ministeriohorafinal

Lucas

In Uncategorized on fevereiro 10, 2011 at 3:36 am

Lucas

LUCAS 1

Introdução

1Excelentíssimo
Ohavyáo: Escreveram-se já várias narrativas sobre hol-MEHUSHKHAY (o Messias),
2em que se usaram relatos que nos foram feitos pelos que viram o que aconteceu
desde o início e que se tornaram mensageiros da Mensagem Gloriosa de YAHU UL.
3Pareceu-me, contudo, que seria bom ordenar todos esses relatos, dos mais
antigos aos mais recentes, e, após um exame completo, dar-te este resumo desses
pele que aconteceram no nosso meio, 4para fortalecer a tua confiança na verdade
de tudo o que te foi ensinado.

O nascimento
de YAHUKHANAM Batista predito

5-7No tempo
em que Herod era rei da YAHUDAH, viveu um intermediário espiritual (sacerdote)
YAHÚ-di chamado ZOCHARYAHU, o qual pertencia ao turno de Abi-YAHU no serviço do
Templo. Tal como ele próprio, também sua mulher Olíza-Bóhay pertencia à tribo
sacerdotal, sendo descendente de Aharón. ZOCHARYAHU e Olíza-Bóhay eram crentes,
cuidadosos em observar todas as leis e preceitos de YAHU UL. Sucedia que não
tinham filhos, pois Olíza-Bóhay era estéril e ambos já eram muito velhos.
8-10Certo dia, encontrando-se ZOCHARYAHU ocupado no seu cargo no Templo, porque
naquela semana era o turno dele que estava de serviço, coube-lhe por sorteio
entrar no Templo interior e queimar incenso diante de YAHU UL. Entretanto,
grande multidão orava lá fora no pátio do Templo, como sempre se fazia na
altura do culto em que se queimava o incenso. 11-12Achava-se ZOCHARYAHU no
Templo quando, de súbito, apareceu um anjo de pé à direita do altar do incenso!
ZOCHARYAHU ficou perturbado e cheio de medo, 13mas o anjo disse-lhe:Não
receies, ZOCHARYAHU, porque vim dizer-te que YAHU UL ouviu as tuas orações e
que tua mulher Olíza-Bóhay vai dar à luz um filho teu, ao qual porás o nome de
YAHUKHANAM! 14O seu nascimento dar-vos-á grande prazer e contentamento, e
muitos se alegrarão convosco, 15pois ele será grande diante de YAHU UL. Nunca
devera beber vinho ou bebida alcoólica, e será cheio do RÚKHA hol-HODSHUA
(Espírito Santo) antes mesmo do seu nascimento. 16Convencerá muitos YAHÚ-dim a
voltarem-se para YAHU UL, seu Criador Eterno. 17Será um homem forte de espírito
e dotado de grande poder, tal como o profeta Uli-YAHU, preparando o povo para
receber YAHU UL. Porá o coração dos pais de acordo com o dos filhos, e mudará
as mentes desobedientes para que respeitem e obedeçam a YAHU UL. 18ZOCHARYAHU
disse ao anjo: Como posso saber que isso vai acontecer? Já sou velho, e também
minha mulher é de idade bastante avançada. 19-20Então o anjo disse: Eu sou
Gaborúl! O meu lugar é na própria presença de YAHU UL. Foi ele quem me mandou
trazer-te esta boa notícia! Mas, como não creste no que te disse, ficarás mudo
e não poderás falar até que a criança nasça. E as minhas palavras irão
cumprir-se no seu devido tempo. 21-23Entretanto, o povo esperava que ZOCHARYAHU
aparecesse e admirava-se por se demorar tanto. Quando finalmente saiu, não
conseguia falar, e perceberam pelos seus gestos que devia ter tido qualquer
visão no Templo. ZOCHARYAHU ali ficou durante os dias que lhe restavam de
serviço e depois voltou para casa. 24-25Passado pouco tempo, sua mulher
Olíza-Bóhay ficou grávida e viveu recolhida durante cinco meses. Com YAHU UL é
bom, exclamava, livrando-me assim da tristeza de não ter filhos!

O nascimento
de YAHUSHUA anunciado a Maoro-ém

26-28Passados
seis meses, YAHU UL mandou o anjo Gaborúl a Nudtzoróth, uma localidade da
Galileia, a uma virgem, Maoro-ém, prometida em casamento a um homem chamado
YAHU-saf, descendente do rei Dáoud. Gaborúl apareceu-lhe e disse: Eu te saúdo,
mulher favorecida! YAHU UL está contigo! 29Confusa e perturbada, Maoro-ém
perguntava a si própria o que quereria o anjo dizer com aquelas palavras. 30-33Não
tenhas medo, Maoro-ém, continuou o anjo, porque YAHU UL vai dar-te uma bênção
maravilhosa! Muito em breve ficarás grávida e terás um menino, a quem chamarás
YAHUSHUA. Será grande – será chamado ha-BOR do Altíssimo. YAHU UL o Criador
Eterno lhe dará o trono do seu antepassado, o rei Dáoud. Governará sobre a
descendência de YAshorúl para sempre. O seu reino jamais terá fim! 34Maoro-ém,
então, perguntou ao anjo: Mas como posso ter um filho se sou virgem? 35-37O
anjo respondeu: O RÚKHA hol-HODSHUA virá sobre ti, e o poder de YAHU UL
altíssimo cobrir-te-á como uma sombra; por isso, o menino que de ti vai nascer
será santo, e será chamado ha-BOR (Filho) de YAHU UL. Além disso, também há
seis meses Olíza-Bóhay, a tua parente, que toda a gente considerava estéril,
ficou grávida, apesar da sua velhice! Porque nada é impossível para YAHU UL.
38E Maoro-ém respondeu: Dependo só de YAHU UL. Que se faça em mim segundo o que
disseste. Que aconteça comigo tudo o que disseste. Então o anjo desapareceu.

Maoro-ém
visita Olíza-Bóhay

39-41Alguns
dias mais tarde, Maoro-ém foi apressadamente às terras montanhosas da YAHUDAH,
à vila onde ZOCHARYAHU morava, para visitar Olíza-Bóhay. Quando Maoro-ém saudou
a prima, o menino de Olíza-Bóhay saltou no seu ventre, e Olíza-Bóhay ficou
cheia do RÚKHA hol-HODSHUA. 42Com grande contentamento, Olíza-Bóhay exclamou,
dirigindo-se a Maoro-ém: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o filho
que estás a gerar. 43-45Grande honra é esta, a de ser visitada pela mãe do meu
YAHU UL! Quando me deste a tua saudação, no momento em que ouvi a tua voz, o
menino saltou de alegria dentro de mim! És feliz por teres crido que YAHU UL
cumpriria as coisas que te foram ditas.

O cântico de
Maoro-ém

46-55E
Maoro-ém respondeu:

Oh, como eu louvo YAHU UL! E quanto me
alegro em YAHU UL, meu MíhushuaYA (Salvador)! Porque reparou na sua humilde
servidora, e agora, por todas as gerações, serei chamada bendita de YAHU UL.
Pois ele, YAHU UL santo e poderoso, me fez grandes coisas. A sua misericórdia
estende-se para sempre a todos os que o temem. Como é poderoso o seu forte
braço! Como faz fugir os orgulhosos e os arrogantes! Arrancou os príncipes dos
seus tronos e exaltou os humildes. Fartou os famintos com coisas boas e mandou
embora os ricos de mãos vazias. Socorreu o povo de YAshorúl, que o serve! Não
esqueceu a sua promessa de se mostrar compassivo. Porque prometeu aos nossos
pais, Abruham e seus filhos,ser misericordioso com eles para sempre. 56Maoro-ém
ficou com Olíza-Bóhay cerca de três meses e depois voltou para casa.

O nascimento
de YAHUKHANAM Batista

57-58Entretanto,
o período de espera de Olíza-Bóhay chegou ao seu termo, e veio a momento da
criança nascer. Era um menino. A notícia de como YAHU UL tinha sido bondoso
para ela espalhou-se rapidamente entre vizinhos e parentes, e todos se
alegraram com ela. 59Oito dias depois de nascer, parentes e amigos vieram para
a cerimônia da circuncisão. Todos julgavam que a criança se chamaria
ZOCHARYAHU, como o pai. 60Mas Olíza-Bóhay disse: Não, ele vai chamar-se YAHUKHANAM!
61E exclamaram: YAHUKHANAM? Em toda a
tua família não há ninguém que se chame assim. 62Então perguntaram por gestos
ao pai da criança como iria ela chamar-se. 63Ele pediu por sinais uma pequena
placa e, com grande espanto de todos, escreveu, O nome dele é YAHUKHANAM. 64E
logo ZOCHARYAHU conseguiu falar de novo, começando a louvar YAHU UL. 65O pasmo
espalhou-se por toda a vizinhança e a notícia do sucedido correu pelos montes
da YAHUDAH. 66Todos quantos ouviam falar no caso pensavam demoradamente e
perguntavam: Quem virá a ser este menino no futuro? Porque, de fato, a mão de
YAHU UL está sobre ele de maneira muito especial. 67Então seu pai, ZOCHARYAHU,
cheio do RÚKHA hol-HODSHUA, falou em Shúam (Nome) de YAHU UL:

O cântico de
ZOCHARYAHU

68-79 Haolul-YAHU
UL, o Criador Eterno de YAshorúl, porque veio dar auxílio ao seu povo e o
salvou. Agora manda-nos um MíhushuaYA poderoso,da descendência do seu servo, o
rei Dáoud, conforme prometeu através dos santos profetas, há muito tempo,
alguém que nos livre dos nossos inimigos,de todos os que nos odeiam. Teve
piedade dos nossos antepassados, sim, do próprio Abruham, lembrando-se da
aliança sagrada que com ele fez, dando-nos o privilégio de servir YAHU UL sem
receio,libertos dos nossos inimigos, e tornando-nos santos e aceitáveis,aptos
para estar na sua presença para sempre. E tu, meu filho, serás chamado profeta
de YAHU UL glorioso, porque prepararás o caminho para YAHU UL. Dirás ao seu
povo como achar a salvação,através do perdão dos pecados. Tudo isto porque a
misericórdia do nosso YAHU UL é muito grande, e porque o sol divino está
prestes a brilhar sobre nós, para dar luz aos que se encontram sentados na
escuridãoe na noite da morte, e para nos guiar pelo caminho da paz. 80O menino
ia crescendo e o seu espírito amadurecia; mais tarde vivia no deserto, até que
começou com o seu trabalho público em YAshorúl.

LUCAS 2

O nascimento
de YAHUSHUA

1Por esse
tempo, César Augusto, o imperador romano, mandou que se fizesse um registo
geral dos habitantes de todo o império romano. 2Este recenseamento foi feito
sendo Cirénio governador da Syria. 3Todos tinham que voltar à terra natal para
registarem os seus nomes. 4-5E como YAHU-saf era da descendência real, teve que
ir a Beth-Lékhem, na YAHUDAH, a terra natal do rei Dáoud, desde a cidade de
Nudtzoróth na Galileia. Levou consigo Maoro-ém, sua noiva, cuja gravidez estava
já avançada nessa altura. 6-7Enquanto ali se encontravam, chegou a momento de
dar à luz; e nasceu-lhe o seu primeiro filho, que envolveu em panos e deitou na
manjedoura de um estábulo, onde se viram obrigados a recolher, por não haver
para eles lugar na hospedaria da povoação.

Os anciãos e
os anjos

8Naquela
noite, encontravam-se nos campos fora da vila alguns anciãos que guardavam os
seus rebanhos. 9Eis que de súbito apareceu entre eles um anjo, e o campo ficou
iluminado com a glória de YAHU UL. Sentiram muito medo, 10mas o anjo
sossegou-os: Não tenham medo; trago-vos a notícia mais feliz e que se destina a
toda a gente! 11Esta noite, em Beth-Lékhem, a cidade de Dáoud, nasceu o
MíhushuaYA (Salvador) – sim, hol-MEHUSHKHAY, ha-Molkhiúl (o Rei). 12É assim que
o reconhecerão: encontrarão a criancinha envolvida em panos e deitada numa
manjedoura. 13E eis que, de repente, se juntou outro grande grupo de anjos, louvando
YAHU UL:

14Glória a YAHU UL, no mais alto dos
shua-ólmaYA (céus), paz na terra aos homens a quem YAHU UL quer bem. 15Depois
deste grande número de anjos ter voltado para os shua-ólmaYA, os anciãos
disseram uns aos outros: Vamos a Beth-Lékhem ver esta coisa maravilhosa que
acontece e de que YAHU UL nos falou. 16Correndo à aldeia, encontraram Maoro-ém
e YAHU-saf, com a criança deitada na manjedoura de um estábulo. 17Os anciãos
falavam a toda a gente no que tinha acontecido e no que o anjo dissera acerca
daquele menino. 18Todos os que ouviam a história dos anciãos mostravam-se
espantados. 19Maoro-ém, porém, guardava estas coisas no seu coração, pensando
cuidadosamente nelas. 20Por fim, os anciãos voltaram para os campos e rebanhos,
louvando YAHU UL pela visita dos anjos e por terem visto o menino tal como o
anjo lhes dissera.

A
circuncisão de YAHUSHUA

21Passados
oito dias, na cerimônia da sua circuncisão, puseram ao menino o Shúam (Nome) de
YAHUSHUA, o Shúam (Nome) esse que o anjo lhe dera antes mesmo de ter sido
gerado. 22-24Quando chegou a altura de ser levada ao Templo a oferta da
cerimônia de purificação de Maoro-ém, como as leis de Mehushua exigiam, seus
pais levaram-no a YAHUSHUA-oléym para o apresentar a YAHU UL, porque nessas
mesmas leis YAHU UL tinha dito: Se o primeiro filho de uma mulher for rapaz,
será dedicado a YAHU UL. Nessa mesma ocasião, os pais de YAHUSHUA ofereceram
também o seu sacrifício pela purificação, um par de rolas ou dois pombinhos, de
acordo com a lei. 25-26Naquele dia, estava justamente no Templo um homem
chamado Shamiúl, morador em YAHUSHUA-oléym, um crente dedicado a YAHU UL, cheio
do RÚKHA hol-HODSHUA e que vivia constantemente na esperança do breve
aparecimento do Enviado de YAHU UL, pois o RÚKHA hol-HODSHUA tinha-lhe revelado
que não morreria sem ver primeiro aquele que tinha sido designado por YAHU UL.
27-28O RÚKHA hol-HODSHUA inspirou-o a ir ao Templo naquele dia, e assim, quando
Maoro-ém e YAHU-saf chegaram para apresentar o menino YAHUSHUA a YAHU UL em
obediência à lei, Shamiúl estava lá. E tomando a criança nos braços louvou YAHU
UL: 29-32

YAHU UL, agora posso morrer satisfeito,pois
vi aquele que tu me prometeste que veria! Vi o MíhushuaYA (Salvador) que deste
ao mundo. Ele é a luz que brilhará sobre as nações,e será a glória do teu povo
YAshorúl. 33-35 YAHU-saf e Maoro-ém admiravam-se do que se dizia a respeito de
YAHUSHUA. Shamiúl abençoou-os, mas depois disse a Maoro-ém: Uma espada
atravessará a tua alma, porque esta criança será rejeitada por muitos em YAshorúl,
mas para ruína deles. Para muitos outros, porém, será uma grande alegria. E por
ele serão revelados os pensamentos mais profundos de muitos corações. 36-38No
mesmo dia estava também no Templo uma profetisa de YAHU UL chamada Ana, filha
de Fanu-Ul, da tribo de Oshór, de oitenta e quatro anos de idade. Era viúva,
pois o seu marido tinha morrido após sete anos de casados. Nunca saía do
Templo, antes permanecia ali dia e noite, adorando YAHU UL em jejuns e oração.
Enquanto Shamiúl falava com Maoro-ém e YAHU-saf, ela aproximou-se e começou
também a dar graças a YAHU UL e a anunciar publicamente, a todos quantos em
YAHUSHUA-oléym esperavam a chegada do MíhushuaYA (Salvador), que hol-MEHUSHKHAY
(o Messias) tinha finalmente chegado. 39-40Depois de terem cumprido todas as
exigências da lei de YAHU UL, os pais de YAHUSHUA voltaram para Nudtzoróth da
Galileia. Ali o menino foi crescendo, fortalecendo-se física e mentalmente.
Enchia-se de sabedoria e YAHU UL derramava sobre ele as suas bênçãos.

YAHUSHUA no
Templo

41-45Tinha
YAHUSHUA doze anos, acompanhou os pais a YAHUSHUA-oléym para a celebração anual
da PósqaYA, à qual assistiam sempre. Terminada a comemoração, tomaram o caminho
de volta para Nudtzoróth, mas YAHUSHUA ficou para trás em YAHUSHUA-oléym. No
primeiro dia os pais não deram pela sua falta, porque julgavam que estivesse
com amigos entre os outros viajantes. Mas, quando não apareceu naquela noite,
começaram a buscá-lo entre os parentes e amigos, e, não o encontrando, voltaram
a YAHUSHUA-oléym para ali continuarem a procurá-lo. 46-47Três dias depois,
conseguiram descobri-lo. Achava-se no Templo, sentado entre os professores da
lei, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas, deixando toda a gente admirada com a
sua inteligência e respostas. 48Os pais não sabiam que pensar quando o viram
sentado ali. ha-BOR, disse-lhe a mãe, porque nos fizeste isto? Teu pai e eu
estávamos desesperados, à tua procura. 49Mas que necessidade havia de me
procurarem?, disse ele. Não calcularam que eu estaria aqui no Templo, na casa
de meu YAHU ABí, pois que me é necessário tratar dos seus assuntos? 50Mas eles
não entenderam o que dizia. 51 Depois ele voltou com os pais para Nudtzoróth; e
era-lhes obediente. A sua mãe guardava todas estas coisas no coração. 52Assim
foi YAHUSHUA crescendo, tanto em tamanho como em sabedoria, amado por YAHU UL e
pelos homens.

LUCAS 3

YAHUKHANAM
Batista prepara o caminho

1-2Era agora
o décimo quinto ano do reinado do imperador romano Tibério César; era Pilatos
governador da YAHUDAH; Herod governava a Galileia; Felipe, seu irmão, governava
a Itureia e Traconites; Lisânias governava Abilínia. Anás e Caifás eram os
supremos intermediários YAHÚ-dim. Nesse tempo veio uma mensagem de YAHU UL a
YAHUKHANAM, filho de ZOCHARYAHU, enquanto vivia longe, no deserto. 3 YAHUKHANAM
começou então a andar de terra em terra em ambas as margens do YArdayán,
pregando que as pessoas deviam batizar-se, em sinal de se terem voltado para
YAHU UL e abandonado os seus pecados, a fim de serem perdoadas. 4-6Como tinha
dito YASHUAYAHU nas Qaotáv,

YAHUKHANAM era a voz de alguém gritando no
deserto: veemFaçam um caminho para YAHU UL.Façam-lhe um caminho direito e
plano. Encham os vales, nivelem os montes,tornem em rectas os caminhos
ondeantes da montanha,limpem as veredas pedregosas e tapem-lhes as covas. A
salvação de YAHU UL será vista por toda a raça humana. veem 7-9Era assim que YAHUKHANAM pregava às
multidões que vinham para batizar-se: Raça de víboras! Quem os avisou de fugir
do julgamento de YAHU UL que há-de vir? Tratem primeiro de mostrar o vosso
arrependimento pela maneira como vivem. E não pensem que estão em segurança por
descenderem de Abruham. Isso não basta; até destas pedras do deserto YAHU UL
pode fazer nascer filhos de Abruham! O machado do seu julgamento está suspenso
sobre as vossas vidas, prestes a cortar-vos as raízes e a derrubar-vos. Sim,
toda a árvore que não dá bom fruto será abatida e lançada no fogo. 10E a
multidão perguntavam: Que devemos fazer? 11Se alguém tiver dois casacos, que dê
um aos pobres. Quem tiver comida de sobra dê a quem tem fome. 12E até os
cobradores de impostos, conhecidos pela sua falta de escrúpulos, vinham para
serem baptizados e perguntavam: O que devemos fazer? 13Sejam honestos, não
cobrando mais impostos do que o que é exigido. 14E nós, perguntavam uns
soldados, como faremos? E YAHUKHANAM respondia:Não devem tirar dinheiro com
ameaças ou pela força, nem acusar ninguém que sabem estar inocente.
Contentem-se com o vosso soldo! 15-17Todos aguardavam o breve aparecimento do
Enviado de YAHU UL e andavam impacientes por saber se YAHUKHANAM seria ou não
hol-MEHUSHKHAY (o Messias). A essa questão respondeu YAHUKHANAM: Eu baptizo
apenas com água, mas em breve virá alguém com autoridade muito maior do que a
minha e de quem não sou digno sequer de desatar as correias do calçado. Ele vos
batizará com o RÚKHA hol-HODSHUA e com fogo. Apartará a palha dos grãos,
queimará aquela com fogo eterno, mas estes guardá-los-á. 18Ao anunciar esta
Mensagem Gloriosa ao povo, YAHUKHANAM fazia muitos avisos deste gênero 19Contudo,
depois de ter censurado publicamente Herod, governador da Galileia, por se ter
casado com Herodias, mulher do seu próprio irmão, e por muitas outras coisas
más que tinha feito, 20Herod meteu YAHUKHANAM na cadeia, acrescentando assim
mais este pecado a muitos outros.

O Batismo e
a genealogia de YAHUSHUA

21-22Um dia,
o próprio YAHUSHUA juntou-se ao povo que ia ser baptizado por YAHUKHANAM. E
depois do seu Batismo, estando a orar, os shua-ólmaYA abriram-se, o RÚKHA
hol-HODSHUA desceu sobre ele na forma de uma pomba e uma voz do céu disse: Tu
és o meu ha-BOR muito amado. Em ti tenho grande prazer. 23-31YAHUSHUA tinha
cerca de trinta anos quando começou a sua atuação em público era conhecido como
filho de YAHU-saf. E os pais deste, em linha direta, sucessivamente de filho
para pai foram: Uli, MANYAHU, Leví, Molkhí, YAnai, YAHU-saf, Manaim-YAHU, AMOZ,
NAOKHEM, Ozli, Nagai, ManYA, Manaim-YAHU, Semei, Yoseque, Yodá, Yoanã, Resa,
Zorobabúl, Shealtiúl, Neri, Molkhí, Adi, Cozão, Ulmodam, Er, YAHUSHUA, Úlozor,
Yorim, MANYAHU, Leví, Shamiúl, YAHUDAH, YAHU-saf, YAHUNAH, Uliakim, Meleá,
Mená, MANYAHU, Naokhán, Dáoud. 32-33E os pais de Dáoud foram sucessivamente:
YAshái, Awód, Bo-Oz, Shua-ólmoh, Naoshon, Aminaodab, Admin, Ro-éh, Hezron,
Perez, YAHUDAH. 34-37Os pais de YAHUDAH: YAHUCAF, YAHUtz-kaq, Abruham. Os pais
de Abruham: Túrok, Naor, Serugue, Ro-éh, Poleg, Eber, Sala, Cainã, Arfaxade,
Shúam, Nokh os de Nokh: Lameque, Methuselah, Kanóch, YAród, Mehaolul, Quenã,
Enósh, Soth, Adám dão foi criado por YAHU UL.

LUCAS 4

A tentação
de YAHUSHUA

1-2Então
YAHUSHUA, cheio do RÚKHA hol-HODSHUA, deixou o rio YArdayán e foi impelido pelo
RÚKHA para as terras áridas e desérticas da YAHUDAH, onde ha-Satan o tentou
durante quarenta dias. No decurso de todo este tempo, não comeu; por fim sentiu
fome. 3E ha-Satan disse-lhe: Se és ha-BOR de YAHU UL, manda a estas pedras que
se transformem em pão. 4Mas YAHUSHUA respondeu: Está dito nas Qaotáv: veemNem
só de pão viverá o homemveem. 5Então ha-Satan levou-o a um alto lugar e mostrou-lhe
num relance todos os reinos do mundo: 6-7Dou-te todos estes reinos e a sua
glória, porque, como me pertencem, posso dá-los a quem eu quiser. Somente,
terás de me adorar. 8Ao que YAHUSHUA retorquiu:

veemAdorarás YAHU UL, teu Criador Eterno.
Sóã a Ele servirás.veem

É assim que
vem nas Qaotáv. 9-11Então ha-Satan levou-o até YAHUSHUA-oléym, ao ponto mais
alto do Templo e disse-lhe: Se és ha-BOR de YAHU UL, salta! Pois, segundo as
Qaotáv:

veemYAHU UL dará ordens aos seus anjos para
que te guardem. Eles te susterão com as suas mãos, para que não tropeces nas
pedras do caminho.veem 12As Qaotáv, respondeu YAHUSHUA, dizem também:

veemNão devem provocar YAHU UL vosso Criador
Eternoveem. 13Quando o diabo pôs fim a todas estas tentações, deixou-o por
algum tempo e foi-se embora.

YAHUSHUA
rejeitado em Nudtzoróth

14-15Então
YAHUSHUA voltou para a Galileia, cheio do poder do RÚKHA hol-HODSHUA, e em
breve era conhecido em toda aquela região. Ensinava nas suas sinagogas e todos
o elogiavam. 16-17Quando foi à aldeia de Nudtzoróth, terra da sua infância,
dirigiu-se, como de costume, à sinagoga no Shábbos e levantou-se para ler as
Qaotáv. Deram-lhe o livro de YASHUAYAHU, e abriu-o no lugar onde está escrito:
18-19

O RÚKHA-YAHU está sobre mim. Ele me ungiu
para levar a Mensagem Gloriosa aos pobres. Enviou-me para anunciar a liberdade
aos cativose que os cegos tornarão a ver; para anunciar a liberdade aos
cativos, e para proclamar o tempo de favor de YAHU UL. 20-21Fechando o livro,
tornou a dá-lo ao assistente e sentou-se, enquanto todos na sinagoga o miravam
atentamente. E começou por dizer:Hoje se cumpriram estas Qaotáv! 22Os que ali
se achavam louvaram-no, admirados com as belas palavras que lhe saíam dos
lábios. Como pode ser isto?, perguntavam. Não é o filho de YAHU-saf? 23-27E ele
disse mais: Talvez me digam aquele provérbio: veemMédico, cura-te a ti
mesmoveem, como quem diz: veemPorque não fazes aqui na tua própria cidade
milagres iguais aos que fizeste em Kefár-NAOKHEM?veem Mas digo-vos solenemente
que nenhum profeta é aceite na sua própria terra! Lembrem-se, por exemplo, de
como Uli-YAHU, o homem de YAHU UL, fez um milagre para socorrer a viúva de
Zarefate, estrangeira vinda da terra de Sidom. Havia muitas YAHÚ-diYAh viúvas
necessitadas de ajuda naqueles tempos de crise, porque havia três anos e meio
que não chovia e a fome alastrava pela terra; todavia, Uli-YAHU não foi enviado
a elas. Ou do profeta Ulshúa, que curou Naaman, o Sírio, e não os muitos
YAHÚ-dim leprosos que necessitavam de ajuda. 28-30Estas palavras provocaram a
ira do auditório. Levantando-se, atacaram YAHUSHUA e levaram-no à beira do
monte, sobre o qual a cidade se erguia, a fim de o empurrarem para o
precipício. Ele, porém, atravessando a multidão, deixou-os.

YAHUSHUA
expulsa um espírito mau

31-32Então
YAHUSHUA foi para Kefár-NAOKHEM, cidade da Galileia, ensinando na sinagoga
local todos os Shábbos. E também ali o povo se admirava do seu ensino, porque
falava com autoridade. 33-34Certa vez, estando a ensinar na sinagoga, um homem
possuído pelo demônio começou a gritar para YAHUSHUA: Vai-te embora! Não
queremos nada contigo, YAHUSHUA Nudtzorothíy! Vieste para nos destruir! Sei
quem és, o Santo de YAHU UL. 35YAHUSHUA, porém, impediu-o de falar. Cala-te!,
disse ao demônio Sai dele! O demônio atirou o homem por terra, à vista da
multidão, e deixou-o sem lhe fazer mais mal nenhum. 36-37Admirado, o povo
perguntava: Que há nas suas palavras que até os demônios lhe obedecem? A
notícia do que tinha feito depressa se espalhou por toda a região.

YAHUSHUA
cura muitos doentes

38-39Depois
de deixar a sinagoga naquele dia, dirigiu-se a casa de Shamiúl, encontrando a
sogra deste muito doente e com febre alta. Cura-a, pediam-lhe todos. Chegando
junto dela, YAHUSHUA mandou que a febre baixasse, e logo a temperatura voltou
ao normal; e a mulher, levantando-se, preparou-lhes comida. 40-41Quando o sol
se pôs naquela tarde, toda a gente do lugar que tinha qualquer doente em casa,
fosse qual fosse a doença, o trouxe a YAHUSHUA; e o toque das suas mãos
curava-os! Uns estavam possuídos de demônios e, à sua ordem, saíam gritando: Tu
és ha-BOR de YAHU UL! E, como sabiam que ele era hol-MEHUSHKHAY, ordenava-lhes
que se calassem. 42No outro dia de manhã cedo, YAHUSHUA saiu para um lugar
sossegado. O povo procurava-o. Quando o encontraram, pediram-lhe muito que não
os deixasse. 43Porém, respondeu: Tenho de pregar a Mensagem Gloriosa do reino
de YAHU UL também noutros lugares, pois para isso fui enviado. 44Continuou
assim a andar de terra em terra, pregando nas sinagogas de toda a YAHUDAH.

LUCAS 5

A chamada
dos primeiros discípulos

1Em certa
ocasião, estando a pregar na praia do Mar da Galileia, rodearam-no grandes
multidões para ouvir a palavra de YAHU UL. 2Notando que havia dois botes vazios
à beira da água enquanto os pescadores lavavam as redes, 3YAHUSHUA entrou num
deles e pediu a Shamiúl, o dono, que o empurrasse um pouco para o largo, para
que pudesse dali falar ao povo. 4Quando acabou de falar, YAHUSHUA disse a
Shamiúl: Agora saiam para onde o lago é mais fundo e lancem as redes, pois
apanharão muito peixe. 5 YAHU UL, respondeu Shamiúl, fartamo-nos de trabalhar
toda a noite sem conseguirmos apanhar nada. Mas, já que assim o dizes, vamos
tentar de novo. 6E desta vez as redes ficaram tão cheias que começaram a
rasgar-se! 7Ao ouvirem-nos gritar pedindo ajuda, os companheiros vieram noutro
bote, e em breve as duas embarcações estavam em risco de se afundarem com a
carga de peixe. 8Quando Shamiúl KAFOS percebeu o que tinha acontecido, caiu de
joelhos diante de YAHUSHUA e disse: YAHU
UL, afasta-te de mim, porque sou tão pecador. 9-10Pois estava pasmado com a
abundância da pescaria, tal como os companheiros, e também seus sócios, YAHUCAF
e YAHUKHANAM, filhos de Zebedeu respondeu a Shamiúl: Não te preocupes, porque
daqui em diante serás pescador de pessoas. 11E, logo que chegaram a terra,
deixaram tudo para o seguir.

YAHUSHUA
cura um leproso

12Um dia,
numa certa localidade que YAHUSHUA estava a visitar, apareceu um homem
gravemente leproso, que ao vê-lo se lançou diante dele com o rosto em terra,
pedindo-lhe muito que o curasse. Molkhiul, bastará tu quereres e poderás
curar-me. 13YAHUSHUA, estendendo a mão, tocou no homem e disse: Sim, quero; sê
curado. E logo a lepra o deixou. 14YAHUSHUA então mandou-lhe que, sem contar a
ninguém o que tinha acontecido, se fizesse imediatamente examinar pelo
intermediário YAHÚ-di. Vai oferecer o sacrifício que a lei de Mehushua impõe
aos leprosos curados, disse, e isso provará a todos que já estás bom.
15-16Apesar das recomendações de YAHUSHUA, a notícia do seu poder espalhava-se
ainda mais. Enormes multidões vinham para o ouvir pregar e para serem curadas
das suas enfermidades. Muitas vezes, porém, ia para um lugar isolado a fim de
orar.

YAHUSHUA
cura um paralítico

17Uma vez,
estando a ensinar, encontravam-se sentados ali perto alguns Farsyím e
professores da lei. Estes homens vinham de todas as localidades da Galileia e
YAHUDAH, bem como de YAHUSHUA-oléym. E o poder curativo de YAHU UL estava sobre
YAHUSHUA. 18-19De repente, chegaram umas pessoas com um paralítico deitado num
colchão, as quais tentaram abrir passagem através da multidão até junto de
YAHUSHUA, mas sem poderem. Então subiram ao telhado e, tirando algumas telhas,
desceram o doente e pousaram-no na frente de YAHUSHUA. 20Vendo a fé de que
davam provas, YAHUSHUA disse ao homem: Amigo, os teus pecados estão perdoados!
21Mas quem imagina ele que é?, diziam entre si os Farsyím e professores da lei.
Isto é uma ofensa a YAHU UL! Quem pode perdoar pecados sem ser YAHU UL?
22-24YAHUSHUA, conhecendo os seus pensamentos, perguntou: O que é que estão a
pensar? Será mais difícil perdoar-lhe os pecados do que curá-lo? Mas vou
provar-vos a minha autoridade para perdoar pecados, mostrando-vos o meu poder
para curar as doenças. E disse ao paralítico: Levanta-te, pega no teu colchão e
vai para casa. 25-26Logo, à vista do povo, o homem se pôs de pé, agarrou no
colchão e foi para casa louvando YAHU UL. Toda a gente ali ficou cheia de
espanto e admiração, dando haolúlim (louvores) a YAHU UL e repetindo a cada
momento: Hoje, realmente, vimos coisas extraordinárias!

A chamada de
Leví (MANYAHU)

27-28Mais
tarde, indo a sair da vila, YAHUSHUA viu um cobrador de impostos, chamado Leví,
sentado na sua banca de recepção de impostos. YAHUSHUA disse-lhe: Segue-me!
Leví, deixando tudo, levantou-se logo e o seguiu. 29Passado pouco tempo, Leví
deu uma celebração em sua casa, sendo YAHUSHUA o convidado de honra. A ela
assistiram muitos dos colegas de Leví e outros convidados. 30Os Farsyím e
professores da lei, porém, queixavam-se amargamente aos discípulos de YAHUSHUA
por ele comer com homens tão conhecidos como desonestos. 31-32Mas YAHUSHUA
respondeu-lhes: São os doentes que precisam de médico, e não os que gozam de
boa saúde. Eu vim com o propósito de convidar os pecadores a arrependerem-se
dos seus pecados, e não de gastar tempo com os que se imaginam já bastante
bons.

A questão de
jejum

33Puseram
ainda outra questão a YAHUSHUA: Os discípulos de YAHUKHANAM Batista estão
sempre a jejuar e a orar, e os discípulos dos Farsyím fazem o mesmo. Por que é
que os teus comem e bebem? YAHUSHUA explicou: 34-35Jejuam porventura os homens
quando se sentem felizes? Num casamento, os convidados acaso preferem ficar com
fome enquanto festejam com o noivo? Lá chegará o tempo em que o noivo lhes será
tirado, e então, sim, jejuarão. 36-39YAHUSHUA serviu-se depois desta
ilustração: Ninguém vai tirar um pedaço de tecido duma roupa nova para fazer um
remendo numa peça velha; pois assim não só estragaria a nova, mas também a
velha pareceria pior com o remendo novo. E ninguém põe vinho novo em pipas
velhas, pois o vinho novo rebenta com elas, as pipas estragam-se e o vinho
perde-se. O vinho novo deve ser posto em pipas novas. Todavia, depois de beber
o vinho velho, ninguém parece querer o vinho fresco e novo, porque dizem: veemO
velho é melhorveem.

LUCAS 6

Molkhiúl
(Rei) do Shábbos

1-2Certo
Shábbos (Sábado), atravessando YAHUSHUA e os seus discípulos uns trigais, iam
arrancando espigas de trigo, que esfregavam entre as mãos para comer os grãos.
Alguns Farsyím, porém, disseram: Isso é ilegal! Os teus discípulos estão a
colher grão, e é contra a lei de Mehushua trabalhar no Shábbos. 3-5Ao que
YAHUSHUA respondeu: Vocês não lêem as Qaotáv? Nunca leram o que fez o rei Dáoud
quando ele e os seus homens estavam com fome? Entrou na casa de YAHU UL e,
tomando o pão sagrado, o pão especial que era posto diante de YAHU UL, comeu-o,
apesar de isso ser ilegal, e repartiu-o com os outros. YAHUSHUA acrescentou Eu,
ha-BOR do Homem, sou Molkhiúl (Rei) do próprio Shábbos. 6-8Nun outro Shábbos,
estando a ensinar na sinagoga, encontrava-se ali um homem que tinha a mão
direita aleijada. Os professores da lei e os Farsyím vigiavam atentamente para
ver se YAHUSHUA curaria o homem naquele dia, que era Shábbos, ansiosos por
encontrar qualquer acusação contra ele. YAHUSHUA conhecia bem os seus
pensamentos! E disse ao aleijado: Anda cá e põe-te aqui onde toda a gente te
possa ver. Ele assim fez. 9-11Então disse aos Farsyím e aos professores da lei:
Tenho uma pergunta a fazer-vos: É justo praticar o bem no Shábbos ou praticar o
mal? Salvar a vida ou destruí-la? Passeando o olhar em volta, fitou-os um por
um e então disse ao homem: Estende a mão. E logo que o fez, a mão ficou
completamente normal. Os inimigos de YAHUSHUA ficaram furiosos e começaram a
tramar-lhe a morte.

Os doze
emissários

12-16Certo
dia, pouco depois, YAHUSHUA foi orar para as montanhas, e orou toda a noite. Ao
amanhecer, reuniu os seus seguidores e escolheu doze deles para serem o círculo
mais íntimo dos seus discípulos. Foram nomeados emissários Eis os nomes deles:
Shamiúl (a quem chamou também KAFOS), Andorúl (irmão de Shamiúl), YAHUCAF,
YAHUKHANAM, Felipe, Bartolomeu, MANYAHU, Tomé, YAHUCAF (filho de Alfeu),
Shamiúl (também chamado Zelota), YAHUDAH (filho de YAHUCAF) e Yudas Ish-Kerióth
(que viria a traí-lo).

Bênçãos e
avisos

17-19Quando
desceram a encosta, encontraram-se numa região plana, e foram rodeados por
muitos dos seus seguidores e grande multidão. De toda a YAHUDAH, de
YAHUSHUA-oléym e de lugares tão ao norte como o litoral de Tiro e Sidom, tinha
vindo gente para o ouvir ou para ser curada. E YAHUSHUA expulsou muitos
demônios Todos procuravam tocar-lhe porque, quando o faziam, saía dele um poder
curativo, e ficavam sãos. 20Então, voltando-se para os discípulos, YAHUSHUA
disse:

Bem-aventurados os que são pobres, pois
deles é o reino de YAHU UL!

21Bem-aventurados os que agora sentem fome.
Um dia, serão fartos! Bem-aventurados os que agora choram, pois chegará o tempo
em que hão-de rir de alegria!

22Bem-aventurados os que são odiados, e
rejeitados, e injuriados, e enxovalhados no seu nome, por serem meus
discípulos! 23Quando isso acontecer, alegrem-se, sim, pulem de contentamento!
Porque espera-vos no céu grande recompensa. E estarão em boa companhia, pois
também os antigos homens de YAHU UL foram assim tratados!

24Ai de vocês os ricos porque a vossa
felicidade é apenas terrena.

25Ai de vocês os que são fartos e prósperos
agora porque vos espera tempo de fome horrível. Ai de vocês os foliões porque o
vosso riso transformar-se-á em tristeza e luto.

26Ai de vocês que são enaltecidos pelas
multidões; os vossos antepassados também elogiaram os falsos profetas.

Amar os
inimigos

27-28Ouçam
todos. Amem os vossos inimigos. Façam bem aos que vos odeiam. Orem pela
felicidade dos que vos amaldiçoam. Peçam a bênção de YAHU UL sobre os que vos
magoam. 29-30Se alguém vos bater numa face, ofereçam-lhe também a outra! Se
alguém vos exigir o casaco, dêem-lhe também a camisa. Dêem o que têm a quem
vo-lo pedir; e quando vos levarem as vossas coisas, não se preocupem se as
tornam a entregar ou não. 31Tratem os outros como querem que os outros vos
tratem. 32Pensam que merecem elogios só por amarem os que vos amam? Isso até os
maus fazem! 33E se fizerem bem somente aos que vo-lo fazem, também será isso
coisa tão extraordinária? Até os pecadores procedem assim. 34E se emprestarem
dinheiro só a quem vos puder pagar a dívida, que bondade há nisso? Até os mais
perversos emprestam aos da sua espécie para depois terem tudo de volta.
35-36Amem os vossos inimigos! Tratem-nos bem! Emprestem-lhes! E não se
preocupem por eles não vos pagarem, porque, assim a recompensa que receberem do
céu será muito grande, e estarão a proceder verdadeiramente como filhos do Altíssimo;
porque ele é bondoso também com os ingratos e com os perversos. Sejam
compassivos como o vosso YAHU ABí é compassivo.

Julgando os
outros

37-38Não
julguem e não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem, e
serão perdoados. Se derem, receberão! A vossa dádiva vos será devolvida em
medida atestada e sacudida para caber mais um pouco até deitar por fora. A
medida que usarem para dar, seja ela grande ou pequena, será a mesma com que se
medirá o que vos for dado de volta. 39-40YAHUSHUA usava frequentemente
comparações, como estas. De que serve um cego guiar outro cego? Ao cair numa
vala, arrastará o companheiro consigo. O aluno não é superior ao chefe. Mas se
souber transformar a sua vida de acordo com o ensino perfeito que lhe é dado,
sim, poderá ser como ele. 41-42E por que fazer questão por causa da uma palha
no olho de alguém, quando no teu há uma trave? Como podes pensar dizer-lhe:
veemIrmão, deixa que eu te ajude a livrar-te dessa palha que tens no olho
quando, afinal, não consegues ver a trave no teu? Fingido! Livra-te primeiro da
trave e então talvez possas ver o suficiente para cuidar da palha no olho dele!

Uma árvore e
o seu fruto

43-45Uma
árvore de boa qualidade não dá fruta má, nem árvores de má qualidade dão frutos
bons. Uma árvore conhece-se pela qualidade do fruto que dá. Nem os espinheiros
dão figos, nem os cardos dão uvas. Um homem bom produz boas obras vindas de um
coração bom. E um homem mau produz, da sua maldade escondida, obras más. O que
está no coração vem à superfície no falar.

Construtores
sábios e tolos

46Portanto,
porque me chamam Molkhiúl (Rei) se não me querem obedecer? 47-49Todos aqueles,
porém, que veem e ouvem e me obedecem são como o homem que constrói uma casa
sobre alicerces sólidos em cima da rocha. Quando as cheias sobem e embatem na
casa, esta fica firme por estar solidamente construída. Aqueles, porém, que
ouvem e não me obedecem são como o homem que constrói um casa sem alicerces.
Quando as cheias se lançam contra ela, a casa desmorona-se e fica em ruínas.

LUCAS 7

A fé do
oficial do exército

1Terminando
estas palavras, YAHUSHUA voltou para a cidade de Kefár-NAOKHEM. 2Justamente
naquela ocasião encontrava-se doente, e a morrer, o criado dum oficial do
exército romano, a quem este estimava muito. 3Quando o oficial ouviu falar de
YAHUSHUA, mandou alguns chefes YAHÚ-dim, muito respeitados, pedir-lhe que
curasse aquele criado. 4-5Começaram, pois, a rogar-lhe que fosse com eles e
socorresse o homem: Se alguém merece ajuda é ele, porque gosta dos YAHÚ-dim e
até pagou do seu próprio bolso a construção de uma sinagoga para nós.
6-8YAHUSHUA foi pois com eles, mas, pouco antes de chegar a casa do oficial
romano, este mandou uns amigos dizer-lhe:
Molkhiúl, não te incomodes a vir à minha casa porque não sou digno de
tanta honra; por isso nem me julgo digno de ir ao teu encontro. Diz apenas uma
palavra daí de onde estás e o meu criado será curado! Porque estou debaixo da
autoridade de oficiais meus superiores e eu próprio tenho autoridade sobre os
meus homens – basta-me dizer: veemVão!veem e eles vão; ou veemVenham!veem e
eles vêm; e ao meu servidor: veemFaz isto ou aquiloveem, e ele faz.
9-10YAHUSHUA, maravilhado, voltou-se para a multidão e disse: Nunca entre todos
os YAHÚ-dim de YAshorúl encontrei um homem de fé como este. Quando os amigos do
oficial regressaram, encontraram o criado completamente curado!

YAHUSHUA
ressuscita o filho de uma viúva

11-12Passado
pouco tempo, YAHUSHUA foi com os discípulos à aldeia de Naím, com grande
multidão atrás de si. Quando chegou perto da aldeia, vinha a sair um funeral. O
morto era um rapaz, filho único de uma viúva, e havia muita gente da aldeia a
acompanhá-la. 13Quando o Molkhiúl a viu, o coração encheu-se de compaixão. Não
chores!, disse-lhe. E, dirigindo-se para o caixão, tocou nele, e os que o
levavam pararam: 14Filho, levanta-te! 15Então o rapaz sentou-se e começou a
falar com os que estavam à volta. YAHUSHUA entregou-o a sua mãe. 16A multidão
sentiu grande temor, e todos, louvando YAHU UL, exclamavam: Levantou-se entre
nós um poderoso profeta. Vimos hoje atuar a mão de YAHU UL! 17A notícia do que
tinha feito naquele dia correu a YAHUDAH de ponta a ponta, até mesmo para lá
das suas fronteiras.

YAHUSHUA e
YAHUKHANAM Batista

18-19Os
discípulos de YAHUKHANAM Batista contaram-lhe tudo o que YAHUSHUA andava a
fazer. Quando falaram a YAHUKHANAM acerca disso, ele mandou dois dos seus
discípulos a YAHUSHUA para lhe perguntar: És tu realmente aquele que YAHU UL
devia enviar, ou devemos continuar a esperar por ele? 20-21Os dois discípulos
encontraram YAHUSHUA a curar muita gente que sofria de várias doenças, a sarar
coxos e cegos, e a expulsar os espíritos maus. 22Quando lhe fizeram a pergunta,
respondeu:Voltem para YAHUKHANAM e digam-lhe tudo o que hoje aqui viram e ouviram:
cegos que veem e coxos que andam bem, leprosos completamente curados, surdos
que ouvem novamente, os mortos regressados à vida, e os pobres que ouvem a
Mensagem Gloriosa. 23E digam-lhe: veemBendito aquele que não perde a sua fé em
mimveem. 24-26Depois de se terem ido embora, YAHUSHUA falou ao povo acerca de
YAHUKHANAM: Quem é este homem que foram ver no deserto da YAHUDAH? Pareceu-vos
que era fraco como um caniço, ao sabor de qualquer sopro de vento? Ou
encontraram-no vestido de roupas caras? Com certeza que não! Os homens que
vivem no luxo estão nos palácios e não no deserto. Terá sido antes um profeta
de YAHU UL que foram encontrar? Sim! Mas mais do que um profeta. 27É a
YAHUKHANAM que as Qaotáv se referem quando dizem:

veemEnviarei o meu mensageiro à tua frente,
para preparar o caminho diante de ti.veem 28Em toda a humanidade ninguém há
maior do que YAHUKHANAM. E, contudo, o menor cidadão do reino de YAHU UL é
maior do que ele. 29-30E todos os que ouviam YAHUKHANAM pregar, mesmo os
corruptos cobradores de impostos, achavam certo o que YAHU UL lhes exigia e
deixavam-se batizar por ele; menos os Farsyím e os professores da lei, que
rejeitavam o plano de YAHU UL e recusavam o Batismo de YAHUKHANAM. 31Que posso
dizer acerca das pessoas desta geração?, perguntou YAHUSHUA. Com quem os
compararei? 32São como as crianças que se queixam aos seus amigos: veemAfinal,
se brincamos aos casamentos não querem; se brincamos aos funerais, também
nãoveem. 33Como YAHUKHANAM Batista, que não come o mesmo que os outros e em
toda a sua vida nunca bebeu bebida forte, dele então vocês dizem: veemDeve
estar louco! Tem o demônio dentro de si!veem 34Eu que como e bebo normalmente,
dizem: veemYAHUSHUA é glutão, e bebe ainda por cima, além de andar com a pior
espécie de amigos!veem. 35Mas a sabedoria é justificada por todos os seus
filhos.

YAHUSHUA é
ungido por uma mulher

36-38Um dos
Farsyím pediu a YAHUSHUA que fosse almoçar a sua casa e ele aceitou o convite.
Quando se sentaram para comer, uma mulher de má vida soube que ele se encontrava
ali, pelo que trouxe um vaso de alabastro de muito valor cheio de um perfume
caro, ajoelhou-se atrás dele, aos seus pés, e tanto chorou que os pés de
YAHUSHUA ficaram molhados de lágrimas; porém, enxugava-os com os cabelos e,
beijando-os, deitava perfume sobre eles. 39Quando o dono da casa, que convidara
YAHUSHUA, viu o que se passava, e o gênero de mulher de que se tratava, disse
consigo próprio: Aqui está a prova de que YAHUSHUA não é um homem de YAHU UL;
porque se YAHU UL o tivesse realmente enviado, logo conheceria que espécie de
mulher é esta. 40Então YAHUSHUA respondeu aos pensamentos daquele homem e
observou-lhe: Shamiúl, queria dizer-te uma coisa.Diz, Maoro-éh. 41-42E YAHUSHUA
contou-lhe o seguinte: Certo homem emprestou dinheiro a duas pessoas,
quinhentas moedas a uma e cinquenta a outra. Como, porém, nenhuma delas lhe
pudesse pagar, ele, que era generoso, perdoou a ambas, cancelando as suas
dívidas. Qual destas pessoas achas tu que lhe ficou mais agradecida, depois
disto? 43Acho que terá sido quem mais lhe devia!Tens razão, concordou YAHUSHUA.
44E, indicando a mulher, disse a Shamiúl: Olha para esta mulher aqui de
joelhos! Quando entrei na tua casa, não te preocupaste em trazer-me água para
que lavasse a poeira dos pés, mas ela lavou-os com lágrimas e enxugou-os com os
cabelos! 45Não me deste o beijo de saudação, mas desde que aqui entrei ela não
deixou de me beijar os pés. 46Não tiveste a delicadeza de trazer azeite para me
ungir a cabeça, mas ela cobriu-me os pés com perfume raro. 47Os pecados dela,
que são muitos, foram-lhe perdoados; daí toda a sua gratidão e amor para
comigo. Mas aquele a quem pouco é perdoado pouco amor mostra. 48E disse à
mulher: Os teus pecados estão perdoados. 49Os homens que estavam à mesa
murmuraram entre si: Quem imagina ele que é, para se pôr a perdoar pecados?
50YAHUSHUA acrescentou, para a mulher: A tua fé te salvou; vai em paz.

LUCAS 8

A ilustração
do semeador

1Passado não
muito tempo sobre isto, YAHUSHUA começou a percorrer as cidades e vilas para
anunciar a Mensagem Gloriosa do reino de YAHU UL. Fazia-se acompanhar dos doze
discípulos. 2Com ele iam algumas mulheres das quais tinha expulso demônios ou a
quem tinha curado; entre elas contavam-se Maoro-ém Magdalena, a quem tinha
livrado de sete demônios; 3Yoánna, mulher de Cuza (encarregado de negócios de
Herod); Susana; e muitas outras que, com os seus próprios meios, contribuíam
para o sustento de YAHUSHUA e dos discípulos. 4Um dia serviu-se da seguinte
ilustração, dirigindo-se a uma grande multidão reunida para ouvi-lo, enquanto
muitos outros se aproximavam ainda, vindo de outras cidades: 5-8Certo homem foi
ao campo semear. Quando lançava as sementes ao chão, algumas delas caíram num
caminho e foram pisadas. Vieram as aves e comeram-nas porque estavam à vista.
Outras sementes caíram em chão pouco fundo com pedras por baixo. Mal começaram
a crescer, logo murcharam, morrendo por falta de humildade Outras sementes,
ainda, caíram entre moitas de espinhos, que em pouco tempo sufocaram os
rebentos. Mas outras caíram em solo fértil, e quando cresceram deram uma
colheita de cem vezes mais do que aquele homem havia plantado. Ao fazer esta
ilustração, YAHUSHUA acrescentou: Quem pode ouvir, que preste atenção. 9-10Os
emissários perguntaram-lhe o que queria dizer aquela ilustração, e YAHUSHUA
respondeu: YAHU UL concedeu-vos a
possibilidade de conhecer o significado destas coisas sobre o reino de YAHU UL.
Mas aos outros, fala-se por parábolas, como diz as Qaotáv: veemEste povo ouve
as palavras porém não entende, vê e não percebeveem. 11-15O que a comparação
quer dizer é o seguinte: A semente é a mensagem de YAHU UL. O caminho duro onde
caíram algumas das sementes representa aqueles que ouvem as palavras de YAHU
UL, mas ha-Satan logo as vem roubar, não deixando que as pessoas creiam e sejam
salvas. O solo pedregoso representa aqueles que ouvem com prazer, mas a
mensagem não fica neles; e não deita raiz nem cresce. Quando chegam as provas
desviam-se. A semente entre os espinhos representa os que ouvem e creem na
palavra de YAHU UL mas cuja fé é depois sufocada pelas preocupações, ambições e
prazeres da vida, pelo que nunca dão fruto. Mas o solo bom representa as
pessoas sinceras e honestas que, ouvindo as palavras de YAHU UL, dão fruto com
continuidade.

A luz do
candeeiro

16-18Quem
viu alguma vez cobrir, ou pôr debaixo da cama, uma lâmpada que tenha sido acesa
para iluminar um quarto? É evidente que as lâmpadas são colocadas num lugar bem
à vista. Semelhantemente, virá o dia em que tudo será trazido à luz e posto às
claras diante de todos. Tomem, pois, cuidado no modo como ouvem, porque a quem
tiver entendimento, mais será dado; a quem não o tiver, até o que julga ter lhe
será tirado.

A mãe e os
irmãos de YAHUSHUA

19-21Uma
vez, a mãe e os irmãos de YAHUSHUA foram vê-lo, mas, por causa da multidão, não
conseguiram entrar na casa onde ensinava. Alguém disse-lhe, A tua mãe e os
irmãos estão lá fora e querem ver-te. YAHUSHUA respondeu:A minha mãe e os meus
irmãos são todos aqueles que ouvem a mensagem de YAHU UL e lhe obedecem.

YAHUSHUA
acalma a tempestade

22-23Certo
dia, por aquele tempo, andando com os discípulos num barco, YAHUSHUA disse que
atravessassem para a outra margem do lago. Durante a travessia adormeceu.
Entretanto levantou-se uma enorme tempestade, o barco começou a meter água, e
corriam grande perigo. 24Logo os discípulos o despertaram: Molkhiúl, Molkhiúl,
olha que nos afundamos!Então YAHUSHUA mandou ao vento e às vagas que se
acalmassem. E tudo ficou sereno. 25Depois perguntou-lhes: Onde está a vossa
fé?Eles, cheios de espanto e medo, diziam entre si: Mas quem é este que até os
ventos e as ondas lhe obedecem?

Um homem
dominado por demônios

26Chegaram à
terra dos Gadarenos, que fica na outra banda do Mar da Galileia. 27-29Quando
YAHUSHUA saía do barco, veio-lhe ao encontro um homem que, havia muito tempo,
estava possuído pelo demônio Não tendo casa, vivia, sem roupas, no cemitério,
entre as sepulturas. Mal viu YAHUSHUA, soltou um grito muito forte e, tombando
no chão na sua frente, gritava: Que queres de mim, YAHUSHUA, ha-BOR de YAHU UL
altíssimo? Peço-te que não me atormentes! Pois YAHUSHUA ordenava já ao demônio
que o abandonasse. Este, muitas vezes tinha-se apoderado daquele homem, de tal
modo que, mesmo acorrentado, partia as correntes e fugia para o deserto, inteiramente
sob o poder do demônio 30-31Como te chamas?, perguntou YAHUSHUA.Exército, foi a
resposta, porque o homem estava cheio de demônios E continuavam a pedir a
YAHUSHUA que não os mandasse para o abismo sem fundo. 32-33Andava ali perto uma
vara de porcos a pastar no monte, e os demônios rogaram-lhe que os deixasse
entrar nos animais. YAHUSHUA consentiu. Deixaram o homem e entraram nos porcos.
Logo a vara inteira se precipitou, caindo por um despenhadeiro no lago, onde se
afogou. 34Os porqueiros, ao ver aquilo, fugiram para a cidade próxima,
espalhando a notícia pelo caminho, 35e uma multidão saiu para ver o que tinha
acontecido. Quando chegaram, viram aquele homem que tinha sido dominado pelo
demônio, agora vestido, em seu perfeito juízo, sentado aos pés de YAHUSHUA. E
toda a multidão ficou assustada. 36Os que tinham assistido contavam como o
possuído pelo demônio tinha sido curado. 37E toda aquela gente pedia a YAHUSHUA
que se fosse embora, porque se espalhou entre eles uma onda de medo. Assim,
YAHUSHUA voltou para o barco e tornou para a outra margem do lago. 38-39O homem
que tinha estado dominado de demônios pediu para ir também, mas YAHUSHUA não o
deixou: Volta para a tua família e conta-lhe que coisa maravilhosa YAHU UL te
fez. Então ele foi pela cidade anunciando as grandes coisas que YAHUSHUA tinha
feito por ele!

Uma moça
morta e uma doente

40Do outro
lado do lago, o povo recebeu YAHUSHUA de braços abertos, pois já o esperava.
41-42Um homem chamado YA-éyr, dirigente da sinagoga, veio ter com YAHUSHUA e,
caindo-lhe aos pés, pediu-lhe que fosse a sua casa porque tinha uma filha
única, uma menina de quase doze anos, que estava à morte. YAHUSHUA
acompanhou-o, abrindo caminho através do povo. 43-44Enquanto caminhavam, uma
mulher veio por detrás e tocou-lhe, porque havia doze anos que tinha um mal que
a fazia perder sangue, não conseguindo encontrar cura, embora tivesse gasto
tudo o que tinha com médicos. E eis que, no momento em que lhe tocou na orla do
manto, a perda de sangue estancou. 45-46Quem me tocou?, perguntou YAHUSHUA.
Todos negaram, e KAFOS até acrescentou:Maoro-éh, são tantos os que te apertam
de todos os lados.Não, alguém me tocou de propósito, porque senti sair de mim
poder curativo. 47Dando-se conta de que não podia esconder-se, a mulher aproximou-se
emocionada e, caindo de joelhos diante dele, contou-lhe o motivo por que lhe
tinha tocado, afirmando que já estava boa. 48Filha, disse ele, a tua fé te
curou. Vai em paz. 49Enquanto falava ainda com a mulher, chegou um mensageiro
da casa de YA-éyr com a notícia: A tua filha já morreu, disse ele. De nada
serve ir agora incomodar o Maoro-éh. 50Quando YAHUSHUA soube o que tinha
acontecido, disse a YA-éyr: Não receies! Crê somente e ela ficará boa.
51-52Quando chegaram à casa, YAHUSHUA não consentiu que alguém entrasse com
ele, exceptuando KAFOS, YAHUCAF, YAHUKHANAM e os pais da menina. A casa estava
cheia de pessoas que lamentavam o sucedido, mas ele ordenou: Parem de chorar.
Ela não está morta, dorme apenas. 53Esta frase provocou a zombaria porque todos
sabiam que a jovem estava morta. 54Então YAHUSHUA, tomando-a pela mão,
exclamou: Levanta-te, menina! 55-56E naquele momento ela tornou a viver e
pôs-se logo de pé. Dêem-lhe de comer, disse. Os pais ficaram maravilhados, mas
YAHUSHUA insistiu com eles para que a ninguém contassem o que havia acontecido.

LUCAS 9

YAHUSHUA
envia os doze

1-2Certo
dia, YAHUSHUA reuniu os seus doze emissários e deu-lhes autoridade sobre os
demônios, poder para os expulsar, e para curar as enfermidades. Em seguida,
enviou-os para falar a toda a gente na vinda do reino de YAHU UL e para curar
os doentes. 3-5Não levem convosco nem sequer um bordão, recomendou-lhes, nem
saco, nem provisões, nem dinheiro, nem mesmo roupa para mudar. Hospedem-se
apenas numa casa em cada localidade. Se o povo de qualquer povoação não vos
quiser ouvir quando lá entrarem, venham-se embora e declarem a severidade de
YAHU UL contra ela, limpando as sandálias do pó daquela terra, ao saírem.
6Começaram então essa digressão pelas povoações, pregando a Mensagem Gloriosa e
curando os doentes. 7-8Quando soube dos milagres de YAHUSHUA, o governador
Herod ficou preocupado, pois já havia quem dissesse: É YAHUKHANAM Batista que
tornou à vida, e outros: É Uli-YAHU ou outro antigo profeta que se levantou de
entre os mortos. Estes boatos corriam por todo o país. 9Se degolei YAHUKHANAM,
disse Herod, quem será este homem de quem me contam tais histórias? E procurava
ver YAHUSHUA.

YAHUSHUA
alimenta cinco mil homens

10-11Quando
os emissários voltaram para contar a YAHUSHUA o que tinham feito, este saiu com
eles para um lugar isolado, para os lados da povoação de Bóhay Shua-odái. O
povo, porém, descobriu para onde se dirigia e seguiu-o. Ele acolheu-os,
ensinando-os acerca do reino de YAHU UL e curando os doentes. 12No fim da
tarde, os doze discípulos vieram recomendar-lhe que mandasse o povo retirar-se
para as aldeias e quintas dos arredores a fim da arranjarem abrigo para a noite
e comida, porque aquele era um lugar deserto. 13Mas YAHUSHUA respondeu:
Dêem-lhe vocês comida.Como, se temos apenas cinco pães e dois peixes ao todo?,
protestaram. Onde é que iríamos agora buscar alimento suficiente para toda esta
multidão?, 14pois havia ali uns cinco mil homens.Digam-lhes que se sentem no
chão em grupos de cerca de cinquenta cada, mandou YAHUSHUA. 15-17E assim
fizeram. Tomando os cinco pães e os dois peixes, YAHUSHUA ergueu o olhar para o
céu e deu graças. Depois, partiu-os em pedaços para que os discípulos os
oferecessem à multidão. E toda a gente comeu até se fartar, recolhendo-se
depois de tudo, doze cestos cheios de sobras!

KAFOS
confessa que YAHUSHUA é hol-MEHUSHKHAY (o Messias)

18Um dia,
estando sozinho a orar e encontrando-se os discípulos ali perto, YAHUSHUA
aproximou-se e perguntou-lhes: Quem diz o povo que eu sou? 19Responderam-lhe: YAHUKHANAM Batista, ou talvez Uli-YAHU, ou
outro dos antigos profetas que se terá levantado de entre os mortos. 20E vocês,
quem pensam que eu sou? E KAFOS respondeu:Tu és ha-MEHUSHKHAY (o Messias) de
YAHU UL! 21-22YAHUSHUA deu-lhes ordens rigorosas para não falarem nisso a
ninguém. Esperam-me grandes sofrimentos, a mim ha-BOR do Homem; serei rejeitado
pelos anciãos do povo, os principais dos intermediários e os professores da
lei, e serei morto. Mas três dias depois tornarei a viver! 23E então disse à
multidão: Aquele que me quiser seguir deve esquecer-se a si próprio, carregar
com a sua poste em cada dia, e acompanhar-me de perto! 24Quem quiser abandonar
os seus próprios propósitos por minha causa, ganhará uma verdadeira vida; mas
quem teimar em viver conforme os seus próprios desejos acabará por perdê-la.
25E que proveito há em ganhar mesmo que seja o mundo inteiro se isso significa
perder-se a si mesmo? 26Quando eu, ha-BOR do Homem, vier na minha glória e na
de YAHU ABí e dos santos anjos, afastar-me-ei de todos os que agora se
envergonham de mim e das minhas palavras. 27Porém, a verdade é que alguns dos
que aqui se encontram não morrerão senão depois de verem o reino de YAHU UL!

YAHUSHUA
transfigura-se

28-31Oito
dias depois, levou consigo KAFOS, YAHUCAF e YAHUKHANAM e subiu a um monte para
orar. Enquanto orava, o seu rosto começou a brilhar, e o vestuário ficou de uma
brancura resplandecente de luz. Viram-se então dois homens, Mehushua e
Uli-YAHU, que começaram a conversar com ele! O aspecto deles era glorioso, e
falavam da sua morte, que iria ocorrer em YAHUSHUA-oléym. 32-33KAFOS e os
outros, de tão cheios de sono que estavam, adormeceram. Ao acordarem, viram
YAHUSHUA rodeado de resplendor e glória, e os dois homens com ele. Quando
Mehushua e Uli-YAHU se iam retirar, KAFOS, não sabendo o que dizer, falou
assim: Maoro-éh, que bom é estarmos aqui! Vamos construir três abrigos, um para
ti, um para Mehushua e outro para Uli-YAHU! 34Mas no momento em que dizia isto,
uma nuvem formou-se por cima deles e encheram-se de terror quando a nuvem os
envolveu. 35Uma voz saída da nuvem disse: Este é o meu ha-BOR, a quem escolhi;
ouçam-no. 36Quando a voz se calou, YAHUSHUA estava de novo sozinho com os
discípulos, que só mais tarde contaram o que tinham visto.

A cura do
rapaz com um espírito mau

37-38No
outro dia, quando desceram do monte, veio ao seu encontro uma grande multidão,
e um homem gritou-lhe: 39-40Maoro-éh, este menino que aqui está é o meu único
filho. E há um demônio que toma conta dele e o faz gritar, abanando-o todo, com
violência, a ponto de espumar pela boca. Esse demônio fá-lo ferir-se
constantemente, e não o deixa em paz. Já roguei aos teus discípulos que o
expulsassem, mas não foram capazes. 41Ó gente teimosa e sem fé!, disse
YAHUSHUA, até quando terei de vos suportar? E para o homem: Traz cá o teu
filho. 42Quando a criança se aproximava, o demônio atirou-a por terra numa
violenta agitação. Mas YAHUSHUA, ordenando-lhe que saísse, curou o menino e
entregou-o ao pai. 43O espanto apoderou-se do povo ao ver esta manifestação do
poder de YAHU UL. Entretanto, enquanto se admiravam das coisas maravilhosas que
ele fazia, YAHUSHUA disse aos discípulos: 44-45Ouçam-me e lembrem-se do que vos
vou dizer. Eu, ha-BOR do Homem, vou ser traído. Os discípulos, porém, não
percebiam aquilo a que se referia, porque tinham a mente fechada e receavam
fazer-lhe perguntas.

Quem será o
maior?

46-47Surgiu,
então, entre eles uma discussão sobre qual dos discípulos seria o maior.
YAHUSHUA, contudo, conhecendo-lhes os pensamentos, colocou uma criancinha ao
seu lado e disse-lhes: 48Todo aquele que acolher uma criancinha como esta é
como me acolhesse a mim. E quem me receber, recebe também YAHU UL que me
enviou. O mais insignificante de entre vocês, esse é o maior. 49 YAHUKHANAM foi
ter com ele e disse-lhe: Maoro-éh, vimos alguém que se servia do teu Shúam
(Nome) para expulsar demônios e dissemos-lhe que não fizesse isso. Ao fim e ao
cabo, não pertence ao nosso grupo. 50Mas YAHUSHUA disse-lhe: Não deviam ter
feito isso, porque quem não está contra nós põe-se do nosso lado.

Oposição de
Shuamor-YAHU

51À medida
que se aproximava o momento de regressar ao céu, YAHUSHUA mostrava-se decidido
a ir a YAHUSHUA-oléym. 52Um dia, enviou mensageiros à sua frente a fim de
reservar hospedagem numa localidade Shomroní. 53Todavia, aí mandaram-nos
embora. O povo do lugar não quis nada com eles porque viram que se dirigiam
para YAHUSHUA-oléym. 54Quando veio a notícia do que tinha acontecido, YAHUCAF e
YAHUKHANAM perguntaram a YAHUSHUA: Maoro-éh, devíamos pedir que caia fogo do
céu para os queimar? 55-56Mas YAHUSHUA voltou-se e repreendeu-o, e assim
prosseguiram até chegarem a outra terra.

O custo de
seguir YAHUSHUA

57Quando iam
a passar, alguém disse a YAHUSHUA: Seguir-te-ei sempre aonde quer que fores.
58Mas YAHUSHUA respondeu: Olha que eu nem sequer tenho onde pousar a cabeça! As
raposas têm as suas tocas, e os pássaros os seus ninhos, mas eu, ha-BOR do
Homem, não tenho nenhum lar terreno. 59Ele disse a outro homem: Segue-me. Este
aceitou, mas na condição de esperar até que o pai morresse primeiro. 60YAHUSHUA
respondeu: Aqueles que são espiritualmente mortos que se preocupem com coisas
dessas. Tu deves ir anunciar o reino de YAHU UL. 61Ainda outro disse: Sim, YAHU
UL, irei, mas deixa-me primeiro despedir-me da família. 62Todo aquele que lança
mão do arado e depois olha para trás não está pronto para o reino de YAHU UL.

LUCAS 10

YAHUSHUA
envia setenta e dois discípulos

1Depois
disto, YAHU UL escolheu outros setenta e dois discípulos e enviou-os à sua
frente de dois em dois a todas as localidades, vilas e aldeias que tencionava
visitar mais tarde. 2Foram estas as instruções que lhes deu: Roguem a YAHU UL
da seara que envie mais trabalhadores, porque a seara é vasta e os
trabalhadores são poucos. 3-4Agora vão e lembrem-se de que vos envio como
cordeiros para o meio de lobos. Não levem dinheiro convosco, nem saco, nem
mesmo calçado de reserva. E não percam tempo a cumprimentar gente pelo caminho.
5-7Sempre que entrarem num lar, lancem-lhe a vossa bênção. Se for digno de
bênção, esta ficará; se não, para vocês voltará. Quando entrarem numa
localidade, não andem de casa em casa, antes fiquem numa só casa, comendo e
bebendo do que vos puserem à frente. Porque digno é o trabalhador do seu
salário. 8-10Se uma cidade vos receber, comam do que vos oferecerem, curem os
enfermos e digam: veemO reino de YAHU UL chegou até vocêsveem. Se, porém, uma
terra vos rejeitar, saiam para as ruas e digam: 11veemLimpamos dos nossos pés o
pó desta povoação como sinal da vossa condenação. Nunca se esqueçam de que o
reino de YAHU UL chegou até vocês!veem 12Mesmo a perversa Sodoma estará em
melhores condições no dia do julgamento do que essa terra. 13Que horrores vos
esperam, cidades de Corazim e Bóhay Shua-odái! Porque, se os milagres que vos
fiz tivessem sido realizados nas cidades de Tiro e Sidom, o seu povo ter-se-ia
sentado, há muito, em profundo arrependimento, vestindo pano de saco e deitando
cinzas sobre a cabeça em sinal de remorso. 14Sim, Tiro e Sidom receberá menos
castigo no dia do julgamento do que vocês. 15E tu, povo de Kefár-NAOKHEM, que
direi de ti? Serás tu levantado até ao céu? Com certeza que não, serás antes
mergulhado no inferno. 16Depois disse aos discípulos: Quem vos ouve é a mim que
ouve. E quem vos rejeitar é a mim que rejeita. E quem me rejeitar rejeita YAHU
UL, que me enviou. 17Quando os setenta e dois discípulos voltaram, cheios de
alegria, contaram: YAHU UL, os próprios
demônios nos obedecem quando nos servimos do teu Shúam (Nome). 18-20Sim, disse-lhes
YAHUSHUA, eu próprio vi ha-Satan cair dos shua-ólmaYA como um raio! Dei-vos
autoridade sobre os poderes do inimigo, e para pisar serpentes e escorpiões.
Nada vos fará mal. Todavia não se alegrem porque os demônios vos obedecem.
Alegrem-se por os vossos nomes estarem registados em shua-ólmaYA. 21Então
YAHUSHUA, cheio da alegria do RÚKHA hol-HODSHUA, disse: Eu te louvo, ó YAHU
ABí, Molkhiúl (Rei) dos shua-ólmaYA e da terra, porque escondes estas coisas
aos instruídos e aos sábios, e as revelas às criancinhas. Sim, obrigado, pai,
pois foi assim que o quiseste. 22O meu YAHU ABí deu-me autoridade sobre todas
as coisas, e ninguém conhece verdadeiramente ha-BOR a não ser YAHU ABí, e
ninguém conhece verdadeiramente YAHU ABí a não ser ha-BOR, e aqueles a quem ha-BOR
tiver por bem revelá-lo. 23-24Voltando-se para os discípulos, disse-lhes em
particular: Como é grande o vosso privilégio por terem visto o que viram!
Muitos profetas e reis desejaram ver o que vocês veem e não o viram; ouvir o
que vocês ouvem e não o ouviram!

O bom
Shomroní

25-26Certo
dia, um perito na religião Yudaismo quis pôr YAHUSHUA à prova fazendo-lhe esta
pergunta: Maoro-éh, que preciso eu fazer para ter a vida eterna?E YAHUSHUA: Que
diz a lei sobre o assunto? 27Diz assim: veemAmarás YAHU UL, teu Criador Eterno
com todo o teu coração, e com toda a tua alma, e com todas as tuas forças, e
com todo o teu entendimento. E amarás o teu semelhante, tanto quanto a ti
mesmoveem. 28Está certo, respondeu-lhe YAHUSHUA. Faz isso e terás a vida
eterna! 29O homem, querendo justificar-se, perguntou: E quem é o meu
semelhante? 30YAHUSHUA respondeu-lhe com esta ilustração: Um YAHÚ-di que
viajava de YAHUSHUA-oléym para Yáricho viu-se atacado por salteadores. Estes,
depois de lhe tirarem todas as roupas e dinheiro, espancaram-no e deixaram-no
como morto na berma da estrada. 31Por acaso, apareceu por ali um intermediário
(sacerdote) que, ao ver o homem tombado, se afastou para o outro lado da
estrada, e passou de largo. 32Um outro, que era ajudante do Templo, fez o mesmo,
deixando também o homem ali caído. 33-35Porém, surgiu um Shomroní que, ao
vê-lo, teve muita pena dele. Ajoelhando-se, o Shomroní tratou-lhe as feridas
com azeite e vinho e pôs-lhe ligaduras. Depois, colocando o homem sobre o seu
jumento, foi caminhando ao lado até chegarem a uma hospedaria, onde cuidou dele
durante a noite. No dia seguinte, entregou ao dono da hospedaria uma certa
importância, recomendando-lhe que cuidasse do homem. veemSe a despesa for além
distoveem, disse, veempago a diferença na próxima vez que por aqui passar.veem
36-37Ora, qual destes três homens dirias tu que foi o semelhante da vítima dos
salteadores? Ao que o homem respondeu:Foi aquele que mostrou compaixão por ele
YAHUSHUA disse-lhe: É isso mesmo. Vai e faz o mesmo.

Em casa da
Marta e Maoro-ém

38-39A
caminho de YAHUSHUA-oléym, YAHUSHUA e os discípulos chegaram a um lugar onde
uma mulher chamada Marta os recebeu em casa. Maoro-ém, sua irmã, sentou-se no
chão ao pé de YAHUSHUA, ouvindo o que ele dizia. 40Marta, porém, andava atarefada
com muitos serviços, e, indo ter com YAHUSHUA, observou-lhe: YAHU UL, achas bem que minha irmã me deixe
sozinha a fazer o trabalho todo? Diz-lhe que venha ajudar-me. 41-42Marta,
Marta, como tu te deixas prender por tantas coisas! Há só uma que é necessária.
Maoro-ém escolheu bem. Não a quero privar disso!

LUCAS 11

YAHUSHUA
ensina sobre oração

1Numa
ocasião em que YAHUSHUA se tinha retirado para orar, um dos discípulos, quando
ele terminou, disse-lhe: YAHU UL,
ensina-nos a orar, assim como YAHUKHANAM fez com os seus discípulos. 2Foi assim
que os ensinou a orar:

YAHU Abihúl, que o teu Shúam (Nome) seja
honrado.Venha o teu reino.

3Dá-nos o nosso alimento dia a dia.

4Perdoa os nossos pecados,como nós
perdoamos aos que contra nós pecaram. E não deixes que caiamos durante a
tentação. 5-6Ensinou-lhes mais: Suponham que, à meia noite, iam a casa de um
amigo: veemAcaba de chegar uma pessoa minha conhecida, e não tenho nada para
lhe dar a comer. Cede-me três pãesveem. 7Ele responderia lá de dentro: veemNão
me incomodes agora. A porta da rua já está trancada e estamos todos deitados.
Não te posso valer.veem 8Mas digo-vos que ele há-de levantar-se e dar-vos-á
tudo o que quiserem, embora não faça por simpatia, mas para que a sua reputação
não seja afectada. 9O mesmo se passa com a oração: Peçam, porque hão-de
receber; procurem, pois que encontrarão; batam, que a porta abrir-se-a.
10Porque todo aquele que pede recebe; todos os que procuram, encontram; e a
porta abre-se a todos os que batem. 11-13Vocês, os que são pais, se o vosso
filho vos pedir pão, dão-lhe porventura uma pedra? Se pedir peixe, dão-lhe uma
serpente? Se pedir um ovo, dão-lhe um escorpião? Se mesmo pecadores, como são,
vocês dão aos filhos aquilo de que necessitam, quanto mais o vosso pai
celestial dará o RÚKHA hol-HODSHUA (Espírito Santo) àqueles que lho pedirem!

YAHUSHUA e
ha-Satan

14-16Certa
vez, tendo YAHUSHUA expulsado um demônio de um homem mudo, este recuperou a
fala, com grande emoção do povo. Mas houve quem dissesse: Não admira que os
expulse, pois o poder dele vem de ha-Satan, principie dos demônios! Outros,
para o experimentarem, pediram que ele fizesse um sinal do céu. 17-20YAHUSHUA,
que conhecia os pensamentos de cada um, disse: Qualquer país onde haja guerra
civil fica destruído; o mesmo acontece com uma casa cheia de contendas.
Portanto, se ha-Satan está em luta consigo próprio dando-me poder para expulsar
os seus demônios, como poderá subsistir o seu reino? E se o meu poder vem de
ha-Satan, que acontece com os vossos seguidores? Assim eles serão os vossos
juízes! Mas, se expulso os demônios pelo poder que vem de YAHU UL, isto prova
que o seu reino já chegou. 21-22Pois quando uma pessoa forte e bem armada
guarda o seu domínio, este está seguro, até que alguém ainda mais forte o
ataque e derrote, lhe tire as armas em que confiava e leve o que tem. 23Quem
não é por mim é contra mim, quem não ajunta comigo espalha. 24-26Quando um
demônio é expulso de um homem, vai para lugares áridos, procurando onde ficar;
não encontrando, volta para a pessoa que deixou e descobre que a sua antiga
morada está toda varrida e arranjada. Então traz outros sete demônios ainda
piores do que ele próprio, entram no homem, e assim aquele infeliz fica numa
situação bem pior do que antes. 27Enquanto falava, uma mulher de entre a
multidão gritou: Bendita seja a tua mãe, o ventre de que nasceste, e o peito
que te deu leite! 28Ao que ele respondeu: Antes benditos são todos quantos
ouvem a Palavra de YAHU UL e a põem em prática.

O sinal de
YAHUNAH

29-30YAHUSHUA
expôs os seguintes ensinamentos: São maus e de gente má os tempos que correm.
Teimam as pessoas em pedir como prova um acontecimento extraordinário em
shua-ólmaYA. Mas o único milagre que lhes é dado é o do profeta YAHUNAH, que
provou ao povo de Nineveh que tinha sido enviado por YAHU UL. Também este povo
terá a prova de que lhe fui enviado. 31E no dia do juízo a rainha de Sheba
há-de levantar-se e condenar esta geração, porque ela fez uma viagem longa e
difícil para escutar a sabedoria de Shua-ólmoh. Mas aqui está um que é muito
superior a Shua-ólmoh. 32Também os homens de Nineveh se levantarão para
condenar este povo, porque eles arrependeram-se ouvindo a pregação de YAHUNAH.
E agora está aqui alguém muito superior a YAHUNAH.

A luz do
corpo

33-34Ninguém
acende uma lâmpada para a esconder. Pelo contrário, põe-na num castiçal para
que dê luz a todos quantos entram na casa. Os olhos são a luz do teu corpo. Se
forem puros, o teu corpo terá luz. Se forem maus haverá escuridão. 35-36Vigiem,
pois, para que nada impeça a luz de brilhar em vocês. Se se encontrarem cheios
de luz interior, sem recantos escuros, então também todo o vosso íntimo ficará
na luz como se o clarão duma lâmpada vos iluminasse.

YAHUSHUA
denuncia os Farsyím e os professores da lei

37-38Enquanto
falava, um Farsyí (Fariseu) pediu-lhe que fosse comer a sua casa. Quando
YAHUSHUA chegou, acomodou-se para a refeição, mas sem primeiro fazer a
cerimônia de lavar as mãos. Isto surpreendeu muito o dono da casa. E YAHUSHUA
disse-lhe: 39-41Vocês, Farsyím, lavam o exterior, mas por dentro continuam
cheios de cobiça e maldade. Loucos! Não foi YAHU UL quem fez tanto o interior
como o exterior? Uma forma de se mostrar pureza é exercer generosidade para com
os pobres. 42Mas Ai de vocês, Farsyím! Porque, embora tenham o cuidado de dar a
YAHU UL o dízimo da hortelã, da arruda e de todos os vegetais, esquecem por
completo a justiça e o amor de YAHU UL. Vocês devem praticar o dízimo, sim, mas
sem pôr de parte as coisas mais importantes. 43-44Como vos lamento, Farsyím!
Amam tanto os lugares de honra nas sinagogas e as saudações que vos dirigem nas
praças! Porque são como as sepulturas escondidas num campo. As pessoas caminham
por cima deles sem conhecer a corrupção que está por baixo. 45Maoro-éh,
observou-lhe um especialista em leis religiosas que se encontrava ali,
insultaste também a minha atividade com o que acabaste de dizer. 46Sim,
replicou-lhe YAHUSHUA, Ai de vocês, peritos na lei, porque carregam as pessoas
com exigências que elas dificilmente podem cumprir, e vocês mesmos não mexem um
dedo sequer para as ajudar! 47Pois são exatamente como os vossos antepassados
que mataram os profetas da antiguidade. 48Vocês próprios dão prova em como
concordam com eles, porque vocês levantam os túmulos dos mesmos profetas que os
nossos pais mataram. 49Mas isto é o que YAHU UL diz de vocês: Mandar-vos-ei
pregadores e enviados meus; alguns deles vocês hão-de matá-los, outros
expulsá-los-ão. 50-51Vocês, os desta geração, serão considerados responsáveis
pelo assassínio dos profetas desde a fundação do mundo – desde o assassínio de
Abúl ao de ZOCHARYAHU, que foi morto no Templo, entre o altar e o Templo, essa
acusação ser-vos-á certamente feita. 52Infelizes de vocês que são tidos como
peritos em religião. Esconderam do povo a chave do conhecimento e não entram
nem deixam entrar os outros. 53-54Os Farsyím e os que ensinavam religião
ficaram furiosos; a partir dali atacavam-no ferozmente com toda a espécie de
perguntas, tentando fazê-lo tropeçar e dizer algo que lhes servisse para o
mandarem prender.

LUCAS 12

Avisos e
encorajamentos

1-2Entretanto,
a multidão crescia até haver milhares de pessoas que se atropelavam.
Voltando-se primeiro para os discípulos, avisou-os: Acima de tudo, tenham
cuidado com a hipocrisia, como a destes Farsyím. Aliás semelhante fingimento
não poderá ficar sempre escondido. Tornar-se-á por fim tão evidente como o
fermento na massa da farinha. Não há nada encoberto que não venha a ser
conhecido; nem nada de oculto que não venha a saber-se. 3Tudo o que disserem
nas trevas será ouvido à luz, e o que segredarem num quarto ecoará pelos
telhados! 4-5Meus amigos, não receiem os que vos podem matar. Esses só
conseguirão matar o corpo, mas não têm poder sobre as vossas almas. Mas
dir-vos-ei a quem devem temer: temam e obedeçam a YAHU UL, que tem poder para
matar e lançar no inferno. 6-7Quanto custam cinco pardais? Pouco dinheiro, não
é isso? Mesmo assim YAHU UL não esquece nem um só. Ele tem os cabelos da vossa
cabeça todos contados! Não temam nunca, pois vocês valem muito mais para ele do
que um bando de pardais. 8-10E garanto-vos isto: Eu, ha-BOR do Homem, vos
honrarei publicamente na presença dos anjos de YAHU UL, se também publicamente
mostrarem aqui na terra que me seguem. Porém, àqueles que me negarem aqui entre
os homens também eu os negarei na presença dos anjos de YAHU UL. Contudo, quem
falar contra mim ainda pode ser perdoado, mas nunca quem falar contra o RÚKHA
hol-HODSHUA. 11-12E quando forem levados à presença dos governantes e das
autoridades, não se preocupem com o que deverão dizer, porque o RÚKHA
hol-HODSHUA vos ensinará as palavras certas no próprio momento.

A ilustração
do rico homem

13Foi então
que alguém exclamou no meio da multidão:
Molkhiúl, peço-te que digas ao meu irmão que reparta comigo a herança do
meu pai. YAHUSHUA respondeu: 14-15Não sou juiz para decidir sobre essas
questões legais entre vocês. Mas a questão de fundo é que não se deixem dominar
pela avareza. Porque a vida verdadeira não está garantida pelos bens que se
possa ter. 16-19E deu um exemplo: Certo homem rico possuía uma propriedade
fértil que dava boas colheitas. Assim os seus celeiros ficaram a transbordar, e
não podia guardar tudo lá dentro. O homem pôs-se a pensar no problema. Por fim,
exclamou: veemJá sei, vou deitar abaixo os celeiros e construir outros maiores.
Assim terei espaço suficiente. Depois direi comigo mesmo: veemAmigo,
armazenaste o bastante para os anos futuros. Agora, repousa e come, bebe e
diverte-te.veem 20Mas YAHU UL disse-lhe: veemLouco! Esta noite vais morrer; e
para quem fica tudo isso?veem 21Sim, louco é quem acumula riquezas na terra mas
não é rico em relação a YAHU UL.

Não se
preocupem

22-24E,
voltando-se para os discípulos: Não se preocupem com o ter ou não comida
suficiente e roupa para vestir, porque a vida é muito mais do que o comer ou o
vestir. Olhem os corvos: não plantam, não colhem, não têm celeiros para
armazenar alimento, e mesmo assim vivem, porque é YAHU UL quem os sustenta. E
vocês valem muito mais do que aves! 25-26Além disso, qual é a vantagem de nos
preocuparmos? Porventura irá isso acrescentar um só dia que seja à vossa vida?
Claro que não! E se a preocupação não ajuda nem sequer a realizar coisas
pequenas, qual é a vantagem de nos preocuparmos com coisas maiores? 27-28Olhem
os lírios do campo, que não trabalham nem tecem, e, contudo, nem Shua-ólmoh em
toda a sua glória se vestiu tão bem como eles. E se YAHU UL veste as flores,
que hoje se abrem e amanhã desaparecem, não acham que dará o necessário também
a vocês, almas com tão pouca confiança? 29-31E não se preocupem com o que comer
e o que beber; que isso não vos cause ansiedade. Toda a gente em geral se
afadiga para ganhar o sustento de cada dia, mas o vosso YAHU ABí celeste
conhece as vossas necessidades. Ele sempre vos dará tudo o que vos é preciso,
dia após dia, se fizerem do reino de YAHU UL a vossa principal preocupação.
32Portanto, não tenhas medo, pequeno rebanho, porque o vosso YAHU ABí se alegra
em dar-vos o reino. 33-34Vendam o que têm e dêem aos que estão em necessidade, e
assim encherão o vosso cofre no céu! No céu os cofres não se arrombam, nem têm
buracos. Os vossos tesouros ali jamais desaparecerão; nenhum ladrão os poderá
roubar, nem nenhuma calamidade os destruirá. Onde estiver o vosso tesouro ali
estará também o vosso coração.

Sejam
vigilantes

35-37Estejam
preparados, com as vossas candeias acesas, como se esperassem o vosso Criador
Eterno regressando da celebração de casamento. Assim, estarão preparados para
lhe abrir a porta e o deixar entrar quando chegar e bater. Bem-aventurados os
que estiverem vigiando assim. Ele mesmo os sentará à mesa e os servirá!
38-40Poderá vir às nove da noite, ou talvez à meia-noite. Porém, seja qual for
a hora, felizes os que estiverem pontos. Estejam tão preparados como se
soubessem a hora exata do seu regresso, assim como também estariam quando um
ladrão aparecesse, se soubessem a hora a que vinha para assaltar a casa.
Portanto, mais razão há para estarem sempre pontos, porque eu, ha-BOR do Homem,
voltarei quando menos me esperarem. 41KAFOS perguntou: Molkhiúl, falas só para nós ou também para
toda a gente? 42-44 Molkhiúl YAHUSHUA respondeu: Falo para qualquer homem fiel
e sensato que se comporta como aquele cujo patrão lhe deu a responsabilidade de
alimentar os outros criados. Quando o patrão voltar, se verificar que ele fez
bom trabalho, lhe dará a responsabilidade sobre tudo o que tem. 45-46Mas se o
homem pensar: veemO meu patrão não voltará tão cedoveem e começar a maltratar
os empregados, e a gastar o tempo em pândegas e bebedeiras, o seu patrão, ao
voltar sem aviso, o afastará daquele cargo de confiança e expulsá-lo-á como um
infiel. 47Será severamente castigado por se recusar a cumprir a sua obrigação,
ainda que sabendo bem qual era. 48Mas aquele que por desconhecimento não se apercebe
do seu mau comportamento será castigado com brandura. A quem muito se dá muito
se exige, pois a sua responsabilidade é maior.

Não paz mas
divisões

49-53Vim
trazer fogo à terra, e desejava que essa tarefa tivesse já completado!
Aguarda-me um Batismo terrível e sinto-me bem oprimido até lá chegar! Julgam
que vim trazer a paz à terra? Pelo contrário, trouxe contendas e divisões!
Daqui em diante as famílias se dividirão, três a meu favor, dois contra, ou o
inverso. Um pai decide-se de certo modo a meu respeito, mas o filho pode
fazê-lo de modo diferente; mãe e filha poderão vir a não se entender; e a
decisão de uma sogra será provavelmente recusada pela nora.

Os sinais
dos tempos

54-57E
voltando-se para o povo, YAHUSHUA disse: Quando veem as nuvens a formar-se no
poente, sabem dizer: veemVem aí chuva!veem, e têm razão. Quando sopra o vento
sul, comentam: veemHoje vai fazer calor!veem, e assim é. Que hipocrisia! Sabem
interpretar os sinais em shua-ólmaYA, mas não atentam à vossa volta, nos sinais
dos tempos em que vivem. Porque é que não veem por si próprios o que é justo?
58-59Se te encontrares com o teu acusador a caminho do tribunal, procura
resolver o conflito antes que ele chegue ao juiz, não vá este condenar-te à
prisão; porque, se tal acontecer, não serás libertado enquanto não tiveres pago
e cumprido toda a pena integralmente até ao fim.

LUCAS 13

Chamada ao
arrependimento

1Por esse
tempo, contaram a YAHUSHUA que Pilatos tinha feito matança de alguns YAHÚ-dim
da Galileia, enquanto ofereciam sacrifícios no Templo, em YAHUSHUA-oléym.
2-5Pensam, por acaso, que esses eram mais pecadores do que os outros homens da
Galileia?, perguntou. E que foi por isso que sofreram a morte? Não perceberam
que também vocês se perderão se não se arrependerem? E os dezoito homens que
morreram quando a torre de Shelóé desabou sobre eles? Terá sido porque seriam
os piores pecadores que havia em YAHUSHUA-oléym? Sem dúvida que não! Também
vocês se perderão se não se arrependerem. 6-7YAHUSHUA deu então o seguinte
exemplo: Certo homem plantou uma figueira na sua quinta e muitas vezes ia ver
se tinha fruto, ficando sempre desapontado. Por fim disse ao empregado que a
cortasse: veemHá três anos que espero e não brotou um único figo! Para que me
hei-de ralar mais com esta figueira? O espaço que ocupa podemo-lo nós utilizar
para qualquer outra coisa.veem 8-9veemDá-lhe nova oportunidadeveem, respondeu o
empregado. veemDeixa-a ficar mais um ano, que eu vou dedicar-lhe cuidados
especiais e lhe porei adubo em abundância. Se conseguirmos figos no próximo
ano, tanto melhor; se não, então corto-a.veem

Uma aleijada
é curada no Shábbos

10-13Um
Shábbos, estava YAHUSHUA a ensinar numa sinagoga, quando viu uma mulher que
andava curvada, sem se poder endireitar, havia dezoito anos, por estar possuída
por um espírito maligno. YAHUSHUA chamou-a para junto de si. Mulher, estás
curada da tua doença. Tocou-a e imediatamente pôde endireitar o corpo. E ela
louvava e agradecia a YAHU UL! 14Todavia, o dirigente YAHÚ-di local responsável
pela sinagoga ficou muito zangado porque YAHUSHUA tinha efetuado aquela cura no
Shábbos. Há seis dias da semana para trabalhar, bradou ele à multidão. Nesses
dias e não no Shábbos é que se deve vir em busca de cura! 15-17Mas Molkhiúl
YAHUSHUA respondeu: És um hipócrita! Também tu trabalhas no Shábbos! No Shábbos
não desatas o gado no estábulo e não o levas a beber? E será condenável que, lá
porque é Shábbos, eu liberte, após dezoito anos de cativeiro de ha-Satan, esta
descendente de Abruham? Isto envergonhou os seus inimigos. E todo o povo se
alegrava com as maravilhas que fazia.

Ilustrações
da semente de mostarda e do fermento

18-19Começou
então novamente a instruí-los acerca do reino de YAHU UL: Com que se parece o
reino? e como o posso explicar? É como uma minúscula semente de mostarda
plantada numa horta, a qual se vai transformando num arbusto alto, entre cujos
ramos as aves fazem a sua habitação. 20Outra vez ele perguntou: A que
compararei o reino de YAHU UL? 21É como o fermento misturado na massa, que
trabalha invisivelmente até que ela fique bem crescida e leve.

A porta
estreita

22YAHUSHUA
ia de cidade em cidade e de localidade em localidade, ensinando pelo caminho e
avançando sempre para YAHUSHUA-oléym. 23Alguém lhe perguntou: É verdade que só
poucos é que serão salvos? Ele respondeu: 24-25É estreita a porta do céu.
Esforcem-se por entrar, porque muitos tentarão fazê-lo, mas quando o dono da
casa tiver trancado a porta, será já tarde. Se ficarem do lado de fora, ainda
que batendo e suplicando: veemMolkhiúl, abre-nos a portaveem, ele contudo
responderá: veemNão vos conheço.veem 26veemMas nós comemos contigo, e ensinaste
nas nossas ruasveem, dir-lhe-ão. 27Tornará a responder: veemJá vos disse que
não vos conheço. Culpados como estão, não podem entrar aqui. Vão-se embora.veem
28E haverá grande choro e lamentos de desespero quando estiverem do lado de
fora e virem Abruham, YAHUtz-kaq, YAHUCAF e todos os profetas dentro do reino
de YAHU UL. 29Então virá gente do mundo inteiro, e de todos os tempos para
ocupar ali os seus lugares. 30E notem que alguns, agora desprezados, serão
grandemente honrados então; e alguns, agora tidos em alta conta, serão lá
considerados de menos importância.

YAHUSHUA em
YAHUSHUA-oléym

31Poucos
minutos decorridos, alguns Farsyím disserem-lhe: Retira-te daqui se queres
continuar vivo, porque Herod anda à tua procura! 32Ao que YAHUSHUA respondeu:
Digam a essa raposa que eu continuarei a expulsar demônios e a operar curas
milagrosas hoje e amanhã; e no terceiro dia chegarei ao meu destino. 33Sim, hoje,
amanhã e depois de amanhã devo prosseguir no meu caminho! Porque não ficaria
bem a um profeta de YAHU UL ser morto noutro local que não em YAHUSHUA-oléym!
34-35Oh, YAHUSHUA-oléym, YAHUSHUA-oléym, cidade que matas os homens de YAHU UL
e apedrejas aqueles que são enviados a socorrer-te! Quantas vezes quis juntar
os teus filhos como uma galinha abriga a ninhada debaixo das asas, mas não mo
permitiram! Agora, a vossa casa será destruída e abandonada; nunca mais me
verão outra vez até que digam: veemBem-vindo aquele que vem em Shúam (Nome) de
YAHU ULveem.

LUCAS 14

YAHUSHUA na
casa de um Farsyí

1-2Um
Shábbos, estando em casa de um dos chefes dos Farsyím, todos o vigiavam para
ver se curaria um dos presentes, que sofria da doença que o fazia inchar.
3-6Então YAHUSHUA, dirigindo-se aos Farsyím e especialistas na lei que se
achavam em volta: A lei permite ou não curar um homem num dia de Shábbos? E
visto que se recusavam a responder, YAHUSHUA, tomando o doente pela mão,
curou-o e mandou-o embora. Depois, voltando-se para eles: Qual de vocês é que
não trabalha no Shábbos? Se o vosso jumento ou o vosso boi cair numa cova, não
tratam logo de o tirar? Uma vez mais, não encontraram resposta que lhe dessem.
7-9Quando reparou que todos os convidados procuravam o lugar de honra, perto do
topo da mesa, deu-lhes o seguinte conselho: Se fores convidado para uma
celebração de casamento, não procures ocupar o melhor lugar, pois, se aparecer
alguém de posição superior à tua, o dono da casa levá-lo-á para o lugar onde te
encontras sentado e dir-te-á: veemDeixa que esta pessoa se sente aqui no lugar
em que estavasveem. E tu ficarás humilhado e terás que tomar qualquer lugar que
reste, ao fundo da mesa. 10-11Em vez disso, começa pelo fim. E quando aquele
que te convidou te vir, dir-te-á: veemAmigo, temos para ti um lugar melhor do
que esse!veem E assim serás honrado perante todos os outros convidados! Porque
todo aquele que procura elevar-se será humilhado, e todo aquele que se humilhar
a si mesmo será honrado. 12-14Voltou-se então para o seu hospedeiro: Quando
ofereceres um jantar, não convides amigos, irmãos, parentes e vizinhos ricos,
porque esses retribuirão o convite. Em vez disso, convida os pobres, aleijados,
os coxos e os cegos. E na ressurreição dos justos YAHU UL recompensar-te-á por
teres convidado aqueles que não podem retribuir-te. 15Ouvindo isto, um que
estava à mesa com YAHUSHUA exclamou: Que privilégio seria o de entrar no reino
de YAHU UL! Ao que YAHUSHUA respondeu com a seguinte ilustração:

A ilustração
da grande celebração

16-20Um
homem preparou uma grande celebração e enviou muitos convites. Quando tudo
estava pronto, mandou o seu criado ir avisar os convidados de que chegara a
hora de eles virem. Todos, porém, começaram com desculpas: um porque acabara de
comprar um campo e queria vê-lo, pedindo, portanto, que dispensasse a sua
presença; outro porque tinha acabado de comprar cinco juntas de bois e queria
experimentá-los; outro ainda, porque acabava de se casar, não podia ir. 21-24O
criado voltou e transmitiu ao patrão as respostas deles. O patrão, indignado,
disse-lhe que fosse depressa às ruas e becos da cidade e convidasse os
mendigos, paralíticos, coxos e cegos. Ele foi e mesmo assim, ainda havia lugar.
veemVai por aí fora, pelos caminhos dos campos e por todos esses lugares;
insiste para que venham, de modo que a casa fique cheia. E, quanto aos que
primeiro convidei, nenhum provará dos manjares que eu tinha preparado.

O custo de
ser discípulo

25-27Grandes
multidões seguiam YAHUSHUA, que lhes falou assim: Todo aquele que quiser ser
meu seguidor deve amar-me mais do que ao próprio pai, mãe, esposa, filhos,
irmãos, ou irmãs, sim, mais do que à sua própria vida; de outra forma não pode
ser meu discípulo. E ninguém pode ser meu discípulo se não carregar a sua própria
poste e me seguir. 28-30Mas não deve começar a seguir-me enquanto não tiver
pensado no custo que isso implica, pois quem começaria a construir um edifício
sem primeiro fazer cálculos e verificar se tem dinheiro suficiente para pagar
as contas? De outro modo, arrisca-se a só poder lançar os alicerces, por se
terem esgotado os recursos. E então toda a gente troçaria dele! veemVeem aquele
homem?veem, diriam então em tom de zombaria. veemComeçou uma casa e ficou sem
dinheiro antes de a terminar!veem 31-33E qual é o rei que se dispõe a iniciar
uma guerra sem primeiro consultar os seus conselheiros e verificar se com dez
mil homens terá força suficiente para derrotar os vinte mil que marcham contra
ele? E se vir que não, enquanto as tropas inimigas ainda vêm longe enviará uma
comissão de tréguas para discutir as condições de paz. Semelhantemente, ninguém
pode tornar-se meu discípulo sem ter primeiro calculado bem o que isso
representa, e sem ter renunciado a tudo por amor a mim. 34Sal é bom para
temperar. Mas se perder o seu sabor, como pode se tornar salgado outra vez? 35O
sal sem sabor não presta para nada, nem mesmo para adubo. É lançado fora. Ouçam
bem se querem compreender o que vos digo.

LUCAS 15

A parábola
da ovelha perdida

1Muitas
vezes vinham cobradores de impostos, e outras pessoas de conduta reprovável,
para ouvirem YAHUSHUA. 2Isto, porém, dava origem a queixas por parte dos
Farsyím e professores da lei, por se misturar assim com gente condenável,
chegando até a comer com eles! 3YAHUSHUA então recorreu ao seguinte exemplo:
4-7Se um homem tivesse cem ovelhas e uma delas se desgarrasse e se perdesse no
deserto, não deixaria as outras noventa e nove para ir à procura da que se
perdeu até a encontrar? Então, alegremente, carregá-la-ia sobre seus ombros, para
casa. E, quando ali chegasse, reuniria amigos e vizinhos para se regozijar com
eles, por a sua ovelha perdida ter sido achada. Semelhantemente, haverá mais
felicidade no céu por causa de um pecador perdido que voltou para YAHU UL do
que por os outros noventa e nove que não se desgarraram!

A moeda
perdida

8-10Ou
ainda: Uma mulher, por exemplo, tem dez valiosas moedas e perde uma delas em
casa. Porventura não acenderá uma luz, não procurará por toda a parte, varrendo
cada recanto até a achar? E depois de encontrá-la não chamará as amigas e
vizinhas para que se regozijem com ela? Assim também há alegria entre os anjos
de YAHU UL quando um pecador se arrepende.

O filho
perdido

11E
contou-lhes o seguinte: Certo homem tinha dois filhos. 12O mais novo disse ao
pai: veemDá-me agora a minha parte da herança a que tenho direito!veem O pai
concordou então em dividir a fortuna entre os filhos. 13Poucos dias depois,
este filho, já na posse de tudo o que lhe pertencia, partiu para uma terra
distante, onde desperdiçou o dinheiro com pândegas e na má vida. 14Ao mesmo
tempo que o seu dinheiro se acabava, a terra foi assolada por uma grande fome e
ele começou a passar privações. 15Foi então ter com um lavrador que o contratou
para lhe tomar conta dos porcos. 16O jovem sentia tanta fome que até as bolotas
que dava aos porcos lhe apetecia comer. Mas nem isso lhe davam. 17-19Quando,
por fim, caiu em si, disse consigo mesmo: veemNa casa de meu pai, até os
trabalhadores têm comida em abundância e afinal eu aqui estou a morrer de fome!
Vou voltar para o meu pai e dir-lhe-ei: veemAbí (Pai), pequei contra o céu e
contra ti, e já nem mereço ser chamado teu filho. Peço-te que me contrates como
trabalhador.veem 20-21Pôs-se então a caminho de casa. E ainda vinha longe, seu
pai, vendo-o aproximar-se, e cheio de terna compaixão, correu ao seu encontro,
abraçando-o e beijando-o. O filho disse-lhe: veemAbí, pequei contra o céu e
perante ti, e já nem mereço ser chamado teu filho.veem 22-24Mas o pai disse aos
criados: veemDepressa, tragam o manto melhor que houver em casa e vistam-lho; e
ponham-lhe um anel no dedo e calçado novo! Matem o bezerro que estamos a
engordar; porque vai haver grande celebração, pois este meu filho estava como
morto e voltou à vida; estava perdido e tornou a ser achado.veem Com isto
começou o banquete. 25-26Entretanto, o filho mais velho, que estava no campo a
trabalhar, ao voltar para casa ouviu a música da celebração, e perguntou a um
dos criados o que se passava. 27veemFoi o teu irmão que voltouveem,
respondeu-lhe. veemO teu pai matou o bezerro que estávamos a engordar e
preparou uma grande celebração para celebrar o regresso dele são e salvo ao
lar.veem 28-29O filho mais velho ficou zangado e não queria entrar, mas o pai
saiu e insistiu que o fizesse. Ele, porém, respondeu: veemTodos estes anos
tenho trabalhado duramente para ti sem nunca me recusar a fazer fosse o que
fosse que me mandasses, e em todo este tempo nunca me deste nem sequer um
cabrito para que eu festejasse com os meus amigos. 30Agora que volta este teu
filho, depois de te gastar dinheiro na má vida, celebras o seu regresso matando
o melhor bezerro que temos em casa!veem 31-32veemMeu querido filho, eu e tu
continuamos ligados e tudo o que possuo é teu. É justo, porém, que festejemos,
pois o teu irmão estava como morto e tornou a viver; estava perdido e foi
achadoveem.

LUCAS 16

O negociante
esperto

1-2YAHUSHUA
contou mais o seguinte aos discípulos: Um homem rico contratou um feitor para
lhe administrar os negócios, mas logo começou a constatar que o indivíduo era
esbanjador. Então o patrão chamou-o e disse-lhe: veemQue é isto que me contam?
Põe as tuas contas em ordem porque estás despedidoveem. 3-4O feitor pensou
consigo: veemE agora? Estou liquidado. Para cavar não tenho força e para
mendigar tenho vergonha. Já sei! Já sei como arranjar muitos amigos que cuidem
de mim quando eu me for embora!veem 5-6Convocou os devedores do patrão e
perguntou ao primeiro: veemQuanto lhe deves?veemveemTrês mil litros de
azeite.veemveemAqui está o contrato que assinasteveem, disse o administrador.
veemRasga-o e escreve outro por metade disso.veem 7veemE tu, quanto lhe
deves?veem, perguntou ao segundo.veemTrinta e cinco mil litros de
trigo.veemveemVá, toma o teu compromisso e troca-o por outro de apenas vinte e
oito mil litros!veem 8O homem rico não pôde deixar de admirar a astúcia daquele
velhaco s pessoas deste mundo são mais espertas nos negócios do que os crentes.
9Eu vos digo, usem os vossos bens para ajudar outros e fazer amigos. Desta
maneira, a vossa generosidade acumulará uma recompensa para vocês no céu.
10Porque, se não forem dignos de confiança nas coisas pequenas, não é nas
grandes que o serão. Se não vos puderem ser confiadas coisas de pouca monta,
muito menos vos confiarão coisas maiores. 11E, se não são dignos de confiança
no tocante à riquezas deste mundo, quem vos confiará as verdadeiras riquezas do
céu? 12E, se não são fiéis com o dinheiro dos outros, por que vos há-de ser
confiado o vosso próprio? 13Pois ninguém pode servir dois patrões. Se não
gostar de um há-de ser fiel ao outro. Se tiver zelo por um há-de desprezar o
outro. Não se pode servir YAHU UL e o dinheiro. 14-15Os Farsyím que eram
avarentos, meteram tudo isto a ridículo. Então YAHUSHUA disse-lhes: Vocês são
os que se justificam a si mesmos diante dos outros, mas YAHU UL conhece o vosso
coração. O que é altamente avaliado entre as pessoas é cotado de maneira
inteiramente diferente por YAHU UL. 16Até YAHUKHANAM Batista começar a pregar,
vigoravam as leis de Mehushua e as mensagens dos profetas. Mas agora a Mensagem
Gloriosa do reino de YAHU UL são anunciadas, e multidões ansiosas esforçam-se
por entrar nele. 17Isto, porém, não significa que a lei tenha perdido a sua
validade, nem no mais pequeno aspecto. É tão inabalável como o céu e a terra.
18Disse ainda: Quem se divorciar da sua mulher e se casar com outra comete
adultério; e quem casar com uma mulher divorciada comete adultério também.

O rico e
Úlozor

19Havia um
certo homem rico, disse YAHUSHUA, que se vestia elegantemente e vivia todos os
dias no prazer e no luxo. 20-21Um mendigo, chamado Úlozor, cheio de doenças,
costumava estar deitado à sua porta; e bem desejava comer ao menos as sobras da
mesa desse rico, mas só tinha cachorros que vinham lamber-lhe as feridas. 22Por
fim, o mendigo faleceu, e foi levado pelos anjos para junto de Abruham. Também
o rico morreu e foi sepultado. 23Ali, em tormentos, viu Úlozor lá longe com
Abruham. 24veemPai Abruhamveem, gritou, veemtem piedade de mim! Manda Úlozor
vir ter comigo nem que seja para molhar a ponta do dedo em água e refrescar-me
a língua, pois estou atormentado nestas chamas!veem 25-26veemFilho,veem
respondeu-lhe Abruham, veemlembra-te de que durante a tua vida tiveste tudo
quanto querias, enquanto que Úlozor nada teve. Ele está aqui a ser consolado e
tu estás em tormentos. Além disso, há um grande abismo que nos separa e que
ninguém pode transpor.veem 27-28veemÓ pai Abruham, manda-o a casa de meu
pai,veem retorquiu o rico, veempois tenho cinco irmãos e é preciso avisá-los
para que não venham para este lugar de sofrimentos quando morreremveem. 29Mas
Abruham declarou-lhe: veemTêm as Qaotáv de Mehushua e dos profetas. Ouçam os
seus avisos. 30veemNão, pai Abruham. Se alguém de entre os mortos for ter com
eles, arrepender-se-ão.veem 31veemSe eles não ouvem Mehushua e os profetas, não
ouvirão nem mesmo alguém que se tenha levantado de entre os mortos.veem

LUCAS 17

Pecado, fé e
responsabilidade

1Coisas que
fazem o povo pecar sempre as haverá, disse YAHUSHUA um dia aos discípulos, mas
Ai de quem as provocar. 2Melhor lhe seria ser lançado ao mar com uma pedra de
moinho ao pescoço do que incitar ao pecado almas como os pequeninos. 3Dêem
atenção! Repreende o teu irmão se ele pecar, e perdoa-lhe se se arrepender.
4Mesmo que te ofenda sete vezes por dia, se cada vez voltar e te pedir perdão,
perdoa-lhe sempre. 5Então, os emissários disseram a Molkhiúl YAHUSHUA:
Aumenta-nos a fé. 6Se tivessem fé nem que fosse do tamanho de um grão de
mostarda, respondeu YAHUSHUA, poderiam dizer a esta amoreira: veemArranque-te daí
e lança-te no marveem, e ela vos obedeceria. 7-10Um criado, ao serviço de
alguém, quando regressa de um serviço nos campos ou de tratar do gado, não se
senta logo para comer. Prepara primeiro a refeição do patrão e serve-lhe o
jantar antes de comer ele próprio. E nem por isso lhe agradecem, porque está a
fazer o que se espera dele. Igualmente, se se limitarem a obedecer-me, não
devem considerar-se merecedores de elogio, porque cumpriram simplesmente o
vosso dever!

A cura de
dez leprosos

11-13Prosseguindo
no seu caminho para YAHUSHUA-oléym, chegaram aos limites da Galileia com
Shuamor-YAHU. Quando entraram numa aldeia dali, dez leprosos pararam à
distância bradando: YAHUSHUA, Maoro-éh, tem pena de nós! 14Olhando para eles,
YAHUSHUA disse: Vão mostrar-se ao intermediário. Enquanto iam a caminho,
constataram que a lepra desaparecera. 15-16Um deles voltou a procurar YAHUSHUA
e lançando-se no chão diante de YAHUSHUA com o rosto em terra, dava em alta voz
haolúlim (louvores) a YAHU UL e agradecia o que lhe tinha feito. Este homem era
um Shomroní. 17-19Então YAHUSHUA perguntou: Não eram dez os homens que curei?
Onde estão os outros nove? Só este estrangeiro é que volta para dar glória a
YAHU UL? E disse para o homem: Levanta-te, podes ir. A tua fé te salvou.

A vinda do
reino de YAHU UL

20-21Um dia,
os Farsyím perguntaram a YAHUSHUA: Quando irá começar o reino de YAHU UL? E
YAHUSHUA:O reino de YAHU UL não é anunciado por sinais visíveis, nem se poderá
dizer que começou aqui ou acolá, porque está entre vocês. 22-24Mais tarde,
tornou a falar no assunto com os discípulos: Lá virá o tempo em que hão-de
desejar que eu esteja convosco, nem que seja um só dia, mas já cá não estarei.
Dir-vos-ão que voltei e que estou neste ou naquele lugar; mas não acreditem nem
saiam à minha procura, porque o meu regresso ver-se-á tão claramente como o
relâmpago que vai pelo shua-ólmaYA. 25Todavia, antes disso deverei sofrer muito
e ser rejeitado pelas pessoas deste tempo. 26-27Assim como foi nos dias de Nokh
assim será no dia do regresso do ha-BOR do Homem. Naqueles dias antes do
dilúvio, as pessoas comiam e bebiam, celebravam casamentos, até ao dia que Nokh
entrou na arca e o dilúvio veio e as destruiu todas. 28-30E o mundo estará como
estava nos tempos de Lot. As pessoas continuavam atarefadas nos seus negócios
diários, comendo e bebendo, comprando e vendendo, cultivando e construindo, até
vir aquela manhã em que Lot saiu de Sodoma, e em que choveu do céu fogo e
enxofre, que destruiu toda a gente. Assim será, pois, até ao momento do meu regresso.
31-33Quem estiver fora de casa naquele dia não deve voltar para preparar
bagagem; quem estiver nos campos não deve voltar para a cidade. Lembrem-se do
que aconteceu à mulher de Lot! Quem só pensar em salvar a vida perdê-la-á, e
quem estiver disposto até a perdê-la salvá-la-a. 34-36Naquela noite, de duas
pessoas que estiverem a dormir no mesmo quarto, uma será levada e a outra será
deixada. De duas mulheres que estiverem a trabalhar juntas, uma será levada e a
outra deixada; e do mesmo modo, dois homens estarão a trabalhar no campo, um
será levado e o outro fica. 37Molkhiúl, para onde serão eles levados?,
inquiriram os discípulos. E YAHUSHUA respondeu: Onde estiver o corpo morto, aí
se ajuntam os milhafres!

LUCAS 18

A ilustração
da viúva persistente

1Um dia,

YAHUSHUA contou-lhes uma história para ilustrar a necessidade de orarem
constantemente, sem desfalecerem. 2-3Havia numa cidade um juiz que não
respeitava YAHU UL e que desprezava toda a gente. Certa viúva daquela cidade
procurava-o com frequência, pedindo-lhe justiça contra alguém que a acusava.
4-5Durante algum tempo o juiz não fez caso dela, mas por fim a sua presença
começou a enervá-lo. veemEu não respeito nem YAHU UL nem os homensveem, disse
consigo próprio, veemmas esta mulher está a aborrecer-me. Vou tratar de lhe
fazer justiça porque a sua insistência constante já me impacienta!veem 6-8E
Molkhiúl YAHUSHUA acrescentou: Se mesmo um juiz mau acabou por agir assim, não
acham que YAHU UL fará certamente justiça ao seu povo, que lhe dirige as suas
orações dia e noite? Com certeza pois que lhes dará resposta rápida! Mas a
questão é esta: Quando eu, ha-BOR do Homem, voltar, quantas pessoas encontrarei
que tenham fé?

A parábola
do Farsyí e o cobrador de impostos

9Contou
então o seguinte, a propósito daqueles que se gabam de serem justos mas que
desprezam os outros: 10Dois homens foram orar ao Templo, um Farsyí e um
cobrador de impostos. 11-12O Farsyí orou assim: veemEu te agradeço, ó YAHU UL,
porque não sou pecador como as outras pessoas, desonestas, injustas, adúlteras.
Nem sou como aquele cobrador de impostos ali! Jejuo duas vezes por semana e dou
a YAHU UL um décimo de tudo o que ganho! 13O cobrador de impostos mantinha-se à
distância e, enquanto orava, não ousava sequer erguer os olhos para o céu;
antes batia no peito, exclamando: veemYAHU UL, tem piedade de mim, que sou
pecadorveem. 14Digo-vos, quem voltou para casa perdoado foi este pecador e não
o Farsyí! Porque os que se exaltam serão humilhados, mas os humildes serão
honrados.

YAHUSHUA e as
crianças

15Um dia,
levaram-lhe meninos para que os abençoasse, mas os discípulos diziam-lhes que
se fossem embora. 16-17Então YAHUSHUA chamou as crianças para junto de si e
disse aos discípulos: Deixem as criancinhas vir a mim! Não as mandem embora!
Porque o reino de YAHU UL pertence aos que são como estas crianças. Eu vos
asseguro, alguém que não receber o reino de YAHU UL como uma criança, nunca
entrará nele.

A pergunta
do homem rico

18Certa vez,
um chefe religioso fez-lhe esta pergunta: Tav Maoro-éh, que farei para obter a
vida eterna? 19-20Porque me chamas Tav (Bom)?, perguntou-lhe YAHUSHUA. Só YAHU
ULHÍM é verdadeiramente Tav (Bom), e ninguém mais. Sabes o que dizem os
mandamentos: Não cometerás adultério, não matarás, não roubarás, não mentirás,
honrarás os teus pais. 21Desde criança que tenho obedecido a todas essas leis,
respondeu o homem. 22-23Falta-te ainda uma coisa. Vende tudo o que tens e dá o
dinheiro aos pobres; terás assim um tesouro no céu. Depois vem e segue-me. Mas,
ao ouvir isto, o homem retirou-se triste, porque era muito rico. 24-25YAHUSHUA,
ao vê-lo assim, disse: Como é difícil os ricos entrarem no reino de YAHU UL! É
mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no
reino. 26Os que o ouviram dizer isto exclamaram: Então como poderá alguém
salvar-se? 27YAHU UL pode fazer o que é impossível aos homens!, respondeu-lhes.
28KAFOS disse: Nós deixamos tudo para te seguirmos. 29-30Sim, e todo aquele que
fizer o mesmo, abandonando casa, mulher, irmãos, pais ou filhos por amor do
reino de YAHU UL, será amplamente recompensado agora, e receberá a vida eterna
no mundo futuro. 31-33Tomando YAHUSHUA os doze à sua volta, disse-lhes: Como
sabem, vamos para YAHUSHUA-oléym. Quando lá chegarmos, cumprir-se-á tudo o que
os antigos homens de YAHU UL predisseram a meu respeito. Serei entregue aos
pagãos, os quais zombarão de mim, me tratarão vergonhosamente, cuspir-me-ão.
Hão-de açoitar-me e matar-me-ão. Ao terceiro dia ressuscitarei. 34Eles, porém,
não compreenderam o que YAHUSHUA disse. O significado daquelas palavras estava
escondido, de maneira que eles não conseguiram apanhar o sentido da conversa.

O mendigo
cego é curado

35-38Ao
aproximarem-se de Yáricho, encontraram um cego sentado junto à estrada, que
pedia esmola e que, ouvindo o rumor da multidão, perguntou o que era aquilo. Ao
responderem-lhe que era YAHUSHUA Nudtzorothíy que passava, começou a gritar:
YAHUSHUA, ha-BOR de Dáoud, tem misericórdia de mim! 39A multidão que caminhava
à frente de YAHUSHUA procurava fazer calar o homem, mas ele gritava cada vez
mais alto: Ha-BOR de Dáoud, tem misericórdia de mim! 40YAHUSHUA parou e pediu
que lhe trouxessem o cego. Então perguntou-lhe: 41Que queres que eu te faça?
Molkhiúl, quero ver!, respondeu-lhe. 42-43Vê. A tua fé te curou. Imediatamente
recuperou a vista e seguiu YAHUSHUA, louvando YAHU UL. E o mesmo faziam também
todos quantos assistiram a este milagre.

LUCAS 19

Zaokháy, o
cobrador de impostos

1-2Quando
YAHUSHUA ia a atravessar Yáricho, um homem muito rico, chamado Zaokháy, que era
um chefe dos que cobravam impostos, procurou ver YAHUSHUA. 3-4Mas como era de
estatura baixa e não conseguia espreitar por cima da multidão, correu à frente
e trepou a uma árvore junto à estrada para ver dali. 5Quando YAHUSHUA ia a
passar, olhou para cima e, vendo Zaokháy, chamou-o pelo nome: Zaokháy, desce
depressa porque convém-me visitar-te hoje. 6Ele saltou para o chão e,
satisfeito, trouxe YAHUSHUA a sua casa. 7Mas a multidão ficou descontente.
Afinal, vai ser hóspede de um conhecido pecador, murmuravam. 8Entretanto,
Zaokháy levantou-se e disse-lhe:
Molkhiúl, darei metade da minha fortuna aos pobres. E se tenho cobrado a
mais nos impostos, restituirei quatro vezes esse valor! 9-10YAHUSHUA disse: A salvação
entrou hoje neste lar. Este homem é filho de Abruham, e foi pessoas assim que
eu, ha-BOR do Homem, vim buscar e salvar.

A parábola
das dez moedas

11A multidão
ouvia tudo que YAHUSHUA lhes disse. Como se aproximava já de YAHUSHUA-oléym,
YAHUSHUA contou uma parábola para desfazer a ideia de que o reino de YAHU UL ia
começar imediatamente. 12-14Um nobre que vivia em certo reino foi chamado à
capital distante do império para ser coroado rei. Antes de partir, chamou dez
colaboradores e deu a cada um uma quantia de dinheiro para investirem e porem a
render, enquanto estivesse ausente. Porém, alguns dos seus compatriotas
odiavam-no e, passado tempos, mandaram-lhe uma declaração de independência,
dizendo que se tinham revoltado e que já não o aceitavam como rei. 15-16Ao
regressar, o rei tornou a chamar os homens a quem dera o dinheiro para saber o
que tinham feito com ele e que lucros haviam colhido. O primeiro homem apareceu
com um bom lucro, dez vezes a quantia que lhe fora dada. 17veemÓtimo!veem
exclamou, veemfizeste bem. Foste fiel com o pouco que te confiei, e em
recompensa serás governador de dez cidades.veem 18O homem seguinte também tinha
tido bons lucros, cinco vezes a quantia que lhe fora confiada. 19veemMuito bem!
Serás governador de cinco cidades!veem, disse o rei. 20-21Mas o terceiro trouxe
apenas o dinheiro que lhe fora entregue: veemGuardei-o porque tive medo, pois
és rigoroso nos negócios, ficando com o que não é teu e confiscando, até, o que
os outros plantam!veem 22-23veemPreguiçoso! Se sou rigoroso, também o serei
contigo! Se pensas que sou exigente, porque não depositaste o dinheiro no banco
para que ao menos recebesse juros?veem 24Voltando-se para os outros que ali
estavam, ordenou: veemTirem-lhe o dinheiro e dêem-no ao homem que mais
ganhou.veem 25veemMas, Molkhiúl, ele já tem bastante!veem 26-27veemSim, mas é
que quem tem, mais terá, e que quem pouco tem até isso há-de perder. E quanto a
esses meus inimigos que se revoltaram, tragam-nos e matem-nos na minha
presença.veem

Entrada de
YAHUSHUA em YAHUSHUA-oléym

28-31Depois
disto, YAHUSHUA prosseguiu para YAHUSHUA-oléym, caminhando à frente dos
discípulos. Ao aproximarem-se das vilas de Beth-Páge e Bóhay-Anyáo, no Monte
das Oliveiras, mandou dois discípulos irem adiante com instruções para se
dirigirem à aldeia, e procurarem um jumento amarrado junto à estrada. Seria um
jumento novo, ainda não habituado a ser montado: Desatem-no e tragam-no cá. Se
alguém vos perguntar o que estão a fazer, digam apenas: veemYAHU UL precisa
deleveem. 32-33Encontraram o jumento, como YAHUSHUA tinha dito. De fato,
enquanto o desatavam, os donos pediram uma explicação: Por que desatam o
jumento? 34-35Os discípulos responderam simplesmente: YAHU UL precisa dele. Assim, levaram o
jumento a YAHUSHUA e puseram-lhe no lombo algumas vestes para que YAHUSHUA se
sentasse. 36-37A multidão começou a estender as túnicas ao longo da estrada à
sua frente. Ao chegarem ao local onde esta descia desde o Monte das Oliveiras,
todo o cortejo começou a gritar e a cantar enquanto marchava, louvando YAHU UL
por todos os milagres praticados por YAHUSHUA. 38Bendito seja o Rei que vem em
Shúam (Nome) de YAHU UL!, exclamavam. Paz no céu! Glória a YAHU UL em todo o
universo! 39Mas alguns dos Farsyím que seguiam entre a multidão disseram:
Maoro-éh, avisa os teus seguidores que não digam essas coisas! 40YAHUSHUA
respondeu: Se eles se calassem, até as pedras ao longo da estrada começariam a
aclamar-me! 41-44Já mais perto de YAHUSHUA-oléym, quando viu a cidade à sua
frente, YAHUSHUA começou a chorar e disse: Se tu compreendesses, ao menos neste
dia, o que poderia trazer-te a paz! Mas agora não consegues entender. Os teus
inimigos farão um plano para te conquistar, cercando-te e atacando-te; serás
esmagada até ao chão juntamente com os teus filhos dentro de ti. Os teus
inimigos não deixarão pedra sobre pedra, pois rejeitaste a oportunidade que
YAHU UL te ofereceu.

YAHUSHUA no
Templo

45-46Depois,
entrando no Templo, YAHUSHUA começou a pôr fora os mercadores dos postos de
venda, dizendo-lhes: As Qaotáv afirmam: veemO meu Templo é um lugar de
oraçãoveem, mas vocês transformaram-no num abrigo de ladrões. 47-48A partir
dali, ensinava diariamente no Templo, mas já os principais intermediários, os
professores da lei e os dirigentes entre o povo procuravam arranjar meio de o
matar. E não achavam forma de o fazer, pois YAHUSHUA atraía muito povo, que
bebia as suas palavras.

LUCAS 20

A autoridade
de YAHUSHUA em questão

1-2Nun
daqueles dias em que YAHUSHUA estava a ensinar e a pregar a Mensagem Gloriosa
no Templo, foi interrogado pelos principais intermediários, os professores da
lei e outros dirigentes entre o povo, que lhe exigiam que dissesse com que
autoridade havia expulsado os mercadores. 3-4YAHUSHUA disse: Antes de
responder, faço-vos uma pergunta. YAHUKHANAM foi enviado por YAHU UL, ou o que
fazia era apenas por autoridade própria? 5-7Eles discutiram o caso entre si. Se
dissermos que a sua mensagem era do céu, caímos numa armadilha porque nos há-de
perguntar: Então porque não acreditaram nele? Mas, se dissermos que YAHUKHANAM
não foi enviado por YAHU UL, o povo ataca-nos porque está convencido de que ele
era um profeta de YAHU UL. Por fim, responderam: Não sabemos. 8YAHUSHUA disse:
Então também não respondo à vossa pergunta.

A parábola
dos rendeiros

9-12Voltando-se
outra vez para o povo, YAHUSHUA contou esta parábola: Um homem plantou uma
vinha e arrendou-a, retirando-se por muito tempo. Quando chegou a altura da
vindima, enviou um dos seus homens à vinha para receber a sua parte. Os
rendeiros, porém, espancaram-no e mandaram-no embora de mãos vazias. Então
mandou outro, mas aconteceu o mesmo; espancado e insultado, viu-se expulso sem
nada receber. Enviou ainda um terceiro homem, e a mesma coisa sucedeu. Também
ele foi ferido e escorraçado. 13veemQue farei agora?veem, perguntou o dono para
consigo. veemJá sei! Vou mandar o meu filho, que muito amo; certamente que
hão-de respeitá-lo.veem 14Mas quando os rendeiros viram o filho, disseram:
Agora é que chegou a nossa oportunidade! Este é que vai herdar toda a
propriedade quando o pai morrer. Vamos matá-lo para que seja nossa.veem
15Arrastaram-no para fora da vinha e mataram-no o que acham que o dono irá
fazer?, perguntou YAHUSHUA. 16Digo-vos que virá e os matará, arrendando a vinha
a outros.Mas esses homens nunca fariam uma coisas dessas, protestaram os
ouvintes. 17-18YAHUSHUA olhou-os e respondeu: Então que quererão dizer as
Qaotáv ao afirmarem:

veemA pedra rejeitada pelos construtores
veio a ser utilizada como a principal na construçãoveem?

Quem
tropeçar nessa pedra será destruído, e aqueles sobre quem ela cair serão
esmagados e feitos em pó. 19Quando os principais intermediários e os
professores da lei ouviram essa história, pretenderam que fosse imediatamente
preso, por perceberem que era deles que YAHUSHUA falava. No entanto, tinham
medo que se produzisse qualquer tumulto.

O pagamento
de impostos

20-22Assim,
mantinham-no sob vigilância, e acharam preferível levá-lo a dizer qualquer
coisa que servisse para fazer queixa ao governador romano e desse motivo para o
prender. Enviaram pois delegados que se fingiam justos: Maoro-éh, sabemos que
ensinas com honestidade e que dizes sempre a verdade sem temer o que os outros
pensam; antes ensinas os caminhos de YAHU UL. Ora explica-nos: estará certo ou
não pagarmos impostos ao governo romano? 23-24Vendo a sua astúcia, disse:
Mostrem-me uma moeda. De quem é esta figura aqui? E a quem se refere a
inscrição que está por baixo?De César, responderam. 25-26YAHUSHUA disse-lhes:
Sendo assim dêem ao imperador tudo o que lhe pertence, e a YAHU UL tudo o que
de YAHU UL é! Falhou assim aquela tentativa de o fazer tropeçar diante do povo.
Maravilhados com a sua resposta, conservaram-se silenciosos.

A
ressurreição e o casamento

27-28Então
alguns Tzadiqím, um grupo de YAHÚ-dim que afirmavam não haver ressurreição, foram
ter com YAHUSHUA e disseram-lhe: Segundo as leis de Mehushua, se um homem
morrer sem deixar filhos, o seu irmão devera casar com a viúva e o primeiro
filho de ambos pertencerá legalmente ao falecido para lhe conservar o nome.
29Ora, havia uma família de sete irmãos. O mais velho casou-se, morrendo depois
sem deixar filhos. 30O irmão dele casou com a viúva, mas também ele morreu.
Continuava a não haver descendência. 31E assim por diante, um após outro, até
que cada um dos sete tinha casado com ela e morrido, sem deixar filhos. 32Por
fim, morreu também a mulher. 33Perguntamos, pois: De quem será ela mulher na
ressurreição se todos casaram com ela? 34-36YAHUSHUA respondeu: O casamento é
para as pessoas enquanto estão aqui na terra, mas quando os que forem considerados
dignos de ressuscitarem de entre os mortos forem para o céu, não se casarão e
não tornarão a morrer. São como os anjos, e também são filhos de YAHU UL, por
terem renascido de entre os mortos para uma nova vida. 37-38Mas, quanto à vossa
verdadeira pergunta, se se torna a viver ou não, até os escritos do próprio
Mehushua provam que sim, porque quando YAHU UL lhe apareceu na sarça ardente,
refere-se a si próprio como sendo veemYAHU UL de Abruham, YAHU UL de YAHUtz-kaq
e YAHU UL de YAHUCAFveem. Dizer que YAHU UL é Criador Eterno de alguém
significa que essa pessoa está viva e não morta! Assim, aos olhos de YAHU UL,
eles estão vivos. 39-40Bem respondido!, comentaram alguns dos especialistas na
lei de Mehushua que se encontravam ali. E isto pôs fim às suas tentativas,
porque não ousavam perguntar mais nada.

De quem é
YAHUSHUA Ha-BOR (Filho)?

41-44Depois
foi YAHUSHUA quem lhes fez uma pergunta. Porque será que se diz que MEHUSHKHAY
é descendente do rei Dáoud? Pois o próprio Dáoud escreveu no livro dos TEHILLIM:

YAHU UL disse ao meu Ódmorul: Senta-te à
minha mão direitaaté que ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

Como pode
hol-MEHUSHKHAY (o Messias) ser ao mesmo tempo ha-BOR de Dáoud e Ódmorul de
Dáoud? 45-47Então com a multidão a escutar, voltou-se para os discípulos e
disse: Cuidado com estes professores da lei religiosa, pois dão tudo por
poderem pavonear-se em trajos muito dignos e receber as homenagens do povo
quando passam nas praças. E procuram os lugares de honra nas sinagoga e nas celebrações
religiosas! Mas, enquanto fazem longas orações, estão já a pensar na forma de
enganar as viúvas para lhes tirar os bens. Por isso, YAHU UL reserva para estes
homens o seu mais severo castigo.

LUCAS 21

A oferta da
viúva

1-2Enquanto
estava no Templo, observava os ricos a porem as ofertas na caixa das esmolas.
Em certo momento, apareceu uma viúva pobre que deitou nela duas pequenas
moedas. 3Na verdade, comentou ele, esta pobre viúva deu mais do que todos eles,
4porque eles deram um pouco daquilo de que não precisavam, mas esta mulher,
pobre como é, deu tudo o que tinha.

Sinais do
fim do tempo

5-6Alguns
dos discípulos começaram a falar-lhe acerca da bela construção que era o Templo
e das dádivas comemorativas que ornamentavam os seus muros. YAHUSHUA, porém,
disse: Virá tempo em que todas estas coisas que admiraram serão derrubadas, não
ficando pedra sobre pedra. 7Maoro-éh! Quando será? Haverá algum sinal que o
anuncie? 8-11YAHUSHUA respondeu: Que ninguém vos engane. Porque virão muitos
apresentando-se em meu Shúam (Nome) como sendo hol-MEHUSHKHAY (o Messias) e
dizendo: veemChegou a horaveem. Mas não lhes dêem crédito! E quando ouvirem
falar em guerras e insurreições, que o pânico não se apodere de vocês. De fato,
hão-de vir guerras, mas o fim não chegará imediatamente. Porque levantar-se-á
nação contra nação, e povo contra povo, e haverá grandes terremotos, e fomes em
muitos países, e epidemias, e acontecerão coisas terríveis em shua-ólmayao.
12-13Mas, antes disto tudo, haverá um período de grande perseguição, e serão
arrastados para as sinagogas e prisões, e à presença de reis e governantes, por
causa do meu Shúam (Nome). Isto vos acontecerá para que dêem testemunho de mim.
14-15Portanto, não se preocupem como devem responder às acusações, porque vos darei
as palavras certas e razões a que nenhum dos vossos inimigos poderá replicar.
16-19Mesmo os que vos são mais próximos, os vossos pais, irmãos, parentes e
amigos, farão com que sejam presos, e alguns de vocês serão mortos. E todos vos
odiarão por serem meus e por se chamarem pelo meu Shúam (Nome). Mas nem um
único cabelo da vossa cabeça cairá. Se permanecerem firmes, vocês salvarão as
vossas almas. 20-22Mas, quando virem YAHUSHUA-oléym cercada por exércitos,
saberão que chegou o tempo da sua destruição. Que todo o povo da YAHUDAH fuja
então para os montes. Quem estiver em YAHUSHUA-oléym que trate de fugir, e quem
estiver fora da cidade que não tente voltar. Porque aqueles serão os dias de
juízo de YAHU UL, em que as Qaotáv serão totalmente cumpridas. 23-24Ai das
grávidas naqueles dias, e das que tiverem filhos pequenos! Porque haverá grande
angústia nesta nação e cólera sobre este povo. Serão brutalmente mortos ou
enviados como exilados e cativos para todas as nações do mundo, e
YAHUSHUA-oléym será conquistada e pisada pelos Gentíles, até que a época do
triunfo destes termine. 25-28Haverá então estranhos acontecimentos em
shua-ólmaYA e avisos no sol, lua e veemcocavímveem (est-elas); e aqui na terra
as nações andarão perturbadas e perplexas com o rugir dos mares e com estranhas
marés. A coragem de muitos ficará enfraquecida ao verem o destino terrível que
se aproxima da terra, porque a própria estabilidade dos shua-ólmaYA será
abalada. E então os povos da terra verão ha-BOR do Homem chegar numa nuvem com poder
e grande glória. Assim, quando todas estas coisas começarem a acontecer, ergam
o olhar e levantem a cabeça! Porque a vossa salvação está próxima. 29-32E
deu-lhes este exemplo: Reparem nas figueiras, ou em quaisquer outras árvores.
Quando rebentam as folhas, não é preciso que vos digam que o Verão está perto.
Igualmente, quando virem cumprir-se os acontecimentos de que vos falei, podem
ter igual certeza de que o reino de YAHU UL está próximo. Afirmo-vos
solenemente que esta geração não passará sem que todas estas coisas aconteçam.
33Os shua-ólmaYA e a terra virão a desaparecer, mas as minhas palavras
permanecerão verdadeiras para sempre. 34-35Vigiem! Para que a minha vinda
súbita não vos apanhe desprevenidos; que eu não vos encontre vivendo
descuidados, obcecados com o comer e viver bem, ocupados com os problemas desta
vida, como todo o resto do mundo. 36Mantenham uma vigilância constante e orem
para que, se possível, cheguem à minha presença sem ter de passar por estes
horrores. 37-38Todos os dias YAHUSHUA ia ao Templo ensinar, e as multidões
começavam a juntar-se logo pela manhã para ouvir. E ao fim do dia voltava ao
Monte das Oliveiras para aí passar a noite.

LUCAS 22

Yudas trai
YAHUSHUA

1-2Aproximava-se
já a celebração da PósqaYA, a celebração YAHÚ-di em que só se comia pão feito
sem fermento. Os principais dos intermediários e professores da lei tramavam
ativamente o assassínio de YAHUSHUA, pensando na maneira de o matar sem
provocar tumulto, perigo que muito receavam. 3-6Então ha-Satan entrou em Yudas
Ish-Kerióth, um dos doze discípulos, o qual foi ter com os principais dos
intermediários e com os capitães da guarda do Templo a fim de combinar a melhor
maneira de entregar YAHUSHUA nas suas mãos. Eles ficaram muito satisfeitos ao
saberem que Yudas estava pronto a auxiliá-los e prometeram-lhe uma recompensa.
Assim, começou a aguardar qualquer oportunidade de lhes entregar YAHUSHUA sem
dar nas vistas.

A última
ceia

7-8Ao chegar
o dia da celebração, no qual se matava o cordeiro da PósqaYA, que depois se
comia com pão sem fermento, YAHUSHUA enviou KAFOS e YAHUKHANAM à frente para
que arranjassem onde preparar a sua refeição da PósqaYA. 9Onde queres que
vamos?, perguntaram. 10-11Logo que entrarem em YAHUSHUA-oléym encontrarão um
homem transportando um cântaro de água. Sigam-no até à casa onde entrar e digam
ao homem que ali vive: veemO nosso Maoro-éh pede-te que nos mostres a sala onde
irá comer a refeição da PósqaYA com os seus discípulos.veem 12Ele vos levará a
uma grande sala mobilada. Preparem aí a refeição. 13Foram, então, até à cidade
e tudo se passou como YAHUSHUA dissera; ali prepararam a ceia da PósqaYA.
14Então chegou YAHUSHUA com os discípulos, e na altura devida todos se sentaram
à mesa. YAHUSHUA disse: 15-16Desejei muito comer esta PósqaYA convosco antes de
começar o meu sofrimento. Porque agora vos digo que não comerei outra vez assim
em vossa companhia senão quando o que esta refeição representa se realizar no
reino de YAHU UL. 17-18Pegou então num copo de vinho e, depois de ter dado
graças, disse: Tomem e repartam entre si, porque só tornarei a beber vinho
quando tiver chegado o reino de YAHU UL. 19Depois pegou no pão e, dando
igualmente graças a YAHU UL por ele, partiu-o e deu-o aos discípulos: Este é o
meu corpo, que é dado em vosso favor. Façam isto em memória de mim. 20Depois da
ceia serviu-lhes de novo um copo de vinho, dizendo: Este vinho é o sinal da
Novo Testamento, assinado com o meu veemDAMveem (sangue), que é derramado em
sacrifício por vocês. 21Mas aqui sentado comigo a esta mesa está também o homem
que me vai trair. 22O ha-BOR do Homem tem de morrer porque isso faz parte do
plano de YAHU UL. Mas Ai daquele que me trairá! 23Os discípulos puseram-se a
perguntar entre si quem, de entre eles, seria capaz de fazer semelhante coisa!
24Depois começaram também a discutir qual deles teria posição mais destacada.
25YAHUSHUA disse-lhes: Neste mundo, os que têm o poder dominam seus súbditos, e
são considerados figuras de relevo ao serviço da sociedade! 26Mas, no vosso
meio, quem governa será como quem serve. 27O chefe senta-se à mesa e é servido
pelos criados. Mas aqui, não! Porque eu sou quem vos serve. 28-30Porque me têm
sido fiéis nestes tempos de aflição, e como o meu YAHU ABí me deu o reino, eu
vos concedo o direito de comer e beber à minha mesa nesse reino. E sentar-se-ão
em tronos próprios, para julgar as doze tribos de YAshorúl. 31-32Shamiúl,
Shamiúl, ha-Satan pediu para vos peneirar a todos vocês como o trigo. Mas eu
intercedi por ti para que a tua fé não enfraqueça. Assim, quando te tiveres
voltado para mim, fortalece os teus irmãos. 33Shamiúl disse: Molkhiúl, estou pronto até a ir para a prisão
e a morrer contigo. 34Mas YAHUSHUA observou-lhe: KAFOS, deixa-me dizer-te uma
coisa: até o galo cantar, esta madrugada, três vezes dirás que não me conheces.
35Então YAHUSHUA perguntou-lhes: Quando vos enviei a pregar a Mensagem Gloriosa
e não tinham dinheiro, nem bagagem, nem vestuário de muda, como é que se
governaram?Foi bem. Nada nos faltou. 36-37Mas agora, YAHUSHUA disse, se tiverem
um saco, ou bolsa com dinheiro, levam. E, se não possuem uma espada, vendam a
roupa e comprem-na. Porque chegou a altura de se cumprir isto que está escrito
a meu respeito: veemEle será condenado como criminoso!veem Sim, o que se
escreveu de mim se cumprirá. 38Maoro-éh, temos aqui duas espadas!Basta!
retorquiu YAHUSHUA.

YAHUSHUA ora
no Monte das Oliveiras

39-40Então,
acompanhado dos discípulos, deixou aquela sala e foi, como de costume, para o
Monte das Oliveiras. Ali disse-lhes: Orem para que a tentação não vos domine.
41-42Afastou-se à distância de cerca de uma pedrada e, ajoelhando-se, orou
assim: YAHU ABí, se quiseres, peço-te
que leves de mim esta taça de sofrimento. Mas que se cumpra a tua vontade e não
a minha. 43-44Então apareceu um anjo vindo do céu e que o confortava, porque
estava em tal agonia de espírito que o seu suor era de sangue, caindo em gotas
no chão, enquanto orava com fervor cada vez maior. 45Por fim, tornou a
levantar-se e voltou para junto dos discípulos, encontrando-os a dormir,
exaustos de tristeza. 46Então estão a dormir?, exclamou. Levantem-se! Orem a
YAHU UL para não caírem quando forem tentados.

YAHUSHUA é
detido

47-48No
próprio momento em que dizia isto, acercou-se uma multidão conduzida por Yudas,
um dos doze, o qual foi direito a YAHUSHUA para o beijar, numa saudação
amistosa. YAHUSHUA disse: Yudas, com um beijo traias ha-BOR do Homem?
49-50Quando os outros discípulos viram o que ia acontecer, exclamaram:
Maoro-éh, queres que lutemos? Temos as espadas! E um deles chegou a desferir um
golpe contra um criado do supremo intermediário, cortando-lhe a orelha direita.
51Mas YAHUSHUA respondeu: Não resistam. E, tocando no lugar da orelha do homem,
restituiu-lha. 52Então, dirigindo-se aos principais dos intermediários, aos
capitães da guarda do Templo e aos anciãos do povo que conduziam a multidão,
YAHUSHUA perguntou: Sou algum criminoso para virem assim prender-me, armados de
espadas e paus? 53Porque não me prenderam no Templo, onde eu estava todos os
dias? Mas este momento é vosso; é a hora em que domina o poder das trevas.

KAFOS nega
YAHUSHUA

54-55Agarraram-no
e levaram-no à residência do supremo intermediário. KAFOS seguia-o à distância.
Acenderam uma fogueira no pátio e as pessoas sentaram-se em volta para se
aquecerem. KAFOS juntou-se a eles. 56Reparando na sua presença, uma criada
pôs-se a olhá-lo e disse: Esse estava com YAHUSHUA! 57KAFOS negou: Mulher, nem
sequer o conheço! 58Dali a pouco, mais alguém olhou para ele e exclamou: Também
tu deves ser um dos tais!Não chefe, não sou, respondeu KAFOS. 59Decorrida cerca
de uma hora, ainda outra pessoa afirmou abertamente: Sei que este é um dos
discípulos de YAHUSHUA, até porque ambos são da Galileia. 60Mas KAFOS disse:
Homem, não sei o que estás aí a dizer. E, enquanto pronunciava estas palavras,
cantou um galo. 61-62Naquele momento, YAHUSHUA voltou-se e olhou para KAFOS.
Então este lembrou-se do que ele dissera: Antes que o galo cante negar-me-ás
três vezes. E, saindo do pátio, chorou amargamente.

YAHUSHUA no
tribunal Sanhedrín

63-65Os guardas
que estavam a tomar conta de YAHUSHUA começaram a fazer pouco dele, tapando-lhe
os olhos, batiam-lhe e davam-lhe socos, perguntando-lhe: Diz lá quem te bateu
agora, se és profeta? E insultavam-no de muitas outras maneiras. 66-68Ao romper
do dia, reuniu-se o supremo tribunal Sanhedrín, em que tinham assento os
principais dos intermediários e as autoridades religiosas. YAHUSHUA foi
conduzido perante esta assembleia e intimado a responder. Diz lá, tu és
ha-MEHUSHKHAY? Ele respondeu: Se vo-lo disser, não acreditarão em mim nem me
deixarão defender-me. 69Mas em breve virá o tempo em que ha-BOR do Homem será
posto num trono à direita de YAHU UL todo-poderoso. 70Logo todos gritaram:
Afirmas, então, que és ha-BOR de YAHU UL?E YAHUSHUA respondeu: Estão certos em dizer
que sou. 71Que necessidade temos nós de outras testemunhas?, exclamaram. Nós
próprios ouvimos o que ele disse.

LUCAS 23

1-2Então
levaram YAHUSHUA à presença de Pilatos, o governador, e começaram a acusá-lo:
Este homem tem manipulado o povo dizendo-lhe que não pague impostos a César e
afirmando que é hol-MEHUSHKHAY, o rei. 3PilATOS perguntou-lhe: És o rei dos
YAHÚ-dim?Sim, é como dizes. 4PilATOS voltou-se para os principais dos
intermediários e para a multidão e disse: Mas isto não constitui um crime! 5E
insistiram: É que ele anda também a provocar tumultos contra o governo, para
onde quer que vá, por toda a YAHUDAH, desde a Galileia até YAHUSHUA-oléym.
6-7Então ele é galileu?, perguntou Pilatos ouvindo falar na Galileia. Quando
lhe disseram que sim, Pilatos mandou-o a Herod, porque a Galileia achava-se sob
a jurisdição deste; além de que Herod se encontrava em YAHUSHUA-oléym naquela
altura. 8-10Herod ficou muito satisfeito com esta oportunidade de ver YAHUSHUA,
porque ouvira falar muito nele e esperava vê-lo realizar qualquer milagre.
Todavia, embora fizesse a YAHUSHUA perguntas sobre perguntas, não obteve
resposta. Entretanto, os principais intermediários e os professores da lei não
arredavam pé, continuando a gritar acusações. 11-12Herod e os seus soldados
começaram também a troçar de YAHUSHUA e, vestindo-lhe um trajo a fingir de rei,
devolveram-no a Pilatos Naquele dia, Herod e Pilatos, que antes não se davam,
tornaram-se bons amigos. 13-16Então Pilatos reuniu os principais intermediários
e outros chefes, juntamente com o povo, e anunciou a sua sentença: Vocês
trouxeram-me este homem acusando-o de chefiar uma revolta contra o governo
romano. Examinei-o demoradamente sobre este ponto e verifico que está inocente.
Também Herod chegou à mesma conclusão e mandou-o de novo para mim, pois nada do
que fez exige a pena de morte. Portanto, vou mandá-lo castigar e soltá-lo.
17-21Nesse momento, ouviu-se um clamor da multidão, que a uma só voz gritou:
Mata-o e solta-nos Barrabás! Barrabás encontrava-se preso, acusado de provocar
uma revolta em YAHUSHUA-oléym, e também por homicídio. Pilatos ainda discutiu
com eles, pois queria soltar YAHUSHUA, mas eles gritavam: Impala-o! Impala-o!
22-25De novo, pela terceira vez, Pilatos perguntou: Mas porquê? Que crime
cometeu? Não encontrei qualquer motivo para o condenar à morte! Portanto, vou
açoitá-lo e pô-lo em liberdade. Mas eles gritavam sempre mais alto, reclamando
a execução e YAHUSHUA, e a sua vontade prevaleceu. Por fim, Pilatos condenou
YAHUSHUA à morte, tal com lho exigiam. A pedido deles soltou Barrabás, o homem
que estava preso, acusado de insurreição e homicídio. Mas entregou YAHUSHUA à
multidão para que fizesse dele o que lhe apetecesse.

A empalarão

26-27Quando
eles levavam YAHUSHUA para ser morto, Shamiúl, um cireneu que acabava de entrar
em YAHUSHUA-oléym vindo do campo, foi forçado a acompanhá-los, transportando a
poste de YAHUSHUA. Atrás seguia um grande cortejo, incluindo muitas mulheres
vergadas pelo desgosto. 28Mas YAHUSHUA voltou-se e disse-lhes: 29-31Filhas de
YAHUSHUA-oléym, não chorem por mim mas por vocês e pelos vossos filhos. Porque
vem aí o dia em que as mulheres sem filhos serão consideradas felizes. As
pessoas implorarão às montanhas que caiam sobre eles e os esmaguem, e aos
montes que os enterrem. Porque se a mim, a árvore viva, me tratam assim, que
não farão a vocês? 32-33E dois criminosos foram levados para serem executados
no mesmo local, chamado Gólgota Aí foram empalados os três, YAHUSHUA ao centro,
e os dois criminosos um de cada lado. 34 YAHU ABí, perdoa-lhes, disse YAHUSHUA,
porque não sabem o que fazem. Entretanto, os soldados tiravam à sorte para
verem quem ficaria com as várias peças do seu vestuário. 35A multidão assistia
à cena e os chefes YAHÚ-dim riam-se e faziam troça. Ajudava tanto os outros,
diziam, vamos a ver se se salva a si mesmo, se é realmente hol-MEHUSHKHAY, o
escolhido de YAHU UL. 36-38Também os soldados troçavam dele. E deram-lhe
vinagre a beber, gritando-lhe: Se és o rei dos YAHÚ-dim, salva-te a ti próprio!
Por cima dela estava esta inscrição: ESTE É O REI DOS YAHÚ-DIM. 39Um dos
criminosos pendurados ao seu lado também zombava: Se és ha-MEHUSHKHAY salva-te
a ti mesmo, e também a nós! 40-42Mas o outro criminoso repreendeu-o: Não tens
temor de YAHU UL, nem mesmo sofrendo a mesma condenação? Nós merecemos a morte
pelos maus atos que cometemos, mas este homem nada fez de mal. E acrescentou:
YAHUSHUA, lembra-te de mim quando entrares no teu reino. 43E YAHUSHUA
respondeu: Garanto-te que hoje estarás comigo no paraíso.

A morte de YAHUSHUA

44-46Era
agora meio-dia, e as trevas abateram-se sobre toda a terra durante três horas,
até à três da tarde. A luz do sol desapareceu, e o véu pendurado no Templo
rasgou-se em dois. YAHUSHUA disse com voz forte: YAHU ABí, entrego-te o meu espírito. E com
estas palavras morreu. 47-49Quando o oficial romano viu o que sucedera, deu
louvor a YAHU UL e disse: Não há dúvida de que este homem estava inocente. A
multidão que tinha vindo para assistir à empalarão, depois de YAHUSHUA ter
morrido, voltou para casa profundamente triste. Entretanto, os amigos de
YAHUSHUA, incluindo as mulheres que o tinham seguido desde a Galileia,
encontravam-se à distância a observar a cena.

O corpo de
YAHUSHUA no túmulo

50-52Um
homem chamado YAHU-saf, membro do Sanhedrín e vindo da cidade de Arimateia, na
YAHUDAH, foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de YAHUSHUA. Era um homem bom
e recto que esperava a vinda do reino de YAHU UL e que não concordara com as
decisões e medidas dos outros chefes YAHÚ-dim. 53-54Assim desceu o corpo de
YAHUSHUA e envolveu-o num lençol, colocando-o num túmulo ainda por estrear,
escavado numa parede de rocha. Isto aconteceu ao fim de uma tarde de
sexta-feira, dia de preparação para o Shábbos. 55-56Enquanto o corpo era
levado, as mulheres da Galileia acompanharam-no e viram-no ser transportado
para dentro do túmulo. Depois, voltando para casa, prepararam os produtos e
perfumes necessários para o ungirem, mas quando terminaram era já Shábbos, pelo
que descansaram todo aquele dia, com o exigia a lei de Mehushua.

LUCAS 24

A
ressurreição

1-2Mas, na
madrugada de domingo, ao levarem os produtos para o túmulo verificaram que a
enorme pedra que tapava a entrada tinha sido removida. 3Entraram, mas o corpo
do Molkhiúl YAHUSHUA tinha desaparecido! 4Ficaram perplexas. De súbito
apareceram dois homens vestidos de roupas reluzentes. 5As mulheres ficaram
cheias de medo, com os olhos postos no chão. E aqueles homens perguntaram:
Porque procuram no túmulo quem afinal está vivo? 6-7Ele não está aqui,
ressuscitou! Não se lembram do que ele vos disse na Galileia, que ha-BOR do
Homem seria traído, entregue a gente má e empalado, e que tornaria a viver ao
terceiro dia? 8-12Então elas lembraram-se, e voltaram a correr para
YAHUSHUA-oléym, para contar aos onze emissários, e aos outros, o que tinha
acontecido. As mulheres que foram ao túmulo eram Maoro-ém Magdalena, YAhanna,
Maoro-ém, mãe de YAHUCAF, e várias outras. Tudo aquilo, porém, parecia às
pessoas uma história sem sentido, e não acreditaram nela. Mesmo assim, KAFOS
foi a correr até ao túmulo para averiguar o que se passava. Curvando-se,
espreitou e, ao ver o lençol abandonado, voltou para casa, perguntando a si
próprio que teria sucedido.

No caminho
de Emmaús

13-16Naquele
mesmo dia dois dos seguidores de YAHUSHUA iam a caminho da aldeia de Emmaús,
uns onze quilômetros de distância de YAHUSHUA-oléym. E comentavam entre si tudo
o que acontecera. De repente YAHUSHUA apareceu e juntou-se a eles, caminhando
ao seu lado. Mas eles não sabiam que era YAHUSHUA porque YAHU UL impediu-os de
o reconhecerem. 17O que é que vão aí a discutir?, perguntou. O que é que vos
preocupa assim? 18Um deles, Cleopas, respondeu: Deves ser a única pessoa em
toda a cidade de YAHUSHUA-oléym que não soube das terríveis coisas que ali
sucederam nestes últimos dias. 19Que coisas?, perguntou YAHUSHUA.O que
aconteceu a YAHUSHUA Nudtzorothíy (do Nudtzoróth – Nazareth). Era um Profeta de
YAHU UL que fez milagres poderosos e, além disso, era um grande ensinador,
altamente considerado tanto por YAHU UL como pelos homens. 20-21Mas os
principais dos intermediários e os nossos chefes prenderam-no e entregaram-no
ao governador romano para ser condenado à morte, e empalaram-no. E nós
pensávamos que ele era hol-MEHUSHKHAY (o Messias) que vinha para libertar YAshorúl!
22-24Para além disto que aconteceu há três dias, umas mulheres do nosso grupo
de seguidores seus foram ao túmulo onde foi posto, de manhã cedo, e regressaram
com a notícia de que o seu corpo desaparecera e de que tinham visto lá uns
anjos que lhes disseram que YAHUSHUA se encontrava vivo! Alguns dos nossos
homens foram a correr ver o que se teria passado, e não há dúvida de que o
corpo de YAHUSHUA desapareceu, tal como disseram as mulheres. 25-27Então
YAHUSHUA respondeu-lhes: Mas vocês não estão a ser sensatos! É assim tão
difícil para vocês crer em tudo o que os profetas escreveram nas Qaotáv? Não
foi claramente predito por eles que hol-MEHUSHKHAY teria de sofrer todas estas
coisas antes de entrar na sua glória? E fez-lhes compreender as Qaotáv, começando
com os livros de Mehushua e através das Qaotáv, explicando o que esses textos
diziam a respeito de si. 28-29Entretanto, aproximavam-se da localidade para
onde iam. YAHUSHUA parecia querer prosseguir no caminho, mas pediram-lhe que
ficasse com eles porque se estava a fazer tarde, ao que acedeu. 30-31Quando se
sentaram para comer, ele pediu a bênção de YAHU UL sobre o alimento, e depois,
pegando num pequeno pão, partiu-o e distribuiu-o por eles. Foi então que, de
repente, os olhos se lhes abriram e o reconheceram. E naquele preciso momento
ele desapareceu. 32 Começaram, pois, a lembrar-se de como os seus corações se
tinham animado enquanto ele lhes falava, explicando-lhes as Qaotáv, pela
estrada fora. 33-34Voltaram logo outra vez para YAHUSHUA-oléym, onde os onze
discípulos e os outros seguidores de YAHUSHUA os receberam com estas palavras:
Não há dúvida de que Molkhiúl YAHUSHUA ressuscitou! Apareceu a KAFOS! 35Os dois
de Emmaús contaram como YAHUSHUA lhes aparecera também enquanto seguiam pela
estrada, e como o tinham reconhecido quando partiu o pão.

YAHUSHUA
aparece aos discípulos

36-37Enquanto
assim falavam, o próprio YAHUSHUA surgiu no meio deles, saudando-os: A paz
esteja com vocês!. Mas todo o grupo ficou muito assustado, pensando que via um
fantasma. 38-40Porque se assustam?, perguntou ele. Porque é que duvidam que
seja realmente eu? Olhem as minhas mãos; olhem-me para os pés! Estão a ver que
sou eu mesmo. Toquem-me e verifiquem que não sou nenhum fantasma. Porque os
fantasmas não têm carne nem ossos, como veem que eu tenho! Enquanto falava,
mostrava-lhes as mãos e os pés. 41-43Ainda indecisos, eles contemplavam-no,
cheios de espanto e alegria. Então YAHUSHUA perguntou-lhes: Têm aqui alguma
coisa que se possa comer? Deram-lhe um pedaço de peixe assado e pôs-se a
comê-lo enquanto o observavam. 44Então disse-lhes: Quando andava convosco, não
se lembram de vos ter dito que tudo o que se escreveu acerca de mim, nos livros
de Mehushua, nos escritos dos profetas e nos TEHILLIM (Salmos), se terá de
realizar? 45Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Qaotáv:
46-47Estava escrito que hol-MEHUSHKHAY deveria sofrer, morrer e ressuscitar ao
terceiro dia; e que em seu (Nome) Shúam se pregaria o arrependimento e o perdão
dos pecados em todo o mundo, começando por YAHUSHUA-oléym. 48Vocês viram como
esses escritos sagrados se cumpriram. 49Agora vou mandar-vos o RÚKHA
hol-HODSHUA para que desça sobre vocês, tal como prometeu meu YAHU ABí.
Permaneçam aqui na cidade até que o RÚKHA hol-HODSHUA vos encha de poder do
céu.

A ascensão

50-53YAHUSHUA levou-os pelo caminho de
Bóhay-Anyáo e, levantando as mãos para o céu, abençoou-os. Então afastou-se
deles e elevou-se até ao céu. Eles adoraram-no e regressaram a YAHUSHUA-oléym,cheios de alegria. E estavam continuamente no Templo, louvando YAHU 


UL

Introdução

1Excelentíssimo Ohavyáo: Escreveram-se já várias narrativas sobre hol-MEHUSHKHÁY (o Messías), 2em que se usaram relatos que nos foram feitos pelos que viram o que aconteceu desde o início e que se tornaram mensageiros da Mensagem Gloriosa de YÁOHU UL. 3Pareceu-me, contudo, que seria bom ordenar todos esses relatos, dos mais antigos aos mais recentes, e, após um exame completo, dar-te este resumo desses factos que aconteceram no nosso meio, 4para fortalecer a tua confiança na verdade de tudo o que te foi ensinado.

O nascimento de YÁOHU-khánam Baptista predito

5-7No tempo em que Herod era rei da YAOHÚ-dah, viveu um intermediário espiritual (sacerdote) YAOHÚ-di chamado Zochar-YÁOHU, o qual pertencia ao turno de Abi-YÁOHU no serviço do Templo. Tal como ele próprio, também sua mulher Olíza-Bóhay pertencia à tribo sacerdotal, sendo descendente de Aharón. Zochar-YÁOHU e Olíza-Bóhay eram crentes, cuidadosos em observar todas as leis e preceitos de YÁOHU UL. Sucedia que não tinham filhos, pois Olíza-Bóhay era estéril e ambos já eram muito velhos. 8-10Certo dia, encontrando-se Zochar-YÁOHU ocupado no seu cargo no Templo, porque naquela semana era o turno dele que estava de serviço, coube-lhe por sorteio entrar no Templo interior e queimar incenso diante de YÁOHU UL. Entretanto, grande multidão orava lá fora no pátio do Templo, como sempre se fazia na altura do culto em que se queimava o incenso. 11-12Achava-se Zochar-YÁOHU no Templo quando, de súbito, apareceu um anjo de pé à direita do altar do incenso! Zochar-YÁOHU ficou perturbado e cheio de medo, 13mas o anjo disse-lhe:”Não receies, Zochar-YÁOHU, porque vim dizer-te que YÁOHU UL ouviu as tuas orações e que tua mulher Olíza-Bóhay vai dar à luz um filho teu, ao qual porás o nome de YÁOHU-khánam! 14O seu nascimento dar-vos-á grande prazer e contentamento, e muitos se alegrarão convosco, 15pois ele será grande diante de YÁOHU UL. Nunca deverá beber vinho ou bebida alcoólica, e será cheio do RÚKHA hol-HODSHÚA (Espírito Santo) antes mesmo do seu nascimento. 16Convencerá muitos YAOHÚ-dim a voltarem-se para YÁOHU UL, seu Criador Eterno. 17Será um homem forte de espírito e dotado de grande poder, tal como o profeta Uli-YÁOHU, preparando o povo para receber YÁOHU UL. Porá o coração dos pais de acordo com o dos filhos, e mudará as mentes desobedientes para que respeitem e obedeçam a YÁOHU UL.” 18Zochar-YÁOHU disse ao anjo: “Como posso saber que isso vai acontecer? Já sou velho, e também minha mulher é de idade bastante avançada.” 19-20Então o anjo disse: “Eu sou Gaborúl! O meu lugar é na própria presença de YÁOHU UL. Foi ele quem me mandou trazer-te esta boa notícia! Mas, como não creste no que te disse, ficarás mudo e não poderás falar até que a criança nasça. E as minhas palavras irão cumprir-se no seu devido tempo.” 21-23Entretanto, o povo esperava que Zochar-YÁOHU aparecesse e admirava-se por se demorar tanto. Quando finalmente saiu, não conseguia falar, e perceberam pelos seus gestos que devia ter tido qualquer visão no Templo. Zochar-YÁOHU ali ficou durante os dias que lhe restavam de serviço e depois voltou para casa. 24-25Passado pouco tempo, sua mulher Olíza-Bóhay ficou grávida e viveu recolhida durante cinco meses. “Com YÁOHU UL é bom”, exclamava, “livrando-me assim da tristeza de não ter filhos!”

O nascimento de YAOHÚSHUA anunciado a Maoro-ém

26-28Passados seis meses, YÁOHU UL mandou o anjo Gaborúl a Nudtzoróth, uma localidade da Galileia, a uma virgem, Maoro-ém, prometida em casamento a um homem chamado YÁOHU-saf, descendente do rei Dáoud. Gaborúl apareceu-lhe e disse: “Eu te saúdo, mulher favorecida! YÁOHU UL está contigo!” 29Confusa e perturbada, Maoro-ém perguntava a si própria o que quereria o anjo dizer com aquelas palavras. 30-33″Não tenhas medo, Maoro-ém”, continuou o anjo, “porque YÁOHU UL vai dar-te uma bênção maravilhosa! Muito em breve ficarás grávida e terás um menino, a quem chamarás YAOHÚSHUA. Será grande – será chamado ha-BOR do Altíssimo. YÁOHU UL o Criador Eterno lhe dará o trono do seu antepassado, o rei Dáoud. Governará sobre a descendência de Yaoshorúl para sempre. O seu reino jamais terá fim!” 34Maoro-ém, então, perguntou ao anjo: “Mas como posso ter um filho se sou virgem?” 35-37O anjo respondeu: “O RÚKHA hol-HODSHÚA virá sobre ti, e o poder de YÁOHU UL altíssimo cobrir-te-á como uma sombra; por isso, o menino que de ti vai nascer será santo, e será chamado ha-BOR (Filho) de YÁOHU UL. Além disso, também há seis meses Olíza-Bóhay, a tua parente, que toda a gente considerava estéril, ficou grávida, apesar da sua velhice! Porque nada é impossível para YÁOHU UL.” 38E Maoro-ém respondeu: “Dependo só de YÁOHU UL. Que se faça em mim segundo o que disseste. Que aconteça comigo tudo o que disseste.” Então o anjo desapareceu.

Maoro-ém visita Olíza-Bóhay

39-41Alguns dias mais tarde, Maoro-ém foi apressadamente às terras montanhosas da YAOHÚ-dah, à vila onde Zochar-YÁOHU morava, para visitar Olíza-Bóhay. Quando Maoro-ém saudou a prima, o menino de Olíza-Bóhay saltou no seu ventre, e Olíza-Bóhay ficou cheia do RÚKHA hol-HODSHÚA. 42Com grande contentamento, Olíza-Bóhay exclamou, dirigindo-se a Maoro-ém: “Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o filho que estás a gerar. 43-45Grande honra é esta, a de ser visitada pela mãe do meu YÁOHU UL! Quando me deste a tua saudação, no momento em que ouvi a tua voz, o menino saltou de alegria dentro de mim! És feliz por teres crido que YÁOHU UL cumpriria as coisas que te foram ditas.”

O cântico de Maoro-ém

46-55E Maoro-ém respondeu:

“Oh, como eu louvo YÁOHU UL! E quanto me alegro em YÁOHU UL, meu Míhushuayao (Salvador)! Porque reparou na sua humilde servidora, “e agora, por todas as gerações, serei chamada bendita de YÁOHU UL. Pois ele, YÁOHU UL santo e poderoso, me fez grandes coisas. A sua misericórdia estende-se para sempre a todos os que o temem. Como é poderoso o seu forte braço! Como faz fugir os orgulhosos e os arrogantes! Arrancou os príncipes dos seus tronos e exaltou os humildes. Fartou os famintos com coisas boas “e mandou embora os ricos de mãos vazias. Socorreu o povo de Yaoshorúl, que o serve! Não esqueceu a sua promessa de se mostrar compassivo. Porque prometeu aos nossos pais, Abruhám e seus filhos,”ser misericordioso com eles para sempre.” 56Maoro-ém ficou com Olíza-Bóhay cerca de três meses e depois voltou para casa.

O nascimento de YÁOHU-khánam Baptista

57-58Entretanto, o período de espera de Olíza-Bóhay chegou ao seu termo, e veio a momento da criança nascer. Era um menino. A notícia de como YÁOHU UL tinha sido bondoso para ela espalhou-se rapidamente entre vizinhos e parentes, e todos se alegraram com ela. 59Oito dias depois de nascer, parentes e amigos vieram para a cerimónia da circuncisão. Todos julgavam que a criança se chamaria Zochar-YÁOHU, como o pai. 60Mas Olíza-Bóhay disse: “Não, ele vai chamar-se YÁOHU-khánam!” 61E exclamaram: ” YÁOHU-khánam? Em toda a tua família não há ninguém que se chame assim”. 62Então perguntaram por gestos ao pai da criança como iria ela chamar-se. 63Ele pediu por sinais uma pequena placa e, com grande espanto de todos, escreveu, “O nome dele é YÁOHU-khánam”. 64E logo Zochar-YÁOHU conseguiu falar de novo, começando a louvar YÁOHU UL. 65O pasmo espalhou-se por toda a vizinhança e a notícia do sucedido correu pelos montes da YAOHÚ-dah. 66Todos quantos ouviam falar no caso pensavam demoradamente e perguntavam: “Quem virá a ser este menino no futuro? Porque, de facto, a mão de YÁOHU UL está sobre ele de maneira muito especial”. 67Então seu pai, Zochar-YÁOHU, cheio do RÚKHA hol-HODSHÚA, falou em Shúam (Nome) de YÁOHU UL:

O cântico de Zochar-YÁOHU

68-79

“Haolul-YÁOHU UL, o Criador Eterno de Yaoshorúl, porque veio dar auxílio ao seu povo e o salvou. Agora manda-nos um Míhushuayao poderoso,”da descendência do seu servo, o rei Dáoud, conforme prometeu através dos santos profetas, há muito tempo, alguém que nos livre dos nossos inimigos,”de todos os que nos odeiam. Teve piedade dos nossos antepassados, sim, do próprio Abruhám, lembrando-se da aliança sagrada que com ele fez, dando-nos o privilégio de servir YÁOHU UL sem receio,”libertos dos nossos inimigos, e tornando-nos santos e aceitáveis,”aptos para estar na sua presença para sempre. E tu, meu filho, serás chamado profeta de YÁOHU UL glorioso, porque prepararás o caminho para YÁOHU UL. Dirás ao seu povo como achar a salvação,”através do perdão dos pecados. Tudo isto porque a misericórdia do nosso YÁOHU UL é muito grande, e porque o sol divino está prestes a brilhar sobre nós, para dar luz aos que se encontram sentados na escuridão”e na noite da morte, e para nos guiar pelo caminho da paz.” 80O menino ia crescendo e o seu espírito amadurecia; mais tarde vivia no deserto, até que começou com o seu trabalho público em Yaoshorúl.

Lucas 2

O nascimento de YAOHÚSHUA

1Por esse tempo, César Augusto, o imperador romano, mandou que se fizesse um registo geral dos habitantes de todo o império romano. 2Este recenseamento foi feito sendo Cirénio governador da Syria. 3Todos tinham que voltar à terra natal para registarem os seus nomes. 4-5E como YÁOHU-saf era da descendência real, teve que ir a Beth-Lékhem, na YAOHÚ-dah, a terra natal do rei Dáoud, desde a cidade de Nudtzoróth na Galileia. Levou consigo Maoro-ém, sua noiva, cuja gravidez estava já avançada nessa altura. 6-7Enquanto ali se encontravam, chegou a momento de dar à luz; e nasceu-lhe o seu primeiro filho, que envolveu em panos e deitou na manjedoura de um estábulo, onde se viram obrigados a recolher, por não haver para eles lugar na hospedaria da povoação.

Os anciãos e os anjos

8Naquela noite, encontravam-se nos campos fora da vila alguns anciãos que guardavam os seus rebanhos. 9Eis que de súbito apareceu entre eles um anjo, e o campo ficou iluminado com a glória de YÁOHU UL. Sentiram muito medo, 10mas o anjo sossegou-os: “Não tenham medo; trago-vos a notícia mais feliz e que se destina a toda a gente! 11Esta noite, em Beth-Lékhem, a cidade de Dáoud, nasceu o Míhushuayao (Salvador) – sim, hol-MEHUSHKHÁY, ha-Molkhiúl (o Rei). 12É assim que o reconhecerão: encontrarão a criancinha envolvida em panos e deitada numa manjedoura.” 13E eis que, de repente, se juntou outro grande grupo de anjos, louvande YÁOHU UL:

14″Glória a YÁOHU UL, no mais alto dos shua-ólmayao (céus), paz na terra aos homens a quem YÁOHU UL quer bem”. 15Depois deste grande número de anjos ter voltado para os shua-ólmayao, os anciãos disseram uns aos outros: “Vamos a Beth-Lékhem ver esta coisa maravilhosa que acontece e de que YÁOHU UL nos falou”. 16Correndo à aldeia, encontraram Maoro-ém e YÁOHU-saf, com a criança deitada na manjedoura de um estábulo. 17Os anciãos falavam a toda a gente no que tinha acontecido e no que o anjo dissera acerca daquele menino. 18Todos os que ouviam a história dos anciãos mostravam-se espantados. 19Maoro-ém, porém, guardava estas coisas no seu coração, pensando cuidadosamente nelas. 20Por fim, os anciãos voltaram para os campos e rebanhos, louvande YÁOHU UL pela visita dos anjos e por terem visto o menino tal como o anjo lhes dissera.

A circuncisão de YAOHÚSHUA

21Passados oito dias, na cerimónia da sua circuncisão, puseram ao menino o Shúam (Nome) de YAOHÚSHUA, o Shúam (Nome) esse que o anjo lhe dera antes mesmo de ter sido gerado. 22-24Quando chegou a altura de ser levada ao Templo a oferta da cerimónia de purificação de Maoro-ém, como as leis de Mehushúa exigiam, seus pais levaram-no a Yaohúshua-oléym para o apresentar a YÁOHU UL, porque nessas mesmas leis YÁOHU UL tinha dito: “Se o primeiro filho de uma mulher for rapaz, será dedicado a YÁOHU UL”. Nessa mesma ocasião, os pais de YAOHÚSHUA ofereceram também o seu sacrifício pela purificação, um par de rolas ou dois pombinhos, de acordo com a lei. 25-26Naquele dia, estava justamente no Templo um homem chamado Shamiúl, morador em Yaohúshua-oléym, um crente dedicado a YÁOHU UL, cheio do RÚKHA hol-HODSHÚA e que vivia constantemente na esperança do breve aparecimento do Enviado de YÁOHU UL, pois o RÚKHA hol-HODSHÚA tinha-lhe revelado que não morreria sem ver primeiro aquele que tinha sido designado por YÁOHU UL. 27-28O RÚKHA hol-HODSHÚA inspirou-o a ir ao Templo naquele dia, e assim, quando Maoro-ém e YÁOHU-saf chegaram para apresentar o menino YAOHÚSHUA a YÁOHU UL em obediência à lei, Shamiúl estava lá. E tomando a criança nos braços louvou YÁOHU UL: 29-32

” YÁOHU UL, agora posso morrer satisfeito,”pois vi aquele que tu me prometeste que veria! Vi o Míhushuayao (Salvador) que deste ao mundo. Ele é a luz que brilhará sobre as nações,”e será a glória do teu povo Yaoshorúl.” 33-35 YÁOHU-saf e Maoro-ém admiravam-se do que se dizia a respeito de YAOHÚSHUA. Shamiúl abençoou-os, mas depois disse a Maoro-ém: “Uma espada atravessará a tua alma, porque esta criança será rejeitada por muitos em Yaoshorúl, mas para ruína deles. Para muitos outros, porém, será uma grande alegria. E por ele serão revelados os pensamentos mais profundos de muitos corações.” 36-38No mesmo dia estava também no Templo uma profetisa de YÁOHU UL chamada Ana, filha de Fanu-Ul, da tribo de Oshór, de oitenta e quatro anos de idade. Era viúva, pois o seu marido tinha morrido após sete anos de casados. Nunca saía do Templo, antes permanecia ali dia e noite, adorande YÁOHU UL em jejuns e oração. Enquanto Shamiúl falava com Maoro-ém e YÁOHU-saf, ela aproximou-se e começou também a dar graças a YÁOHU UL e a anunciar publicamente, a todos quantos em Yaohúshua-oléym esperavam a chegada do Míhushuayao (Salvador), que hol-MEHUSHKHÁY (o Messías) tinha finalmente chegado. 39-40Depois de terem cumprido todas as exigências da lei de YÁOHU UL, os pais de YAOHÚSHUA voltaram para Nudtzoróth da Galileia. Ali o menino foi crescendo, fortalecendo-se física e mentalmente. Enchia-se de sabedoria e YÁOHU UL derramava sobre ele as suas bênçãos.

YAOHÚSHUA no Templo

41-45Tinha YAOHÚSHUA doze anos, acompanhou os pais a Yaohúshua-oléym para a celebração anual da Pósqayao, à qual assistiam sempre. Terminada a comemoração, tomaram o caminho de volta para Nudtzoróth, mas YAOHÚSHUA ficou para trás em Yaohúshua-oléym. No primeiro dia os pais não deram pela sua falta, porque julgavam que estivesse com amigos entre os outros viajantes. Mas, quando não apareceu naquela noite, começaram a buscá-lo entre os parentes e amigos, e, não o encontrando, voltaram a Yaohúshua-oléym para ali continuarem a procurá-lo. 46-47Três dias depois, conseguiram descobri-lo. Achava-se no Templo, sentado entre os profesores da lei, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas, deixando toda a gente admirada com a sua inteligência e respostas. 48Os pais não sabiam que pensar quando o viram sentado ali. “ha-BOR”, disse-lhe a mãe, “porque nos fizeste isto? Teu pai e eu estávamos desesperados, à tua procura.” 49″Mas que necessidade havia de me procurarem?”, disse ele. “Não calcularam que eu estaria aqui no Templo, na casa de meu YÁOHU ABí, pois que me é necessário tratar dos seus assuntos?” 50Mas eles não entenderam o que dizia. 51 Depois ele voltou com os pais para Nudtzoróth; e era-lhes obediente. A sua mãe guardava todas estas coisas no coração. 52Assim foi YAOHÚSHUA crescendo, tanto em tamanho como em sabedoria, amado por YÁOHU UL e pelos homens.

Lucas 3

YÁOHU-khánam Baptista prepara o caminho

1-2Era agora o décimo quinto ano do reinado do imperador romano Tibério César; era Pilatos governador da YAOHÚ-dah; Herod governava a Galileia; Felipe, seu irmão, governava a Itureia e Traconites; Lisânias governava Abilínia. Anás e Caifás eram os supremos intermediários YAOHÚ-dim. Nesse tempo veio uma mensagem de YÁOHU UL a YÁOHU-khánam, filho de Zochar-YÁOHU, enquanto vivia longe, no deserto. 3 YÁOHU-khánam começou então a andar de terra em terra em ambas as margens do Yardayán, pregando que as pessoas deviam baptizar-se, em sinal de se terem voltado para YÁOHU UL e abandonado os seus pecados, a fim de serem perdoadas. 4-6Como tinha dito Yaoshúa-YÁOHU nas Qaotáv,

YÁOHU-khánam era “a voz de alguém gritando no deserto: ‘Façam um caminho para YÁOHU UL.”Façam-lhe um caminho direito e plano. Encham os vales, nivelem os montes,”tornem em rectas os caminhos ondeantes da montanha,”limpem as veredas pedregosas e tapem-lhes as covas. A salvação de YÁOHU UL será vista por toda a raça humana. ‘ ” 7-9Era assim que YÁOHU-khánam pregava às multidões que vinham para baptizar-se: “Raça de víboras! Quem os avisou de fugir do julgamento de YÁOHU UL que há-de vir? Tratem primeiro de mostrar o vosso arrependimento pela maneira como vivem. E não pensem que estão em segurança por descenderem de Abruhám. Isso não basta; até destas pedras do deserto YÁOHU UL pode fazer nascer filhos de Abruhám! O machado do seu julgamento está suspenso sobre as vossas vidas, prestes a cortar-vos as raízes e a derrubar-vos. Sim, toda a árvore que não dá bom fruto será abatida e lançada no fogo.” 10E a multidão perguntavam: “Que devemos fazer?” 11″Se alguém tiver dois casacos, que dê um aos pobres. Quem tiver comida de sobra dê a quem tem fome.” 12E até os cobradores de impostos, conhecidos pela sua falta de escrúpulos, vinham para serem baptizados e perguntavam: “O que devemos fazer?” 13″Sejam honestos, não cobrando mais impostos do que o que é exigido.” 14″E nós”, perguntavam uns soldados, “como faremos?” E YÁOHU-khánam respondia:”Não devem tirar dinheiro com ameaças ou pela força, nem acusar ninguém que sabem estar inocente. Contentem-se com o vosso soldo!” 15-17Todos aguardavam o breve aparecimento do Enviado de YÁOHU UL e andavam impacientes por saber se YÁOHU-khánam seria ou não hol-MEHUSHKHÁY (o Messías). A essa questão respondeu YÁOHU-khánam: “Eu baptizo apenas com água, mas em breve virá alguém com autoridade muito maior do que a minha e de quem não sou digno sequer de desatar as correias do calçado. Ele vos baptizará com o RÚKHA hol-HODSHÚA e com fogo. Apartará a palha dos grãos, queimará aquela com fogo eterno, mas estes guardá-los-á.” 18Ao anunciar esta Mensagem Gloriosa ao povo, YÁOHU-khánam fazia muitos avisos deste género. 19Contudo, depois de ter censurado publicamente Herod, governador da Galileia, por se ter casado com Herodias, mulher do seu próprio irmão, e por muitas outras coisas más que tinha feito, 20Herod meteu YÁOHU-khánam na cadeia, acrescentando assim mais este pecado a muitos outros.

O baptismo e a genealogia de YAOHÚSHUA

21-22Um dia, o próprio YAOHÚSHUA juntou-se ao povo que ia ser baptizado por YÁOHU-khánam. E depois do seu baptismo, estando a orar, os shua-ólmayao abriram-se, o RÚKHA hol-HODSHÚA desceu sobre ele na forma de uma pomba e uma voz do céu disse: “Tu és o meu ha-BOR muito amado. Em ti tenho grande prazer”. 23-31YAOHÚSHUA tinha cerca de trinta anos quando começou a sua actuação em público ra conhecido como filho de YÁOHU-saf. E os pais deste, em linha directa, sucessivamente de filho para pai foram: Uli, Man-YÁOHU, Leví, Molkhí, Yanai, YÁOHU-saf, Manaim-YÁOHU, Amóz, Naokhém, Ozli, Nagai, Manyao, Manaim-YÁOHU, Semei, Yoseque, Yodá, Yoanã, Resa, Zorobabúl, Shealtiúl, Neri, Molkhí, Adi, Cozão, Ulmodam, Er, Yaohúshua, Úlozor, Yorim, Man-YÁOHU, Leví, Shamiúl, YAOHÚ-dah, YÁOHU-saf, YAOHÚ-nah, Uliakim, Meleá, Mená, Man-YÁOHU, Naokhán, Dáoud. 32-33E os pais de Dáoud foram sucessivamente: Yaoshái, Awód, Bo-Oz, Shua-ólmoh, Naoshon, Aminaodab, Admin, Ro-éh, Hezron, Perez, YAOHÚ-dah. 34-37Os pais de YAOHÚ-dah: YÁOHU-caf, YÁOHUtz-kaq, Abruhám. Os pais de Abruhám: Túrok, Naor, Serugue, Ro-éh, Poleg, Eber, Sala, Cainã, Arfaxade, Shúam, Nokh os de Nokh: Lameque, Methuselah, Kanóch, Yaoród, Mehaolul, Quenã, Enósh, Soth, Adám dão foi criado por YÁOHU UL.

Lucas 4

A tentação de YAOHÚSHUA

1-2Então YAOHÚSHUA, cheio do RÚKHA hol-HODSHÚA, deixou o rio Yardayán e foi impelido pelo RÚKHA para as terras áridas e desérticas da YAOHÚ-dah, onde ha-satán o tentou durante quarenta dias. No decurso de todo este tempo, não comeu; por fim sentiu fome. 3E ha-satán disse-lhe: “Se és ha-BOR de YÁOHU UL, manda a estas pedras que se transformem em pão.” 4Mas YAOHÚSHUA respondeu: “Está dito nas Qaotáv: ‘Nem só de pão viverá o homem’.” 5Então ha-satán levou-o a um alto sítio e mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo: 6-7″Dou-te todos estes reinos e a sua glória, porque, como me pertencem, posso dá-los a quem eu quiser. Somente, terás de me adorar.” 8Ao que YAOHÚSHUA retorquiu:

“‘Adorarás YÁOHU UL, teu Criador Eterno. Sóã a Ele servirás.’

É assim que vem nas Qaotáv.” 9-11Então ha-satán levou-o até Yaohúshua-oléym, ao ponto mais alto do Templo e disse-lhe: “Se és ha-BOR de YÁOHU UL, salta! Pois, segundo as Qaotáv:

‘YÁOHU UL dará ordens aos seus anjos para que te guardem. Eles te susterão com as suas mãos, para que não tropeces nas pedras do caminho.'” 12″As Qaotáv”, respondeu YAOHÚSHUA, “dizem também:

‘Não devem provocar YÁOHU UL vosso Criador Eterno’.” 13Quando o diabo pôs fim a todas estas tentações, deixou-o por algum tempo e foi-se embora.

YAOHÚSHUA rejeitado em Nudtzoróth

14-15Então YAOHÚSHUA voltou para a Galileia, cheio do poder do RÚKHA hol-HODSHÚA, e em breve era conhecido em toda aquela região. Ensinava nas suas sinagogas e todos o elogiavam. 16-17Quando foi à aldeia de Nudtzoróth, terra da sua infância, dirigiu-se, como de costume, à sinagoga no Shábbos e levantou-se para ler as Qaotáv. Deram-lhe o livro de Yaoshúa-YÁOHU, e abriu-o no lugar onde está escrito: 18-19

“O RÚKHA-YÁOHU está sobre mim. Ele me ungiu para levar a Mensagem Gloriosa aos pobres. Enviou-me para anunciar a liberdade aos cativos”e que os cegos tornarão a ver; para anunciar a liberdade aos cativos, e para proclamar o tempo de favor de YÁOHU UL.” 20-21Fechando o livro, tornou a dá-lo ao assistente e sentou-se, enquanto todos na sinagoga o miravam atentamente. E começou por dizer:”Hoje se cumpriram estas Qaotáv!” 22Os que ali se achavam louvaram-no, admirados com as belas palavras que lhe saíam dos lábios. “Como pode ser isto?”, perguntavam. “Não é o filho de YÁOHU-saf?” 23-27E ele disse mais: “Talvez me digam aquele provérbio: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’, como quem diz: ‘Porque não fazes aqui na tua própria cidade milagres iguais aos que fizeste em Kefár-Naokhém?’ Mas digo-vos solenemente que nenhum profeta é aceite na sua própria terra! Lembrem-se, por exemplo, de como Uli-YÁOHU, o homem de YÁOHU UL, fez um milagre para socorrer a viúva de Zarefate, estrangeira vinda da terra de Sidom. Havia muitas YAOHÚ-diyah viúvas necessitadas de ajuda naqueles tempos de crise, porque havia três anos e meio que não chovia e a fome alastrava pela terra; todavia, Uli-YÁOHU não foi enviado a elas. Ou do profeta Ulshúa, que curou Naaman, o Sírio, e não os muitos YAOHÚ-dim leprosos que necessitavam de ajuda.” 28-30Estas palavras provocaram a ira do auditório. Levantando-se, atacaram YAOHÚSHUA e levaram-no à beira do monte, sobre o qual a cidade se erguia, a fim de o empurrarem para o precipício. Ele, porém, atravessando a multidão, deixou-os.

YAOHÚSHUA expulsa um espírito mau

31-32Então YAOHÚSHUA foi para Kefár-Naokhém, cidade da Galileia, ensinando na sinagoga local todos os Shábbos. E também ali o povo se admirava do seu ensino, porque falava com autoridade. 33-34Certa vez, estando a ensinar na sinagoga, um homem possuído pelo demónio começou a gritar para YAOHÚSHUA: “Vai-te embora! Não queremos nada contigo, YAOHÚSHUA Nudtzorothíy! Vieste para nos destruir! Sei quem és, o Santo de YÁOHU UL.” 35YAOHÚSHUA, porém, impediu-o de falar. “Cala-te!”, disse ao demónio. “Sai dele!” O demónio atirou o homem por terra, à vista da multidão, e deixou-o sem lhe fazer mais mal nenhum. 36-37Admirado, o povo perguntava: “Que há nas suas palavras que até os demónios lhe obedecem?” A notícia do que tinha feito depressa se espalhou por toda a região.

YAOHÚSHUA cura muitos doentes

38-39Depois de deixar a sinagoga naquele dia, dirigiu-se a casa de Shamiúl, encontrando a sogra deste muito doente e com febre alta. “Cura-a”, pediam-lhe todos. Chegando junto dela, YAOHÚSHUA mandou que a febre baixasse, e logo a temperatura voltou ao normal; e a mulher, levantando-se, preparou-lhes comida. 40-41Quando o sol se pôs naquela tarde, toda a gente do lugar que tinha qualquer doente em casa, fosse qual fosse a doença, o trouxe a YAOHÚSHUA; e o toque das suas mãos curava-os! Uns estavam possuídos de demónios e, à sua ordem, saíam gritando: “Tu és ha-BOR de YÁOHU UL!” E, como sabiam que ele era hol-MEHUSHKHÁY, ordenava-lhes que se calassem. 42No outro dia de manhã cedo, YAOHÚSHUA saiu para um lugar sossegado. O povo procurava-o. Quando o encontraram, pediram-lhe muito que não os deixasse. 43Porém, respondeu: “Tenho de pregar a Mensagem Gloriosa do reino de YÁOHU UL também noutros lugares, pois para isso fui enviado.” 44Continuou assim a andar de terra em terra, pregando nas sinagogas de toda a YAOHÚ-dah.

Lucas 5

A chamada dos primeiros discípulos

1Em certa ocasião, estando a pregar na praia do Mar da Galileia, rodearam-no grandes multidões para ouvir a palavra de YÁOHU UL. 2Notando que havia dois botes vazios à beira da água enquanto os pescadores lavavam as redes, 3YAOHÚSHUA entrou num deles e pediu a Shamiúl, o dono, que o empurrasse um pouco para o largo, para que pudesse dali falar ao povo. 4Quando acabou de falar, YAOHÚSHUA disse a Shamiúl: “Agora saiam para onde o lago é mais fundo e lancem as redes, pois apanharão muito peixe.” 5″ YÁOHU UL”, respondeu Shamiúl, “fartámo-nos de trabalhar toda a noite sem conseguirmos apanhar nada. Mas, já que assim o dizes, vamos tentar de novo.” 6E desta vez as redes ficaram tão cheias que começaram a rasgar-se! 7Ao ouvirem-nos gritar pedindo ajuda, os companheiros vieram noutro bote, e em breve as duas embarcações estavam em risco de se afundarem com a carga de peixe. 8Quando Shamiúl Káfos percebeu o que tinha acontecido, caiu de joelhos diante de YAOHÚSHUA e disse: ” YÁOHU UL, afasta-te de mim, porque sou tão pecador.” 9-10Pois estava pasmado com a abundância da pescaria, tal como os companheiros, e também seus sócios, YÁOHU-caf e YÁOHU-khánam, filhos de Zebedeu respondeu a Shamiúl: “Não te preocupes, porque daqui em diante serás pescador de pessoas.” 11E, logo que chegaram a terra, deixaram tudo para o seguir.

YAOHÚSHUA cura um leproso

12Um dia, numa certa localidade que YAOHÚSHUA estava a visitar, apareceu um homem gravemente leproso, que ao vê-lo se lançou diante dele com o rosto em terra, pedindo-lhe muito que o curasse.” Molkhiul, bastará tu quereres e poderás curar-me.” 13YAOHÚSHUA, estendendo a mão, tocou no homem e disse: “Sim, quero; sê curado.” E logo a lepra o deixou. 14YAOHÚSHUA então mandou-lhe que, sem contar a ninguém o que tinha acontecido, se fizesse imediatamente examinar pelo intermediário YAOHÚ-di. “Vai oferecer o sacrifício que a lei de Mehushúa impõe aos leprosos curados”, disse, “e isso provará a todos que já estás bom.” 15-16Apesar das recomendações de YAOHÚSHUA, a notícia do seu poder espalhava-se ainda mais. Enormes multidões vinham para o ouvir pregar e para serem curadas das suas enfermidades. Muitas vezes, porém, ia para um lugar isolado a fim de orar.

YAOHÚSHUA cura um paralítico

17Uma vez, estando a ensinar, encontravam-se sentados ali perto alguns Farsyím e profesores da lei. Estes homens vinham de todas as localidades da Galileia e YAOHÚ-dah, bem como de Yaohúshua-oléym. E o poder curativo de YÁOHU UL estava sobre YAOHÚSHUA. 18-19De repente, chegaram umas pessoas com um paralítico deitado num colchão, as quais tentaram abrir passagem através da multidão até junto de YAOHÚSHUA, mas sem poderem. Então subiram ao telhado e, tirando algumas telhas, desceram o doente e pousaram-no na frente de YAOHÚSHUA. 20Vendo a fé de que davam provas, YAOHÚSHUA disse ao homem: “Amigo, os teus pecados estão perdoados!” 21″Mas quem imagina ele que é?”, diziam entre si os Farsyím e profesores da lei. “Isto é uma ofensa a YÁOHU UL! Quem pode perdoar pecados sem ser YÁOHU UL?” 22-24YAOHÚSHUA, conhecendo os seus pensamentos, perguntou: “O que é que estão a pensar? Será mais difícil perdoar-lhe os pecados do que curá-lo? Mas vou provar-vos a minha autoridade para perdoar pecados, mostrando-vos o meu poder para curar as doenças.” E disse ao paralítico: “Levanta-te, pega no teu colchão e vai para casa.” 25-26Logo, à vista do povo, o homem se pôs de pé, agarrou no colchão e foi para casa louvande YÁOHU UL. Toda a gente ali ficou cheia de espanto e admiração, dando haolúlim (louvores) a YÁOHU UL e repetindo a cada momento: “Hoje, realmente, vimos coisas extraordinárias!”

A chamada de Leví (Man-YÁOHU)

27-28Mais tarde, indo a sair da vila, YAOHÚSHUA viu um cobrador de impostos, chamado Leví, sentado na sua banca de recepção de impostos. YAOHÚSHUA disse-lhe: “Segue-me!” Leví, deixando tudo, levantou-se logo e o seguiu. 29Passado pouco tempo, Leví deu uma celebração em sua casa, sendo YAOHÚSHUA o convidado de honra. A ela assistiram muitos dos colegas de Leví e outros convidados. 30Os Farsyím e profesores da lei, porém, queixavam-se amargamente aos discípulos de YAOHÚSHUA por ele comer com homens tão conhecidos como desonestos. 31-32Mas YAOHÚSHUA respondeu-lhes: “São os doentes que precisam de médico, e não os que gozam de boa saúde. Eu vim com o propósito de convidar os pecadores a arrependerem-se dos seus pecados, e não de gastar tempo com os que se imaginam já bastante bons.”

A questão de jejum

33Puseram ainda outra questão a YAOHÚSHUA: “Os discípulos de YÁOHU-khánam Baptista estão sempre a jejuar e a orar, e os discípulos dos Farsyím fazem o mesmo. Por que é que os teus comem e bebem?” YAOHÚSHUA explicou: 34-35″Jejuam porventura os homens quando se sentem felizes? Nun casamento, os convidados acaso preferem ficar com fome enquanto festejam com o noivo? Lá chegará o tempo em que o noivo lhes será tirado, e então, sim, jejuarão.” 36-39YAOHÚSHUA serviu-se depois desta ilustração: “Ninguém vai tirar um pedaço de tecido duma roupa nova para fazer um remendo numa peça velha; pois assim não só estragaria a nova, mas também a velha pareceria pior com o remendo novo. E ninguém põe vinho novo em pipas velhas, pois o vinho novo rebenta com elas, as pipas estragam-se e o vinho perde-se. O vinho novo deve ser posto em pipas novas. Todavia, depois de beber o vinho velho, ninguém parece querer o vinho fresco e novo, porque dizem: ‘O velho é melhor’.”

Lucas 6

Molkhiúl (Rei) do Shábbos

1-2Certo Shábbos (Sábado), atravessando YAOHÚSHUA e os seus discípulos uns trigais, iam arrancando espigas de trigo, que esfregavam entre as mãos para comer os grãos. Alguns Farsyím, porém, disseram: “Isso é ilegal! Os teus discípulos estão a colher grão, e é contra a lei de Mehushúa trabalhar no Shábbos”. 3-5Ao que YAOHÚSHUA respondeu: “Vocês não lêem as Qaotáv? Nunca leram o que fez o rei Dáoud quando ele e os seus homens estavam com fome? Entrou na casa de YÁOHU UL e, tomando o pão sagrado, o pão especial que era posto diante de YÁOHU UL, comeu-o, apesar de isso ser ilegal, e repartiu-o com os outros.” YAOHÚSHUA acrescentou “Eu, ha-BOR do Homem, sou Molkhiúl (Rei) do próprio Shábbos”. 6-8Nun outro Shábbos, estando a ensinar na sinagoga, encontrava-se ali um homem que tinha a mão direita aleijada. Os profesores da lei e os Farsyím vigiavam atentamente para ver se YAOHÚSHUA curaria o homem naquele dia, que era Shábbos, ansiosos por encontrar qualquer acusação contra ele. YAOHÚSHUA conhecia bem os seus pensamentos! E disse ao aleijado: “Anda cá e põe-te aqui onde toda a gente te possa ver”. Ele assim fez. 9-11Então disse aos Farsyím e aos profesores da lei: “Tenho uma pergunta a fazer-vos: É justo praticar o bem no Shábbos ou praticar o mal? Salvar a vida ou destruí-la?” Passeando o olhar em volta, fitou-os um por um e então disse ao homem: “Estende a mão”. E logo que o fez, a mão ficou completamente normal. Os inimigos de YAOHÚSHUA ficaram furiosos e começaram a tramar-lhe a morte.

Os doze emisários

12-16Certo dia, pouco depois, YAOHÚSHUA foi orar para as montanhas, e orou toda a noite. Ao amanhecer, reuniu os seus seguidores e escolheu doze deles para serem o círculo mais íntimo dos seus discípulos. Foram nomeados emisários. Eis os nomes deles: Shamiúl (a quem chamou também Káfos), Andorúl (irmão de Shamiúl), YÁOHU-caf, YÁOHU-khánam, Felipe, Bartolomeu, Man-YÁOHU, Tomé, YÁOHU-caf (filho de Alfeu), Shamiúl (também chamado Zelota), YAOHÚ-dah (filho de YÁOHU-caf) e Yudas Ish-Kerióth (que viria a traí-lo).

Bênçãos e avisos

17-19Quando desceram a encosta, encontraram-se numa região plana, e foram rodeados por muitos dos seus seguidores e grande multidão. De toda a YAOHÚ-dah, de Yaohúshua-oléym e de lugares tão ao norte como o litoral de Tiro e Sidom, tinha vindo gente para o ouvir ou para ser curada. E YAOHÚSHUA expulsou muitos demónios. Todos procuravam tocar-lhe porque, quando o faziam, saía dele um poder curativo, e ficavam sãos. 20Então, voltando-se para os discípulos, YAOHÚSHUA disse:

“Bem-aventurados os que são pobres, pois deles é o reino de YÁOHU UL!

21Bem-aventurados os que agora sentem fome. Um dia, serão fartos! Bem-aventurados os que agora choram, pois chegará o tempo em que hão-de rir de alegria!

22Bem-aventurados os que são odiados, e rejeitados, e injuriados, e enxovalhados no seu nome, por serem meus discípulos! 23Quando isso acontecer, alegrem-se, sim, pulem de contentamento! Porque espera-vos no céu grande recompensa. E estarão em boa companhia, pois também os antigos homens de YÁOHU UL foram assim tratados!

24Oy de vocês os ricos porque a vossa felicidade é apenas terrena.

25Oy de vocês os que são fartos e prósperos agora porque vos espera tempo de fome horrível. Oy de vocês os foliões porque o vosso riso transformar-se-á em tristeza e luto.

26Oy de vocês que são enaltecidos pelas multidões; os vossos antepassados também elogiaram os falsos profetas.

Amar os inimigos

27-28Ouçam todos. Amem os vossos inimigos. Façam bem aos que vos odeiam. Orem pela felicidade dos que vos amaldiçoam. Peçam a bênção de YÁOHU UL sobre os que vos magoam. 29-30Se alguém vos bater numa face, ofereçam-lhe também a outra! Se alguém vos exigir o casaco, dêem-lhe também a camisa. Dêem o que têm a quem vo-lo pedir; e quando vos levarem as vossas coisas, não se preocupem se as tornam a entregar ou não. 31Tratem os outros como querem que os outros vos tratem. 32Pensam que merecem elogios só por amarem os que vos amam? Isso até os maus fazem! 33E se fizerem bem somente aos que vo-lo fazem, também será isso coisa tão extraordinária? Até os pecadores procedem assim. 34E se emprestarem dinheiro só a quem vos puder pagar a dívida, que bondade há nisso? Até os mais perversos emprestam aos da sua espécie para depois terem tudo de volta. 35-36Amem os vossos inimigos! Tratem-nos bem! Emprestem-lhes! E não se preocupem por eles não vos pagarem, porque, assim a recompensa que receberem do céu será muito grande, e estarão a proceder verdadeiramente como filhos do Altíssimo; porque ele é bondoso também com os ingratos e com os perversos. Sejam compassivos como o vosso YÁOHU ABí é compassivo.

Julgando os outros

37-38Não julguem e não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem, e serão perdoados. Se derem, receberão! A vossa dádiva vos será devolvida em medida atestada e sacudida para caber mais um pouco até deitar por fora. A medida que usarem para dar, seja ela grande ou pequena, será a mesma com que se medirá o que vos for dado de volta.” 39-40YAOHÚSHUA usava frequentemente comparações, como estas. “De que serve um cego guiar outro cego? Ao cair numa vala, arrastará o companheiro consigo. O aluno não é superior ao chefe. Mas se souber transformar a sua vida de acordo com o ensino perfeito que lhe é dado, sim, poderá ser como ele. 41-42E por que fazer questão por causa da uma palha no olho de alguém, quando no teu há uma trave? Como podes pensar dizer-lhe: ‘Irmão, deixa que eu te ajude a livrar-te dessa palha que tens no olho’quando, afinal, não consegues ver a trave no teu? Fingido! Livra-te primeiro da trave e então talvez possas ver o suficiente para cuidar da palha no olho dele!

Uma árvore e o seu fruto

43-45Uma árvore de boa qualidade não dá fruta má, nem árvores de má qualidade dão frutos bons. Uma árvore conhece-se pela qualidade do fruto que dá. Nem os espinheiros dão figos, nem os cardos dão uvas. Um homem bom produz boas obras vindas de um coração bom. E um homem mau produz, da sua maldade escondida, obras más. O que está no coração vem à superfície no falar.

Construtores sábios e tolos

46Portanto, porque me chamam Molkhiúl (Rei) se não me querem obedecer? 47-49Todos aqueles, porém, que vêem e ouvem e me obedecem são como o homem que constrói uma casa sobre alicerces sólidos em cima da rocha. Quando as cheias sobem e embatem na casa, esta fica firme por estar solidamente construída. Aqueles, porém, que ouvem e não me obedecem são como o homem que constrói um casa sem alicerces. Quando as cheias se lançam contra ela, a casa desmorona-se e fica em ruínas.”

Lucas 7

A fé do oficial do exército

1Terminando estas palavras, YAOHÚSHUA voltou para a cidade de Kefár-Naokhém. 2Justamente naquela ocasião encontrava-se doente, e a morrer, o criado dum oficial do exército romano, a quem este estimava muito. 3Quando o oficial ouviu falar de YAOHÚSHUA, mandou alguns chefes YAOHÚ-dim, muito respeitados, pedir-lhe que curasse aquele criado. 4-5Começaram, pois, a rogar-lhe que fosse com eles e socorresse o homem: “Se alguém merece ajuda é ele, porque gosta dos YAOHÚ-dim e até pagou do seu próprio bolso a construção de uma sinagoga para nós”. 6-8YAOHÚSHUA foi pois com eles, mas, pouco antes de chegar a casa do oficial romano, este mandou uns amigos dizer-lhe: ” Molkhiúl, não te incomodes a vir à minha casa porque não sou digno de tanta honra; por isso nem me julgo digno de ir ao teu encontro. Diz apenas uma palavra daí de onde estás e o meu criado será curado! Porque estou debaixo da autoridade de oficiais meus superiores e eu próprio tenho autoridade sobre os meus homens – basta-me dizer: ‘Vão!’ e eles vão; ou ‘Venham!’ e eles vêm; e ao meu servidor: ‘Faz isto ou aquilo’, e ele faz. 9-10YAOHÚSHUA, maravilhado, voltou-se para a multidão e disse: “Nunca entre todos os YAOHÚ-dim de Yaoshorúl encontrei um homem de fé como este”. Quando os amigos do oficial regressaram, encontraram o criado completamente curado!

YAOHÚSHUA ressuscita o filho de uma viúva

11-12Passado pouco tempo, YAOHÚSHUA foi com os discípulos à aldeia de Naím, com grande multidão atrás de si. Quando chegou perto da aldeia, vinha a sair um funeral. O morto era um rapaz, filho único de uma viúva, e havia muita gente da aldeia a acompanhá-la. 13Quando o Molkhiúl a viu, o coração encheu-se de compaixão. “Não chores!”, disse-lhe. E, dirigindo-se para o caixão, tocou nele, e os que o levavam pararam: 14″Filho, levanta-te!” 15Então o rapaz sentou-se e começou a falar com os que estavam à volta. YAOHÚSHUA entregou-o a sua mãe. 16A multidão sentiu grande temor, e todos, louvande YÁOHU UL, exclamavam: “Levantou-se entre nós um poderoso profeta. Vimos hoje actuar a mão de YÁOHU UL!” 17A notícia do que tinha feito naquele dia correu a YAOHÚ-dah de ponta a ponta, até mesmo para lá das suas fronteiras.

YAOHÚSHUA e YÁOHU-khánam Baptista

18-19Os discípulos de YÁOHU-khánam Baptista contaram-lhe tudo o que YAOHÚSHUA andava a fazer. Quando falaram a YÁOHU-khánam acerca disso, ele mandou dois dos seus discípulos a YAOHÚSHUA para lhe perguntar: “És tu realmente aquele que YÁOHU UL devia enviar, ou devemos continuar a esperar por ele?” 20-21Os dois discípulos encontraram YAOHÚSHUA a curar muita gente que sofria de várias doenças, a sarar coxos e cegos, e a expulsar os espíritos maus. 22Quando lhe fizeram a pergunta, respondeu:”Voltem para YÁOHU-khánam e digam-lhe tudo o que hoje aqui viram e ouviram: cegos que vêem e coxos que andam bem, leprosos completamente curados, surdos que ouvem novamente, os mortos regressados à vida, e os pobres que ouvem a Mensagem Gloriosa. 23E digam-lhe: ‘Bendito aquele que não perde a sua fé em mim’.” 24-26Depois de se terem ido embora, YAOHÚSHUA falou ao povo acerca de YÁOHU-khánam: “Quem é este homem que foram ver no deserto da YAOHÚ-dah? Pareceu-vos que era fraco como um caniço, ao sabor de qualquer sopro de vento? Ou encontraram-no vestido de roupas caras? Com certeza que não! Os homens que vivem no luxo estão nos palácios e não no deserto. Terá sido antes um profeta de YÁOHU UL que foram encontrar? Sim! Mas mais do que um profeta. 27É a YÁOHU-khánam que as Qaotáv se referem quando dizem:

‘Enviarei o meu mensageiro à tua frente, para preparar o caminho diante de ti.’ 28Em toda a humanidade ninguém há maior do que YÁOHU-khánam. E, contudo, o menor cidadão do reino de YÁOHU UL é maior do que ele.” 29-30E todos os que ouviam YÁOHU-khánam pregar, mesmo os corruptos cobradores de impostos, achavam certo o que YÁOHU UL lhes exigia e deixavam-se baptizar por ele; menos os Farsyím e os profesores da lei, que rejeitavam o plano de YÁOHU UL e recusavam o baptismo de YÁOHU-khánam. 31″Que posso dizer acerca das pessoas desta geração?”, perguntou YAOHÚSHUA. “Com quem os compararei? 32São como as crianças que se queixam aos seus amigos: ‘Afinal, se brincamos aos casamentos não querem; se brincamos aos funerais, também não’. 33Como YÁOHU-khánam Baptista, que não come o mesmo que os outros e em toda a sua vida nunca bebeu bebida forte, dele então vocês dizem: ‘Deve estar louco! Tem o demónio dentro de si!’ 34Eu que como e bebo normalmente, dizem: ‘YAOHÚSHUA é glutão, e bebe ainda por cima, além de andar com a pior espécie de amigos!’. 35Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos.”

YAOHÚSHUA é ungido por uma mulher

36-38Um dos Farsyím pediu a YAOHÚSHUA que fosse almoçar a sua casa e ele aceitou o convite. Quando se sentaram para comer, uma mulher de má vida soube que ele se encontrava ali, pelo que trouxe um vaso de alabastro de muito valor cheio de um perfume caro, ajoelhou-se atrás dele, aos seus pés, e tanto chorou que os pés de YAOHÚSHUA ficaram molhados de lágrimas; porém, enxugava-os com os cabelos e, beijando-os, deitava perfume sobre eles. 39Quando o dono da casa, que convidara YAOHÚSHUA, viu o que se passava, e o género de mulher de que se tratava, disse consigo próprio: “Aqui está a prova de que YAOHÚSHUA não é um homem de YÁOHU UL; porque se YÁOHU UL o tivesse realmente enviado, logo conheceria que espécie de mulher é esta”. 40Então YAOHÚSHUA respondeu aos pensamentos daquele homem e observou-lhe: “Shamiúl, queria dizer-te uma coisa.””Diz, Maoro-éh.” 41-42E YAOHÚSHUA contou-lhe o seguinte: “Certo homem emprestou dinheiro a duas pessoas, quinhentas moedas a uma e cinquenta a outra. Como, porém, nenhuma delas lhe pudesse pagar, ele, que era generoso, perdoou a ambas, cancelando as suas dívidas. Qual destas pessoas achas tu que lhe ficou mais agradecida, depois disto?” 43″Acho que terá sido quem mais lhe devia!””Tens razão”, concordou YAOHÚSHUA. 44E, indicando a mulher, disse a Shamiúl: “Olha para esta mulher aqui de joelhos! Quando entrei na tua casa, não te preocupaste em trazer-me água para que lavasse a poeira dos pés, mas ela lavou-os com lágrimas e enxugou-os com os cabelos! 45Não me deste o beijo de saudação, mas desde que aqui entrei ela não deixou de me beijar os pés. 46Não tiveste a delicadeza de trazer azeite para me ungir a cabeça, mas ela cobriu-me os pés com perfume raro. 47Os pecados dela, que são muitos, foram-lhe perdoados; daí toda a sua gratidão e amor para comigo. Mas aquele a quem pouco é perdoado pouco amor mostra.” 48E disse à mulher: “Os teus pecados estão perdoados”. 49Os homens que estavam à mesa murmuraram entre si: “Quem imagina ele que é, para se pôr a perdoar pecados?” 50YAOHÚSHUA acrescentou, para a mulher: “A tua fé te salvou; vai em paz”.

Lucas 8

A ilustração do semeador

1Passado não muito tempo sobre isto, YAOHÚSHUA começou a percorrer as cidades e vilas para anunciar a Mensagem Gloriosa do reino de YÁOHU UL. Fazia-se acompanhar dos doze discípulos. 2Com ele iam algumas mulheres das quais tinha expulso demónios ou a quem tinha curado; entre elas contavam-se Maoro-ém Magdalena, a quem tinha livrado de sete demónios; 3Yoánna, mulher de Cuza (encarregado de negócios de Herod); Susana; e muitas outras que, com os seus próprios meios, contribuíam para o sustento de YAOHÚSHUA e dos discípulos. 4Um dia serviu-se da seguinte ilustração, dirigindo-se a uma grande multidão reunida para ouvi-lo, enquanto muitos outros se aproximavam ainda, vindo de outras cidades: 5-8″Certo homem foi ao campo semear. Quando lançava as sementes ao chão, algumas delas caíram num caminho e foram pisadas. Vieram as aves e comeram-nas porque estavam à vista. Outras sementes caíram em chão pouco fundo com pedras por baixo. Mal começaram a crescer, logo murcharam, morrendo por falta de humidade. Outras sementes, ainda, caíram entre moitas de espinhos, que em pouco tempo sufocaram os rebentos. Mas outras caíram em solo fértil, e quando cresceram deram uma colheita de cem vezes mais do que aquele homem havia plantado.” Ao fazer esta ilustração, YAOHÚSHUA acrescentou: “Quem pode ouvir, que preste atenção.” 9-10Os emisários perguntaram-lhe o que queria dizer aquela ilustração, e YAOHÚSHUA respondeu: ” YÁOHU UL concedeu-vos a possibilidade de conhecer o significado destas coisas sobre o reino de YÁOHU UL. Mas aos outros, fala-se por parábolas, como diz as Qaotáv: ‘Este povo ouve as palavras porém não entende, vê e não percebe’. 11-15O que a comparação quer dizer é o seguinte: A semente é a mensagem de YÁOHU UL. O caminho duro onde caíram algumas das sementes representa aqueles que ouvem as palavras de YÁOHU UL, mas ha-satán logo as vem roubar, não deixando que as pessoas creiam e sejam salvas. O solo pedregoso representa aqueles que ouvem com prazer, mas a mensagem não fica neles; e não deita raiz nem cresce. Quando chegam as provas desviam-se. A semente entre os espinhos representa os que ouvem e crêem na palavra de YÁOHU UL mas cuja fé é depois sufocada pelas preocupações, ambições e prazeres da vida, pelo que nunca dão fruto. Mas o solo bom representa as pessoas sinceras e honestas que, ouvindo as palavras de YÁOHU UL, dão fruto com continuidade.”

A luz do candeeiro

16-18″Quem viu alguma vez cobrir, ou pôr debaixo da cama, uma lâmpada que tenha sido acesa para iluminar um quarto? É evidente que as lâmpadas são colocadas num lugar bem à vista. Semelhantemente, virá o dia em que tudo será trazido à luz e posto às claras diante de todos. Tomem, pois, cuidado no modo como ouvem, porque a quem tiver entendimento, mais será dado; a quem não o tiver, até o que julga ter lhe será tirado.”

A mãe e os irmãos de YAOHÚSHUA

19-21Uma vez, a mãe e os irmãos de YAOHÚSHUA foram vê-lo, mas, por causa da multidão, não conseguiram entrar na casa onde ensinava. Alguém disse-lhe, “A tua mãe e os irmãos estão lá fora e querem ver-te.” YAOHÚSHUA respondeu:”A minha mãe e os meus irmãos são todos aqueles que ouvem a mensagem de YÁOHU UL e lhe obedecem.”

YAOHÚSHUA acalma a tempestade

22-23Certo dia, por aquele tempo, andando com os discípulos num barco, YAOHÚSHUA disse que atravessassem para a outra margem do lago. Durante a travessia adormeceu. Entretanto levantou-se uma enorme tempestade, o barco começou a meter água, e corriam grande perigo. 24Logo os discípulos o despertaram: “Molkhiúl, Molkhiúl, olha que nos afundamos!”Então YAOHÚSHUA mandou ao vento e às vagas que se acalmassem. E tudo ficou sereno. 25Depois perguntou-lhes: “Onde está a vossa fé?”Eles, cheios de espanto e medo, diziam entre si: “Mas quem é este que até os ventos e as ondas lhe obedecem?”

Um homem dominado por demónios

26Chegaram à terra dos Gadarenos, que fica na outra banda do Mar da Galileia. 27-29Quando YAOHÚSHUA saía do barco, veio-lhe ao encontro um homem que, havia muito tempo, estava possuído pelo demónio. Não tendo casa, vivia, sem roupas, no cemitério, entre as sepulturas. Mal viu YAOHÚSHUA, soltou um grito muito forte e, tombando no chão na sua frente, gritava: “Que queres de mim, YAOHÚSHUA, ha-BOR de YÁOHU UL altíssimo? Peço-te que não me atormentes!” Pois YAOHÚSHUA ordenava já ao demónio que o abandonasse. Este, muitas vezes tinha-se apoderado daquele homem, de tal modo que, mesmo acorrentado, partia as correntes e fugia para o deserto, inteiramente sob o poder do demónio. 30-31″Como te chamas?”, perguntou YAOHÚSHUA.”Exército”, foi a resposta, porque o homem estava cheio de demónios. E continuavam a pedir a YAOHÚSHUA que não os mandasse para o abismo sem fundo. 32-33Andava ali perto uma vara de porcos a pastar no monte, e os demónios rogaram-lhe que os deixasse entrar nos animais. YAOHÚSHUA consentiu. Deixaram o homem e entraram nos porcos. Logo a vara inteira se precipitou, caindo por um despenhadeiro no lago, onde se afogou. 34Os porqueiros, ao ver aquilo, fugiram para a cidade próxima, espalhando a notícia pelo caminho, 35e uma multidão saiu para ver o que tinha acontecido. Quando chegaram, viram aquele homem que tinha sido dominado pelo demónio, agora vestido, em seu perfeito juízo, sentado aos pés de YAOHÚSHUA. E toda a multidão ficou assustada. 36Os que tinham assistido contavam como o possuído pelo demónio tinha sido curado. 37E toda aquela gente pedia a YAOHÚSHUA que se fosse embora, porque se espalhou entre eles uma onda de medo. Assim, YAOHÚSHUA voltou para o barco e tornou para a outra margem do lago. 38-39O homem que tinha estado dominado de demónios pediu para ir também, mas YAOHÚSHUA não o deixou: “Volta para a tua família e conta-lhe que coisa maravilhosa YÁOHU UL te fez”. Então ele foi pela cidade anunciando as grandes coisas que YAOHÚSHUA tinha feito por ele!

Uma moça morta e uma doente

40Do outro lado do lago, o povo recebeu YAOHÚSHUA de braços abertos, pois já o esperava. 41-42Um homem chamado Yao-éyr, dirigente da sinagoga, veio ter com YAOHÚSHUA e, caindo-lhe aos pés, pediu-lhe que fosse a sua casa porque tinha uma filha única, uma menina de quase doze anos, que estava à morte. YAOHÚSHUA acompanhou-o, abrindo caminho através do povo. 43-44Enquanto caminhavam, uma mulher veio por detrás e tocou-lhe, porque havia doze anos que tinha um mal que a fazia perder sangue, não conseguindo encontrar cura, embora tivesse gasto tudo o que tinha com médicos. E eis que, no momento em que lhe tocou na orla do manto, a perda de sangue estancou. 45-46″Quem me tocou?”, perguntou YAOHÚSHUA. Todos negaram, e Káfos até acrescentou:”Maoro-éh, são tantos os que te apertam de todos os lados”.”Não, alguém me tocou de propósito, porque senti sair de mim poder curativo”. 47Dando-se conta de que não podia esconder-se, a mulher aproximou-se emocionada e, caindo de joelhos diante dele, contou-lhe o motivo por que lhe tinha tocado, afirmando que já estava boa. 48″Filha”, disse ele, “a tua fé te curou. Vai em paz.” 49Enquanto falava ainda com a mulher, chegou um mensageiro da casa de Yao-éyr com a notícia: “A tua filha já morreu”, disse ele. “De nada serve ir agora incomodar o Maoro-éh.” 50Quando YAOHÚSHUA soube o que tinha acontecido, disse a Yao-éyr: “Não receies! Crê somente e ela ficará boa.” 51-52Quando chegaram à casa, YAOHÚSHUA não consentiu que alguém entrasse com ele, exceptuando Káfos, YÁOHU-caf, YÁOHU-khánam e os pais da menina. A casa estava cheia de pessoas que lamentavam o sucedido, mas ele ordenou: “Parem de chorar. Ela não está morta, dorme apenas.” 53Esta frase provocou a zombaria porque todos sabiam que a jovem estava morta. 54Então YAOHÚSHUA, tomando-a pela mão, exclamou: “Levanta-te, menina!” 55-56E naquele momento ela tornou a viver e pôs-se logo de pé. “Dêem-lhe de comer”, disse. Os pais ficaram maravilhados, mas YAOHÚSHUA insistiu com eles para que a ninguém contassem o que havia acontecido.

Lucas 9

YAOHÚSHUA envia os doze

1-2Certo dia, YAOHÚSHUA reuniu os seus doze emisários e deu-lhes autoridade sobre os demónios, poder para os expulsar, e para curar as enfermidades. Em seguida, enviou-os para falar a toda a gente na vinda do reino de YÁOHU UL e para curar os doentes. 3-5″Não levem convosco nem sequer um bordão”, recomendou-lhes, “nem saco, nem provisões, nem dinheiro, nem mesmo roupa para mudar. Hospedem-se apenas numa casa em cada localidade. Se o povo de qualquer povoação não vos quiser ouvir quando lá entrarem, venham-se embora e declarem a severidade de YÁOHU UL contra ela, limpando as sandalias do pó daquela terra, ao saírem.” 6Começaram então essa digressão pelas povoações, pregando a Mensagem Gloriosa e curando os doentes. 7-8Quando soube dos milagres de YAOHÚSHUA, o governador Herod ficou preocupado, pois já havia quem dissesse: “É YÁOHU-khánam Baptista que tornou à vida”, e outros: “É Uli-YÁOHU ou outro antigo profeta que se levantou de entre os mortos”. Estes boatos corriam por todo o país. 9″Se degolei YÁOHU-khánam”, disse Herod, “quem será este homem de quem me contam tais histórias?” E procurava ver YAOHÚSHUA.

YAOHÚSHUA alimenta cinco mil homens

10-11Quando os emisários voltaram para contar a YAOHÚSHUA o que tinham feito, este saiu com eles para um sítio isolado, para os lados da povoação de Bóhay Shua-odái. O povo, porém, descobriu para onde se dirigia e seguiu-o. Ele acolheu-os, ensinando-os acerca do reino de YÁOHU UL e curando os doentes. 12No fim da tarde, os doze discípulos vieram recomendar-lhe que mandasse o povo retirar-se para as aldeias e quintas dos arredores a fim da arranjarem abrigo para a noite e comida, porque aquele era um lugar deserto. 13Mas YAOHÚSHUA respondeu: “Dêem-lhe vocês comida”.”Como, se temos apenas cinco pães e dois peixes ao todo?”, protestaram. “Onde é que iríamos agora buscar alimento suficiente para toda esta multidão?”, 14pois havia ali uns cinco mil homens.”Digam-lhes que se sentem no chão em grupos de cerca de cinquenta cada”, mandou YAOHÚSHUA. 15-17E assim fizeram. Tomando os cinco pães e os dois peixes, YAOHÚSHUA ergueu o olhar para o céu e deu graças. Depois, partiu-os em pedaços para que os discípulos os oferecessem à multidão. E toda a gente comeu até se fartar, recolhendo-se depois de tudo, doze cestos cheios de sobras!

Káfos confessa que YAOHÚSHUA é hol-MEHUSHKHÁY (o Messías)

18Um dia, estando sozinho a orar e encontrando-se os discípulos ali perto, YAOHÚSHUA aproximou-se e perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Responderam-lhe: ” YÁOHU-khánam Baptista, ou talvez Uli-YÁOHU, ou outro dos antigos profetas que se terá levantado de entre os mortos.” 20″E vocês, quem pensam que eu sou?” E Káfos respondeu:”Tu és ha-MEHUSHKHÁY (o Messías) de YÁOHU UL!” 21-22YAOHÚSHUA deu-lhes ordens rigorosas para não falarem nisso a ninguém. “Esperam-me grandes sofrimentos, a mim ha-BOR do Homem; serei rejeitado pelos anciãos do povo, os principais dos intermediários e os profesores da lei, e serei morto. Mas três dias depois tornarei a viver!” 23E então disse à multidão: “Aquele que me quiser seguir deve esquecer-se a si próprio, carregar com a sua poste em cada dia, e acompanhar-me de perto! 24Quem quiser abandonar os seus próprios propósitos por minha causa, ganhará uma verdadeira vida; mas quem teimar em viver conforme os seus próprios desejos acabará por perdê-la. 25E que proveito há em ganhar mesmo que seja o mundo inteiro se isso significa perder-se a si mesmo? 26Quando eu, ha-BOR do Homem, vier na minha glória e na de YÁOHU ABí e dos santos anjos, afastar-me-ei de todos os que agora se envergonham de mim e das minhas palavras. 27Porém, a verdade é que alguns dos que aqui se encontram não morrerão senão depois de verem o reino de YÁOHU UL!”

YAOHÚSHUA transfigura-se

28-31Oito dias depois, levou consigo Káfos, YÁOHU-caf e YÁOHU-khánam e subiu a um monte para orar. Enquanto orava, o seu rosto começou a brilhar, e o vestuário ficou de uma brancura resplandecente de luz. Viram-se então dois homens, Mehushúa e Uli-YÁOHU, que começaram a conversar com ele! O aspecto deles era glorioso, e falavam da sua morte, que iria ocorrer em Yaohúshua-oléym. 32-33Káfos e os outros, de tão cheios de sono que estavam, adormeceram. Ao acordarem, viram YAOHÚSHUA rodeado de resplendor e glória, e os dois homens com ele. Quando Mehushúa e Uli-YÁOHU se iam retirar, Káfos, não sabendo o que dizer, falou assim: “Maoro-éh, que bom é estarmos aqui! Vamos construir três abrigos, um para ti, um para Mehushúa e outro para Uli-YÁOHU!” 34Mas no momento em que dizia isto, uma nuvem formou-se por cima deles e encheram-se de terror quando a nuvem os envolveu. 35Uma voz saída da nuvem disse: “Este é o meu ha-BOR, a quem escolhi; ouçam-no.” 36Quando a voz se calou, YAOHÚSHUA estava de novo sozinho com os discípulos, que só mais tarde contaram o que tinham visto.

A cura do rapaz com um espírito mau

37-38No outro dia, quando desceram do monte, veio ao seu encontro uma grande multidão, e um homem gritou-lhe: 39-40″Maoro-éh, este menino que aqui está é o meu único filho. E há um demónio que toma conta dele e o faz gritar, abanando-o todo, com violência, a ponto de espumar pela boca. Esse demónio fá-lo ferir-se constantemente, e não o deixa em paz. Já roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas não foram capazes.” 41″Ó gente teimosa e sem fé!”, disse YAOHÚSHUA, até quando terei de vos supor-tar?” E para o homem: “Traz cá o teu filho.” 42Quando a criança se aproximava, o demónio atirou-a por terra numa violenta agitação. Mas YAOHÚSHUA, ordenando-lhe que saísse, curou o menino e entregou-o ao pai. 43O espanto apoderou-se do povo ao ver esta manifestação do poder de YÁOHU UL. Entretanto, enquanto se admiravam das coisas maravilhosas que ele fazia, YAOHÚSHUA disse aos discípulos: 44-45″Ouçam-me e lembrem-se do que vos vou dizer. Eu, ha-BOR do Homem, vou ser traído.” Os discípulos, porém, não percebiam aquilo a que se referia, porque tinham a mente fechada e receavam fazer-lhe perguntas.

Quem será o maior?

46-47Surgiu, então, entre eles uma discussão sobre qual dos discípulos seria o maior. YAOHÚSHUA, contudo, conhecendo-lhes os pensamentos, colocou uma criancinha ao seu lado e disse-lhes: 48″Todo aquele que acolher uma criancinha como esta é como me acolhesse a mim. E quem me receber, recebe também YÁOHU UL que me enviou. O mais insignificante de entre vocês, esse é o maior.” 49 YÁOHU-khánam foi ter com ele e disse-lhe: “Maoro-éh, vimos alguém que se servia do teu Shúam (Nome) para expulsar demónios e dissemos-lhe que não fizesse isso. Ao fim e ao cabo, não pertence ao nosso grupo.” 50Mas YAOHÚSHUA disse-lhe: “Não deviam ter feito isso, porque quem não está contra nós põe-se do nosso lado.”

Oposição de Shuamor-YÁOHU

51À medida que se aproximava o momento de regressar ao céu, YAOHÚSHUA mostrava-se decidido a ir a Yaohúshua-oléym. 52Um dia, enviou mensageiros à sua frente a fim de reservar hospedagem numa localidade Shomroní. 53Todavia, aí mandaram-nos embora. O povo do lugar não quis nada com eles porque viram que se dirigiam para Yaohúshua-oléym. 54Quando veio a notícia do que tinha acontecido, YÁOHU-caf e YÁOHU-khánam perguntaram a YAOHÚSHUA: “Maoro-éh, devíamos pedir que caia fogo do céu para os queimar?” 55-56Mas YAOHÚSHUA voltou-se e repreendeu-o, e assim prosseguiram até chegarem a outra terra.

O custo de seguir YAOHÚSHUA

57Quando iam a passar, alguém disse a YAOHÚSHUA: “Seguir-te-ei sempre aonde quer que fores.” 58Mas YAOHÚSHUA respondeu: “Olha que eu nem sequer tenho onde pousar a cabeça! As raposas têm as suas tocas, e os pássaros os seus ninhos, mas eu, ha-BOR do Homem, não tenho nenhum lar terreno.” 59Ele disse a outro homem: “Segue-me.” Este aceitou, mas na condição de esperar até que o pai morresse primeiro. 60YAOHÚSHUA respondeu: “Aqueles que são espiritualmente mortos que se preocupem com coisas dessas. Tu deves ir anunciar o reino de YÁOHU UL.” 61Ainda outro disse: “Sim, YÁOHU UL, irei, mas deixa-me primeiro despedir-me da família.” 62″Todo aquele que lança mão do arado e depois olha para trás não está pronto para o reino de YÁOHU UL.”

Lucas 10

YAOHÚSHUA envia setenta e dois discípulos

1Depois disto, YÁOHU UL escolheu outros setenta e dois discípulos e enviou-os à sua frente de dois em dois a todas as localidades, vilas e aldeias que tencionava visitar mais tarde. 2Foram estas as instruções que lhes deu: “Roguem a YÁOHU UL da seara que envie mais trabalhadores, porque a seara é vasta e os trabalhadores são poucos. 3-4Agora vão e lembrem-se de que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não levem dinheiro convosco, nem saco, nem mesmo calçado de reserva. E não percam tempo a cumprimentar gente pelo caminho. 5-7Sempre que entrarem num lar, lancem-lhe a vossa bênção. Se for digno de bênção, esta ficará; se não, para vocês voltará. Quando entrarem numa localidade, não andem de casa em casa, antes fiquem numa só casa, comendo e bebendo do que vos puserem à frente. Porque digno é o trabalhador do seu salário. 8-10Se uma cidade vos receber, comam do que vos oferecerem, curem os enfermos e digam: ‘O reino de YÁOHU UL chegou até vocês’. Se, porém, uma terra vos rejeitar, saiam para as ruas e digam: 11’Limpamos dos nossos pés o pó desta povoação como sinal da vossa condenação. Nunca se esqueçam de que o reino de YÁOHU UL chegou até vocês!’ 12Mesmo a perversa Sodoma estará em melhores condições no dia do julgamento do que essa terra. 13Que horrores vos esperam, cidades de Corazim e Bóhay Shua-odái! Porque, se os milagres que vos fiz tivessem sido realizados nas cidades de Tiro e Sidom, o seu povo ter-se-ia sentado, há muito, em profundo arrependimento, vestindo pano de saco e deitando cinzas sobre a cabeça em sinal de remorso. 14Sim, Tiro e Sidom receberá menos castigo no dia do julgamento do que vocês. 15E tu, povo de Kefár-Naokhém, que direi de ti? Serás tu levantado até ao céu? Com certeza que não, serás antes mergulhado no inferno.” 16Depois disse aos discípulos: “Quem vos ouve é a mim que ouve. E quem vos rejeitar é a mim que rejeita. E quem me rejeitar rejeita YÁOHU UL, que me enviou.” 17Quando os setenta e dois discípulos voltaram, cheios de alegria, contaram: ” YÁOHU UL, os próprios demónios nos obedecem quando nos servimos do teu Shúam (Nome).” 18-20″Sim”, disse-lhes YAOHÚSHUA, “eu próprio vi ha-satán cair dos shua-ólmayao como um raio! Dei-vos autoridade sobre os poderes do inimigo, e para pisar serpentes e escorpiões. Nada vos fará mal. Todavia não se alegrem porque os demónios vos obedecem. Alegrem-se por os vossos nomes estarem registados em shua-ólmayao.” 21Então YAOHÚSHUA, cheio da alegria do RÚKHA hol-HODSHÚA, disse: “Eu te louvo, ó YÁOHU ABí, Molkhiúl (Rei) dos shua-ólmayao e da terra, porque escondes estas coisas aos instruídos e aos sábios, e as revelas às criancinhas. Sim, obrigado, pai, pois foi assim que o quiseste. 22O meu YÁOHU ABí deu-me autoridade sobre todas as coisas, e ninguém conhece verdadeiramente ha-BOR a não ser YÁOHU ABí, e ninguém conhece verdadeiramente YÁOHU ABí a não ser ha-BOR, e aqueles a quem ha-BOR tiver por bem revelá-lo.” 23-24Voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: “Como é grande o vosso privilégio por terem visto o que viram! Muitos profetas e reis desejaram ver o que vocês vêem e não o viram; ouvir o que vocês ouvem e não o ouviram!”

O bom Shomroní

25-26Certo dia, um perito na religião Yudaismo quis pôr YAOHÚSHUA à prova fazendo-lhe esta pergunta: “Maoro-éh, que preciso eu fazer para ter a vida eterna?”E YAOHÚSHUA: “Que diz a lei sobre o assunto?” 27″Diz assim: ‘Amarás YÁOHU UL, teu Criador Eterno com todo o teu coração, e com toda a tua alma, e com todas as tuas forças, e com todo o teu entendimento. E amarás o teu semelhante, tanto quanto a ti mesmo’. 28″Está certo”, respondeu-lhe YAOHÚSHUA. “Faz isso e terás a vida eterna!” 29O homem, querendo justificar-se, perguntou: “E quem é o meu semelhante?” 30YAOHÚSHUA respondeu-lhe com esta ilustração: “Um YAOHÚ-di que viajava de Yaohúshua-oléym para Yáricho viu-se atacado por salteadores. Estes, depois de lhe tirarem todas as roupas e dinheiro, espancaram-no e deixaram-no como morto na berma da estrada. 31Por acaso, apareceu por ali um intermediário (sacerdote) que, ao ver o homem tombado, se afastou para o outro lado da estrada, e passou de largo. 32Um outro, que era ajudante do Templo, fez o mesmo, deixando também o homem ali caído. 33-35Porém, surgiu um Shomroní que, ao vê-lo, teve muita pena dele. Ajoelhando-se, o Shomroní tratou-lhe as feridas com azeite e vinho e pôs-lhe ligaduras. Depois, colocando o homem sobre o seu jumento, foi caminhando ao lado até chegarem a uma hospedaria, onde cuidou dele durante a noite. No dia seguinte, entregou ao dono da hospedaria uma certa importância, recomendando-lhe que cuidasse do homem. ‘Se a despesa for além disto’, disse, ‘pago a diferença na próxima vez que por aqui passar.’ 36-37Ora, qual destes três homens dirias tu que foi o semelhante da vítima dos salteadores?” Ao que o homem respondeu:”Foi aquele que mostrou compaixão por ele” YAOHÚSHUA disse-lhe: “É isso mesmo. Vai e faz o mesmo.”

Em casa da Marta e Maoro-ém

38-39A caminho de Yaohúshua-oléym, YAOHÚSHUA e os discípulos chegaram a um sítio onde uma mulher chamada Marta os recebeu em casa. Maoro-ém, sua irmã, sentou-se no chão ao pé de YAOHÚSHUA, ouvindo o que ele dizia. 40Marta, porém, andava atarefada com muitos serviços, e, indo ter com YAOHÚSHUA, observou-lhe: ” YÁOHU UL, achas bem que minha irmã me deixe sozinha a fazer o trabalho todo? Diz-lhe que venha ajudar-me.” 41-42″Marta, Marta, como tu te deixas prender por tantas coisas! Há só uma que é necessária. Maoro-ém escolheu bem. Não a quero privar disso!”

Lucas 11

YAOHÚSHUA ensina sobre oração

1Numa ocasião em que YAOHÚSHUA se tinha retirado para orar, um dos discípulos, quando ele terminou, disse-lhe: ” YÁOHU UL, ensina-nos a orar, assim como YÁOHU-khánam fez com os seus discípulos”. 2Foi assim que os ensinou a orar:

” YÁOHU Abihúl, que o teu Shúam (Nome) seja honrado.”Venha o teu reino.

3Dá-nos o nosso alimento dia a dia.

4Perdoa os nossos pecados,”como nós perdoamos aos que contra nós pecaram. E não deixes que caiamos durante a tentação.” 5-6Ensinou-lhes mais: “Suponham que, à meia noite, iam a casa de um amigo: ‘Acaba de chegar uma pessoa minha conhecida, e não tenho nada para lhe dar a comer. Cede-me três pães’. 7Ele responderia lá de dentro: ‘Não me incomodes agora. A porta da rua já está trancada e estamos todos deitados. Não te posso valer.’ 8Mas digo-vos que ele há-de levantar-se e dar-vos-á tudo o que quiserem, embora não faça por simpatia, mas para que a sua reputação não seja afectada. 9O mesmo se passa com a oração: Peçam, porque hão-de receber; procurem, pois que encontrarão; batam, que a porta abrir-se-á. 10Porque todo aquele que pede recebe; todos os que procuram, encontram; e a porta abre-se a todos os que batem. 11-13Vocês, os que são pais, se o vosso filho vos pedir pão, dão-lhe porventura uma pedra? Se pedir peixe, dão-lhe uma serpente? Se pedir um ovo, dão-lhe um escorpião? Se mesmo pecadores, como são, vocês dão aos filhos aquilo de que necessitam, quanto mais o vosso pai celestial dará o RÚKHA hol-HODSHÚA (Espírito Santo) àqueles que lho pedirem!”

YAOHÚSHUA e ha-satán

14-16Certa vez, tendo YAOHÚSHUA expulsado um demónio de um homem mudo, este recuperou a fala, com grande emoção do povo. Mas houve quem dissesse: “Não admira que os expulse, pois o poder dele vem de ha-satán, principe dos demónios!” Outros, para o experimentarem, pediram que ele fizesse um sinal do céu. 17-20YAOHÚSHUA, que conhecia os pensamentos de cada um, disse: “Qualquer país onde haja guerra civil fica destruído; o mesmo acontece com uma casa cheia de contendas. Portanto, se ha-satán está em luta consigo próprio dando-me poder para expulsar os seus demónios, como poderá subsistir o seu reino? E se o meu poder vem de ha-satán, que acontece com os vossos seguidores? Assim eles serão os vossos juízes! Mas, se expulso os demónios pelo poder que vem de YÁOHU UL, isto prova que o seu reino já chegou. 21-22Pois quando uma pessoa forte e bem armada guarda o seu domínio, este está seguro, até que alguém ainda mais forte o ataque e derrote, lhe tire as armas em que confiava e leve o que tem. 23Quem não é por mim é contra mim, quem não ajunta comigo espalha. 24-26Quando um demónio é expulso de um homem, vai para lugares áridos, procurando onde ficar; não encontrando, volta para a pessoa que deixou e descobre que a sua antiga morada está toda varrida e arranjada. Então traz outros sete demónios ainda piores do que ele próprio, entram no homem, e assim aquele infeliz fica numa situação bem pior do que antes.” 27Enquanto falava, uma mulher de entre a multidão gritou: “Bendita seja a tua mãe, o ventre de que nasceste, e o peito que te deu leite!” 28Ao que ele respondeu: “Antes benditos são todos quantos ouvem a Palavra de YÁOHU UL e a põem em prática”.

O sinal de YAOHÚ-nah

29-30YAOHÚSHUA expôs os seguintes ensinamentos: “São maus e de gente má os tempos que correm. Teimam as pessoas em pedir como prova um acontecimento extraordinário em shua-ólmayao. Mas o único milagre que lhes é dado é o do profeta YAOHÚ-nah, que provou ao povo de Nineveh que tinha sido enviado por YÁOHU UL. Também este povo terá a prova de que lhe fui enviado. 31E no dia do juízo a rainha de Sheba há-de levantar-se e condenar esta geração, porque ela fez uma viagem longa e difícil para escutar a sabedoria de Shua-ólmoh. Mas aqui está um que é muito superior a Shua-ólmoh. 32Também os homens de Nineveh se levantarão para condenar este povo, porque eles arrependeram-se ouvindo a pregação de YAOHÚ-nah. E agora está aqui alguém muito superior a YAOHÚ-nah.

A luz do corpo

33-34Ninguém acende uma lâmpada para a esconder. Pelo contrário, põe-na num castiçal para que dê luz a todos quantos entram na casa. Os olhos são a luz do teu corpo. Se forem puros, o teu corpo terá luz. Se forem maus haverá escuridão. 35-36Vigiem, pois, para que nada impeça a luz de brilhar em vocês. Se se encontrarem cheios de luz interior, sem recantos escuros, então também todo o vosso íntimo ficará na luz como se o clarão duma lâmpada vos iluminasse.”

YAOHÚSHUA denuncia os Farsyím e os profesores da lei

37-38Enquanto falava, um Farsyí (Fariseu) pediu-lhe que fosse comer a sua casa. Quando YAOHÚSHUA chegou, acomodou-se para a refeição, mas sem primeiro fazer a cerimónia de lavar as mãos. Isto surpreendeu muito o dono da casa. E YAOHÚSHUA disse-lhe: 39-41″Vocês, Farsyím, lavam o exterior, mas por dentro continuam cheios de cobiça e maldade. Loucos! Não foi YÁOHU UL quem fez tanto o interior como o exterior? Uma forma de se mostrar pureza é exercer generosidade para com os pobres. 42Mas oy de vocês, Farsyím! Porque, embora tenham o cuidado de dar a YÁOHU UL o dízimo da hortelã, da arruda e de todos os vegetais, esquecem por completo a justiça e o amor de YÁOHU UL. Vocês devem praticar o dízimo, sim, mas sem pôr de parte as coisas mais importantes. 43-44Como vos lamento, Farsyím! Amam tanto os lugares de honra nas sinagogas e as saudações que vos dirigem nas praças! Porque são como as sepulturas escondidas num campo. As pessoas caminham por cima deles sem conhecer a corrupção que está por baixo.” 45″Maoro-éh”, observou-lhe um especialista em leis religiosas que se encontrava ali, “insultaste também a minha actividade com o que acabaste de dizer.” 46″Sim”, replicou-lhe YAOHÚSHUA, “Oy de vocês, peritos na lei, porque carregam as pessoas com exigências que elas dificilmente podem cumprir, e vocês mesmos não mexem um dedo sequer para as ajudar! 47Pois são exactamente como os vossos antepassados que mataram os profetas da antiguidade. 48Vocês próprios dão prova em como concordam com eles, porque vocês levantam os túmulos dos mesmos profetas que os nossos pais mataram. 49Mas isto é o que YÁOHU UL diz de vocês: Mandar-vos-ei pregadores e enviados meus; alguns deles vocês hão-de matá-los, outros expulsá-los-ão. 50-51Vocês, os desta geração, serão considerados responsáveis pelo assassínio dos profetas desde a fundação do mundo – desde o assassínio de Abúl ao de Zochar-YÁOHU, que foi morto no Templo, entre o altar e o Templo im, essa acusação ser-vos-á certamente feita. 52Infelizes de vocês que são tidos como peritos em religião. Esconderam do povo a chave do conhecimento e não entram nem deixam entrar os outros.” 53-54Os Farsyím e os que ensinavam religião ficaram furiosos; a partir dali atacavam-no ferozmente com toda a espécie de perguntas, tentando fazê-lo tropeçar e dizer algo que lhes servisse para o mandarem prender.

Lucas 12

Avisos e encorajamentos

1-2Entretanto, a multidão crescia até haver milhares de pessoas que se atropelavam. Voltando-se primeiro para os discípulos, avisou-os: “Acima de tudo, tenham cuidado com a hipocrisia, como a destes Farsyím. Aliás semelhante fingimento não poderá ficar sempre escondido. Tornar-se-á por fim tão evidente como o fermento na massa da farinha. Não há nada encoberto que não venha a ser conhecido; nem nada de oculto que não venha a saber-se. 3Tudo o que disserem nas trevas será ouvido à luz, e o que segredarem num quarto ecoará pelos telhados! 4-5Meus amigos, não receiem os que vos podem matar. Esses só conseguirão matar o corpo, mas não têm poder sobre as vossas almas. Mas dir-vos-ei a quem devem temer: temam e obedeçam a YÁOHU UL, que tem poder para matar e lançar no inferno. 6-7Quanto custam cinco pardais? Pouco dinheiro, não é isso? Mesmo assim YÁOHU UL não esquece nem um só. Ele tem os cabelos da vossa cabeça todos contados! Não temam nunca, pois vocês valem muito mais para ele do que um bando de pardais. 8-10E garanto-vos isto: Eu, ha-BOR do Homem, vos honrarei publicamente na presença dos anjos de YÁOHU UL, se também publicamente mostrarem aqui na terra que me seguem. Porém, àqueles que me negarem aqui entre os homens também eu os negarei na presença dos anjos de YÁOHU UL. Contudo, quem falar contra mim ainda pode ser perdoado, mas nunca quem falar contra o RÚKHA hol-HODSHÚA. 11-12E quando forem levados à presença dos governantes e das autoridades, não se preocupem com o que deverão dizer, porque o RÚKHA hol-HODSHÚA vos ensinará as palavras certas no próprio momento.”

A ilustração do rico homem

13Foi então que alguém exclamou no meio da multidão: ” Molkhiúl, peço-te que digas ao meu irmão que reparta comigo a herança do meu pai.” YAOHÚSHUA respondeu: 14-15″Não sou juiz para decidir sobre essas questões legais entre vocês. Mas a questão de fundo é que não se deixem dominar pela avareza. Porque a vida verdadeira não está garantida pelos bens que se possa ter.” 16-19E deu um exemplo: “Certo homem rico possuía uma propriedade fértil que dava boas colheitas. Assim os seus celeiros ficaram a transbordar, e não podia guardar tudo lá dentro. O homem pôs-se a pensar no problema. Por fim, exclamou: ‘Já sei, vou deitar abaixo os celeiros e construir outros maiores. Assim terei espaço suficiente. Depois direi comigo mesmo: ‘Amigo, armazenaste o bastante para os anos futuros. Agora, repousa e come, bebe e diverte-te.’ 20Mas YÁOHU UL disse-lhe: ‘Louco! Esta noite vais morrer; e para quem fica tudo isso?’ 21Sim, louco é quem acumula riquezas na terra mas não é rico em relação a YÁOHU UL.”

Não se preocupem

22-24E, voltando-se para os discípulos: “Não se preocupem com o ter ou não comida suficiente e roupa para vestir, porque a vida é muito mais do que o comer ou o vestir. Olhem os corvos: não plantam, não colhem, não têm celeiros para armazenar alimento, e mesmo assim vivem, porque é YÁOHU UL quem os sustenta. E vocês valem muito mais do que aves! 25-26Além disso, qual é a vantagem de nos preocuparmos? Porventura irá isso acrescentar um só dia que seja à vossa vida? Claro que não! E se a preocupação não ajuda nem sequer a realizar coisas pequenas, qual é a vantagem de nos preocuparmos com coisas maiores? 27-28Olhem os lírios do campo, que não trabalham nem tecem, e, contudo, nem Shua-ólmoh em toda a sua glória se vestiu tão bem como eles. E se YÁOHU UL veste as flores, que hoje se abrem e amanhã desaparecem, não acham que dará o necessário também a vocês, almas com tão pouca confiança?” 29-31E não se preocupem com o que comer e o que beber; que isso não vos cause ansiedade. Toda a gente em geral se afadiga para ganhar o sustento de cada dia, mas o vosso YÁOHU ABí celeste conhece as vossas necessidades. Ele sempre vos dará tudo o que vos é preciso, dia após dia, se fizerem do reino de YÁOHU UL a vossa principal preocupação. 32Portanto, não tenhas medo, pequeno rebanho, porque o vosso YÁOHU ABí se alegra em dar-vos o reino. 33-34Vendam o que têm e dêem aos que estão em necessidade, e assim encherão o vosso cofre no céu! No céu os cofres não se arrombam, nem têm buracos. Os vossos tesouros ali jamais desaparecerão; nenhum ladrão os poderá roubar, nem nenhuma calamidade os destruirá. Onde estiver o vosso tesouro ali estará também o vosso coração.

Sejam vigilantes

35-37Estejam preparados, com as vossas candeias acesas, como se esperassem o vosso Criador Eterno regressando da celebração de casamento. Assim, estarão preparados para lhe abrir a porta e o deixar entrar quando chegar e bater. Bem-aventurados os que estiverem vigiando assim. Ele mesmo os sentará à mesa e os servirá! 38-40Poderá vir às nove da noite, ou talvez à meia-noite. Porém, seja qual for a hora, felizes os que estiverem pontos. Estejam tão preparados como se soubessem a hora exacta do seu regresso, assim como também estariam quando um ladrão aparecesse, se soubessem a hora a que vinha para assaltar a casa. Portanto, mais razão há para estarem sempre pontos, porque eu, ha-BOR do Homem, voltarei quando menos me esperarem.” 41Káfos perguntou: ” Molkhiúl, falas só para nós ou também para toda a gente?” 42-44 Molkhiúl YAOHÚSHUA respondeu: “Falo para qualquer homem fiel e sensato que se comporta como aquele cujo patrão lhe deu a responsabilidade de alimentar os outros criados. Quando o patrão voltar, se verificar que ele fez bom trabalho, lhe dará a responsabilidade sobre tudo o que tem. 45-46Mas se o homem pensar: ‘O meu patrão não voltará tão cedo’ e começar a maltratar os empregados, e a gastar o tempo em pândegas e bebedeiras, o seu patrão, ao voltar sem aviso, o afastará daquele cargo de confiança e expulsá-lo-á como um infiel. 47Será severamente castigado por se recusar a cumprir a sua obrigação, ainda que sabendo bem qual era. 48Mas aquele que por desconhecimento não se apercebe do seu mau comportamento será castigado com brandura. A quem muito se dá muito se exige, pois a sua responsabilidade é maior.

Não paz mas divisões

49-53Vim trazer fogo à terra, e desejava que essa tarefa tivesse já completado! Aguarda-me um baptismo terrível e sinto-me bem oprimido até lá chegar! Julgam que vim trazer a paz à terra? Pelo contrário, trouxe contendas e divisões! Daqui em diante as famílias se dividirão, três a meu favor, dois contra, ou o inverso. Um pai decide-se de certo modo a meu respeito, mas o filho pode fazê-lo de modo diferente; mãe e filha poderão vir a não se entender; e a decisão de uma sogra será provavelmente recusada pela nora.”

Os sinais dos tempos

54-57E voltando-se para o povo, YAOHÚSHUA disse: “Quando vêem as nuvens a formar-se no poente, sabem dizer: ‘Vem aí chuva!’, e têm razão. Quando sopra o vento sul, comentam: ‘Hoje vai fazer calor!’, e assim é. Que hipocrisia! Sabem interpretar os sinais em shua-ólmayao, mas não atentam à vossa volta, nos sinais dos tempos em que vivem. Porque é que não vêem por si próprios o que é justo? 58-59Se te encontrares com o teu acusador a caminho do tribunal, procura resolver o conflito antes que ele chegue ao juiz, não vá este condenar-te à prisão; porque, se tal acontecer, não serás libertado enquanto não tiveres pago e cumprido toda a pena integralmente até ao fim.”

Lucas 13

Chamada ao arrependimento

1Por esse tempo, contaram a YAOHÚSHUA que Pilatos tinha feito matança de alguns YAOHÚ-dim da Galileia, enquanto ofereciam sacrifícios no Templo, em Yaohúshua-oléym. 2-5″Pensam, por acaso, que esses eram mais pecadores do que os outros homens da Galileia?”, perguntou. “E que foi por isso que sofreram a morte? Não perceberam que também vocês se perderão se não se arrependerem? E os dezoito homens que morreram quando a torre de Shelóé desabou sobre eles? Terá sido porque seriam os piores pecadores que havia em Yaohúshua-oléym? Sem dúvida que não! Também vocês se perderão se não se arrependerem.” 6-7YAOHÚSHUA deu então o seguinte exemplo: “Certo homem plantou uma figueira na sua quinta e muitas vezes ia ver se tinha fruto, ficando sempre desapontado. Por fim disse ao empregado que a cortasse: ‘Há três anos que espero e não brotou um único figo! Para que me hei-de ralar mais com esta figueira? O espaço que ocupa podemo-lo nós utilizar para qualquer outra coisa.’ 8-9’Dá-lhe nova oportunidade’, respondeu o empregado. ‘Deixa-a ficar mais um ano, que eu vou dedicar-lhe cuidados especiais e lhe porei adubo em abundância. Se conseguirmos figos no próximo ano, tanto melhor; se não, então corto-a.’ ”

Uma aleijada é curada no Shábbos

10-13Um Shábbos, estava YAOHÚSHUA a ensinar numa sinagoga, quando viu uma mulher que andava curvada, sem se poder endireitar, havia dezoito anos, por estar possuída por um espírito maligno. YAOHÚSHUA chamou-a para junto de si. “Mulher, estás curada da tua doença”. Tocou-a e imediatamente pôde endireitar o corpo. E ela louvava e agradecia a YÁOHU UL! 14Todavia, o dirigente YAOHÚ-di local responsável pela sinagoga ficou muito zangado porque YAOHÚSHUA tinha efectuado aquela cura no Shábbos. “Há seis dias da semana para trabalhar”, bradou ele à multidão. “Nesses dias e não no Shábbos é que se deve vir em busca de cura!” 15-17Mas Molkhiúl YAOHÚSHUA respondeu: “És um hipócrita! Também tu trabalhas no Shábbos! No Shábbos não desatas o gado no estábulo e não o levas a beber? E será condenável que, lá porque é Shábbos, eu liberte, após dezoito anos de cativeiro de ha-satán, esta descendente de Abruhám?” Isto envergonhou os seus inimigos. E todo o povo se alegrava com as maravilhas que fazia.

Ilustrações da semente de mostarda e do fermento

18-19Começou então novamente a instruí-los acerca do reino de YÁOHU UL: “Com que se parece o reino? e como o posso explicar? É como uma minúscula semente de mostarda plantada numa horta, a qual se vai transformando num arbusto alto, entre cujos ramos as aves fazem a sua habitação. 20Outra vez ele perguntou: “A que compararei o reino de YÁOHU UL? 21É como o fermento misturado na massa, que trabalha invisivelmente até que ela fique bem crescida e leve.”

A porta estreita

22YAOHÚSHUA ia de cidade em cidade e de localidade em localidade, ensinando pelo caminho e avançando sempre para Yaohúshua-oléym. 23Alguém lhe perguntou: “É verdade que só poucos é que serão salvos?” Ele respondeu: 24-25″É estreita a porta do céu. Esforcem-se por entrar, porque muitos tentarão fazê-lo, mas quando o dono da casa tiver trancado a porta, será já tarde. Se ficarem do lado de fora, ainda que batendo e suplicando: ‘Molkhiúl, abre-nos a porta’, ele contudo responderá: ‘Não vos conheço.’ 26’Mas nós comemos contigo, e ensinaste nas nossas ruas’, dir-lhe-ão. 27Tornará a responder: ‘Já vos disse que não vos conheço. Culpados como estão, não podem entrar aqui. Vão-se embora.’ 28E haverá grande choro e lamentos de desespero quando estiverem do lado de fora e virem Abruhám, YÁOHUtz-kaq, YÁOHU-caf e todos os profetas dentro do reino de YÁOHU UL. 29Então virá gente do mundo inteiro, e de todos os tempos para ocupar ali os seus lugares. 30E notem que alguns, agora desprezados, serão grandemente honrados então; e alguns, agora tidos em alta conta, serão lá considerados de menos importância.”

YAOHÚSHUA em Yaohúshua-oléym

31Poucos minutos decorridos, alguns Farsyím disserem-lhe: “Retira-te daqui se queres continuar vivo, porque Herod anda à tua procura!” 32Ao que YAOHÚSHUA respondeu: “Digam a essa raposa que eu continuarei a expulsar demónios e a operar curas milagrosas hoje e amanhã; e no terceiro dia chegarei ao meu destino. 33Sim, hoje, amanhã e depois de amanhã devo prosseguir no meu caminho! Porque não ficaria bem a um profeta de YÁOHU UL ser morto noutro local que não em Yaohúshua-oléym! 34-35Oh, Yaohúshua-oléym, Yaohúshua-oléym, cidade que matas os homens de YÁOHU UL e apedrejas aqueles que são enviados a socorrer-te! Quantas vezes quis juntar os teus filhos como uma galinha abriga a ninhada debaixo das asas, mas não mo permitiram! Agora, a vossa casa será destruída e abandonada; nunca mais me verão outra vez até que digam: ‘Bem-vindo aquele que vem em Shúam (Nome) de YÁOHU UL’. ”

Lucas 14

YAOHÚSHUA na casa de um Farsyí

1-2Um Shábbos, estando em casa de um dos chefes dos Farsyím, todos o vigiavam para ver se curaria um dos presentes, que sofria da doença que o fazia inchar. 3-6Então YAOHÚSHUA, dirigindo-se aos Farsyím e especialistas na lei que se achavam em volta: “A lei permite ou não curar um homem num dia de Shábbos?” E visto que se recusavam a responder, YAOHÚSHUA, tomando o doente pela mão, curou-o e mandou-o embora. Depois, voltando-se para eles: “Qual de vocês é que não traba-lha no Shábbos? Se o vosso jumento ou o vosso boi cair numa cova, não tratam logo de o tirar?” Uma vez mais, não encontraram resposta que lhe dessem. 7-9Quando reparou que todos os convidados procuravam o lugar de honra, perto do topo da mesa, deu-lhes o seguinte conselho: “Se fores convidado para uma celebração de casamento, não procures ocupar o melhor lugar, pois, se aparecer alguém de posição superior à tua, o dono da casa levá-lo-á para o sítio onde te encontras sentado e dir-te-á: ‘Deixa que esta pessoa se sente aqui no lugar em que estavas’. E tu ficarás humilhado e terás que tomar qualquer lugar que reste, ao fundo da mesa. 10-11Em vez disso, começa pelo fim. E quando aquele que te convidou te vir, dir-te-á: ‘Amigo, temos para ti um lugar melhor do que esse!’ E assim serás honrado perante todos os outros convidados! Porque todo aquele que procura elevar-se será humilhado, e todo aquele que se humilhar a si mesmo será honrado.” 12-14Voltou-se então para o seu hospedeiro: “Quando ofereceres um jantar, não convides amigos, irmãos, parentes e vizinhos ricos, porque esses retribuirão o convite. Em vez disso, convida os pobres, aleijados, os coxos e os cegos. E na ressurreição dos justos YÁOHU UL recompensar-te-á por teres convidado aqueles que não podem retribuir-te.” 15Ouvindo isto, um que estava à mesa com YAOHÚSHUA exclamou: “Que privilégio seria o de entrar no reino de YÁOHU UL!” Ao que YAOHÚSHUA respondeu com a seguinte ilustração:

A ilustração da grande celebração

16-20″Um homem preparou uma grande celebração e enviou muitos convites. Quando tudo estava pronto, mandou o seu criado ir avisar os convidados de que chegara a hora de eles virem. Todos, porém, começaram com desculpas: um porque acabara de comprar um campo e queria vê-lo, pedindo, portanto, que dispensasse a sua presença; outro porque tinha acabado de comprar cinco juntas de bois e queria experimentá-los; outro ainda, porque acabava de se casar, não podia ir. 21-24O criado voltou e transmitiu ao patrão as respostas deles. O patrão, indignado, disse-lhe que fosse depressa às ruas e becos da cidade e convidasse os mendigos, paralíticos, coxos e cegos. Ele foi e mesmo assim, ainda havia lugar. ‘Vai por aí fora, pelos caminhos dos campos e por todos esses lugares; insiste para que venham, de modo que a casa fique cheia. E, quanto aos que primeiro convidei, nenhum provará dos manjares que eu tinha preparado.”

O custo de ser discípulo

25-27Grandes multidões seguiam YAOHÚSHUA, que lhes falou assim: “Todo aquele que quiser ser meu seguidor deve amar-me mais do que ao próprio pai, mãe, esposa, filhos, irmãos, ou irmãs, sim, mais do que à sua própria vida; de outra forma não pode ser meu discípulo. E ninguém pode ser meu discípulo se não carregar a sua própria poste e me seguir. 28-30Mas não deve começar a seguir-me enquanto não tiver pensado no custo que isso implica, pois quem começaria a construir um edifício sem primeiro fazer cálculos e verificar se tem dinheiro suficiente para pagar as contas? De outro modo, arrisca-se a só poder lançar os alicerces, por se terem esgotado os recursos. E então toda a gente troçaria dele! ‘Vêem aquele homem?’, diriam então em tom de zombaria. ‘Começou uma casa e ficou sem dinheiro antes de a terminar!’ 31-33E qual é o rei que se dispõe a iniciar uma guerra sem primeiro consultar os seus conselheiros e verificar se com dez mil homens terá força suficiente para derrotar os vinte mil que marcham contra ele? E se vir que não, enquanto as tropas inimigas ainda vêm longe enviará uma comissão de tréguas para discutir as condições de paz. Semelhantemente, ninguém pode tornar-se meu discípulo sem ter primeiro calculado bem o que isso representa, e sem ter renunciado a tudo por amor a mim. 34Sal é bom para temperar. Mas se perder o seu sabor, como pode se tornar salgado outra vez? 35O sal sem sabor não presta para nada, nem mesmo para adubo. É lançado fora. Ouçam bem se querem compreender o que vos digo.”

Lucas 15

A parábola da ovelha perdida

1Muitas vezes vinham cobradores de impostos, e outras pessoas de conduta reprovável, para ouvirem YAOHÚSHUA. 2Isto, porém, dava origem a queixas por parte dos Farsyím e profesores da lei, por se misturar assim com gente condenável, chegando até a comer com eles! 3YAOHÚSHUA então recorreu ao seguinte exemplo: 4-7″Se um homem tivesse cem ovelhas e uma delas se desgarrasse e se perdesse no deserto, não deixaria as outras noventa e nove para ir à procura da que se perdeu até a encontrar? Então, alegremente, carregá-la-ia sobre seus ombros, para casa. E, quando ali chegasse, reuniria amigos e vizinhos para se regozijar com eles, por a sua ovelha perdida ter sido achada. Semelhantemente, haverá mais felicidade no céu por causa de um pecador perdido que voltou para YÁOHU UL do que por os outros noventa e nove que não se desgarraram!

A moeda perdida

8-10Ou ainda: Uma mulher, por exemplo, tem dez valiosas moedas e perde uma delas em casa. Porventura não acenderá uma luz, não procurará por toda a parte, varrendo cada recanto até a achar? E depois de encontrá-la não chamará as amigas e vizinhas para que se regozijem com ela? Assim também há alegria entre os anjos de YÁOHU UL quando um pecador se arrepende.”

O filho perdido

11E contou-lhes o seguinte: “Certo homem tinha dois filhos. 12O mais novo disse ao pai: ‘Dá-me agora a minha parte da herança a que tenho direito!’ O pai concordou então em dividir a fortuna entre os filhos. 13Poucos dias depois, este filho, já na posse de tudo o que lhe pertencia, partiu para uma terra distante, onde desperdiçou o dinheiro com pândegas e na má vida. 14Ao mesmo tempo que o seu dinheiro se acabava, a terra foi assolada por uma grande fome e ele começou a passar privações. 15Foi então ter com um lavrador que o contratou para lhe tomar conta dos porcos. 16O jovem sentia tanta fome que até as bolotas que dava aos porcos lhe apetecia comer. Mas nem isso lhe davam. 17-19Quando, por fim, caiu em si, disse consigo mesmo: ‘Na casa de meu pai, até os trabalhadores têm comida em abundância e afinal eu aqui estou a morrer de fome! Vou voltar para o meu pai e dir-lhe-ei: ‘Abí (Pai), pequei contra o céu e contra ti, e já nem mereço ser chamado teu filho. Peço-te que me contrates como trabalhador.’ 20-21Pôs-se então a caminho de casa. E ainda vinha longe, seu pai, vendo-o aproximar-se, e cheio de terna compaixão, correu ao seu encontro, abraçando-o e beijando-o. O filho disse-lhe: ‘Abí, pequei contra o céu e perante ti, e já nem mereço ser chamado teu filho.’ 22-24Mas o pai disse aos criados: ‘Depressa, tragam o manto melhor que houver em casa e vistam-lho; e ponham-lhe um anel no dedo e calçado novo! Matem o bezerro que estamos a engordar; porque vai haver grande celebração, pois este meu filho estava como morto e voltou à vida; estava perdido e tornou a ser achado.’ Com isto começou o banquete. 25-26Entretanto, o filho mais velho, que estava no campo a trabalhar, ao voltar para casa ouviu a música da celebração, e perguntou a um dos criados o que se passava. 27’Foi o teu irmão que voltou’, respondeu-lhe. ‘O teu pai matou o bezerro que estávamos a engordar e preparou uma grande celebração para celebrar o regresso dele são e salvo ao lar.’ 28-29O filho mais velho ficou zangado e não queria entrar, mas o pai saiu e insistiu que o fizesse. Ele, porém, respondeu: ‘Todos estes anos tenho trabalhado duramente para ti sem nunca me recusar a fazer fosse o que fosse que me mandasses, e em todo este tempo nunca me deste nem sequer um cabrito para que eu festejasse com os meus amigos. 30Agora que volta este teu filho, depois de te gastar dinheiro na má vida, celebras o seu regresso matando o melhor bezerro que temos em casa!’ 31-32’Meu querido filho, eu e tu continuamos ligados e tudo o que possuo é teu. É justo, porém, que festejemos, pois o teu irmão estava como morto e tornou a viver; estava perdido e foi achado’.”

Lucas 16

O negociante esperto

1-2YAOHÚSHUA contou mais o seguinte aos discípulos: “Um homem rico contratou um feitor para lhe administrar os negócios, mas logo começou a constatar que o indivíduo era esbanjador. Então o patrão chamou-o e disse-lhe: ‘Que é isto que me contam? Põe as tuas contas em ordem porque estás despedido’. 3-4O feitor pensou consigo: ‘E agora? Estou liquidado. Para cavar não tenho força e para mendigar tenho vergonha. Já sei! Já sei como arranjar muitos amigos que cuidem de mim quando eu me for embora!’ 5-6Convocou os devedores do patrão e perguntou ao primeiro: ‘Quanto lhe deves?”Três mil litros de azeite.”Aqui está o contrato que assinaste’, disse o administrador. ‘Rasga-o e escreve outro por metade disso.’ 7’E tu, quanto lhe deves?’, perguntou ao segundo.’Trinta e cinco mil litros de trigo.”Vá, toma o teu compromisso e troca-o por outro de apenas vinte e oito mil litros!’ 😯 homem rico não pôde deixar de admirar a astúcia daquele velhaco s pessoas deste mundo são mais espertas nos negócios do que os crentes. 9Eu vos digo, usem os vossos bens para ajudar outros e fazer amigos. Desta maneira, a vossa generosidade acumulará uma recompensa para vocês no céu. 10Porque, se não forem dignos de confiança nas coisas pequenas, não é nas grandes que o serão. Se não vos puderem ser confiadas coisas de pouca monta, muito menos vos confiarão coisas maiores. 11E, se não são dignos de confiança no tocante à riquezas deste mundo, quem vos confiará as verdadeiras riquezas do céu? 12E, se não são fiéis com o dinheiro dos outros, por que vos há-de ser confiado o vosso próprio? 13Pois ninguém pode servir dois patrões. Se não gostar de um há-de ser fiel ao outro. Se tiver zelo por um há-de desprezar o outro. Não se pode servir YÁOHU UL e o dinheiro.” 14-15Os Farsyím que eram avarentos, meteram tudo isto a ridículo. Então YAOHÚSHUA disse-lhes: “Vocês são os que se justificam a si mesmos diante dos outros, mas YÁOHU UL conhece o vosso coração. O que é altamente avaliado entre as pessoas é cotado de maneira inteiramente diferente por YÁOHU UL. 16Até YÁOHU-khánam Baptista começar a pregar, vigoravam as leis de Mehushúa e as mensagens dos profetas. Mas agora a Mensagem Gloriosa do reino de YÁOHU UL são anunciadas, e multidões ansiosas esforçam-se por entrar nele. 17Isto, porém, não significa que a lei tenha perdido a sua validade, nem no mais pequeno aspecto. É tão inabalável como o céu e a terra.” 18Disse ainda: “Quem se divorciar da sua mulher e se casar com outra comete adultério; e quem casar com uma mulher divorciada comete adultério também.”

O rico e Úlozor

19″Havia um certo homem rico”, disse YAOHÚSHUA, “que se vestia elegantemente e vivia todos os dias no prazer e no luxo. 20-21Um mendigo, chamado Úlozor, cheio de doenças, costumava estar deitado à sua porta; e bem desejava comer ao menos as sobras da mesa desse rico, mas só tinha cachorros que vinham lamber-lhe as feridas. 22Por fim, o mendigo faleceu, e foi levado pelos anjos para junto de Abruhám. Também o rico morreu e foi sepultado. 23Ali, em tormentos, viu Úlozor lá longe com Abruhám. 24’Pai Abruhám’, gritou, ‘tem piedade de mim! Manda Úlozor vir ter comigo nem que seja para molhar a ponta do dedo em água e refrescar-me a língua, pois estou atormentado nestas chamas!’ 25-26’Filho,’ respondeu-lhe Abruhám, ‘lembra-te de que durante a tua vida tiveste tudo quanto querias, enquanto que Úlozor nada teve. Ele está aqui a ser consolado e tu estás em tormentos. Além disso, há um grande abismo que nos separa e que ninguém pode transpor.’ 27-28’Ó pai Abruhám, manda-o a casa de meu pai,’ retorquiu o rico, ‘pois tenho cinco irmãos e é preciso avisá-los para que não venham para este lugar de sofrimentos quando morrerem’. 29Mas Abruhám declarou-lhe: ‘Têm as Qaotáv de Mehushúa e dos profetas. Ouçam os seus avisos. 30’Não, pai Abruhám. Se alguém de entre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão.’ 31’Se eles não ouvem Mehushúa e os profetas, não ouvirão nem mesmo alguém que se tenha levantado de entre os mortos.'”

Lucas 17

Pecado, fé e responsabilidade

1″Coisas que fazem o povo pecar sempre as haverá”, disse YAOHÚSHUA um dia aos discípulos, “mas oy de quem as provocar. 2Melhor lhe seria ser lançado ao mar com uma pedra de moinho ao pescoço do que incitar ao pecado almas como os pequeninos. 3Dêem atenção! Repreende o teu irmão se ele pecar, e perdoa-lhe se se arrepender. 4Mesmo que te ofenda sete vezes por dia, se cada vez voltar e te pedir perdão, perdoa-lhe sempre.” 5Então, os emisários disseram a Molkhiúl YAOHÚSHUA: “Aumenta-nos a fé”. 6″Se tivessem fé nem que fosse do tamanho de um grão de mostarda”, respondeu YAOHÚSHUA, “poderiam dizer a esta amoreira: ‘Arranque-te daí e lança-te no mar’, e ela vos obedeceria. 7-10Um criado, ao serviço de alguém, quando regressa de um serviço nos campos ou de tratar do gado, não se senta logo para comer. Prepara primeiro a refeição do patrão e serve-lhe o jantar antes de comer ele próprio. E nem por isso lhe agradecem, porque está a fazer o que se espera dele. Igualmente, se se limitarem a obedecer-me, não devem considerar-se merecedores de elogio, porque cumpriram simplesmente o vosso dever!”

A cura de dez leprosos

11-13Prosseguindo no seu caminho para Yaohúshua-oléym, chegaram aos limites da Galileia com Shuamor-YÁOHU. Quando entraram numa aldeia dali, dez leprosos pararam à distância bradando: “YAOHÚSHUA, Maoro-éh, tem pena de nós!” 14Olhando para eles, YAOHÚSHUA disse: “Vão mostrar-se ao intermediário”. Enquanto iam a caminho, constataram que a lepra desaparecera. 15-16Um deles voltou a procurar YAOHÚSHUA e lançando-se no chão diante de YAOHÚSHUA com o rosto em terra, dava em alta voz haolúlim (louvores) a YÁOHU UL e agradecia o que lhe tinha feito. Este homem era um Shomroní. 17-19Então YAOHÚSHUA perguntou: “Não eram dez os homens que curei? Onde estão os outros nove? Só este estrangeiro é que volta para dar glória a YÁOHU UL?” E disse para o homem: “Levanta-te, podes ir. A tua fé te salvou”.

A vinda do reino de YÁOHU UL

20-21Um dia, os Farsyím perguntaram a YAOHÚSHUA: “Quando irá começar o reino de YÁOHU UL?” E YAOHÚSHUA:”O reino de YÁOHU UL não é anunciado por sinais visíveis, nem se poderá dizer que começou aqui ou acolá, porque está entre vocês”. 22-24Mais tarde, tornou a falar no assunto com os discípulos: “Lá virá o tempo em que hão-de desejar que eu esteja convosco, nem que seja um só dia, mas já cá não estarei. Dir-vos-ão que voltei e que estou neste ou naquele lugar; mas não acreditem nem saiam à minha procura, porque o meu regresso ver-se-á tão claramente como o relâmpago que vai pelo shua-ólmayao. 25Todavia, antes disso deverei sofrer muito e ser rejeitado pelas pessoas deste tempo. 26-27Assim como foi nos dias de Nokh assim será no dia do regresso do ha-BOR do Homem. Naqueles dias antes do dilúvio, as pessoas comiam e bebiam, celebravam casamentos, até ao dia que Nokh entrou na arca e o dilúvio veio e as destruiu todas. 28-30E o mundo estará como estava nos tempos de Lot. As pessoas continuavam atarefadas nos seus negócios diários, comendo e bebendo, comprando e vendendo, cultivando e construindo, até vir aquela manhã em que Lot saiu de Sodoma, e em que choveu do céu fogo e enxofre, que destruiu toda a gente. Assim será, pois, até ao momento do meu regresso. 31-33Quem estiver fora de casa naquele dia não deve voltar para preparar bagagem; quem estiver nos campos não deve voltar para a cidade. Lembrem-se do que aconteceu à mulher de Lot! Quem só pensar em salvar a vida perdê-la-á, e quem estiver disposto até a perdê-la salvá-la-á. 34-36Naquela noite, de duas pessoas que estiverem a dormir no mesmo quarto, uma será levada e a outra será deixada. De duas mulheres que estiverem a trabalhar juntas, uma será levada e a outra deixada; e do mesmo modo, dois homens estarão a trabalhar no campo, um será levado e o outro fica.” 37″Molkhiúl, para onde serão eles levados?”, inquiriram os discípulos. E YAOHÚSHUA respondeu: “Onde estiver o corpo morto, aí se ajuntam os milhafres!”

Lucas 18

A ilustração da viúva persistente

1Um dia, YAOHÚSHUA contou-lhes uma história para ilustrar a necessidade de orarem constantemente, sem desfalecerem. 2-3″Havia numa cidade um juiz que não respeitava YÁOHU UL e que desprezava toda a gente. Certa viúva daquela cidade procurava-o com frequência, pedindo-lhe justiça contra alguém que a acusava. 4-5Durante algum tempo o juiz não fez caso dela, mas por fim a sua presença começou a enervá-lo. ‘Eu não respeito nem YÁOHU UL nem os homens’, disse consigo próprio, ‘mas esta mulher está a aborrecer-me. Vou tratar de lhe fazer justiça porque a sua insistência constante já me impacienta!'” 6-8E Molkhiúl YAOHÚSHUA acrescentou: “Se mesmo um juiz mau acabou por agir assim, não acham que YÁOHU UL fará certamente justiça ao seu povo, que lhe dirige as suas orações dia e noite? Com certeza pois que lhes dará resposta rápida! Mas a questão é esta: Quando eu, ha-BOR do Homem, voltar, quantas pessoas encontrarei que tenham fé?”

A parábola do Farsyí e o cobrador de impostos

9Contou então o seguinte, a propósito daqueles que se gabam de serem justos mas que desprezam os outros: 10″Dois homens foram orar ao Templo, um Farsyí e um cobrador de impostos. 11-12O Farsyí orou assim: ‘Eu te agradeço, ó YÁOHU UL, porque não sou pecador como as outras pessoas, desonestas, injustas, adúlteras. Nem sou como aquele cobrador de impostos ali! Jejuo duas vezes por semana e dou a YÁOHU UL um décimo de tudo o que ganho!” 13O cobrador de impostos mantinha-se à distância e, enquanto orava, não ousava sequer erguer os olhos para o céu; antes batia no peito, exclamando: ‘YÁOHU UL, tem piedade de mim, que sou pecador’. 14Digo-vos, quem voltou para casa perdoado foi este pecador e não o Farsyí! Porque os que se exaltam serão humilhados, mas os humildes serão honrados.”

YAOHÚSHUA e as crianças

15Um dia, levaram-lhe meninos para que os abençoasse, mas os discípulos diziam-lhes que se fossem embora. 16-17Então YAOHÚSHUA chamou as crianças para junto de si e disse aos discípulos: “Deixem as criancinhas vir a mim! Não as mandem embora! Porque o reino de YÁOHU UL pertence aos que são como estas crianças. Eu vos asseguro, alguém que não receber o reino de YÁOHU UL como uma criança, nunca entrará nele.”

A pergunta do homem rico

18Certa vez, um chefe religioso fez-lhe esta pergunta: “Tav Maoro-éh, que farei para obter a vida eterna?” 19-20″Porque me chamas Tav (Bom)?, perguntou-lhe YAOHÚSHUA. “Só YÁOHU ULHÍM é verdadeiramente Tav (Bom), e ninguém mais. Sabes o que dizem os mandamentos: Não cometerás adultério, não matarás, não roubarás, não mentirás, honrarás os teus pais.” 21″Desde criança que tenho obedecido a todas essas leis”, respondeu o homem. 22-23″Falta-te ainda uma coisa. Vende tudo o que tens e dá o dinheiro aos pobres; terás assim um tesouro no céu. Depois vem e segue-me.” Mas, ao ouvir isto, o homem retirou-se triste, porque era muito rico. 24-25YAOHÚSHUA, ao vê-lo assim, disse: “Como é difícil os ricos entrarem no reino de YÁOHU UL! É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino.” 26Os que o ouviram dizer isto exclamaram: “Então como poderá alguém salvar-se?” 27″YÁOHU UL pode fazer o que é impossível aos homens!”, respondeu-lhes. 28Káfos disse: “Nós deixámos tudo para te seguirmos.” 29-30″Sim, e todo aquele que fizer o mesmo, abandonando casa, mulher, irmãos, pais ou filhos por amor do reino de YÁOHU UL, será amplamente recompensado agora, e receberá a vida eterna no mundo futuro.” 31-33Tomando YAOHÚSHUA os doze à sua volta, disse-lhes: “Como sabem, vamos para Yaohúshua-oléym. Quando lá chegarmos, cumprir-se-á tudo o que os antigos homens de YÁOHU UL predisseram a meu respeito. Serei entregue aos pagãos, os quais zombarão de mim, me tratarão vergonhosamente, cuspir-me-ão. Hão-de açoitar-me e matar-me-ão. Ao terceiro dia ressuscitarei”. 34Eles, porém, não compreenderam o que YAOHÚSHUA disse. O significado daquelas palavras estava escondido, de maneira que eles não conseguiram apanhar o sentido da conversa.

O mendigo cego é curado

35-38Ao aproximarem-se de Yáricho, encontraram um cego sentado junto à estrada, que pedia esmola e que, ouvindo o rumor da multidão, perguntou o que era aquilo. Ao responderem-lhe que era YAOHÚSHUA Nudtzorothíy que passava, começou a gritar: “YAOHÚSHUA, ha-BOR de Dáoud, tem misericórdia de mim!” 39A multidão que caminhava à frente de YAOHÚSHUA procurava fazer calar o homem, mas ele gritava cada vez mais alto: “Ha-BOR de Dáoud, tem misericórdia de mim!” 40YAOHÚSHUA parou e pediu que lhe trouxessem o cego. Então perguntou-lhe: 41″Que queres que eu te faça?”” Molkhiúl, quero ver!”, respondeu-lhe. 42-43″Vê. A tua fé te curou.” Imediatamente recuperou a vista e seguiu YAOHÚSHUA, louvande YÁOHU UL. E o mesmo faziam também todos quantos assistiram a este milagre.

Lucas 19

Zaokháy, o cobrador de impostos

1-2Quando YAOHÚSHUA ia a atravessar Yáricho, um homem muito rico, chamado Zaokháy, que era um chefe dos que cobravam impostos, procurou ver YAOHÚSHUA. 3-4Mas como era de estatura baixa e não conseguia espreitar por cima da multidão, correu à frente e trepou a uma árvore junto à estrada para ver dali. 5Quando YAOHÚSHUA ia a passar, olhou para cima e, vendo Zaokháy, chamou-o pelo nome: “Zaokháy, desce depressa porque convém-me visitar-te hoje.” 6Ele saltou para o chão e, satisfeito, trouxe YAOHÚSHUA a sua casa. 7Mas a multidão ficou descontente. “Afinal, vai ser hóspede de um conhecido pecador”, murmuravam. 8Entretanto, Zaokháy levantou-se e disse-lhe: ” Molkhiúl, darei metade da minha fortuna aos pobres. E se tenho cobrado a mais nos impostos, restituirei quatro vezes esse valor!” 9-10YAOHÚSHUA disse: “A salvação entrou hoje neste lar. Este homem é filho de Abruhám, e foi pessoas assim que eu, ha-BOR do Homem, vim buscar e salvar.”

A parábola das dez moedas

11A multidão ouvia tudo que YAOHÚSHUA lhes disse. Como se aproximava já de Yaohúshua-oléym, YAOHÚSHUA contou uma parábola para desfazer a ideia de que o reino de YÁOHU UL ia começar imediatamente. 12-14″Um nobre que vivia em certo reino foi chamado à capital distante do império para ser coroado rei. Antes de partir, chamou dez colaboradores e deu a cada um uma quantia de dinheiro para investirem e porem a render, enquanto estivesse ausente. Porém, alguns dos seus compatriotas odiavam-no e, passado tempos, mandaram-lhe uma declaração de independência, dizendo que se tinham revoltado e que já não o aceitavam como rei. 15-16Ao regressar, o rei tornou a chamar os homens a quem dera o dinheiro para saber o que tinham feito com ele e que lucros haviam colhido. O primeiro homem apareceu com um bom lucro, dez vezes a quantia que lhe fora dada. 17’Óptimo!’ exclamou, ‘fizeste bem. Foste fiel com o pouco que te confiei, e em recompensa serás governador de dez cidades.’ 18O homem seguinte também tinha tido bons lucros, cinco vezes a quantia que lhe fora confiada. 19’Muito bem! Serás governador de cinco cidades!’, disse o rei. 20-21Mas o terceiro trouxe apenas o dinheiro que lhe fora entregue: ‘Guardei-o porque tive medo, pois és rigoroso nos negócios, ficando com o que não é teu e confiscando, até, o que os outros plantam!’ 22-23’Preguiçoso! Se sou rigoroso, também o serei contigo! Se pensas que sou exigente, porque não depositaste o dinheiro no banco para que ao menos recebesse juros?’ 24Voltando-se para os outros que ali estavam, ordenou: ‘Tirem-lhe o dinheiro e dêem-no ao homem que mais ganhou.’ 25’Mas, Molkhiúl, ele já tem bastante!’ 26-27’Sim, mas é que quem tem, mais terá, e que quem pouco tem até isso há-de perder. E quanto a esses meus inimigos que se revoltaram, tragam-nos e matem-nos na minha presença.'”

Entrada de YAOHÚSHUA em Yaohúshua-oléym

28-31Depois disto, YAOHÚSHUA prosseguiu para Yaohúshua-oléym, caminhando à frente dos discípulos. Ao aproximarem-se das vilas de Beth-Páge e Bóhay-Anyáo, no Monte das Oliveiras, mandou dois discípulos irem adiante com instruções para se dirigirem à aldeia, e procurarem um jumento amarrado junto à estrada. Seria um jumento novo, ainda não habituado a ser montado: “Desatem-no e tragam-no cá. Se alguém vos perguntar o que estão a fazer, digam apenas: ‘YÁOHU UL precisa dele'”. 32-33Encontraram o jumento, como YAOHÚSHUA tinha dito. De facto, enquanto o desatavam, os donos pediram uma explicação: “Por que desatam o jumento?” 34-35Os discípulos responderam simplesmente: ” YÁOHU UL precisa dele”. Assim, levaram o jumento a YAOHÚSHUA e puseram-lhe no lombo algumas vestes para que YAOHÚSHUA se sentasse. 36-37A multidão começou a estender as túnicas ao longo da estrada à sua frente. Ao chegarem ao local onde esta descia desde o Monte das Oliveiras, todo o cortejo começou a gritar e a cantar enquanto marchava, louvande YÁOHU UL por todos os milagres praticados por YAOHÚSHUA. 38″Bendito seja o Rei que vem em Shúam (Nome) de YÁOHU UL!”, exclamavam. “Paz no céu! Glória a YÁOHU UL em todo o universo!” 39Mas alguns dos Farsyím que seguiam entre a multidão disseram: “Maoro-éh, avisa os teus seguidores que não digam essas coisas!” 40YAOHÚSHUA respondeu: “Se eles se calassem, até as pedras ao longo da estrada começariam a aclamar-me!” 41-44Já mais perto de Yaohúshua-oléym, quando viu a cidade à sua frente, YAOHÚSHUA começou a chorar e disse: “Se tu compreendesses, ao menos neste dia, o que poderia trazer-te a paz! Mas agora não consegues entender. Os teus inimigos farão um plano para te conquistar, cercando-te e atacando-te; serás esmagada até ao chão juntamente com os teus filhos dentro de ti. Os teus inimigos não deixarão pedra sobre pedra, pois rejeitaste a oportunidade que YÁOHU UL te ofereceu”.

YAOHÚSHUA no Templo

45-46Depois, entrando no Templo, YAOHÚSHUA começou a pôr fora os mercadores dos postos de venda, dizendo-lhes: “As Qaotáv afirmam: ‘O meu Templo é um lugar de oração’, mas vocês transformaram-no num abrigo de ladrões.” 47-48A partir dali, ensinava diariamente no Templo, mas já os principais intermediários, os profesores da lei e os dirigentes entre o povo procuravam arranjar meio de o matar. E não achavam forma de o fazer, pois YAOHÚSHUA atraía muito povo, que bebia as suas palavras.

Lucas 20

A autoridade de YAOHÚSHUA em questão

1-2Nun daqueles dias em que YAOHÚSHUA estava a ensinar e a pregar a Mensagem Gloriosa no Templo, foi interrogado pelos principais intermediários, os profesores da lei e outros dirigentes entre o povo, que lhe exigiam que dissesse com que autoridade havia expulsado os mercadores. 3-4YAOHÚSHUA disse: “Antes de responder, faço-vos uma pergunta. YÁOHU-khánam foi enviado por YÁOHU UL, ou o que fazia era apenas por autoridade própria?” 5-7Eles discutiram o caso entre si. “Se dissermos que a sua mensagem era do céu, caímos numa armadilha porque nos há-de perguntar: Então porque não acreditaram nele? Mas, se dissermos que YÁOHU-khánam não foi enviado por YÁOHU UL, o povo ataca-nos porque está convencido de que ele era um profeta de YÁOHU UL”. Por fim, responderam: “Não sabemos”. 8YAOHÚSHUA disse: “Então também não respondo à vossa pergunta”.

A parábola dos rendeiros

9-12Voltando-se outra vez para o povo, YAOHÚSHUA contou esta parábola: “Um homem plantou uma vinha e arrendou-a, retirando-se por muito tempo. Quando chegou a altura da vindima, enviou um dos seus homens à vinha para receber a sua parte. Os rendeiros, porém, espancaram-no e mandaram-no embora de mãos vazias. Então mandou outro, mas aconteceu o mesmo; espancado e insultado, viu-se expulso sem nada receber. Enviou ainda um terceiro homem, e a mesma coisa sucedeu. Também ele foi ferido e escorraçado. 13’Que farei agora?’, perguntou o dono para consigo. ‘Já sei! Vou mandar o meu filho, que muito amo; certamente que hão-de respeitá-lo.’ 14Mas quando os rendeiros viram o filho, disseram: Agora é que chegou a nossa oportunidade! Este é que vai herdar toda a propriedade quando o pai morrer. Vamos matá-lo para que seja nossa.’ 15Arrastaram-no para fora da vinha e mataram-no ue acham que o dono irá fazer?”, perguntou YAOHÚSHUA. 16″Digo-vos que virá e os matará, arrendando a vinha a outros.””Mas esses homens nunca fariam uma coisas dessas”, protestaram os ouvintes. 17-18YAOHÚSHUA olhou-os e respondeu: “Então que quererão dizer as Qaotáv ao afirmarem:

‘A pedra rejeitada pelos construtores veio a ser utilizada como a principal na construção’?

Quem tropeçar nessa pedra será destruído, e aqueles sobre quem ela cair serão esmagados e feitos em pó”. 19Quando os principais intermediários e os profesores da lei ouviram essa história, pretenderam que fosse imediatamente preso, por perceberem que era deles que YAOHÚSHUA falava. No entanto, tinham medo que se produzisse qualquer tumulto.

O pagamento de impostos

20-22Assim, mantinham-no sob vigilância, e acharam preferível levá-lo a dizer qualquer coisa que servisse para fazer queixa ao governador romano e desse motivo para o prender. Enviaram pois delegados que se fingiam justos: “Maoro-éh, sabemos que ensinas com honestidade e que dizes sempre a verdade sem temer o que os outros pensam; antes ensinas os caminhos de YÁOHU UL. Ora explica-nos: estará certo ou não pagarmos impostos ao governo romano?” 23-24Vendo a sua astúcia, disse: “Mostrem-me uma moeda. De quem é esta figura aqui? E a quem se refere a inscrição que está por baixo?””De César”, responderam. 25-26YAOHÚSHUA disse-lhes: “Sendo assim dêem ao imperador tudo o que lhe pertence, e a YÁOHU UL tudo o que de YÁOHU UL é!” Falhou assim aquela tentativa de o fazer tropeçar diante do povo. Maravilhados com a sua resposta, conservaram-se silenciosos.

A ressurreição e o casamento

27-28Então alguns Tzadiqím, um grupo de YAOHÚ-dim que afirmavam não haver ressurreição, foram ter com YAOHÚSHUA e disseram-lhe: “Segundo as leis de Mehushúa, se um homem morrer sem deixar filhos, o seu irmão deverá casar com a viúva e o primeiro filho de ambos pertencerá legalmente ao falecido para lhe conservar o nome. 29Ora, havia uma família de sete irmãos. O mais velho casou-se, morrendo depois sem deixar filhos. 30O irmão dele casou com a viúva, mas também ele morreu. Continuava a não haver descendência. 31E assim por diante, um após outro, até que cada um dos sete tinha casado com ela e morrido, sem deixar filhos. 32Por fim, morreu também a mulher. 33Perguntamos, pois: De quem será ela mulher na ressurreição se todos casaram com ela?” 34-36YAOHÚSHUA respondeu: “O casamento é para as pessoas enquanto estão aqui na terra, mas quando os que forem considerados dignos de ressuscitarem de entre os mortos forem para o céu, não se casarão e não tornarão a morrer. São como os anjos, e também são filhos de YÁOHU UL, por terem renascido de entre os mortos para uma nova vida. 37-38Mas, quanto à vossa verdadeira pergunta, se se torna a viver ou não, até os escritos do próprio Mehushúa provam que sim, porque quande YÁOHU UL lhe apareceu na sarça ardente, refere-se a si próprio como sendo ‘YÁOHU UL de Abruhám, YÁOHU UL de YÁOHUtz-kaq e YÁOHU UL de YÁOHU-caf’. Dizer que YÁOHU UL é Criador Eterno de alguém significa que essa pessoa está viva e não morta! Assim, aos olhos de YÁOHU UL, eles estão vivos.” 39-40″Bem respondido!”, comentaram alguns dos especialistas na lei de Mehushúa que se encontravam ali. E isto pôs fim às suas tentativas, porque não ousavam perguntar mais nada.

De quem é YAOHÚSHUA Ha-BOR (Filho)?

41-44Depois foi YAOHÚSHUA quem lhes fez uma pergunta. “Porque será que se diz que MEHUSHKHÁY é descendente do rei Dáoud? Pois o próprio Dáoud escreveu no livro dos Tehillím:

YÁOHU UL disse ao meu Ódmorul: Senta-te à minha mão direita”até que ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

Como pode hol-MEHUSHKHÁY (o Messías) ser ao mesmo tempo ha-BOR de Dáoud e Ódmorul de Dáoud?” 45-47Então com a multidão a escutar, voltou-se para os discípulos e disse: “Cuidado com estes profesores da lei religiosa, pois dão tudo por poderem pavonear-se em trajos muito dignos e receber as homenagens do povo quando passam nas praças. E procuram os lugares de honra nas sinagoga e nas celebrações religiosas! Mas, enquanto fazem longas orações, estão já a pensar na forma de enganar as viúvas para lhes tirar os bens. Por isso, YÁOHU UL reserva para estes homens o seu mais severo castigo.”

Lucas 21

A oferta da viúva

1-2Enquanto estava no Templo, observava os ricos a porem as ofertas na caixa das esmolas. Em certo momento, apareceu uma viúva pobre que deitou nela duas pequenas moedas. 3″Na verdade”, comentou ele, “esta pobre viúva deu mais do que todos eles, 4porque eles deram um pouco daquilo de que não precisavam, mas esta mulher, pobre como é, deu tudo o que tinha.”

Sinais do fim do tempo

5-6Alguns dos discípulos começaram a falar-lhe acerca da bela construção que era o Templo e das dádivas comemorativas que ornamentavam os seus muros. YAOHÚSHUA, porém, disse: “Virá tempo em que todas estas coisas que admiraram serão derrubadas, não ficando pedra sobre pedra”. 7″Maoro-éh! Quando será? Haverá algum sinal que o anuncie?” 8-11YAOHÚSHUA respondeu: “Que ninguém vos engane. Porque virão muitos apresentando-se em meu Shúam (Nome) como sendo hol-MEHUSHKHÁY (o Messías) e dizendo: ‘Chegou a hora’. Mas não lhes dêem crédito! E quando ouvirem falar em guerras e insurreições, que o pânico não se apodere de vocês. De facto, hão-de vir guerras, mas o fim não chegará imediatamente. Porque levantar-se-á nação contra nação, e povo contra povo, e haverá grandes terramotos, e fomes em muitos países, e epidemias, e acontecerão coisas terríveis em shua-ólmayao. 12-13Mas, antes disto tudo, haverá um período de grande perseguição, e serão arrastados para as sinagogas e prisões, e à presença de reis e governantes, por causa do meu Shúam (Nome). Isto vos acontecerá para que dêem testemunho de mim. 14-15Portanto, não se preocupem como devem responder às acusações, porque vos darei as palavras certas e razões a que nenhum dos vossos inimigos poderá replicar. 16-19Mesmo os que vos são mais próximos, os vossos pais, irmãos, parentes e amigos, farão com que sejam presos, e alguns de vocês serão mortos. E todos vos odiarão por serem meus e por se chamarem pelo meu Shúam (Nome). Mas nem um único cabelo da vossa cabeça cairá. Se permanecerem firmes, vocês salvarão as vossas almas. 20-22Mas, quando virem Yaohúshua-oléym cercada por exércitos, saberão que chegou o tempo da sua destruição. Que todo o povo da YAOHÚ-dah fuja então para os montes. Quem estiver em Yaohúshua-oléym que trate de fugir, e quem estiver fora da cidade que não tente voltar. Porque aqueles serão os dias de juízo de YÁOHU UL, em que as Qaotáv serão totalmente cumpridas. 23-24Oy das grávidas naqueles dias, e das que tiverem filhos pequenos! Porque haverá grande angústia nesta nação e cólera sobre este povo. Serão brutalmente mortos ou enviados como exilados e cativos para todas as nações do mundo, e Yaohúshua-oléym será conquistada e pisada pelos Gentíles, até que a época do triunfo destes termine. 25-28Haverá então estranhos acontecimentos em shua-ólmayao e avisos no sol, lua e ‘cocavím’ (est-elas); e aqui na terra as nações andarão perturbadas e perplexas com o rugir dos mares e com estranhas marés. A coragem de muitos ficará enfraquecida ao verem o destino terrível que se aproxima da terra, porque a própria estabilidade dos shua-ólmayao será abalada. E então os povos da terra verão ha-BOR do Homem chegar numa nuvem com poder e grande glória. Assim, quando todas estas coisas começarem a acontecer, ergam o olhar e levantem a cabeça! Porque a vossa salvação está próxima.” 29-32E deu-lhes este exemplo: “Reparem nas figueiras, ou em quaisquer outras árvores. Quando rebentam as folhas, não é preciso que vos digam que o Verão está perto. Igualmente, quando virem cumprir-se os acontecimentos de que vos falei, podem ter igual certeza de que o reino de YÁOHU UL está próximo. Afirmo-vos solenemente que esta geração não passará sem que todas estas coisas aconteçam. 33Os shua-ólmayao e a terra virão a desaparecer, mas as minhas palavras permanecerão verdadeiras para sempre. 34-35Vigiem! Para que a minha vinda súbita não vos apanhe desprevenidos; que eu não vos encontre vivendo descuidados, obcecados com o comer e viver bem, ocupados com os problemas desta vida, como todo o resto do mundo. 36Mantenham uma vigilância constante e orem para que, se possível, cheguem à minha presença sem ter de passar por estes horrores.” 37-38Todos os dias YAOHÚSHUA ia ao Templo ensinar, e as multidões começavam a juntar-se logo pela manhã para ouvir. E ao fim do dia voltava ao Monte das Oliveiras para aí passar a noite.

Lucas 22

Yudas trai YAOHÚSHUA

1-2Aproximava-se já a celebração da Pósqayao, a celebração YAOHÚ-di em que só se comia pão feito sem fermento. Os principais dos intermediários e profesores da lei tramavam activamente o assassínio de YAOHÚSHUA, pensando na maneira de o matar sem provocar tumulto, perigo que muito receavam. 3-6Então ha-satán entrou em Yudas Ish-Kerióth, um dos doze discípulos, o qual foi ter com os principais dos intermediários e com os capitães da guarda do Templo a fim de combinar a melhor maneira de entregar YAOHÚSHUA nas suas mãos. Eles ficaram muito satisfeitos ao saberem que Yudas estava pronto a auxiliá-los e prometeram-lhe uma recompensa. Assim, começou a aguardar qualquer oportunidade de lhes entregar YAOHÚSHUA sem dar nas vistas.

A última ceia

7-8Ao chegar o dia da celebração, no qual se matava o cordeiro da Pósqayao, que depois se comia com pão sem fermento, YAOHÚSHUA enviou Káfos e YÁOHU-khánam à frente para que arranjassem onde preparar a sua refeição da Pósqayao. 9″Onde queres que vamos?”, perguntaram. 10-11″Logo que entrarem em Yaohúshua-oléym encontrarão um homem transportando um cântaro de água. Sigam-no até à casa onde entrar e digam ao homem que ali vive: ‘O nosso Maoro-éh pede-te que nos mostres a sala onde irá comer a refeição da Pósqayao com os seus discípulos.’ 12Ele vos levará a uma grande sala mobilada. Preparem aí a refeição.” 13Foram, então, até à cidade e tudo se passou como YAOHÚSHUA dissera; ali prepararam a ceia da Pósqayao. 14Então chegou YAOHÚSHUA com os discípulos, e na altura devida todos se sentaram à mesa. YAOHÚSHUA disse: 15-16″Desejei muito comer esta Pósqayao convosco antes de começar o meu sofrimento. Porque agora vos digo que não comerei outra vez assim em vossa companhia senão quando o que esta refeição representa se realizar no reino de YÁOHU UL.” 17-18Pegou então num copo de vinho e, depois de ter dado graças, disse: “Tomem e repartam entre si, porque só tornarei a beber vinho quando tiver chegado o reino de YÁOHU UL”. 19Depois pegou no pão e, dando igualmente graças a YÁOHU UL por ele, partiu-o e deu-o aos discípulos: “Este é o meu corpo, que é dado em vosso favor. Façam isto em memória de mim.” 20Depois da ceia serviu-lhes de novo um copo de vinho, dizendo: “Este vinho é o sinal da Novo Testamento, assinado com o meu ‘DAM’ (sangue), que é derramado em sacrifício por vocês. 21Mas aqui sentado comigo a esta mesa está também o homem que me vai trair. 22O ha-BOR do Homem tem de morrer porque isso faz parte do plano de YÁOHU UL. Mas oy daquele que me trairá!” 23Os discípulos puseram-se a perguntar entre si quem, de entre eles, seria capaz de fazer semelhante coisa! 24Depois começaram também a discutir qual deles teria posição mais destacada. 25YAOHÚSHUA disse-lhes: “Neste mundo, os que têm o poder dominam seus súbditos, e são considerados figuras de relevo ao serviço da sociedade! 26Mas, no vosso meio, quem governa será como quem serve. 27O chefe senta-se à mesa e é servido pelos criados. Mas aqui, não! Porque eu sou quem vos serve. 28-30Porque me têm sido fiéis nestes tempos de aflição, e como o meu YÁOHU ABí me deu o reino, eu vos concedo o direito de comer e beber à minha mesa nesse reino. E sentar-se-ão em tronos próprios, para julgar as doze tribos de Yaoshorúl. 31-32Shamiúl, Shamiúl, ha-satán pediu para vos peneirar a todos vocês como o trigo. Mas eu intercedi por ti para que a tua fé não enfraqueça. Assim, quando te tiveres voltado para mim, fortalece os teus irmãos.” 33Shamiúl disse: ” Molkhiúl, estou pronto até a ir para a prisão e a morrer contigo”. 34Mas YAOHÚSHUA observou-lhe: “Káfos, deixa-me dizer-te uma coisa: até o galo cantar, esta madrugada, três vezes dirás que não me conheces”. 35Então YAOHÚSHUA perguntou-lhes: “Quando vos enviei a pregar a Mensagem Gloriosa e não tinham dinheiro, nem bagagem, nem vestuário de muda, como é que se governaram?””Foi bem. Nada nos faltou.” 36-37″Mas agora”, YAOHÚSHUA disse, “se tiverem um saco, ou bolsa com dinheiro, levam. E, se não possuem uma espada, vendam a roupa e comprem-na. Porque chegou a altura de se cumprir isto que está escrito a meu respeito: ‘Ele será condenado como criminoso!’ Sim, o que se escreveu de mim se cumprirá.” 38″Maoro-éh, temos aqui duas espadas!””Basta!” retorquiu YAOHÚSHUA.

YAOHÚSHUA ora no Monte das Oliveiras

39-40Então, acompanhado dos discípulos, deixou aquela sala e foi, como de costume, para o Monte das Oliveiras. Ali disse-lhes: “Orem para que a tentação não vos domine”. 41-42Afastou-se à distância de cerca de uma pedrada e, ajoelhando-se, orou assim: ” YÁOHU ABí, se quiseres, peço-te que leves de mim esta taça de sofrimento. Mas que se cumpra a tua vontade e não a minha.” 43-44Então apareceu um anjo vindo do céu e que o confortava, porque estava em tal agonia de espírito que o seu suor era de sangue, caindo em gotas no chão, enquanto orava com fervor cada vez maior. 45Por fim, tornou a levantar-se e voltou para junto dos discípulos, encontrando-os a dormir, exaustos de tristeza. 46″Então estão a dormir?”, exclamou. “Levantem-se! Orem a YÁOHU UL para não caírem quando forem tentados.”

YAOHÚSHUA é detido

47-48No próprio momento em que dizia isto, acercou-se uma multidão conduzida por Yudas, um dos doze, o qual foi direito a YAOHÚSHUA para o beijar, numa saudação amistosa. YAOHÚSHUA disse: “Yudas, com um beijo traias ha-BOR do Homem?” 49-50Quando os outros discípulos viram o que ia acontecer, exclamaram: “Maoro-éh, queres que lutemos? Temos as espadas!” E um deles chegou a desferir um golpe contra um criado do supremo intermediário, cortando-lhe a orelha direita. 51Mas YAOHÚSHUA respondeu: “Não resistam”. E, tocando no sítio da orelha do homem, restituiu-lha. 52Então, dirigindo-se aos principais dos intermediários, aos capitães da guarda do Templo e aos anciãos do povo que conduziam a multidão, YAOHÚSHUA perguntou: “Sou algum criminoso para virem assim prender-me, armados de espadas e paus? 53Porque não me prenderam no Templo, onde eu estava todos os dias? Mas este momento é vosso; é a hora em que domina o poder das trevas.”

Káfos nega YAOHÚSHUA

54-55Agarraram-no e levaram-no à residência do supremo intermediário. Káfos seguia-o à distância. Acenderam uma fogueira no pátio e as pessoas sentaram-se em volta para se aquecerem. Káfos juntou-se a eles. 56Reparando na sua presença, uma criada pôs-se a olhá-lo e disse: “Esse estava com YAOHÚSHUA!” 57Káfos negou: “Mulher, nem sequer o conheço!” 58Dali a pouco, mais alguém olhou para ele e exclamou: “Também tu deves ser um dos tais!””Não chefe, não sou”, respondeu Káfos. 59Decorrida cerca de uma hora, ainda outra pessoa afirmou abertamente: “Sei que este é um dos discípulos de YAOHÚSHUA, até porque ambos são da Galileia”. 60Mas Káfos disse: “Homem, não sei o que estás aí a dizer”. E, enquanto pronunciava estas palavras, cantou um galo. 61-62Naquele momento, YAOHÚSHUA voltou-se e olhou para Káfos. Então este lembrou-se do que ele dissera: “Antes que o galo cante negar-me-ás três vezes”. E, saindo do pátio, chorou amargamente.

YAOHÚSHUA no tribunal Sanhedrín

63-65Os guardas que estavam a tomar conta de YAOHÚSHUA começaram a fazer pouco dele, tapando-lhe os olhos, batiam-lhe e davam-lhe socos, perguntando-lhe: “Diz lá quem te bateu agora, se és profeta?” E insultavam-no de muitas outras maneiras. 66-68Ao romper do dia, reuniu-se o supremo tribunal Sanhedrín, em que tinham assento os principais dos intermediários e as autoridades religiosas. YAOHÚSHUA foi conduzido perante esta assembleia e intimado a responder. “Diz lá, tu és ha-MEHUSHKHÁY?” Ele respondeu: “Se vo-lo disser, não acreditarão em mim nem me deixarão defender-me. 69Mas em breve virá o tempo em que ha-BOR do Homem será posto num trono à direita de YÁOHU UL todo-poderoso.” 70Logo todos gritaram: “Afirmas, então, que és ha-BOR de YÁOHU UL?”E YAOHÚSHUA respondeu: “Estão certos em dizer que sou.” 71″Que necessidade temos nós de outras testemunhas?”, exclamaram. “Nós próprios ouvimos o que ele disse.”

Lucas 23

1-2Então levaram YAOHÚSHUA à presença de Pilatos, o governador, e começaram a acusá-lo: “Este homem tem manipulado o povo dizendo-lhe que não pague impostos a César e afirmando que é hol-MEHUSHKHÁY, o rei”. 3Pilatos perguntou-lhe: “És o rei dos YAOHÚ-dim?””Sim, é como dizes.” 4Pilatos voltou-se para os principais dos intermediários e para a multidão e disse: “Mas isto não constitiui um crime!” 5E insistiram: “É que ele anda também a provocar tumultos contra o governo, para onde quer que vá, por toda a YAOHÚ-dah, desde a Galileia até Yaohúshua-oléym”. 6-7″Então ele é galileu?”, perguntou Pilatos ouvindo falar na Galileia. Quando lhe disseram que sim, Pilatos mandou-o a Herod, porque a Galileia achava-se sob a jurisdição deste; além de que Herod se encontrava em Yaohúshua-oléym naquela altura. 8-10Herod ficou muito satisfeito com esta oportunidade de ver YAOHÚSHUA, porque ouvira falar muito nele e esperava vê-lo realizar qualquer milagre. Todavia, embora fizesse a YAOHÚSHUA perguntas sobre perguntas, não obteve resposta. Entretanto, os principais intermediários e os profesores da lei não arredavam pé, continuando a gritar acusações. 11-12Herod e os seus soldados começaram também a troçar de YAOHÚSHUA e, vestindo-lhe um trajo a fingir de rei, devolveram-no a Pilatos. Naquele dia, Herod e Pilatos, que antes não se davam, tornaram-se bons amigos. 13-16Então Pilatos reuniu os principais intermediários e outros chefes, juntamente com o povo, e anunciou a sua sentença: “Vocês trouxeram-me este homem acusando-o de chefiar uma revolta contra o governo romano. Examinei-o demoradamente sobre este ponto e verifico que está inocente. Também Herod chegou à mesma conclusão e mandou-o de novo para mim, pois nada do que fez exige a pena de morte. Portanto, vou mandá-lo castigar e soltá-lo.” 17-21Nesse momento, ouviu-se um clamor da multidão, que a uma só voz gritou: “Mata-o e solta-nos Barrabás!” Barrabás encontrava-se preso, acusado de provocar uma revolta em Yaohúshua-oléym, e também por homicídio. Pilatos ainda discutiu com eles, pois queria soltar YAOHÚSHUA, mas eles gritavam: “Impala-o! Impala-o!” 22-25De novo, pela terceira vez, Pilatos perguntou: “Mas porquê? Que crime cometeu? Não encontrei qualquer motivo para o condenar à morte! Portanto, vou açoitá-lo e pô-lo em liberdade.” Mas eles gritavam sempre mais alto, reclamando a execução e YAOHÚSHUA, e a sua vontade prevaleceu. Por fim, Pilatos condenou YAOHÚSHUA à morte, tal com lho exigiam. A pedido deles soltou Barrabás, o homem que estava preso, acusado de insurreição e homicídio. Mas entregou YAOHÚSHUA à multidão para que fizesse dele o que lhe apetecesse.

A impalarão

26-27Quando eles levavam YAOHÚSHUA para ser morto, Shamiúl, um cireneu que acabava de entrar em Yaohúshua-oléym vindo do campo, foi forçado a acompanhá-los, transportando a poste de YAOHÚSHUA. Atrás seguia um grande cortejo, incluindo muitas mulheres vergadas pelo desgosto. 28Mas YAOHÚSHUA voltou-se e disse-lhes: 29-31″Filhas de Yaohúshua-oléym, não chorem por mim mas por vocês e pelos vossos filhos. Porque vem aí o dia em que as mulheres sem filhos serão consideradas felizes. As pessoas implorarão às montanhas que caiam sobre eles e os esmaguem, e aos montes que os enterrem. Porque se a mim, a árvore viva, me tratam assim, que não farão a vocês?” 32-33E dois criminosos foram levados para serem executados no mesmo local, chamado Gólgotha. Aí foram impalados os três, YAOHÚSHUA ao centro, e os dois criminosos um de cada lado. 34″ YÁOHU ABí, perdoa-lhes”, disse YAOHÚSHUA, “porque não sabem o que fazem.” Entretanto, os soldados tiravam à sorte para verem quem ficaria com as várias peças do seu vestuário. 35A multidão assistia à cena e os chefes YAOHÚ-dim riam-se e faziam troça. “Ajudava tanto os outros”, diziam, “vamos a ver se se salva a si mesmo, se é realmente hol-MEHUSHKHÁY, o escolhido de YÁOHU UL”. 36-38Também os soldados troçavam dele. E deram-lhe vinagre a beber, gritando-lhe: “Se és o rei dos YAOHÚ-dim, salva-te a ti próprio!” Por cima dela estava esta inscrição: ESTE É O REI DOS YAOHÚ-DIM. 39Um dos criminosos pendurados ao seu lado também zombava: “Se és ha-MEHUSHKHÁY salva-te a ti mesmo, e também a nós!” 40-42Mas o outro criminoso repreendeu-o: “Não tens temor de YÁOHU UL, nem mesmo sofrendo a mesma condenação? Nós merecemos a morte pelos maus actos que cometemos, mas este homem nada fez de mal.” E acrescentou: “YAOHÚSHUA, lembra-te de mim quando entrares no teu reino”. 43E YAOHÚSHUA respondeu: “Garanto-te que hoje estarás comigo no paraíso”.

A morte de YAOHÚSHUA

44-46Era agora meio-dia, e as trevas abateram-se sobre toda a terra durante três horas, até à três da tarde. A luz do sol desapareceu, e o véu pendurado no Templo rasgou-se em dois. YAOHÚSHUA disse com voz forte: ” YÁOHU ABí, entrego-te o meu espírito”. E com estas palavras morreu. 47-49Quando o oficial romano viu o que sucedera, deu louvor a YÁOHU UL e disse: “Não há dúvida de que este homem estava inocente”. A multidão que tinha vindo para assistir à impalarão, depois de YAOHÚSHUA ter morrido, voltou para casa profundamente triste. Entretanto, os amigos de YAOHÚSHUA, incluindo as mulheres que o tinham seguido desde a Galileia, encontravam-se à distância a observar a cena.

O corpo de YAOHÚSHUA no túmulo

50-52Um homem chamado YÁOHU-saf, membro do Sanhedrín e vindo da cidade de Arimateia, na YAOHÚ-dah, foi ter com Pilatos e pediu-lhe o corpo de YAOHÚSHUA. Era um homem bom e recto que esperava a vinda do reino de YÁOHU UL e que não concordara com as decisões e medidas dos outros chefes YAOHÚ-dim. 53-54Assim desceu o corpo de YAOHÚSHUA e envolveu-o num lençol, colocando-o num túmulo ainda por estrear, escavado numa parede de rocha. Isto aconteceu ao fim de uma tarde de sexta-feira, dia de preparação para o Shábbos. 55-56Enquanto o corpo era levado, as mulheres da Galileia acompanharam-no e viram-no ser transportado para dentro do túmulo. Depois, voltando para casa, prepararam os produtos e perfumes necessários para o ungirem, mas quando terminaram era já Shábbos, pelo que descansaram todo aquele dia, com o exigia a lei de Mehushúa.

Lucas 24

A ressurreição

1-2Mas, na madrugada de domingo, ao levarem os produtos para o túmulo verificaram que a enorme pedra que tapava a entrada tinha sido removida. 3Entraram, mas o corpo do Molkhiúl YAOHÚSHUA tinha desaparecido! 4Ficaram perplexas. De súbito apareceram dois homens vestidos de roupas reluzentes. 5As mulheres ficaram cheias de medo, com os olhos postos no chão. E aqueles homens perguntaram: “Porque procuram no túmulo quem afinal está vivo? 6-7Ele não está aqui, ressuscitou! Não se lembram do que ele vos disse na Galileia, que ha-BOR do Homem seria traído, entregue a gente má e impalado, e que tornaria a viver ao terceiro dia?” 8-12Então elas lembraram-se, e voltaram a correr para Yaohúshua-oléym, para contar aos onze emisários, e aos outros, o que tinha acontecido. As mulheres que foram ao túmulo eram Maoro-ém Magdalena, Yaohanna, Maoro-ém, mãe de YÁOHU-caf, e várias outras. Tudo aquilo, porém, parecia às pessoas uma história sem sentido, e não acreditaram nela. Mesmo assim, Káfos foi a correr até ao túmulo para averiguar o que se passava. Curvando-se, espreitou e, ao ver o lençol abandonado, voltou para casa, perguntando a si próprio que teria sucedido.

No caminho de Emmaús

13-16Naquele mesmo dia dois dos seguidores de YAOHÚSHUA iam a caminho da aldeia de Emmaús, uns onze quilómetros de distância de Yaohúshua-oléym. E comentavam entre si tudo o que acontecera. De repente YAOHÚSHUA apareceu e juntou-se a eles, caminhando ao seu lado. Mas eles não sabiam que era YAOHÚSHUA porque YÁOHU UL impediu-os de o reconhecerem. 17″O que é que vão aí a discutir?”, perguntou. “O que é que vos preocupa assim?” 18Um deles, Cleopas, respondeu: “Deves ser a única pessoa em toda a cidade de Yaohúshua-oléym que não soube das terríveis coisas que ali sucederam nestes últimos dias”. 19″Que coisas?”, perguntou YAOHÚSHUA.”O que aconteceu a YAOHÚSHUA Nudtzorothíy (do Nudtzoróth – Nazareth). Era um Profeta de YÁOHU UL que fez milagres poderosos e, além disso, era um grande ensinador, altamente considerado tanto por YÁOHU UL como pelos homens. 20-21Mas os principais dos intermediários e os nossos chefes prenderam-no e entregaram-no ao governador romano para ser condenado à morte, e impalaram-no. E nós pensávamos que ele era hol-MEHUSHKHÁY (o Messías) que vinha para libertar Yaoshorúl! 22-24Para além disto que aconteceu há três dias, umas mulheres do nosso grupo de seguidores seus foram ao túmulo onde foi posto, de manhã cedo, e regressaram com a notícia de que o seu corpo desaparecera e de que tinham visto lá uns anjos que lhes disseram que YAOHÚSHUA se encontrava vivo! Alguns dos nossos homens foram a correr ver o que se teria passado, e não há dúvida de que o corpo de YAOHÚSHUA desapareceu, tal como disseram as mulheres.” 25-27Então YAOHÚSHUA respondeu-lhes: “Mas vocês não estão a ser sensatos! É assim tão difícil para vocês crer em tudo o que os profetas escreveram nas Qaotáv? Não foi claramente predito por eles que hol-MEHUSHKHÁY teria de sofrer todas estas coisas antes de entrar na sua glória?” E fez-lhes compreender as Qaotáv, começando com os livros de Mehushúa e através das Qaotáv, explicando o que esses textos diziam a respeito de si. 28-29Entretanto, aproximavam-se da localidade para onde iam. YAOHÚSHUA parecia querer prosseguir no caminho, mas pediram-lhe que ficasse com eles porque se estava a fazer tarde, ao que acedeu. 30-31Quando se sentaram para comer, ele pediu a bênção de YÁOHU UL sobre o alimento, e depois, pegando num pequeno pão, partiu-o e distribuiu-o por eles. Foi então que, de repente, os olhos se lhes abriram e o reconheceram. E naquele preciso momento ele desapareceu. 32 Começaram, pois, a lembrar-se de como os seus corações se tinham animado enquanto ele lhes falava, explicando-lhes as Qaotáv, pela estrada fora. 33-34Voltaram logo outra vez para Yaohúshua-oléym, onde os onze discípulos e os outros seguidores de YAOHÚSHUA os receberam com estas palavras: “Não há dúvida de que Molkhiúl YAOHÚSHUA ressuscitou! Apareceu a Káfos!” 35Os dois de Emmaús contaram como YAOHÚSHUA lhes aparecera também enquanto seguiam pela estrada, e como o tinham reconhecido quando partiu o pão.

YAOHÚSHUA aparece aos discípulos

36-37Enquanto assim falavam, o próprio YAOHÚSHUA surgiu no meio deles, saudando-os: “A paz esteja com vocês!”. Mas todo o grupo ficou muito assustado, pensando que via um fantasma. 38-40″Porque se assustam?”, perguntou ele. Porque é que duvidam que seja realmente eu? Olhem as minhas mãos; olhem-me para os pés! Estão a ver que sou eu mesmo. Toquem-me e verifiquem que não sou nenhum fantasma. Porque os fantasmas não têm carne nem ossos, como vêem que eu tenho!” Enquanto falava, mostrava-lhes as mãos e os pés. 41-43Ainda indecisos, eles contemplavam-no, cheios de espanto e alegria. Então YAOHÚSHUA perguntou-lhes: “Têm aqui alguma coisa que se possa comer?” Deram-lhe um pedaço de peixe assado e pôs-se a comê-lo enquanto o observavam. 44Então disse-lhes: “Quando andava convosco, não se lembram de vos ter dito que tudo o que se escreveu acerca de mim, nos livros de Mehushúa, nos escritos dos profetas e nos Tehillím (Salmos), se terá de realizar?” 45Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Qaotáv: 46-47″Estava escrito que hol-MEHUSHKHÁY deveria sofrer, morrer e ressuscitar ao terceiro dia; e que em seu (Nome) Shúam se pregaria o arrependimento e o perdão dos pecados em todo o mundo, começando por Yaohúshua-oléym. 48Vocês viram como esses escritos sagrados se cumpriram. 49Agora vou mandar-vos o RÚKHA hol-HODSHÚA para que desça sobre vocês, tal como prometeu meu YÁOHU ABí. Permaneçam aqui na cidade até que o RÚKHA hol-HODSHÚA vos encha de poder do céu.”

A ascensão

50-53YAOHÚSHUA levou-os pelo caminho de Bóhay-Anyáo e, levantando as mãos para o céu, abençou-os. Então afastou-se deles e elevou-se até ao céu. Eles adoraram-no e regressaram a Yaohúshua-oléym, cheios de alegria. E estavam continuamente no Templo, louvando YÁOHU UL.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: