraram com os crentes e encorajaram-nos uma vez mais antes de saírem da cidade.

 

ATOS 17

 

Em
Tessalônica

 

1-Percorriam agora as cidades de Anfípolis e Apolônia, e chegaram, por fim, a Tessalônica, onde havia uma sinagoga.

2-Como era seu costume, Shaúl entrou na sinagoga, e
durante três Shábbos seguidos expôs as Qaotáv ao povo,

3-explicando as profecias acerca dos sofrimentos do hol-MEHUSHKHAY (o Messias), da sua ressurreição, e provando que hol-MEHUSHKHAY era, justamente, YAHUSHUA.

4-Alguns dos ouvintes ficaram convencidos e converteram-se, incluindo grande número de Gregos piedosos, e também muitas mulheres importantes da cidade.

5-7Mas os YAHÚ-dim, cheios de inveja, incitaram uns quantos arruaceiros para provocarem uma agitação. Estes assaltaram a casa de YAson na ideia de levarem Shaúl e Siloáhn perante o tribunal da cidade a fim de serem castigados. Como não os encontrassem ali, arrastaram YAson e alguns outros crentes à presença dos
juízes. Shaúl e Siloáhn têm andado a virar do avesso todo o mundo, e agora
estão aqui a perturbar a paz na nossa cidade, clamaram. E YAson abriu-lhes as
portas da sua própria casa. Todos eles são culpados de traição porque seguem
outro rei, YAHUSHUA, em vez de César.

8-9-O povo da cidade, e também os juízes, ficaram alarmados com esta acusação, e só os deixaram partir depois de terem pago uma caução.

 

Em Bereia

 

10-12-Naquela noite, os crentes enviaram Shaúl e Siloáhn à pressa para Bereia. Quando lá chegaram foram à sinagoga. O povo de Bereia tinha um espírito mais aberto do que o de Tessalônica, ouvindo de boa mente a mensagem e examinando dia após dia as Qaotáv para ver se o que Shaúl e Siloáhn diziam era exato O resultado foi que muitos creram, incluindo várias chefias gregas muito respeitadas, e também não poucos homens.

13-Quando, porém, os YAHÚ-dim de Tessalônica souberam que
Shaúl pregava a palavra de YAHU UL em Bereia, foram ali para provocar
distúrbios.-

14-Os crentes atuaram imediatamente, mandando Shaúl para a costa,
enquanto Siloáhn e YAHUTAM ficavam em Bereia.

15-Os que acompanhavam Shaúl levaram-no a Atenas, regressando depois a Bereia com um recado para Siloáhn e YAHUTAM se apressarem a ir ter com ele.

 

Em Atenas

 

16-17-Enquanto Shaúl os esperava em Atenas, ficou perturbado com o grande número de ídolos que via por toda a cidade. Foi à sinagoga discutir com os YAHÚ-dim e com os Gentíles piedosos, e falava diariamente na praça pública para quem o quisesse ouvir.

18-Teve também um debate com alguns filósofos epicuristas e estóicos. Mas
quando lhes falou em YAHUSHUA e na sua ressurreição, a reação foi: Mas o que
quer dizer este fala-barato? Parece que anda aí a fazer propaganda duma
religião estrangeira.

19-Então, convidaram-no a ir ao Areópago : Vem lá então
falar-nos dessa nova religião,

20-pois andas a dizer coisas espantosas e queremos saber mais.

21-(Convém explicar que todos os atenienses, e também os
estrangeiros residentes em Atenas, passavam o tempo a discutir as ideias novas
que iam aparecendo.)

22-23-Shaúl, pondo-se diante deles no Areópago, falou-lhes
assim: Gente de Atenas, vejo que são muito religiosos, pois ao passar pela
cidade reparei em muitos altares, um deles até com a inscrição – A Criador
Eterno Desconhecidoveem. Afinal, têm andado a adorá-lo sem saber quem ele é, e
por isso quero falar-vos agora acerca desse mesmo YAHU UL.

24-26-Foi ele quem fez o mundo e tudo quanto nele há e, uma vez que é YAHU UL do céu e da terra, não vive em templos feitos por mãos humanas; e nem sequer precisa que seres humanos lhe façam seja o que for! Ele próprio é quem dá a todos a vida, o ar que respiramos e tudo o resto de que precisamos. Criou toda a população do
mundo a partir de um só homem e espalhou as nações pela face da terra, fixando
os tempos do mundo e os limites à vida dos homens na terra.

27-E o que ele pretende é que o procurem e que se esforcem por encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós.

28-Pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos!Como disse outro dos vossos poetas, somos de descendência celestial

29-Se isto é verdade, não devemos imaginar YAHU UL como um ídolo
que os homens fizeram de ouro, ou de prata, ou de pedra, pela sua arte e
imaginação

30-31- YAHU UL tem tolerado a ignorância do homem acerca destas
coisas, mas agora ordena a todos, e em toda a parte, que se arrependam e o
adorem só a ele. Pois marcou um dia para julgar o mundo com justiça através do
Homem que designou para isso. E deu a todos uma sólida razão para crerem nele,
ressuscitando-o da morte.

32-Quando ouviram Shaúl falar na ressurreição de mortos, houve quem se risse, contudo houve também quem dissesse: Queremos tornar a ouvir-te acerca disto, mas mais tarde.

33-Assim terminou a exposição de Shaúl; alguns juntaram-se-lhe e converteram-se, como por exemplo Dionísio, membro do Areópago, uma mulher chamada Dâmaris, e outras pessoas.

 

ATOS 18

Em Corinto

 

1-2-Depois disto, Shaúl saiu de Atenas e foi para Corinto, onde conheceu um YAHÚ-di chamado Áquila, nascido no Ponto e que chegara recentemente da Itália com a
mulher, Priscila. Tinham sido expulsos da Itália quando Cláudio César ordenou
que todos os YAHÚ-dim saíssem de Roma.

3-Shaúl vivia e trabalhava com eles, pois, como ele próprio, tinham o ofício de fazer tendas.

4-5-Todos os Shábbos Shaúl ia para a sinagoga, tentando convencer tanto YAHÚ-dim como Gregos. Depois de Siloáhn e YAHUTAM chegarem da Macedónia, Shaúl passava o seu tempo a pregar e a provar aos YAHÚ-dim que YAHUSHUA era hol-MEHUSHKHAY (o Messias).

6-Mas, quando os YAHÚ-dim se lhe opuseram e o insultaram, Shaúl sacudiu a sua capa em sinal de protesto e disse: Vocês recusam e permanecem perdidos! Pois a
responsabilidade é inteiramente de vocês. Quanto a mim estou inocente do que vier
a acontecer-vos e passarei a ir pregar aos Gentíles.

7-8-Depois disto, ficou em casa de TITO Justo, que adorava YAHU UL e vivia ao lado da sinagoga. Crispo, dirigente da sinagoga, e toda a sua casa creram em YAHU UL. E muitas outras pessoas em Corinto que ouviram-no creram e foram batizadas.

9-10-Certa noite, o Molkhiúl falou a Shaúl numa visão: Nada receies! Fala! Não desistas! Estou contigo e ninguém te pode fazer mal. Há nesta cidade muita gente que me pertence.

11-Assim, Shaúl ficou ali mais ano e meio, ensinando a palavra de YAHU UL.

12-13-Mas, quando Gálio se tornou governador da Acaia, os YAHÚ-dim uniram-se
contra Shaúl e levaram-no à presença do governador para ser julgado, acusando-o
de convencer os homens a adorarem YAHU UL de maneira contrária à lei romana.

.
14-Todavia, justamente quando Shaúl ia começar a sua defesa, Gálio voltou-se
para os acusadores e disse-lhes: Escutem, YAHÚ-dim, se neste caso houvesse
matéria de crime ver-me-ia obrigado a ouvir-vos;

15-mas uma vez que se trata de uma questão de palavras e nomes, e das vossas leis YAHÚ-dim, encarreguem-se vocês do caso. Não estou interessado em ser juiz dessas coisas.

16-E expulsou-os do tribunal.

17Então agarraram em Sóstenes, o dirigente da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal, mas Gálio não ligou a menor importância.

 

Priscila,
Áquila e Apolo

 

18-Shaúl ficou na cidade de Corinto ainda vários dias e, despedindo-se dos YAHUSHUAhim, embarcou para a costa da Syria, levando consigo Priscila e Áquila. Em Cencréia tinha rapado a cabeça, de acordo com o costume YAHÚ-di, pois fizera um voto.

.
19-Chegado ao porto de Éfeso, deixou os outros a bordo, foi à sinagoga e ali
argumentou com os YAHÚ-dim sobre a Mensagem Gloriosa.

20-Estes pediram-lhe que ficasse mais alguns dias, mas Shaúl não aceitou a proposta. Tenho forçosamente de estar em YAHUSHUA-oléym para as celebrações, disse

21-No entanto, prometeu regressar mais tarde a Éfeso se YAHU UL o permitisse. E assim continuou a viagem.

22-A próxima paragem foi no porto de Cesareia. Dali, foi visitar a
Oholyáo em YAHUSHUA-oléym, seguindo depois para Antioquia

23-Após passar algum tempo aí, tornou a partir para a província da Ásia, atravessando a Galácia e a Frígia, visitando todos os crentes, animando-os e ajudando-os a crescer em YAHU UL.

24-Sucedeu que acabara de chegar a Éfeso, vindo de Alexandria no Egito, um
YAHÚ-di chamado Apolo, que conhecia bem as Qaotáv.

25-Tinha sido ensinado sobre o caminho de YAHU UL e falava aos outros com grande entusiasmo e exatidão acerca de YAHUSHUA. Contudo, ele conhecia apenas o Batismo de YAHUKhanam.


26-Quando Priscila e Áquila o ouviram pregar com ousadia na sinagoga,
convidaram-no para a sua casa e explicaram-lhe mais exatamente o caminho de
Molkhiúl YAHUSHUA.

27-28-Apolo tinha intenção de ir à Acaia, ideia que os crentes encorajaram. Escreveram, até, aos YAHUSHUAhim dessa região, recomendando-lhes que o aceitassem com agrado. Chegado à Acaia, Apolo foi grandemente utilizado por YAHU UL no fortalecimento da Oholyáo, pois derrotava com poder todos os argumentos dos YAHÚ-dim em debate público, mostrando pelas Qaotáv que YAHUSHUA era, de fato, hol-MEHUSHKHAY (o Messias).

 

ATOS 19

 

Shaúl em
Éfeso

 

1-2-Enquanto Apolo estava em Corinto, Shaúl percorreu a província da Ásia e chegou a Éfeso,onde encontrou vários discípulos. Receberam o RÚKHA hol-HODSHUA quando creram?,perguntou-lhes.Não, nem entendemos o que seja o RÚKHA hol-HODSHUA!

3-Mas em que doutrina é que creram quando foram baptizados?, perguntou-lhes.Naquilo que YAHUKhanam Batista ensinou.

4-7-Shaúl explicou-lhes então que o Batismo de YAHUKhanam servia para manifestar o desejo de nos desviarmos do pecado e nos voltarmos para YAHU UL, mas que os que recebiam esse Batismo tinham de dar um passo em frente e crer em YAHUSHUA, aquele que YAHUKHANAM dissera que viria mais tarde. Logo que souberam disto, foram batizados no Shúam (Nome) de Molkhiúl YAHUSHUA. Quando Shaúl lhes colocou as mãos sobre a cabeça, o RÚKHA hol-HODSHUA (Espírito O Santo) desceu sobre eles, e começaram a falar noutras línguas e a profetizar. Eram cerca de doze homens.

8-10-Depois disto, Shaúl foi à sinagoga, onde pregou com ousadia durante três meses acerca do reino de YAHU UL. Alguns, porém, recusaram essa mensagem e falaram publicamente contra o Caminho YAHUSHUAhee. Shaúl então retirou-se da sinagoga. Levando os crentes consigo, começou com reuniões separadas na escola de Tirano, onde pregava diariamente. Isto continuou assim durante dois anos, de modo que toda a gente da província da Ásia, tanto YAHÚ-dim como Gregos, ouviu a mensagem de YAHU UL.

.
11-12-E YAHU UL deu a Shaúl o poder de fazer milagres, de tal modo que, quando
se pousavam lenços seus ou peças do seu vestuário sobre os doentes estes
curavam-se, e saíam deles quaisquer demônios de que estivessem possuídos.
13-14-Um grupo de YAHÚ-dim que viajavam de terra em terra expulsando demônios
tentou servir-se do Shúam (Nome) do Molkhiúl YAHUSHUA dizendo: Conjuro-te por
YAHUSHUA, a quem Shaúl prega, que saias! Os homens que faziam isto eram sete
filhos de Sceva, intermediário YAHÚ-di

15-16-Mas quando experimentaram fazer isso num homem possuído de um demônio, este último respondeu: Conheço YAHUSHUA e conheço Shaúl, mas vocês quem são? E, saltando sobre dois deles, espancou-os de tal modo que fugiram daquela casa nus e muito magoados.

17-A notícia do que tinha acontecido espalhou-se rapidamente por toda a cidade de Éfeso, tanto entre os YAHÚ-dim como entre os Gregos. Sobre a cidade desceu um medo solene, e o Shúam (Nome) do Molkhiúl YAHUSHUA era grandemente honrado.

18-20-Muitos dos crentes que outrora praticavam bruxarias confessaram os seus atos e, trazendo os seus livros sobre aquelas coisas, queimaram-nos em fogueira pública. Calculou-se que aquilo tudo valia umas 50.000 peças de prata. Isto mostra como foi poderosa a ação exercida pela mensagem de YAHU UL, e como ela se estendia cada vez mais, vitoriosamente.

21-22-Depois, Shaúl sentiu-se impelido pelo RÚKHA hol-HODSHUA a atravessar a Macedónia e a Acaia antes de regressar a YAHUSHUA-oléym. E após isso, afirmou, tenho de seguir para Roma! Assim, mandou à frente os seus dois auxiliares, YAHUTAM e Erasto, para a Macedónia, enquanto permanecia mais algum tempo na província da Ásia.

 

Tumulto em
Éfeso

 

23-Por essa altura, porém, houve grande tumulto em Éfeso por causa dos que andavam no caminho de YAHU UL.

24-Começou com Demétrio, um ourives de prata que empregava
muitos artífices na produção de nichos feitos desse metal para a deusa grega
Diana.

25-Reunindo esses trabalhadores e outros que se ocupavam em ofícios
semelhantes, dirigiu-lhes as seguintes palavras: Companheiros, este trabalho é
a fonte dos nossos proventos.

26-Como bem sabem pelo que já viram e ouviram, este homem, Shaúl, tem convencido inúmeras pessoas que as estatuas feitos por mãos humanas não são criadores eternos, e o resultado é que as nossas vendas estão a baixar. Isto está a tornar-se evidente não só aqui em Éfeso mas também em toda a província

27-É claro que não me preocupo apenas com o descrédito da nossa atividade, mas penso também no perigo do templo da grande deusa Diana perder a sua influência, e dela, a deusa magnífica, adorada não só nesta parte da província da Ásia como também no mundo inteiro, cair no esquecimento.
28-29-Ao ouvirem estas palavras, a fúria daqueles homens despertou e começaram a gritar: Grande é Diana dos Efésios! Juntou-se uma multidão, e em breve a cidade
se amotinava. Todos correram ao anfiteatro arrastando Gaio e Aristarco,
companheiros de viagem de Shaúl, da Macedónia.

30-31-Shaúl queria entrar também, mas os discípulos não lho permitiram. Até algumas autoridades da província, amigos de Shaúl, lhe mandaram recado pedindo-lhe que não entrasse no anfiteatro.

32-Lá dentro, toda a gente gritava, uns uma coisa, outros outra – uma balbúrdia. A maior parte das pessoas nem sequer sabia por que razão se encontravam ali.

33-34-Alguns dos YAHÚ-dim descobriram Alexandre entre a multidão e arrastaram-no para a frente. Ele então, acenando com a mão, pediu silêncio e procurou falar. Mas a multidão, vendo que era YAHÚ-di, começou outra vez a gritar, clamando durante duas horas: ‘Grande é Diana dos Efésios! Grande é Diana dos Efésios!’

35-Por fim, o administrador da cidade conseguiu acalmar o povo o suficiente para poder falar: Homens de Éfeso, toda a gente sabe que Éfeso é o centro da religião da grande Diana, cuja imagem caiu dos céus neste local.

36-uma vez que se trata de um fato inegável, não devem deixar-se
perturbar, nem fazer nada de precipitado

37-No entanto, trouxeram aqui estes homens, que nada roubaram no Templo da deusa nem a ofenderam.

38-Se Demétrio e os artífices têm alguma coisa contra eles, os tribunais estão a funcionar e os juízes podem pronunciar-se sobre o caso.

39-E, se há outras queixas, podem ser examinadas numa assembleia legal,-

40-pois corremos o perigo de ter de prestar contas ao governo romano pelos motins de hoje, ainda para mais injustificados.
41-Assim os despediu, e a multidão dispersou.

 

ATOS 20

 

Através da
Macedónia e Grécia

 

1-2-Acabado tudo, Shaúl reuniu os discípulos, dirigiu-lhes uma mensagem de encorajamento, despediu-se e partiu para a Macedónia. Viajou através dessa região, encorajando os crentes em todas as vilas e cidades. Depois veio à Acaia,

3-ficando aí durante três meses, e preparava-se para embarcar para a Syria quando descobriu que os YAHÚ-dim conspiravam contra a sua vida. Resolveu então ir primeiro ao norte, à Macedónia.

4-Acompanharam-no: Sópater (filho de Pirro) da Bereia; Aristarco e Segundo, de Tessalônica; Gaio, de Derbe; YAHUTAM; Tishíco e Trofímo, que eram da província da Ásia.

5-Estes últimos, tendo partido à frente, esperaram-nos em Troas.

6-Mal terminaram as celebração da PósqaYA, embarcamos em
Filipos, e passados cinco dias chegávamos a Troas, na província da Ásia, onde
ficamos uma semana.

 

Êutico é
ressuscitado em Troas

 

7-No domingo, reunimos-nos para celebrar a Santa Ceia. Shaúl pregou nesse encontro, e, porque ia partir no dia seguinte, alongou o seu discurso até à meia-noite.

.
8-9-A sala no andar onde nos reunimos estava iluminada com muitas lâmpadas a
óleo; e, como Shaúl prolongasse muito o seu sermão, um jovem chamado Êutico,
que estava sentado no parapeito duma janela, adormeceu e caiu da altura de três
andares, tendo morrido

10-12-Shaúl desceu e, levantando-o nos braços, disse: Não
se preocupem; ele está vivo! Voltaram todos para cima e tomaram juntos uma
refeição. Shaúl ainda lhes falou longamente, e era já madrugada quando partiu.

 

A despedida
de Shaúl aos anciãos de Éfeso

 

13-15-Shaúl foi por terra até Asson, e nós seguimos à frente por mar. Ali, reuniu-se
connosco e embarcamos juntos para Mitilene. No dia seguinte passamos junto a
Quio, no outro aproamos a Samos; um dia mais tarde chegámos a Mileto.

16-Shaúl resolvera não parar em Éfeso desta vez, para evitar passar tempo na província da Ásia, visto ter pressa em chegar a YAHUSHUA-oléym, se possível para celebrar o Pentecostes.

17-Por isso, quando desembarcamos em Mileto, mandou recado aos
anciãos da Oholyáo de Éfeso, pedindo-lhes para virem ter com ele.

18-Quando chegaram, disse-lhes: Sabem que desde que desembarquei na província da Ásia até agora

19tenho realizado humildemente o trabalho de YAHU UL, no meio de lágrimas e grandes perigos, devido às conspirações dos YAHÚ-dim contra a minha vida

20-No entanto nunca fugi a dizer-vos tudo o que pudesse ajudar-vos, quer publicamente quer em vossas casas

21-A minha mensagem para YAHÚ-dim e Gentíles tem sido a mesma: que é preciso deixarem o pecado, converterem-se a YAHU UL e crerem no nosso Molkhiúl YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY.

22-24-Agora sigo para YAHUSHUA-oléym, levado pelo RÚKHA hol-HODSHUA, sem saber o que me espera, a não ser que o RÚKHA hol-HODSHUA me tem dito, de cidade em cidade, que me esperam a cadeia e o sofrimento. Mas a vida nada me vale se não completar a carreira e cumprir a tarefa que me foi confiada pelo Molkhiúl YAHUSHUA, ou seja, anunciar a Mensagem Gloriosa da graça de YAHU UL.

25-27-Sei bem que estou convosco pela última vez. Preguei-vos
o reino de YAHU UL, mas agora nenhum de vocês me tornará a ver mais. Por isso
vos declaro solenemente que não posso ser culpado pela perdição eterna seja de
quem for, pois nunca deixei de vos anunciar integralmente o plano de salvação
da parte de YAHU UL.

28-Agora, olhem por vocês próprios e pelo rebanho de Molkhiúl YAHUSHUA. O RÚKHA hol-HODSHUA vos constituiu zaokanyáo (anciãos) para alimentar a sua Oholyáo, que ele comprou com o seu próprio DAM (sangue).

29-30-Sei muito bem que, quando vos deixar, hão-de aparecer no vosso
meio falsos professores que como lobos ferozes não pouparão o rebanho. Há mesmo alguns de vocês que torcerão a verdade só para arranjar adeptos.

31-Cuidado e vigiem! Lembrem-se dos três anos que convosco passei, do meu constante cuidado sobre vocês, noite e dia, aconselhando-vos e avisando-vos, com lágrimas até.
32-E agora confio-vos a YAHU UL, ao seu cuidado, e à palavra da sua graça. Ele
pode construir a vossa fé e garantir-vos a herança que vos reserva, a vocês e a
todos os que são santificados.

33-35-Nunca cobicei nem o dinheiro, nem o vestuário, nem as riquezas de ninguém. Sabem que estas minhas mãos trabalharam para me sustentar e, até para atender às necessidades dos que estavam comigo. Quis mostrar-vos sempre que, trabalhando assim, devemos auxiliar os fracos e lembrarmo-nos das palavras do Molkhiúl YAHUSHUA: veemCoisa mais abençoada é dar do que receber

36-38-Quando acabou de falar, ajoelhou-se e orou com todos
os crentes. Estes choravam, abraçando e beijando Shaúl enquanto se despediam
dele, entristecendo-se, sobretudo, por ter dito que nunca mais os veria.
Seguidamente, acompanharam-no até ao navio.

 

ATOS 21

 

Shaúl a
caminho de YAHUSHUA-oléym

 

1-2-Depois de nos termos separado dos zaokanyáo (anciãos) de Éfeso, fizemos-nos de vela diretamente para Cós. No dia seguinte, chegámos a Rodes, prosseguindo para Pátara. Ali, tomamos um navio que ia partir para a província síria da Fenícia

.
3-Avistámos a ilha de Cyprus, que deixamos à nossa esquerda, e desembarcamos no
porto de Tiro, na Syria, onde o barco foi descarregado.

4-Entrámos então em contato com os crentes da terra, ficando com eles durante uma semana. Estes discípulos profetizaram pelo RÚKHA hol-HODSHUA que Shaúl não devia ir para YAHUSHUA-oléym.

5-6-No fim da semana, quando voltamos para bordo, todos os crentes, incluindo mulheres e crianças, nos acompanharam até à praia, onde oramos ajoelhados e nos despedimos. Depois embarcamos e eles voltaram para casa.

7-A paragem seguinte, depois de sairmos de Tiro, foi Ptolemaida, onde
saudamos os crentes, demorando-nos, porém, só um dia.

8-Seguimos então para Cesareia e ficamos em casa de Felipe, o evangelista, um dos primeiros sete ozorulyán (diáconos o ajudantes).

9-Tinha ele quatro filhas solteiras que possuíam o dom da profecia.

10-11-Durante a nossa estada de vários dias, fomos visitados por um homem chamado Ágabo, vindo da YAHUDAH, que também tinha o dom da profecia. Pegando no cinto de Shaúl, amarrou os seus próprios pés e mãos com ele, disse: Assim diz o RÚKHA hol-HODSHUA: O homem a quem este cinto pertence será semelhantemente amarrado pelos YAHÚ-dim em YAHUSHUA-oléym e entregue aos romamos.

12-Ao ouvirmos isto, todos nós, os crentes locais e os companheiros de
Shaúl, pedimos ao emissário que não continuasse viagem para YAHUSHUA-oléym

.
13-Mas ele respondeu: Para que é todo este pranto? Magoam-me o coração, pois
estou pronto, não só a ser preso em YAHUSHUA-oléym, como também a morrer por
amor do Molkhiúl YAHUSHUA.

14-Quando não havia dúvidas de que era impossível
desviar Shaúl da sua decisão, desistimos e dissemos: Faça-se a vontade de YAHU UL.

 

Chegada de
Shaúl a YAHUSHUA-oléym

 

15-17-Assim, passado pouco tempo, juntamos a bagagem e partimos para YAHUSHUA-oléym. Alguns discípulos de Cesareia acompanharam-nos e levaram-nos à casa de Mnason, natural de Cyprus e um dos primeiros crentes; e todos os irmãos em YAHUSHUA-oléym nos acolheram cordialmente.

18-19-No segundo dia, Shaúl levou-nos consigo para nos encontrarmos com YAHUCAF e com os anciãos da Oholyáo de YAHUSHUA-oléym. Trocadas saudações, Shaúl contou as muitas coisas que YAHU UL fizera entre os Gentíles através do seu trabalho para YAHU UL.

20-Eles louvaram YAHU UL, mas disseram: Sabes, irmão, quantos milhares de YAHÚ-dim creram também, e todos eles insistem em que os crentes YAHÚ-dim devem continuar a seguir as tradições e costumes do seu povo.

21-Os nossos YAHÚ-dim YAHUSHUAhim aqui em YAHUSHUA-oléym
ouviram dizer que és contra as leis de Mehushua, contra os nossos costumes
YAHÚ-dim, e que proíbes a circuncisão dos seus filhos

22-E agora, que fazer? Sem dúvida saberão que estás de volta

23-Lembrámo-nos do seguinte: temos aqui quatro homens que se preparam para rapar a cabeça e fazerem um voto

24-Vai com eles aoTemplo, rapa também a tua cabeça e paga para que a deles seja também rapada. Assim, todos ficarão a saber que não é verdade o que andam a dizer de ti, e que respeitas a lei.

25-Quanto aos YAHUSHUAhim que são Gentíles, não lhes pedimos
que sigam estes costumes YAHÚ-dim, exceto aquilo que já escrevemos: que se
abstenham das coisas sacrificadas aos ídolos, do sangue, da carne não sangrada
de animais estrangulados e da imoralidade sexual.

26-Shaúl no dia seguinte foi com os tais homens ao Templo para a referida cerimônia, anunciando, assim, publicamente o seu voto de oferecer um sacrifício sete dias depois, com os outros.

 

Shaúl é
preso

 

27-28-Os sete dias tinham quase acabado quando alguns YAHÚ-dim da província da Ásia o viram no Templo e, incitando a multidão contra ele, o agarraram, gritando:
Gente de YAshorúl, venham cá todos! É este o homem que prega contra o nosso
povo e que diz a toda a gente para desobedecer às leis YAHÚ-dim. Até fala
contra este lugar, e profana-o, trazendo Gentíles!

29-(É que, naquele mesmo dia, tinham-no visto na cidade com Trofímo, gentio de Éfeso, julgando que Shaúl o levara ao Templo.)

30-32-Toda a população da cidade ficou alvoraçada com estas acusações, e seguiu-se grande tumulto. Shaúl foi arrastado para fora do Templo, cujos portões logo se fecharam. Enquanto procuravam matá-lo, o comandante da guarnição romana foi informado de que toda YAHUSHUA-oléym estava agitada. Imediatamente mandou aos seus soldados e oficiais que saíssem, e ele próprio veio verificar o que se passava. Ao ver que as tropas se aproximavam, a multidão parou de espancar Shaúl.

33-34-O comandante prendeu-o, mandou que o acorrentassem com correntes dobradas e perguntou à multidão quem era e o que fizera. Uns gritavam uma coisa, outros outra. Vendo que, naquele tumulto e confusão, não conseguia entender nada, ordenou que o levassem para a fortaleza
35-Ao chegarem às escadas, a multidão mostrou-se tão violenta que os soldados
levantaram Shaúl aos ombros para o proteger,e

36-enquanto o povo se comprimia
por detrás, gritando: Matem-no, matem-no!

 

Shaúl fala
à multidão

 

37-Ao ser levado para dentro, Shaúl perguntou ao comandante : Posso dizer uma coisa?Sabes Grego?, perguntou por sua vez o comandante.

38-Não és aquele egípcio que chefiou a revolta há uns tempos atrás e levou consigo quatro mil revoltosos para o deserto?

39-Não, respondeu Shaúl. Sou YAHÚ-di de Tarso, na Cilícia, uma cidade
bastante importante. Peço autorização para falar a esta gente.

40-O comandante concordou, e Shaúl, de pé nos degraus, fez um gesto ao povo para que se acalmasse. Em breve houve silêncio e Shaúl disse, em Hebraico, o seguinte:

 

ATOS 22

 

1-Irmãos e pais, escutem-me no que vou dizer-vos em minha defesa.

2-Quando o ouviram falar em Hebraico, o silêncio tornou-se ainda maior.

3-Sou YAHÚ-di, nascido em Tarso, cidade da Cilícia, mas educado aqui em YAHUSHUA-oléym sob o ensino de Gamaliel, a cujos pés aprendi a seguir com muito cuidado as nossas leis e costumes. O meu anseio era honrar YAHU UL em tudo o que fazia, tal como vocês procuram fazer hoje.

4-5-Assim, persegui os seguidores do Caminho até à morte, prendendo e entregando à prisão tanto homens como mulheres. O supremo intermediário pode confirmá-lo, ou até qualquer membro do conselho, pois pedi-lhes que passassem cartas para os dirigentes YAHÚ-dim em Damasco com instruções para me deixarem trazer acorrentado para YAHUSHUA-oléym qualquer YAHUSHUAhee que encontrasse, para ser castigado.

6-7-Ia eu pela estrada fora, já perto de Damasco, quando, subitamente, cerca do meio-dia, brilhou em torno de mim uma luz muito forte vinda do céu. Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: Shaúl, Shaúl, porque me persegues?

8-Quem és tu, Molkhiúl? perguntei.Sou YAHUSHUA Nudtzorothíy, aquele a quem persegues.

9Os homens que estavam comigo viram a luz mas não compreenderam as palavras.

10-E eu disse:Que devo eu fazer, Molkhiúl? E o Molkhiúl disse-me: Levanta-te, entra em Damasco e aí será dito o que deves fazer

11-13-A luz era tão forte que deixei de ver e tive de ser conduzido para Damasco pelos meus companheiros. Aí, Anan-YAHU, homem obediente a YAHU UL, que observava escrupulosamente a lei e que gozava da consideração de todos os YAHÚ-dim de Damasco, veio ver-me e, chegando-se junto de mim, disse:Irmão Shaúl, recupera a vista! E naquele momento consegui vê-lo.

14- Então disse-me: veemYAHU UL de nossos pais escolheu-te para conheceres a sua vontade, veres o Justo e ouvi-lo falar.

15-Deveras levar a sua mensagem a toda a parte, contando o que viste e ouviste.

.
16-Agora, não te demores. Levanta-te e vai batizar-te, e lava os teus pecados,
invocando o Shúam (Nome) de Molkhiúl YAHUSHUA.

17-18-Um dia depois do meu regresso a YAHUSHUA-oléym, quando orava no Templo, tive uma visão em que YAHUSHUA me disse: Apressa-te, sai de YAHUSHUA-oléym, pois não te acreditarão quando tu lhes falares acerca de mim.

19 -Molkhiúl, respondi, eles sabem, sem dúvida, que meti na prisão e espanquei os membros de todas as sinagogas que criam em ti.!

20-E quando a tua testemunha, Estêvão, foi morta, lá estava eu manifestando a minha aprovação ao tomar conta da roupa dos que o apedrejavam.

21Mas o Molkhiúl disse-me: Sai de YAHUSHUA-oléym, pois vou
mandar-te para longe, para os Gentíles!

 

Shaúl, o
cidadão romano

 

22-23-A-  multidão escutou Shaúl até ele dizer aquela palavra; mas, ao ouvi-la, todos
gritaram a uma só voz: Fora com esse homem! Matem-no! Não é digno de viver!,
clamando e lançando ao ar as túnicas, de mistura com terra.

24-25-Então o comandante levou-o para dentro e ordenou que fosse açoitado para que confessasse o crime, pois pretendia descobrir por que motivo a multidão se enfurecera daquela maneira. Quando estavam a amarrar Shaúl para o açoitar, este disse a um oficial que se encontrava perto: Será legal chicotear um cidadão romano que nem sequer foi julgado?

26-O oficial falou com o comandante e avisou-o: Veja lá o
que vai fazer! Trata-se de um cidadão romano!

27-O comandante foi ter com Shaúl e perguntou-lhe: Diz-me, és cidadão romano?Sou, sim, respondeu Shaúl.

28-Também eu, murmurou o comandante, e esse direito custou-me muito dinheiro!Mas eu sou cidadão romano por nascimento!

29-Os soldados que se preparavam para interrogar Shaúl foram-se logo embora quando souberam que era um cidadão romano, e o próprio comandante ficou assustado por ter mandado que o amarassem e açoitassem.

 

Shaúl é levado ao conselho YAHÚ-di

 

30-No dia seguinte, tirou-lhe as cadeias, mandou convocar os principais dos
intermediários para uma sessão com o conselho YAHÚ-di, e trouxe Shaúl para, na
presença deles, descobrir a causa daqueles tumultos.

 

ATOS 23

 

1-Fitando o tribunal, Shaúl começou por dizer: Irmãos, tenho sempre vivido diante de YAHU UL com a consciência limpa!

2-3-Logo Anan-YAHU, o supremo intermediário, mandou aos que se encontravam junto de Shaúl que lhe batessem na boca. Shaúl disse-lhe então:  YAHU UL o castigará a si, hipócrita! Que espécie de juiz é o chefe, que viola a lei ordenando que me batam?

4-Os que estavam perto de Shaúl disseram-lhe: É assim que falas ao supremo intermediário de YAHU UL?

5-Não sabia que era o supremo intermediário, irmãos, respondeu Shaúl, pois as Qaotáv dizem: Nunca fales mal do chefe do teu povo. 

6Entretanto Shaúl, sabendo que o conselho era formado em parte por Tzadiqím e em parte por Farsyím, disse bem alto: Irmãos, sou Farsyí, como o foram todos os meus antepassados, e se hoje estou aqui a ser julgado, é porque acredito na ressurreição dos mortos!

.
7-8-isto imediatamente dividiu o tribunal, Farsyím contra Tzadiqím, pois estes
últimos dizem que não há ressurreição, nem anjos, nem espírito, mas os Farsyím
acreditam em todas estas coisas.

9-Houve pois grande balbúrdia, e alguns dos professores da lei religiosa aproveitaram a ocasião para afirmar que Shaúl não era culpado: Nada vemos de mal nele, gritavam. Pode muito bem ser que um espírito ou um anjo lhe tenha falado. 

10-A gritaria era cada vez maior; o tumulto aumentava de tal forma que o comandante, receoso de que o despedaçassem, ordenou aos soldados que o tirassem dali pela força e o levassem novamente para a fortaleza.

11-Naquela noite, o Molkhiúl apareceu junto de Shaúl e disse-lhe: Nada receies, Shaúl; assim como me anunciaste ao povo aqui em YAHUSHUA-oléym, fá-lo-ás também em Roma.

 

O plano
para matar Shaúl

 

12-13-Na manhã seguinte, uns quarenta ou mais YAHÚ-dim juntaram-se e fizeram um juramento de não comer nem beber até que tivessem morto Shaúl.

14-Seguidamente, foram ter com os principais dos intermediários e com os anciãos do povo, dizendo-lhes o que tinham feito. Fizemos um juramento de não comer nem beber até termos morto Shaúl.

15-Peçam ao comandante que torne a trazer Shaúl ao conselho, rogaram. Façam de contas que querem fazer-lhe mais algumas perguntas e matá-lo-emos no caminho.

16-17-Mas o sobrinho de Shaúl teve conhecimento deste plano e foi à fortaleza revelá-lo ao tio. Shaúl, chamando um dos oficiais, disse: Leve este rapaz ao comandante porque tem uma coisa importante a revelar-lhe.

18-O oficial assim fez, explicando: Shaúl, o prisioneiro, chamou-me
e pediu-me para trazer aqui este jovem, que tem qualquer coisa a revelar. 19O
comandante pegou no rapaz pela mão e, levando-o à parte, perguntou-lhe: Que me
queres dizer?

20-21-O sobrinho de Shaúl disse-lhe: Amanhã os YAHÚ-dim vão pedir que Shaúl compareça novamente perante o tribunal com o pretexto de obterem mais algumas informações. Mas não o faça! Há mais de quarenta homens de emboscada no caminho prontos a matarem-no. Juraram não comer nem beber sem o liquidarem primeiro. Já lá estão, esperando que o seu pedido seja atendido.

22-Que ninguém saiba que me contaste isto, avisou o comandante, mandando embora o rapaz.

 

Shaúl é
levado para Cesareia

 

23-Seguidamente, chamou dois dos seus oficiais e ordenou: Destaquem duzentos soldados para que estejam prontos para partir para Cesareia às nove horas desta noite! Levem duzentos lanceiros e setenta homens de cavalaria.

24-Deem uma montada a Shaúl e conduzam-no em segurança ao governador Félix.

25-Escreveu também esta carta ao governador:

26-30- Cláudio Lisias,para Sua Excelência o Governador Félix: Saudações!Este homem foi detido pelos YAHÚ-dim. Estavam a ponto de o matar quando enviei soldados para o livrar, pois soube que era cidadão romano. Depois, levei-o perante o conselho dos YAHÚ-dim para procurar saber o que fizera. Descobri que se tratava de qualquer coisa respeitante às crenças YAHÚ-dim, sem dúvida nada que merecesse prisão ou morte. Mas, quando fui informado duma conspiração para o matar, resolvi mandá-lo à vossa presença, e os acusadores que vos apresentem a sua queixa.

31-32-Naquela noite, de acordo com as ordens dadas, os soldados
levaram Shaúl para Antipatris. Na manhã seguinte a guarda que ia a pé regressou
à fortaleza, deixando-o com a cavalaria, que o escoltou no resto do caminho até
Cesaréia

33-34-Quando chegaram a Cesareia, apresentaram Shaúl e a carta ao
governador que, depois de a ler, perguntou a Shaúl de onde era. Da Cilícia,
respondeu.

35-Quando os seus acusadores chegarem, estudarei o caso a fundo,
disse-lhe o governador, mandando que o metessem na prisão no palácio do rei
Herod.

 

ATOS 24

 

A audiência
perante Félix

 

1-Cinco dias depois chegava Anan-YAHU, o supremo intermediário, acompanhado de alguns dos anciãos do povo e de um certo Tertulo, advogado, para apresentarem as suas acusações contra Shaúl.

2-Quando Shaúl foi trazido, Tertulo expôs as acusações que eram feitas a Shaúl no seguinte discurso dirigido ao governador:Excelentíssimo Felix, graças à sua pessoa e à sua sábia administração, muita coisa boa e muita paz tem tido este povo,

3-ve tudo isto é com imensa gratidão que o reconhecemos.

4-Mas, para que o não enfade, solicito a sua atenção durante um hora enquanto exponho em resumo as nossas acusações contra este homem.

5-É que verificamos tratar-se de um agitador, um homem que
constantemente incita os YAHÚ-dim no mundo inteiro a tumultos e rebeliões
contra o governo romano. É ele o cabecilha da seita conhecida pelo nome de
Nuzrothím

6-7-Além disso, tentava profanar o Templo quando o prendemos. Ter-lhe-íamos dado o castigo que justamente merece se Lisias, comandante da guarnição, não tivesse aparecido, arrancando-o violentamente das nossas mãos e exigindo que fosse julgado pela lei romana.-

8-Basta interrogá-lo para comprovar a verdade das nossas acusações.

9-Logo os outros YAHÚ-dim fizeram coro, afirmando ser verdade tudo quanto Tertulo acabara de dizer.

10-Era a vez de Shaúl falar. O governador, com um gesto, mandou-lhe que falasse. Shaúl começou: Sei que, desde há muitos anos, o governador é conhecedor dos problemas desta nação; por isso com mais confiança faço a minha defesa.

11-13-Poderá facilmente averiguar que há apenas doze dias atrás cheguei a YAHUSHUA-oléym para adorar no Templo, sem nunca ter provocado tumultos em quaisquer sinagogas ou nas ruas de qualquer cidade; e estes homens não poderão provar os atos de que me acusam.

.
14-15-Mas uma coisa confesso: é que conforme o Caminho a que eles chamam seita,
sirvo YAHU UL dos nossos antepassados, acredito em tudo o que está escrito na
lei e nos profetas, e, tal como eles, acredito na ressurreição de justos e
injustos.

16-Por isso procuro sempre ter uma consciência limpa perante YAHU UL e
os homens.

17-Depois de diversos anos de ausência, voltei a YAHUSHUA-oléym com
dinheiro para auxiliar os YAHÚ-dim, e para oferecer um sacrifício a YAHU UL.

.
18-Os meus acusadores viram-me no Templo fazendo isso. Tinha terminado o ritualda santificação, e não havia nenhuma multidão à minha volta, nenhum motim!

.
19-Estavam lá, porém, alguns YAHÚ-dim da província da Ásia, que deveriam também estar aqui se têm alguma coisa de que me acusar.-

20-21-Pergunte-se aos homens que estão presentes de que maus atos o seu tribunal me considera réu, a não ser estas palavras que ali proferi: Estou aqui perante o conselho para me defender por acreditar na ressurreição dos mortos!veem

22-23-Félix, que estava bem informado acerca do Caminho, suspendeu a audiência e disse aos YAHÚ-dim que aguardassem a chegada de Lisias, comandante da guarnição, e que então daria solução ao caso. Mandou Shaúl para a prisão, mas deu ordens aos guardas para que o tratassem com bondade e não impedissem qualquer dos seus amigos de o visitar ou de lhe levar ajuda.

24-25-Alguns dias decorridos, veio Félix com Drusila, sua esposa, que era judia. Mandando chamar Shaúl, escutaram-no enquanto lhes falava na sua fé em YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY. E enquanto Shaúl discutia com eles acerca da justiça, da temperança e do julgamento futuro, Félix, aterrorizado, respondeu: Pode-se ir embora, por agora; tornarei a ouvi-lo numa altura mais conveniente.

26-Esperava ainda que Shaúl lhe desse dinheiro para sair em liberdade, e por isso chamava-o muitas vezes para conversarem.

27-Assim se passaram dois anos, até que Félix foi substituído por
Porcio Festo. Aquele, como queria conquistar as boas graças dos YAHÚ-dim,
deixou Shaúl preso.

 

ATOS 25

 

Shaúl
perante Festo

 

1-2-Três dias depois de ter chegado a Cesareia para começar a desempenhar o seu novo cargo, Festo partiu para YAHUSHUA-oléym, onde os principais dos intermediários e outros chefes YAHÚ-dim logo o procuraram para tornarem a acusar Shaúl,

.
3-rogando-lhe que trouxesse este imediatamente para YAHUSHUA-oléym. (Mas o que queriam era sair-lhe ao caminho e matá-lo

4-5-Festo contudo respondeu que uma vez que Shaúl estava em Cesareia e ele próprio voltaria muito cedo para essa cidade, quem tivesse autoridade para intervir no caso deveria acompanhá-lo para assistir ao julgamento.

6-8-Oito ou dez dias depois, regressou a Cesareia, e logo no dia imediato começou o julgamento. Quando Shaúl entrou no tribunal, os YAHÚ-dim de YAHUSHUA-oléym começaram a pressionar o governador, acusando Shaúl de muitos atos graves mas que não podiam provar. Este, negou as acusações e disse: Estou inocente; não me opus às leis YAHÚ-dim, não profanei o Templo, nem me revoltei contra o governo romano.

9-Festo, desejoso de agradar aos YAHÚ-dim, perguntou-lhe: Você está disposto a ir a YAHUSHUA-oléym para ali ser julgado perante mim?

10-Mas Shaúl respondeu: Não! Estou num tribunal romano, é aqui que
devo ser julgado. Sabe muito bem que não estou culpado.

11-Se alguma coisa fiz que mereça a morte, não me recuso a morrer! Mas se estou inocente ninguém tem autoridade para me entregar a estes homens para que me matem. Apelo para César.

.
12-Festo conversou com os seus conselheiros e respondeu: Está bem! Apelou para
César e perante César comparecerá!

 

Festo
aconselha-se com o rei Agripa

 

13-Alguns dias depois, chegava o rei Agripa com Berenicea para visitar Festo.

.
14-16-Durante a sua estadia de vários dias, Festo discutiu o caso de Shaúl com o
rei. Temos aqui um preso, disse, cujo caso Félix me deixou. Quando estive em
YAHUSHUA-oléym, os principais dos intermediários e outros chefes dos YAHÚ-dim
deram-me a sua história dos acontecimentos e pediram-me que o condenasse à
morte. Disse-lhes logo que a lei romana não condena um homem sem primeiro o
julgar e lhe dar oportunidade de se defender na presença dos seus acusadores.

.
17-19-Quando cá vieram para o julgamento marquei a audiência para o dia seguinte
e mandei que trouxessem o acusado. Todavia, o que tinham contra ele não era
nada do que eu esperava. Tratava-se de qualquer coisa acerca da sua religião e
de um tal YAHUSHUA que morreu mas que Shaúl teima que está vivo!

20-21-Fiquei hesitante perante um caso deste gênero e perguntei-lhe se estava disposto a ser julgado em YAHUSHUA-oléym para responder por estas mesmas acusações. Mas Shaúl apelou para César, por isso mantive-o detido até poder enviá-lo ao imperador.

.
22-Gostava de escutar o homem, disse Agripa.Amanhã ouvi-lo-ás, respondeu Festo.

 

Shaúl
perante Agripa

 

23-No dia seguinte, depois de o rei e Berenice terem chegado ao tribunal com grande pompa, acompanhados por oficiais do exército e pessoas importantes da cidade, Festo mandou que trouxessem Shaúl.

24-Festo dirigiu-se então ao auditório: Rei Agripa e todos os presentes, aqui está o homem cuja morte é exigida pelos YAHÚ-dim, tanto daqui como de YAHUSHUA-oléym.

25-Contudo, no meu entender ele nada fez digno de morte. Mas, como apelou para César, não tenho outro remédio senão mandá-lo para Roma.

26-Não tenho uma verdadeira acusação contra ele de que dê conta ao Imperador. Por isso o trouxe perante todos, especialmente perante ti, ó rei Agripa, para que o examines e me digas que devo escrever.

27-De fato não me parece razoável mandar um prisioneiro a César sem que haja uma acusação devidamente formada.

 

ATOS 26

 

1-Agripa dirigiu-se então a Shaúl: Diga-nos o que tem a declarar. Shaúl, estendendo a mão, apresentou a sua defesa:

2-3-Considero-me feliz, rei Agripa, por poder responder na sua presença por tudo aquilo de que sou acusado pelos YAHÚ-dim, sobretudo sabendo eu que é conhecedor das leis e costumes YAHÚ-dim. Rogo-lhe, portanto, que me ouça com paciência!

4-5-Os YAHÚ-dim conhecem a educação Judaísmo que recebi desde a mocidade em YAHUSHUA-oléym. Se o quiserem confessar, sabem que sempre fui dos Farsyím mais escrupulosos na obediência às leis e costumes dos YAHÚ-dim.

6-7-E agora por eu esperar o cumprimento da promessa de YAHU UL aos nossos antepassados estou a ser julgado aqui. As doze tribos de YAshorúl lutam noite a dia por alcançar essa esperança que eu tenho! No entanto, Majestade, é essa a acusação que os YAHÚ-dim me fazem!e

8-Pois quê? Será assim difícil crer na ressurreição dos mortos?

9-11-Eu antes julgava ser um dever fazer muita coisa contra os seguidores de YAHUSHUA Nudtzorothíy. E foi o que fiz em YAHUSHUA-oléym. Autorizado pelos chefes dos intermediários pus muitos dos crentes nas prisões; e quando eram condenados à morte, votava contra eles. Servi-me da tortura para tentar obrigar os YAHUSHUAhim, por todas as sinagogas, a amaldiçoarem o Shúam (Nome) de YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY. Era tão forte o ódio que lhes tinha, que cheguei a persegui-los em cidades de países estrangeiros.

12-14-Uma missão dessas levou-me a Damasco, tendo recebido autoridade e ordens dos principais intermediários. De caminho, cerca do meio-dia, ó rei, brilhou sobre mim e os meus companheiros uma luz do céu, luz essa mais forte do que a do próprio sol. Caímos por terra e ouvi uma voz que me dizia em Hebraico: Shaúl, Shaúl, porque me persegues? Não é bom ser-se obstinado.

15-Quem és tu, Molkhiúl?, perguntei e o Molkhiúl YAHUSHUA
respondeu: Sou YAHUSHUA, aquele a quem persegues

16-Levanta-te, poisapareci-te para te nomear meu enviado e minha testemunha. Deveras contar ao mundo isto que agora te acontece. E, no futuro, ainda hei-de aparecer-te mais vezes e anunciarás o que vires.

17-Proteger-te-ei tanto dos teus compatriotas como dos não-YAHÚ-dim. Sim, vou enviar-te até aos Gentíles,

18-para lhes abrires os olhos, para que possam sair das trevas para a luz e do poder de ha-Satan para YAHU UL. Então receberão o perdão dos seus pecados e terão um lugar entre o povo de YAHU UL, que está santificado pela sua fé em mim.veem

19-20-E assim, ó rei Agripa, não fui desobediente a essa visão celestial! Preguei primeiro em Damasco, depois em YAHUSHUA-oléym e em toda a YAHUDAH, e também aos Gentíles, anunciando-lhes que todos devem abandonar os seus pecados e converter-se a YAHU UL, provando o arrependimento com a prática de boas ações

21-23-Os YAHÚ-dim prenderam-me no Templo por causa disto e tentaram matar-me, mas YAHU UL protegeu-me, pelo que agora aqui estou vivo, hoje, para contar estes pele a toda a gente, a grandes e a pequenos. Só ensino o que os profetas e Mehushua
disseram: que hol-MEHUSHKHAY (o Messias) haveria de sofrer e ser o primeiro a
ressuscitar da morte, para levar a luz tanto aos YAHÚ-dim como aos Gentíles.

.
24De repente Festo gritou: Shaúl, você está louco! Tanto estudo fê-lo perder o
juízo!

25-Shaúl respondeu: Não estou louco, não, Excelência. Falo a linguagem da
verdade e do bom senso.

26-E o rei Agripa conhece estas coisas. Falo com ousadia porque estou certo de que estas coisas lhe são familiares. Estas coisas não foram feitas às escondidas.

27-Rei Agripa, crê nos profetas? Sei que crê.
28-Agripa, porém, interrompeu-o. Por mais um pouco convencia-me a fazer-me
YAHUSHUAhee!

29-E Shaúl: E o que eu peço a YAHU UL é que, por pouco ou por
muito, tanto o rei como todos quantos aqui estão a ouvir-me sejam como eu, mas
sem estas correntes.

30-Então o rei, o governador, Berenice e todos os outros
ali presentes levantaram-se e saíram. a

31-Conversando depois sobre o caso, concordaram: Este homem nada fez que mereça morte ou prisão.

32-E Agripa disse a Festo: Bem podia ser posto em liberdade se não tivesse apelado para César!

 

ATOS 27

 

A partida
de Shaúl para Roma

 

1-2-Finalmente,fizeram-se preparativos para a viagem por mar até Itália. Shaúl e diversos outros presos foram confiados à vigilância de um oficial chamado Yúlio,
pertencente ao Regimento Imperial. Partimos num barco que ia para a Adramítio e
que tocaria em vários portos da costa da província da Ásia. Estávamos
acompanhados de Aristarco, um Grego de Tessalônica

3-No dia seguinte, quando atracamos em Sidom, Yúlio mostrou-se muito amável para com Shaúl, permitindo-lhe que fosse a terra visitar amigos e receber a ajuda que precisasse.

4-5-Quando dali partimos, apanhamos ventos de proa que tornavam
difícil conservar o navio no rumo; assim, seguimos pelo norte de Cyprus, entre
a ilha e o continente, costeamos as províncias da Cilícia e Panfília,
desembarcando em Mirra, na província da Lícia

6-8-Aí, o oficial encontrou um barco egípcio vindo de Alexandria e que se dirigia à Itália, e fez-nos embarcar nele. Após vários dias de navegação difícil, aproximamo-nos por fim de Cnido, mas o vento era demasiado forte e atravessamos para Creta, passando o porto de Shua-ólmohe. Navegando contra o vento com grande dificuldade, e avançando lentamente ao longo da costa sul, chegámos a Bons Portos, perto da cidade de Laseia.

9-Ali nos demoramos vários dias. O tempo estava já a ficar perigoso para
viagens de longo curso porque se aproximava o Inverno, e Shaúl falou nisso à
tripulação:

10-Olhem que nos podemos meter em trabalhos se prosseguirmos viagem;
podemos perder a carga e as nossas vidas.

11-12-Mas os oficiais encarregados de vigiarem os presos davam mais ouvidos ao piloto e ao dono do navio do que a Shaúl. Como aquele porto não tivesse boas condições para passar o Inverno, a maior parte da tripulação achava melhor tentarem subir mais pela costa até Fênix, que era outro porto, mas abrigado, aberto só a noroeste e sudoeste, e onde se podia melhor passar o Inverno.

 

A
tempestade

 

13-Nesse momento começou a soprar brandamente um vento do sul, e o dia parecia bom para viagem; assim, levantaram ferro e foram navegando ao longo da costa.

14-15-Pouco depois, porém, um vento muito forte abateu-se sobre o navio, empurrando-o para o mar; era o nordeste, como lhe chamavam. E não conseguindo navegar assim, deram mão de tudo e deixaram o navio ir à deriva à frente do vento,

.
16-17-Finalmente, viemos parar atrás duma pequena ilha chamada Clauda, onde com grande dificuldade içamos para bordo o bote que trazíamos a reboque, amarrando depois o barco com cordas para reforçar o casco. Os marinheiros tinham medo de serem atirados para os bancos de areia da costa africana, e, assim, baixaram a vela grande e continuaram impelidos à frente do vento.

18-19-No dia seguinte, como o mar piorasse ainda mais, a tripulação começou a deitar a carga pela borda fora. No outro dia, atiraram ao mar os aprestos e tudo o mais a que podiam lançar mão.

20-Esta terrível tempestade continuou durante muitos dias sem abrandar, não sendo possível a orientação nem pelo sol nem pelas cocavím (est-elas). Por fim, todas as esperanças se perderam.

21-Ninguém comia havia já muito tempo, até que Shaúl, reunindo a tripulação, disse: Deviam ter-me dado ouvidos e não sair de Bons Portos; assim ter-se-ia evitado todo este estrago e perda!

22-Mas agora, coragem! O navio afundar-se-á, mas nenhum de nós
perderá a vida,

23-24-porque a noite passada um anjo de YAHU UL a quem pertenço
e sirvo surgiu perante mim e disse: veemNada receies, Shaúl, porque serás
julgado diante de César! E mais ainda: YAHU UL, na sua bondade, concedeu o teu
pedido e salvará a vida de todos os que contigo viajam.veem

25-Por isso,animem-se! Creio em YAHU UL. Estou certo de que será tal como ele disse.

.
26-Todavia havemos de naufragar nalguma ilha.

 

O naufrágio

 

27-29-Perto de meia-noite, a décima quarta da tempestade, andávamos nós perdidos no Adriático, quando os marinheiros desconfiaram que havia terra ali perto.
Lançaram a sonda e encontraram trinta e sete metros de fundo. Pouco depois, já
eram só vinte e oito metros. Não tardaria que dessem à costa e, com medo de
encalhar em rochedos, lançaram quatro âncoras pela ré, ansiando pela manhã.

.
30-32-Alguns dos marinheiros resolveram escapar-se do barco e arrearam o escaler
de emergência sob pretexto de lançar âncoras pela proa. Shaúl, porém, disse aos
soldados e ao comandante: Ninguém se poderá salvar se estes homens não ficarem
a bordo. Então, os soldados cortaram os cabos e deixaram o escaler tombar na
água.

33-34-Quando veio a luz da madrugada, Shaúl pediu a todos que comessem: Há
duas semanas que ninguém se alimenta. Por favor, e para vosso bem, comam agora
qualquer coisa, porque nem um cabelo das vossas cabeças se perderá.

35-38-Ele próprio pegou num pão, agradeceu a YAHU UL na presença de todos, partiu um pedaço e comeu-o. Toda a gente se sentiu mais animada e começou a comer; éramos duzentos e setenta e seis pessoas a bordo. Depois de comer, os tripulantes tornaram a aliviar o navio, deitando todo o trigo pela borda fora.

39-41-Quando se fez dia, não reconheceram a costa, mas, reparando numa baía com uma praia, perguntaram a si próprios se conseguiriam passar por entre os rochedos para que as ondas os atirassem para o areal. Resolveram, então, tentar. Cortando os
cabos às âncoras e deixando-as no fundo, desprenderam os lemes, içaram a vela
grande e apontaram à praia. O barco, porém, encalhou num banco de areia. A proa
enterrou-se, enquanto que a popa, exposta à força das ondas, começou a
desfazer-se.

42-44-Os soldados aconselharam o seu comandante a deixá-los matar
os presos, não fosse algum nadar para terra e escapar-se. Mas Yúlio, desejando
poupar a vida a Shaúl, disse que não. Mandou então a todos quantos soubessem
nadar que saltassem pela amurada e fossem para terra, enquanto os restantes
tentariam fazê-lo agarrados a pranchas e destroços do navio. E foi assim que
todos chegaram a terra.

 

ATOS 28

 

Na ilha de
Malta

 

1-2-Em breve soubemos que estávamos na ilha de Malta. O povo da ilha tratou-nos com muita bondade, acendendo uma fogueira na praia para nos dar as boas-vindas e nos aquecer da chuva e do frio.

3-5-Estava Shaúl a apanhar um braçado de gravetos para pôr no fogo quando se lhe agarrou à mão uma cobra venenosa que fugia do calor. O povo da ilha, ao ver a cobra assim pendurada, disse entre si: É assassino, não há dúvida! Escapou ao mar, mas o destino não o deixa viver! Shaúl, porém, sacudiu a cobra para dentro do lume e não lhe aconteceu nada.

6-As pessoas esperavam que ele começasse a inchar ou caísse vitimado por morte
repentina; mas quando, depois de esperarem muito tempo, viram que nada lhe
sucedia, mudaram de opinião e convenceram-se de que era um ídolo

7-8-Perto da praia onde desembarcamos havia uma herdade que pertencia a Públio, governador da ilha. Este homem acolheu-nos com muita bondade e sustentou-nos durante três dias. Ora, sucedia que o pai de Públio estava doente, com febre e disenteria. Shaúl entrou na casa, orou pelo enfermo, colocou as mãos sobre ele e curou-o!

.
9-10-Todos os outros doentes que haviam na ilha procuraram Shaúl e foram
curados. Como resultado, recebemos muitas atenções, e chegada a altura de nos
retirarmos, puseram-nos a bordo tudo aquilo de que precisávamos para a viagem.

 

Shaúl em
Roma

 

11-Tinham-se já passado três meses depois do naufrágio quando nos fizemos de novo ao mar, desta vez num barco chamado Os Gémeos, de Alexandria, que invernara na ilha.

.
12-14-O nosso primeiro porto de paragem foi Siracusa, onde ficamos três dias.
Dali, navegámos ao longo da costa até Régio; no dia seguinte começou a soprar o
vento do sul, de forma que chegámos a Putéoli no dia imediato. Ali encontramos
alguns crentes, que nos pediram que ficássemos com eles durante os próximos
sete dias. Seguidamente, retomamos a viagem até Roma.

15-Os crentes em Roma tinham sabido da nossa próxima chegada e vieram ter connosco à Praça de Ápio, enquanto que os outros se nos juntavam nas Três Tabernas. Ao vê-los, Shaúl deu graças a YAHU UL e sentiu-se muito animado.

16-17-Quando chegamos a Roma, Shaúl teve autorização para viver onde quisesse, mas sempre guardado por um soldado.Três dias depois da sua chegada, reuniu os chefes locais dos YAHÚ-dim e disse-lhes: Irmãos, fui preso em YAHUSHUA-oléym e entregue às autoridades romanas, embora não tenha feito mal a ninguém nem ofendido os costumes dos nossos antepassados.

18-19-Os ROMANOS julgaram-me e queriam libertar-me, pois não viam razão para a sentença de morte exigida pelos chefes YAHÚ-dim. Mas, quando os YAHÚ-dim protestaram contra esta decisão, vi-me na necessidade de apelar para César, embora sem querer acusar a minha nação.

20-Pedi-lhes que viessem hoje aqui para nos ficarmos a conhecer e para lhes dizer que, se estou preso por esta corrente, é por crer na esperança de YAshorúl.

21-Ao que eles responderam: Nada ouvimos contra ti! Não recebemos quaisquer cartas da YAHUDAH ou informações a teu respeito por parte de algum irmão dizendo mal de ti

22-Mas interessa-nos ouvir quais são as tuas crenças, porque a única coisa que sabemos acerca desses YAHUSHUAhim é que são acusados em toda a parte!

23-Combinaram uma data, e grande número de YAHÚ-dim foi à casa onde Shaúl vivia. Shaúl falou-lhes no reino de YAHU UL e, baseando-se nos livros de Mehushua e nos livros proféticos, procurou convencê-los acerca de YAHUSHUA, em conversas que iam da manhã à noite.

24-Alguns acreditavam, e outros não

25-Mas depois de muito discutirem entre si, Shaúl disse-lhes antes de se irem embora: O RÚKHA hol-HODSHUA tinha razão quando disse aos nossos antepassados, por intermédio do profeta YASHUAYAHU:

26-27-Vai, diz a este povo: Vocês ouvem mas não compreendem, veem mas não percebem,porque o vosso coração está endurecido. Taparam os ouvidos para não ter que ouvirem, fecharam os olhos para não terem que compreender, pois não querem voltar-se para mim,para que os cure.

28-Quero que compreendam que esta salvação de YAHU UL é também para os Gentíles, e que eles a aceitarão.

29-E quando disse estas palavras, os YAHÚ-dim retiraram-se, e
havia grande dissensão entre eles.

30-31-Shaúl passou os dois anos seguintes na casa que alugara, e recebia todos os que o visitavam, proclamando o reino de YAHU UL com ousadia e ensinando acerca do Molkhiúl YAHUSHUA hol-MEHUSHKHAY, sem impedimento algum.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: